Sei sulla pagina 1di 6
I Exposição de Projetos das Engenharia da Universidade do Norte do Paraná Projetos Integrados Multidisciplinares

I Exposição de Projetos das Engenharia da Universidade do Norte do Paraná Projetos Integrados Multidisciplinares das Engenharias ExpoEng 2016.2 05 a 08 de dezembro de 2016 UNOPAR - Catuaí, 2016

Controle de Temperatura no Processo de Fermentação na Fabricaç

João Luiz Gregório Cordeiro UNOPAR, Londrina, Brasil, joao_luiz1109@hotmail.com

Renan Benaglia UNOPAR, Londrina, Brasil, renanbenaglia@hotmail.com

Victor Hugo Kazuo Cavalari UNOPAR, Londrina, Brasil, vhcavalari@gmail.com

RESUMO: A temperatura durante a fermentação é uma das variáveis mais importantes na produção de cerveja, pois o controle das faixas de temperatura tem um papel fundamental na fabricação desta. Na ausência de um adequado controle de temperatura na etapa de fermentação, dependendo da época do ano, as variações de temperatura entre o dia e a noite podem ser de até 15ºC, produzindo cores, aromas e sabores indesejáveis no produto final. Os sensores do tipo termistor têm sido utilizados em medições de temperatura através da troca de energia térmica em função da variação da resistividade. Devido ao baixo custo e precisão na captação de dados, esses sensores apresentam-se como uma alternativa para utilização em medições ambientais. Portanto este trabalho visa facilitar o controle de temperatura na produção de cervejas artesanais, através do desenvolvimento de um sistema automatizado. Para tanto, faz-se uso de uma plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre, por meio de uma ferramenta acessível, de fácil utilização e flexibilidade de adequação ao processo, como o Arduino. A metodologia baseou-se no desenvolvimento de um instrumento de medição de temperatura fazendo-se uso de uma placa Arduino Uno, um termistor NTC de 10 Ke um resistor de 10 KΩ e o método Steinhart-Hart foi utilizado para achar a relação resistência-temperatura. Para ocontrole de temperatura utilizou-se um freezer comandado pelo arduino, o qual atua ligando ou desligando o motor conforme a temperatura predefinida. Os resultados ptreliminares mostraram que é possível a implementação de um controlador de temperatura através da placa arduino e o termistor NTC, porém para a fermetação de cervejas ainda é necessário uma melhor calibração.

PALAVRAS-CHAVE: Temperatura, automação, NTC, termistor, arduino, cerveja.

1

INTRODUÇÃO

O processo de fermentação tem papel fundamental e determinante nas características da cerveja, estabelecendo aroma, cor e sabor à bebida. A fermentação é uma etapa importante para

o processo de fabricação da cerveja, onde as leveduras produzem álcoois e gás carbônico. Os

principais fatores que influenciam esta etapa são

o tempo de fermentação e a temperatura. A

temperatura irá variar dependendo do tipo de levedura, sendo usualmente utilizada uma faixa de 10 a 25°C. Uma temperatura inferior à desejada fará com que a levedura "adormeça" e

ExpoEng - 2016

uma temperatura superior, poderá adicionar aromas e substâncias como alguns álcoois, que diminuem a qualidade da bebida. O tempo e a temperatura de fermentação podem variar de acordo com a densidade inicial, o tipo de levedura utilizado ou as características do estilo da cerveja. A fermentação é feita em duas etapas: a primária, na qual ocorre o consumo de todos os açúcares fermentáveis pela levedura, e a secundária, onde o fermento reabsorve alguns dos subprodutos indesejáveis que foram gerados na fermentação primária. O controle de temperatura na fermentação da cerveja é um dos fatores determinantes para a produção de uma boa cerveja. As leveduras são

diretamente afetadas pela temperatura a que são expostas, e esta por sua vez atua diretamente na eficiência do fermento. A plataforma de prototipagem eletrônica que utilizaremos será o Arduino Uno conforme Figura 1, que é baseada em hardware e software open source. O Arduino pode interagir com o ambiente recebendo em suas entradas sinais dos mais variados tipos de sensores. Neste trabalho o Arduino será apresentado como um controlador de temperatura em ambiente fechado. O Arduino Uno é uma pequena placa de circuito impresso que contém um microcontrolador ATmega328p, entradas e saídas digitais, entradas analógicas, oscilador de cristal e pinos de alimentação. A programação se dá por meio de uma linguagem própria, baseada em wiring e pode ser utilizado em vários sistemas operacionais.

e pode ser utilizado em vários sistemas operacionais. Figura 1: Placa Arduino Uno. Fonte: www.arduino.cc Controle

Figura 1: Placa Arduino Uno. Fonte: www.arduino.cc

Controle On-Off é utilizado quando o processo permite uma oscilação contínua da variável controlada em torno do setpoint. A saída do controlador muda de ligada para desligada, ou vice-e-versa, à medida que o sinal do erro passa pelo ponto de ajuste (setpoint). O elemento final de controle é o motor do freezer, que assume somente uma das duas posições possíveis: ligado ou desligado. O sensor pode ser definido como componentes que sofrem variação em uma grandeza elétrica (resistência elétrica, corrente elétrica ou tensão elétrica) de acordo uma outra grandeza física (som, luz, temperatura, movimento, vibração) desde que haja uma relação conhecida entre a variação elétrica e a grandeza física.

ExpoEng - 2016

Por terem alterações na resistência elétrica devido a temperatura estes componentes também levam o nome de termistores. São resistores termicamente sensíveis. A sua ampla utilização se dá, principalmente, devido à sua exatidão, elevada sensibilidade e resposta às mudanças relativamente pequenas de temperatura, apresentam baixo custo quando comparados com outros dispositivos, como os termômetros, por outro lado a sua relação de resistência e temperatura não é linear. Os termistores do tipo NTC ou PTC são semicondutores que podem ter a variação de resistência de forma diretamente proporcional para os termistores do tipo PTC (positive temperature coeficient), onde a resistência elétrica irá se elevar à medida que se eleva a temperatura e inversamente proporcional para os termistores do tipo NTC (negative temperature coeficient) onde a resistência elétrica irá diminuir à medida que se eleva a temperatura.

O diferencial do NTC é ser muito mais sensível

a variações de temperatura, comparado com

outros sensores de resistência variável com a temperatura, como os termoresistência e os termopares. Devido a facilidade de obtenção e custo, neste estudo foram utilizados os termistores do tipo NTC, vista na Figura 2.

utilizados os termistores do tipo NTC, vista na Figura 2. Figura 2: Sensor do tipo NTC.

Figura 2: Sensor do tipo NTC. Fonte: www.novus.com

A resposta da variação de temperatura não é linear à variação de sua resistência, mas pode-se

obter a relação entre a resistência e a temperatura para faixas pequenas de variação de temperatura através da equação de Steinhart & Hart. Uma expressão empírica muito utilizada para descrever o comportamento de um termistor NTC na faixa de temperatura entre 50°C a +150°C. Equação de Steinhart-Hart, onde A, B, e C são constantes, do NTC a ser modelado, R a resistência do NTC e T a temperatura em graus Kelvin.

R a resistência do NTC e T a temperatura em graus Kelvin. (1) Os coeficientes de

(1)

Os coeficientes de Steinhart-Hart podem ser obtidos a partir de um sistema de três equações e três incógnitas, onde são utilizados três pontos de resistência e temperatura conhecidos. No entanto utilizaremos uma versão simplificada da equação.

entanto utilizaremos uma versão simplificada da equação. (2) 2 MATERIAIS E MÉTODOS 2.1 Materiais No

(2)

2

MATERIAIS E MÉTODOS

2.1

Materiais

No desenvolvimento deste trabalho, foram utilizados os seguintes equipamentos e programas:

Recipiente de vidro com água;

Relé

do

de

estado

sólido

para

controle

freezer;

Sensor analógico do tipo termistor NTC de 10kΩ a 25ºC em série com resistor 10kΩ;

Placa Arduino UNO, com processador Atmega 328 com memória flash de 3 2Kbytes, SRAM de 2Kbytes, EEPROM de 1Kbyte e velocidade de clock de 16Mhz para leitura automática dos dados de resistência ôhmica do sensor termistor 10kΩ;

Controlador indicador de temperatura (TIC) usado para medir ser a referencia na medição de temperatura Figura 3;

Protoboard para acoplamento do resistor e o NTC no processador da placa do Arduino

ExpoEng - 2016

Uno;

Notebook para programar e interagir em tempo real com a placa do Arduino;

Programa Excel para analise de correlação entre os dados de temperatura medida pelo sensor termistor 10kΩ.

dados de temperatura medida pelo sensor termistor 10kΩ . Figura 3: Indicador Controlaor de Temperatura. Fonte:

Figura 3: Indicador Controlaor de Temperatura. Fonte: www.fullgauge.com.br

2.2

Métodos

2.2.1 Montagem

Sistema

de

Leitura

da

Temperatura

Para que o microcontrolador consiga interpretar a temperatura medida pelo termistor NTC 10K foi feito um circuito eletrônico que permite converter a variação da resistência pela variação de temperatura medida, em um sinal analógico compatível com o microcontrolador. Para isso, foi utilizada uma das entradas analógicas do microcontrolador. Esta entrada analógica é, na verdade, um conversor A/D (analógico para digital) que lê o valor de tensão presente em seu terminal que pode variar entre 0V e +3,3Vcc e converte para um sinal digital de 10 bits (0 a 1023) proporcional a este sinal de entrada. Utilizando as características do sensor resistivo foi montado um circuito divisor de tensão com a adição de um resistor de 10k em série ao NTC. Este divisor tem como tensão de entrada +3,3Vcc e o sinal de saída do divisor de tensão será ligado à entrada analógica do microcontrolador conforme a Figura a seguir:

Figura 4: Esquema para o divisor de tensão. Fonte: Do Autor. Figura 7: Ligação do

Figura 4: Esquema para o divisor de tensão. Fonte: Do Autor.

Figura 4: Esquema para o divisor de tensão. Fonte: Do Autor. Figura 7: Ligação do Sensor

Figura 7: Ligação do Sensor no Arduino. Fonte: Do Autor.

Figura 7: Ligação do Sensor no Arduino. Fonte: Do Autor. Figura 5: Ligação do divisor de

Figura 5: Ligação do divisor de tensão. Fonte: Do Autor.

Com está ligação conseguimos saber a resistência do NTC através da formula de divisão de tensão, e assim buscar sua relação coma temperatura. No arduino ligamos umas das pontas do NTC no GND, o resistor de 10k ligamos em 3,3V do arduino o sinal ligamos na entrada analógica A0. Como mostra no afigura a seguir.

na entrada analógica A0. Como mostra no afigura a seguir. Para determinar o coeficiente B da

Para determinar o coeficiente B da equação simplificada de Steinhart-Hart. Foram realizadas 3 medições de resistência ôhmica no termistor NTC de 10k com a temperatura no sensor de referência. Estes valores foram adicionados no aplicativo “Calculator V1.1” da Stanford Reseach Systems para determinação da constante B da Equação de Steinhart-Hart. Este procedimento permitiu estabelecer a equação característica do sensor NTC 10KΩ (Figura 6)

Tabela 1. Pontos utilizados para calibração do sensor termistor

Temperatura

0 ºC

10 ºC

25 ºC

Resistencia

28134

17901

10050

Resistencia 28134 Ω 17901 Ω 10050 Ω Figura 8: Valor da constante b na equação Steinhart-Hart

Figura 8: Valor da constante b na equação Steinhart-Hart Fonte: Stanford Reseach Systems

Com isso é possivel determinar a temperatura medida.

2.2.2 Controle de Temperatura On-Off

Figura 6: Esquema para Ligação no Arduino

ExpoEng - 2016

Para ser feito o controle de temperatura será utilizando basicamente um freezer, uma plataforma microcontroladora de prototipagem em código aberto no caso o arduino, um elemento primário de temperatura do tipo termistor NTC, um recipiente de vidro com agua.

do tipo termistor NTC, um recipiente de vidro com agua. Figura 9: Esquema de Ligação do

Figura 9: Esquema de Ligação do Freezer. Fonte: Do Autor.

Figura 9: Esquema de Ligação do Freezer. Fonte: Do Autor. Figura 10: Sistema para o controle

Figura 10: Sistema para o controle de temperatura. Fonte: Do autor.

Para realizar o controle foi colocado o recipiente de vidro com água dentro do freezer, e o arduino irá controlar o acionamento do motor no momento em que a temperatura ultrapassa determinado valor máximo e tem seu desligamento quando a temperatura cai abaixo do valor mínimo predefinido. No projeto foi escolhida a temperatura de 15ºC como referencia (setpoint), foi determinada uma faixa de 0,5ºC da referencia. Assim o motor ligará em 15,5ºC e desligará 14,5º C formado uma faixa de funcionamento. Esses valores de liga/desliga foram escolhidos para que não ocorram muitos acionamentos do motor em intervalos de tempo muito curtos.

ExpoEng - 2016

3 RESULTAOS E DISCUSSÃO

Para verificação do funcionamento do controle de temperatura por meio da ação de controle on-off. Foi gerado um gráfico de

temperatura por tempo, com base nos dados apresentados no monitor serial do arduino, com

o objetivo de visualizar o controle da

temperatura pela placa arduino. O setpoint foi mantido em 15 ºC durante todo o ensaio de aproximadamente 4 horas.

em 15 ºC durante todo o ensaio de aproximadamente 4 horas. Gráfico 1: Resposta no Tempo.

Gráfico 1: Resposta no Tempo. Fonte: Do Autor.

4

CONCLUSÃO

Neste trabalho foi apresentado um controle

de

temperatura com o objetico de controlar a

fermentação no processo de produção de cervejas artesanais. O trabalho mostrou a construção de um controlador indicador de temperatua utilizando uma placa de prototipagem arduino, nele o termistor do tipo NTC 10k em série com um resistor de 10k . Com isso foi possivél medir e controlar a temperatura da variável atuando diretamente no freezer. Como aplicação foi implementado um controle do tipo on-of. Nela o acionamenmto do motor do freezer aconteceu quando a temperatura utrapassou o valor estabelecido, no caso foi utilizado uma margem de 0,5 ºC tanto quanto para cima ou para baixo do setpoint. Assim o motor era ligado quando atigia 15,5 ºC e desligava quando atingia 14,5 ºC.

Com proposta para trabalho futuros será estudado a possibilidade de calibração do sensor e a comparação do mesmo com outro sensores do mesmo tipo, com isso poderemos atingir uma melhor eficiencia no controle de temperatura.

REFERÊNCIAS

BANZI, M., CUARTIELLES, D., IGOE, T., MARTINO, G., MELLIS, D. Arduino home-page, 2006. www.arduino.cc. Acesso em: 12 out. 2016. DUNN, W. C. Fundamentos de instrumentação industrial e controle de processos. Porto Alegre:

Bookman, 2013. 344p. EPCOS. NTC thermistors for temperature measurement, 2006. Disponível em:

http://eecs.oregonstate.edu/education/docs/datash eets/10kThermistor.pdf. Acesso em: 13 out 2016. PALMER, John J. How to Brew: everything you need to know to brew beer right the first time. 3. ed. Colorado: Brewers Publications, 2006. 347 p. GOMES, S. A. Chuveiro Automático. Brasília, 2011. Projeto de graduação-Centro Universitário de Brasília, 2011. STANFORD RESEACH SYSTEMS. Disponível em:

www.thinksrs.com/downloads/programs/Therm%20C

alc/NTCCalibrator/NTCcalculator.htm Acessado em:

20 de novembro de 2014. STEINHART, J. S.; HART, S. R. Calibration curves for thermistors. Deep Sea Research and Oceanographic, v. 15, n. 4, p. 497-503, 1968. ALEXANDER, C.K. e SADIKU, M.N.O. Fundamentos de circuitos elétricos, Bookman, 2003.

ExpoEng - 2016