Sei sulla pagina 1di 38

CARGASCARGAS EE

FORÇASFORÇAS ELÉTRICASELÉTRICAS

1 - CARGAS ELÉTRICAS

2 - CONDUTORES E ISOLANTES

Condutores são materiais nos quais as cargas elétricas se movem com facilidade, como os metais, o corpo humano e a água de torneira.

Não condutores, também conhecidos como isolantes, são materiais nos quais as cargas não se movem, como a borracha, os plásticos, o vidro e a água destilada.

Semicondutores são materiais que possuem propriedades elétricas intermediárias entre as dos condutores e as dos não condutores, como o silício e o germânio.

Supercondutores são condutores perfeitos, materiais nos quais as cargas se movem sem encontrar resistência.

As propriedades elétricas dos materiais são determinadas pela estrutura atômica.

Os átomos são formados por três tipos de partículas: os prótons, que possuem carga elétrica positiva, os elétrons, que possuem carga elétrica negativa, e os nêutrons, que não possuem carga elétrica. Os prótons e nêutrons ocupam a região central do átomo, conhecida como núcleo.

Quando os átomos de um material condutor como o cobre se unem para formar um sólido, alguns elétrons mais afastados do núcleo (que estão, portanto, submetidos a uma força de atração menor) se tornam livres para vagar pelo material, deixando para trás átomos positivamente carregados (íons positivos). Esses elétrons móveis recebem o nome de elétrons de condução.

Os materiais não condutores não possuem elétrons de condução.

2 - CONDUTORES E ISOLANTES

Uma barra de cobre neutra é isolada eletricamente da terra ao ser suspensa por um fio de material não condutor. Uma barra de plástico eletricamente carregada atrai a extremidade da barra de cobre que estiver mais próxima. Isso acontece porque os elétrons de condução da barra de cobre são repelidos para a extremidade mais afastada da barra pela carga negativa da barra de plástico, deixando a extremidade mais próxima com uma carga total positiva. Como está mais próxima, a carga positiva é atraída pela carga negativa da barra de plástico com mais força que a carga negativa que se acumulou na outra extremidade é repelida, o que produz uma rotação da barra de cobre.

Dois pedaços de uma pastilha de gaultéria se afastando um do outro. Os elétrons que saltam da superfície negativa do pedaço A para a superfície positiva do pedaço B colidem com moléculas de nitrogênio (N2) do ar.

3 - LEI DE COULOMB

A força associada à carga elétrica dos objetos é

chamada de força eletrostática.

A equação usada para calcular a força entre duas partículas carregadas é chamada de lei de Coulomb:

onde q1 e q2 são as cargas das partículas, é um vetor unitário na direção da reta que liga as duas partículas, r é a distância entre as partículas e k é uma constante.

A unidade de carga elétrica do SI é o coulomb.

A constante k é dada por

onde ε 0 é a chamada constante elétrica:

3 - LEI DE COULOMB

Corrente elétrica é a taxa de variação com o tempo, dq/dt, da carga que passa por um ponto ou região do espaço:

onde i é a corrente elétrica (em ampères) e dq (em coulombs) é a quantidade de carga que passa por um ponto ou uma região do espaço no intervalo de tempo dt (em segundos).

Assim,

3 - LEI DE COULOMB

Em um sistema de n partículas carregadas, as partículas interagem independentemente aos pares, e a força que age sobre uma das partículas, a partícula 1, por exemplo, é dada pela soma vetorial

onde, por exemplo, presença da partícula 4.

é a força que age sobre a partícula 1 devido à

(3.1)

Aos teoremas das cascas, que se revelaram úteis no estudo da gravitação, correspondem teoremas análogos na eletrostática:

EXEMPLO 1 - A: FORÇA TOTAL EXERCIDA POR VÁRIAS PARTÍCULAS

EXEMPLO 1 - A: FORÇA TOTAL EXERCIDA POR VÁRIAS PARTÍCULAS ( a ) Duas partículas de

(a) Duas partículas de

cargas q1 e q2 são mantidas fixas no

eixo x.

(b) Diagrama de corpo livre da

partícula 1, mostrando a força eletrostática exercida pela partícula 2.

EXEMPLO 1 - B: FORÇA TOTAL EXERCIDA POR VÁRIAS PARTÍCULAS

EXEMPLO 1 - B: FORÇA TOTAL EXERCIDA POR VÁRIAS PARTÍCULAS (c) Inclusão da Partícula 3. (
EXEMPLO 1 - B: FORÇA TOTAL EXERCIDA POR VÁRIAS PARTÍCULAS (c) Inclusão da Partícula 3. (
EXEMPLO 1 - B: FORÇA TOTAL EXERCIDA POR VÁRIAS PARTÍCULAS (c) Inclusão da Partícula 3. (
EXEMPLO 1 - B: FORÇA TOTAL EXERCIDA POR VÁRIAS PARTÍCULAS (c) Inclusão da Partícula 3. (

(c) Inclusão da Partícula 3. (d) Diagrama de corpo livre da partícula 1.

3.1
3.1

EXEMPLO 1 - C: FORÇA TOTAL EXERCIDA POR VÁRIAS PARTÍCULAS

EXEMPLO 1 - C: FORÇA TOTAL EXERCIDA POR VÁRIAS PARTÍCULAS ( e ) Inclusão da partícula
EXEMPLO 1 - C: FORÇA TOTAL EXERCIDA POR VÁRIAS PARTÍCULAS ( e ) Inclusão da partícula

(e) Inclusão da partícula 4 (f ) Diagrama de corpo livre da partícula 1.

EXEMPLO 2: EQUILÍBRIO DE DUAS FORÇAS

EXEMPLO 2: EQUILÍBRIO DE DUAS FORÇAS O equilíbrio no ponto x = 2 L é instável.
EXEMPLO 2: EQUILÍBRIO DE DUAS FORÇAS O equilíbrio no ponto x = 2 L é instável.

O equilíbrio no ponto x = 2L é instável. Quando o próton é deslocado para a esquerda em relação ao ponto R, F1 e F2 aumentam, mas F2 aumenta mais (porque q2 está mais próxima que q1), e a força resultante faz com que o próton continue a se mover para a esquerda até se chocar com a carga q. Quando o próton é deslocado para a direita em relação ao ponto R, F1 e F2 diminuem, mas F2 diminui mais, e a força resultante faz com que o próton continue a se mover indefinidamente para a direita. Se o equilíbrio fosse estável, o próton voltaria à posição inicial depois de ser deslocado ligeiramente para a esquerda ou para a direita.

EXEMPLO 3 - A: DISTRIBUIÇÃO DE CARGAS

EXEMPLO 3 - A: DISTRIBUIÇÃO DE CARGAS Duas pequenas esferas condutoras, A e B . (

Duas pequenas esferas condutoras, A e B. (a) No início, a esfera A está carregada positivamente.(b) Uma carga negativa é transferida de B para A através de um fio condutor. (c) As duas esferas ficam carregadas positivamente.

(1) Como as esferas são iguais, devem terminar com cargas iguais (mesmo sinal e mesmo valor absoluto). (2) A soma inicial das cargas (incluindo o sinal) deve ser igual à soma final das cargas. Raciocínio Quando as esferas são ligadas por um fio, os elétrons de condução (negativos) da esfera B, que se repelem mutuamente, podem se afastar uns dos outros movendo-se, através do fio, para a esfera A positivamente carregada, como mostra a (b).

Com isso, a esfera B perde cargas negativas e fica positivamente carregada, enquanto a esfera A ganha cargas negativas e fica menos positivamente carregada. A transferência de carga cessa quando a carga da esfera B aumenta para Q/2 e a carga da esfera A diminui para Q/2, o que acontece quando uma carga Q/2 passa de B para A.

As esferas, agora positivamente carregadas, passam a se repelir com uma força dada por

EXEMPLO 3 - B: DISTRIBUIÇÃO DE CARGAS

(d) Uma carga negativa é

transferida para a esfera A através de um fio condutor ligado à terra.

(e) A esfera A fica neutra.

Raciocínio Quando ligamos um objeto carregado à terra (que é um imenso condutor), neutralizamos o objeto.

Se a esfera A estivesse negativamente carregada, a repulsão mútua entre os elétrons em excesso faria com que esses elétrons migrassem da esfera para a terra. Como a esfera A está positivamente carregada, elétrons com uma carga total de Q/2 migram da terra para a esfera, deixando a esfera com carga 0. Assim, a nova força eletrostática entre as esferas é zero newton.

4 - A CARGA É QUANTIZADA

4 - A CARGA É QUANTIZADA

4.1

4.1
4.1

4 - A CARGA É QUANTIZADA

Na descrição dos fenômenos que envolvem cargas elétricas, alguns termos podem criar a impressão errônea de que a carga é uma substância. Estamos acostumados a usar frases como

“carga de uma esfera” “carga transferida” “carga acumulada”

É preciso não esquecer que a carga é uma propriedade das partículas, como a massa também o é.

EXEMPLO 4: REPULSÃO ENTRE AS PARTÍCULAS DE UM NÚCLEO ATÔMICO

4.1
4.1
EXEMPLO 4: REPULSÃO ENTRE AS PARTÍCULAS DE UM NÚCLEO ATÔMICO 4.1

5 - A CARGA É CONSERVADA

Quando friccionamos um bastão de vidro com um pedaço de seda, o bastão fica positivamente carregado. As medidas mostram que uma carga negativa de mesmo valor absoluto se acumula na seda. Isso sugere que o processo não cria cargas, mas apenas transfere cargas de um corpo para outro, rompendo no processo a neutralidade de carga dos dois corpos.

Essa hipótese de conservação da carga elétrica foi comprovada exaustivamente, tanto para objetos macroscópicos como para átomos, núcleos e partículas elementares.

Exemplo 5a: O decaimento radioativo de núcleos atômicos, no qual um núcleo se transfo em um núcleo diferente.

Um núcleo de urânio 238 (238U) se transforma em um núcleo de tório 234 (234Th) emitindo uma partícula alfa, que é um núcleo de hélio (4He); a carga total é +92e antes e depois do decaimento.

Exemplo 5b: Um elétron e (cuja carga é -e) e sua antipartícula, o pósitron (cuja carga é +e), sofrem um processo de aniquilação e se transformam em dois raios gama (ondas eletromagnéticas de alta energia); a carga total é zero antes e depois da aniquilação.

Exemplo 5c: Um raio gama se transforma em um elétron e um pósitron; a carga total é zero antes e depois da transformação.

TESTESTESTES DEDE MÚLMÚLTIPLATIPLA ESCOLHAESCOLHA

1.

A carga adquirida por uma barra de vidro, ao ser esfregada com um pano de seda, é

chamada de positiva:

A) por uma convenção arbitrária;

B) para que a carga do próton seja positiva;

C) para respeitar as convenções adotadas para G e m na Lei da Gravitação de Newton;

D)

porque cargas iguais se repelem;

E)

porque o vidro é isolante.

2.

Quando uma barra de borracha recebe uma carga negativa ao ser esfregada com

um tecido de lã:

A) cargas positivas são transferidas da borracha para a lã;

B) cargas negativas são transferidas da borracha para a lã;

C) cargas positivas são transferidas da lã para a borracha;

D) cargas negativas são transferidas da lã para a borracha;

E) cargas negativas são criadas e armazenadas na borracha.

3. A figura mostra dois cubos de plástico eletricamente carregados que se atraem.

cubos de plástico eletricamente carregados que se atraem. O cubo 3 é feito de metal e

O cubo 3 é feito de metal e está descarregado. Qual das figuras abaixo mostra corretamente as forças entre os cubos 1 e 3 e entre os cubos 2 e 3?

A) I;

B) II;

C) III;

D) IV;

abaixo mostra corretamente as forças entre os cubos 1 e 3 e entre os cubos 2

4.

Dois elétrons (e 1 , e 2 ) e um próton (p) estão na mesma linha reta, como mostra a

figura. Os sentidos das forças que e 2 exerce sobre e 1 , que p exerce sobre e 1 e que as outras duas partículas exercem sobre e 1 são, respectivamente,

A)

B)

C)

D)

E)

→, ←, →; ←, →, →; →, ←, ←; ←, →, ←; ←, ←, ←.

←, →, →; →, ←, ←; ←, →, ←; ←, ←, ←. 5. figura. Os sentidos

5.

figura. Os sentidos das forças que p 1 exerce sobre e, que p 2 exerce sobre e, e que as

Dois prótons (p 1 e p 2 ) e um elétron (e) estão na mesma linha reta, como mostra a

duas outras partículas exercem sobre e são, respectivamente,

A) →, ←, →;
B) ←, →, →;
C) →, ←, ←;
D) ←, →, ←;
E) ←, ←, ←.

e são, respectivamente, A) →, ←, →; B) ←, →, →; C) →, ←, ←; D)

6.

Para carregar negativamente um objeto neutro, é preciso:

A)

acrescentar átomos;

B)

remover átomos;

C)

acrescentar elétrons;

D)

remover elétrons;

E)

acrescentar um sinal negativo.

7.

Para carregar positivamente um objeto neutro, é preciso:

A)

remover nêutrons;

B)

acrescentar nêutrons;

C)

acrescentar elétrons;

D)

remover elétrons;

E)

aquecer o objeto para que mude de fase.

8.

Um isolante elétrico é um material:

A)

que não contém elétrons;

B)

no qual os elétrons não se movem com facilidade;

C)

que possui mais elétrons do que prótons na superfície;

D)

que não pode ser um elemento químico;

E)

que deve ser um cristal.

9. A diferença entre um material condutor e um isolante com o mesmo número de átomos está no número de:

A) átomos livres;

B) elétrons;

C) elétrons livres;

D) prótons;

E) moléculas.

10. Uma bola metálica neutra está suspensa por um barbante. Uma barra isolante positivamente carregada é aproximada da bola, que é atraída pela barra. Isso acontece porque

A) a bola é carregada positivamente por indução;

B) a bola é carregada negativamente por indução;

C) o número de elétrons da bola é maior que o número de elétrons da barra;

D) o barbante não é um isolante perfeito;

E) acontece uma redistribuição dos elétrons da bola.

11. Uma barra isolante positivamente carregada é aproximada de um objeto suspenso por um barbante. Se o objeto é atraído pela barra, podemos concluir que o objeto

A) possui carga positiva:

B) possui carga negativa:

C) é feito de um material isolante:

D) é feito de um material condutor;

E) Nenhuma das respostas acima.

12.

Uma barra isolante positivamente carregada é aproximada de um objeto suspenso por

um barbante. Se o objeto é repelido pela barra, podemos concluir que o objeto:

A)

possui carga positiva;

B)

possui carga negativa;

C)

é feito de um material isolante;

D)

é feito de um material condutor;

E)

Nenhuma das respostas acima.

13.

Duas esferas metálicas eletricamente neutras, L e M, estão em contato. Uma barra

negativamente carregada é aproximada da esfera L sem tocá-la, como mostra a figura. As esferas são separadas ligeiramente e a barra é afastada. A partir desse instante,

A)

B)

C)

D)

E)

14.

as duas esferas permanecem neutras;

as duas esferas ficam positivas;

as duas esferas ficam negativas;

a esfera L fica negativa e a esfera M fica positiva;

a esfera L fica positiva e a esfera M fica negativa.

a esfera L fica positiva e a esfera M fica negativa. Uma esfera metálica positivamente carregada,

Uma esfera metálica positivamente carregada, A, é colocada em contato com uma

esfera metálica eletricamente neutra, B. Em consequência,

A) as duas esferas ficam positivas;

B) as duas esferas ficam neutras;

C) a esfera A fica positiva e a esfera B fica negativa;

D) a esfera A fica neutra e a esfera B fica positiva;

E) a esfera A fica neutra e a esfera B fica negativa.

15. As folhas de um eletroscópio positivamente carregado se afastam mais quando um objeto é aproximado do coletor do eletroscópio. Isso significa que o objeto:

A) é feito de um material condutor;

B) é feito de um material isolante;

C) possui carga positiva;

D) possui carga negativa;

E) é eletricamente neutro.

16. Uma tira de borracha negativamente carregada é aproximada do coletor de um eletroscópio positivamente carregado. Em consequência,

A) as folhas do eletroscópio se afastam mais;

B) a tira de borracha perde a carga;

C) as folhas do eletroscópio se aproximam;

D) o eletroscópio perde a carga;

E) o eletroscópio fica negativo.

17. Um eletroscópio é carregado por indução usando uma barra de vidro que foi carregada positivamente ao ser esfregada com um pano de seda. As folhas do eletroscópio:

A) ganham elétrons;

B) ganham prótons;

C) perdem elétrons;

D) perdem prótons;

E) ganham um número igual de prótons e elétrons.

18.

Considere os seguintes procedimentos:

(1) aterrar o eletroscópio (2) remover o aterramento do eletroscópio (3) encostar um corpo carregado no eletroscópio (4) aproximar um corpo carregado do eletroscópio, sem tocá-lo (5) remover o corpo carregado

A sequência correta para carregar um eletroscópio por indução é a seguinte:

A)

1, 4, 5, 2;

B)

4, 1, 2, 5;

C)

3, 1, 2, 5;

D)

4, 1, 5, 2;

E)

3, 5.

19.

Um isolante carregado pode ser descarregado aproximando-o de uma chama. Isso

acontece porque a chama:

A) aquece o material;

B) seca o material;

C) contém dióxido de carbono;

D) contém íons;

E) contém átomos que se movem rapidamente.

20.

Um Coulomb equivale a:

A)

um ampère por segundo;

B)

meio ampère-segundo ao quadrado;

C)

um ampère por metro quadrado;

D)

um ampère-segundo;

E)

um newton-metro quadrado.

21.

O quiloampère-hora é uma unidade de:

A) corrente;

B) carga por unidade de tempo;

C)

potência;

D)

carga;

E)

energia.

22.

O valor absoluto da carga do elétron é aproximadamente:

A)

10

23 C;

B)

10

-23 C;

C)

10

19 C;

D)

10

-19 C;

23. O valor absoluto da carga negativa total dos elétrons contidos num mol de hélio (número atômico 2, massa atômica 4) é:

A) 4,8 × 10 4 C

B) 9,6 × 10 4 C

C) 1,9 × 10 5 C

D) 3,8 × 10 5 C

E) 7,7 × 10 5 C

24. O valor absoluto da carga negativa total dos elétrons contidos em 1Kg de hélio (número atômico 2, massa atômica 4) é:

A) 48C;

B) 2,4 × 10 7 C;

C) 4,8 × 10 7 C;

D) 9,6 × 10 8 C;

E) 1,9 × 10 8 C.

25. Um fio conduz uma corrente constante de 2A. A carga que passa por uma seção reta do fio em 2s é:

A) 3,2 × 10 -19 C;

B) 6,4 × 10 -19 C;

C) 1C;

D) 2C;

26.

Um fio conduz uma corrente constante de 2A. O número de elétrons que passam

por uma seção reta do fio em 2s é:

A)

2;

B)

4;

C)

6,3 × 10 18 ;

D)

1,3 × 10 19 ;

E)

2,5 × 10 19 .

27.

A figura mostra dois pares de cubos eletricamente carregados. Os cubos 1 e 2 se

atraem e os cubos 1 e 3 se repelem.

Os cubos 1 e 2 se atraem e os cubos 1 e 3 se repelem. Qual

Qual das figuras abaixo ilustra corretamente as forças que agem entre os cubos 2 e 3?

A) I;

B) II;

C) III;

D) IV;

E) V.

Qual das figuras abaixo ilustra corretamente as forças que agem entre os cubos 2 e 3?

28.

Um pequeno objeto tem uma carga Q. Uma carga q é removida e colocada em outro pequeno

objeto. Os dois objetos são colocados a 1m de distância. Para que a força que os objetos exercem um sobre o outro seja máxima, o valor de q deve ser:

A)

2Q;

B)

Q;

C)

Q/2;

D)

Q/4;

E)

0.

29.

Dois pequenos objetos carregados se repelem com uma força F quando estão separados por uma

distância d. Se a carga dos dois objetos é reduzida a um quarto do valor original e a distância entre os objetos é reduzida a d/2, a força entre os objetos passa a ser:

A)

F/16;

B)

F/8;

C)

F/4;

D)

F/2;

E)

F.

30.

Duas esferas condutoras iguais, A e B, possuem cargas iguais e estão separadas por uma distância

muito maior que o diâmetro. Uma terceira esfera condutora, C, está inicialmente descarregada. A esfera

C é encostada na esfera A, depois na esfera B e, finalmente, removida. Em consequência, a força eletrostática entre A e B, que era originalmente F, se torna:

A) F/2;

B) F/4;

C) 3F/8;

D) F/16;

31. Duas partículas, X e Y, estão separadas por uma distância de 4m. A carga da partícula X é 2Q e a carga da partícula Y é Q. A força que a partícula X exerce sobre a partícula Y é:

A) duas vezes maior que a força que a partícula Y exerce sobre a partícula X;

B) metade da força que a partícula Y exerce sobre a partícula X;

C) igual à força que a partícula Y exerce sobre a partícula X;

D) quatro vezes menor que a força que a partícula Y exerce sobre a partícula X;

E) quatro vezes maior que a força que a partícula Y exerce sobre a partícula X.

32. A constante 1/(4πε 0 ) pode ser medida em:

A)

B) N m/C;

C) N 2 m 2 /C 2 ;

N 2 /C 2 ;

D) N m 2 /C 2 ;

E)

m 2 /C 2 .

33. Uma carga de 5,0C está a 10m de distância de uma carga de –2,0C. A força eletrostática a que a carga de 5,0C está submetida é:

A) 9,0 × 10 8 N na direção da carga negativa;

B) 9,0 × 10 8 N para longe da carga negativa;

C) 9,0 × 10 9 N na direção da carga negativa;

D) 9,0 × 10 9 N para longe da carga negativa;

E) Nenhuma das respostas acima.

34.

Duas cargas iguais, separadas por uma distância de 2,0m, exercem forças de 4,0N uma sobre a

outra. O valor de cada carga é:

A)

1,8 × 10 -9 C;

B)

2,1 × 10 -5 C;

C)

4,2 × 10 -5 C;

D)

1,9 × 10 5 C;

E)

3,8 × 10 5 C.

35.

Duas partículas têm cargas Q e –Q (mesmo valor absoluto e sinais opostos). Para que a força

exercida pelas duas cargas sobre uma terceira carga seja nula, a terceira carga deve ser colocada:

A)

no ponto médio do segmento de reta que liga Q a –Q;

B)

em qualquer ponto da mediatriz do segmento de reta que liga Q a –Q;

C)

na reta que passa por Q e –Q, no lado de Q oposto a –Q;

D)

na reta que passa por Q e –Q, no lado de –Q oposto a Q;

E)

Nenhuma das respostas acima (o problema não tem solução).

36.

As partículas 1, de carga q 1 , e 2, de carga q 2 , estão no eixo x, com a partícula 1 em x = a e a

partícula 2 em x = –2a. Para que a resultante da força exercida pelas duas partículas sobre uma terceira partícula, situada na origem, seja nula, devemos ter q 2 :

A) = 2q 1 ;

B) = 4q 1 ;

C) = –2q 1 ;

D) = –4q 1 ;

E) = –q 1 /4.

37.

Duas partículas, A e B, têm a mesma carga Q. Para que a força exercida pelas duas cargas sobre

uma terceira carga seja nula, a terceira carga deve ser colocada:

A)

no ponto médio do segmento de reta que liga Q a –Q;

B)

em qualquer ponto da mediatriz do segmento de reta que liga Q a –Q;

C)

na reta que passa por Q e –Q, no lado de Q oposto a –Q;

D)

na reta que passa por Q e –Q, no lado de –Q oposto a Q;

E)

Nenhuma das respostas acima (o problema não tem solução).

38.

Uma partícula de carga 2μC é colocada na origem, uma partícula com a mesma carga é colocada

no eixo x, a 2 m de distância da origem, e uma terceira partícula, com a mesma carga, é colocada no eixo y, a 2 m de distância da origem. Nessas condições, a primeira partícula fica submetida a uma força de:

A)

9,0 × 10 -3 N;

B)

6,4 × 10 -3 N;

C)

1,3 × 10 -2 N;

D)

1,8 × 10 -2 N;

E)

3,6 × 10 -2 N.

39.

Uma carga Q está distribuída uniformemente ao longo de uma circunferência de raio R e uma

partícula pontual de carga q foi colocada no centro da circunferência. Nessas condições, a força

resultante a que a partícula está submetida é qQ:

A)

B)

C) qQ/(8π 2 ε 0 R

D) 0;

E) Nenhuma das respostas acima.

qQ/(4πε

qQ/(8πε

0 R

0 R

2

);

2 );

2

);

40. Duas partículas de carga Q e uma terceira partícula, de carga q, são colocadas nos vértices de um

triângulo equilátero, como mostra a figura. A força resultante que age sobre a partícula de carga q é:

A)

B)

C)

D)

E)

paralela ao lado esquerdo do triângulo;

paralela ao lado direito do triângulo;

paralela à base do triângulo;

perpendicular à base do triângulo;

perpendicular ao lado esquerdo do triângulo.

do triângulo; perpendicular ao lado esquerdo do triângulo. 41. está no eixo x a uma distância

41.

está no eixo x a uma distância d da origem. O valor de d para o qual a componente x da força a que a segunda partícula é submetida é máxima é:

Uma partícula de carga Q está no eixo y a uma distância a da origem e uma partícula de carga q

A)

0;

B)

a;

C)

a·2 1/2

;

D)

a/2;

E)

a/2 1/2 .

42.

No modelo de Rutherford do átomo de hidrogênio, o núcleo é constituído por um próton (massa M,

carga Q), e um elétron (massa m, carga q) gira em torno do próton em uma circunferência de raio r. Seja k a constante da Lei de Coulomb 1/(4πε 0 ) e seja G a constante universal da gravitação. A razão

entre a força eletrostática e a força gravitacional a que o elétron está submetido é:

A) kQq/(GMmr 2 );

B) Gqq/(kMm);

C) kMm/(GQq);

D) Gmm/(kQq);

E) kQq/(GMm).

43. Uma partícula de carga 5 × 10 -6 C e massa 20g se move com uma velocidade de 7m/s em

uma órbita circular em torno de uma partícula estacionária com uma carga de –5 × 10 -6 C. O raio da órbita é:

A) 0;

B) 0,23m;

C) 0,62m;

D) 1,6m;

E) 4,4m.

44. Uma carga elétrica está distribuída uniformemente na superfície de um balão esférico feito de

material isolante. Uma partícula pontual de carga q é colocada no interior do balão. A força

elétrica a que a partícula é submetida é máxima quando a partícula:

A)

está perto da superfície interna do balão;

B)

está no centro do balão;

C)

está a meio caminho entre o centro e a superfície interna do balão;

D)

está em qualquer ponto do interior do balão (força constante e diferente de 0 no interior);

E)

está em qualquer ponto do interior do balão (a força é zero no interior do balão).

45.

Uma carga elétrica está distribuída na superfície de um balão esférico feito de um material

condutor. Uma partícula pontual de carga q é colocada no interior do balão. A força elétrica a que a partícula é submetida é máxima quando a partícula.

A) está perto da superfície interna do balão;

B) está no centro do balão;

C) está a meio caminho entre o centro e a superfície interna do balão;

D) está em qualquer ponto do interior do balão (força constante e diferente de 0 no interior);

E) está em qualquer ponto do interior do balão (a força é zero no interior do balão).