Sei sulla pagina 1di 13

Estruturas Metálicas

DIMENSIONAMENTO DE LIGAÇÕES

Exercícios

1. Dimensionamento de ligações soldadas

Exemplo Numérico

Dimensionar a ligação soldada da figura: Solda de filete

E60XX, cantoneiras aço

MR250

da figura: Solda de filete E60XX, cantoneiras aço MR250 a) Resistência da barra (C t =

a) Resistência da barra (C t = 0,75)

N c = 0,9. A g .f y = 0,9.36,9.25 = 830 kN

N c = 0,75. C t .A g .f y = 0,75.0,75.36,9.40 = 830 kN

Onde:

Ct = coeficiente de redução usado no cálculo a área efetiva líquida; Ag = área bruta f y = tensão de escoamento do metal base dos elementos estruturais adjacentes à ligação Nc - força normal de compressão

b) Resistência da solda espessura da solda

t max = 12,5 mm (chapa de extremidade) t min = 9,5 mm (aba da cantoneira)

d > 5,0 mm

comprimento da solda (diferentes para dar equilíbrio à ligação

devido à sua excentricidade em relação ao eixo do c.g. da barra)

1

2

1

29

102

29

0,397.

2

Onde:

t = espessura da chapa

= Comprimento da solda

d = largura do enrijecedor de borda; diâmetro nominal do parafuso; altura da seção

metal base:

A MB = 0,5.(1+0,397) 2 .2= 1,397. 2

N c = 0,9. 0,6.A MB .f y = 0,9.0,6.1,397. 2 .25 = 830 kN -

2 = 44,0 cm

1 = 17,5 cm > 1,5 .10,2 = 61,50 cm

metal solda:

A w = 0,707.0,5.(1+0,397)2 .2=0,987. 2

N c = 0,75. 0,6.A w .f w = 0,75.0,6.0,987. 2 .41,5 = 830 kN -

2 = 45,0 cm

1 = 17,9 cm = 62,90 cm

Onde:

Ct = coeficiente de redução usado no cálculo a área efetiva líquida;

das

Nc = força normal de compressão; f y = tensão de escoamento do metal base dos elementos estruturais adjacentes à ligação

Ag = área bruta = Comprimento da solda

Utilizando a máxima espessura de solda:

b max = t cant 1,5 mm = 9,5 1,5 = 8,0 mm

metal base:

A MB = 0,8.(1+0,397)2 .2 = 2,235. 2

N c = 0,9. 0,6.A MB .f y = 0,9.0,6.2,235. 2 .25 = 830 kN

2 = 27,5 cm

metal solda:

-

1 = 10,9 cm < 1,5 .10,2 = 15,3 cm = 42,80 cm

A w = 0,707.0,8.(1+0,397)2 .2 = 1,58. 2

N c = 0,75. 0,6.A w .f w = 0,75.0,6.1,58. 2 .41,5 = 830 kN -

2 = 28,1 cm

1 = 11,2 cm < 1,5 .10,2 = 15,3 cm = 43,40 cm

Onde:

A MB = área do metal base ; Nc = força normal de compressão;

t

f y = tensão de escoamento do metal base dos elementos estruturais adjacentes à ligação b = largura do elemento; dimensão plana do elemento sem incluir dobras

Aw = área efetiva de cisalhamento; área da seção efetiva da solda; = Comprimento da solda fw = resistência nominal à ruptura por tração do eletrodo;

= espessura da chapa;

das

2. Dimensionamento de ligações parafusadas

Exemplo Numérico

Dimensionar a ligação parafusada da figura:

Parafusos ASTM A325, d = ¾”, cantoneiras aço MR250

a) Resistência da barra (C t = 0,75)

N c = 0,9. A g .f y = 0,9.36,9.25 = 830 kN

N c = 0,75. C t .A g .f y = 0,75.0,75.36,9.40 = 830 kN

Onde:

Ct = coeficiente de redução usado no cálculo a área efetiva líquida; Ag = área bruta f y = tensão de escoamento do metal base dos elementos estruturais adjacentes à ligação Nc - força normal de compressão

b) Resistência dos parafusos (cisalhamento)

*Nd = yq N

v R nv = 0,65.0,42.A p . f u v R nv = 0,65.0,42.2,15. 82,5 = 48,4 kN

R c = 2. v R nv = 96,85 kN

Corte duplo:

número de parafusos: n = *( ¹*1,5 x ²250 )/96,85 = (375)/96,85 = 3,8719 (4)

1 = Tabela “Coeficiente de Ponderação” da NBR 8800/86 item 4.8.1

2 = Tabela 21 do Anexo A do item A 2.1

item 4.8.1 2 = Tabela 21 do Anexo A do item A – 2.1 Onde: R

Onde:

Rnv = resistência nominal à força cortante

das

Φv = coeficiente de resistência à força cortante f u = resistência à ruptura do aço na tração A p = Área bruta, relativa ao diâmetro nominal do parafuso

N d = força normal de cálculo;

yq = coeficiente de ponderações das ações permanentes; N = força normal em geral

c) Pressão de contato parafuso / parede de furos

R n = 0,75.α.A b . f u

adotando distância recomendada entre furos (item 7.3.6)

s = 3.d = 3.19 = 57 (60) mm

α = (60/19) – 0,5 = 2,65

adotando distância recomendada entre furo e borda

e = 30 mm > e min = 26 mm (tabela 18) α = (30/19) – 0 = 1,58

R n = 0,75.1,58.(1,9.0,95).40 = 85,56 kN

R n = 85,56 > ¹Nd/(2.n) = 375/2.4 = 46,875 kN

¹Nd = yq N

Onde:

Rn = resistência nominal;

f u = resistência à ruptura do aço na tração;

α = fator de imperfeição inicial;

Φ = coeficiente de resistência;

N d = força normal de cálculo

A b = Área efetiva para pressão de contato, relativa ao diâmetro nominal do parafuso multiplicado pela espessura da

chapa adjacente yq = coeficiente de ponderações das ações permanentes;

das

N = força normal em geral

d) Colapso por rasgamento (na barra)

Ruptura da seção líquida efetiva

R n = 0,75.(A v +A t ) liquida. 0,6. f u

Escoamento da seção bruta

R n = 0,90.(A v +A t ) bruta .0,6. f y

com

s = 60 mm

e

e = 30 mm

A v = (3,0 + 3.6,0).(0,95.2) = 39,9 cm 2 A t = (10,2 2,9).(0,95.2) = 13,87 cm 2

(A v +A t ) liquida (A v +A t ) bruta

= (39,9 + 13,87) 2.3.0,95.1,9 = 42,94 = (39,9 + 13,87) = 53,77 cm 2

Onde:

Rn = resistência nominal A v área de cisalhamento

A t área sujeita a tensões normais

f u = resistência à ruptura do aço na tração f y = tensão de escoamento do metal base dos elementos estruturais adjacentes à ligação

das

Resistências de cálculo ao colapso das áreas

R n = 0,75.42,94.0,6.40 = 772,9 kN R n = 0,90.53,77.0,6.25 = 725,9 kN

R n < Nd = 830 kN

Obrigado