Sei sulla pagina 1di 137

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Aula 3 - Conhecimentos básicos de redes de computadores

Olá, pessoal, como está o ritmo?

Fizemos uma inversão de tópicos do nosso cronograma, trocando as aulas 3 e

4. Decidimos adiantar a aula 4 para aproveitar o clima gerado pela aula 2.

Então, os tópicos a serem abordados nesta aula são: Arquiteturas e topologias

de redes de computadores. Fundamentos de comunicação de dados. Meios físicos de transmissão. Elementos de interconexão de redes de computadores (gateways, hubs, repetidores, bridges, switches, roteadores). Tecnologias de redes locais e de longa distância. Protocolos: IPv4, TCP, UDP, IPSec, ARP, SNMP, SSH, DNS, DHCP, SMTP, HTTP, FTP, LDAP, H.323, SIP; Gateways de aplicação; NAT; Qualidade de serviço (QoS).

Uma boa aula e até já!

Lênin e Patrícia

- LISTA DAS QUESTÕES COMENTADAS -

1. (CESPE/2007/CPC/PA) DNS apresenta uma arquitetura cliente-servidor. A resposta a uma consulta pode envolver vários servidores. Consultas a servidores DNS podem ser de tipos como A, CNAME, HINFO e MX. Em várias plataformas, pode-se testar o funcionamento dos servidores DNS via nslookup.

Resolução

O DNS é um serviço cliente/servidor. No DNS, quando um cliente precisa

enviar um pacote a uma estação nomeada, o software de resolução do cliente envia uma consulta de nome a um servidor DNS local, que, se não puder resolver o nome solicitado, realiza consulta a outros servidores DNS.

O servidor DNS armazena diferentes tipos de registro de recurso (Resource

Records) - os registros são as entradas do banco de dados do DNS. Em cada entrada existe um mapeamento entre um determinado nome e uma informação associada ao nome. Pode ser desde um simples mapeamento entre um nome e o respectivo endereço IP, até registros mais sofisticados para a localização de DCs (Domains Controllers -controladores de domínio- do Windows Windows Server 2003, por exemplo) e servidores de e-mail do domínio (Batisti,2010).

Alguns desses tipos de registro do DNS são:

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Registro

Descrição

A

Endereço do dispositivo final (Host address (A) resource record). É o tipo mais utilizado, faz o mapeamento de um nome DNS para um endereço IP versão 4, de 32 bits. Exemplos (Batisti,2010):

host1.example.microsoft.com.

IN A

127.0.0.1

srv01.abc.com.br

IN A 100.100.200.150 IN A 100.100.200.151

srv02.abc.com.br

CNAME

Canonical name (CNAME): mapeia um alias (apelido) ou nome DNS alternativo. Por exemplo, suponha que o site de uma organização esteja no servidor srv01.abc.com.br. Porém na Internet, os usuários irão utilizar o nome www.abc.com.br. Neste caso basta criar um alias www que faz referência ao nome srv01.abc.com.br. A partir daí, quando os usuários

digitarem www.abc.com.br estarão acessando, na verdade, o endereço srv01.abc.com.br. Porém para o usuário, tudo ocorre de forma transparente, como se o nome fosse realmente

www.abc.com.br.

Um

exemplo:

www.abc.com.br. CNAME srv01.abc.com.br.

HINFO

Host information (HINFO): indica dados de hardware e software do servidor DNS, como: tipo de CPU, tipo e versão do sistema operacional e assim por diante.

MX

Mail exchanger (MX): fornece informações utilizadas pelos servidores de e-mail, para o roteamento de mensagens.

O comando nslookup pode ser utilizado para obter informações de um servidor DNS, utilizadas para a resolução de problemas relacionados com o DNS. Com o comando nslookup pode-se:

retornar partes selecionadas dos registros de uma zona;

verificar se um servidor DNS está funcionando normalmente e responde às consultas;

obter informações sobre as zonas existentes em um servidor DNS; etc.

sobre as zonas existentes em um servidor DNS; etc. Figura – Exemplo de utilizando do comando

Figura – Exemplo de utilizando do comando nslookup.

GABARITO: item CERTO.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

2. (FUMARC/BDMG/Analista de Sistemas/2011) Analise as seguintes afirmativas sobre protocolos e serviços de rede.

I. Para localizar o serviço de correio eletrônico de um determinado domínio, deve-se criar, nas configurações do servidor DNS, uma entrada do tipo MX apontando para o servidor que disponibiliza este serviço.

II. O protocolo SMTP é utilizado no envio e também na troca de mensagens entre servidores de correio eletrônico.

III. Um servidor DHCP envia informações de configuração, para que as estações tenham acesso à rede, mas, para isso, estas estações precisam ter sido configuradas previamente com o endereço do servidor DHCP.

Marque a alternativa CORRETA:

a) apenas as afirmativas I e II são verdadeiras.

b) apenas as afirmativas I e III são verdadeiras.

c) apenas as afirmativas II e III são verdadeiras.

d) todas as afirmativas são verdadeiras.

Comentários

Item I. A entrada do tipo MX (Mail exchanger), fornece informações sobre o servidor de e-mail. Item correto.

informações sobre o servidor de e-mail. Item correto. Item II. O SMTP ( Simple Mail Transfer

Item II. O SMTP (Simple Mail Transfer Protocol - Protocolo de Transferência Simples de Correio) é um protocolo da camada de aplicação do modelo TCP/IP, utilizado para envio de correspondências eletrônicas (e-mails) entre computadores e entre servidores de correio eletrônico. Item correto.

Item III. A primeira parte está ok, ao informar que “um servidor DHCP envia informações de configuração, para que as estações tenham acesso à rede”, no entanto, basta que a estação informe que utiliza endereçamento automático, não sendo necessário informar o endereço do servidor de DHCP. Item errado.

GABARITO preliminar: letra A.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

3. (FUMARC/Prefeitura Municipal de Betim/Analista de Sistemas da Saúde/2007-Adaptada) Sobre serviços de rede, julgue o item seguinte:

[O DNS (Domain Name System) é um sistema de gerenciamento de nomes hierárquico e distribuído, que permite resolução de nome de máquina (host name) para IP e de IP para nome de máquina].

Comentários

Em redes de dados, os dispositivos são rotulados com endereços IP numéricos, para que possam participar do envio e recebimento de mensagens pela rede. No entanto, a maioria das pessoas tem dificuldade em lembrar esse endereço numérico. Assim, os nomes foram criados para converter o endereço numérico em um nome simples e reconhecível.

Na Internet, tais nomes, como www.pontodosconcursos.com.br, são muito mais fáceis de lembrar do que 187.45.208.152, que é o endereço numérico real desse servidor. Além disso, se o Ponto decidir alterar o endereço numérico, isso será transparente para o usuário, já que o nome continuará sendo www.pontodosconcursos.com.br. O novo endereço simplesmente será vinculado ao nome existente e a conectividade será mantida. Quando as redes eram pequenas, era simples manter o mapeamento entre os nomes de domínio e os endereços que eles representavam. No entanto, à medida que as redes começaram a crescer e o número de dispositivos aumentou, este sistema manual ficou inviável.

Nesse contexto, o DNS (Domain Name System – Sistema de Nomes de Domínio) é utilizado para traduzir endereços de domínios da Internet em IP e vice-versa, como www.pontodosconcursos.com.br em endereços IP, como 200.170.222.30, e vice-versa. É o DNS que estabelece a estrutura hierárquica e organizada de domínios e utiliza um conjunto distribuído de servidores para definir os nomes associados aos endereços IPs. Imaginem se tivéssemos que “decorar” todos os IPs dos endereços da Internet que normalmente visitamos!

Gabarito: item correto.

4. (FUMARC/BDMG/Analista de Sistemas/2011) Associe o protocolo da pilha TCP/IP às funcionalidades que ele implementa.

I. TCP

II. ICMP

III. IP

IV. DNS

V. ARP

( ) Resolve o nome amigável para o endereço lógico

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

(

) Decrementa o tempo de vida dos pacotes

(

) Resolve o endereço lógico para endereço físico

(

) Garante a entrega dos pacotes

(

) Responsável pelas mensagens de controle da rede

Está CORRETA a seguinte sequência de respostas, de cima para baixo:

a) IV, I, II, V, III.

b) V, III, IV, I, II.

c) IV, III, V, I, II.

d) II, IV, V, I, III.

Comentários

I. TCP (Transmission Control Protocol – Protocolo de Controle de Transmissão):

é um protocolo orientado a conexão. Permite que sejam enviadas mensagens de qualquer tamanho e cuida de quebrar as mensagens em pacotes que possam ser enviados pela rede. Ele também cuida de rearrumar os pacotes no destino e de retransmitir qualquer pacote que seja perdido pela rede, de modo que o destino receba a mensagem original, da maneira como foi enviada. Dessa forma, garante a entrega dos pacotes, como informado na questão.

II. O ICMP (Internet Control Message Protocol – Protocolo de Controle de

Mensagens na Internet) é responsável pelas mensagens de controle da rede. Utilizado para trocar mensagens de status (estado) e de erro entre os diversos dispositivos da rede. A mensagem ICMP é transmitida usando um datagrama

IP. Como o IP não verifica se um datagrama chegou ou não ao destino, pode

ocorrer de a própria mensagem ICMP ser perdida no meio do caminho!

III. IP (Internet Protocol): é responsável pelo endereçamento dos dados que são transmitidos pelos computadores. Ao analisar detalhadamente o conteúdo de um datagrama IP cabe mencionar o campo “time to live” – tempo de vida (TTL), que ajuda a prevenir que os datagramas persistam (ex. andando aos círculos) numa rede. Historicamente, o campo TTL limita a vida de um datagrama em segundos, mas tornou-se num campo de contagem de nós percorridos. Cada comutador de pacotes que um datagrama atravessa decrementa o campo TTL em um valor. Quando o campo TTL chega a zero, o pacote não é seguido por um comutador de pacotes e é descartado.

IV. DNS: converte nome de domínio para IP e vice-versa. O nome de domínio

foi chamado de nome amigável na questão.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

V. Ao falar sobre o ARP (Address Resolution Protocol – Protocolo de Resolução de Endereços), cabe destacar que antes da transmissão de um datagrama IP, pode acontecer de o computador possuir apenas o número de IP e destino, mas não saber o endereço MAC (endereço físico) para onde enviar. Além disso, há situações em que é necessária a descoberta de um endereço IP ligado a um endereço MAC (ex: host querendo descobrir qual é o seu IP). Para essas funcionalidades, existem protocolos específicos: no caso do IPv4 os protocolos mais utilizados são o ARP e o RARP. No IPv6, essa função é feita pelo protocolo NDP (Neighbor Discovery Protocol). O ARP é utilizado para associar um endereço IP a um endereço de hardware (Mac Address). O RARP (Reverse ARP – ARP Reverso) faz o processo inverso!

GABARITO preliminar: letra C.

5. (FUMARC/Prefeitura

Municipal

de

Mariana/Técnico

em

Teleinformática/2011) Um sistema de transmissão de sinais de rádio em FM utiliza a forma de comunicação:

a) Simplex

b) Half-Duplex

c) Duplex

d) Multiplex

Comentários

Na transmissão de sinais de rádio, a transmissão ocorre somente em um sentido, ou seja, somente do transmissor para o receptor, portanto, é chamada de simplex.

Transmissor

Transmissor
Transmissor
Transmissor
o receptor, portanto, é chamada de simplex. Transmissor Receptor Figura- Comunicação simplex Vamos ao estudo dos

Receptor

Figura- Comunicação simplex

Vamos ao estudo dos demais tipos existentes:

- Half Duplex

A transmissão ocorre em dois sentidos, mas não simultaneamente. O melhor exemplo dessa situação são rádios do tipo walk-talkie. Dois rádios desses podem se comunicar entre si, enviando e recebendo sinais, mas somente um de cada vez.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE Trans/Rec Trans/Rec Figura - Comunicação half-duplex -

Trans/Rec

P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE Trans/Rec Trans/Rec Figura - Comunicação half-duplex - Full Duplex

Trans/Rec

Figura - Comunicação half-duplex

- Full Duplex

A transmissão ocorre em dois sentidos simultaneamente. Exemplo: redes

telefônicas.

Trans/Rec

Trans/Rec

Exemplo: redes telefônicas. Trans/Rec Trans/Rec Figura - Comunicação full-duplex O termo Multiplex, não

Figura - Comunicação full-duplex

O termo Multiplex, não está associado a formas de utilização do meio físico,

como as mencionadas no comentário da questão.

GABARITO: letra A.

6. (FUMARC/Prefeitura

Municipal

de

Mariana/Técnico

em

Teleinformática/2011) Uma topologia de rede na qual cada dispositivo possui uma conexão ponto a ponto somente com os dois dispositivos mais próximos a ele é denominada topologia em:

a) Estrela.

b) Barramento.

c) Malha.

d) Anel.

Comentários

Antes de destacar a resposta dessa questão, vamos a um quadro-resumo das topologias mais comuns. Cabe destacar que, atualmente, não se utiliza uma única topologia dentre as listadas. Utilizam-se topologias híbridas, ou seja, uma mistura de cada uma das topologias listadas de acordo com o custo ou a necessidade de desempenho de cada tipo.

Topologia

Pontos Positivos

Pontos Negativos

Estrela

É

· falhas, a falha de um PC não afeta os demais.

· Fácil acrescentar novos

mais

tolerante a

Custo de instalação maior porque recebe mais cabos.

· Se o ponto central

·

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

PC’s. falha, a rede falha.  

PC’s.

falha, a rede falha.

 

·

Gestão centralizada.

   

Anel

·

por

A mensagem um

enviada

·

Os

problemas

são

  dos difíceis de isolar.  
 

dos

difíceis de isolar.

 

computadores todo o anel.

atravessa

 

·

Requer menos cabos.

 
 

·Desempenho uniforme.

Barramento (Barra ou linear)

·

Simples

e

fácil

de

.

A

rede funciona por

instalar.

difusão (broadcast).

 
 

· Fácil de ampliar.

 

· A rede fica mais lenta

· Requer menos cabos.   em períodos de uso

· Requer menos cabos.

 

em

períodos

de

uso

intenso.

 
   

·

Os

problemas

são

difíceis de isolar.

 

Malha (ou full mesh)

A falha em um nó não prejudica os demais.

.

. Custo altíssimo, uma vez que para uma rede

A falha em uma ligação não impede a comunicação com os demais nós. .  

A falha em uma ligação não impede a comunicação com os demais nós.

.

   

com N nós, são necessários

N(N-1)/2 links.

 

.

Topologia livre de

   

· Cada equipamento possui várias ligações, cada uma exclusiva para cada equipamento da rede.

colisões.

.

O aumento de nós não

degrada o desempenho da rede.

.

Melhor desempenho

 
 

entre todas as topologias.

Conforme visto, a topologia de rede na qual cada dispositivo possui uma

a topologia de rede na qual cada dispositivo possui uma conexão ponto a ponto próximos a

conexão ponto a ponto

próximos a ele é denominada topologia em anel.

GABARITO: letra D.

somente com os dois dispositivos mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

7. (CESPE/2009/BANCO DA AMAZÔNIA (BASA)/Técnico Científico/ Tecnologia da Informação- Redes e Telecomunicações/ Q. 86) Com relação às redes de computadores, julgue os itens a seguir. Comparada à topologia em anel, a topologia em estrela tem a vantagem de não apresentar modo único de falha.

Resolução

As principais características a respeito da topologia em estrela que devemos conhecer são:

Os equipamentos ficam ligados a um nó central chamado servidor, que é responsável pelo controle das comunicações.

Todas as mensagens passam pelo nó central (núcleo da rede).

Uma falha numa estação (Micro) NÃO afeta a rede, pois as interfaces de rede também funcionam de forma PASSIVA. Ao contrário da topologia linear onde a rede inteira parava quando um trecho do cabo se rompia, na topologia em estrela apenas a estação conectada pelo cabo pára.

Uma falha no nó central faz a rede parar de funcionar, o que, por sinal, também é bastante óbvio! O funcionamento da topologia em estrela depende do periférico concentrador utilizado. Se o hub/switch central falhar, pára toda a rede.

Facilidade na implantação e manutenção: é fácil ampliar, melhorar, instalar e detectar defeitos em uma rede fisicamente em estrela.

A topologia em estrela é a mais fácil de todas as topologias para diagnosticar problemas de rede.

Custa mais fazer a interconexão de cabos numa rede ligada em estrela, pois todos os cabos de rede têm de ser puxados para um ponto central, requisitando mais cabos do que outras topologias de rede.

Admite trabalhar em difusão, quando o elemento concentrador é o Hub.

Conforme visto, a topologia em estrela possui um único ponto de falha. Por isso, uma eventual falha em um cabo da rede não paralisa toda a rede. E, certamente, é uma vantagem em relação à topologia em anel, onde uma falha em um computador ou cabo da rede paralisa toda a rede.

GABARITO: item ERRADO.

8. (Adaptada-CESPE/2010/CAIXA/Técnico

Bancário

Novo/Pólos:

Tecnologia da Informação - DF/Q. 51-E) A capacidade de um canal de transmissão é delimitada basicamente pelo nível médio de ruído que ocorre no canal.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Reslução

Nos anos vinte, um pesquisador chamado de Nyquist, elaborou um teorema no qual é possível estabelecer um limite teórico na velocidade máxima que podemos utilizar para transmitir os sinais numa rede de comunicação. O teorema de Nyquist diz que a capacidade de um canal será (idealmente) o dobro da largura de banda vezes o logaritmo do número de níveis discretos. No entanto, este teorema não considera as possíveis interferências a que a rede de comunicação está exposta.

No final dos anos quarenta, Claude Shannon propôs uma extensão ao teorema de Nyquist na qual fosse considerada a parcela do ruído. Na proposta de Shannon aparece a relação entre a potência média do sinal e a parcela do ruído. Mas nenhum deles falou sobre nível médio de ruído como capacidade de um canal de transmissão.

Dos teoremas de Nyquist e Shannon, respectivamente, podemos concluir que:

uma melhor codificação nos leva a uma transmissão mais eficiente;

mesmo com uma codificação mais eficiente teremos as leis físicas como um fator limitador na transferência dos bits.

A capacidade de um canal, de acordo com a Lei de Shannon, depende da largura de banda do meio e da relação sinal/ruído.

GABARITO: item ERRADO.

9. (FUMARC/Prefeitura

Municipal

de

Mariana/Técnico

em

Teleinformática/2011) Para atender ao teorema de Nyquist, um sinal analógico com freqüência máxima de 5 kHz deve ser amostrado a uma taxa mínima de:

a) 5.000 amostras por segundo

b) 2.500 amostras por segundo

c) 10.000 amostras por segundo

d) 15.000 amostras por segundo

Comentários

Para atender ao teorema de Nyquist (também conhecido como teorema da amostragem), um sinal analógico com freqüência máxima de 5 kHz deve ser amostrado a uma taxa mínima de 10.000 amostras por segundo.

Gabarito: letra C.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

10.

(FUMARC/Prefeitura

Municipal

de

Mariana/Técnico

em

Teleinformática/2011) Todas as afirmativas sobre fibras ópticas abaixo estão corretas, EXCETO:

a) Possui banda de passagem maior quando comparada a cabos coaxiais.

b) Possui menor atenuação do que qualquer meio de transmissão metálico.

c) Sofre maior interferência eletromagnética do que cabos metálicos.

d) Quanto aos modos de propagação pode ser classificado como monomodo

ou multimodo.

Comentários

A primeira coisa a notar em um cabo de fibra óptica é que eles não conduzem sinais elétricos, mas pulsos de luz. Em uma extremidade do cabo, há um transmissor que emite pulsos de luz. Os pulsos trafegam pelo cabo até chegar ao receptor, onde são convertidos para sinais elétricos. Essas transmissões são unidirecionais. Na transmissão de pulsos de luz, um pulso indica um bit 1 e a ausência de pulso indica um bit 0.

Uma característica importante dos cabos de fibra óptica é que os pulsos podem se propagar por muitos quilômetros sem sofrer praticamente nenhuma perda.

Fisicamente os cabos de fibra óptica são parecidos com os cabos coaxiais. São compostos por um núcleo de vidro envolvido por um revestimento também de vidro. Esse revestimento é responsável por não deixar a luz sair do núcleo. Externamente a isso, há uma camada de plástico protetora.

Externamente a isso, há uma camada de plástico protetora. Figura - Fibra Óptica Fibra MONOMODO Caminho
Externamente a isso, há uma camada de plástico protetora. Figura - Fibra Óptica Fibra MONOMODO Caminho

Figura - Fibra Óptica

Fibra MONOMODO

Caminho único do feixe de laser;

Usada para comunicação de longa distância;

Mais difícil conexão – núcleo da fibra é mais fino.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Fibra MULTIMODO

Diversos caminhos para o feixe;

Usada para distâncias mais curtas;

A fibra é mais cara, mas a implementação é mais barata;

Núcleo maior permite uso de lasers mais baratos;

Conectores mais confiáveis e baratos.

Dentre as opções listadas, a incorreta é a letra c, que destaca que a fibra ótica “sofre maior interferência eletromagnética do que cabos metálicos. A fibra ótica é imune a interferências eletromagnéticas.

Gabarito: letra C.

11.

(CESGRANRIO/2005/MPE-RO/Analista de redes e comunicação de dados) Qual o número de bits utilizados para formar um endereço IP no

IPv6?

(A)16

(B)32

(C)64

(D)128

(E)256

Resolução

Um endereço IP é um número de 32 bits, separado em quatro números, cada um deles representado por um byte em formato decimal e que, portanto, podem variar de 0 a 255. Ex.: 200.254.32.11; 200.221.2.45

Essa estrutura limita a quantidade de endereços IP a 4.294.967.296 (2 32 endereços).

Para que a Internet funcione, é necessário que um endereço IP não se repita, caso contrário, os pacotes não poderiam ser corretamente endereçados. Imagine se nossa casa tivesse o mesmo CEP da casa de um amigo em outro estado. Essa é a mesma situação em relação aos endereços IP.

Pela mesma lógica, também é necessário que todos os computadores que transmitam e recebam dados tenham um endereço único, pois, caso contrário, não seria possível enviar e receber mensagens entre eles. Na verdade, um computador pode ter mais de um endereço IP, mas todos devem ser exclusivos.

Atualmente, utilizamos um sistema de endereçamento conhecido como Ipv4 (IP versão 4). Esse sistema utiliza endereços de 32 bits e os divide em classes de acordo com a necessidade de números IP que uma organização tenha.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Vamos ver como isso funciona de uma forma resumida.

Por exemplo, existem somente 128 endereços de classe A disponíveis na Internet. Todavia, cada um desses endereços pode mapear 16 milhões de hosts na sua rede interna.

Na classe B, existem 16.384 endereços disponíveis, cada um com capacidade para abrigar 64 mil hosts.

A classe C possui mais de dois milhões de endereços de rede disponíveis, mas

cada um com capacidade para apenas 256 hosts.

O esquema a seguir evidencia as características das classes de endereços IP.

Os bits dos endereços reservados ao endereçamento da rede estão representados pela letra X. Os bits dos endereços reservados ao endereçamento dos hosts dessas redes estão representados pela letra Y:

dos hosts dessas redes estão representados pela letra Y: Classe A - 0xxxxxxx .yyyyyyyy.yyyyyyyy.yyyyyyyy Classe B

Classe A - 0xxxxxxx.yyyyyyyy.yyyyyyyy.yyyyyyyy

Classe B - 10xxxxxx.xxxxxxxx.yyyyyyyy.yyyyyyyy

Classe C - 110xxxxx.xxxxxxxx.xxxxxxxx.yyyyyyyy

Alguns endereços têm características peculiares. Um endereço que termine

rede. Por exemplo, um endereço de classe C

que

200.232.100.2 etc.

200.232.100.0,

com 0, refere-se à própria

à

rede

refere-se

contém

os

hosts

200.232.100.1,

Endereços que terminem com 255 são reservados para o envio de pacotes para todos os hosts que pertençam à rede. No exemplo anterior, o endereço 200.232.100.255 não pode ser utilizado por um host, pois serve para enviar pacotes para todos os hosts da rede.

Endereços que iniciem com o número 127 são chamados de endereços de

loopback.

desenvolvedores de páginas web quando querem testar as aplicações em seus próprios computadores.

por

Eles

referem-se

ao

próprio

host.

São

muito

utilizados

Endereços IP podem ser atribuídos a um host dinamicamente ou estaticamente. Um IP estático é configurado manualmente nas propriedades de cada host (computador). A outra forma de atribuir um endereço IP a um host é fazê-lo de forma dinâmica. Para isso é necessário que haja um servidor DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol – Protocolo de Configuração Dinâmica de Host) na rede. Esse servidor é o responsável por distribuir endereços IP (dentro de uma margem de endereços previamente configurada) cada vez que um host solicita.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Uma nova versão de sistema de endereçamento IP surge como alternativa ao IPv4. O IPv6 utiliza endereços de 128 bits disponibilizando 2 128 endereços possíveis.

GABARITO: letra D.

12. (CESPE/2010/Técnico de Nível Superior - UERN/Adaptada) A respeito de conceitos relacionados à Internet e intranet, julgue o item seguinte. [As tecnologias utilizadas na Internet e na intranet são diferentes no que diz respeito ao protocolo, que é o IP na Internet, e o IPv6 na intranet].

Resolução

As tecnologias são as mesmas no que diz respeito ao protocolo TCP/IP que será utilizado. O IPv6 é a nova versão do IP e será aplicado à Internet em breve.

GABARITO: item ERRADO.

13. (CESPE/2004/TRT-10a-Região(DF/TO)-

Analista

Judiciário

Especialidade: Analista de Sistemas) A respeito de conceitos de endereçamento e de roteamento dentro da arquitetura de redes TCP/IP, julgue os itens a seguir. [Os endereços com um número de rede apropriado e que tiverem apenas 1s no campo host permitem que as máquinas enviem pacotes de difusão. Os endereços com formato 127.xx.yy.zz são reservados para testes de loopback].

Resolução

O endereço de broadcast é um endereço especial usado para enviar dados a TODOS os hosts da rede.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE Fonte: Curso Cisco CCNA Exploration (2010) Para enviar

Fonte: Curso Cisco CCNA Exploration (2010)

Para enviar dados para todos os hosts em uma rede, um host pode enviar um único pacote que é endereçado para o endereço de broadcast da rede. O endereço de broadcast usa o último endereço do intervalo da rede. Esse é o endereço no qual os bits da porção de host são todos 1s. Para a rede 10.0.0.0 com 24 bits de rede, o endereço de broadcast seria 10.0.0.255.

O loopback é um endereço especial que os hosts usam para direcionar o tráfego para si mesmos, como o endereço IPv4 127.0.0.1. O endereço de loopback cria um método de atalho para aplicações e serviços TCP/IP que rodam no mesmo dispositivo para se comunicarem com outros. Usando um endereço de loopback em vez dos endereços de host designados IPv4, dois serviços no mesmo host podem se desviar das camadas inferiores da pilha TCP/IP. Também é possível fazer um ping no endereço de loopback para testar a configuração do TCP/IP no host local.

Embora apenas um único endereço 127.0.0.1 seja usado, os endereços no intervalo de 127.0.0.0 a 127.255.255.255 são reservados. Qualquer endereço dentro desse intervalo executará o loopback dentro do host local. Nenhum endereço dentro desse intervalo deve aparecer em qualquer rede.

GABARITO: item CERTO.

14. (FCC/2007/CADEP) Um endereço IP, na versão 4, será de classe A, se contiver no primeiro octeto qualquer valor decimal no intervalo de

a)0 a 255

b)0 a 127

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

c)1 a 256

d)1 a 128

e)1 a 126 Resolução Vamos à tabela seguinte para ilustrar a questão! Classe 1º octeto
e)1 a 126
Resolução
Vamos à tabela seguinte para ilustrar a questão!
Classe
1º octeto
Objetivo
Exemplo
A
1 a 126
Grandes redes.
100.1.240.28
B
128
a 191
Médias redes.
157.100.5.195
C
192
a 223
Pequenas redes.
205.35.4.120
D
224
a 239
Multicasting.
E
240
a 254
Reservado
para
uso futuro.

GABARITO: letra E.

15. (Fumarc/ Cemig Telecom/Analista de Tecnologia da Informação e Comunicação Jr/2010) No IPv4, qual dos endereços abaixo corresponde a um endereço IP classe C?

a) 135.23.112.57.

b) 204.67.118.51.

c) 10.10.14.108.

d) 191.200.195.191.

Comentários

Vamos à tabela seguinte para ilustrar a questão!

Classe

1º octeto

Objetivo

Exemplo

C

192

a 223

Pequenas redes.

205.35.4.120

Conforme visto, dentre as opções listadas tem-se que o IP 204.67.118.51 atende ao requisito, tendo o primeiro octeto com o número 204, dentro da faixa ilustrada na tabela.

Gabarito: letra B.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

16. (FUMARC/Prefeitura Municipal de Betim/Analista de Sistemas da Saúde/2007-Adaptada) O IMAP e o POP3 são protocolos de correio eletrônico que têm como recurso básico a possibilidade de se compartilhar pastas públicas de contas de e-mail entre grupos de usuários.

Comentários

Esse não é o recurso básico dos protocolos mencionados na questão. Caso você tenha um servidor de correio eletrônico na sua empresa, como o Microsoft Exchange Server, você poderá compartilhar pastas de acordo com as permissões que você liberar para o compartilhamento.

Complementando, o POP3 (Post Office Protocol Version 3- Protocolo de Agência de Correio “Versão 3”) é usado para o recebimento de mensagens de e-mail. Através do POP, um usuário transfere, para seu computador, as mensagens armazenadas em sua caixa postal no servidor. O (Internet Message Access Protocol - Protocolo de Acesso ao Correio da Internet) é utilizado em substituição ao POP para permitir que uma mensagem seja lida em um cliente de e-mail sem que ela seja retirada do servidor de entrada.

Gabarito: item errado.

17. (CESPE/2010/MPU/ANALISTA

DE

INFORMÁTICA/SUPORTE

TÉCNICO/Q. 129) Na tecnologia bluetooth, caso as estações participantes

não definam um nível de qualidade de serviço para a transmissão de seus dados, utiliza-se, por default, o esquema best-effort.

Resolução

O padrão Bluetooth trabalha com um sistema de QoS específico. Caso não seja definido nenhum esquema, irá funcionar no esquema de melhor esforço (Best- effort).

GABARITO: item CERTO.

18. (Adaptada-CESPE/2010/CAIXA/Técnico

Bancário

Novo/Pólos:

Tecnologia da Informação - DF/Q. 51-A) As características das fibras ópticas incluem elevada atenuação, isolamento eletromagnético e índice de refração baixo relativamente ao meio em que se encontrem.

Resolução

As fibras ópticas são um meio de transmissão de dados que utilizam sinais de luz codificados em vez da eletricidade. Por essa razão, é imune a interferências eletromagnéticas, o que lhe confere alto desempenho, mas o custo de

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

instalação e manutenção é caro. As fibras ópticas têm baixa atenuação do sinal e índice de refração baixo relativamente ao meio em que se encontrem!

GABARITO: item ERRADO.

19. (Adaptada-CESPE/2010/CAIXA/Técnico

Bancário

Novo/Pólos:

Tecnologia da Informação - DF/Q. 51-C) O ruído, um dos principais obstáculos à comunicação de sinais, pode ser enquadrado em várias categorias, entre elas a dos ruídos térmicos, que são de eliminação impossível em qualquer sistema de comunicação.

Resolução

Os ruídos são alterações sofridas pelo sinal transmitido entre a transmissão e a recepção. A seguir destacamos os principais tipos de ruídos:

Térmico: ocorre devido à agitação térmica dos elétrons (ruído branco); uniformemente distribuído através do espectro de frequências, são impossíveis de eliminação por completo;

Intermodulação: devido ao compartilhamento de um mesmo meio de transmissão entre sinais de diferentes frequências;

Diafonia (crosstalk): é a interferência provocada pela proximidade de fios condutores. Uma linha é capaz de induzir a outra, fazendo com que os sinais das duas linhas passem de uma para a outra. Ex.: linha cruzada como na telefonia. Pode ocorrer quando sinais indesejados são recebidos por antenas de micro-ondas;

Impulsivo: consiste de pulsos ou picos irregulares de ruídos de curta duração e relativamente grande amplitude. Gerado por trovões, centelhamento de relés e em lâmpadas fluorescentes e falhas no sistema de comunicação.

GABARITO: item CERTO.

20. (Adaptada-CESPE/2010/CAIXA/Técnico

Bancário

Novo/Pólos:

Tecnologia da Informação - DF/Q. 51-D) A atenuação de sinais comporta-se de forma mais previsível nos meios não guiados, se comparada à atenuação em meios guiados.

Resolução

Observe que os meios não guiados são os meios de transmissão sem fio, onde há a propagação de ondas eletromagnéticas através do espaço. Assim, nestes meios de transmissão a previsibilidade é muito menor, já que não temos controle do meio de transmissão.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

A atenuação do sinal é menos previsível em meios não guiados em comparação com os meios guiados!

GABARITO: item ERRADO.

21. (CESPE/2009/BANCO DA AMAZÔNIA (BASA)/Técnico Científico/ Tecnologia da Informação-Redes e Telecomunicações/ Q. 87) Cabos UTP-cat5 são compostos por quatro pares de cabos trançados, dos quais apenas dois são efetivamente usados para transmissão e recepção.

Resolução

Cuidado pois o padrão dos cabos UTP-cat5 realmente é a utilização de apenas dois dos quatro pares de fios para a transmissão e recepção. No entanto, quando falamos de Gigabit Ethernet com este mesmo cabo, estamos falando em utilizar todos os pares de fios na comunicação.

Todos os pares do cabo UTP-cat5 são utilizados no sistema bi-direcional. Observe, ainda, que tanto o padrão 10BaseT quanto o padrão 100BaseT usa pares diferentes para transmissão e recepção; no 1000BaseT, como o Gigabit Ethernet também é chamado, os mesmos pares são usados tanto para transmissão quanto para recepção.

A ideia do Gigabit é utilizar quatro diferentes tensões de sinal, ao invés de apenas duas tensões. Assim, ao invés de transmitir “0” ou “1”, o Gigabit transmite “00”, “01”, “10” ou “11” em cada um dos 4 pares. Daí, já que usa um clock de 125 MHz (o mesmo do 100BaseT/Cat5), temos 125 MHz x 2 bits por sinal (por par de fios) x 4 sinais por vez = 1000 Mbps. Conclusão: o Gigabit não trabalha a 1000 MHz e sim a 125 Mhz, mas consegue chegar a uma taxa de transmissão de 1000 Mbps.

Outro detalhe interessante é que esta técnica de modulação é conhecida como 4D-PAM5 e na verdade utiliza cinco níveis de tensão (o quinto nível é usado pelo seu mecanismo de correção de erro).

GABARITO: item ERRADO.

22. (CESPE/2009/BANCO DA AMAZÔNIA (BASA)/Técnico Científico/ Tecnologia da Informação-Redes e Telecomunicações/ Q. 88) Comparadas às redes de longa distância, as redes locais se caracterizam por taxas de erros mais baixas e taxas de transmissão mais altas.

Resolução

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

As redes locais são redes de geografia limitada. Interligam computadores em salas, prédios ou conjunto de prédios. Geralmente são particulares e oferecem taxas de transmissão maiores do que as redes de longa distância, bem como taxas de erros menores do que as redes MAN e WAN. A distância curta das redes locais permite estabelecer o tempo máximo de retardo das transmissões. Além disso, quanto maior a distância de um nó da rede ao outro, maior a taxa de erros que ocorrerão devido à degradação do sinal.

GABARITO: item CERTO.

23. (CESPE/2009/TRE/PR/ Técnico Judiciário/Operação de Computadores/Q. 76) Em redes de comunicação de dados por comutação de pacotes, orientadas a datagramas, antes da efetiva transmissão dos dados, recursos são alocados para assegurar os requisitos do fluxo de dados, visando garantir a qualidade do serviço.

Resolução

Na comutação de pacotes não há a presença de recursos dedicados. Esta característica pertence à técnica de comutação por circuito. Na comutação por pacotes há o compartilhamento e as mensagens são segmentadas em pacotes que são roteados para seu destino.

GABARITO: item ERRADO.

24. (CESPE/2009/TRE/PR/ Técnico Judiciário/Operação de Computadores/ Q. 77) Na topologia em estrela, os nós da rede se conectam a um nó central concentrador.

Resolução

A característica da topologia estrela é a ligação de todos os computadores a um equipamento central, ou seja, uma ligação ponto-a-ponto. Este equipamento é conhecido como concentrador.

GABARITO: item CERTO.

25. (CESPE/2009/TRE/PR/ Técnico Judiciário/Operação de Computadores/Q. 78) Uma rede que interliga hosts localizados em diferentes cidades utilizando enlaces seriais é um exemplo de LAN.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Resolução

O tipo de rede nessa questão é a WAN.

GABARITO: item ERRADO.

26. (CESPE /2009/TRE/BA/ Técnico Judiciário/Operação de Computadores/Q. 61) No que se refere a rede de dados, julgue os itens seguintes. A topologia física define a forma como os equipamentos estão interligados, enquanto a topologia lógica define como os equipamentos compartilham o meio físico comum compartilhado.

Resolução

A topologia é o mapa de uma rede. A topologia física representa a interligação

física dos equipamentos. A topologia lógica refere-se aos percursos das mensagens entre os usuários da rede, representando como funciona o fluxo dos dados pela rede.

Nem sempre há uma coincidência das topologias físicas e lógicas num equipamento.

Como exemplo, vamos a uma rede em estrela, cujo elemento concentrador pode ser um hub ou switch:

No caso da utilização de um hub, a topologia fisicamente será em estrela, porém logicamente ela continua sendo uma rede de topologia barramento (linear).

O hub é um periférico que repete para todas as suas portas os

o

pacotes que chegam, assim como ocorre na topologia linear. Em

outras palavras, se a estação 1 enviar um pacote de dados para

a estação 2, todas as demais estações recebem esse mesmo

pacote. Portanto, continua havendo problemas de colisão e

disputa para ver qual estação utilizará o meio físico.

Já no caso da utilização de um switch, a rede será tanto fisicamente quanto logicamente em estrela.

o

Este periférico tem a capacidade de analisar o cabeçalho de endereçamento dos pacotes de dados, enviando os dados diretamente ao destino, sem replicá-lo desnecessariamente para todas as suas portas.

o

Desta forma, se a estação 1 enviar um pacote de dados para a

estação 2, somente esta recebe o pacote de dados. Isso faz com

rede

torne-se mais segura e muito mais rápida, pois praticamente

elimina

mais

que

a

problemas

de

colisão.

Além

disso,

duas

ou

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

transmissões podem ser efetuadas simultaneamente, desde que tenham origem e destinos diferentes, o que não é possível quando utilizamos topologia linear ou topologia em estrela com hub.

GABARITO: item CERTO.

27. (ADAPTADA-CESPE/2006/TSE/Analista Judiciário/ Especialidade:

Informática/ Q. 66-A) Na comutação por circuitos, é estabelecido um circuito com capacidade fixa enquanto durar a conexão. Para acomodar diferentes taxas de dados, ou vários usuários, o meio de transmissão pode ser compartilhado por múltiplos circuitos usando-se multiplexação síncrona por divisão do tempo.

Resolução

A comutação por circuitos pressupõe a existência de um caminho dedicado e

exclusivo de comunicação entre dois pontos em um determinado período de tempo. Nesse caso, a transmissão dos dados ocorre em tempo real, pois o

repasse das informações de um ponto para o próximo é instantânea. Antes da comunicação, o sistema deve fazer a reserva dos recursos para o transmissor

e para o receptor, de forma a garantir a exclusividade do uso do meio naquele período. Ex: telefonia fixa.

Podemos dizer que a metodologia de Multiplexação por Divisão de Tempo (TDM) tira vantagem do fato de que a taxa de transmissão do meio é maior do que a taxa necessária para uma única transmissão. Assim, é possível que exista uma multiplexação síncrona, onde cada fonte transmissora obtém acesso ao meio de transmissão por um determinado período em que cada intervalo de tempo é do mesmo tamanho. Cada dispositivo de transmissão tem sua vez de ocupar o meio de transmissão e só volta a ocupá-lo após todos os outros terem tido a mesma oportunidade.

GABARITO: item CERTO.

28. (ADAPTADA-CESPE/2006/TSE/Analista Judiciário/ Especialidade:

Informática/ Q. 66-B) Na comutação por circuitos, os dispositivos conectados podem transmitir em velocidades diferentes das dos seus pares. Essa técnica de comutação é eficiente quando há intervalos durante os quais não há dados a transmitir.

Resolução

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Na comutação por circuitos cabe destacar que os dispositivos têm toda a banda disponível e, normalmente, a utiliza por completo, não havendo diferenças.

GABARITO: item ERRADO.

29. (ADAPTADA-CESPE/2006/TSE/Analista Judiciário/ Especialidade:

Informática/ Q. 66-C) Na comutação por pacotes, a comunicação é via datagramas. Embora os datagramas sejam tratados independentemente, os datagramas para um mesmo destino não podem seguir rotas diferentes.

Resolução

A comutação por pacotes (ou datagramas) não necessita da existência de um caminho dedicado e exclusivo. Vários pacotes podem ser transmitidos pelo mesmo meio de comunicação, bastando um sistema de endereçamento para definir a origem e o destino. As mensagens podem ter tamanhos diferentes e não padronizados, e não há uma sincronia na transmissão dos dados. O repasse dos pacotes de um ponto para o próximo é feito na medida em que eles são recebidos. Não há reserva dos recursos antes da transmissão. Ex:

redes TCP/IP.

Nesse tipo de transmissão as mensagens podem ser recebidas fora de ordem e por caminhos – rotas - diferentes. A rota é definida por um algoritmo de roteamento que escolhe o melhor caminho no momento do envio do pacote.

Como complemento, cabe destacar aqui o conceito de Comutação de células, que é uma variação da comutação de pacotes. Entretanto, nesse caso as mensagens têm um tamanho fixo padronizado, e há uma sincronia na transmissão dos dados, ou seja, os pacotes são transmitidos em período de tempos fixos entre o emissor e o destinatário. Um exemplo são as redes ATM.

GABARITO: item ERRADO.

30. (ADAPTADA-CESPE/2006/TSE/Analista Judiciário/ Especialidade:

Informática/ Q. 66-D) Em uma rede que suporta comutação por pacotes e circuitos virtuais, uma rota é definida durante a troca dos pacotes entre as estações e a rota não precisa ser mantida fixa enquanto durar a conexão lógica.

Resolução

Atualmente, as empresas estão preferindo soluções que usem comutação por pacotes, em detrimento da comutação por circuitos ou por mensagens. Para isso, foram desenvolvidos mecanismos que garantam a transmissão dos dados

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

em tempo real nesse tipo de comutação. Um exemplo disso é a criação de circuitos virtuais, ou seja, o sistema de comutação garante que os pacotes sejam transmitidos por apenas um único caminho como forma de garantir que eles sejam recebidos na ordem em que foram enviados.

Antes da comunicação, o circuito virtual deve ser estabelecido, e isso pode ocorre antes de cada sessão, no caso dos temporários, ou ser previamente estabelecido nos circuitos virtuais permanentes. As redes ATM utilizam esse conceito de circuitos virtuais.

A questão tornou-se falsa pelo fato de o uso de circuitos virtuais fixar a rota a ser mantida pelos pacotes enquanto durar a conexão lógica.

GABARITO: item ERRADO.

31.

(CESPE/2009/MPOG/

Processo

seletivo

interno

para

gratificações do GSISP – Nível superior/ Q. 41) Entre as vantagens das fibras ópticas em relação aos cabos de cobre estão disponibilizar maior banda passante, apresentar menor atenuação do sinal por quilômetro e imunidade à interferência eletromagnética, além de terem menor peso e espessura e menor suscetibilidade a escutas.

Resolução

As fibras ópticas têm maior qualidade de transmissão, baixa perda e banda passante grande. Isto proporciona um índice de transmissão de dados elevado, menor quantidade de fios e repetidores e como consequência disto menor complexidade.

As fibras são constituídas de materiais com características dielétricas, isto faz com que ela tenha total imunidade a qualquer interferência de qualquer intensidade que venha do meio externo.

GABARITO: item CERTO.

32. (CESPE/2009/MPOG/ PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA GRATIFICAÇÕES DO GSISP – NÍVEL SUPERIOR/ Q. 42) Satélites geoestacionários usados para comunicação de dados geram retardos da ordem de poucos milissegundos em enlaces fim a fim.

Resolução

Os satélites geoestacionários encontram-se permanentemente sobre o mesmo lugar da Terra (KUROSE, 2010, p. 18), geralmente sobre a linha do

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

equador, sendo utilizados para transmissões em longas distâncias e para cobrir uma grande área de transmissão. Por estar na órbita da terra, o sinal transmitido entre dois pontos no solo que passa por um satélite tem um grande retardo, na ordem de 1 segundo. Portanto, têm um retardo maior em relação às redes locais, podendo chegar na casa dos segundos.

às redes locais, podendo chegar na casa dos segundos. Figura. Satélite Geoestacionário (Fonte: Wikipedia, 2010)

Figura. Satélite Geoestacionário

(Fonte: Wikipedia, 2010)

GABARITO: item ERRADO.

33. (CESPE/2009/MPOG/ PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA GRATIFICAÇÕES DO GSISP – NÍVEL SUPERIOR/ Q. 43) Cabos UTP de categoria 5 são formados por quatro pares de fios condutores, dos quais, apenas dois são utilizados em redes fastEthernet.

Resolução

Cabos Ethernet Cat 5 possuem oito fios (quatro pares), mas no padrão FastEthernet (100 Mbit/s) apenas quatro desses fios (dois pares) são realmente utilizados. Um par é usado para transmissão dos dados e o outro par é usado para recepção dos dados.

GABARITO: item CERTO.

34. (CESPE/2009/MPOG/PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA GRATIFICAÇÕES DO GSISP – NÍVEL INTERMEDIÁRIO/Q. 41) Com relação aos meios de transmissão de dados, julgue os itens que se seguem. As fibras ópticas têm banda passante maior que outros meios de transmissão, como os cabos coaxiais e os pares de fios trançados, além de serem imunes à interferência eletromagnética.

Resolução

As fibras ópticas têm maior qualidade de transmissão, baixa perda e banda passante grande. Isto proporciona um índice de transmissão de dados elevado,

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

menor quantidade de fios e repetidores e como consequência disto menor complexidade.

As fibras são constituídas de materiais com características dielétricas, isto faz com que ela tenha total imunidade a qualquer interferência de qualquer intensidade que venha do meio externo.

GABARITO: item CERTO.

35. (CESPE/2009/MPOG/PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA GRATIFICAÇÕES DO GSISP – NÍVEL INTERMEDIÁRIO/Q. 42) O arranjo físico dos pares de fios trançados proporciona o cancelamento total da interferência entre pares vizinhos, conferindo imunidade ao ruído proveniente de emissões eletromagnéticas.

Resolução

Os pares de fios trançados não são imunes a ruídos provenientes de emissões eletromagnéticas. Também, o arranjo físico dos pares não garante o cancelamento total, apesar de atenuar bastante a interferência entre os pares vizinhos.

GABARITO: item ERRADO.

36.

(CESPE/2009/Banco da Amazônia/Técnico Científico/Tecnologia da Informação: Redes e Telecomunicações/Q. 89) O modelo de referência OSI/ISO é organizado em camadas que proveem serviços entre si. Nesse modelo, uma camada supre serviços à camada imediatamente superior.

Resolução

O

Como um modelo de referência, o modelo OSI fornece uma lista extensiva de funções e serviços que podem ocorrer em cada camada. Ele também descreve a interação de cada camada com as camadas diretamente acima e abaixo dela.

Consiste em um modelo de SETE camadas, com cada uma representando um conjunto de regras específicas.

O conjunto de camadas é hierárquico, ou seja, cada camada baseia-se na camada inferior. O projeto de uma camada é restrito ao contexto dessa camada e supõe que os problemas fora deste contexto já estejam devidamente resolvidos.

Modelo OSI

é a base para quase todos os protocolos de dados atuais.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Na realidade existem duas vantagens práticas na utilização de uma arquitetura em camadas. Em primeiro lugar, a complexidade do esforço global de desenvolvimento é reduzida através de abstrações (não interessa para uma determinada camada como as demais possibilitam o fornecimento de seus serviços, só o que elas oferecem). Na arquitetura hierárquica, a camada (N) sabe apenas que existe a camada (N-1), prestadora de determinados serviços e a camada (N+1), que lhe requisita os serviços.

O segundo aspecto é relacionado com a independência entre as camadas.

A camada (N) preocupa-se apenas em utilizar os serviços da camada (N-1),

independentemente do seu protocolo. É assim que uma camada pode ser alterada sem mudar as demais (facilidade de manutenção) - desde que os serviços que ela presta não sejam modificados. É assim também que novas aplicações podem ser executadas, na camada apropriada, aproveitando os mesmos serviços já fornecidos pelas outras camadas (redução dos esforços para evoluções).

GABARITO: item CERTO.

37.

(CESPE/2009/ANAC/Analista

Administrativo

Tecnologia

da

camadas

hierarquicamente organizadas, nas quais cada camada oferece serviços às

camadas superiores, se houver, e inferiores, se houver.

camadas

Informação/Q. 86)

No

modelo

OSI,

a

os

provisão

serviços

de

das

chama

Resolução

agora ficou

fácil!! Conforme visto, o conjunto de camadas é hierárquico no modelo OSI e cada camada SÓ oferece serviços para a camada IMEDIATAMENTE superior e

Mais uma questão que explora o mesmo raciocínio da anterior

utiliza os serviços da camada IMEDIATAMENTE inferior. A camada (N) NÃO toma conhecimento da existência das camadas (N± 2), (N± 3), etc.

da existência das camadas (N± 2), (N± 3), etc. Profs. Lênin e Patrícia www.pontodosconcursos.com.br 27

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Comunicação entre camadas verticais: Serviços

Comunicação entre camadas horizontais: Protocolos

GABARITO: item ERRADO.

38. (CESPE/2009/Banco da Amazônia/Técnico Científico/Tecnologia da Informação: Redes e Telecomunicações/Q. 90) As funções relacionadas à compressão de dados e criptografia estão associadas à camada de aplicação do modelo de referência OSI/ISO.

Resolução

Antes de comentar vamos relembrar as camadas do Modelo OSI, que serão especificadas logo a seguir.

Modelo OSI

A tabela seguinte destaca as características principais de cada camada.

Para a prova é IMPORTANTE que você memorize os nomes das camadas, bem como o papel de cada uma delas no contexto do modelo.

Então

uma

dica

para

vocês:

lembrem-se

da

palavra

FERTSAA

,

com

as

iniciais

de

cada

camada,

que

são:

F->Física, E->Enlace, R->Rede, T->Transporte, S->Sessão, A->Apresentação, A->Aplicação (o símbolo anterior é para lembrá-lo de que a camada de aplicação está mais próxima do usuário final). Fácil, não é mesmo!

Tabela. Modelo OSI de 7 Camadas

Camada

Nome

Algumas Observações

7

Aplicação

Camada de nível mais ALTO, fornece serviços ao USUÁRIO !!!) Essa é, portanto, a camada mais próxima do usuário final. Contém os protocolos e funções que as aplicações dos usuários necessitam para executarem tarefas de comunicações (enviar e-mail, acessar páginas, transferir arquivos, dentre outros).

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

6

Apresentação

a tradutora da rede, sendo responsável por determinar o formato utilizado para transmitir dados entre os computadores da

É

rede. Se necessário, pode realizar conversão

de

um tipo de representação de dados para

um formato comum. Um exemplo seria a compressão de dados ou criptografia.

5

Sessão

Estabelece, gerencia e termina sessões

(momentos ininterruptos de transação) entre

a

máquina de origem e a de destino.

4

Transporte

Camada intermediária, faz a ligação entre as camadas do nível de aplicação (5, 6 e 7) com as camadas do nível físico (1, 2 e 3). Responsável pela comunicação fim-a-fim, ou seja, controlam a saída das informações (na origem) e a chegada delas (no destino).

3

Rede

Serve para indicar a rota que o pacote vai seguir da origem ao destino (Decide como rotear pacotes entre os nós conectados através de uma rede).

A determinação da rota que os pacotes irão seguir para atingir o destino é baseada em fatores como condições de tráfego da rede e prioridades.

A

camada de rede também fornece um

mecanismo de endereçamento uniforme de forma que duas redes possam ser interconectadas.

Converte o endereço lógico em endereço físico para que os pacotes possam chegar corretamente ao destino.

2

Enlace

Essa camada organiza os sinais brutos (zeros e uns) transferidos pela rede em unidades lógicas chamadas quadros (frames), identifica suas origens e destinos (endereços MAC) e corrige possíveis erros ocorridos durante a transmissão pelos meios físicos.

(Vínculo) de

Dados

O

endereço MAC (endereço físico de 48

bits, que é gravado na memória ROM dos

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

dispositivos de rede) é interpretado por equipamentos nessa camada.

1

Física

Responsável

pela

transmissão

das

informações

em

sua

forma

bruta:

sinais

elétricos ou

luminosos

(ou

seja, essa

camada transmite os sinais ou bits entre as estações).

É a camada mais baixa do modelo OSI (mais próxima da transmissão dos sinais).

Trata das especificações de hardware e demais dispositivos de rede, incluindo cabos, conectores físicos, hubs, etc e transmite fluxo de bits desestruturados através de um meio.

transmite fluxo de bits desestruturados através de um meio. Conforme visto na tabela, é a camada

Conforme visto na tabela, é a camada de Apresentação (e não a de Aplicação !) do modelo OSI que fica responsável por determinar o formato utilizado para transmitir dados entre os computadores da rede. Se necessário, pode realizar conversão de um tipo de representação de dados para um formato comum. Um exemplo seria a compressão de dados ou criptografia.

GABARITO: item ERRADO.

39.

(CESPE/2009/ANAC/Analista

Administrativo

Tecnologia

da

Informação/Q. 88) A principal função da camada de enlace de dados é

prover

transporte.

de

um

canal

de comunicação livre de erros para

a camada

Resolução

A camada de Enlace irá prover canal de comunicação livre de erros para a camada de rede.

GABARITO: item ERRADO.

40.

(CESPE/2009/ANAC/Analista

Administrativo

Tecnologia

da

Informação/Q. 89) As funções de entrega confiável fim-a-fim e controle de fluxo estão associadas à camada de rede.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Resolução

As funções de entrega confiável fim-a-fim e controle de fluxo estão associadas

à camada de Transporte.

O propósito principal da camada de transporte é oferecer serviço de

transferência de dados de forma transparente entre as entidades da camada

de sessão. O termo "transparente" refere-se ao fato de que as entidades de

sessão não têm a necessidade de conhecer os detalhes da transferência dos dados. Os usuários da camada de transporte são identificados pelos seus endereços.

A Camada de Transporte fornece uma comunicação ponto a ponto confiável e

transparente, através de mecanismos de seqüenciamento, controle de fluxo e

confirmação / negação do recebimento de pacotes. Normalmente é usada para compensar a falta de confiabilidade das camadas inferiores.

GABARITO: item ERRADO.

41. (CESPE/2009/ANAC/Analista

Administrativo

Tecnologia

da

Informação/Q. 90) A função de transmitir bits sobre um canal de

comunicação está associada à camada física.

Resolução

A Camada Física é responsável pela interface física entre os equipamentos e os

protocolos a serem seguidos para a transmissão das informações entre os

diversos sistemas de informação e gerencia a transferência FÍSICA da informação sobre os meios de transmissão possíveis. Com esta camada, o modelo OSI permite a flexibilidade do uso de vários meios físicos para interconexão, com procedimentos de controle diferentes.

Ela envolve a definição de todos os aspectos relacionados com as características mecânicas (propriedades físicas da interface com o meio físico

de transmissão, incluindo, por exemplo, o tipo de conector utilizado), elétricas

(representação de um bit em termos de, por exemplo, nível de tensão utilizado

e taxa de transmissão de bits), funcionais (definem as funções a serem executadas por esta interface) e procedurais (especificam a seqüência de eventos trocados durante a transmissão de uma série de bits através do meio de transmissão).

GABARITO: item CERTO.

42. (CESPE/2008/STF/Q. 97) MTU é a denominação do tamanho do maior datagrama IP que pode ser transmitido por uma rede física ao longo de um trajeto. Um datagrama IP pode ser fragmentado mais de uma vez, mas os

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

fragmentos necessariamente chegarão ao destino na ordem em que foram transmitidos na origem.

Resolução

Conforme mostra a figura seguinte, qualquer pacote IP individual pode ser passado eletricamente por cabo, como os sinais ópticos nas fibras, ou sem fio como sinais de rádio.

ópticos nas fibras, ou sem fio como sinais de rádio. Fonte: (CISCO, 2010) É responsabilidade da

Fonte: (CISCO, 2010)

É responsabilidade da camada de Enlace de Dados do OSI pegar um pacote IP e prepará-lo para transmissão pelo meio físico de comunicação. Isso quer dizer que o transporte de pacote IP não está limitado a nenhum meio físico particular.

Porém, existe uma característica de grande importância do meio físico que a camada de rede considera: o tamanho máximo da PDU que cada meio físico consegue transportar. Esta característica é chamada de Maximum Transmition Unit (MTU). Parte das comunicações de controle entre a camada de enlace de dados e a camada de rede é o estabelecimento de um tamanho máximo para o pacote. A camada de enlace de dados envia a MTU para cima para a camada de rede. A camada de rede determina então o tamanho de criação dos pacotes.

Em alguns casos, um dispositivo intermediário (geralmente um roteador) precisará dividir o pacote ao enviá-lo de um meio físico para outro com uma MTU menor. Este processo é chamado fragmentação do pacote ou fragmentação.

Finalizando, MTU é justamente o tamanho do maior datagrama IP que pode ser transmitido por uma rede física ao longo de um trajeto. O datagrama pode ser fragmentado, no entanto, a afirmação de que os fragmentos chegarão ao destino na ordem em que foram transmitidos não está correta. Lembrem-se de

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

que no protocolo UDP, por exemplo, os pacotes podem ser perdidos ou chegar fora de ordem. No TCP, se chegarem fora de ordem, são ordenados!

GABARITO: item ERRADO.

43. (CESPE/2006/TJPA/PROGRAMADOR - com adaptações) A Internet, considerada a maior rede mundial de computadores, tem prestado serviços de grande relevância para a humanidade, favorecendo de forma significativa o acesso ao conhecimento, a comunicação entre as pessoas, a agilização do fluxo de informações nas empresas, entre outros benefícios. A respeito da Internet e dos protocolos nela empregados, assinale a opção correta.

A) Para a função de roteamento de pacotes no interior da rede, a Internet

utiliza, basicamente, dois protocolos: TCP e UDP.

B) A camada física recebe os fluxos de dados e os divide em datagramas,

que são repassados diretamente para a camada de aplicação, na qual são roteados e enviados até o destino.

C) Devido ao grande crescimento do número de hosts na Internet, o protocolo IP, na sua versão 6, tem sido considerado boa solução para o problema da quantidade limitada de endereços.

Resolução

Item A. O roteamento de pacotes acontece na camada abaixo da de transporte, ou seja, na camada de rede (ou inter-rede). O IP e o RIP são protocolos envolvidos no roteamento, entre outros. Os protocolos TCP e UDP atuam na camada de transporte e não são responsáveis pelo roteamento de pacotes (O item A é FALSO).

Item B. A camada física é a de nível mais baixo em qualquer modelo e vale lembrar que a camada de aplicação está acima da camada física e, portanto, não recebe dados desta (O item B é FALSO).

Item C. O sistema de endereços baseado no IP versão 4 tem suas limitações, e, a solução para o problema envolve a adoção da nova forma de endereçamento IP versão 6 (IPv6), com seus endereços de 128 bits.

O principal motivo para a implantação do IPv6 na Internet é a necessidade de mais endereços, porque os endereços livres IPv4 estão se acabando. Segundo Wikipedia, a longo prazo, o IPv6 tem como objetivo substituir o IPv4, que só suporta cerca de 4 bilhões (4 x 10 9 ) de endereços, contra cerca de 3.4 x 10 38 endereços do novo protocolo. (O item C é VERDADEIRO).

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

GABARITO: letra C.

44. (FEPESE/IMETRO/ANALISTA DE INFORMÁTICA/Q. 23) Leia atentamente as afirmativas abaixo, a respeito das técnicas de comutação utilizadas em redes de computadores.

1. Em redes comutadas por circuitos, os recursos de rede são por vezes

subutilizados, pois permanecem alocados mesmo quando não há dados trafegando pelo circuito.

2. Em redes comutadas por pacotes, os recursos necessários para envio

de pacotes de dados são reservados previamente ao longo do caminho de

transmissão.

3. Em redes comutadas por circuitos, há uma maior variação na latência

da comunicação do que em redes comutadas por pacotes.

4. Técnicas de multiplexação por frequência e/ou por tempo são utilizadas em redes comutadas por circuitos para divisão do canal de comunicação em vários circuitos.

Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas.

a. São corretas apenas as afirmativas 1 e 3.

b. São corretas apenas as afirmativas 1 e 4.

c. São corretas apenas as afirmativas 2 e 4.

d. São corretas apenas as afirmativas 1, 2 e 3.

e. São corretas apenas as afirmativas 2, 3 e 4.

Resolução

Item 1. Item VERDADEIRO. O termo “comutação” refere-se à forma como serão alocados os recursos para transmissão na rede.

Em redes comutadas por circuitos, temos as seguintes características:

pressupõe existência de caminho físico DEDICADO;

iniciada quando necessária e finalizada quando a comunicação estiver concluída;

semelhante a circuito telefônico.

Neste tipo de rede orientada à conexão, uma vez que um circuito é estabelecido, mesmo que não ocorra comunicação entre as pessoas, o circuito permanece conectado, e os recursos ficam reservados até que uma das partes interrompa a ligação. Assim, em redes comutadas por circuitos, os recursos de rede são por vezes subutilizados, pois permanecem alocados mesmo quando não há dados trafegando pelo circuito.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Item 2. Item FALSO. Em redes comutadas por pacotes: não há estabelecimento de caminho dedicado. A mensagem é transmitida nó a nó, e, para isso, utiliza circuitos virtuais (diferente de Comutação por circuitos).

circuitos virtuais (diferente de Comutação por circuitos). Fonte: Cisco (2010) Nesse caso, os próprios dispositivos de

Fonte: Cisco (2010)

Nesse caso, os próprios dispositivos de rede não sabem o conteúdo dos pacotes individuais; só é visível o endereço do destino final e o próximo dispositivo no caminho para o destino. Nenhum circuito reservado é construído entre emissor e receptor. Cada pacote é enviado independente de um local de comutação para outro.

Em cada local, uma decisão de roteamento é feita sobre qual caminho usar para enviar o pacote ao seu destino final. Se um caminho anteriormente usado não estiver mais disponível, a função de roteamento pode dinamicamente escolher o próximo melhor caminho disponível. Como as mensagens são enviadas em pedaços ao invés de em uma única mensagem completa, os pacotes que podem ser perder por ocasião de uma falha podem ser retransmitidos ao destino por caminhos diferentes. Em muitos casos, o dispositivo de destino não percebe que qualquer falha ou redirecionamento ocorreu.

Item 3. Item FALSO. A comutação de circuitos implica na existência de um caminho dedicado para comunicação entre duas estações, com uma taxa de transmissão fixa. A variação da latência é maior em redes baseadas em pacotes.

Item 4. Item VERDADEIRO. A comutação por circuitos exige que as estações comunicantes possuam um caminho dedicado EXCLUSIVO, que pode ser estabelecido de quatro maneiras:

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Circuito físico

As vantagens dos circuitos físicos são a exclusividade do canal que agiliza a velocidade de troca de informações e consequentemente o tempo.

A contrapartida é um método oneroso, que exige manutenção individual constante, com uso excessivo de fiação. É interessante seu uso somente para pequenas aplicações em distâncias curtas, pois sua expansão é trabalhosa.

Frequency Division Multiplexing (FMD - multiplexação por canais de frequência)

A divisão em canais de frequência cria circuitos virtuais com banda mais estreita que o canal do comutador com a rede, de forma que a soma de todos circuitos somados são iguais ou inferiores à banda do comutador.

A grande vantagem é o uso de menos fiação para promoção do serviço, porém o problema é a rápida saturação dos canais. Os canais necessitam uma banda de comunicação e uma faixa de segurança. Outro problema está na expansão do sistema: será necessário reconfigurar todos os terminais para as novas larguras de banda.

Em geral, utiliza-se FDM em sinais analógicos.

Time Division Multiplexing (TMD - multiplexação por canais de tempo)

A divisão de canais no tempo gera circuitos virtuais entre os terminais e o roteador. Este possui um ciclo de tempo em que deve se comunicar com todas as estações. Para tanto, o tempo é alocado igualmente para cada terminal comunicar-se.

Este método exclui parcialmente o problema da expansibilidade, já que não exige reconfiguração, apenas disponibilidade de recursos. A disputa ocorre somente no momento da conexão, após estabelecida não há problemas.

rede

O grande problema no

entanto

é

que,

conforme

a

aumenta, os recursos são alocados e o tempo de resposta

aumenta aritmeticamente.

Em geral, utiliza-se TDM em sinais digitais.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Statistical Time Division Multiplexing (STDM - multiplex- ação estatística por canais de tempo).

O método STDM funciona identicamente ao método TDM, porém soluciona parcialmente o problema do tempo de resposta. Ele utiliza métodos estatísticos e diferencia as estações ativas das ociosas. O segundo passo é alocar recursos somente às estações ativas, e escutar as ociosas, de forma que não seja perdida a conexão com as mesmas. No entanto, quando todas as estações estão ativas o tempo de resposta se mantém igual ao TDM.

Este procedimento foi denominado Fast Connect Circuit Switching. Um problema do STDM é a perda de conexão. Caso uma estação ociosa fique ativa e o roteador não possua recursos livres, a conexão é perdida.

GABARITO: letra B.

45. (CESPE/2008/STF/Q. 100) O UDP é um protocolo de transporte que não estabelece conexões antes de enviar dados, não envia mensagens de reconhecimento ao receber dados, não controla congestionamento, garante que dados sejam recebidos na ordem em que foram enviados e detecta mensagens perdidas.

Resolução

O UDP (User Datagram Protocol – Protocolo de Datagrama de Usuário) é um protocolo de transporte que não estabelece conexões antes de enviar dados (é não orientado à conexão). Ele fornece uma entrega rápida mas não confiável dos pacotes. O UDP não fornece o controle de fluxo necessário, nem tampouco exige uma confirmação do receptor, o que pode fazer com que a perda de um pacote aconteça SEM a devida correção.

Portanto, com a utilização do UDP os datagramas podem chegar fora de ordem, e também ele não detecta mensagens perdidas. Demais itens da questão estão ok.

GABARITO: item ERRADO.

46. (FEPESE/IMETRO/ANALISTA DE INFORMÁTICA/Q. 28) Assinale a alternativa correta, considerando as camadas definidas pela arquitetura OSI/ISO e suas atribuições.

a) O roteamento de pacotes é efetuado pela camada de transporte.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

b) O gerenciamento de conexões fim-a-fim é uma responsabilidade da

camada de enlace.

c)

de

transporte.

d) A camada de rede efetua o controle de fluxo fim-a-fim na rede.

e) O controle de acesso à rede é efetuado pela camada física.

A

multiplexação

da

rede

é

uma

responsabilidade

da

camada

Resolução

Com relação aos comentários de cada item, temos:

Item a. A atividade de roteamento do pacote é realizada pela camada de rede do Modelo OSI. Item errado.

Item b. Para dar suporte a nossa comunicação, o modelo OSI divide as funções de uma rede de dados em camadas. Recapitulando as funções de algumas camadas:

-A camada de Aplicação fornece a interface para o usuário.

-A camada de transporte é responsável pela divisão e gerenciamento das comunicações entre os processos que são executados nos dois sistemas finais.

Os protocolos da camada de rede organizam os dados de comunicação de modo que eles possam viajar através da conexão de rede a partir do host de origem até o host de destino.

Para que os pacotes da camada de Rede sejam transportados do host de origem ao host de destino, eles devem atravessar diferentes redes físicas. Essas redes físicas podem consistir de diferentes tipos de meios físicos como fios de cobre, microondas, fibras óticas e links de satélite. Os pacotes da camada de rede não têm um caminho para acessar diretamente estes diferentes meios.

O papel da camada de enlace do modelo OSI é preparar os pacotes da camada de Rede para transmissão no meio físico. Item errado.

Item c. Em teoria, uma única comunicação, tal como um vídeo ou uma mensagem de e-mail, poderia ser enviada por uma rede de uma origem a um destino como um fluxo de bits massivo e contínuo. Se as mensagens fossem realmente transmitidas dessa maneira, isso significaria que nenhum outro dispositivo seria capaz de enviar mensagens na mesma rede enquanto essa transferência de dados estivesse em progresso. Esses grandes fluxos de dados resultariam em atrasos consideráveis. Além disso, se um link na infra-estrutura

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

de rede falhar durante a transmissão, toda a mensagem seria perdida e teria de ser retransmitida por completo.

Uma melhor abordagem seria dividir os dados em pedaços menores e mais gerenciáveis para o envio através da rede. Essa divisão do fluxo de dados em pedaços menores é chamada de segmentação. Segmentar mensagens gera dois benefícios primários.

Primeiro, ao se enviar pedaços ou partes individuais menores da origem ao destino, várias conversas diferentes podem ser intercaladas na rede. O processo utilizado para intercalar os pedaços de conversas separadas na rede é chamado de multiplexação.

Segundo, a segmentação pode aumentar a confiabilidade das comunicações de rede. Os pedaços separados de cada mensagem não precisam viajar o mesmo caminho pela rede da origem ao destino. Se um caminho específico se tornar congestionado com tráfego de dados ou falhar, pedaços individuais da mensagem ainda podem ser direcionados ao destino usando caminhos alternativos. Se uma parte da mensagem falhar ao ser enviada ao destino, somente as partes perdidas precisam ser retransmitidas.

As funções principais especificadas por todos os protocolos da camada de Transporte incluem:

Segmentação e Reagrupamento - A camada de Transporte divide os dados da aplicação em blocos de dados que estão em um tamanho apropriado. No destino, a camada de Transporte reagrupa os dados antes de enviá-los à aplicação ou serviço de destino.

Multiplexação de Conversação - Pode haver muitas aplicações ou serviços sendo executados em cada host na rede. Cada uma destas aplicações ou serviços é designado a um endereço conhecido como uma porta para que a camada de Transporte possa determinar com qual aplicação ou serviço o dado é identificado.

Além de usar a informação contida nos cabeçalhos, para as funções básicas de segmentação e reagrupamento de dados, alguns protocolos da camada de Transporte fornecem:

Conversações orientadas à conexão

Entrega Confiável

Reconstrução de dados ordenados

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Controle de Fluxo

Item certo.

(CARGO 1) – PRODEMGE • Controle de Fluxo Item certo. Figura. Serviços da Camada de Transporte

Figura. Serviços da Camada de Transporte

Fonte: Cisco (2010)

Item d. A camada de rede serve para indicar a rota que o pacote vai seguir da origem ao destino (Decide como rotear pacotes entre os nós conectados através de uma rede). Também fornece um mecanismo de endereçamento uniforme de forma que duas redes possam ser interconectadas. Converte o endereço lógico em endereço físico para que os pacotes possam chegar corretamente ao destino. Item errado.

Item e. A camada física tem como função codificar os dígitos binários que representam quadros da camada de Enlace de Dados em sinais e transmitir e receber esses sinais através do meio físico - fios de cobre, fibra óptica e sem fio -, que conecta os dispositivos de rede. Item errado.

GABARITO: letra C.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

47. (ESAF/2008/PSS) - Analise as seguintes afirmações relacionadas ao modelo OSI:

I. A função do nível de enlace é detectar e, opcionalmente, corrigir os erros que eventualmente ocorram no nível físico.

II. O objetivo do nível de rede é fornecer, diretamente ao nível de sessão, uma independência quanto às considerações de chaveamento e roteamento associadas ao estabelecimento de uma conexão de rede.

III. O nível de rede não garante que um pacote chegue necessariamente ao

seu destino. Para fornecer uma comunicação confiável é necessário um outro nível de protocolo, neste caso, o nível de transporte.

IV. O nível de sessão fornece as características mecânicas, elétricas e

funcionais para ativar as conexões físicas para a transmissão de bits entre entidades do nível imediatamente superior, isto é, o nível de enlace.

Indique a opção que contenha todas as afirmações verdadeiras.

A) I e II

B) II e III

C) III e IV

D) I e III

E) II e IV

Resolução

Vamos analisar item por item:

I. A camada de enlace de dados é responsável por “reunir” os sinais brutos (zeros e uns) e “entendê-los” como frames (quadros), identificando suas origens e destinos e corrigindo possíveis erros ocorridos durante a transmissão pelos meios físicos. Redes modernas usam basicamente três tipos de meio físico para interconectar dispositivos e fornecer o caminho sobre o qual os dados podem ser transmitidos. Esses meios físicos são: cabos de fios metálicos; cabos de fibra óptica; transmissão sem fio (wireless). (O item I é VERDADEIRO).

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE Fonte: (CISCO, 2010) II. O nível de rede,

Fonte: (CISCO, 2010)

II. O nível de rede, como o próprio nome diz, relaciona-se com a camada de

rede (camada 3 do modelo OSI), na qual se localizam os roteadores e protocolos responsáveis por estabelecer uma comunicação inter-redes (entre redes distintas). Esse nível especifica como os pacotes são enviados e trocados, de forma que consigam sair da rede em que o computador de origem está para chegar à outra rede, onde o computador de destino se encontra (O item II é FALSO).

Vale destacar que cada camada do modelo OSI usa os serviços (funções)

oferecidos pela camada inferior e fornece serviços para a camada superior. Neste sentido, o nível de rede usa os serviços da camada de enlace

e fornece serviço diretamente para a camada de transporte, por exemplo.

III. Nesse caso, utiliza-se o protocolo TCP, da camada de transporte, para que

a comunicação seja confiável (O item III é VERDADEIRO).

IV. O nível de sessão realiza o estabelecimento de uma sessão de comunicação

entre a máquina de origem e a de destino. Explicando melhor, essa camada faz com que os dois computadores (origem e destino) estabeleçam uma

ligação entre si para que possam trocar dados.

É a camada física que define as propriedades do meio físico utilizado para uma conexão de rede. Características como o cabo utilizado, as voltagens

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

transmitidas pelo cabo, distâncias máximas de transmissão, conectores físicos e outros atributos similares são definidas pelas especificações da camada física (O item IV é FALSO).

Como estão corretos apenas os itens I e III, a resposta é a alternativa D.

GABARITO: letra D.

48. (FEPESE/IMETRO/ANALISTA DE INFORMÁTICA/Q. 22) Assinale a alternativa correta, a respeito do endereçamento efetuado pela camada de enlace em redes locais de computadores.

a. Endereços MAC são usados exclusivamente em redes Ethernet.

b. Endereços IP são convertidos em endereços MAC pelo servidor DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol).

c. Os endereços MAC são associados univocamente a hospedeiros, sendo obtidos dinamicamente durante a inicialização do sistema operacional.

d. O endereço de broadcast utilizado em redes Ethernet é uma cadeia de 46 bits 1 e 0 alternados, seguida por dois bits 1.

e. Os endereços MAC são associados univocamente a adaptadores de rede, sendo gravados em sua memória durante a sua fabricação, devendo manter-se inalterados durante o tempo de vida do dispositivo.

Resolução

Inicialmente, a Ethernet foi implementada como parte de uma topologia de barramento. Cada dispositivo de rede era conectado ao mesmo meio compartilhado. Com baixo tráfego ou em redes pequenas, essa era uma implementação aceitável. O principal problema a ser resolvido era como identificar cada dispositivo. O sinal pode ser enviado para cada dispositivo, mas como cada dispositivo identificaria se era o receptor pretendido da mensagem?

Um identificador exclusivo chamado de endereço de Controle de Acesso ao Meio (MAC) foi criado para ajudar a determinar o endereço de origem e destino em uma rede Ethernet. Independentemente da variedade de Ethernet utilizada, a convenção de denominação forneceu um método para identificação do dispositivo em um nível inferior do modelo OSI.

Um endereço MAC Ethernet é um valor binário de 48 bits (6 bytes) expresso como 12 dígitos hexadecimais.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

A figura seguinte ilustra a estrutura do endereço MAC Ethernet:

seguinte ilustra a estrutura do endereço MAC Ethernet: Fonte: Cisco (2010) O endereço MAC é gravado

Fonte: Cisco (2010)

O endereço MAC é gravado na ROM (Read-Only Memory - Memória Somente de Leitura) da placa adaptadora de rede (NIC). Isso significa que o endereço é codificado no chip da ROM permanentemente - não pode ser alterado por software.

No entanto, quando o computador inicializa, a NIC copia o endereço para a RAM. Ao examinar quadros, o endereço na RAM é utilizado como endereço de origem para comparação com o endereço de destino. O endereço MAC é utilizado pela NIC para determinar se uma mensagem deve passar para as camadas superiores para processamento.

deve passar para as camadas superiores para processamento. Profs. Lênin e Patrícia www.pontodosconcursos.com.br 44

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

GABARITO: letra E.

49.

(FEPESE/2009/

Assembléia

Legislativa

do

Estado

de

Santa

Catarina/TÉCNICO LEGISLATIVO/Q.45)

Leia atentamente as afirmações sobre TCP/IP.

I.Dentro de uma rede de computadores, cada computador recebe um endereço único, utilizado para identificação dentro dessa rede. Os endereços definidos pelo protocolo IP versão 4 são compostos por uma seqüência de 32 bits, divididos em 4 grupos de 8 bits cada.

II.A pilha TCP/IP agrupa um conjunto de protocolos, distribuídos em camadas, para a comunicação de computadores em rede; logo, como diz o próprio nome, o TCP é o único protocolo utilizado no transporte de informações.

III.A arquitetura TCP/IP possui as seguintes camadas: aplicação, transporte, internet e acesso à rede.

IV.O TCP é um protocolo de comunicação orientado à conexão, sendo muito utilizado na Internet. Apesar de possuir controle de erros e realizar a retransmissão de pacotes perdidos, o TCP não ordena esses pacotes, deixando esse trabalho para os protocolos da camada de aplicação.

Considerando as afirmações apresentadas, assinale a alternativa correta.

a.( ) Apenas as afirmações I e III são verdadeiras.

b.( ) Apenas as afirmações I e IV são verdadeiras.

c.( ) Apenas as afirmações II e III são verdadeiras.

d.( ) Apenas as afirmações I, II, e IV são verdadeiras.

e.( ) Apenas as afirmações II, III e IV são verdadeiras.

Resolução

Item I. Item certo. Em uma rede TCP/IP, cada placa de rede existente, em cada computador, é identificada por um número, chamado endereço IP. Esse endereço IP consiste em conjuntos de 8 bits, chamados por isso de octetos. O padrão mais utilizado atualmente é o IPV4, onde trabalharemos com 4 conjuntos de 8 bits (4 octetos).

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

O endereço IP (padrão IPV4) possui 32 bits.

Os octetos, quando representados, são separados por pontos. Veja abaixo dois exemplos de endereço IP:

0 0 0 0 1 0 1 0

1 1 0 0 10 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 . 0 0 0 0 0 0 0 0 .

1

1

1

1

1

1

1

1

.

1 0 0 0 1 1

1

0

.

0 0 0 0 0 0 0 1

0 0 0 0 1 0 1 0

.

.

Na verdade, a forma mais usual de representação do endereço IP é em números decimais. Esta notação divide o endereço IP em quatro grupos de 8 bits (octeto) e representa o valor decimal de cada octeto binário, separando-os por um ponto.

Dessa

seguintes, respectivamente:

forma,

podemos

transformar os

10.0.0.1

200.255.142.10

endereços

acima

nos

endereços

Disso tudo, concluímos que o menor octeto possível é o 00000000, que é igual a 0 em decimal, e que o maior octeto possível é 11111111, que é igual a 255 em decimal. Ou seja, cada octeto pode ir de 0 a 255.

Complementando, um computador pode receber seu endereço IP (e outros parâmetros) de duas maneiras:

Fixo:

quando

é

configurado

manualmente

para

isso

(por

seu

administrador);

 

Dinâmico: quando recebe esses parâmetros automaticamente de um servidor apropriado (chamado servidor DHCP).

Item II. Item errado, já que o TCP/IP é uma pilha de protocolos, conforme visto a seguir.

Item III. Item certo. Nesse ponto, cabe destacar que o Modelo OSI é mais conceitual, na prática é utilizado o Modelo TCP/IP, cujas camadas estão detalhadas na Tabela seguinte.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Tabela. Modelo de Camadas TCP/IP

Nome da

Algumas Observações

Camada

Aplicação

Representa os dados ao usuário com codificação e controle de diálogo.

Nessa camada estão os protocolos de nível mais ALTO (mais próximos do usuário, aqueles que realizam tarefas diretamente em contato com os usuários). Dentre eles citam-se: HTTP, FTP, SMTP, DNS, POP, IMAP, NNTP, TELNET, etc.

Transporte

Oferece suporte à comunicação entre diversos dispositivos e redes distintas.

Essa camada possui a mesma função que a camada correspondente do Modelo OSI, sendo responsável pela comunicação fim-a-fim entre as máquinas envolvidas. Principais protocolos da Camada de Transporte: o TCP e o UDP.

Internet

Determina o melhor caminho através da rede.

(ou Rede)

Apresenta os protocolos responsáveis pelo endereçamento dos pacotes. Nessa camada são determinadas as rotas que os pacotes deverão seguir para chegar ao destino. Dentre os principais protocolos desta camada merecem destaque:

IP, ICMP, ARP, RIP e OSPF.

Acesso à

Essa camada corresponde às Camadas de Enlace (Vínculo) de Dados e à Camada Física do Modelo OSI. Controla os dispositivos de hardware e meio físico que compõem a rede.

Rede

A figura seguinte ilustra um comparativo entre os 2 modelos.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE Figura. Comparando os Modelos OSI e TCP/IP. Fonte:

Figura. Comparando os Modelos OSI e TCP/IP.

Fonte: Cisco (2010)

Cabe ressaltar que à medida que os dados da aplicação são passados pela pilha de protocolo em seu caminho para serem transmitidos pelo meio físico de rede, vários protocolos agregam informações a eles a cada nível. Isso é comumente conhecido como o processo de encapsulamento, ilustrado a seguir.

como o processo de encapsulamento, ilustrado a seguir. Profs. Lênin e Patrícia www.pontodosconcursos.com.br 48

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

A forma que um pedaço do dado assume em qualquer camada é chamada de uma Unidade de Dados de Protocolo (PDU). Durante o encapsulamento, cada camada sucessora encapsula a PDU que recebe da camada acima de acordo com o protocolo sendo usado. Em cada estágio do processo, uma PDU possui um nome diferente para refletir sua nova aparência.

Embora não haja uma convenção de nomes universal para PDUs, são chamadas de acordo com os protocolos do conjunto TCP/IP.

Dados – O termo geral para a PDU usada na camada de Aplicação.

Segmento – PDU de Camada de Transporte.

Pacote – PDU de Camada de Rede.

Quadro – PDU de Camada de Acesso à Rede.

Bits - Uma PDU usada ao se transmitir dados fisicamente através do meio físico.

Item IV. A confiabilidade da comunicação TCP é realizada com o uso de sessões orientadas à conexão. Após uma sessão ter sido estabelecida, o destino envia confirmações para a origem para os segmentos que ele recebe. Estas confirmações formam a base da confiabilidade dentro de uma sessão TCP. À medida que a origem recebe uma confirmação, ela sabe que os dados foram entregues com sucesso, na ordem correta, e pode parar o rastreamento daqueles dados. Se a origem não recebe uma confirmação dentro de um período pré-determinado de tempo, ela retransmite aqueles dados para o destino.

Parte do overhead adicional do uso do TCP é o tráfego de rede gerado por confirmações e retransmissões. O estabelecimento de sessões cria um overhead na forma de segmentos adicionais sendo trocados. Há também um overhead adicional nos hosts individuais criado pela necessidade de rastrear quais segmentos estão esperando pela confirmação e pelo processo de retransmissão. Item Falso.

GABARITO: letra A.

50. (ESAF/2003/TRF) Uma LAN é:

A) uma rede que permite a interconexão de equipamentos de comunicação de

dados numa pequena região.

B) uma rede capaz de se comunicar com a Internet utilizando protocolos de

rede não roteáveis.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

C) uma rede 2BaseT capaz de se comunicar com outras redes a uma velocidade de 100Mbps.

D) um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e

compartilhar recursos, permitindo apenas a topologia 10Base2, o que a torna ultrapassada quanto à velocidade quando comparada com as WANs, que permitem velocidades superiores a 100Mbps.

E) um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e

compartilhar recursos, permitindo apenas a topologia 100BaseT, o que a torna compatível com as WANs, que permitem velocidades superiores a 100Mbps.

Resolução

Vamos analisar item por item:

Item A. Uma LAN (Local Area Network – Rede Local) é uma rede de computadores com uma pequena extensão. Geralmente funciona no escritório de uma empresa, ou de uma casa, onde os computadores estão próximos uns dos outros. Item CERTO.

Cabe destacar que, no que tange à sua escala ou abrangência as redes podem ser classificadas em PAN, LAN, MAN e WAN.

PAN (Personal Area Network): é uma rede pessoal - formada por nós (dispositivos conectados à rede, como computadores, telefones e PDAs) muito próximos uns dos outros e próximos a uma pessoa. O termo PAN é bem novo, surgiu em função das novas tecnologias sem fio, como o bluetooth, que permitem a ligação de vários equipamentos que estejam separados por poucos metros.

equipamentos que estejam separados por poucos metros. Figura. Exemplo de uma Rede PAN Profs. Lênin e

Figura. Exemplo de uma Rede PAN

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

LAN (Local Area Network): é uma rede local, que permite a conexão de equipamentos numa pequena área geográfica (como uma residência, um escritório, um prédio, ou um grupo de prédios vizinhos).

fios

consolidaram-se como uma boa opção de rede local. Tais máquinas podem ser usadas em qualquer lugar dentro de um prédio que

possua uma Wireless LAN implementada. Boa quando existe necessidade de mobilidade dos pontos da rede e/ou existam dificuldades de implementação de cabeamento.

o

WLAN

(Wireless

LAN):

as

WLANs,

ou

Lans

sem

MAN (Metropolitan Area Network): é uma rede metropolitana, que abrange aproximadamente o perímetro de uma cidade. Operam em áreas maiores que as LAN e com menores velocidades. Normalmente utilizam Wireless ou fibra ótica.

WAN (Wide Area Network): é uma rede geograficamente distribuída, que abrange uma grande área geográfica e conecta cidades e países. Surgiu da necessidade de compartilhar recursos especializados por uma maior comunidade de usuários geograficamente dispersos (localizados a grandes distâncias – até milhares de quilômetros – uns dos outros).

Item B. Protocolos de rede não roteáveis não podem ser direcionados entre redes, portanto ficam RESTRITOS a algumas redes locais. O Netbeui é um exemplo de protocolo não roteável (vantagens: alta velocidade em pequenas redes; facilidade de implementação; boa proteção contra erros; etc); (desvantagens: não pode ser direcionado entre redes; poucas ferramentas para análise de sua performance; etc). Item ERRADO.

Item C. O padrão 2BaseT usa cabo de par trançado, e permite velocidade máxima de transmissão de 2 Mbps. Para transmitir a 100 Mbps, usaríamos 100 Base T. Item ERRADO.

Seja o padrão V base C onde: V - Velocidade (Taxa de transferência); e C - Cabo (meio físico).

Exemplos:

10

base T: velocidade de 10Mbps /utiliza cabo de par-trançado.

10

base 2: velocidade de 10 Mbps/utiliza cabo coaxial fino.

10 base 5: velocidade de 10 Mbps/utiliza cabo coaxial grosso (a distância máxima entre uma estação e outra, nesse tipo de cabo, é de 500 metros).

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

1000BaseLX: uma rede Gigabit Ethernet (velocidade de 1.000Mbps)/Utiliza cabos de fibra monomodo (até 3Km de distância entre estações-hub).

Item D. O uso da expressão “apenas” já invalidou o item. Item ERRADO.

Item E. O uso da expressão “apenas” já invalidou o item. Item ERRADO.

GABARITO: letra A.

51. (FGV/2008/SEFAZ-RJ/FISCAL DE RENDAS) Uma rede de microcomputadores opera com base no padrão Ethernet IEEE-802.3 e utiliza o protocolo CSMA/CD. No momento em que uma colisão é detectada, as máquinas que estão transmitindo executam o seguinte procedimento:

(A)

aceleram o ritmo de transmissão.

(B)

param imediatamente de transmitir.

(C)

passam a transmitir em modo half-duplex.

(D)

retransmitem os frames que provocaram a colisão.

(E)

enviam pacotes de sincronismo para as demais máquinas.

Resolução

CSMA/CD(Carrier Sense Multiple Access with Collision Detection). Maiores detalhes a seguir:

O primeiro passo na transmissão de dados em uma rede Ethernet consiste em verificar se o cabo está livre. Isso é feito pela placa de rede e daí o nome Carrier Sense(detecção de portadora). A transmissão só será iniciada caso o cabo esteja livre.

o CS (Escutar a Rede): os computadores que quiserem transmitir verificam se a rede está livre, se sim, transmitem, se não, esperam a rede liberar (pode ocorrer de vários deles estarem esperando);

O protocolo CSMA/CD não gera nenhum tipo de prioridade (daí o nome Multiple Access, acesso múltiplo).

o MA (Múltiplo Acesso): vários computadores podem tentar acesso ao meio (cabos) simultaneamente, mas se isso acontecer causará uma colisão. Uma colisão é uma espécie de “explosão” elétrica que acontece no meio físico e é sentida por todas as placas de rede (interfaces).

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

o

CD (Detectar Colisões): quando ocorre uma colisão, todas as placas de rede “sentem” isso e param de transmitir, esperam um período de tempo aleatório, e tentam a retransmissão.

Lembrete: numa rede de tecnologia Ethernet, vários computadores podem acessar o meio (ou seja, “tentar” transmitir) – é como vários alunos levantando a mão para perguntar algo ao professor – porém, segundo esse exemplo, somente UMA ESTAÇÃO vai conseguir transmitir seus pacotes efetivamente na rede ETHERNET!

GABARITO: letra B.

52. (CESPE/2010/TCE-RN/Q. 72) No frame Ethernet 10BaseT, a parte de dados pode chegar a até 1.500 bytes.

Resolução

a parte de dados pode chegar a até 1.500 bytes. Resolução Fonte: (CISCO/2010) GABARITO: item CERTO.

Fonte: (CISCO/2010)

GABARITO: item CERTO.

53. (CESPE/2010/MPU/Técnico de Informática/Q. 75) A placa de rede integrada 10/100 Ethernet opera com taxa de transmissão de até 10 Mbps, caso o notebook em que ela esteja instalada seja conectado a um hub 10Base-T; se for um hub 100Base-T, então ela opera com taxa de transmissão de até 100 Mbps.

Resolução

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

A

transmissão da porta do Hub.

taxa de

transmissão

da placa

de

rede estará limitada pela

taxa de

transmissão da placa de rede estará limitada pela taxa de Figura. Um Hub GABARITO: item CERTO.

Figura. Um Hub

GABARITO: item CERTO.

54. (CESPE/2009/TCU/Q. 141) Com relação às tecnologias de redes locais, julgue os itens a seguir. [A interconexão de redes CSMA/CD, como Ethernet e IEEE 802.3, utilizando bridges ou switches, agrega os domínios de broadcast das redes, porém preserva seus domínios de colisão].

Resolução

Um maior número de hosts conectados a uma única rede pode produzir volumes de tráfego de dados que podem forçar, quando não sobrecarregar, os recursos de rede como a largura de banda e a capacidade de roteamento.

A divisão de grandes redes de modo que os hosts que precisam se comunicar sejam reunidos reduz o tráfego nas conexões de redes.

Além das próprias comunicações de dados entre hosts, o gerenciamento da rede e o tráfego de controle (overhead) também aumentam com o número de hosts. Um contribuinte signficativo para este overhead pode ser os broadcast.

Um broadcast é uma mensagem enviada de um host para todos os outros hosts da rede. Normalmente, um host inicia um broadcast quando as

informações sobre um outro host desconhecido são necessárias. O broadcast é uma ferramenta necessária e útil usada pelos protocolos para habilitar a comunicação de dados nas redes. Porém, grandes números de hosts geram grandes números de broadcast que consomem a largura de banda. E em razão

de alguns hosts precisarem processar o pacote de broadcast, as outras funções

produtivas que o host está executando também são interrompidas ou deterioradas.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Os broadcasts ficam contidos dentro de uma rede. Neste contexto, uma rede também é conhecida como um domínio de broadcast. Gerenciar o tamanho dos domínios de broadcast pela divisão de uma rede em sub-redes garante que o desempenho da rede e dos hosts não seja deteriorado em níveis inaceitáveis.

Domínio de broadcast

Computadores pertencentes a uma mesma rede IP, que se comunicam sem o auxílio de um roteador.

rede IP, que se comunicam sem o auxílio de um roteador. Figura 1. Um domínio de

Figura 1. Um domínio de broadcast (CISCO, 2010)

roteador. Figura 1. Um domínio de broadcast (CISCO, 2010) Figura 2. Dois domínios distintos de broadcast

Figura 2. Dois domínios distintos de broadcast (CISCO, 2010).

Observe na Figura 2 que a substituição de um switch por um roteador

dois domínios mais

separa

gerenciáveis.

um

grande

domínio

de

broadcast

em

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Domínio de colisão

Dois ou mais computadores conectados a um mesmo barramento (físico ou lógico).

Hub

Extende os domínios de broadcast e colisão a todos os computadores a ele conectados.

Switch/Bridge

Extende apenas o domínio de broadcast;

Cada porta do switch (incluindo aqui o uplink) é um domínio de colisão distinto.

GABARITO: item CERTO.

55. (CESPE/2010/IJSN-ES/Q. 82) Considere dois hosts A e B que estejam conectados a um switch. Nessa situação, se o host A enviar um frame em broadcast e o host B não receber esse frame, então é correto inferir que os hosts A e B pertencem a VLANS diferentes.

Resolução

A rede local virtual (VLAN) é uma rede de computadores que se comporta

como se estivessem conectados ao mesmo segmento de rede embora possam estar fisicamente localizados em segmentos diferentes da LAN. As VLANS são configuradas por software no switch e no roteador (CISCO, 2010).

GABARITO: item CERTO.

56. (CESPE/2009/MPOG/

PROCESSO

SELETIVO

INTERNO

PARA

GRATIFICAÇÕES DO GSISP – NÍVEL SUPERIOR/Q. 44) [O uso de switches particiona os domínios de colisão e de broadcast].

Resolução

O switch só irá particionar os domínios de colisão, mantendo o de broadcast.

GABARITO: item ERRADO.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

57. (ESAF/2008-09/PSS) Com relação a componentes de uma rede de computadores, é correto afirmar que as pontes são dispositivos:

a) equivalentes a roteadores que interligam redes com velocidade de

transmissão diferentes.

b) que podem ser utilizados para dividir e isolar o tráfego entre segmentos

de uma rede.

c) equivalentes a roteadores que interligam redes com protocolos de

comunicação diferentes.

d) utilizados apenas para conectar dois cabos de redes de diferentes

categorias, tornando-se invisíveis para o tráfego na rede.

e) utilizados apenas para conectar o cabo de rede a cada computador

individualmente.

Resolução

Essa questão parece ser bem fácil de resolver, mas envolve conhecimentos sobre as características dos equipamentos em questão. Neste ponto, vejamos os comentários da tabela seguinte.

Tabela. Equipamentos para Interconexão de Redes

Equipament

o

Função principal

Repeater

(Repetidor)

Equipamento cuja função é realizar a amplificação 1 ou a regeneração 2 dos sinais de uma rede (via cabo ou wi-fi), quando se alcança a distância máxima efetiva do meio de transmissão e o sinal já sofre uma atenuação (enfraquecimento) muito grande.

O repetidor NÃO desempenha qualquer função no fluxo de dados e pertence à Camada 1 (chamada de Camada Física) do Modelo OSI.

à Camada 1 (chamada de Camada Física) do Modelo OSI. Figura 1 . Repetidor 1 Amplifica

Figura 1. Repetidor

1 Amplifica todas as ondas eletromagnéticas de entrada, inclusive os ruídos indesejáveis.

2 Retira os dados do sinal de transmissão. Em seguida, ele constrói e retransmite o sinal no outro segmento de mídia. O novo sinal é uma duplicata exata do sinal original, reforçado pela sua força original.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Hub

Equipamento concentrador de conexões (Guarde isso!!) que permite a ligação física de cabos provenientes de vários micros.

Recebe sinais elétricos de um computador e os transmite a TODAS as portas por difusão (os sinais serão enviados a todas as demais máquinas - broadcast). Adequados para redes pequenas e/ou domésticas.

É um equipamento da Camada 1 (Camada Física) do modelo OSI.

um equipamento da Camada 1 (Camada Física) do modelo OSI. Figura 2 . Hub Switch Também

Figura 2. Hub

Switch

Também chamado de comutador, é um dispositivo que externamente é semelhante ao HUB, mas internamente possui a capacidade de chaveamento ou comutação (switching), ou seja, consegue enviar um pacote (ou quadro se preferir) apenas ao destinatário correspondente.

Nota: o switch PODE usar broadcast (só usa quando precisa!!).

Opera na Camada de Enlace (Camada 2) do Modelo OSI.

Bridge (Ponte)

A ponte é um repetidor inteligente, pois faz controle de fluxo de dados. Ela analisa os pacotes recebidos e verifica qual o destino. Se o destino for o trecho atual da rede, ela não replica o pacote nos demais trechos, diminuindo a colisão e aumentando a segurança.

Com a ponte é possível segmentar uma rede em "áreas" diferentes, com o objetivo de reduzir tráfegos. Essas áreas são chamadas domínios de colisão.

Também, a ponte é capaz de traduzir os sinais entre duas tecnologias de redes locais diferentes. A ponte interliga segmentos de rede de arquiteturas diferentes e permite que eles se comuniquem normalmente (ex.:

pode ser instalada ENTRE um segmento de rede Ethernet e um segmento Token Ring).

Opera na Camada de Enlace (Camada 2) do Modelo OSI.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Access Point

(Ponto de

É o equipamento central para onde todos os sinais de uma rede Wi-Fi do tipo infraestrutura serão mandados. Esse, por sua vez, retransmitirá os sinais para a rede, criando uma espécie de “área de cobertura” para os computadores.

Acesso)

É um equipamento da Camada 2 (Camada de Enlace) do Modelo OSI.

um equipamento da Camada 2 (Camada de Enlace) do Modelo OSI. Figura 3 . Ponto de

Figura 3. Ponto de Acesso ao Centro

Router

(Roteador)

Equipamento responsável pelo encaminhamento e roteamento de pacotes de comunicação em uma rede ou entre redes. Tipicamente, uma instituição, ao se conectar à Internet, deverá adquirir um roteador para conectar sua Rede Local (LAN) ao ponto da Internet.

O roteador é um equipamento mais "inteligente" do que o switch, pois além de poder desempenhar a mesma função deste, também tem a capacidade de escolher a melhor rota que um determinado pacote de dados deve seguir para chegar em seu destino.

Na Internet, os roteadores trocam entre si tabelas de roteamento e informações sobre distância, permitindo a escolha do melhor caminho entre a origem e o des- tino da conexão.

É um equipamento da Camada 3 (Camada de Rede) do Modelo OSI.

Gateway

Dispositivo

totalmente distintas.

usado

para

interconectar

duas

redes

almente atuam nas camadas mais altas do Modelo

Geralmente usados para conectar WANs a LANs.

Podem atuar em qualquer camada do modelo, ger

OSI (da Camada de Transporte até a Camada de Aplicação).

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Portanto, conforme visto na tabela anterior, a ponte (bridge) é o equipamento que pode ser utilizado para dividir e isolar o tráfego entre segmentos de uma rede.

GABARITO: letra B.

58. (CESPE/2009/MPOG/

PROCESSO

SELETIVO

INTERNO

PARA

GRATIFICAÇÕES DO GSISP – NÍVEL SUPERIOR/Q. 45) Os roteadores atuam no nível de datagrama, levando em consideração as informações de endereço físico de destino para decidir para que interface encaminhar o pacote.

Resolução

Os roteadores levam em consideração as informações do endereço lógico (IP) do destino para decidir para onde devem encaminhar o pacote.

GABARITO: item ERRADO.

59. (CESPE/2009/MPOG/PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA GRATIFICAÇÕES DO GSISP – NÍVEL INTERMEDIÁRIO/Q. 43) Quanto aos elementos ativos de infraestrutura e serviços de redes de comunicação, julgue os itens subsequentes. [Roteadores são exemplos de gateways que tipicamente interconectam redes de diferentes topologias de enlace, encaminhando datagramas a partir das informações do protocolo de rede].

Resolução

Roteador é um equipamento que pode ser usado para a comunicação entre redes distintas, comunicando computadores distantes entre si. Os roteadores são dispositivos que operam na Camada de Rede do modelo OSI e têm como principal função: selecionar a rota mais apropriada para encaminhar os datagramas recebidos, ou seja, escolher o melhor caminho disponível na rede para um determinado destino.

GABARITO: item CERTO.

60. (CESPE/2009/MPOG/PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA GRATIFICAÇÕES DO GSISP – NÍVEL INTERMEDIÁRIO/Q. 44) Switches e roteadores particionam domínios de broadcast, porém apenas os primeiros preservam os domínios de colisão.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Resolução

Ambos (switches e roteadores) particionam os domínios de colisão. Só o switch mantém o domínio de broadcast.

GABARITO: item ERRADO.

61. (CESPE/2009/MPOG/PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA GRATIFICAÇÕES DO GSISP – NÍVEL INTERMEDIÁRIO/Q. 45) Gateways são usados para mediar diferenças de arquitetura de enlace, sendo seu emprego restrito à compatibilização de heterogeneidades das camadas inferiores das arquiteturas de redes.

Resolução

São usados para fazer interligação de redes que usa protocolos distintos. Eles fazem a tradução e o controle das informações transmitidas entre redes que usam protocolos de comunicação diferentes.

Os gateways podem operar em qualquer camada de rede, ao contrário do que foi mencionado na questão, e trabalham como um intermediário entre as requisições dos hosts de uma rede para a outra. Ele recebe as requisições internas, e faz um novo pedido sob a sua responsabilidade para o servidor de destino. A resposta para o pedido é recebida pelo mesmo proxy e analisada antes de ser entregue para o solicitante original.

GABARITO: item ERRADO.

62. (CESPE/2009/MPOG/PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA GRATIFICAÇÕES DO GSISP – NÍVEL SUPERIOR/Q. 46) Os gateways de transporte, presentes na camada de transporte, podem realizar a interface entre duas conexões de transporte, como, por exemplo, entre uma conexão TCP e uma SNA.

Resolução

Os gateways de transporte trabalham na camada de transporte do modelo OSI, e servem como um filtro de controle das conexões TCP/IP. Eles conseguem analisar as informações dos cabeçalhos dos pacotes, até a camada de transporte, mas não os dados das camadas superiores.

GABARITO: item CERTO.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

63. (CESPE/2009/MPOG/ PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA GRATIFICAÇÕES DO GSISP – NÍVEL SUPERIOR/Q. 47) Gateways de aplicação atuam traduzindo a semântica das mensagens, por exemplo: um gateway entre o serviço de e-mail da Internet e o X.400 precisaria analisar as mensagens e modificar vários campos de seus cabeçalhos.

Resolução

Os gateways de aplicação (Proxy) trabalham na camada de aplicação do modelo OSI, podendo analisar até os dados dos pacotes.

GABARITO: item CERTO.

64. (CESPE/2006/TJPA/PROGRAMADOR - com adaptações) A Internet, considerada a maior rede mundial de computadores, tem prestado serviços de grande relevância para a humanidade, favorecendo de forma significativa o acesso ao conhecimento, a comunicação entre as pessoas, a agilização do fluxo de informações nas empresas, entre outros benefícios. A respeito da Internet e dos protocolos nela empregados, assinale a opção correta.

A) Para a função de roteamento de pacotes no interior da rede, a Internet

utiliza, basicamente, dois protocolos: TCP e UDP.

B) A camada física recebe os fluxos de dados e os divide em datagramas,

que são repassados diretamente para a camada de aplicação, na qual são roteados e enviados até o destino.

C) Devido ao grande crescimento do número de hosts na Internet, o protocolo IP, na sua versão 6, tem sido considerado boa solução para o problema da quantidade limitada de endereços.

Resolução

Item A. O roteamento de pacotes acontece na camada abaixo da de transporte, ou seja, na camada de rede (ou inter-rede). O IP e o RIP são protocolos envolvidos no roteamento, entre outros. Os protocolos TCP e UDP atuam na camada de transporte e não são responsáveis pelo roteamento de pacotes (O item A é FALSO).

Item B. A camada física é a de nível mais baixo em qualquer modelo e vale lembrar que a camada de aplicação está acima da camada física e, portanto, não recebe dados desta (O item B é FALSO).

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

Item C. O sistema de endereços baseado no IP versão 4 tem suas limitações, e, a solução para o problema envolve a adoção da nova forma de endereçamento IP versão 6 (IPv6), com seus endereços de 128 bits.

O principal motivo para a implantação do IPv6 na Internet é a necessidade de mais endereços, porque os endereços livres IPv4 estão se acabando. A longo prazo, o IPv6 tem como objetivo substituir o IPv4, que só suporta cerca de 4 bilhões (4 x 10 9 ) de endereços, contra cerca de 3.4 x 10 38 endereços do novo protocolo. (O item C é VERDADEIRO).

GABARITO: letra C.

65. (ESAF/2006/CGU/ AFC-TI) Em algumas topologias de rede, onde as estações estão ligadas a um elemento concentrador, com implementação interna desconhecida e com interface compatível com as estações, é possível que estes implementem arquiteturas que possibilitem a troca de mensagens entre várias estações simultaneamente. Assim, duas estações podem obter taxas efetivas de transmissão bem maiores que aquelas obtidas quando a taxa de transmissão nominal do elemento concentrador é compartilhada entre todas as estações.

é

O

elemento

concentrador

que

permite

esse

tipo

de

configuração

denominado:

a) switch.

b) ponte.

c) repetidor.

d) roteador.

e) hub.

Resolução

Com o uso do equipamento switch duas ou mais transmissões podem ser efetuadas simultaneamente, desde que tenham origem e destinos diferentes, o que não seria possível com a utilização do hub.

GABARITO: letra A.

66. (ESAF/2006-2005/TÉC. REC. FED.) Os switches são dispositivos

a) capazes de estabelecer a comunicação de computadores distantes entre

si e até mesmo com protocolos de comunicação diferentes.

b) utilizados por uma tecnologia de rede desenvolvida pela IBM chamada Token Ring, cujo princípio de operação é a comunicação em forma de circuito fechado.

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

c) que têm a função de transferir os pacotes de um segmento para todos os demais, não fazendo qualquer tipo de seleção ou endereçamento.

d) semelhantes a hubs, mas não repetem o mesmo pacote para todas as

portas. Cada pacote é dirigido para o dispositivo de destino, evitando colisões e excesso de tráfego.

e) da estrutura de nível mais alto em uma rede composta por várias sub-

redes. O switch é composto por linhas de conexão de alta velocidade, que se conectam às linhas de menor velocidade.

Resolução

Complementando cabe destacar que o switch tem a capacidade de analisar o cabeçalho de endereçamento dos pacotes de dados, enviando os dados diretamente ao destino, sem replicá-lo desnecessariamente para todas as suas portas.

Desta forma, se a estação 1 enviar um pacote de dados para a estação 2, somente esta recebe o pacote de dados. Isso faz com que a rede torne-se mais segura e muito mais rápida, pois praticamente elimina problemas de colisão.

Como dica adicional, a tabela seguinte destaca de forma reduzida a relação entre as camadas do Modelo OSI e dispositivos de redes (Para Memorização!!).

Tabela. Equipamentos de Redes e a Camada OSI em que Atuam

Dispositivo

Camada OSI

 

Repetidor, Hub

Física

(além de cabos e conectores)

Ponte (Bridge), switch, Ponto de Acesso Wi-Fi (Access Point), placa de rede

Enlace (Vínculo) de Dados

 

Roteador

Rede

Gateway

Todas

as

camadas,

mais

frequente

da

camada

de

Transporte até aplicação

GABARITO: letra D.

67. (ESAF/2004-02/Técnico MPU-Área Administrativa) O padrão de interligação de redes mais popular é o TCP/IP. Essa família de protocolos é a base da Internet, que conecta milhares de computadores, e o seu objetivo

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (EM EXERCÍCIOS) P/ANALISTA DE SISTEMAS (CARGO 1) – PRODEMGE

é simplificar o padrão de interligação, dividindo hierarquicamente as responsabilidades entre camadas, com cada camada oferecendo serviços necessários à camada acima dela. Com relação às características dessa divisão, é correto afirmar que

A) os roteadores utilizam o protocolo IP na camada de rede e são responsáveis por converter os endereços lógicos de rede e nomes e