Sei sulla pagina 1di 234

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

REVISÃO CURRICULAR

Reformulação dos Programas da Componente Sócio - Cultural e Matemática dos Sub - Sistemas de Formação Profissional Inicial do Instituto do Emprego e Formação Profissional

CCoommuunniiccaarr eemm AAlleemmããoo

Março de 2001

Escola Superior de Educação de Setúbal

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

COMPONENTE DE FORMAÇÃO SOCIO-CULTURAL E MATEMÁTICA

Área de Competência: Línguas, Cultura e Comunicação

COMUNICAR EM ALEMÃO

Março de 2001

O Grupo de trabalho

Zulmira Passeira Isabel Mendes Fernando Simões

CCoommuunniiccaarr eemm AAlleemmããoo

C C o o m m u u n n i i c c a a

Comunicar em Alemão

Tema Integrador Grau Elementar Designação dos módulos 1. A minha identidade 2.A familia e amigos 3.
Tema Integrador
Grau Elementar
Designação dos módulos
1. A minha identidade
2.A familia e amigos
3. A minha ocupação/ profissão
Duração
Relações
36
horas
Autónomo
32
Horas
Autónomo
32
Horas
Autónomo
Grau Geral
Integrador
Designação
Duração
Relações
1.
Comos somos e os outros nos vêem-Estilos
30 horas
1GE
Vida/Moda
2.
Como nos alimentamos-Alimentação saudável
30
horas
2,3GE
DPS
3.
Como vivemos-Estilos vida saudável/desporto
30
horas
Autón.
4.
Como nos formamos-Educação/ formação
30
horas
3GE
1GG
5.
Onde vivemos-Á descoberta da nossa cidade
30
horas
Autón.
6.
Como nos divertimos-Lazer/ férias
30
horas
DPS e
L.Port.
7.
Como nos informamos-Os media
30
horas
1,2GE
1NII
8.
Como nos relacionamos-Participação cívica/
30 horas
L.Port.
solidariedade
L. Estrang.
DPS

Legenda:

Articulação

Articulação

horizontal

vertical

GE – Grau elementar GG – Grau Geral GC – Grau Complementar

 

Grau Complementar

 

Tema Integrador

Designação dos módulos

Duração

Relações

 

1.Cidadão do mundo - Direito à

34

horas

7GG

   

diferença/Discriminação

 

DPS

2.Direitos/ deveres do cidadão europeu

34

horas

2GG

 
       

L Est.

 

3.Direitos/ deveres dos trabalhadores

34

horas

Informática

 
  • 4. As migrações no mundo

34

horas

DPS

   
  • 5. Os conflitos no mundo

32

horas

4GC

   
DPS

DPS

6. O ambiente 34 Horas M.Actual
  • 6. O ambiente

 

34 Horas

M.Actual

 

3GG

 
7. Gestão de Recursos - Desperdício Vs necessidade 32 horas M. Actual
  • 7. Gestão de Recursos - Desperdício Vs necessidade

32

horas

M. Actual

 
8. O progresso 32 horas L.Port. L. Est .. DPS
  • 8. O progresso

32

horas

L.Port. L. Est .. DPS

   
   

8GG

 
  • 9. A sociedade da informação

34

horas

3GC

   
 

DPS

Legenda: Como no Grau Geral

 

ÍNDICE

 

Introdução ...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

3

Orientações Metodológicas

 

...

5

Competências Transversais

 

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

8

Competências Específicas

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

10

Avaliação ...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

14

Descrição dos Módulos

 

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

15

Estrutura Temática dos Módulos

 

...

17

Quadros Síntese de Temas e Tarefas

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

18

Grau Elementar

 
  • - Introdução ...

 

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

21

  • - Competências a desenvolver

 

...

22

  • - Quadros Síntese

 

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

23

  • - Critérios de Avaliação

 

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

29

  • - Módulos ...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

30

Grau Geral

  • - Introdução ...

 

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

55

  • - Competências a desenvolver ...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

56

  • - Quadros Síntese

 

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

58

  • - Critérios de Avaliação

 

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

67

  • - Módulos ...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

68

Grau Complementar

 
  • - Introdução ...

 

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

132

  • - Competências a desenvolver

 

...

133

  • - Quadros Síntese

 

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

134

  • - Critérios de Avaliação

 

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

143

  • - Módulos ...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

144

Bibliografia

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

207

INTRODUÇÃO

Num tempo de institucionalização de novas formas de pensar, de viver e de sentir, o discurso sobre educação/ formação não se pode circunscrever a uma óptica economicista, isto é, em torno de uma prática restrita à formação de identidades que se ajustem à evolução do mercado de emprego, assim como de espaços promotores da

eficiência económica de um país. Estes espaços devem também constituir “places

in

... the service of creating a public sphere of citizens who are able to exercise power over their lives and especially over the conditions of knowledge production and acquisition”. 1 Assim, se por um lado nos deparamos com uma sociedade pós-industrial que requer cada vez mais uma mão-de-obra qualificada, as necessidades dessa mesma sociedade democrática exigem igualmente a presença de um cidadão esclarecido com capacidade de intervenção e transformação social.

Assistimos ao fim de um ciclo de hegemonia de uma ordem científica e com ela, ao advento de uma nova condição dita pós-moderna criada por transformações tecnológicas e sociais que se reflectem na forma como o saber é produzido e percepcionado. 2 Com a emergência desta nova ordem, desenvolve-se a sensibilidade às diferenças, acentua-se o processo de subjectividade, no qual o indivíduo é levado a fazer as suas próprias escolhas, assim como se validam experiências do quotidiano e do conhecimento produzido em torno das novas tecnologias e dos meios de informação. Esta condição, definida por alguns autores como pós-moderna, inaugura a co-presença de discursos abertos e plurais, assim como erige o particular, o local e a parcialidade de todo o conhecimento. No contexto da educação/ formação, as implicações deste novo paradigma passam pela adopção de uma abordagem centrada não só na aquisição de competências e atitudes necessárias para funcionar eficazmente numa sociedade multicultural, mas também nas narrativas, experiências e nos saberes das várias identidades igualmente válidos como formas de conhecimento.

- 3 -

1 Aronowitz, S. e Giroux, H. (1991). Postmodern Education: Politics, Culture, and Social Criticism. Minneapolis: University of Minnesota Press. p.47. 2 Lyotard, J. F. (1989). A Condição Pós-moderna. Lisboa: Gradiva. pp.15-22.

Retoma-se Dewey 3 ao valorizar um processo centrado no educando/ formando, que através da acção, partindo das suas vivências, aprende a aprender e a participar na construção de uma sociedade democrática. De acordo com alguns autores, a questão equaciona-se com a construção de um currículo que considere não só estas novas condições sociais e tecnológicas, mas também as vozes daqueles que apresentam insuficientes níveis de qualificação escolar e profissional.

Face ao exposto e no que diz respeito à aprendizagem de uma língua estrangeira, esta, no contexto da educação/ formação, potencia no indivíduo a aquisição de competências fundamentais no quadro actual de crescente mobilidade de bens e de pessoas, abrindo horizontes a vários níveis. Da mesma forma, aprender uma língua significa igualmente apreender outra cultura e como tal desenvolver o espírito de compreensão, de abertura e de tolerância face ao diferente. A aprendizagem de uma língua estrangeira converge desta forma para a actual ordem de valores, referida anteriormente, no sentido de que torna o indivíduo apto a enfrentar os novos ritmos de mudança e as relações que daí advêm no mercado de trabalho, bem como forma o cidadão consciente do mundo que o rodeia e com capacidade de transformação nesse mesmo mundo, promovendo-se assim uma cidadania de intervenção.

3 Dewey, J. (1916). Democracy and Education ..

- 4 -

ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS

A concepção do programa de alemão articula-se numa primeira linha com o modelo de educação/ formação adoptado para o IEFP. Assim, procura-se expressar nos princípios formulados e nas orientações metodológicas sugeridas, os pressupostos do Sistema Modular Aferido e que assentam, entre outros vectores, no carácter voluntário do acto de aprendizagem, na motivação do formando, na personalização e humanização do acto da aprendizagem, na diferenciação individual e na promoção de uma eficaz integração do formando na sociedade. 4 Por outro lado, a língua alemã, enquanto componente da Formação Sociocultural da Formação Profissional do IEFP, contribui igualmente para a concretização dos objectivos dessa mesma componente e que passam pelo desenvolvimento de competências transversais de natureza pessoal, social e relacional. A aprendizagem de outro sistema de signos, enquanto parte de um plano de formação, promove oportunidades de análise contrastiva, permitindo ao formando desenvolver a compreensão e expressão do Eu e do Outro.

O desenvolvimento de uma pedagogia diferenciada assente na aprendizagem autónoma e reflexiva corporiza o modelo de formação baseado no Sistema Modular Aferido, facto que conduz à necessidade de o ensino/ aprendizagem da língua alemã se encontrar em coerência com os vectores desse mesmo sistema. Deste modo, propõe-se que os conteúdos e os objectivos da comunicação no espaço da sala de aula se centrem no universo do formando, isto é, nas suas experiências pessoais, motivações e necessidades identificadas como primordiais no projecto do Conselho da Europa ao definir objectivos para o ensino/ aprendizagem da língua estrangeira. Assim, as metodologias centradas no formando condicionam a organização dos conteúdos em torno de temáticas relacionadas com a sua área de experiência e, como já se referiu, com as suas necessidades e interesses.

Face ao exposto e tendo em conta as orientações dos Programas de Alemão do 3º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário, assim como os princípios da estrutura modular, optou-se por uma estruturação do programa de alemão em torno de três grandes temas integradores. O EU constitui o ponto referencial para o desenvolvimento

- 5 - 4 Canhão, A. et al. (1996). Sistema Modular Aferido: Proposta para a Concepção e Gestão de Currículos em Sistema Modular. Lisboa: IEFP. pp. 17-18.

de competências e conteúdos do Grau Elementar. De seguida, propõe-se desenvolver o programa referente aos módulos do Grau Geral com base na relação estabelecida entre o EU e o OUTRO, para finalmente se abordar a relação do indivíduo com as diversas problemáticas do mundo envolvente, no último grau de formação – EU e o MUNDO.

Um segundo aspecto a considerar no programa de língua alemã prende-se com a natureza do conceito de módulo enquanto unidade de ensino/ aprendizagem relativamente autónoma que conduz ao desenvolvimento de competências. Este conceito aponta para a definição de competências centradas em tarefas que permitem ao formando tornar-se agente activo de todo o processo. Em cada módulo do programa é apresentado um conjunto de tarefas, desenvolvidas e realizadas pelos formandos de

acordo com o seu ritmo de trabalho, as suas necessidades e interesses e mesmo o seu nível de conhecimentos linguísticos/ comunicativos. Em torno deste conceito de tarefa foram organizados os conteúdos, as metodologias e a avaliação do processo e do produto final, facto que preconiza uma orientação para a prática, para o saber-fazer/

saber-comunicar, na medida em que: “

...proporciona

aos alunos oportunidades para a

realização de actividades onde se jogam múltiplas competências, se reciclam conhecimentos num contexto relativamente natural e constitui uma extensão lógica de actividades de transferência das aprendizagens controladas, já que estimula os alunos a assumir responsabilidade pelos temas seleccionados, pela metodologia de trabalho e pela concepção dos produtos finais.” 5 Com base nas orientações estipuladas nos Programas de Língua Alemã do 3º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário, assim como nos anteriores Programas de Alemão do IEFP, optou-se ainda por uma apresentação cíclica e em espiral dos conteúdos e das competências que são retomadas e aprofundadas ao longo dos vários módulos.

Relativamente ao papel do formador, pretende-se que este passe de uma fase inicialmente mais dirigida, na qual se assume como o orientador e facilitador do processo para, posteriormente, ceder o protagonismo ao formando, sendo este, no último grau de formação, o responsável pela negociação das tarefas e pela apresentação

- 6 -

5 Programa de Alemão – Ensino Secundário. (1991) . p.29.

dos produtos finais. O formador deverá promover uma prática pedagógica diferenciada que corresponda de alguma forma à diversidade de competências e aos diferentes ritmos de trabalho dos elementos do grupo-turma. Assim, revela-se pertinente o desenvolvimento de trabalho individual na sala ou no exterior, uma vez que permite ao formando gerir com autonomia o seu próprio ritmo de trabalho. Por outro lado, o trabalho de pares e de grupo para além de promover competências a nível da sociabilidade e cooperação, permite aproximar este tipo de trabalho a formas de interacção naturais e/ ou simuladas, no contexto da comunicação.

Uma outra característica do programa prende-se com a abordagem intercultural que é feita das áreas temáticas, ao longo dos módulos de formação. Efectivamente, trata-se de partir das experiências, motivações e dos conhecimentos do formando para, através de uma análise comparativa, apreender outro sistema de conceitos e valores, desenvolvendo a competência sociocultural do formando, facto que vai também ao encontro das recomendações do projecto do Conselho da Europa. O desvendar da alteridade despoleta a relativização das diversas formas do saber/ conhecer, assim como o respeito e a tolerância por essas mesmas formas de ver e estar no mundo.

- 7 -

COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS

Autonomia – Gerir a própria aprendizagem e a sua vida, assim como usar

eficazmente informação veiculada por diferentes meios, manifestando curiosidade

intelectual e gosto por conhecer/ saber;

Apropriação do conhecimento – Saber/ ser capaz de identificar, descrever, analisar

e sintetizar, apropriando-se do conhecimento e do sentido das coisas;

Capacidade de organização e de método – Adquirir bons hábitos de trabalho e

métodos de resolução de problemas adequados à diversidade de situações da

formação e da sua vida quotidiana, gerindo com eficiência o seu tempo e recursos;

Afirmação pessoal e relação – Relacionar-se com os outros, na medida em que

exprime adequadamente as suas ideias, opiniões, sentimentos, experiências e

emoções, afirmando-se como indivíduo e, ao mesmo tempo, sabendo colocar-se no

lugar do outro;

Sentido de responsabilidade e de participação – Mostrar-se responsável,

promovendo a qualidade através da auto- e hetero-avaliação. Compreender o mundo

actual e as grandes questões que se colocam hoje à humanidade, colaborando com os

outros na transformação/ intervenção social.

- 8 -

COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS

   

GRAU ELEMENTAR

 

GRAU GERAL

 

GRAU COMPLEMENTAR

 

AUTONOMIA

Realizar tarefas simples, sob

Realizar tarefas de relativa com-

Realizar tarefas de maior com-

orientação do formador

plexidade

com progressiva

plexidade de forma autónoma

   

autonomia

APROPRIAÇÃO DO

Identificar, descrever, qualificar,

Interpretar, analisar, relacionar

 

Analisar,

relacionar,

sintetizar,

classificar

 

problematizar

 

CONHECIMENTO

Usar materiais e recorrer a

Usar materiais e recorrer a

 

Usar

materiais

e

recorrer

a

fontes facilmente acessíveis

fontes acessíveis

fontes diversificadas

 
 

Organizar

a

informação

utili-

Inventariar

e

organizar

a

Utilizar a informação de forma

zando técnicas elementares

informação de forma adequada

eficaz e eficiente

CAPACIDADE DE

Identificar

e

seleccionar

Utilizar e desenvolver estraté-

Utilizar

de

forma

criteriosa

ORGANIZAÇÃO

estratégias adequadas à organi-

gias adequadas à organização do

estratégias

conducentes

à

zação do seu processo de apren- dizagem

seu processo de aprendizagem

organização do seu processo de

 

Descobrir

a

sua identidade

Assumir a sua individualidade

aprendizagem Expressar a sua individualidade

AFIRMAÇÃO PESSOAL E RELAÇÃO

tomando consciência da diversi- dade e aceitando-a Compreender e expressar infor- mação factual Experimentar, na sua prática,

pelo confronto de ideias/ espírito crítico Compreender, inferir e exprimir ideias e opiniões Desenvolver atitudes de respon-

pelo confronto de experiências e conhecimentos/ espírito crítico Compreender, inferir e exprimir sensações, emoções e senti- mentos

atitudes de responsabilidade, cooperação e solidariedade

sabilidade, cooperação e solida- riedade

Consolidar práticas de relacio- namento interpessoal

SENTIDO DE RESPONSABILIDADE E DE PARTICIPAÇÃO

Estar desperto, curioso e tomar conhecimento dos problemas

Discutir, debater, analisar, assu- mir uma posição crítica

Propor transformações e agir em conformidade

- 9 -

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS

Grau Elementar

Identificar e usar vocabulário relacionado com as áreas temáticas que se prendem com a identidade;

Compreender, interiorizar e usar aspectos básicos da estrutura morfossintáctica da língua alemã;

Compreender enunciados escritos e orais de reduzido grau de complexidade, em contextos simulados/ autênticos;

Recolher, seleccionar e organizar informação, proveniente de diferentes fontes, sob orientação do formador;

Produzir enunciados escritos e orais simples, de acordo com modelos fornecidos pelo formador, explicitando progressivamente a sua intenção comunicativa;

Reconhecer e usar progressivamente os sons básicos da língua alemã, bem como as diferentes formas de acentuação e ritmo;

Usar progressivamente estratégias de superação de dificuldades, no sentido de inferir significados em contextos desconhecidos;

Usar a língua alemã para interagir em situações simuladas, a partir de modelos fornecidos;

Usar os dicionário s bilingues sob orientação do formador;

Utilizar, sob orientação do formador, as novas tecnologias da informação para obter e trabalhar a informação.

- 10 -

Grau Geral

Identificar e usar vocabulário específico relativo às diferentes áreas temáticas que se prendem com o Eu e o seu mundo envolvente;

Compreender, interiorizar e usar estruturas morfossintácticas da língua alemã de relativa complexidade;

Recolher, seleccionar e organizar, com crescente autonomia, informação proveniente de diferentes fontes;

Analisar e sintetizar informação com progressiva autonomia;

 

Compreender enunciados escritos e orais de relativa complexidade;

Produzir,

com indicações

do

formador, textos

formalmente

adequados

e

com

crescente correcção morfossintáctica;

 

Usar, com correcção progressiva, formas de acentuação, ritmo e entoação nos enunciados produzidos;

Utilizar, com relativa autonomia, estratégias de superação de dificuldades;

 

Interagir em situações simuladas e reais de comunicação, revelando capacidade de compreender e produzir enunciados orais, com crescente grau de fluência;

Utilizar dicionários bilingues com crescente autonomia;

 

Utilizar, com progressiva autonomia, as novas Tecnologias da Informação e da Comunicação.

- 11 -

Grau Complementar

Identificar e usar vocabulário específico relativo às grandes questões do mundo actual;

Compreender, interiorizar e usar as estruturas morfossintácticas da língua alemã de maior complexidade;

Recolher, seleccionar e organizar, de forma crítica e autónoma, a informação proveniente de diferentes fontes;

Analisar e sintetizar autonomamente a informação;

Compreender e interpretar mensagens escritas e orais relativas a questões de maior complexidade;

Produzir, de forma autónoma, enunciados escritos formalmente adequados e com correcção morfossintáctica;

Interagir em situações de debate com correcção formal e fluência;

Utilizar, de forma autónoma, dicionários bilingues;

Utilizar, com progressiva autonomia, dicionários unilingues;

Utilizar, de forma autónoma, as novas Tecnologias da Comunicação e Informação.

- 12 -

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS

       

Grau

Grau Elementar

Grau Geral

 

Complementar

 

Identificar

e

usar

Relativo ao universo

Relativo ao universo

Relativo ao universo

vocabulário

 

do EU

do

EU

e

os

do EU e o MUNDO

 

OUTROS

 

Compreender, interiorizar e usar

Básicas

De relativa comple-

De

maior

comple-

estruturas morfos- sintácticas

xidade

xidade

Compreender enunciados escritos

De reduzido grau de

De

relativa

De

maior

e orais

complexidade

complexidade

 

complexidade

 
 

Simples, de acordo

Sob

orientação do

De forma autónoma,

Produzir enunciados escritos e orais

com modelos

formador, adequados crescente correcção morfossintáctica

e

com

formalmente adequados e com correcção morfossintáctica

 

Apropriar-se pro-

Apropriar-se

pro-

Usar

apropriada

e

gressivamente das

gressivamente

das

fluentemente

a

regras do sistema,

regras

do

sistema

língua,

revelando

para interagir em

para

interagir

em

interiorização

das

Usar

a

língua

situações simuladas,

situações

simuladas

suas

regras,

em

alemã

a partir de modelos;

e

reais,

com

situações

simuladas

Apropriar-se das

crescente

grau

de

e reais;

regras básicas de

adequação

e

Usar a língua, reve-

pronúncia, acentu-

fluência;

 

lando

interiorização

ação e ritmo

Apropriar-se

pro-

das

regras

de

gressivamente

das

pronúncia,

regras de pronúncia

acentuação e ritmo

Superar

Desenvolver pro- gressivamente estra-

acentuação e ritmo Utilizar as compe- tências discursivas e

Demonstrar auto- nomia no uso das

dificuldades

 

tégias discursivas e de compensação

estratégias com crescente autonomia

competências discur- sivas e estratégicas

Recolher, selec- cionar e organizar

Sob

orientação

do

Com crescente grau

De

forma

crítica

e

informação

formador

de autonomia

autónoma

     

Bílingues

de

forma

Usar dicionários

Bilingues,

sob

Bilingues com cres-

autónoma

e

uni-

orientação

do

cente autonomia

lingues,

com

cres-

formador

cente autonomia

Utilizar as TIC

Sob

orientação

do

Com

progressiva

De forma autónoma

formador

autonomia

 

- 13 -

AVALIAÇÃO

Não sendo um fim em si mesmo, a avaliação reveste-se de extrema importância para todos os envolvidos no processo de ensino-aprendizagem permitindo, simultaneamente, que o formando tome consciência e proceda à regulação do seu próprio progresso e que o formador tome decisões adequadas às aprendizagens dos formandos e à qualidade do ensino que realiza. Para atingir estes objectivos, é fundamental que exista total coerência entre o processo de avaliação e as opções metodológicas assumidas pelo formador.

Ao centrar no formando o desenvolvimento do currículo, comprometendo-o a participar activamente e de forma cada vez mais autónoma na aprendizagem da língua, não poderá deixar de ser conceptualizado e operacionalizado um modelo de avaliação inovador e multidimensional que assente nos mesmos princípios, isto é, que avalie não só os conteúdos em termos de conhecimentos, mas também em termos de competências, processos e atitudes. Este princípio coaduna-se igualmente com os objectivos de formação do IEFP, ao promover a interacção das várias áreas, no sentido de desenvolver a formação integral do indivíduo. Urge, assim, diversificar os instrumentos e técnicas de avaliação e que possam diferir das técnicas tradicionalmente mais aplicadas.

A conceptualização e prática da avaliação não podem ser desligadas das opções metodológicas, uma vez que a avaliação deverá ser parte integrante do processo de ensino-aprendizagem, articulando-se de forma coerente. Por fim, a avaliação deve ser partilhada, transparente e assumir carácter sistemático e contínuo, regulando a progressão do formando em determinado itinerário de formação.

- 14 -

DESCRIÇÃO DOS MÓDULOS

Os módulos do programa de alemão contemplam as seguintes componentes e funções:

Identificação e contextualização Na identificação de cada módulo é definido o respectivo tema e são sugeridas as tarefas conducentes ao produto final, bem como as competências transversais que deverão presidir às actividades. As tarefas enunciadas e as actividades a elas associadas deverão constituir o elemento integrador das aprendizagens, determinando os conteúdos linguísticos/ comunicativos a trabalhar pelos formandos.

Competências a desenvolver São enunciadas as competências específicas que deverão ser atingidas pelos formandos em cada módulo, independentemente das actividades e tarefas desenvolvidas. Estas competências integram sempre a compreensão/ produção oral e escrita, formas de interacção, conteúdos morfossintáticos e métodos de trabalho.

Sugestões metodológicas Através destas sugestões, que devem ser entendidas como tal, pretende-se apontar caminhos possíveis de desenvolvimento das tarefas. As actividades deverão ser negociadas com os formandos, tendo em conta os seus interesses, necessidades e competências a desenvolver.

Banco de recursos linguísticos/ comunicativos Os conteúdos linguísticos/ comunicativos enunciados devem constituir um banco de recursos e ser considerados um suporte de referência e enquadramento das actividades. Estes conteúdos não têm carácter obrigatório, podendo ser substituídos e/ ou complementados por outros considerados pertinentes de acordo com a tarefa a desenvolver e o nível dos formandos. Sempre que, para o desenvolvimento da tarefa, se considere pertinente retomar uma determinada estrutura morfossintáctica apresentada em módulos anteriores, esta surgirá na tabela com a indicação de: Revisão - (Rv.).

- 15 -

Avaliação A avaliação deverá incidir não só sobre o produto, mas também sobre o processo a ele conducente devendo, por isso, ser avaliadas as competências específicas e transversais, nomeadamente através do recurso a fichas de observação individual e de auto- e hetero- avaliação. Os critérios de avaliação enunciados, bem como as condições de realização são passíveis de ser ajustados a outras tarefas que formadores e formandos entendam realizar.

Recursos São indicados em cada módulo os recursos específicos, que podem constituir um apoio quer para o formando, quer para o formador, como material de suporte das tarefas. Estes recursos englobam manuais e outros livros didácticos, revistas, páginas na Internet e documentos áudio e vídeo. O programa de alemão apresenta igualmente recursos gerais, que podem constituir material de consulta para o formando e formador. É possível aceder a alguns destes recursos através da Internet.

- 16 -

ESTRUTURA TEMÁTICA DOS MÓDULOS

Grau Complementar (300h) EU E O MUNDO C. 1 - Cidadão do mundo - o direito
Grau Complementar (300h)
EU E O MUNDO
C.
1 -
Cidadão do mundo - o direito à diferença/ Discriminação
Grau Geral (240h)
EU E O OUTRO
C.
2 - Direitos/deveres do cidadão europeu
C.
3 - Direitos/deveres dos trabalhadores
C.
4 - As migrações no mundo
G.
1 -
Como somos e os outros nos vêem - Estilos de vida/ Moda
C.
5 - Os conflitos no mundo
Grau Elementar
G.
2 - Como nos alimentamos - Alimentação saudável
C.
6 -
O ambiente
(100h)
G.
3 - Como vivemos - Estilos de vida saudável/ Desporto
EU
C.
7 - Gestão de Recursos - Desperdício vs. necessidade
G.
4 - Como nos formamos - Educação/ Formação
E.
1 -
A minha identidade
C.
8 - O progresso
G.
5 - Onde vivemos - À descoberta da nossa cidade
E.
2 -
A família e amigos
C.
9 - A sociedade da informação
G.
6 - Como nos divertimos - Lazer/ férias
E.
3 - A minha ocupação/ profissão
G.
7 - Como nos informamos - Os media
G.
8 - Como nos relacionamos - Participação cívica/ solidariedade

- 17 -

QUADROS SÍNTESE DE TEMAS E TAREFAS

GRAU ELEMENTAR

 

EU

SUBTEMAS

TAREFAS

 

Preencher impressos

  • 1. A minha identidade

Simular entrevista Elaborar um livro de turma

 

Organizar um álbum de família e/ou amigos

  • 2. A minha família e amigos

Produzir pequenos anúncios para venda, compra ou aluguer de habitação Simular um diálogo ao telefone

  • 3. A minha ocupação/ profissão

Preencher formulários Organizar um dossier de profissões

- 18 -

 

GRAU GERAL

 
 

EU E OS OUTROS

 

SUBTEMAS

TAREFAS

  • 1. Como somos e como os

Simular uma situação de compras

outros no vêem - Estilos de

Organizar um catálogo de vendas

vida/ Moda

Organizar um dossier sobre estereótipos sociais

  • 2. Como nos alimentamos –

Simular uma ida a um restaurante

Alimentação saudável

Elaborar alimentação saudável

uma

brochura

sobre

  • 3. Como vivemos - Estilos de vida saudável/

Simular um diálogo num consultório médico

Desporto

Elaborar

uma recomendações para uma vida saudável

com

brochura

  • 4. Como nos formamos -

Elaborar

um

plano

de

formação

Educação/ Formação

profissional Simular uma candidatura a um emprego

  • 5. Onde vivemos -

Organizar

um

dossier

sobre

a

sua

À descoberta da cidade/ região

nossa

cidade/ região Simular diálogos

  • 6. Como nos divertimos -

Elaborar

um

roteiro/

guião

sobre

Lazer/ Férias

actividades de tempos livres Organizar uma saída de férias

  • 7. Como nos informamos -

Elaborar um jornal de turma

Os Media

Simular

um

programa

de

rádio/

televisão

  • 8. Como nos relacionamos - Participação cívica/ Solida-

Contactar com falantes da língua alemã via Internet

riedade

Organizar

uma

campanha

de

informação/ sensibilização sobre formas de participação cívica

- 19 -

GRAU COMPLEMENTAR

 
 

EU E O MUNDO

 

SUBTEMAS

 

TAREFAS

  • 1. Cidadão do Mundo - O

Organizar um dossier temático sobre

Direito à diferença /

minorias

Discriminação

Debater

o

direito

à

diferença

e

a

discriminação

 
  • 2. Direitos e deveres do cidadão europeu

Organizar um painel informativo sobre a União Europeia / Direitos e deveres dos cidadãos Debater uma situação da actualidade

  • 3. Direitos e deveres dos

Debater/

Organizar

um

painel

trabalhadores

informativo sobre os direitos e deveres dos trabalhadores

  • 4. As migrações no mundo

Organizar um painel informativo sobre as migrações Entrevistar emigrantes

  • 5. Os conflitos no mundo

Organizar

uma

exposição

sobre

 

os

conflitos no mundo

 
  • 6. O ambiente

Organizar problemas ambientais

uma

campanha

sobre

  • 7. Gestão de recursos - Desperdício vs. Necessidade

Organizar um dossier temático/ painel informativo/ debate

  • 8. O progresso

Redigir

artigos

para

uma

publicação

dedicada ao progresso

  • 9. A sociedade da informação

Organizar um debate sobre as vantagens e desvantagens das novas tecnologias Abrir uma página na Internet

- 20 -

GRAU ELEMENTAR

I - INTRODUÇÃO

Considerando o universo do EU neste primeiro grau de formação, foram seleccionadas tarefas, organizadoras de conteúdos, actividades e estratégias, centradas no conjunto de inter-relações de grupos e espaços em que o formando se move. Assim, apresentam-se, de seguida, os temas integradores de cada módulo:

Módulo E 1 – A minha identidade

Módulo E 2 – A minha família e amigos

Módulo E 3 – A minha ocupação/ profissão

A qualificação neste nível de formação corresponde a uma “pré-qualificação profissional para o exercício de uma actividade que diz respeito a um trabalho relativamente simples, envolvendo conhecimentos técnicos e capacidades limitadas”. Face a este princípio, requer-se que o formando realize as tarefas propostas em cada módulo sob a orientação do formador, que por sua vez deverá desenvolver um trabalho de sensibilização para a aprendizagem da nova língua estrangeira na sua componente linguística, estratégica, discursiva e sociocultural. Torna-se fundamental que, logo desde o primeiro módulo, a aquisição da competência sociocultural seja promovida no sentido de o formando tomar consciência de si próprio, do seu universo, confrontando-o com realidades diversas.

A realização das tarefas propostas no Grau Elementar tem como objectivo desenvolver a capacidade de compreensão global dos enunciados, de produção de mensagens simples, usando estruturas básicas da língua alemã, num crescendo de autonomia, de responsabilização e cooperação na resolução dos problemas apresentados.

- 21 -

II - COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER

Em cada um dos graus, os formandos devem desenvolver determinadas competências específicas em termos do saber, do saber-fazer e do saber-ser/ estar. Estas competências são definidas em função das tarefas que deverão ser realizadas e prevêem, consoante o grau, diferentes níveis de complexidade e de autonomia. Para este primeiro grau de formação propõem-se as seguintes competências:

Identificar e usar vocabulário relacionado com as áreas temáticas que se prendem com a identidade;

Compreender, interiorizar e usar aspectos básicos da estrutura morfossintáctica da língua alemã;

Compreender enunciados escritos e orais de reduzido grau de complexidade, em contextos simulados/ autênticos;

Recolher, seleccionar e organizar informação, proveniente de diferentes fontes, sob orientação do formador;

Produzir enunciados escritos e orais simples, de acordo com modelos fornecidos pelo formador, explicitando progressivamente a sua intenção comunicativa;

Reconhecer e usar progressivamente os sons básicos da língua alemã, bem como diferentes formas de acentuação e ritmo;

Desenvolver progressivamente estratégias de superação de dificuldades, no sentido de inferir significados em contextos desconhecidos;

Usar a língua alemã para interagir em situações simuladas, a partir de modelos fornecidos;

Usar os dicionário s bilingues sob orientação do formador;

Utilizar, sob orientação do formador, as novas tecnologias da informação para obter e trabalhar a informação.

- 22 -

III - QUADROS SÍNTESE

E U

 

Módulo:

E - 1

A minha identidade

(36 horas)

 
 

Intenções comunicativas

 

Conteúdos

   

(Áreas Lexicais)

 

Morfossintácticos

 

Tarefa/ Produto

 

Pedir e dar informações

Formas de tratamento:

Preencher

impressos

sobre

a

identificação

du

relativos

à

identidade

pessoal

ihr

pessoal;

(Nome/

Apelido/

Mo-

Sie

 

rada/

Idade/

Telefone/

 

Simular entrevistas;

 

Origem/ Nacionalidade)

 

Respostas com ja/ nein

 
   

Elaborar

turma.

um

livro

de

 

(Números

ordinais

e

Inversão em perguntas

 

cardinais)

   
 

Presente dos verbos:

Cumprimentar e respon-

sein

der a cumprimentos

heißen

 

(Expressões de cortesia,

wohnen

saudações/ despedidas)

kommen

 

machen

Apresentar-se,

apresentar

mögen

alguém

e

reagir

a

uma

 

apresentação

Verbo

sein

+

adjectivo/

 

advérbio

 

Apresentar-se ao telefone

 

Despedir-se

 

Género e formas de plural de alguns substantivos

Despedir-se ao telefone

 

Artigo definido

 
 

(Nominativo)

 

Pedir desculpas

   
 

Artigo indefinido

 

Agradecer

e

reagir

a

(Nominativo)

 

agradecimentos

   

Dirigir a palavra a alguém

Numerais cardinais (até 50)

para

pedir

ou

 

dar

 

informações

 

Pronome indefinido: kein (Nominativo)

     

- 23 -

E U

(continuação)

 

Módulo:

E - 1

A minha identidade

(36 horas)

 

Intenções comunicativas

Conteúdos

 

(Áreas Lexicais)

Morfossintácticos

Tarefa/ Produto

Pedir para repetir

 

Pronomes pessoais (Nominativo)

 

Pedir para soletrar

 

Pronomes interrogativos:

Descrever

sumariamente

Wer?

alguém (Caracterização pessoal)

 

Was?

 

Advérbios interrogativos:

Referir datas

Wie?

 

Wo?

Pedir e dar informações

Woher?

sobre

hobbies

e

passatempos

Advérbio gern + verbo

(Tempos

livres,

passa-

tempos e hobbies)

 

Preposições de lugar:

 

aus

Exprimir

agrado

e

in

desagrado

 

Conjunções

coordenativas:

und

aber

oder

     

- 24 -

E U

 

Módulo:

E – 2

A família e amigos

(32 horas)

 
 

Intenções comunicativas

 

Conteúdos

   

(Áreas Lexicais)

Morfossintácticos

 

Tarefa/ Produto

 

Nomear

elementos

da

Inversão

Organizar um álbum de

 

família e

relações

de

 

família e/ou amigos;

parentesco

Presente dos verbos:

 
 

haben

Produzir

pequenos

Descrever

sumariamente

finden

anúncios

para

venda,

membros da família

 

compra ou

aluguer

de

(Aparência e traços de personalidade)

Presente do verbo: fahren (Verbos fortes com

habitação;

Pedir e dar informações

radical em -a)

Simular um diálogo ao telefone.

 

sobre localização, tipos de casa, divisões e peças de mobiliário

Artigo definido (Acusativo/ Dativo)

 

Pedir e dar informações

Artigo indefinido (Acusativo/ Dativo)

sobre

anúncios

de

 

compra, venda e aluguer

Numerais cardinais

de casa

(50-1000)

Pedir e dar informações sobre preços

Numerais ordinais até 31

Pedir e dar uma opinião

 

Pronomes pessoais (Acusativo/ Dativo)

 

Pronome indefinido:

kein

(Acusativo/ Dativo)

Determinante

possessivo

(Nominativo/ Acusativo)

       
 

- 25 -

E U

(continuação)

Módulo:

E – 2

A família e amigos

(32 horas)

Intenções comunicativas

 

Conteúdos

 

(Áreas Lexicais)

Morfossintácticos

 

Tarefa/ Produto

   

Advérbios interrogativos:

Wie viel(e)?

Wohin?

Wie groß?

Wie teuer?

Advérbios de lugar:

hier/ dort/ da links/ rechts oben/ unten

Preposição de lugar:

nach

Preposições de lugar com dativo:

in/ an/ auf

     

- 26 -

E U

 

Módulo:

E - 3

A minha ocupação/ profissão

(32 horas)

 

Intenções comunicativas

 

Conteúdos

   

(Áreas Lexicais)

Morfossintácticos

 

Tarefa/ Produto

Nomear

profissões/

Resposta com doch

Organizar um dossier de

ocupações

 

profissões;

(Profissões)

Orações causais:

   
 

weil, denn

 

Preencher formulários.

Inquirir sobre a profissão/ ocupação de alguém

Ordem transposta

 

Pedir e dar informações

Imperativo

 

sobre a escola/

local de

 

trabalho

Presente

dos

verbos:

(Escola/ trabalho)

nehmen, essen (Verbos fortes com radical em -e)

Nomear

instrumentos

e

 

equipamentos

Verbos

de

prefixo

(Instrumentos

de traba-

separável

 

lho)

 
 

Verbos

de

complemento

Dar ordens

directo

Descrever e inquirir sobre

Verbos

de

complemento

rotinas

indirecto:

(Rotina diária: activi-

helfen

dades, horários, partes do dia, meios de transporte)

Pronomes interrogativos

   

no acusativo e dativo:

Pedir e dar informações

Wen?

sobre horas, horários e

Wem?

 

duração de actividades

Was

 

Pronome indefinido:

man

Determinante

possessivo

(Dativo)

     

- 27 -

E U

(continuação)

Módulo:

E - 3

A minha ocupação/ profissão

(32 horas)

Intenções comunicativas

 

Conteúdos

 

(Áreas Lexicais)

Morfossintácticos

Tarefa/ Produto

 

Advérbios interrogativos:

 

Wann?

Warum?

Wie lange?

Wie spät?

Wie viel(e)?

Wie groß?

Advérbios de frequência:

immer

nie

oft

manchmal

Advérbios de tempo:

heute

morgen

Preposições de lugar com dativo:

zu

bei

Preposições de lugar com acusativo e/ ou dativo:

in

an

auf

Preposições de tempo:

an

in

um

     

- 28 -

IV - CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

Os critérios definidos para avaliar o processo e o produto não diferem substancialmente de grau para grau, variando sim o nível de exigência a ter em conta em cada um dos parâmetros. Este nível de exigência é igualmente condicionado pela complexidade das tarefas propostas. Por outro lado, a natureza de cada tarefa e as suas condições de realização implicam que sejam tidos em conta diferentes critérios na respectiva avaliação.

GRAU ELEMENTAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

 

do processo

do produto

 

Comprensão de enunciados escritos e orais

Apresentação geral

 

Progressiva

autonomia

na

pesquisa

e

Riqueza e pertinência da informação

 

selecção de informação

   
 

Relativa

correcção

formal

do

discurso

Capacidade de organização

 

escrito:

 

Sentido de rigor e clareza

-

Ortografia

 

-

Sintaxe

Capacidade de análise

 

-

Adequação de vocabulário e

expoentes

Interesse e empenhamento

Relativa correcção formal do discurso oral:

Sentido de responsabilidade e tolerância

 

-

Pronúncia

 
 

-

Acentuação

-

Entoação e ritmo

Relativa fluência do discurso oral

   

- 29 -

GRAU ELEMENTAR

Módulo E - 1 36 Horas

A MINHA IDENTIDADE

 

EU

A minha identidade

Tarefas:

Preencher impressos relativos à identidade pessoal; Simular entrevistas;

Elaborar um livro de turma.

No subtema introdutório - Landeskunde - o formando deve ser capaz de identificar algumas características dos países de expressão alemã (História, Geografia, Cultura) recorrendo a auxiliares visuais e recolhendo informação através de bibliografia sugerida ou da Internet. O formando deverá, assim, manifestar abertura perante a abordagem de um universo cultural diferente e, simultaneamente, aceitar a confrontação com o seu próprio universo, desenvolvendo a sua capacidade de afirmação através da expressão de opiniões e ideias.

No âmbito do tema central deste módulo - A minha identidade - o formando deverá ser capaz de fornecer e pedir informações pessoais de si próprio e/ ou de outrem, com recurso a textos áudio e privilegiando a interacção em trabalho de pares, de modo a produzir pequenos diálogos que simulem situações reais de comunicação. Pretende- -se, igualmente, que seja capaz de preencher impressos relativos à sua própria identidade, de acordo com várias situações, devendo fornecer os mesmos dados oralmente, em entrevista simulada. O formando deverá, ainda, recolher informações junto de outros elementos da turma, para elaboração do livro de turma, revelando capacidade de organização da informação recolhida e criatividade na apresentação do produto final.

- 30 -

COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER

E-1 - A minha identidade

Identificar sinais próprios da cultura dos países de expressão alemã, distinguindo e questionando padrões de comportamento diversificados;

Identificar

e usar vocabulário relacionado com a identidade a partir de textos

autênticos;

Compreender, interiorizar e aplicar aspectos básicos da estrutura morfossintáctica da língua alemã em enunciados orais e escritos;

Preencher impressos diversos relativos à identidade pessoal;