Sei sulla pagina 1di 16

1

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro PUC-Rio Departamento de Economia Programa de Pós-Graduação

2007.1

Versão 2

ECO 2141 História Econômica I. Estado e Economia: A Experiência Histórica Brasileira

Prof. Marcelo de Paiva Abreu

A disciplina tem por objetivo apresentar, analisar e discutir os principais determinantes

e consequências da política econômica republicana. O curso será organizado na forma de seminários definidos em bases cronológicas. O material será apresentado esquematicamente pelo professor que proporá questões para discussão com base na literatura recomendada para o seminário específico. É essencial, portanto, que os alunos leiam o material recomendado antes da realização do seminário relevante. Embora material específico não conste da lista de leitura será feito algum esforço para colocar a análise da economia brasileira no contexto econômico internacional contemporâneo relevante. Aos alunos interessados em leituras sobre este tema recomenda-se a consulta

à lista de leituras referente à disciplina História Econômica III: História da

Economia Mundial desde 1815 que pode ser encontrada na página do professor na internet.

A avaliação do desempenho dos alunos terá por base três elementos de igual peso: o

desempenho nos seminários e em duas provas parciais. Caso o aluno não obtenha média seis de acordo com este critério, ser-lhe-á oferecida a oportunidade de realizar uma prova final. Neste caso, a nota final será a média aritmética da média a que se referiu anteriormente e da nota da prova final.

Em seguida são apresentadas as ementas e bibliografias referentes a cada tópico. A distribuição cronológica destes seminários está esboçada tentativamente ao final desta lista de leituras. As leituras mais importantes estão indicadas abaixo; as obrigatórias serão definidas à medida que o curso avance. Em uma lista suplementar estão indicadas leituras complementares. É recomendável a leitura da introdução de M. de P. Abreu (org.), A Ordem do Progresso. Cem Anos de Política Econômica 1889-1989, Rio de Janeiro, 1990, para uma indicação sobre a orientação do curso.

1. O período pré-1889: visão geral. Especialização internacional do trabalho e

expansão da economia cafeeira no século XIX. Inserção do Brasil na economia

mundial: comércio e fluxos financeiros. Problemas centrais da economia cafeeira: oferta

de terras e de mão de obra.

A.K. Manchester, Preeminência Inglesa no Brasil, São Paulo, Brasiliense, 1973, capítulo 12 e sumário. A tradução é muito ruim [publicado originalmente como British

2

Preëminence in Brazil. Its Rise and Decline. A Study in European Expansion, University of North Carolina Press, Chapel Hill, 1933].

L.A.C. do Lago, ‘O Surgimento da Escravidão e a Transição para o Trabalho Livre no Brasil: um Modelo Teórico Simples e uma Visão de Longo Prazo’, Texto para Discussão 89, Departamento de Economia, PUC, Rio de Janeiro, 1984.

E. Reis e E. Reis, ‘As Elites Agrárias e a Abolição da Escravidão no Brasil’, Dados, 31

(3), 1988.

W. Dean, ‘The Brazilian Economy, 1870-1930’ in L. Bethell (org.), CHLA, volume V,

c. 1870 to 1930, Cambridge, Cambridge University Press, 1986.

M. de P. Abreu e Luiz Corrêa do Lago, ‘Property rights and the fiscal and financial

systems in Brazil: Colonial heritage and the Imperial period’, in M. Bordo e R. Cortés- Conde (orgs.), Transferring Wealth and Power from the Old to the New World,

Cambridge, Cambridge University Press, 2001.

2. República Velha, 1889-1928

a. Café e política econômica, 1889-1914. Política monetária e crise financeira no final dos anos 80 e nos anos 90. Consolidação do pacto oligárquico. O programa Murtinho e suas consequências. Auge e declínio da borracha no Brasil. Desequilíbrio no mercado cafeeiro. Valorização do café e estabilização cambial. Crise no imediato pré-guerra.

Furtado, Formação, caps. 27 a 30.

W. Fritsch, External Constraints on Economic Policy in Brazil, 1889-1930, Londres,

Macmillan, 1988, caps. 1 e 2. M.L.C. Prado e M.H.R. Capelato, ‘A Borracha na Economia Brasileira na Primeira República’ in Boris Fausto (org.), HGCB, tomo III, vol. 1. F.H. Cardoso, ‘Dos Governos Militares a Prudente-Campos Sales’ in Boris Fausto (org.), HGCB, tomo III, vol. 1.

b. Café e política econômica, 1914-1928. O impacto da Primeira Guerra Mundial. O

"boom" e a recessão do pós-guerra. A política econômica no governo Epitácio Pessoa. Políticas econômicas no governo Bernardes e recessão. A recuperação da economia mundial e o retorno brasileiro ao padrão ouro. As políticas de valorização do café na década de 20. O Brasil na economia mundial pré-1930.

Fritsch in Abreu (org), Ordem, pp. 41-72.

Fritsch, External Constraints, caps. 3, 4, 5, 6* e 7*.

M. de P. Abreu, O Brasil e a Economia Mundial, 1930-1945, Civilização Brasileira,

Rio de Janeiro, 1999, cap.2.

M. de P. Abreu e A. S. Bevilaqua, 'Brazil as an Export Economy, 1880-1930' in E.

Cárdenas, J.A. Ocampo e R.Thorp (orgs.), An Economic History of Twentieth-Century Latin America. Volume 1. The Export Age: The Latin American Economies in the Late Nineteenth and Early Twentieth Centuries, Palgrave, Basingstoke, 2000.

3

c. O processo de industrialização antes da "grande depressão". A industrialização pré-1914 e os interesses agrários e industriais. A indústria na Primeira Guerra Mundial.

A industrialização nos anos 20: controvérsias. A política comercial brasileira.

A. Fishlow, ‘Origins and Consequences of Import Substitution in Brazil’ in L.E. Di

Marco (ed.), International Economics and Development. Essays in Honor of Raul

Prebisch, Nova Iorque, Wiley, 1972, pp. 311-327. A.A. Villela, ‘Política Comercial e Importações na Primeira República: 1889-1930’, tese de mestrado, Departamento de Economia, PUC, Rio de Janeiro, 1993, capítulo 1.

M. de P. Abreu, ‘Contrasting Histories in the Political Economy of Protectionism:

Argentina and Brazil, 1880-1930, EconomiA, 1(1), janeiro de 2000.

M. de P. Abreu e F.T. Fernandes, `Market Power and Commodity Prices: Brazil, Chile

and the United States, 1820s-1930´, Texto para Discussão 511, Departamento de Economia, PUC-Rio, dezembro de 2005, dezembro 2005.

III. Primeiro período Vargas: 1930

3. A "grande depressão" e o primeiro período Vargas, 1928-1945

a. 1928-1933: a crise econômica pós-1928, a política econômica do Governo

Provisório e a recuperação. A crise econômica no Brasil e a economia mundial. A revolução de 1930. As políticas econômicas do Governo Provisório e suas consequências: controvérsias.

Furtado, Formação, caps. 31 e 32.

M. de P. Abreu, ‘The Brazilian Economy, 1928-1980’, Texto para Discussão 433,

Departamento de Economia, PUC-Rio, 2000.

M. de P. Abreu, ‘Crise, Crescimento e Modernização Autoritária’ in Abreu (org.),

Ordem, pp 73-82.

Fishlow, ‘Origins’, pp. 327-330.

B. Eichengreen, Globalizing Capital. A History of the International Monetary System,

Princeton, Princeton University Press, 1996, cap. 3.

b. 1933-1945: boom, crise de 1937 e impacto da Segunda Guerra Mundial. As políticas de ajustamento até 1937: café, câmbio, dívida externa e comércio. O Brasil na economia mundial. O desempenho dos diferentes setores da economia. A crise norte- americana de 1937, o Estado Novo e a reorientação da política econômica. Novos papéis do Estado. Impacto da guerra: estagnação e ajustamento. Balanço de pagamentos

e gastos públicos. Recuperação pós-1942 e aceleração inflacionária. O processo de

redemocratização.

Abreu in Abreu (org.), Ordem, pp. 82-104.

M. de P. Abreu, ‘Argentina e Brasil na Década de 30: o Impacto das Políticas

Internacionais da Grã Bretanha e dos EUA’, Revista Brasileira de Economia, outubro

de 1984.

4

`Brazil as a debtor, 1824-1931´, Economic History Review, v. 59, n. 4, novembro de

2006.

M.C.C. de Souza, Estados e Partidos Políticos no Brasil, São Paulo, 1976, caps. 3 e 4.

4. O Estado populista e a modernização da economia, 1945-1964

a. O governo Dutra, 1945-51. Política cambial: do liberalismo ao controle de

importações. Balanço de pagamentos, liquidez de reservas e preços do café. Política anti-inflacionária e sua reversão em 1949. Cooperação com os EUA: Abbink e Comissão Mista Brasil-EUA.

S.B. Vianna, ‘Política Econômica Externa e Industrializacão: 1946-1951’ in Abreu (org.), Ordem. Fishlow, ‘Origins’, pp. 340-44.

M. de P. Abreu, ‘Brazil as a Creditor: Sterling Balances, 1940-52’, Economic History

Review, XLIII (3), agosto de 1990.

M.

do C.C. de Souza, Estados, cap. 5.

b.

O segundo governo Vargas e o governo Café Filho, 1951-55. Crise e reforma do

sistema cambial. Contradições na condução das políticas monetária e fiscal ortodoxas.

Tratamento do capital estrangeiro e papel do setor público. Auge e colapso dos preços de exportação. A mudança de atitude do governo dos EUA. A Instrução 113 da SUMOC. As políticas econômicas de Gudin e Whitaker: gastos públicos, câmbio e café.

S.B. Vianna, ‘Duas Tentativas de Estabilização: 1951-1955’ in Abreu (org.), Ordem.

L. Gordon e E.L. Grommers, United States Manufacturing Investment in Brasil, 1946-

1960, Cambridge, Harvard UP, 1962, pp. 17-20.

F.

Weffort, O Populismo na Política Brasileira, Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1978, cap.

1.

D.M. Pinho Netto, ‘O Interregno Café Filho’ in Abreu (org.), Ordem.

c. O governo JK, 1956-61. Desenvolvimento versus estabilidade econômica. Programa

de Metas e Brasília. Investimento direto estrangeiro e setor produtivo estatal. Política

cafeeira

pagamentos e aceleração inflacionária. O fracasso do Programa de Estabilização de Lucas Lopes. Ruptura com o FMI.

Reforma cambial e lei de tarifas de 1957. Deterioração do balanço de

M.

de P. Abreu, ‘1944-1973: Crescimento Rápido e Limites do Modelo Autárquico’ in

B.

Lamounier, D.D. Carneiro e M. de P. Abreu, 50 Anos de Brasil. 50 Anos de

Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 1994, pp. 146-155.

L. Orenstein e A.C. Sochaczewski, ‘Democracia com Desenvolvimento: 1956-1961’ in

Abreu (org.), Ordem. M.A. Leopoldi, ‘Crescendo em Meio à Incerteza: a Política Econômica do Governo JK (1956-1960) in A. de C. Gomes (org.), O Brasil de JK, Rio de Janeiro, FGV, 1991. Malan, ‘Relações’, pp. 77-104.

5

d. Os governos Jânio Quadros e João Goulart e a crise, 1961-64. A Instrução 204 da

SUMOC. Dificuldades externas, descontrole fiscal e pressões inflacionárias. A recessão

a partir de 62-63: controvérsia sobre suas causas. O Plano Trienal e seu fracasso.

M. de P. Abreu, ‘Estagnação, Inflação e Ruptura: 1961-1964’ in Abreu (org.), Ordem.

J.Wells, ‘Growth and Fluctuations in the Brazilian Economy’, tese de doutoramento, Universidade de Cambridge, 1976, pp.14-42. F.Lopes, ‘Teoria e Política da Inflação Brasileira: uma Revisão Crítica da Literatura’ in J.Sayad (orgs.), Resenhas de Economia Brasileira, São Paulo, Saraiva, ANPEC, 1979, pp. 10-19. Malan, Relações, pp.94-106.

5. O Estado autoritário e a redemocratização, 1964-2004

a. 1964-1967. O Programa de Ação Econômica do Governo. As políticas de

estabilização: gastos públicos, crédito e salários. As reformas institucionais. O setor

externo: capital estrangeiro, câmbio e tarifa. Reorientação do modelo autárquico. Reforma do Estado.

A.L. Resende, ‘Estabilização e Reforma: 1964-1967’ in Abreu (org.), Ordem. M.H.Simonsen e R.O.Campos, A Nova Economia Brasileira, Rio de Janeiro, José Olympio, 1979, caps. I, IV, V, *VI e X. Fishlow, ‘Algumas reflexões sobre a política econômica brasileira após 1964’, Estudos CEBRAP 7, janeiro-março 1974, seções I e II.

b. O "milagre" de 1967-1973. O novo diagnóstico inflacionário e as novas políticas

econômicas. A política de estímulo às exportações e a reversão da abertura comercial.

Endividamento externo. Crescimento acelerado e remontagem do Estado cartorial. Custos sociais do crescimento acelerado. O choque externo em 1973 e os desequilíbrios

internos.

L.A.C. do Lago, A Retomada do Crescimento e as Distorções do "Milagre": 1967-1973 in Abreu (org.), Ordem.

R.Bonelli e P.Malan, ‘Os Limites do Possível: Notas sobre Balanço de Pagamentos e Indústria nos Anos 70’, Pesquisa e Planejamento Econômico, vol. 6, no. 2, agosto

1976.

Abreu, ‘1944-1973’, pp. 177-184. Fishlow, ‘Reflexões’, seção III.

c. O primeiro choque do petróleo e o ajuste da economia brasileira, 1973-1979.

Política econômica externa e correção do desequilíbrio de balanço de pagamentos. Políticas monetária e fiscal em um quadro de aumento de pressões inflacionárias. O programa de investimentos substitutivos de importações e o papel do Estado. Choque externo e impacto sobre o setor público.

D.D.Carneiro, ‘Crise e Esperança: 1974-1980´ in Abreu (org.), Ordem.

6

R.Werneck, ‘Public Sector Adjustment to External Shocks and Domestic Pressures in Brazil’ in Felipe Larraín e Marcel Selowsky (orgs.), The Public Sector and the Latin American Crisis, São Francisco, IC Press, 1991, pp. 53-74. Banco Mundial, Política Industrial e Exportação de Manufaturados do Brasil, Rio de Janeiro, FGV, 1983,caps. III, IV, VI e VII.

d. A recessão pós-segundo choque do petróleo e a recuperação em novo patamar

inflacionário, 1979-1985. Inflação alta e estagnação, 1986-1993. Os novos choques

de balanço de pagamentos: petróleo e juros

inflação e câmbio. Crescimento a qualquer custo, aceleração inflacionária e esgotamento do ajuste via endividamento. A política recessiva autóctone e suas consequências. Recessão com FMI depois da crise mexicana de 1982. A recuperação em 1984 e suas causas. Da restrição de balanço de pagamentos à restrição fiscal. Fracassos sucessivos de planos de estabilização.

O fracasso da política de pré-fixação de

M. de P. Abreu, ‘The Brazilian Economy, 1980-1994’, Texto para Discussão 492,

PUC-Rio, 2005. D.D. Carneiro e E.M. Modiano, ‘Ajuste Externo e Desequilíbrio Interno: 1980-1984’ in Abreu (org.), Ordem. A.L. Resende e F.Lopes, ‘Sobre as Causas da Recente Aceleração Inflacionária’, Pesquisa e Planejamento Econômico, dezembro 1981. Werneck, ‘Public Sector Adjustment’, pp. 74-83.

e. Dificuldades da estabilização, 1994-2004. Crise do Estado e reformas estruturais nos anos 1990. O Plano Real: implementação e dificuldades, 1993-2002. Política econômica na transição, 2002-2004.

M. de P. Abreu, ‘The Brazilian Economy, 1980-1994’, Texto para Discussão 492,

PUC-Rio, 2005. M. de P. Abreu e R. L. F. Werneck, ‘The Brazilian Economy, 1995-2004’, Texto para Discussão 504, Departamento de Economia, PUC-Rio, Outubro de 2005.

7

Leituras adicionais

1. O período pré-1889: visão geral

C. Furtado, Formação Econômica do Brasil, Rio de Janeiro, Forense, 1959, capítulos

17 a 26 (exclusive 23). E.V. da Costa, Da Senzala à Colônia, São Paulo, DIFEL, 1966, 1a. parte.

S. Stein, Vassouras. Um Município Brasileiro do Café, 1850-1900, Rio de Janeiro,

Nova Fronteira, 1990. T.S. Petrone, ‘Imigração Assalariada’ in S.B. de Holanda (org.), História Geral da

Civilização Brasileira (HGCB), Tomo II, vol. 3, São Paulo, DIFEL, 1969.

A.P. Canabrava, ‘A Grande Lavoura’ in S.B. Holanda (org.), HGCB, tomo II, vol. 4, São Paulo, DIFEL, 1971.

W. Dean, ‘Latifundia and Land Policy in Nineteenth-Century Brazil’ in Hispanic

American Historical Review, Novembro 1971.

E. V. da Costa, ‘O Escravo na Grande Lavoura’, in S.B. Holanda (org.), HGCB, tomo

II, vol. 3.

J.M. Carvalho, ‘A Política de Terras no Império: uma Não-Decisão’, IUPERJ, Rio de Janeiro, mimeo, 1980.

S. Sideri, Trade and Power: Informal Capitalism in Anglo-Portuguese Relations,

Rotterdam, Rotterdam University Press,1970, especialmente cap. 3.

L. Bethell e J.M. de Carvalho, ‘Brazil from Independence to the Middle of the

Nineteenth Century’ in L. Bethell (org.), The Cambrige History of Latin America (CHLA), volume III, From Independence to c. 1870, Cambridge, 1985.

R. Graham, ‘From the Middle of the Nineteenth Century to the Paraguayan War’ in L.

Bethell (org.), CHLA, volume III, Cambridge, Cambridge University Press, 1985.

E.V. da Costa, ‘Brazil: the Age of Reform, 1870-1889’ in L. Bethell (org.), CHLA, volume V, Cambridge, Cambridge University Press, 1986.

R. Graham, Patronage and Politics in Nineteeth Century Brazil, Palo Alto, Stanford

University Press, 1990.

2. República Velha, 1889-1928

a. Café e política econômica, 1889-1914

C.

Furtado, Formação, caps. 27 a 30.

W.

Fritsch, ‘Aspectos da Política Econômica no Brasil, 1906-1914’ in P. Neuhaus

(org.), Economia Brasileira: uma Visão Histórica, Rio de Janeiro, Campus, 1980.

W. Fritsch, ‘Apogeu e Crise na Primeira República: 1900-1930’in Abreu (org.), Ordem.

G.H.B. Franco, Reforma Monetária e Instabilidade durante a Transição Republicana, Rio de Janeiro, BNDES, 1983. G.B. Franco, ‘A Primeira Década Republicana’ in Abreu (org.),Ordem.

A.

Delfim Netto, O Problema do Café no Brasil, Rio de Janeiro, FGV, 1979, pp. 1-66.

P.

Neuhaus, História Monetária do Brasil, 1900-45, Rio de Janeiro, IBMEC, 1975, pp.

15-44.

Dean, ‘Brazilian Economy’.

8

B. Fausto, ‘Expansão do Café e Política Cafeeira in Boris Fausto (org.), HGCB, tomo

III, vol. 1.

B. Fausto, ‘Brazil: the Social and Political Structure of the First Republic’ in L. Bethell

(org.), CHLA, volume V, Cambridge, Cambridge University Press, 1986. M.C.C. de Souza, ‘O Processo Político-Partidário na República Velha’ in C.G. Mota (org.), Brasil em Perspectiva, São Paulo, DIFEL, 1968.

A. Villela e W. Suzigan, Política do Governo e Crescimento da Economia Brasileira

1889-1945, Rio de Janeiro, IPEA, 1973, cap. 3.

B. Weistein, The Amazon Rubber Boom, 1850-1920, Stanford, Stanford University

Press, 1983.

b.

Café e política econômica, 1914-1928

A.

Delfim Netto, Café, pp. 66-96.

A.

Villela e W. Suzigan, Política, caps 4 e 5.

P.

Neuhaus, História, pp. 45-95.

c.

O processo de industrialização antes da "grande depressão

N.V. Luz, A Luta pela Industrialização no Brasil (1808 a 1930), São Paulo, DIFEL,

1961.

W.

Cano, Raízes da Concentração Industrial em São Paulo, São Paulo, DIFEL, 1977.

R.

C. Simonsen, A Evolução Industrial do Brasil in Evolução Industrial do Brasil e

Outros Estudos, São Paulo, Cia. Editora Nacional, 1973, pp. 5-52.

S. Stein, Origens e Evolução da Indústria Têxtil no Brasil 1850-1950, Rio de Janeiro,

Campus, 1979.

W. Dean, A Industrialização de São Paulo (1880-1945), São Paulo, DIFEL, 1971, 2a.

parte.

A. Villela, ‘Surto Industrial Durante a Guerra de 1914-1918’ in Ensaios Econômicos:

Homenagens a Octávio Gouveia de Bulhões, Rio de Janeiro, APEC, 1972.

L.A.C. Lago, F.L. de Almeida e B.M.F. de Lima, A Indústria Brasileira de Bens de Capital: Origens, Situação Recente e Perspectivas, Rio de Janeiro, FGV, 1979, pp. 1-

70.

F.

Versiani e M.T. Versiani, ‘A Industrialização Brasileira antes de 1930: uma

contribuição’ in F. Versiani e J.R.M. de Barros (orgs.), Formação Econômica do Brasil. A Experiência da Industrialização, São Paulo, Saraiva, 1977.

F. Versiani, ‘Industrial Investment in an "Export" Economy: the Brazilian Experience

before 1914’, University of London, Institute of Latin American Studies, Working

Paper 2, s.d.

F. Versiani, ‘Industrialização: a Década de 20 e a Depressão’, Pesquisa e Planejamento

Econômico, vol. 14, no. 1, abril de 1984.

W. Fritsch, ‘Instabilidade Macroeconômica e Desempenho da Indústria no Brasil, 1919-

1929’, Rio de Janeiro, mimeo, s.d. J.M.C. de Mello, O Capitalismo Tardio, São Paulo, Brasiliense, 1983, pp. 89-110.

L. Aureliano, No Limiar da Industrialização, São Paulo, Brasiliense, 1981, pp. 13-23,

28-90.

9

S. Silva, Expansão Cafeeira e Origem da Indústria no Brasil, São Paulo, Brasiliense,

1976.

W. Suzigan, Indústria Brasileira. Origem e Desenvolvimento, São Paulo, 1986.

3. A "grande depressão" e o primeiro período Vargas, 1928-1945

a. 1928-1933: a crise econômica pós-1928, a política econômica do Governo Provisório e a recuperação

M. de P. Abreu, O Brasil e a Economia Mundial, 1930-1945, Civilização Brasileira,

Rio de Janeiro, 1999, caps. 4-6.

C. M. Pelaez, ‘A Balança Comercial, a Grande Depressão e a Industrialização

Brasileira’, Revista Brasileira de Economia, março de 1968.

M. de P. Abreu, ‘A Missão Niemeyer’, Revista de Administração de Empresas, julho

1974, pp. 13-22 (e notas correspondentes).

S. Silber, ‘Análise da Política Econômica e Comportamento da Economia Brasileira

durante o período de 1929/1939’ in Versiani e Barros, Formação.

E. Gudin, ‘Câmbio e Café 1933-1934’, in C.M. Pelaez (org.), Ensaios sobre Café e

Desenvolvimento Econômico, IBC, Rio de Janeiro, 1973. Delfim Netto, Café, pp. 96-106. Neuhaus, História, pp. 97-106.

C. Pelaez, ‘Análise Econômica do Programa Brasileiro de Sustentação do Café - 1906-

1945: Teoria, Política e Medição’ in C.M. Pelaez (org.), Ensaios, pp. 216-251.

B. Fausto, A Revolução de 1930. História e Historiografia, São Paulo, Brasiliense,

1970, pp. 12-19, 29-50. C.P Kindleberger, The World in Depression, 1929-1939, edição revista, Berkeley, University of California Press, 1986, capítulo 7.

b. 1933-1945: boom, crise de 1937 e impacto da Segunda Guerra Mundial

Furtado, Formação, caps. 32 e 33. Pelaez, ‘Análise Econômica’, pp. 231-242. Abreu, Brasil e a Economia Mundial, caps. 1 e 4-11.

M. de P. Abreu, ‘A Dívida Pública Externa do Brasil, 1931-1943’, Pesquisa e Planejamento Econômico, 5 (1), junho de 1975. Neuhaus, História, pp. 127-143.

S. Hilton, O Brasil e as Grandes Potências, 1930-1939, Rio de Janeiro, Paz e Terra,

1977.

L. Martins, Pouvoir et développemenr économique: formation et évolution des

structures politiques au Brésil, Paris, Anthropos, 1976. Dean, Industrialização, caps. 10 e 11. Villela e Suzigan, Política, cap. 6.

P. Malan, R. Bonelli, M. de P. Abreu e J.E. de C. Pereira, Política Externa e

Industrialização no Brasil (1939-52), Rio de Janeiro, IPEA, 1977, pp. 212-308. Fishlow, ‘Origins’, pp. 330-340.

10

Aureliano, Limiar, cap. 3. Mello, Capitalismo, pp. 110-122.

M. da C. de A. Tavares, ‘Acumulação de Capital e Industrialização no Brasil, tese de

livre docência’, FEA/UFRJ, Rio de Janeiro, 1974, pp. 110-136.

M. de P. Abreu, ‘A Economia Brasileira e a Segunda Guerra Mundial: O Setor Externo’

in Neuhaus (org.), Economia Brasileira.

C.M. Pelaez, ‘O Acordo Inter-Americano do Café e o Café Brasileiro durante a II Guerra Mundial’ in Pelaez (org.), Ensaios, Rio de Janeiro, 1973.

E. Gudin, Ensaios sobre Problemas Econômicos da Atualidade, Rio de Janeiro,

Civilização Brasileira, 1945.

4. O Estado populista e a modernização da economia, 1945-1964

a. O governo Dutra, 1945-51

Furtado, Formação, caps. 34 a 36.

Malan, Bonelli, Abreu e Pereira, Política, pp. 142-54, 164-77, 186-93, 212-63 e 296-

308.

O.G. de Bulhões, À Margem de um Relatório, Rio de Janeiro, Edições Financeiras,

1950.

D. Huddle, ‘Balanço de Pagamentos e Controle de Câmbio no Brasil. Diretrizes

Políticas e História, 1946-1954’ in Versiani e Barros (eds.), Formação.

R. de Almeida, ‘Experiência Brasileira de Planejamento, Orientação e Controle da

Economia’, Estudos Econômicos, Ano I, no. 2, junho 1950.

P. Malan, ‘Relações Econômicas Internacionais do Brasil (1945-1964)’ in Boris Fausto

(org.), HGCB, vol. 11, pp. 53-70.

T. Skidmore, Brasil: de Getúlio Vargas a Castelo Branco (1930-1964), Rio de Janeiro,

Saga, 1969.

b. O segundo governo Vargas e o governo Café Filho, 1951-55

A. Kafka, ‘The Brazilian Exchange Auction System’, Review of Economics and

Statistics, Agosto 1956.

A. S. Rio e H.C. Gomes, ‘Sistema Cambial: Bonificações e Ágios’ in Versiani e Barros

(eds.), Formação. M.H. Simonsen, Os Controles de Preços na Economia Brasileira, Rio de Janeiro, Consultec, 1961.

Vianna, Política Econômica no Segundo Governo Vargas (1951-1954), capítulos 2 a 4, BNDES, Rio de Janeiro, 1987.

C. Lessa e J.L. Fiori, ‘Relendo a Política Econômica: as Falácias do Nacionalismo

Popular do Segundo Vargas’, Texto para Discussão 30, IEI/UFRJ, 1983. Malan, ‘Relações’, pp. 70-77. Fishlow, ‘Origins’, pp. 344-52. M.C.S. d'Araújo, O Segundo Governo Vargas, 1951-1954. Democracia, Partidos e Crise Política, Rio de Janeiro, Zahar, 1982.

11

A.C. Sochaczewski, ‘Desenvolvimento Econômico e Financeiro do Brasil, 1952-1968’, Trajetória Cultural, 1993, caps. 3 e 4.

M. Lima, Petróleo, Energia Elétrica, Siderurgia e a Luta pela Emancipação, Rio de

Janeiro, Paz e Terra, 1975.

G. Vargas, A Política Nacionalista do Petróleo no Brasil, Rio de Janeiro, Tempo

Brasileiro, 1970.

M. Victor, A Batalha do Petróleo Brasileiro, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira,

1970.

O.

Aranha, Política Econômica e Financeira, Rio de Janeiro, Imprensa Nacional, 1954.

S.

Draibe, Rumos e Metamorfoses. Estado e Industrialização no Brasil 1930-1960, Paz

e Terra, Rio de Janeiro, 1985, cap. 3. G.A.D. Soares, Sociedade e Política no Brasil, São Paulo, Difel, 1973, pp. 150-232.

R. Boschi, Elites Industriais e Democracia, Rio de Janeiro, 1979, pp. 73-99.

Comissão Mista Brasil-EUA para o Desenvolvimento Econômico, Relatório Geral, Rio de Janeiro, 1954, caps. 1 a 4. J.M. Whitaker, O Milagre de Minha Vida, São Paulo, Hucitec, 1978, sexta parte. International Bank for Reconstruction and Development, Current Economic Conditions and Prospects of Brazil, Abril 1954.

c.

O governo JK, 1956-61

C.

Lafer, ‘O Planejamento no Brasil: Observação sobre o Plano de Metas’ in B.M.

Lafer (org.), Planejamento no Brasil, São Paulo, Perspectiva, 1970. Ministério da Fazenda, Programa de Estabilização Monetária para o Período de Setembro de 1958 a Dezembro de 1959, Rio de Janeiro, 1959.

Grupo Misto CEPAL-BNDE, Análise e Projeções do Desenvolvimento Econômico, Rio de Janeiro, BNDE, 1957, parte II.

M. da C. Tavares, ‘Auge e Declínio do Processo de Substituição de Importações no

Brasil’ in M. da C. Tavares, Da Substituição de Importações ao Capitalismo

Financeiro. Ensaios sobre Economia Brasileira, Rio de Janeiro, Zahar, 1977.

C.

Lessa, Quinze Anos de Política Econômica, São Paulo, Brasiliense, 1981.

E.

Bacha, ‘O Papel do Café na Economia Brasileira: do Pós-Guerra a Meados dos Anos

60’ in E. Bacha, Os Mitos de uma Década (Ensaios de Economia Brasileira), Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1978.

F.

de Oliveira, Economia da Dependência Imperfeita, Rio de Janeiro, Graal, 1977, cap.

3.

R.O.Campos, ‘Duas Opiniões sobre a Inflação na América Latina’ in A.Hirschman (org.), Monetarismo e Estruturalismo: um Estudo sobre a América Latina, Rio de Janeiro, Lidador,1967.

D. Felix, ‘Uma Alternativa para a Controvérsia entre Monetarismo e Estruturalismo’, in

A.Hirschman (org.), Monetarismo.

d. Os governos Jânio Quadros e João Goulart e a crise, 1961-64

12

A Situação Financeira do País e a Instrução no. 204. Exposição do Ministro da

Fazenda Dr. Clemente Mariani Bittencourt à Câmara dos Deputados, Rio de Janeiro,

1961.

Presidência da República. Plano Trienal de Desenvolvimento Econômico e Social. 1963-1965, Rio de Janeiro, 1963. R.Macedo, ‘Plano Trienal de Desenvolvimento Econômico e Social’ in Lafer (ed.), Planejamento. M.da C.Tavares, ‘Acumulação de Capital e Industrialização no Brasil’, tese de concurso, FEA/UFRJ, Rio de Janeiro, 1976, pp.115-65. A.Fishlow, ‘Algumas Reflexões sobre a Política Brasileira após 1964’, Estudos CEBRAP 6, Jan-Mar 1974. A.Candal, ‘A Industrialização Brasileira. Diagnóstico e Perspectivas’ in Versiani e Barros (orgs.), Formação. N.Leff, Economic Policy Making and Development in Brazil: 1947-1964, Nova Iorque, Wiley, 1968. M.Alves e P.Singer, Análise do Plano Trienal, Rio de Janeiro, 1968. M. Mesquita, ‘1961-1964: A Política Econômica sob Quadros e Goulart’, dissertação de mestrado, Departamento de Economia, PUC-Rio, 1992. R.O.Campos, Economia, Planejamento e Nacionalismo, Rio de Janeiro, 1963. E.Gudin, Análise de Problemas Brasileiros (Coletânea de Artigos 1958-1964), Rio de Janeiro, Agir, 1965. A.L.Resende, ‘A Política Brasileira de Estabilização: 1963-68’, Pesquisa e Planejamento Econômico, vol. 12, no. 3, Dezembro de 1982. I.Rangel, A Inflação Brasileira, Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1963. J.Serra, ‘Ciclos e Mudanças Estruturais na Economia Brasileira do Pós-Guerra’, in L.G.M. Belluzzo e R.Coutinho (orgs.), Desenvolvimento Capitalista no Brasil. Ensaios sobre a Crise, São Paulo, Brasiliense, 1981, pp.80-85.

5. O Estado autoritário e a redemocratização, 1964-1994

a. 1964-1967

Abreu, ‘1944-1973’, pp. 169-176. Resende, ‘Política’.

Ministério do Planejamento e Coordenação Econômica. Programa de Ação Econômica

do Governo, 1964-1966, Rio de Janeiro, 1966.

A.Dias Leite, Caminhos do Desenvolvimento: Contribuição para um Projeto Brasileiro, Rio de Janeiro, Zahar, 1966. M.H.Simonsen, A Experiência Inflacionária do Brasil, Rio de Janeiro, IPES, 1964. C.Martone, ‘Análise do Plano de Ação Econômica do Governo (PAEG) (1964-1966)’ in B.Lafer, Planejamento. C.Furtado, Subdesenvolvimento e Estagnação na América Latina, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1966, caps. 3 e 4. Escritório CEPAL/ILPES no Brasil. A Evolução Recente da Economia Brasileira, Rio de Janeiro, mimeo, 1968. C.Furtado, Um Projeto para o Brasil, Rio de Janeiro, Saga, 1968.

13

J.Bergsman, Brazil. Industrialization and Trade Policies, Londres, 1970. Sochaczewski, ‘Desenvolvimento’, caps. 5 e 6.

T. Skidmore, The Politics of Military Rule in Brazil, 1964-1985, Oxford, Oxford

University Press, 1988.

b. O "milagre" de 1967-1973

A. Delfim Netto, Análise do Comportamento Recente da Economia Brasileira:

Diagnóstico, São Paulo, mimeo, 1967.

A. Delfim Netto, 1967/1968 Política Econômica e Financeira do Governo, São Paulo,

1968.

M.H.Simonsen, Brasil 2001, Rio de Janeiro, Apec, 1969. M.H.Simonsen, Brasil 2002, Rio de Janeiro, Apec/Bloch, 1972. M.H.Simonsen, Inflação: Gradualismo x Tratamento de Choque, Rio de Janeiro, Apec,

1970.

J.R.Wells, Eurodolares, ‘Dívida Externa e o Milagre Brasileiro’, Estudos CEBRAP, no.

6, 1974. J.E.de C.Pereira, Financiamento Externo e Crescimento Econômico no Brasil: 1966- 1973, Rio de Janeiro, IPEA, 1974. D.O.Alves e J.Sayad, ‘O Plano Estratégico de Governo (1968-1970)’ in B.Lafer, Planejamento. C.Doellinger, H.B. de C.Faria e L.C.Cavalcanti, A Política Brasileira de Comércio Exterior e seus Efeitos 1967/73, Rio de Janeiro, IPEA, 1974. C.G.Langoni, Distribuição de Renda e Desenvolvimento Econômico do Brasil, Rio de Janeiro, Expressão e Cultura, 1973. A.Fishlow, A Distribuição de Renda no Brasil in R.Tolipan e A.C.Tinelli (orgs.), A

Controvérsia sobre Distribuição de Renda e Desenvolvimento, Rio de Janeiro, Zahar,

1975.

J.Wells, ‘Distribuição de Rendimento, Crescimento e Estrutura de Demanda no Brasil na década de 60’ in R.Tolipan e A.C.Tinelli (orgs.), Controvérsia. Ministério do Planejamento e Coordenação Geral. Diretrizes de Governo. Programa Estratégico de Desenvolvimento, Rio de Janeiro, 1967. Ministério do Planejamento e Coordenação Geral. Programa Estratégico de Desenvolvimento, 1968-1970. Estratégia de Desenvolvimento e Estrutura Geral, Rio de Janeiro, 1968. Presidência da República. Metas e Bases para a Ação de Governo, Brasília, 1970.

C.Furtado, Análise do Modelo Brasileiro, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1972. P.Schmitter, ‘The Portugalization of Brazil’ in A.Stepan (org.), Authoritarian Brazil. J.Serra e M.da C.Tavares, ‘Além da Estagnação’ in Tavares, Substituição. H.Jaguaribe, ‘O Modelo Político e a Estrutura Econômico-Social Brasileira’ in Encontros com a Civilização Brasileira, no. 4, 1978, pp.129-166. A.F.Montoro, Moeda e Sistema Financeiro no Brasil, Rio de Janeiro, IPEA, 1972, cap.

IV.

J.R.Wells, ‘Growth’, pp.239-319. M.da C.Tavares, ‘Acumulação’, cap. III, esp. pp. 68-92.

14

República Federativa do Brasil, II Plano Nacional de Desenvolvimento (PND), 1972- 1974, Brasília, 1974. ‘Issues and Evidence on Recent Brazilian Economic Growth’, World Development, vol. 5, no. 1/2, 1977. R.Bonelli e D.Werneck, ‘Desempenho Industrial: Auge e Desaceleração nos Anos 70’ in Suzigan (org.), Indústria: Política, Instituições e Desenvolvimento, Rio de Janeiro, IPEA, 1978.

c. O primeiro choque do petróleo e o ajuste da economia brasileira, 1973-1979

D.D.Carneiro, ‘’ Introdução: Dificuldades no Reajuste do Modelo’ in D.D.Carneiro (org.), Brasil: Dilemas de Política Econômica, Rio de Janeiro, Campus, 1977. D.D. Carneiro, ‘1974-94: os desafios da estabilização postergada’ in B. Lamounier, D.D. Carneiro e M. de P. Abreu, 50 Anos de Brasil. 50 Anos de Fundação Getulio Vargas, Rio de Janeiro, FGV, 1994, pp.185-217. M.C. D’Araujo e C.Castro, Ernesto Geisel, Rio de Janeiro, FGV, 1997. Bonelli e Malan, ‘Limites’. Bacha, ‘Issues’.

A.L. Baumgarten e L.R.A. Cunha, ‘Política Industrial e o Desenvolvimento do Setor na Última Década (1968-77): da recuperação à recessão?’ in D.D.Carneiro (org.), Brasil:

Dilemas de Política Econômica, Rio de Janeiro, Campus, 1977.

L. A. C. do Lago, F.L. Almeida e B.M.F. Lima, ‘A Indústria Brasileira de Bens de

Capital: origens, situação recente e perspectivas’, Rio de Janeiro, FGV, 1979. et al A.B.de Castro e F.E.P. de Souza, A Economia Brasileira em Marcha Forçada, Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1985. J.C.Batista, ‘Brazil's Second National Development Plan and its Growth-Cum-Debt Strategy’, IEI/UFRJ, Texto para Discussão 93, 1986. C.R. Contador, ‘A Exogeneidade da Oferta de Moeda no Brasil’, Pesquisa e Planejamento Econômico, 8 (2), agosto de 1978.

L. Carvalho, ‘Políticas Salariais Brasileiras no Período 1964-1981’, Revista Brasileira

de Economia, 36 (1), janeiro de 1982.

R. Werneck, Empresas Estatais e Política Macroeconômica, Rio de Janeiro, Campus,

1987.

Thomas J. Trebat, Brazil’s State-owned Enterprises: A Case Study of the State as

Entrepreneur, New York, Cambridge University Press, 1983.

L. Martins, Estado Capitalista e Burocracia no Brasil pós-1964, Rio de Janeiro, Paz e

Terra, 1984. W. Fritsch e G. Franco, Foreign Direct Investment in Brazil: Its Impact on Industrial Reconstructing, Paris, OECD, 1991. R.Velloso, ‘O Setor Externo e o Desenvolvimento Econômico Recente do Brasil:

Crescimento com Escassez de Divisas, 1950-1990’, Brasília, 1982, mimeo.

d. A recessão pós-segundo choque do petróleo e a recuperação em novo patamar

inflacionário, 1979-1985. Inflação alta e estagnação, 1986-1993.

15

D.D. Carneiro, ‘Stabilization and Adjustment Policies and Programmes: Brazil’, Helsinque, [1987], pp. 1-28 D.D. Carneiro, ‘Desafios’, pp. 217-235 P.Arida (org.), Dívida Externa, Recessão e Ajuste Estrutural. O Brasil Diante da Crise, Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1982. F.Lopes, ‘Inflação Inercial, Hiperinflação e Desinflação: Notas e Conjecturas’, Revista da ANPEC, ano VII no. 8, novembro 1984. E.Modiano, ‘Salários, Preços e Câmbio: os Multiplicadores dos Choques numa Economia Indexada’, Pesquisa e Planejamento Econômico, abril 1985. E.Bacha, ‘Choques Externos e Perspectivas de Crescimento: o Caso do Brasil’, Pesquisa e Planejamento Econômico, dezembro de 1984. M.de P.Abreu e W.Fritsch, ‘Latin American and Caribbean Countries in the World Trade System: Past Problems and Future Prospects’, Texto para Discussão 107, PUC/RJ, 1985. R.Werneck, ‘Poupança Estatal, Dívida Externa e Crise Financeira do Setor Público’, Pesquisa e Planejamento Econômico, dezembro 1986. L.Carvalho, ‘Políticas Salariais Brasileiras no Período 1964-81’, Revista Brasileira de Economia, janeiro 1982. H.Jaguaribe, W.G. dos Santos, M. de P.Abreu, W.Fritsch e F.B. Ávila, Brasil 2000: Por um Novo Pacto Social, Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1986. L. Sá, ‘Restrições ao Crescimento da Economia Brasileira: exercícios com modelos de 3 hiatos’, tese de mestrado, Departamento de Economia, PUC, Rio de Janeiro, 1993.

e. e. Dificuldades da estabilização, 1994-2004.

Ver a bibliografia de Abreu e Werneck, Texto para Discussão 504, Departamento de Economia, PUC-Rio, Outubro de 2005.

16

Cronograma tentativo 2007

Data

Assunto

7.8.2007

Introdução

14.8.2007

Seminário 1

21.8.2007

Seminário 2.a

28.8.2007

Seminário 2.b

29.9.2007

Seminário 2.c

4.9.2007

Não haverá seminário

11.9.2007

Seminário 3.a

18.9.2007

Seminário 3.b

25.9.2007

Primeira prova

2.10.2007

Seminário 4.a

9.10.2007

Seminário 4.b

16.10.2007

Seminário 4.c

23.10.2007

Seminário 4.d

30.10.2007

Seminário 5.a

6.11.2007

Seminário 5.b

13.11.2007

Seminário 5.c

A definir

Seminário 5.d

27.11.2007

Seminário 5.e

4.12.2007

Segunda prova

11.12.2007

Prova final