Sei sulla pagina 1di 33
ONDAS-II ‘|_| COURSE Biss Vann sponse emt OF fabless ren abe toms Bs prota cote comge o te co ee See cece ete ie Opies ce procan mehonc a ten dt ened edt Ge conan re One Fe nas peo denoevace ix obese reproduc om msc em Sees Bible cries uiaos ce foc ale Or coat srcaanicos cue feetccue pain e ec ee aaa cee fos psn ds acperioc Oy eget nts porn desc fq os nde pot plo coneioe pelos puns sgaiean ems da ees ee ee fod cans cen a Os engabeses mine chicas Conte os farm alador de cin lo som Gos pars, oad as nen silos peace = Antel de Comer ado os, eins sepode Seguin epic "O uc woomts scent 2 Ondas Sonoras ‘Como vimos no Capitulo 16, 28 ondas mecanicas necessitam de um meio materia para se propaga ixistem dois tipes de ondas mewanicas! ondas transversas, nas {quais as oseilagdes acontecem em uma direedo perpendicular a direeao de propaga ‘$40 da onda, ¢ onda longitudinais, nas quals as oscllagées acontecem ba direso de propagagio da onda Neste livro, onda sonora é definide genericamente como qualquer onda fongi- tudinal. As eguipes de prospec¢do usam essas ondas para sondr a erosia terreste fom busea de petréleo. Or navies possuem equipamentor de Toealizagio através do ‘som (sonar) para detectar obstculos submersos. Os submarinos usar ondss sono as para emboscar outros submarines ouvindo os ruidos produzidos pelo sistema de propulsio. A Fig. 17-1 ilustra0 uso de ondas sonoras para visualizar os teeidos mo: Figura 17 1 Bata taterage-cabeyude std sendo examinada com ultassom (gue poss uma frequénciaacima de ‘ssa faina de auc So): uma imazem do Snerior do animal est endo meosrada ‘cm um monitor a drt ds foro, (Mauro FernarilloSPLiPhoto Researchers) 162 capituLo 17 1 Fremesce onda Figura 17-2 Uma onda sonora se opags a partir de uma fonte pon ‘em am msi tklimensional As freates ‘de ond formam esfera com sentzo ‘Sees alos sio perpenuiculanes is fentes ‘eons, As seas de duas caboges rmostram que ox elementos do meio ‘oscilam paralelamente as ries, AVelocidade do Som Meio Veloeidate (avs) Gases ArOO) au Aramey an Halo 965 Hidrogénio 1284 Ligue Agua (CC) 1402, Agm 200) Las A iz Aluminio 6320 ‘Ao 5941 Granivo 000 AC et wn de rests amen ta les dos seres vivos, Nese capftulo, vames nos concentrar nas ondas sonora ques propagam no ar e podem ser onvidas pelas pessoas. ‘A Fig, 17-2 lasta vari ideas que sero usadas em nossas discussbes. O port ‘S representa unit pequens fonte sonora, chamada de fore pontual. que emite 0 ‘sonoras er iodas2s dregcs. As entesde onda e os ros indicam a diego de pro ‘gagoe o egpalhuamento das onda sonoras. Frentes de onda so superfcies nas quai 2s oscilagdes produidas plas ondas sonoras témo mesmo valor: essas superficies Si representadlas por itcuneténcias completayou pareiaisem um desenho bidimensions ‘de urs fone portal, Ratios su retas perpenuiculaes as feces Ue ona qu ina adirego de propagago das frentes de ond, As seta duplas sobrepostas aos ios Fig. 17-2 indicam que as oscilagtes longitudinais do ar Sio paralelas aos ras. Nas proximidades de ums fonte portual com a da Fig. 17-2. as frentes de So exféricas.e se espiarn em tes dimenstes: ondas desse tipo so chamadas de on cesféricus. A medica que as frentes de onda s expandem e seu rao aumenta. acurvat ini, Muito longe da fone. as frentes de onda sio aproximodamente plnas (Ou tas em desenos bidimensionais); ondas desse tipo Bo chamadas de andas plas. 17-3 AVelocidade do Som ‘A velocidade de uma onda mecdnica, seja ela transversal ou longitudinal, depend tanto das propriedades inerciais do meio (para armavenar energi cinética) come das ropriedades eldsticas do meio (para armarenar eneryis poten). Assim, podem generalizara Eg. 16-26, que fornece a velocidade de uma onda transversal em um: ‘corda, eserevendo repre iis Vin V peopriedade increial em que (para oncsstransverssis)7€ tens da conde pa massa espec dacorda. Se o meio de propagacio € 0 are a onda € longitudinal, podemos dedi facilmente que a propriedadk inercial que comesponde a 1 €a massa espectica p do ar O que comesponee, ponds, &propriedade eldtica? Em uma conda esticuda, a energia potencial esté ssociada & deformagto pe sédica dos elernentoy da corda quando a onda passa por ewes clementos. Quando ‘uma onda sonora Se propaga no ar aenergia poiencial extéassociads & compressio « expansio de pequencs elementos de volume do a. A propriedade que determina 0 {quanto um elemento de um meio mada de volume quando € submetido a uma pres~ ‘so (Forga por nid de drea) é 0 médulo de elasticidade volumétrico 8. definido (pela Eq. 12-25) como y ay (etic de aitae de catcdade elms), (17-2) =e aviv cm que AVIV €4 variago relativa de volume produc por uma varagio depression ‘4p. Como vimos na See 14-3, a unidaue de presso mo SI para pressio &0 newton or metro quedrado, que recehe um nome especial © pare! (Pa), De acordo gom £2 Eq, 17-2, 0 unidade de # também 6 0 pascal. Os sinais de Ap e AV So opostos: md aumeniamos a presso sobre um elemento (ou ssi, bp ¢positivo)o volume (AV € negativo),Incluimos um sinal negativo ma Eg, 17-2 para que B se ‘um niimero postivo. Substituind + por Be w por pa Eq. 17-1, obtemos 25 ‘massa especitiap. A'Tabela 17-1 mostra a veloeidade de som em varios meios. ‘A massa especttiea da gua é quase 1000 vezes maior que a do ar. Se esse fosse} © nico fator importante, esperariames, de acordo com a Eq. 17-3, que a velocida4 de do som na gua foxse muito menor qu a velocidade do som no at, Entretanio, Tabela 17-1 most o contrieio, Concluimas (novamente a partir da Ba, 17-3) que o nGduio de elusticidade volumetrico da gua & mais de 1000 vezes maior que o do 6, realmente, 0 caso. A gua é muito mais incompressivel do que 0 ar. 0 que (veja a Ey. 17-2) & outra forms de dizer que 0 midulo de elastiidade volumético da gua & muito maior que o do at. Demonstragao Formal da Equacao 17-3 ‘Vamos agora demonstara Eg. 173 apicando diretamentes leis de Newton. Con dere um palsoisolado de compressio do ar que se propaga dadieita para a esquerda com velocidade v, em um bo como 0 da Fig. 16-2. Vamos escolher um referencial aque se move com a mesma vclocidade que o pulso. A Fig, 17-34 mosiraa situagio do ponie de vista desse referencia. O pulso permanece estaciondtio ¢ 0 a passa por cle com velocidade v, movendo-se da exquerda para a ditcta, Scja pa pressio do ar nio perturbado ¢ p + Ap a pressio na regio do pub. tide Ap & positive devido a compressio, Considere um clemento de ar de espessu- ri Are sevio reta A, movendo-se em diteeio a0 pulso com velocidade ¥. Quando 0 elemento de ar penetra no pulso, a borda dianteira encontra uma regio de maior presso, que redur a velocidade do elemento para v + onde Av um némero negativo. A redugdo de velocidade termina quando a borda traseira do elemento pe- netra mo palo, © que acontece apxs um ntervale de trp dado por are (74) ‘Vamos aplicar a segunda Tet de Newion 10 elemento, Durante 0 intervalo de tempo A, 2 forga mea exerci sobre a boa trassira do elemento é p dirigida para a dieita, ea forga média exercida sobre a face diancira € (p -> Apia. ci para a esquerda (Fig. 17-3)). Assim, a forgaresultante media exereda sobre 0 le- mento durante 0 intervalo Ar é F=pA—(p+ apa APA (lraredene) 7s) (O sinal negativo indica que a forgaresultante que age sobre @ elemento de ar aponta para a esquerda na Fig. 17-35. 0 volume do elemento ¢ Ad assim, com a ajuda da Fg. 17-4, podemos exerever a massa como Sm = pSV= pA dx = pAvSr (nas, (17-6) A aceleragio media do elemento durante o intervalo Ay é av. 0 csr 13 a ero) (ray ‘Acem moxinento (Cesena NDAs 159, Figura 17-3 Um puso de compressio se propaga du dreta para a exer om tum tubo longo eho dear. O referencia «a figura fo escolhido deta forma que ‘pho permancse em epounne oat © move da exert para dicts, a) Um slemento deer de largura xe move ‘em direglo ao pulso coo velocidade ». (B) A bard dianteira do elemento ‘pencira no pulso, So mostradas as Forgas (associa 4 pressao dot) ‘que agem sobre as bors diamteira © 15 capiruLo 7 De acordo com a segunda Ii de Newton (F ~ ma) € 8 Eqs. 17-5, 17-6 € 17-7, temos: -sp a= (pavan 8) aque podem ser eserita na forma, He. (17-9) o (O.ar que ocupa um volume V (= Av) fora do pulso sofre una redhigdo de volume AV (= Advan 20 penetrar no pulso. Assim. AV _ Agra ay ¥ ae ora) Subwttsndo aE, 17-1082 Eq, 17-2na By 179, eos : . eo RU indo v, obtemos a Eq. 17-3 para a velocidade do ar para a direita na Fig. €. portanto, a velocidade do pulso para a esquerd. =B a7) |/-4 Ondas Sonoras Progressivas ‘Vamos agora examinar os deslocamentos ¢ variacdes de press associados a uma ‘ida root conta pn se pnpaje nn ar Fig 12er mnt nn le p= pegaindo pars direts em am tubo Jango chefo de ar. Como vimos no Capitulo 16, lama onda dese tipo pode ser prodkizida movendo senoidalimemte um émbolo na cextremidace esquer do cabo (como na Fig. 16-2). 0 movimento do émbolo para a direta desloca o elemento dear mais proximo e comprimte o ar: 9 movimento do ‘mbolo para a esquenla permite que 0 elemento de arse deslogue de volta para a ‘exquerda e que & pressio diminua, Como cada elemento de ar afta o elemento que fest ao lado. os movimentos do ur para a diretae para a esquerda e as Variagdes Je presso se propagam ao longo do tubo na formas de una onda Sonor. Chnnpreato — Bs 7 ae DNS ‘A pessagem de onda azo — lernento oscilarparaa re [akg TN Sauetteparzadicte, Pica de oii o Figura 17-8 («) Uns onda sonora que se propaga com velocidade vem we Hongo ‘het de ar Ecompet poe vima série de expanatince compresses peribdieas dear que se deslocam go longo do tbo, A onda & mostrada em ur instante attri. b) Una vist horizontal ampliads de uma peguena parte do tubo. Quando a onds passa, am elemento de fede espessura Av oscil para esquerdae para dreta em um movimento harmenico ‘imples ea toro da posigdo de equilfbric, No instante mostrado em (6), elemento Se encontra deslocado de uma cistneia s para adireita da posigao de equilorio. O ‘deslocamento msximo, para. a direita ou para aesquends, € 3. ‘Considere o elemento de arde espessura Ar da Fig. 17~th, Quando aonds aaves- ‘sa essa pane do tubo, o elemento de ar oxcila para z esquerda e para a direita em um, movimento harmonico sumples em torno da posieao de equltorio, Assim. as oscagoes {os elementos de ar procuzidas pela onda sonora progressiva slo semelhantes 2s oxci- lagoes dos elementos de uma corda produvidas por uma onda transvers, excelo pelo ato de que a oscilagao dos elementos de ar € ongitudine! e no transversal. Come fs elementos da cons oxcilam paralelamente wo eixo y. escrevemos os deslocamen 1a forma y(x. 1), Por analogia, como os elementos dear oscilam paralelamente 20 snes, poderfamox escrover on deelocamentns na forma sly.) entmtanta, para ovilar ‘confuso da Fungo x com a varidvel x, vamos usar a nOLICEO s(x. 1. ara representar os deslocamentos 31. ) como fungdes senoidals dex e de ‘poderfamos usar uma fungio seno ou uma fungdo casseno, Neste capitulo, vamos ‘sar uma fungo cosseno., escrevendo S60) = Sq c0s(hor = an). (i712) A Fig. 17-5« identifies varias partes da Ea. 17-12, 0 fator s, &@ amplitude do deslocamento, ou seja. 0 deslocamento méxime do elemento de ar em qualquer sentido a partir da posigdo de equilfvio(veja a Fig. 17-46). O niimero de onda ky a frequéncia angular w, a frequéncia fo comprimento de onda A, a velocidade v € 0 periodo T de uma onda sonora (longitudinal) Sio definides do mesmo modo ¢ obe ddeccm as mesmas relagtes que para uma onda transversal, exceto pelo fto de que agora A é distincia (na diresio de propazagdo) para a qual 0 padrio de compres- sBes.¢ expanses associado & onda comesita se reper (veja.a Fig. 17-4a). (Estamos supondo que s, € muito menor do que A.) Quando 2 onda se propaga a pressto do ar em qualquer posigio xda Fig. 17-4 varia senoidalmente, como seri demonstrado a seguir, Para descrever esa varias, Apla.t) = App sens ~ oH). (073) ‘A Fig. 17-Sb identifica as varies partes da Eq, 17-13. Um valor negativo de Ap na Eq, 17-13 corresponde a uma expansio do ar: um valor positive, a uma compress. 0 fator Ap, €a amplitude da pressio, ou seja, 0 maximo aumento ou diminuico de pressto associado & onda: 3p, é normalmente muito menor que a pressio p na auséneiu da onda, Como vamos demonstrar, a amplitude da pressio Ap, esté rela- cionada & amplitude do deslocamento s, da Eq. 17-12 através da equagio Am = (1700) arts) A Fig. 17-6 mostra os griflcos das Eqs. 17-12 € 17-13 no instante = 0: com 0 passa do tempo, as duas eurvas se movem para a diteita ao longo doeixe horizontal. Note que 0 deslocamento ea variagio de pressio exiio delasaos de 7/2 rad (90°). Assim, por exemplo, a variagdo de pressio Ap em qualquer ponto da onda € nula no instante em que 0 deslocamento é maximo. reste ‘Quando o elemento de ar oscilante da Fig. 17-4b est passando pelo pomto de destoca- rmenta malo (poet de equifbie), 2 presso do elemento esti comegando a suena o¥ ccomegando a diminsir? Demonstragao das Equagdes 17-13 ¢ 17-14 ATi. 17-¥ mosa um ckemente dear eeilante de sox oe espera An, com o ‘ent dslocado de uma distancia sem relasto &posigdo de eauilbrio, De acordo com 12, 17-2, podemos eserover par a varagho de presséo do elemento desloeado, aStocamente Apa Shy oot Amp Figura 17-6 (a) A funsio Seslecamentoe (b) a fang variagao de ress de ws onda sonar progres to um produto de dois fore: uma mplitode e um terme ost. ie, P\ 1-0; Figura 17-6 (a) Um grifico da funcio per- corrido pela onda gerada pela Fonte; € maior de que 0 eaminho L, percorrido pela ‘onda gerada pela fonte S.A diferenca de pereurso significa que as ondas podem aio estar em fase no ponto P. im outras palavras, a diferensa de fase d no ponto P depende da diferenga de percurse AL = |L: ~ |. Para relacionar a diferenga de fase & a diferenga de percurse AL, levamos em conta fat de que, come foi visto na Segao 16-4, uma diferenga de fase de 2 rad corresponds « um comprimento de onda. Assim, podemos exerevere rage piel ah (1720) que mos AL on tban (1721) A imerferénca totalmente construtiva acontce sed é zero, 2=-ou qualquer miko Inteico de 2r- Podermox excrever essa condigio na forma = mm), param = 01,2... (netrnatoa comensivoy. De acordo com a Eq. 17-21. isso acomtece quando a razso AUA 6 1.2... (nerfs ramen esa (723) Assim, por exemplo, sea diferenga de pereurso AL ~ | ~ L | da Fig. 17-74 624, AWA = 2 as ondas sofrem interferéncia totalmente consteutiva no ponto P (Fig, 17-76). A imerferéncia é totalmente consirutiva porque a onda proveniente de S, ests i | im) a ‘Vamos considerar primero a situagio na qual D esti parado (Fig. 17-19). No Infervalo de tempo 1. as frentes de ona percorsem uma lietincin para dinrita © ‘nimero de comprimentos de onda newa distancia v7 € 0 nimero de comprimentos de ond interceptados por Dno intervalo fesse nero € wh. taxa coma gual D imercepta comprimentos de onda que € a frequenciafdetetada por D,€ z. (17-48) ‘Ness Stay, com parado,naoextte efi Dopplr: a requencta detectada pelo detector Dé frequénciaemitida pela fone F Vamos considerar siuago na qual D se move no sentido opos a0 do movi- mento das frentes de onda (Fig. 17-20). No intervalo de tempo as frentes de onda percorrem uma distncia v1 para a direit, como antes. mas agora D percorze uma distancia vps para a esque. Assim, nese interalo fa distinc pereorida pelas frente de onda em relagio a Dé vt + v2. O mimeen de frentes de ond nesta dis ‘Gncia relativa vr + vj€o nimero de comprimentos de ond inereeptades por D 20 tervalo 1 €€ dado por (4 + pA. A taxa com a qual D imescepta comprimentos 4e onde nessa stuagio & a frequéncia’, dal por 1 Qt wail vt yp f ¢ q De acordo com a Eg, 17-48, = vif Assim, a Eq. 17-49 pode ser esrta na forma + tv» ag ce Observe que na Eq. 17-50,” > fa menos que ¥» = 0 (ou seja, a menos que o de lector esta parado). ‘Podemos usar um acioenio semelnte para caleular a fraquéncia deteetada por D quando D esté se afastando da fonte, Nesse caso, as frentes de onda se movem uma distancia vf ~ g/em eolagio a D no intervalo ref” & dada por tet: Na Eq. 17-51," < fa menos que vy = 0. Podemos condenser as Eqs. 17-50 ¢ 17-St na equagao (17-49) (17-50) (17-51) F=F TE strem evince foe paran- (17-82) Fonte em Movimento, Detector Parado Suponha que o detector D esté parado em relagio 2 massa de ar e a fonte F esté se ‘movendo em dire;io a D com velocidade v (Fig. 17-21). O movimento de F alters ‘© comprimento de onda das ondas sonoras que a fonte emite e, potanto, « frequén- cia detectada por D. Para compreendermos por que 180 aconteve, vamos chamar de T(~ If) inter: ‘alo de tempo entre a emissio de duas frentes de oncia sucessivas, 0, € Ox Durante o intervalo Ta frente de onda O, percorte una distincia v7 ea fonte percorre ums. istincia v,T. No fim do imervalo 7-2 frente de onda 0,6 emitida. No lado para onde F esté se movendo, a distincia entre O, © O,, que € o comprimento de onda das ‘ondas que se propagam newsa diregdo, €vT — vyF. Se D detecta essas ondas, devecta v= vail (17-53) - “fll Figura 17219 As frenes de oni, 4a Fig. 17-18, suposias plans, (a) leangem e(H) passam por um detector ‘tacionério D: elas percoem uma distancia vt para adirita no itcrvalo de 4ab estan para a dice (a) ateanca « (b) passam pelo detector D. que se pve mo sentido oposto. No iatervalo de tempo 1, ents de onda percorrem ‘uma distocia para adie © D pereorre uma disineia vs para @ exquerd. 170 CAPITULO 17 Figura 17-21 Um detector Destt parado-e ura fonte Fse move em ‘insgao an detector com velocidade vA frente de onda O, fo eta (quando a fonteestava om F, frente de onda O. quando a Fonte estava em . Noinsantecepresentado,« fonts ests em FO detector prcebe Frewwéncia maior porgu a font ‘movimento, persegundo suas prprias Freotes de onda. emite ums onda com tam comprimento ds ond redurido N’ J menos que vp = 0. ‘No lado posto, o comprimento de onda A’ das ondas € v7 + vj T. Se D detecta) cessag onda, detects uma fequéncia f" dada por (17-58) Na Bg, 17-54,/’ dia Py. Emi um segundo experiment, dua ondas sonoras igus 2 primeira so produzidas simulianeamente no tubo com ur di- ferenga de fase ie 0: 0.2 ou 0.5 comprimento de onda, (a) Sem farcredleulos no papel, ondene exes valowes de d de acordo com {axa média com a qua! 63 ondas tansportam cnespia em ordem eerescente (b) Qual 2 taxa min em ermos de Py Pao p= ‘cto valor de £2 Ma Figs 17 2's duns fontenpootunia Fi « F5 que enie om face, temitem onde sonoras igusic de comprimento de onda 2.0 m. Em termes de comprimentos de end, qual € a dfernga de fae entre sondas que chegam a0 ponto Pe (a) L, ~ 38 me Za = 34m, (b) 1, = 39meL, = 36m? (©) Supondo ques disténcia ene as fomes muito menor que L, que ipo de nterferocia ocore no ponto Pras stages (2) (09? Toaatg —— Figura 17-24 Pergunta2. {9 Na Fig, 17-25, ts tubos longos (A, Be C) esto ches de gases submetidos a pressdes diferentes. A razdo entre © méulo de cl ticidade veluméiico e u massa espeetica est iad para cada ‘2éscm termos de um valor de referéncia Bypy. Cada tubo poss ‘um émbolo ra exemidade exquerda que pode produvir ur pulso ‘no tubo (como ma Fig, 162). Os tés puss so produzides si rmultanesmente, Ondene os t3bes de cord com o tempo de chegads dos ‘ulus exiemidade dire sberta {oe tubos, em ordem crescent, 4-0 sexto hurrnGnico & gerado em ‘um tubo, (2) Quantas exiemidades abertas 0 tbo poss (0 tubo deve ppossuir pelo menos uma)? (b) No ‘mio méaio do tubo existe um nd ‘um antioé ou um extado intermedi- seio? 5 Nafig. 17-25, otuho A Scoloca {do para osilar no tereeiro hanmd- nico por una pequsns fone soars mera. 0 somemitidonaextremi- Figura 17-25 Perpunta 3. dade diets Fa ressoue quatro rabox primis, cada tm com apenas ‘um exireridade aberta (os tubos ado es desenhados em esca, ‘O tube # oscila no modo fendamentalo tubo Cn0 segundo harms ‘ga, tas D no teceitaharmnicoe 0 rabo H no quarto hem nico, Sem executar edlcles, ordene os cinco robes de acordo com seus comprimentos. em ordem decresceme. (Sugestio: deseahe 3s ‘nda extcicndrias em eaalae, em veguide, desenhe os tabon )) Figura 17-26 Pergunta 5 © O tubo tem comprimento £¢ uma extremidade aberts. O tubo B tem comprimento 2 eas dus exiremidades abertss. Qua har- rxnicos do tabo tem Frequéacias ipuas is requtncias de resso- nincia do bo A? 7 A Fig. 17:27 more wins Cone Samm movimento que o com umacerafrequéaciac quauo detectores dc som estacionstios. (Ordene os detsetores de acordo com a freguéacia do som que de fectam, da maior para a menor. Figura 17-27 Persunta7. £8 Um pessoa fica na borda de tts carrossis, um de eada ve segurando ura fone que emiteisxropicamente sons de uma ea rope A eaten pete pve tr crv ators dos carosstis varia com o tempo por causa da rotagio dos carro sis, A vatiagio da frequéncia paca 0s its carosss esti plotoda em fungdo do tmapo da Fig. 17-28. Ordene a cureas de scordo (a) ‘com a velocidade linear ¥ da fonte sonora, (b) com a velocidode angular « do carossel ¢(¢) com o rao r do carrocel, em ordem decrescente, Figura 17-28 Penguns 8. {9 Quatro das seis frequéneias dos harmnioos abuixo de 1000 He de am certo tubo s30 300, 600, 750 ¢ 900 Hz. Quais so as das Feyuénciag que esto fata Tis? 10 A Fig. 17-29 mostra urna cords estieada de comprimento Le tubas., b, ced de comprimentos £22. ¢ 1, respectvamen = _ Onis de pons indo aru de ace do proba BO aS we ONDAS-| 475 te. A tensio da coma €xjustada a6 que a velocidad das ondss na ‘onda sea igual 3 velocidade do som no ar, em seguida, © modo fandameatal de oxilagio ¢ producio na cord, Emaue tbo 050m era pola corda produr ressonineiae qual é 0 modo de ocilagio coxresponderte? Figura 17-28 Pergunta 10. “9S oonagasaconas sper em 0 co Vado ch Pee See Unk LTC; He ore, 208, Use 0s seguintes valores nos problemas, a mevos gue seen forex ides euros velores: velocidade do som no ar: 343 vs pase epection dar 1.21 kph? Sevlo 17-9 AVelocidade do Som +1 Doisespectadores de urna partida de futebol no esto de Mon Iie voem¢ depois ouyem urna boa ser chutad no cannpo. O ten Je retardo para 0 espectaer A 6 0.23 s€ para oespectdor B é 0.12, Aslinhas de visas dos Jos espectadores a0 jogo que chatom 2 la Caren Sngule de MPA que dietncis ds jogador ‘xt @) 0 espectadr Ae (b) 0 expectador B? (@) Qual éa disci centre 05 dois espectadones? +2 Qual €0 moto de clastcidade volumetric do oxigénio se 32 £88 oxigenio ocupam 22,4 Lea yelociade do som no oni & 317 mis? +3 <= Quando 3 porta da Capets do Mawsoléu, em Holton, Bscoeia. ¢ fechada, o win eco ouvido por uma pesso8 gue es ards da porta, no interior da cape, ccorte 15 » depuis (a) Se esse ‘eco se devess a uma nia efleto em uma pare em fered por ta, aque distincia da porta estaria essa parede?(b) Como pared, na verdade, esta 25.7 m de distinea, 2 quanta refledes (pura & fieatee para tris) coresponde 0 hima eco? ma coluna de soldados, marchand a 120 passos por minuto, segue ortmo da bacda de um tambo que €tocado na frente da ene Juma. Observa-se que os dimes sokados da cola eso levantundo ‘op exquerdo quando os primeiros sokdodos esto levantand 0 ps iit. Qual € o comprimenco sproximnado da coluna’ "5 Os teremotos ger ondas sonoras no interior da Teer, Ao contriro de am gi, a Terra pode transmit toto ons tranwver- ‘sis (S) como andas lonpitudinais (PI. A velocidade des once $ & da ondem de 45 kmvs ea das ondas P& da ordem de 8.0 kavs. Ua, sismégrafo registra as coda Pe S de un teremoto, As primias ‘ondas P cheyamn 3,0 min antes das primeieas ondas 8, Seas ondas ‘se propagaram em linha rea, a que dstincia ocomreu 0 taremote” “6 Umhomem bac com um mateo poeta de um barra delgada ‘A selocidade do som nabarraé 15 vezes maiet ques velocidad do son noat Uma mulher a oura extend, conno odo pine dra esata 0 som da pancada das vez, com am interval de U2 um som vem da bara eeu vem do re tr da Bar. Sea velocidad do som no a €343 as, qual €o correct da bar? {ma peo eaesada cay em um pogo U som prodezdo pa pes uo se chacar com agua €ouvido 3.00 « depois. Qual € x Drofundidade do pogo? AF O ej chrolace unt. Boe com un cer ma pate incrnade uma xicaracom Sguaguente pres tengo a feqat- af do som, Aerscete uta colher de np de choclate” 9S boca wove etpitao experiment engaanto mee oiuido. A Princo a nova Teguénel J € menor poi pegaoncs hols dea literadas pelo ps diminoem o valor do milo de elasicidae de solumetico da ga Quando as boss chesam 8 sapere da pane desaparecenn,afregutnea volta 49 valor original. Eg {© oefevo dus bolas ne modificam upreciavelmente amas ‘specfica nem a volume do guido: limit se aera ovale de Vip, ou se, ata de varied volume ho id causa pela ‘aiage de pressio assoiada is ondan sonora. Se ff 0333, qual ovale da rani apysa ap)? ‘Seco 17-4 Ondas Sonoras Progressivas +9 Se a forma de uma onda sonora ue se propaga no are 4350) ~ (60m) cos(kx + (300 rads + 4). {quanto tempo uma mokéeula de arno caminho da onda eva para se ver entre os deslocamentos «= +2,0ame# = ~2,0 nem? 210 KS Maso consada peta dua. Ua das informagies wsadas| pelo eérebro hamano para determina a localizagio de uma Fonte scinoet 62 dferengs Avene o instante em que um scm detectado pela ouvido mais proximo da fonts 0 instante em que dctectado flo out ouvido, Suponh que «fonts eat sufcietcmente cit {ante para yue as Feates de onda sejam praticamenie planas. soa Da distancia entre os ouvidos. (a) Se a direglo da fonte faz um ilo 6 com uma perpendicular ao plano do rosto (Fis. 17-30). {qual €0 valor de Arem termos de De da Velocidade ¥ do som no rb) Se ume pessoa ens debaivo d éguac afoate esti exatarnente 2 cireta, qual 0 valor de Ar-em termos de D e da velocidade v, we cariTuLow do som na deua’ (c) Com base na difereng A¢ 0 ofrcbeo calcula crroncamenie qe a direcio da font faz um Angulo W & 90° com uma perpendicular 0 plano do reste. Determine 0 valor de para figua doce a 20°C. Figura 17-30 Problema 10, 1 Umaparlho de ulassor, comuma freuéncia de 4.50 MI, <¢usado para examinartumores em tesidos moles. (a) Qual 60.or- primento de onda moar das onda sonars produzids plo spatelho? (Se a yelasidade do som no corpo do paciente€ 1500 mvs, gual {0 comprimento de onds das ondas poduzidas pelo aparelho 99 corpo do paciente? 12 A pressdo de uma onda sonora progressive dada pels equa- sto 9p = (30 Faysen zf(aswoR yx ~ (S198, Determine (a) a amplitude, (b) a frequéncia (c) 0 comprimento de onda e (2 velocidad ds onda 18. Urna onda sonora ds forma y = 3, cosike — ot + #) se pro- ppiga a 343 mvs no ar em um tubo horizontal longo. Em wm cero instante, « moiéeula A do ar, situada no ponte x = 2.000 m esti ‘com deslocamento méiximo positive de 6,0 rane a moléeuls 8, ruada em.x = 2,070 m, est com vm deslocamento positive de 2.00 nm. Todas as molévulas entre A € B esto com deslocamenios| Intermedirios. Oval 6 fequdncia de on? +014 ARg. 17-31 mos aleitura de um monitor de presséo mon- tado em um pooto da trajetria de wma onda sonora de uma 86 tre- ‘quéncia,propagando-se a 343 mis em um ar de massi especifca hhomogénea 1.21 kg/m’. A eseala do eixo vertical ¢ definidx por Ap, = 4,0 mPa. Se a fungio deslocamento da onda € s(x) ~ 4, cos{et ~ wt, determine (a) 4, (b) Ee (6), Quando o a €res- ‘ado, mane especifica aumotta para 1,35 kglm« a valocklade ‘da onda sonora diminui para 320 nv. A Fonte emit uma ood com mesma frequincia e a mesma pressio que anes, Qual € 0 n0V0 valor () de san (e)dek ©) de? el PAREN = = Figura 17-31 Problema 14, 15 <3 O Som de hater de palimas em tm aniteato prod ‘ondas que so espalhadas por degraus de largura w= 0,75 m (Fig. 17-32), © som reioma ao paleo come uma série regula de pulbos, ‘que soa come uma nota musical, (a) Supondo que todos os alos ns Fig. 17-32 so hovizontas,detcmine a frogeéncia com a gual plsos chegam ao paleo (ou soja, a frequéneia da nota ouvida siguem que se encoatra no paleo). (0) Se alargura w des foxse mence. a frequéncia seria maior 08 menar? Figura 17-32 Problema (5. Socio 17-5. Interferénci 16 Duas onda sonors,prodasidas per dass Fontes iferenes de ‘mesmnafrequénca, 540 Hz, se propazam na mesma diego © no ‘mesmo sentido a 330 mis As fonts x30 em fase. Qual 6 diteren- {de fave das ora em um panto que ests 4.40 m de ma font $64.00 mda outs? S117 S9= Dat sltotaantes esto separados por uma distant ‘403.38 m em uum palco ao ar livre, Um ouwinte esta 8,3 m de um dovalto-falantese 19.3 m do ouvo, Durante texted soem. 2° ‘dor de sina alimenta 09 dois at flants enn as cn sal de mesma amplitude efrequencia. A fequéncia transmit varia 30 Jongo de uaa faixa aude) (20 Hz a 20 HY). (a) Qual & menor freguéncia, fy, para aquala intense dosnal émninima Ginerfe- ‘éncia destrtva) na posi do ouvint? Porque MUAY fan Seve ‘cr multplicada para se obtcr(b) segunda meno fegu2ncls oa. ira. qual sina € minimo¢ (e) a tereira menor fequéacia fons. prs qual o sina € maine? (@) Qual 69 menor Keq¥encia, fo pra qual sina € maximo Gnirferéncia constatva) na poxigao Ao cuvinte? Porque nimero fa. deve se malipicada par se ober ()8 segunda menor frequénci. fog, PATA a qual o sna é maximo © (a ierceira menor frequbncia, fn, fora. qual o inal é maximo? 18 Na Fig. 17-33, as endas sonora 4 e B, de mesmo comp: mento de onda . esto incialmente em fase se propagam para a asi, com indicam os dots ralos. A unda 4 €refekda por quatro superficie, mas volta se propagarna directo eno sentido original © mesimo acontece com os B, as depuis de ser reletda por apenas dvas superficie. Supoaha que a distincia Lda figura € um sndkiplo do comprimento de onda A: = gh. Qual € (a) 0 menor e (©) osepundo mener valor deg para o qual A 2 Bestiocm oposigie de fase apds as relexdes? Figura 17-33 Problema 18, 19_A Fig, 17-34 mostra das fontessonorss pentusisisotrpicas, F eF,. AsTontes, que emitem ondas em fase, de comprimento de A= 0.50 m. esto separadas por ura distincia D = 1,75 m. um detector € deslocado av fonzo de uma grande circunferén- jo rai € 0 poato mado ene as Fontes, em quanios ontos as ‘chegam 20 detastor (a) exstamente em fas @ (b) Som fase —— fw 17-38 Problemas 19.¢ 105. 20 A Fig. 17-35 mosira guste Fontes sonoras ponuaisisotrs- cs uniformements espagadas a0 longo dé um eixo x x Fontes fem sons de mesmo comprimiento de onda Ae mesma amplitude cestioem fase, Um ponio Fé mostaloselne oeixo x Suponta «quando as ondas se propagam até P, a arplitade se mantéen jcamenteconstanie. Que milo de , corresponds a ampita- da. onda resultater Pe ads f mostrada na figura (a) 4 (0) MBC (CIA? eee jgura 17-95 Ftc 20. +21 NaFig. 17-36, dois alto-alantesseparados por ura distincia| i, = 200 esas em Rise, SUpORIEL que 8 PAU gas ods ‘sonora emitdas pelos alo-falanes Slo aproximadamente igus para um cuvinte que se eniconeadiretamente frente doalto-falte da drvta uma distancia d, = 3.75 m. Considere tod a faixa de avdixio de um ser humano acenal. 20 Hy a 20 kHz, (a) Qi menor [ro venci, fg Para a qual intensidade do som interfertncia destruiva) na posiczo do cuvinte? Por que aero 4 Tlequtaciaj., eve ser muiplieada para se ebter(B) segunds meno froqué ici. fag pra a qual intensdade do som & minis, (c)aterceira menor frequency» PAR gual a itensidede do som € minima? (d) Qual €a menor Fequénci, fg, paeau gual intensidade do som & maxima (intrferéncia coasrutiva na posi docuvinte? For que mimero jag, deve ser multipicada para se obter (c) segunda menor frequtneda fp qual a itensidade do uur nxn © a erecta Intensidade do som & maxima’ iy Nera Owsinte Figura 17-86 Problema 21 +22 Na Fg. 17:37, um som com umcomprimento de onds de 40.0, ‘emce propega para adsita através de um tubo ge posse Dix fureagdo. Ao chegar 8 bifureaco, a onda secvide era dass partes, ‘Uma pare propaga em um tubo em forma de semicireanferéneia| «¢aovtra se propaga em um tubo retilinco. As duas ondas se com- binam mais ada, interferinéo maceamente antes de chegarem ‘um detector. Qual € © menor aio r da semicircunferEncis para © ‘qual a intensidade medida pelo detector € minima) ONDAS- 77, a Deer Figura 17-37 Problems 22. 1-23 A Fig. 17-38 mosira ds Fontes pomtais FF: aue {em sons de eomprimento de onda A ~ 2,00 m. As emissdes 20 isomspicas¢ em fase: a disncia ente as fomtes & d = 16.0 m, in qualgucr yonto P subve o eisy sa vias prelucilas yt oF, interfere, Se P es muito distance (x= =). qual & (a) ad Ferenca de fase emir as ondas produzida por F,¢ F.€ (0) 0 ipo Ue intereréncia que as ondas prodarem? Suponha que o ponto P & deslocado a0 longo do eixo x em direcio a Fc) A difeenca de ese ene as onds amenta ou dimina®? A que distancia x da ‘origem as ondas possuem uina difercnga de fase de (€) 0.504, (2) 1,004 ech 1.80? A Figura 17-38 Problen Sogo 19-6 Intensidade e Nivel Sonor +28 Uma discussio comoca acalrads, com um nivel sonore 70) 4B, mayo nivel cai para 50 dB quando os imeslocuores se calm ‘Supondo que a freguéncia do som € S00 Hz, determine aintensidede ()inicial e(b fina ex amplitude (c) nical e (4) final das ondas +25 Uma onda sonora com uma frequen 300 Hz tem uma in- tersidade de 1,00 uWin!. Qual é a amplitde das sciages Jo ar «ausadas pela onda? +26 Us fnte pont de 1,0 W emite ondas sonoresistropica- mente, Supondo que a energia da onda é conservada, determine & fatensidade (a) a 0 me (b)a 2.5 m da fonte, +27 0 nivel sony de un forte € sumentago em 300 a. Por ‘que fair & multiplicada (a intense do som e (b) amine dla pressdodo ar? +28 A diferenga ene os nivelssonoros de dois sons 1,00 dB. ‘Qual éa rao entre a imensidade maior aintensidade menor? +29 Us fone emite onda sonora isctropicameme. A itensida- se das onda 2,50 m da fonte€ 1.91 X 10~ Wit’. Supondo ave oepia da on &conservada, determine a poténia da fone +80 fonte de ua onda sonora tem uma poténcia de 1,00 W. ‘Se afonte poniua, a) qua éa itensidade & 3,00 m de distncia €(h) qual €o nivel sonoro em decibéis aes distinc +31 <9GF Ao’estalur” ums junta, Yoo alanga bruscamente a cavi- dade da articulacdo. aumentando o volume disponivel para fukdo| invvial ue insti © couse v aisevineny sity Ge wna bo Tha de arno fludo. A producto sta da bois, chamads de “cai ago”, produz um pulso sonore: 0 som do exalo, Suponhs que 0 ‘som ransmitido uniformemente cm ial ac cries» ue Foe ‘completamente doinierior da anialagdo parso exterior. Se o puso tem um nivel sonoro de 62 UB no seu ouvido, esti a taxa com | qual a energia & prod pea eavitago. we capirutow7 +32 S9F Osouvides de ypronimatamente un treo das pesos ‘Som apie real ene comtinwamente am som de basa i temside através do canal auto. Uma pessoa com essa emia toacitica expontines rarementa tem consciéncia do mn. NCC to talver em um ambiente exiemamente slencioso. mas is vere ‘a emissio € sulicientemente ints para ser pereebida por out ‘ess. Em unit obeervagio, a onda sone tna wma fregucuc (de 1665 He © una amplitede de pressio de 1.13% 10 ' Pa. Qual far (a) ampli ds deslocamontns (hb. ntensisoe it ond ‘emit pelo ouvite? +33 <¥F O macho da dhtouro, Rana catesbelana, ¢ conbecilo pelos ruidosos gritos do acasalamonto. © som no & emitdo pels boca da a, ms pelos timpanes, que estan na superticie da cabesa, ‘Srpreendentemcate, o mecanismo nada tna ver como papo inf de da Se. som emiido possi uns requéneia de 260 Hz eum nivel sonoro de 85 JB (perio dor timpanoy), qual € a amptiude da ‘seilagso dos imps? A massa esgecicn doar § 121 keh +26 Doas fontes sonoras A ¢ B na atmosfers emiter isoropicae mente com potincia constants. Os niveissonoros i das emissdes ‘esto plots a Fig, 17-39 en Fungo da distancia r das Contes ‘A escala do eito Vorticalédefinida por 6, = 85.068 ef. = 65.0 ‘08, Para r= 10-m, detemine (a) a vp ene a mare menor potencla¢ oy user ese am nies ons das emo pea Figura 17-39 Problema 34. ‘38, Una fonts pontualemite 30.0 W de som sropicament. equcto microfone intercepts o soen em ama énea de 0,750 cr 2) m de distncia ds fonte. Calcul (a) aetensidade sonora ess penigsee (6) a poidacisinterceptadn pets oiomfnen $96 SIE Conversas emt fests. Quanto maior mUmero de pes ‘sous prsentes em ua festa, mais yoo precisa levanlara ou para ser ouvide, por causa do ruido de findo dos outros participames. Eniretanto, depois que esti gritando a ples poles a dia or- na dese fave ouvit€aprosimar-se do intrleewor, vaca sei ‘spac pesseal”. Models a Siuagdo subwituindo a pessoa que et Falauds jo uma forts sonora iotpia de potGncia na #86 inl por um ponto Q gue aorve paste das enidasconoras. Os ons {0s P ¢ esti sepurados inicialmemt por uma distinciar, ~ 1.20, ‘a, Seo uido de fundo oumenta de AB ~ 5 dB, o nivel do som 9 posigdo do ouvinte tants deve aumenar. Quit éa nova distineia 7 necessra para que a conversa possa prose +++27 Uma fonie pro uma ends sopots senoidal de fey angular s00U 50/6 € amplimde 12.0 mem um tebo com ar. Osi interno do tubo & 2,00 em. (a) Qual & a taxa médig com a qual (soma davenergias cinéticac potencial) & ransporeada ps a cviremidade oposta do tubo" () Se, a0 wesma tempo, um ot jgual se propzpacm um tubo vizinho gual, qual € taxa mda ola ‘coma qual a eneria¢tranportada pelos ondasparaa.extremidoce ‘posta dos bos? Se. ct ver disse, as dus ondas so produrides| i smulaneamente ao eno tubo. qual €w taxa media wt com que a enein €ramsporaada quando a diferenca de fase entre as nds (6) 0, (4) O.4Dr rade (eh rad® Seeéo 17-7. Fontes de Sons Musicats +38 (0 nivel de égua em ium tubo de vidro vertical com 1,00 m de -comprimento pode se ajutado em qualquer posi dentro do tbo, ‘Um dhapasio vibrand a 686 Hi é mansido acima da extremidode sheets de nibs pars gvar ena onda sonora eslscionsria ma Dare supztior do tubo, onde existe ar. (Essa parte superior cheia deaf ‘Ss comporia como um tubo com urna extremidade abena¢ a oar fechads cay Para quanta ponies diferentes do nivel de dvs. 0 ‘om do diapasio produ uma ressonincia na parte do tubo chsia de ‘a? Qual €(b) a menor altura ee) 2 segunda menor ahora da no cb paras quaisocorre reson? +99 (a) Determine a elosidade das ond» em uma cordade violin ‘cot $00 mig de mages ¢ 22.0 em de compriment sea frequen fundamental é 920 tz, (8) Qual € a tensi da cords? Para 0 modo fundamental qual 6 0 comprimento de onda () das ondas na.cora (4) da onda sonorasemitidas pela cor? *A0 abe de ces A, com as das extremidades aber, tem wna frequéncia fundamental de 300 Hy. O versio harmnnice do who ‘de orga 8, coms uma extrema abet, etnies equi ‘que o segundo harmboico do tubo A. Qua 0 comprimento (a) do tubo A edb) dotwho B? ‘a Uma cont de viaimscun 19.0 aide onapniunatoe anda cxtremiadesfinas oscil no modo ~ 1. A veloeidade das ondas ‘a corde £250 m/s a velockdode do som no ar € 348 mys. Qual é (a). fequéncia ¢ (6) o comnprinento de onda da onda sonora emi sid 142. Uma onda sonora que se propaga en um meio Duke é eft ‘em una barrera, gue leva & formas de ura onda estacionscia. ‘Adistincia entre ndn €3.8.em ea velocidade de propapagao 1300 ‘ns Determine Freguéncia da onda sonora. +43 Na Fig, 17-40, F € um pequeao altofaante alimentado por um oseilador de dio eom vin froquéacia que varia de 1000 He 112000 Tye D & wm tubo cilindrico com 45.7 em de comprimen-| jo es duss entremiladesaberis. A velocade do som no ar do interior do tubo € 344 mv, (a) Pa quanta frequfncias o som do stofalame prodi essondnca no tubo Qual €€b) 3 mcnore (ea sezunda menor frequeneia de ressoninsia? 4 Figura 17-00 Problems 43. 288 CRE A cris do crani de um dinossauro Parassaurolof ‘contin ums pasagem nasal na forma de um tubo longo e angie ano asi su uuos extcmiladcs, dinesseuro pode ter woo a] ppescagem para prodizir sors no modo Fundamental do tubo. 3) Sea passagem nasal de um fei d= Parassaturifo ter 2.0m ‘oinprimentn. qe froqubncia cra produria? (b) Se ese dinosssu to puidesse ser clonado (como em Jurassic Park) ura pessoa com ‘uma eaparidade uditiva na faina de 60 Hiza 20 kltzpoderia oni ‘one modo fundamental? Osom seria de alta ou de baa frequéaci Cris fdssis com passagens nastis mais curtas so arbuidos a Parassauroofosfemess.(e) so toma fequéncia damental da ‘emea maice oa mener que ado macho? +45 No tubo A a rardo entre afreauéncia de um harmo © a frequéncia do harménico precedente £12. Nowbo Ba rariocntre 4 frequtncia de um harmnicn ea frequéacia do harmonico prooe- dente € Lot. Quanta extemidades eberias existom (a) no tubo 4 & (b) no tubo B *-86 Owl A, yucicin 1.2m deeousprineu casduasertcn dadesabertas oscil a tersiafrequéncia harménica.Esticheio de af, no qual a Velocidad do som é 348 mvs. O tubo 8, com uma das ‘exiremidadesfechada. oscil na segunda fequGncia hamGnia, A frequéne de oseilagio de B coincide cm a de A. Um exo x e0in- ide com o cio do tubo, com x = O na extremidade fecuda, (a) Quanton ndvexsiem no ino x? Qual €(b) 0 menor (e)osezundo menor valor da coordenada 1 desis n6s? (8) Qual € fsgucncia| fundamental do tuho B2 +947 Umm pogo com parce verticals € Seu no fundo resoa cr 7,00 Hz ¢ em nenhuma cutra frequéncia mais baixa. (A parte do poyo che dear se compet como um tubo com uma extemsidade fechada ¢ outra aberta.)O at no interior do poco tera uma mass especiica de 1,10 kg/m’ ¢ um mide de elasteidade volumetico 1601.33 % 10! Pa. Aque profungutade esa a supernce os agus? +48 Uma da frequénciasharmyinieas do tubo A. que posse exiremidades abertas, €325 Hz. A frequéncta hurmdniea se- ne # 90 Hz. (a) 6 a eens harmon Ye se Segue A feguénci harmdniea de 195 Hz? (b) Qual & nmero dese hat= ininico? ‘Uma da froqudncias harmonies do tho 8, com apenas a [das extremidades aberta,¢ 1080 Hz. A frequéneia harmonica se- suinic 6 1320 Hz (c) Qual éa frequéncia harmonica que se seue 4 fraquéneia harmdnica de 600) Hz? () Qual & 0 aimery dose arronico? *+48. Una corda de voling de 30.0 cm de corprimento eo un massa espeitica linear Ue 0,680 g/m $ colocada peto de um alt falante alimentado por um osilsdor de iui de fequtncla vate, Observa-se que a cord entra em oscil apenas nas requcneias de $80 Hz. 120 Hz quando a frequéncta do osclador de Suto ‘varia no intervale de 00 a 1$00 Hz. Que €:tensdo ct eorda? *+50 Um tubo com 1,20 m de comprimento ¢ fechado.em uma das exiemidaes. Uma corda exieada€colocada pero ca exivemidade bert. A cordate 0.330 m de comprimento €9,60 ¢ de massa, ests fia mas dias extremidades e oscila no ron fandamental. Devido 4 ressonincia, fia coluna dear no tube oscar oa sua fous fundamenal, Dsermine (a) frequéncia fundamental da cola de are (b) a tendo da cords Seqio 17-8 Batimentos +51. A conda Id de um vielino est estica demas. $v owvidos| 4.00 batiments por segundo quando a cords ¢ tocada junto com um diapaso que escilaexstamente na requdecia do la de concerto (440 1, Qual é perfado de osctao da conda do violin? 2 Umiapanio de froqutncia dcwconieeida proche 3.00betinen- tos por segundo com um dispesto-padrio de 384 Hz, A frequéncia ds batimento dininui quando um pequeno pedago de cera €colo- cao em um dos braces do primeiro dianasio. Oual € a freauéneia > primeirodiapasao? +53. Duas cordas de piano gua m ums fequéncia furdamen- tal de 600 Hz quando sio submetidas a ume mesma tensio. Que onpas- 79 aumento relaivo a tens de na das cordas fz com que haja 60 hatimentos por segundo quando.s das cords osctam simulans ments? +154 Cinco diapasies osclam com frequénciss primes, mas i {erentes. Qua 60 mero (a) maximo. (b) nim de frequtncias de batimento diferentes que podem ser produridas tocando os ise pases aos pares, depondendo da diferenga entre as frequencies? Souie 17-9 0 Efeite Doppler 185 Umapitode S80 Hy deserve um cicanferéncia de 6010. de ‘ao com ua velocidade angular de 15,0 ras, Qual € a freqatncia (4) mais bana (b) mais ata escutada por um ouvinte distant, rm repoco em relao a0 centro da cireunferéncia? #56. LUmaembutinsiacuja siren emite um som com uma frequén de 1600 Hy passa por un cesta que est 2.44 mvs. Depois de ser ultras, oeelist eeuta uma frequtncia de 1590 Hz. Qual €. velocidade da umbulancia? +57 Um guards rodovicio perseguc um carm que excedeu 0 fimi- te de yelocidede em um echo reto de uma rodovi: os dois cars et @ 160 kv. A sirens do carro de poliia produzum som com tama Frequtacia de 500 Iz, Qual €¢ deslocamemio Doppler df= squéncia oavida pelo motorist nfralor? 58 Une fonte sonora A ¢ una superficie refletora se mover ‘uma erm dirog0 4 outa. Em relate 9 a, a velacidade da forte £299 mis ca velocidade da suneficie B € 65.8 mis a velocidade ‘do som no a” € 329 nv. A fonteemite ondas com wna frequéncia ‘de 1200 Hz no referencia da fonte. No retereacial da superficie 'B qual € (a) frequtncia€ (b) © comprimento de onda das ends sonoras? No referoncal da fonte A, qual ¢(c) a frequéneia © () 0 ‘comprimento de onda das cndas sonora wefetidas de volta pars fone? (Ne Fig. 1711, am vohmaring femede:¢ win sbmarins nr ve-umeeicano se movem um em direglo ao outa durante manok ‘em dguas paras no Atlintico Nort. O submatino francés se move ‘20m una Veloeidade , = 30.0 ke submarino american com ta Velocide v4 = 70.00 kav. 0 subvracin francts envia um sinal de sonar (onda sonora no dgua) de 1,000 % 10° Hz. As onda «de sonat se propagam a S470 kav (a) Qual 3 frequéncia do sinal Casoecde pul ectcrecies mresicape? () Gal 6 gutted ‘evo do submsino amerieano detectado pelo submarina francis? Figura 17-41 Problem 59, ‘80 Um detector de movimento estacionsrio envia ondassonorss| 420,150 MHz em diceeZoa um camisho que se aproxia com wna vslosidade de 45.0 vs, Qual éafrequéncia das ondasrefletids de voli para 0 detector? +61 AK Um mercogo esti voando em ums cavern, oientan= do-ae straws de pale wlracinions A requ do Hon 2 tidos polo mercego € 39,000 Ha. O moreego se aproxima de uma pane plana d3 caverna com uma velocidade igual 2 0.025 vez a velosidade do som no ar. Qual € a feauencia com aue 0 moreeRo ‘uve os sons refletidos pelt parede da eaveraa? +62 A Fig. 17-42 mostra quatro tudos de 1,0 m ou 2,0 m de com- primento econ uma ou dss extremidadcs aberts.O tereciro har wo CAPITULO 17 sminico ¢ predurido em cada tubo © parte do som que escapa & ‘antada pelo detector 1, que se afasta dos bos em linha reta Ein fermos da velocdale do som». que velocidad deve te o detector para quea frequéncia do som proveniente (a) Jo tubo 1, () do tubo 2. (c) do tabo 3 ¢ () do tbo sja igual frequent fundamental orubo? — — nt Figura 17-82 Problema 62. D +769: Um lame sestico centraroabo uliza una fonts gt ite ‘das cor una feguéne de 20 kHz, Qual a fequéncia de a tiene entre a ons da fone eas onda reetidas cr ut nnn ‘ue cain com una velocidad made 0.950 rs fasta se ern inha etado slr? +64 Um detector estaiontio medefequcia dura fonts s0- ora ques aproxits em nha rata, passa pelo detector eas, ‘punted veociade const fequtneia emit ela fonieé PA fonnci eecnda dort n spring ff rn fue eect durant oafastameno gf Se (fy — ff ~ 0-54 araro v/v enue a veheidade Ufone velocidad do som? ses Une de we ocd lean chlo mzepouo er lagi soo. Que frequtncia ofuncionsio oe So vento esd soprando a 12 ws (4 fone pao funcondroe (do forcionicio para a fone? +66 Dois tons vijam un em eios30 a0 oato 930.5 m/s em ‘elie ao solo. Ui dos teens fa car un apo de 00 Hz (@) Que feeqatncia ¢ouvids no cao tem se oar es parade? (b) Qu fe- sia covvie no out ree 0 vento ta seprande a3 rv to sentido cone 30d trem sue ato (2) Qe Fregubnca & ‘vi seo Seti do vero se invere? +467 Uma menina est sentada prt da jane shen de um rem ‘ve vias pralese com una vlecdae de 10,00 rs O toda me- ‘ina std parado na pltaforma e observa oem se afer. O apo {locomotiva prod um som son uma frequéncis de 3000 Hz. 0 ‘esta parado (a) Que requeneta eo uve (o) Que equa ‘mening. ouve?() Um vento vindo do este comegaa sprar a 1,00, rv. €) Que fequéneia 0 to passa a oar? (@) Que frequéncia a ‘nenina pasa a ouvir? ‘Selo 17-10. Velocidades Suporsénicas, ‘Ondas de Choque 68 A onda de chogue producida pelo avido da Fig, 17-23 tinha ‘um Angulo de aproximexiamente 60". © avi estava se moved ato passa sobre um pedestre uma alte ‘de XN) me a uma volocdade de Mlach 1,3 (a) Determine 0 angu- 10 do sone de Mach (a vslosidade do nor 6.331 mis) &) Quam tempo aps avo tr pasado dietamenteacima do pedestre ete < atingido pela onda de chogue? 1470 Urn svitn wo 9 125 ver a velocidad da sem Oleairndo| sbnico produzido peo avido atinge un homem ao solo 1,00 min ‘epois de 0 vido ter pessado exatamente por cima dele. Qual €2 altitude do ayido? Supoaha que a veloeidade do som é 330 ms. Problema Adicionais nein de 0) kr, ama cometa de 100 He. considerada ode sor ouvida, A gue distancia ‘72 Uma bale ¢ disparada corn uma velocidade de 685 ms. Deter ‘mine © aagulo entre 0 cone de chaque e a rajetria da bala 78. =X O som prodazido pelos cachalotes (Fig. 17-13a)lembra lima série de cliques, No verdade, 2 buleiaprovuz apenas sor ha tented cae para ici sere. Pare dese Sm passa pars gua ese ma 0 primeiro clique da série. O restante do som se ropa para ts, stravessa 0 sco de espermacete (um depesto ‘de gordura) ¢refletido no saco frontal (uma camada de a) e passa novamente pelo saco de espermacete. Quando chega 20 sao distal (uitra camada de a), na frente da cabesa. parte do som eseapa para ‘gua para formar o segunda clique, enquano o restate € rele ‘ds de voli pa 0 sico de espace (€ ache Formando outs que). ‘A Fig, 17-436 mostra o registro de uma sie de eigues de- tectades por um hidrofone.O intervalo de tempo corespondent 1.0 mses indicado no grifico. Supondo que a veloidade do som po s2c0 de espermacete€ 1372 1s, detemine 0 comprimento do sco de espermaceie. Usndo cilculos dese tipo, os cientisas ma Halos estan 9 comprineive Jé wna baci a ptr dos cliques ‘ue prod. Swode opermacte Figura 17-43 Problems 73, 74 A massa especfica media da crosta da Terra 10 km abaixo dos) continents 62,7 glen’ A velocidade de ondas sismicas aessa peo fundidade, calculads a parts do tempo de pereurso das ondas pro duzids por trremotosdistants, 5.4 vs, Use essasinformacies pra determinar 9 médalo de elatcidade volumetico da erst terrestre a esse profundidade. Para fins de comparacio, 0 médul 4e lastcidade volumético do ago é aproximadameate 16 % 10") Ps 75 Um sistema de ato-falantes emite sons isotropicamente com ‘uma frequéacia Ge 2000 Hae uma intensidade de 0,960 mW? 2) toma diatincia de 610m. Seponha sie aks exntem rfleni (2) (Qual é a inteasidades 30,0m?.A 6,10, qual é(b) amplitude do deslccarmentoe(¢) a amplitude de preso da onda sonora? “76 Catenin a raya (enta maior ©2 menor) (2) das loners | (b) das amplitades de prssio e (c) das amplitudes dos destoramen ‘tos das pariclas para dois sons eujosnives sonoeos diferem de