Sei sulla pagina 1di 11

DIREITO CIVIL IV - CCJ0015

Título

SEMANA 16

Descrição

1- (TJRS 2012) Considere as assertivas abaixo.

I. A servidão não se constitui se o dono do prédio dominante é proprietário em condomínio do prédio serviente.

II. O prazo mínimo para o possuidor de um terreno urbano de 400 m2 , com intenção de

dono, sem justo título, sobre o qual construiu uma casa que serve de sua residência, usucapi-lo, é de 10 (dez) anos.

III. O condômino pode pedir, para uso próprio, a retomada do imóvel comum locado, mesmo sem a concordância dos demais condôminos.

Quais são corretas?

a. Apenas I

b. Apenas II

c. Apenas III

d. Apenas II e III

e. I, II e III

2- (TJRR 2006) A respeito dos direitos das coisas, assinale a opção correta.

a. A preferência das hipotecas entre os vários credores hipotecários ocorre pela ordem

cronológica do vencimento do título constitutivo, ou seja, paga-se integralmente ao credor hipotecário cujo título vença primeiro e, depois de satisfeito este, paga-se ao segundo credor ou ao terceiro, conforme a ordem cronológica do vencimento do título.

b. O direito de retenção consiste na faculdade do possuidor de boa-fé de manter o poder

fático sobre a coisa alheia, objetivando receber do retomante a indenização pelas benfeitorias necessárias e úteis nela realizadas.

c. No usufruto, a propriedade é fracionada, pois, enquanto o usufrutuário retira proveito

econômico da coisa, remanesce em poder do nu-proprietário o conteúdo do direito, ou seja, a faculdade de disposição da coisa em sua substância, podendo este alienar, instituir

ônus real ou dar qualquer outra forma de disposição ao objeto. Assim, o usufrutuário tem a posse direta e justa do bem alheio, podendo desfrutar da coisa como se fosse própria, contudo sem alterar-lhe a substância. Na defesa da posse, o usufrutuário pode valer-se

dos remédios possessórios contra terceiros, mas não contra o nu- proprietário, que tem a posse indireta.

d. A tolerância do poder público quanto à ocupação dos bens públicos de uso comum ou

especial por particulares faz nascer, para estes, direito assegurável pelos interditos possessórios, transmudando-se a posse precária em permissão de uso.

3- (CEDAE RJ 2012) O usufruto é disciplinado pelo Código Civil. Segundo o regime aplicado, leia as assertivas abaixo:

I. O usufrutuário é obrigado a dar ciência ao dono de qualquer lesão produzida contra a posse da coisa, ou os direitos deste.

II. Se a coisa estiver segurada, incumbe ao usufrutuário pagar, durante o usufruto, as

contribuições do seguro.

III. Se o usufrutuário fizer o seguro, ao mesmo caberá o direito dele resultante contra o

segurador.

IV. Se um edifício sujeito a usufruto for destruído sem culpa do proprietário, será este

obrigado a reconstruí-lo.

V. Incumbem ao usufrutuário as despesas extraordinárias de conservação dos bens no

mesmo estado em que os recebeu.

A alternativa correta é:

a.

I e II são verdadeiras.

b.

I, II e III são verdadeiras

c.

I, IV e V são falsas

d.

IV e V são verdadeiras

e.

I, II e V são falsas

4- (TJRJ 2012) Quanto à servidão, é correto afirmar:

a.

Constituída para certo fim, a servidão poderá ser ampliada para usos diferentes.

b.

A servidão pode ser removida, de um local para outro, pelo dono do prédio serviente

e

à sua custa, se em nada diminuir as vantagens do prédio dominante, ou pelo dono deste

e

à sua custa, se houver considerável incremento da utilidade e não prejudicar o prédio

serviente.

c.

Se as necessidades da cultura, ou da indústria, do prédio dominante impuserem à

servidão maior largueza, o dono do serviente é obrigado a sofrê-la, sem direito à indenização pelo excesso.

d. As servidões prediais têm como característica a divisibilidade, podendo ser

instituídas em favor de parte ideal do prédio dominante e incidir sobre parte ideal do prédio serviente.

5- (TRE MS 2013) A respeito dos direitos reais, assinale a opção correta.

a. Aquele que, trabalhando em matéria-prima totalmente alheia, obtiver espécie nova a perderá para o dono do material utilizado, ainda que haja boa-fé.

b. De acordo com a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça, a hipoteca firmada

entre a construtora e o agente financeiro, anterior ou posteriormente à celebração da promessa de compra e venda, não tem eficácia perante os adquirentes do imóvel.

c. O exercício do usufruto não pode ser transferido a título oneroso.

d. É possível a estipulação de cláusula que proíba o proprietário de alienar o imóvel

hipotecado.

e. Os encargos e tributos que incidirem sobre imóvel que esteja sob o regime de

exercício do direito de superfície permanecerão a cargo do proprietário e não do

superficiário.

6- (MPE RR 2012) Assinale a opção correta com referência ao direito das coisas.

a. A venda a non domino não constitui exemplo de propriedade aparente.

b. A detenção irregular de bem público de uso comum do povo comporta indenização

das benfeitorias.

c. A coletividade desprovida de personalidade jurídica também pode ser possuidora.

d. O constituto-possessório ocorre quando o possuidor possui em nome alheio e passa a

possuir em nome próprio.

e. É incabível a usucapião de bens pertencentes à sociedade de economia mista que explore atividade econômica.

7- (TJPR 2011) Aponte se as assertivas a seguir são verdadeiras (V) ou falsas (F) e assinale a única alternativa CORRETA:

) Ocorrendo turbação ou esbulho, o possuidor direto ou indireto tem o direito de ser mantido ou reintegrado na posse através dos interditos proibitórios.

(

( ) A ação de dano infecto é uma medida preventiva que o proprietário ou possuidor de

um prédio pode propor contra o vizinho para assegurar segurança sossego e saúde aos moradores que o habitam.

( ) A lei civil consagra a usucapião extraordinária o prazo de 15 anos, sem interrupção e sem oposição para a usucapião extraordinária geral; são de 10 anos quando o possuidor estabelecer moradia habitual, ou nele realizar obras e serviços de caráter produtivo, denominando usucapião extraordinária de forma abreviada.

( ) O possuidor de área urbana com até 250 metros quadrados, que, por cinco anos

ininterruptos e sem oposição, utilizar para guarnecer a sua família, poderá adquirir o domínio, desde que não seja proprietário de imóvel rural ou urbano.

a. V,F,F,V.

b. V,V,V,V.

c. F,V,V,V .

d. V,V,F,V.

8- (TJMS 2012) A construtora Y adquire terreno urbano para fins de edificação de prédio de apartamentos. Assim, leva a efeito a incorporação imobiliária e toma financiamento junto ao Banco X, de modo a permitir a edificação. Institui em favor do Banco X dupla garantia, que consiste na hipoteca do terreno e na alienação fiduciária dos créditos. Todas as unidades autônomas, três anos depois, já são objeto de compromissos de compra e venda com os adquirentes dos apartamentos. Ocorre que a construtora não paga o financiamento e o banco é negligente no que tange ao exercício de seus direitos frente à cessão fiduciária dos créditos. Ao fim e ao cabo, o Banco X decide excutir a hipoteca, promovendo a penhora do terreno e da totalidade da edificação, em sede de execução de título extrajudicial que tem no polo passivo apenas a incorporadora. O edifício já está, a essa altura, pronto, tendo a posse sobre as unidades autônomas sido entregue aos promitentes compradores. Diante desses fatos, afirma-se:

I. A excussão da hipoteca deverá afetar todas as unidades autônomas, que permanecem como garantia do débito, ante o princípio da indivisibilidade da garantia real.

II. O incorporador tinha o dever jurídico ? portanto, cogente - de constituir patrimônio de

afetação destinado à consecução da incorporação correspondente e à entrega das unidades imobiliárias aos respectivos adquirentes.

III. A hipoteca firmada entre a construtora e o agente financeiro, anterior ou posterior à

celebração da promessa de compra e venda, não tem eficácia perante os adquirentes do

imóvel, de modo que estes poderão desconstituir a penhora por meio de embargos de

terceiro.

IV. Somente com expressa anuência do agente financiador poderiam os promitentes compradores excluir suas unidades autônomas do âmbito da hipoteca, exceto se assumissem pessoalmente a parcela da dívida do incorporador, hipótese em que estaria configurada a sub-rogação legal.

Está(ão) CORRETA(S):

a. Apenas as assertivas I, II e IV.

b. Apenas a assertiva III.

c. Apenas as assertivas I e IV.

d. Apenas as assertivas II e III.

e. Apenas a assertiva II.

9- (MP AP Analista 2012) Considere:

I. Clotilde é possuidora de um terreno na cidade de Macapá por quinze anos, sem interrupção, nem oposição, não possuindo título e nem boa-fé.

II. Vera Lúcia é possuidora de área de terra em zona rural com cem hectares, por

cinco anos ininterruptos, sem oposição, tornando-a produtiva pelo seu trabalho e tendo

nela sua moradia, não sendo proprietária de imóvel rural ou urbano.

III. Tatiana exerce, por três anos ininterruptamente e sem oposição, posse direta,

com exclusividade, sobre um apartamento de cem metros quadrados na cidade de Mazagão que utiliza como sua moradia e cuja propriedade dividia com seu ex-cônjuge, Lindoval, que abandonou o lar, não sendo proprietária de outro imóvel urbano ou rural.

De acordo com o Código Civil brasileiro, em regra, adquirirá o domínio integral dos respectivos imóveis aquelas indicadas APENAS em:

a. I e III.

b. II e III.

c. I e II.

d. I.

e. III.

10- (PC GO 2008) O direito brasileiro oferece ampla tutela para os direitos sobre as coisas, disciplinando, inclusive, intervenções entre prédios. Considerando-se que as

servidões prediais são restrições à propriedade, constituídas em favor de um prédio sobre outro, é CORRETO afirmar:

a. A servidão não pode ser instituída em favor de parte ideal do prédio dominante ou incidir sobre parte ideal do prédio serviente.

b. A servidão não aparente pode ser estabelecida por meio de permissão de passagem,

sendo dispensável a transcrição no registro de imóveis.

c. A servidão é obrigação do titular do domínio do imóvel serviente à prestação de fato negativo em favor do titular do imóvel dominante.

d. Nas servidões prediais, em razão da necessária relação entre si, é essencial a

contiguidade entre prédios dominante e serviente.

11- (TCM BA 2011) Na hipoteca e no penhor é:

a. Válida a cláusula que autoriza o credor a ficar com o objeto da garantia, se a dívida não for paga no vencimento, se o bem tiver o mesmo valor da dívida ou se o credor restituir a diferença do valor em dinheiro.

b. Nula a cláusula que autoriza o credor a ficar com o objeto da garantia, se a dívida

não for paga no vencimento, e, em nenhuma hipótese, poderá ocorrer a dação em

pagamento.

c. Anulável a cláusula que autoriza o credor a ficar com o objeto da garantia, se a

dívida não for paga no vencimento, mas, após o vencimento, poderá o devedor dar a coisa

em pagamento da dívida.

d. Anulável a cláusula que autoriza o credor a ficar com o objeto da garantia, se a

dívida não for paga no vencimento, e, em nenhuma hipótese, poderá ocorrer a dação em

pagamento.

e. Nula a cláusula que autoriza o credor a ficar com o objeto da garantia, se a dívida não for paga no vencimento, mas, após o vencimento, poderá o devedor dar a coisa em pagamento da dívida.

12- (MPE SP 2012) "X" edificou casa, em área urbana, na certeza de lhe pertencer a

totalidade da área descrita junto à matrícula imobiliária. Constatou, porém, já concluída a construção, que por um erro na descrição das linhas limítrofes, a edificação invadiu uma vigésima parte do terreno de seu vizinho. Considerando isso, assinale a seguir a alternativa correta.

a. "X" adquirirá a propriedade da área invadida, devendo pagar o décuplo do valor do terreno lindeiro e a desvalorização da área remanescente.

b. Embora "X" estivesse de boa-fé, deverá demolir a parte da construção que invadiu o

terreno alheio, ainda que com grave prejuízo para a edificação.

Estando "X" de má-fé, adquire a propriedade da área invadida apenas se o valor da construção exceder o do terreno.

c.

d. Estando "X" de boa-fé, adquire a propriedade da parte do solo invadido e responde,

por perdas e danos, correspondentes ao valor que a invasão acrescer à construção, mais o da área perdida e o da desvalorização da área remanescente.

e. A posse justa exercida por "X" e a boa-fé empreendida na construção serão

suficientes para justificar pedido de usucapião da área invadida, o que deve ser requerido, porém, no lapso de 3 anos após a edificação.

13- (TJPB 2011) Com base na jurisprudência do STJ e na doutrina, assinale a opção correta acerca dos institutos da posse e dos direitos reais.

a. A confusão não extingue a hipoteca, pois a garantia pode incidir em bem próprio.

b. Um particular que ocupar, de boa-fé, lotes localizados em terras públicas terá direito

a indenização pelas benfeitorias necessárias e úteis, sob pena de retenção.

c. O penhor convencional, que só pode decorrer de ato entre vivos, exige que as partes acordem sobre o valor e as condições de pagamento.

d. O direito real de uso é instituído pelas mesmas modalidades do usufruto e, tal como

este, pode ser cedido a título gratuito.

e. A renúncia ao usufruto não alcança o direito real de habitação, que decorre de lei e se destina a proteger o cônjuge sobrevivente, mantendo-o no imóvel destinado à residência da família.

14- (TJSE 2008) A respeito da propriedade e da posse, assinale a opção correta.

a. O direito de retenção consiste na faculdade do possuidor de boa-fé ou o detentor de

coisa imóvel de manter o poder fático sobre a coisa alheia, objetivando proteger a sua

posse ou receber a indenização pelas benfeitorias necessárias e úteis realizadas no

imóvel.

b. Se o proprietário, por meio de contrato verbal de comodato, permitir o uso gratuito

de um imóvel por tempo indeterminado, o comodatário exerce legitimamente a posse e, sem a notificação necessária de que não mais tem interesse em manter o comodato, não

há constituição em mora e, sem ela, também o proprietário não pode postular a reintegração de posse.

c. O convalescimento da posse adquirida de forma violenta, clandestina ou precária é

permitido pela cessação da violência ou da clandestinidade e pelo decurso de ano e dia. Cessado o vício, a posse torna-se justa e o possuidor passa a ser considerado de boa-fé,

reconhecendo-se-lhe o direito de retenção, seja por acessões seja por benfeitorias necessárias, úteis ou voluptuárias.

d. A descoberta é um modo de aquisição originária da propriedade móvel, segundo a

qual aquele que encontrar coisa alheia, sem dono ou abandonada torna-se seu depositário e, transcorridos três anos sem que o proprietário a reclame, a propriedade consolida-se na pessoa do possuidor.

e. Adquire-se a propriedade por abandono de álveo quando houver acréscimo de terras às margens de um rio, provocado pelo desvio de águas ou afastamento dessas, descobrindo parte do álveo.

15- (TRF 2a. Região 2009) Com referência à disciplina legal relativa à posse, assinale a opção correta:

a. Havendo colheita antecipada, o possuidor deverá devolver os frutos colhidos no caso de ter cessado a boa-fé.

b. No que tange à indenização pelos danos causados ao bem, faz diferença ser a posse

de boa-fé ou de má-fé.

c. Aquele que detiver a posse injustamente não poderá se utilizar dos interditos possessórios, mesmo em face de terceiros que não tenham posse.

d. O dono da posse deve indenizar as benfeitorias necessárias pelo seu valor atual,

mesmo ao possuidor de má-fé, sob pena de enriquecimento sem causa.

e. O possuidor de boa-fé não responde pela perda da coisa, mas responde por sua deterioração, ainda que não lhe dê causa.

16- (OAB 2011) Félix e Joaquim são proprietários de casas vizinhas há cinco anos e, de comum acordo, haviam regularmente delimitado as suas propriedades pela instalação de uma singela cerca viva. Recentemente, Félix adquiriu um cachorro e, por essa razão, o seu vizinho, Joaquim, solicitou-lhe que substituísse a cerca viva por um tapume que impedisse a entrada do cachorro em sua propriedade. Surpreso, Félix negou-se a atender ao pedido do vizinho, argumentando que o seu cachorro era adestrado e inofensivo e, por isso, jamais lhe causaria qualquer dano. Com base na situação narrada, é correto afirmar que Joaquim:

a. Poderá exigir que Félix instale o tapume, a fim de evitar que o cachorro ingresse na

sua propriedade, contanto que arque com metade das despesas de instalação, cabendo a Félix arcar com a outra parte das despesas.

b. Poderá exigir que Félix instale o tapume, a fim de evitar que o cachorro ingresse em

sua propriedade, cabendo a Félix arcar integralmente com as despesas de instalação.

c. Não poderá exigir que Félix instale o tapume, uma vez que a cerca viva fora

instalada de comum acordo e demarca corretamente os limites de ambas as propriedades,

cumprindo, pois, com a sua função, bem como não há indícios de que o cachorro possa vir a lhe causar danos.

d. Poderá exigir que Félix instale o tapume, a fim de evitar que o cachorro ingresse em

sua propriedade, cabendo a Félix arcar com as despesas de instalação, deduzindo-se desse montante metade do valor, devidamente corrigido, correspondente à cerca viva inicialmente instalada por ambos os vizinhos.

17- (TJRO 2011) Acerca do Direito das Coisas, avalie as assertivas abaixo:

I. Os interditos possessórios previstos em nosso ordenamento são a Ação de

Reintegração de Posse, a Ação de Manutenção de Posse, o Interdito Proibitório e a Ação

Reinvidicatória.

II. Não induzem posse os atos de mera permissão ou tolerância, mas quando o detentor

exerce poderes de fato sobre a coisa é considerado possuidor para todos os fins.

III. É de boa-fé a posse quando o possuidor, embora não ignore os vícios ou obstáculos

que impedem a aquisição da coisa, está comprometido em sanar o vício ou remover os

obstáculos em um prazo determinado.

IV. O direito à indenização por benfeitorias necessárias é devido ao possuidor de má-fé.

Está(ão) CORRETA(S):

a. Apenas as assertivas I e IV.

b. Apenas as assertivas II e III.

c. Apenas a assertiva I.

d. Apenas a assertiva IV.

e. Todas as assertivas.

18- (TJMA Titular de Serviços de Notas e Registros 2011) Assinale a alternativa correta:

a. Considera-se fiduciária a propriedade resolúvel de coisa móvel fungível que o devedor, com escopo de garantia, transfere ao credor.

b. Nos condomínios edilícios, o condômino que não pagar a sua contribuição ficará

sujeito aos juros moratórios convencionados ou, não sendo previstos, os de dois por cento ao mês e multa de até um por cento sobre o débito.

c.

Aquele que por quinze anos, houver estabelecido no imóvel sua moradia habitual,

sem interrupção, nem oposição, possuindo-o como seu, adquiri-lhe a propriedade, independentemente de título de boa fé, podendo requerer ao juiz que assim o declare por sentença, a qual servirá de título para o registro no Cartório de Registro de Imóveis.

d. Só se considera perdida a posse para quem não presenciou o esbulho, quando, tendo

notícia dele, se abstém de retornar a coisa, ou, tentando recuperá-la, é violentamente

repelido.

19- (TJSE 2008) No que concerne aos direitos reais, assinale a opção correta.

a. A garantia real, no direito civil, ocorre quando o devedor, ou alguém por ele, destina

determinado bem do seu patrimônio para a garantia de uma dívida. Essa sujeição cria preferência, ou prelação, para o credor, que, na venda do bem, será o primeiro a receber, sem se sujeitar a concursos ou rateios.

b. Um pai poderá garantir a dívida de um seu descendente, hipotecando os seus bens

particulares, sem a autorização de seu cônjuge e dos demais

c. O direito de superfície é a concessão para se construir ou plantar em solo alheio. A

constituição desse direito opera- se por contrato oneroso, durante a sua vigência, e o detentor da propriedade superficiária poderá modificar unilateralmente a destinação da utilização do terreno, quando essa não beneficiar a propriedade economicamente.

d. O direito real de servidão de passagem exige, para o seu reconhecimento, o

encravamento do imóvel dominante, consistente na ausência de saída pela via pública, fonte ou porto. É passível de proteção possessória e pode ser adquirido por usucapião, mesmo que a posse seja descontínua e não aparente.

e. O penhor, por ser contrato real que só se aperfeiçoa com a tradição do bem, exige a

transferência efetiva da posse pelo devedor ao credor do bem empenhado, qualquer que

seja a espécie de penhor.

20- (TJPI 2007) Acerca da posse e da propriedade, assinale a opção correta.

a. Se os ramos de uma árvore, cujo tronco estiver na linha da divisa de duas

propriedades, ultrapassarem a extrema de um dos prédios, o dono do prédio invadido deverá dar ciência ao seu confinante para que tome as providências necessárias para sanar

o problema e, em caso de recusa ou omissão do vizinho, ele poderá cortar os ramos invasores, às expensas daquele.

b. Para que a posse exercida sobre um bem seja considerada de boa-fé, exige-se que

seja examinada a inexistência de vícios extrínsecos que a infirmem ou, caso existentes, que o possuidor os ignore ou que tenha tomado conhecimento do vício da posse, em data

posterior à sua aquisição, ou mesmo que, por erro inescusável, ou ignorância grosseira, desconheça o vício ou obstáculo jurídico que lhe impeça a aquisição da coisa ou do direito possuído.

c. A posse mantém o mesmo caráter de sua aquisição, podendo ser adquirida pelo

próprio interessado, por seu procurador e pelo constituto possessório. Assim, se a aquisição foi violenta ou clandestina, esse vício se prende à posse enquanto ela durar, isto é, não convalesce, pois será sempre considerada posse injusta.

d. A posse ininterrupta e incontestada pelo prazo de 15 anos gera a propriedade de um

bem imóvel por meio da usucapião ordinária, independentemente de título e de boa-fé, quando o possuidor houver estabelecido no imóvel a sua morada, ou nele houver realizado obras ou serviços de caráter produtivo.

e. Se o possuidor houver adquirido a posse do bem imóvel por meio de comodato

verbal, por prazo indeterminado, a notificação ou interpelação do comodatário para a restituição e desocupação do imóvel é suficiente para constituí-lo em mora. Se o comodatário não desocupar o imóvel no prazo que lhe foi concedido, sua recusa constitui esbulho à posse do comodante, reparável por meio da ação reintegratória.

Desenvolvimento