Sei sulla pagina 1di 4

Professora Assistente Edmary Silveira Barreto

Sries complexas
Dada a seqncia de funo v n z , consideremos a nova seqncia s n z composto
da seguinte maneira :
s1 z 1 z

s2 z 1 z 2 z

sn z

onde sn z , dita a n csime soma parcial.


Srie infinita: n z 1 a1

sn z s z a srie diz se convergente e s ( z ) sua soma , caso contrrio, a


Se nlim

srie diverge.

Convergncia Absoluta
n z
Uma srie
1


Se n z

c . A se a srie dos valores absolutos n z converge.

converge, mas

no converge, a srie n z c. converge.

Srie de potncia
Uma srie de potncia de z - a.
Teorema: Uma condio necessria e suficiente para an ibn seja convergente, onde
a n b n , no reais que a n e b n convirjam.

Teste da Razo
1

Se lim

n1

1
n

converge ab
diverge
o teste falha

Teste da Raiz

Se lim

1 Converge

1 diverge

un L

ab

falha

Teste de Comparao
, ento v n converge ab
diverge e u n v n , ento u n diverge nos

converge e u n v n

Se v u
Se v n
convergir.

u n pode ou no

Exerccio.
1) Determine o domnio de convergncia das sries.
n
a) z
0

1
1 z

z 1

n n
b) 1 z

1
1 z

n 1
c) 1

z 2n 1
2n 1 !

d)
1

Se

z 2 n 1
n 1 3 4n

z2
4

z 2 n1
n 1 3.4n

z 1
z

z 2 n 1 3
n
4
n 2 3

lim

z 2 z 2
4

4 .A

1 z 2 4 a he

1
4 n 1 3

1
n3

Teste de Comparao

4
-2

D .C

z2 4

O Teorema do Resduo
Seja f (z ) uma funo analtica no interior e em um contorno C, exceto para um plo de
ordem m em Z = Z0 interior a C. Ento, expandindo f (z ) com uma srie de Laurent em
potncias de (Z Z ), avaliamos f ( z ) dz equacionando-a a f ( z ) dz onde r um
0

crculo de centro Z0, de raio a, interno a c. Ento pode ser demonstrado que as potncias

0 , n 1
dz

positivas da expanso, sendo analtica so integradas a zero por


m
2 , n 1
c ( z z0 )
exceto

no

caso

a 1
z z0

de

q d

resultado

2 ;

a1 ,

novamente

por

0 n 1
. Desde que a-1seja o nico coeficiente restante ser chamado de
2 , n 1
c ( z z0 )
resduo de f (z ) em Z0.
dz

f ( z )dz 2 a1

an

1
f ( z)
dz

2 i c ( z z0 ) n

n 1

Encontrando o resduo.
Suponha que f (z ) tenha um plo simples em z0.
a 1
a0 a1( z z0 ) a2 ( z z0 ) 2
z z0

f ( z)

lim ( z z0 ) f ( z ) a 1

z z0

Em geral, para um plo de ordem m em z0.


a1

d m 1

1
m
lim
(
z

z
)
f
(
z
)

0
( m 1)! z z 0 dz m 1

z 3

Ex: 1 f ( z )

, encontre o resduo em Z = - 4.

( z 2)3 ( z 4)
z 3
7
( z 4) f ( z )
a1
3
8
z 2

Ex: 2

f ( z ) ( z 2 1) / ( z 1)3 .

d 2

Plo de ordem 3 em z = - 1

1
1
d2
1
3
lim

f
(
z
)

lim
( z 2 1) . 2 1.
2
2
2! z 1 dz
2 z 1 dz
2

Observao
1) f ( z ) dz c:
c

z2 1

z 1 3

z 1 c2

dz 2 i 1

f ( z ) 2

2) Suponha que desejamos encontrar a resduo de f ( z )

1 ( z 4)

em z

1 i
v2

O Teorema do Resduo: Seja c uma curva fechada, R a regio limitada por c e f (z ) uma
funo analtica em c v r, exceto nas sinj. a, b, c,...Pertencentes a R que possuem resduos
dados por a-1, b-1, c-1,... Ento, o teorema do resduo estabelece que
f ( z )dz 2 i a1 b1 c1
c