Sei sulla pagina 1di 29

Hidrólise Salina

Calagem é uma etapa do preparo do solo para cultivo agrícola na qual se aplica calcário com os objetivos de elevar os teores de cálcio e magnésio, neutralização do alumínio trivalente (elemento tóxico para as plantas) e corrigir o pH do solo, para um desenvolvimento satisfatório das culturas.

Efeitos Químicos

  • Controle de pH (Controle da acidez);

  • Eliminação do alumínio trivalente;

  • Aumento da disponibilidade e assimilação do Cálcio, Magnésio,

Fósforo e Molibdênio;

  • Diminuição da solubilidade do Alumínio, Ferro e Manganês (esses

elementos, além de dificultarem o aproveitamento de alguns

nutrientes pela planta, ainda podem se tornar tóxicos).

Os calcários são rochas sedimentares que contêm minerais com quantidades acima de 30% de carbonato de cálcio (aragonita ou calcita). Quando o mineral predominante é a dolomita,CaCO 3 . MgCO 3 , a rocha calcária é denominada calcário dolomítico.

Hidrólise Salina

O pH de uma solução de um sal depende da acidez e da
O
pH
de
uma
solução de
um sal depende
da acidez
e
da

basicidade relativas de seus íons.

Todos os cátions que são ácidos conjugados de bases fracas produzem soluções ácidas.

Ex.: NH 4 Cl

  NH Cl  NH  Cl (aq) 4 (aq) 4 (aq)   NH
NH Cl
NH
Cl
(aq)
4
(aq)
4
(aq)
NH
H O
H O
NH
(aq)
4
(aq)
2
(l)
3
3
(aq)

Hidrólise Salina

O pH de uma solução de um sal depende da acidez basicidade relativas de seus íons.

e

da

Todos os ânions que são bases conjugadas de ácidos fracos produzem soluções básicas.

Ex.: CH 3 COONa.

 

CH COONa CH COO

(aq)

  • 3

(aq)

Na

  • 3

H O

2

(l)

(aq)

CH COO

3

(aq)

(aq)  CH COO 3 (aq) CH COOH 3 (aq) 

CH COOH

3

(aq)

OH

(aq)

 
 

CaCO

3

(aq)

Ca

2

(aq)

CO

2

3

(aq)

   

CO

2

3

(aq)

H O

2

(l)

CO 2  3 (aq)  H O 2 (l) HCO 3  (aq)  OH

HCO

3

(aq)

OH

(aq)

HCO

3

(aq)

H O

2

(l)

H CO 2

H CO

2

3

(aq)

OH

(aq)

Ex.: CaCO 3

Exercícios:

Exercícios:
Exercícios:
Exercícios:

Como calcular o pH de uma solução salina?

Um cátion ácido é tratado como um ácido fraco.

Um ânion básico é tratado como uma base fraca.

SOLUÇÃO TAMPÃO

Solução Tampão

Solução em que o pH tende a permanecer o mesmo após a adição de ácidos ou bases forte.

Ácido fraco com seu sal conjugado
Ácido fraco com seu sal conjugado

ou

Base fraca com seu sal conjugado
Base fraca com seu sal conjugado

Exemplos:

Plasma sangüíneo (pH = 7,4) Água do mar (pH = 8,4)

Solução Tampão Solução em que o pH tende a permanecer o mesmo após a adição de

Quando uma gota de ácido forte é adicionado a água, o pH muda significativamente.

Quando a mesma quantidade, porém, é adicionada a um tampão, o pH praticamente não muda.

Quando uma gota de ácido forte é adicionado a água, o pH muda significativamente . Quando
Como isso acontece???
Como isso acontece???

Solução Tampão

Tampão ácido: ácido fraco e sua base conjugada na forma de

sal. (Estabiliza soluções no lado ácido da neutralidade) (pH 7).

3  H O 3 CH COO (aq) (aq)   CH COONa CH COOH CH
3
H O
3
CH COO
(aq)
(aq)
CH COONa
CH COOH
CH COO
H O
2
(l)
Na
(aq)
(aq)
(aq)
(aq)
3
3
3

Representação:

CH COOH / CH COO

3

3

Tampão básico: base fraca e seu ácido conjugado na forma

de sal. (Estabiliza soluções no lado básico da neutralidade) (pH 7).

Representação:

NH

3

   4 (aq) (aq)  NH NH (l) H O Cl 2  4
4
(aq)
(aq)
NH
NH
(l)
H O
Cl
2
4
(aq)
OH
(aq)
(aq)

NH

3

(aq)

NH Cl

4

 

4

/ NH

Tampões no sangue:

  • a) H 2 CO 3 e NaHCO 3

  • b) H

3

PO 4 /HPO 4

2

  • c) Algumas proteínas

Tampões no sangue: a) H CO e NaHCO b) H PO /HPO 2  c) Algumas
  • a) H 2 CO 3 e NaHCO 3

  H CO  H O H O  HCO 2 3 2 3 3
H CO
H O
H O
HCO
2
3
2
3
3
NaHCO
Na
HCO
3
3

Assim, existem as seguintes espécies nessa solução-tampão:

H 2 CO 3

,

H 3 O + ,

HCO 3 ,

Na +

Se a essa solução for adicionada uma pequena concentração de ácido, irá ocorrer sua ionização, gerando cátions H 3 O + , que irão reagir com os ânions HCO 3 presentes no meio, originando ácido carbônico não ionizado. Não ocorre a variação do pH.

Já se uma base for adicionada, serão gerados ânions OH . Esses íons se combinam com os cátions H 3 O + , provenientes da ionização do H 2 CO 3 . Assim, os ânions OH são neutralizados, mantendo o pH do meio.

Solução Tampão

A)Tampão Ácido:

CH COOH / CH COO  3 3
CH COOH / CH COO
3
3

adição de ácido forte

Solução Tampão A)Tampão Ácido: CH COOH / CH COO  3 3 adição de ácido forte

HCl

(aq)

H O

2

(l)

H O

3

(aq)

Cl

 

(aq)

 
HCl (aq)  H O 2 (l)  H O 3  (aq)  Cl 

CH COOH

3

(aq)

H O

2

CH COONa

3

Na

(l)

H O CH COO

3

3

 H O CH COO 3 3 

(aq)

CH COO

3

(aq)

(aq)

(aq)

(aq)

Quando um ácido forte é adicionado a uma solução que contém CH 3 COO moléculas de CH 3 COOH, em concentrações aproximadamente iguais, os íons

e

H 3 O + recém chegados transferem prótons para os íons CH 3 COO - para formar moléculas de CH 3 COOH e H 2 O. Como os íons hidrônio adicionados são removidos pelos íons acetato, o pH se mantém quase inalterado.

Solução Tampão

B) Tampão Ácido:

CH COOH / CH COO  3 3
CH COOH / CH COO
3
3

adição de base forte

NaOH  Na   OH  (aq) (aq) (aq)
NaOH
Na
OH
(aq)
(aq)
(aq)
Solução Tampão B) Tampão Ácido: CH COOH / CH COO  3 3 adição de base
3 Na 2 H O (aq)  (aq) 3 3  H O CH COO 
3
Na
2
H O
(aq)
(aq)
3
3
H O
CH COO
3
CH COOH
CH COONa
(aq)
(aq)
(aq)
(l)

CH COO

3

(aq)

Se, ao contrário, uma pequena quantidade de base forte for adicionada, os íons OH - da base removem os prótons das moléculas de CH 3 COOH para produzir íons CH 3 COO - e moléculas de H 2 O. Neste caso as moléculas de ácido acético agem como fontes de prótons. Como uma base forte foi substituída por uma base fraca, a concentração de íons OH - permanece praticamente inalterada. Conseqüentemente, a [H 3 O + ] e o pH também se mantém quase constante.

Solução Tampão

C) Tampão Básico:

NH / NH  3 4
NH
/ NH
3
4

adição de base forte

Solução Tampão C) Tampão Básico: NH / NH  3 4 adição de base forte NaOH
 

NaOH

(aq)

Na

(aq)

OH

(aq)

 
NaOH (aq)  Na  (aq)  OH  (aq) NH 3 (aq)  H O

NH

3

(aq)

H O

2

(l)

NH

NH

4

(aq)

OH

(aq)

NH Cl

4

(aq)

NH

4

(aq)

Cl

(aq)

 

Quando uma base forte é adicionada, os íons OH fornecidos removem prótons do íon NH 4 + para produzir moléculas de NH 3 e H 2 O. O pH se mantém praticamente constante.

Solução Tampão

D) Tampão Básico:

NH / NH  3 4
NH
/ NH
3
4

adição de ácido forte

Solução Tampão D) Tampão Básico: NH / NH  3 4 adição de ácido forte HCl
 

HCl

H O

2

(l)

H O

3

Cl

 

(aq)

 

(aq)

(aq)

 
 
HCl  H O 2 (l)  H O 3   Cl  (aq) (aq)
 

NH

3

(aq)

H O

2

(l)

(l)

NH

4

(aq)

OH

(aq)

NH Cl

4

(aq)

NH

4

(aq)

Cl

(aq)

Quando um ácido forte é adicionado, os prótons fornecidos ligam-se às moléculas de NH 3 para formar íons NH 4 + e conseqüentemente são removidos da solução. O pH se mantém praticamente constante.

Cálculo do pH de uma solução tampão

EXEMPLO. Calcule o pH de uma solução tampão formada por 0,040 mol/L de CH 3 COONa (aq) e 0,080 mol/L de CH 3 COOH (aq) , em 25 o C.

CH COOH  H O H O   CH COO  (aq) (aq) 3
CH COOH
H O
H O
CH COO
(aq)
(aq)
3
 

(aq)

2

(l)

3

3

 

CH COONa

3

(aq)

Na

(aq)

CH COO

3

(aq)

 
 

K

 

[H O

3

] . [CH COO

3

]

a

[CH COOH]

3

 

pK

a

4,75,

logo :

K

 

1,8X10

5

o

a 25 C

 

a

Cálculo do pH de uma solução tampão

Rearranje a expressão de K a :

[CH COOH] [CH COO ] [H O  K   a 3 3 3 ]
[CH COOH]
[CH COO ]
[H O
 K
a
3
3
3
]
.
[ácido]  K a . [H O [sal]  3 ]
[ácido]
 K
a
.
[H O
[sal]
3
]

Faça as molaridades de equilíbrio do ácido e da base iguais as molaridades iniciais:

[CH COOH] [CH COO ]

0,040 mol/L

0,080 mol/L

3

3

pH   log (3,6 X 10  1,8 X 10  5  3,6 X
pH   log (3,6 X 10
1,8 X 10
 5
3,6 X 10
 5
pH  4,44
0,080
x
0,040
mol/L
[H O
[H O
 5
)
3
3
]
]

Cálculo do pH de uma solução tampão

TESTE : Calcule o pH de uma solução tampão 0,15 mol/L HNO 2 (aq) e 0,20 mol/L NaNO 2 (aq) . Dados: pK a = 3,37 R.: pH = 3,5

Cálculo do pH de uma solução tampão

TESTE : Calcule o pH de uma solução tampão 0,040 mol/L NH 4 Cl (aq) e 0,030 mol/L NH 3 (aq) . Dados: pK b = 4,75 R.: pH = 9,1

RESOLUÇÃO:

Cálculo do pH de uma solução tampão TESTE : Calcule o pH de uma solução tampão

NH Cl

4

(aq)

NH

4

(aq)

Cl

(aq)

   

H O

2

(l)

 

NH

OH

 

NH

3(aq)

NH 3(aq)  4 (aq)  (aq)

4 (aq)

(aq)

 

NH

4

 

H O

2

 
NH  4 H O 2 H O 3   NH

H O

3

NH

(aq)

(l)

(aq)

(aq)

3

(aq)

   
 

K

a

 

[H O

3

] . [NH ]

3

 
 

[NH

4

]

 
 

pK

 

14,00

4,75

 

9,25 logo :

 

K

 

5,6 x 10

1 0

a 25

o

C

a

a

Cálculo do pH de uma solução tampão

Continuação:

 [H O ] . [NH ]  1 0 o 3 3 K  K
[H O
] . [NH ]
 1 0
o
3
3
K
K
 5,6 x 10
a
25
C
a
a
[NH
]
4
[NH
]
4
[H O
]
 K
.
3
a
[NH ]
3
0,040
 1 0
[H
O
]
5,6
x 10
.
3
0,030
 1 0
[H
O
]
7,5 x 10
mol
/
L
3
pH  9,1

O ácido, neste caso, é fornecido pelo sal, a base conjugada é a própria base, e o pK a é o do ácido conjugado.

Planejamento de um Tampão

  HA  H O H O  A (aq) (aq) (aq) 2 (l) 3
HA
H O
H O
A
(aq)
(aq)
(aq)
2
(l)
3
CA
C
A
(aq)
(aq)
(aq)

Os tampões são geralmente preparados com concentrações iguais de ácido e base conjugada. Nestas soluções equimolares, tem-se:

K ] ] . [A  pH a pK  3 a   [H O
K
]
] . [A
pH
a
pK
3
a
 [H O
3
[H O
a
K 
Logo :
[HA]
]

Como [HA]

[A

], tem - se :

Esse resultado simples torna fácil a escolha inicial de um tampão. Basta selecionar um ácido cujo pK a seja igual ao pH que desejamos e preparar uma solução equimolar com sua base conjugada. O mesmo vale para tampões básicos, mas é preciso lembrar que o ácido, neste caso, é fornecido pelo sal, a base conjugada é a própria base, e que o pK a é o do ácido conjugado.

Planejamento de um Tampão

Para preparar

um

tampão ácido,

selecione um ácido fraco (HA) com um pK a próximo ao pH desejado e adicione sua base conjugada (A ) na forma de um sal.

Para preparar um tampão básico, selecione uma base fraca (B) cujo ácido conjugado (HB+) tem pK a próximo ao pH desejado e adicione seu ácido conjugado na forma de um sal.

Planejamento de um Tampão Para preparar um tampão ácido, selecione um ácido fraco (HA) com um

Planejamento de um Tampão

  A  (aq) (aq)
A
(aq)
(aq)
 

HA

(aq)

H O

2

(l)

H O 3

H O

3

K

[H O

3

] . [A

]

   

a

 

[HA]

 
 
 

 

[HA]

[H O

3

 

]

K

a

.

[A

]

log [H O

3

log [H O

3

pH

pK

pH

pK

a

a

 

 

]

 

log

K

 

]

 

log

K

a

log

[HA]

 

[A

]

log

[A

]

[HA]

 

a

.

[HA]

[A

]

log

[HA]

[A

]

Planejamento de um Tampão

O ácido fraco HA perde só uma pequena fração de seus prótons, [HA] é praticamente idêntico a molaridade do ácido usado para preparar o

tampão.

Do mesmo modo, só uma fração extremamente pequena dos ânions A , fracamente básicos, recebem prótons, logo [A ] é praticamente idêntico a molaridade da base usada para preparar o tampão.

Equação de Henderson-Hasselbalch:

pH pK log

a

[básico]

inicial

[ácido]

inicial

Capacidade Tamponante

Faixa ótima de ação: Faixa ótima de ação: Quando o ácido é 10 vezes mais abundante
Faixa ótima de ação:
Faixa ótima de ação:
Quando o ácido é 10 vezes mais
abundante do que a base,
{ [HA] = 10[A  ] }, o pH da solução é:
Quando a base é 10 vezes mais
abundante do que o ácido,
{
[A  ] = 10 [HA]
}, o pH da solução é:
-
[A ]
[A ]
p H
p K
log
a
p H
p K
log
[HA]
a
[HA]
[A
]
10[HA]
p H
p K
log
a
p H
p K
log
10[A
]
a
[HA]
1
pH
pK
 log
pH
pK
 log10
a
a
10
pH
pK
 1
pH
pK
 1
a
a
pH  pK  1
a

Exercício. Calcule

o

pH

de

uma

solução

tampão

formada por 0,100 mol/L de NaClO (aq) e 0,100 mol/L de HClO (aq) , a 25 o C. Em que faixa de pH este tampão irá atuar satisfatoriamente?

R.:

pH = 7,5 Faixa: 6,5 pH 8,5