Sei sulla pagina 1di 6
Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Curso:

Prova de Introdução à Ciência Política (41031)

Nome:

Nº de Estudante:

B. I. nº Assinatura do Vigilante:

Data: 18 de Junho de 2008

RESERVADO PARA A Universidade Aberta

Classificação: (

)

Prof. que classificou a prova:

Instruções

a) O exame é composto por 6 páginas e termina com a palavra FIM.

b) Verifique o exemplar que lhe foi entregue. No caso de este se encontrar incompleto ou registe qualquer outra deficiência, exponha a situação ao professor vigilante.

c) O exame tem a duração de 2h. 30m.

d) O exame é composto por 20 questões distribuídas por um único grupo, devendo o aluno responder a todas as questões.

e) A grelha de cotações é a seguinte: (20 questões x 1 valor = 20 valores

1

1.

A visão normativa da Ciência Política privilegia a análise:

A. Da ideologia que caracteriza a actuação do poder.

B. Da sede onde reside o poder.

C. Da estrutura interna do poder.

D. Nenhuma das afirmações é correcta.

2. As três perspectivas centrais para a abordagem ao conceito de Estado são:

A. Jurídica, sociológica e filosófica

B. Jurídica, sociológica e normativa

C. Jurídica, filosófica e monista

D. Jurídica, normativa e psicológica

3. Entende-se por regime político:

A. Uma determinada forma de articulação do conjunto das instituições políticas a quem cabe o exercício da autoridade.

B. A forma como o Estado se organiza para cumprir as funções que lhe são cometidas.

C. Os métodos com que o poder político é exercido, a forma de dominação do Estado e o modo como este manifesta a sua força.

da

D. Às

relações

Constituição.

formais

entre

as

instituições

políticas

decorrentes

4. A análise da sede efectiva do poder do ponto de vista da sua repartição horizontal reserva-se o conceito de:

A. Forma de Estado

B. Sistema de Governo

C. Sede do Poder

D. Forma de Governo

2

5.

Do ponto de vista social a ideia de legitimidade corresponde:

A. Ao poder que decorre de uma escolha efectuada nos termos constitucionais e que é exercido no quadro desses limites.

B. Ao poder que é exercido sem contestação pública.

C. Ao poder que se faz aceitar ou que não seja contestado pela maioria dos cidadãos, seja qual for a razão em que esse facto se fundamente.

D. Ao poder dos governantes eleitos periodicamente.

6. De acordo com Lapalombara e Weiner um partido constitui:

A. Uma organização que exerce o poder pela via eleitoral.

B. Uma organização durável, com implantação local alargada, com vontade deliberada de exercer o poder e que procura o apoio popular.

C. Uma

que visa representar

organização

com

personalidade

jurídica

e

politicamente a colectividade.

D. Uma organização que concorre a eleições e pretende ocupar o aparelho de poder.

7. A classificação dos sistemas de partidos em: sistemas de partido único, partido hegemónico, bipartidarismo, pluralismo e atomização deve-se a:

A. J. Blondel

B. R-G. Schwartzenberg

C. G. Sartori

D. R. Michels

8. Todos os grupos de pressão são grupos de interesses mas nem todos os grupos de interesses são grupos de pressão:

A. A afirmação é verdadeira

B. A afirmação é falsa

3

9. Do ponto de vista do objecto, a opinião pública deve ser qualificada em primeiro lugar:

A. Por respeitar à esfera do poder político, visando influenciá-lo ou conquistá- -lo.

B. Por respeitar às reivindicações dos cidadãos junto do poder político quer essas reivindicações respeitem à esfera pública quer à esfera privada.

C. Por respeitar à expressão pública de opiniões sobre os aspectos mais importantes da vida política e social.

D. Por respeitar à opinião da sociedade civil sobre determinado assunto.

10. Nos termos de V. Pareto, o critério para definir a elite é o da autoridade que resulta da sua acção:

A. A afirmação é verdadeira

B. A afirmação é falsa

11. Numa perspectiva restrita os sistemas eleitorais podem classificar-se em

A. Semi-proporcionais e proporcionais

B. De maioria simples e proporcionais

C. Maioritários, proporcionais e de voto preferencial

D. Nenhuma das afirmações é correcta.

12. De acordo com Maurice Duverger, o escrutínio maioritário a duas voltas promove:

A. O bipartidarismo ou dualismo partidário

B. Multipartidarismo de bloco

C. Alianças eleitorais em ambiente multipartidário

D. Nenhuma das afirmações é correcta.

13. De acordo com Lijphart os “parlamentos híbridos” correspondem:

A. Órgãos legislativos eleitos unitariamente, cindindo-se depois em duas câmaras distintas.

B. Órgãos legislativos eleitos em separado e que cooperam activamente no desempenho das suas funções.

C. A um exemplo típico de bicamarelismo.

D. Nenhuma das afirmações é correcta

4

14. Na óptica da Ciência Política o Parlamento pode definir-se como:

A. Assembleia que exerce funções legislativas, fiscaliza o executivo e a administração pública, assente na representação política decorrente de eleições não competitivas.

B. Assembleia que exerce funções legislativas, fiscaliza o executivo e a administração pública, assente na legitimidade da representação política decorrente de eleições competitivas.

C. Assembleia ou sistema assembleias articuladas para o exercício de funções legislativas, de fiscalização do executivo e da administração pública, assente(s) na legitimidade da representação política decorrente de eleições competitivas.

D. Nenhuma das afirmações é correcta.

15. Os

Primeiro-Ministro”

caracterizam-se:

A. Pelo exercício de funções cometidas ao Presidente da República pelo Primeiro-Ministro.

B. Por uma liderança forte do Primeiro-Ministro, apoiado por um partido coeso e por uma maioria parlamentar.

C. Pelo reforço dos poderes dos Parlamentos e pela sua cooperação com o Primeiro-Ministro.

D. Pela acção concertada entre o Primeiro-Ministro e as oposições políticas.

chamados

sistemas

de

“presidencialismo

de

16. De acordo com Noberto Bobbio, a teoria da separação dos poderes pode, na interpretação moderna, assemelhar-se:

A. Ao conceito de individualização dos poderes.

B. À teoria clássica do governo misto

C. À separação do poder legislativo do poder judicial e do poder executivo

D. Nenhuma das afirmações é correcta.

5

17. Os direitos fundamentais podem ser considerados como:

A. Direitos dos cidadãos face ao Estado e ao poder público limitando e condicionando a acção destes.

B. Direitos que atribuem a qualidade de cidadania na ordem interna mas que não limitam a acção do Estado.

C. Direitos inerentes à natureza do homem e, por isso, invioláveis.

D. Nenhuma das afirmações é correcta.

18. De acordo com Friedrich Tönnies a noção de comunidade corresponde:

A. Ao resultado de um ajustamento de interesses racionalmente motivado

B. Ao resultado de sentimentos afectivos e de pertença que conduzem à participação espontânea numa vontade orgânica

C. Ao resultado da racionalidade assumida de forma consciente, de uma vontade deliberada dos seus membros sem que existam laços reais entre eles

19. A concepção objectiva de Nação assenta:

A. Na identificação a partir de distinções no seio da espécie humana de natureza racial ou étnica.

B. Na identificação dos membros da comunidade com o sistema político em que se integram.

C. Na vontade objectiva dos membros que a integram.

D. Nas diferenças culturais e no percurso histórico de cada nação.

20. A distinção entre um sentido fraco e um sentido forte de ideologia deve-se a:

A. Raymond Aron

B. Norberto Bobbio

C. Karl Marx

D. Karl Mannheim

E. A nenhum dos autores indicados anteriormente

FIM

6