Sei sulla pagina 1di 2

A vida da Igreja na integralidade de sua missão

Márcio da Costa Batista

Em 1969 no Clade I em Bogotá o palestrante Samuel Escobar abordou sobre a responsabilidade

social do cristão. Acreditamos que a missão integral da Igreja é se esforçar na propagação do

Evangelho à sociedade onde a mesma está inserida, atendendo todas as dimensões das pessoas que

formam esta sociedade.

Valdir Stuernagel diz que "a missão integral é o esforço, o desejo e a possibilidade de ouvir o

Evangelho e seguir a Jesus, esutar a voz de Jesus nas mais difeentes áreas da nossa vida". Jesus nos

deu este exemplo, Ele conhecia as necessidades de cada "pedinte" que se aproximava dele, atendia

as necessidades das pessoas, na multiplicação do pães, de cinco pães e dois peixinhos Ela saciou a

multidão e ainda sobraram doze cestos de pães, isto significa, matar a fome (física) e espiritual

(sermão). Não quis despedir a multidão de barriga vazia, mas viu as suas necessidades. No caso da

mulher do fluxo de sangue, ela havia gasto todos os seus recursos na medicina da época, a única

opção e decidida escolha foi adentrar entre a multidão escondida, pois era "impura" - desprezada

pela sociedade devido a sua enfermidade - e tocar nas vestes de Jesus. Ali, o impuro tocou no puro e

o milagre aconteceu.

O papel da Igreja diante da execução da missão integral é alcançar todos os que estão na margem da

sociedade, como Jesus disse em uma de Suas parábolas, "nos valados, nos caminhos", Ele estava se

referindo aos Judeus e a todos os Gentios, todos os povos, os desprezados, em todas as dimensões de

suas vidas, alcançando-os do jeito que se encontram, em seu próprio contexto em que vivem,

trazendo a Luz do Evangelho, esta é tarefa da Igreja em sua missão integral.

O lugar em que a Igreja está é o que realmente importa, o contexto em que ela se encontra é o que

importa. A Igreja deve cumprir sua responsabilidade na pregação do Evangelho atendendo todas as

áreas da sociedade, sem olhar a situação financeira, as suas responsabilidades, seus relacionamentos,

enfim, todos devem ser alcançados com o Evangelho.

Quando a Igreja vive a teologia da missão integral, ela vive um evangelho prático, se interessa pelas

necessidades de seus alvos, como diz Ariovaldo Ramos, "se porta na realidade onde está plantada".

O apóstolo Paulo disse, "aprendi a viver em toda e qualquer situação", onde ele era plantado, ali ele

brotava e crescia, dava frutos e hoje as suas cartas estão no canon sagrado mostrando seu proficuo

trabalho. Paulo tinha compromisso com o Evangelho de Jesus, ele vivenciava e tinha compromisso

com sua missão onde se encontrava.

Ed Rene Kivits disse que "tudo o que diz respeito a abrangência redentora de Deus, diz respeito a

abrangência da missão da Igreja". A Igreja usa o Evangelho da missão integral como lente para fazer

a leitura da vida na sua totalidade, desta forma, como a Igreja lê a vida em todas as áreas. O apóstolo

Paulo disse "quer comais, quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de

Deus", (1 Co 10.31). Aqui neste texto vemos o que a missão integral engloba, todas as facetas da

vida humana, todas as áreas que o indivíduo encontra-se, tudo deve ser realizado para a glória de

Deus. Estamos, nós, a Igreja do Senhor Jesus Cristo, empenhados nesta tão nobre tarefa de envolver

todas as ares de nossa vida a Deus? Não podemos estar vivenciando o Evangelho apenas com uma

parte de nossa vida, mas, conforme a teologia da missão integral aponta, toda a nossa vida, na sua

totalidade.

A Igreja, na segunda-feira, deve exercer a fé que tem no poder do evangelho como sal e luz do

mundo, fazendo a diferença, levando além de palavras, a prática do evangelho através de atitudes

que enaltecem a glória de Deus em suas vidas. Vemos a Igreja como um quartel do exército, lá todos

os soldados recebem as instruções e ao sair de lá vão para fora e executam as ordens, alcançando os

objetivos propostos, assim, a Igreja quando se reúne, recebe a motivação de seu pastor, as

orientações bíblicas e ao sair das quatro paredes exercem as ordenanças de Jesus e aplicam todo o

ensino proposto até então, atingindo os objetos do Evangelho, as almas para Jesus. Getz disse "a

Igreja existe, portanto, para cumprir duas funções fundamentais - a evangelização (fazer discípulos)

e a edificação (ensinar-lhes). Por sua vez, essas duas funções respondem a duas perguntas - primeira:

'por que a Igreja existe no mundo?' e segunda: 'por que A Igreja existe como comunidade

congregada?'".

Segundo Kivits, "na perspectiva do Evangelho integral e na perspectiva de uma vida consagrada a

Deus, seja dirigir uma atividade da igreja, assistir um jogo, ou dar aula em uma faculdade, tudo deve

ser feito para a glória de Deus, quando se fala de viver o evangelho integral estamos falando de uma

vivência integral do Evangelho", entendemos este ser o papel da igreja diante da aplicação da

teologia da missão integral, vivendo o caráter e os propósitos de Deus para a Sua glória.