Sei sulla pagina 1di 18
Instituto Politécnico de Leiria Escola Superior de Tecnologia e Gestão Departamento de Engenharia Civil Projecto

Instituto Politécnico de Leiria Escola Superior de Tecnologia e Gestão

de Leiria Escola Superior de Tecnologia e Gestão Departamento de Engenharia Civil Projecto Projecto de de

Departamento de Engenharia Civil

ProjectoProjecto dede EdifíciosEdifícios

Ricardo Duarte

Docentes:

Ricardo Duarte

Vitor Lopes

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

1

Instituto Politécnico de Leiria Escola Superior de Tecnologia e Gestão Departamento de Engenharia Civil Projecto

Instituto Politécnico de Leiria Escola Superior de Tecnologia e Gestão

de Leiria Escola Superior de Tecnologia e Gestão Departamento de Engenharia Civil Projecto Projecto de de

Departamento de Engenharia Civil

ProjectoProjecto dede EdifíciosEdifícios

Metodologia a adoptar na elaboração de um projecto de estabilidade

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

2

1.

Metodologia a adoptar na elaboração de um projecto de estabilidade

1.1 Objectivo de uma edificação:

Edificação de uma obra com uma determinada finalidade ou função.

Procurar uma solução que cumpra com os requisitos de:

Exigências funcionais da edificação; Condições fundamentais referentes à função resistente (manter a sua forma e estabilidade ao longo do tempo); Exigências estéticas (condicionalismos arquitectónicos); Disponibilidades técnicas e limitações económicas.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

3

técnicas e limitações económicas. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 3
técnicas e limitações económicas. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 3

1.

Metodologia a adoptar na elaboração de um projecto de estabilidade

1.2 Levantamento das condicionantes de projecto:

Exigências funcionais da edificação:

Estudo do projecto de arquitectura; Informações dadas pelo dono-de-obra (requerente); Informações do coordenador das diversas especialidades.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

4

Informações do coordenador das diversas especialidades. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 4
Informações do coordenador das diversas especialidades. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 4

2. Tipos de solicitações

EstruturaEstrutura dede umauma construçãoconstrução: parte que, ao longo do tempo de vida da obra, resiste com eficiência às solicitações actuantes, satisfazendo as condições de segurança e de conservação exigidas para a construção.

As estruturas podem ter diversas soluções e ser executadas com vários materiais: madeira, pedra, aço ou betão, actuando isoladamente ou em conjunto como o betão armado.

Cada

resistência próprias.

um

destes

materiais

tem

características

de

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

5

próprias. um destes materiais tem características de Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007
próprias. um destes materiais tem características de Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

2. Tipos de solicitações

De acordo com o Regulamento de Segurança e Acções para Estruturas de Edifícios e Pontes (RSA):

ininterrupta ou tão frequentemente que, para efeitos práticos, se podem admitir como permanentes. Por ex.: o peso próprio das estruturas resistentes, o dos materiais de revestimento e de compartimentação dos edifícios; Solicitações acidentais habituais: englobam as sobrecargas de utilização, como o peso de pessoas e veículos, e as relativas à acção do vento habitual, da neve e das variações de temperatura; Solicitações acidentais excepcionais: a acção de ventos excepcionais e a acção dos sismos.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

6

a acção de ventos excepcionais e a acção dos sismos. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios -
a acção de ventos excepcionais e a acção dos sismos. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios -

Solicitações

Solicitações permanentes: são as que actuam de forma

permanentes:

Solicitações permanentes: são as que actuam de forma

são

as

que

actuam

de

forma

3. Capacidade resistente dos materiais

As várias solicitações actuantes sobre os elementos de uma estrutura criam neles esforços de compressão, tracção e corte transversal. Quando, nalguma secção de um elemento, for ultrapassada a capacidade resistente do material, ocorre a rotura da peça. Mas os vários materiais comportam-se de diferentes maneiras às solicitações actuantes.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

7

de diferentes maneiras às solicitações actuantes. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 7
de diferentes maneiras às solicitações actuantes. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 7

3. Capacidade resistente dos materiais

Betão: resistência à tracção é muito pequena (sendo mesmo considerada nula em termos regulamentares), cerca de 10% da resistência que apresenta à compressão.

Aço ambas as resistências são idênticas e elevadas.

Conjugando as características destes elementos foram criadas peças estruturais mistas de betão e aço, designadas habitualmente por estruturas de betão armado.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

8

habitualm ente por estruturas de betão armado. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007
habitualm ente por estruturas de betão armado. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

4. Elementos estruturais

Os elementos estruturais comuns à maioria das estruturas de edifícios são: Lajes, Vigas, Pilares, Fundações. Cada um tem a sua forma e função resistente na estrutura.

Cada um tem a sua forma e f unção resistente na estrutura. Ricardo Duarte Projecto de

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

9

um tem a sua forma e f unção resistente na estrutura. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios
um tem a sua forma e f unção resistente na estrutura. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios

4. Elementos estruturais

Laje:

Elemento estrutural cuja altura é consideravelmente

inferior às outras duas dimensões. As lajes suportam directamente a acção do peso das

pessoas, dos equipamentos e das paredes divisórias. Nos casos mais correntes, as lajes apoiam-se sobre

vigas que, por sua vez, assentam sobre pilares. São normalmente rectangulares e para resistir à flexão podem ser armadas só numa direcção ou em duas direcções perpendiculares.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

10

numa direcção ou em duas direcções perpendiculares. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007
numa direcção ou em duas direcções perpendiculares. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

4. Elementos estruturais

TipoTipo correntecorrente dede lajeslajes:

Laje fungiforme maciça (apoia em pilares e vigas);

Laje fungiforme aligeirada (apoia em pilares e vigas);

Laje vigada maciça, armada em uma ou duas direcções (apoia em vigas);

Lajes de vigotas (laje aligeirada pré-esforçada e pré- fabricada) (apoia em vigas).

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

11

pré-esforçada e pré- fabricada) (apoia em vigas). Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007
pré-esforçada e pré- fabricada) (apoia em vigas). Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

4. Elementos estruturais

Viga:

Elemento estrutural linear, isto é, que tem uma dimensão, o comprimento, bastante superior às outras, a largura e a altura. Sobre ela assentam as paredes e lajes. As cargas transmitidas à viga são encaminhadas para os pilares.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

12

transmitidas à viga são encaminhadas para os pilares. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo
transmitidas à viga são encaminhadas para os pilares. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo

4. Elementos estruturais

Pilar:

Recebe as cargas transmitidas pelos diferentes elementos da construção que sobre ele apoiam; Transmiti-as, a outros elementos da estrutura (muros e/ou paredes, por exemplo), ou directamente ao terreno em que a construção assenta através das fundações; Executados em betão armado; Com secção rectangular, quadrada ou circular.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

13

Com secção rectangular, quadrada ou circular. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 13
Com secção rectangular, quadrada ou circular. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 13

4. Elementos estruturais

Fundações:

Constituem a parte da estrutura responsável pela transmissão ao terreno de todas as forças que actuam sobre a mesma. As fundações com sapatas são muito correntes. As sapatas são maciços destinados a transmitir ao terreno a carga recebida de um pilar e são usualmente de betão armado.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

14

recebida de um pilar e são usualmente de betão armado. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios -
recebida de um pilar e são usualmente de betão armado. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios -

4. Elementos estruturais

Paredes resistentes e muros de suporte:

Estes elementos, à semelhança das lajes, são elementos laminares, com a sua espessura muito menor que o seu comprimento e a sua altura. As armaduras são idênticas às das lajes: existem armaduras nas duas faces das paredes e dos muros (faces de tradóz e anterior), sendo cada face constituída por armaduras verticais e horizontais; As fundações em sapatas ou lajes de fundação são as mais correntes.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

15

sapatas ou lajes de fundação são as mais correntes. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano
sapatas ou lajes de fundação são as mais correntes. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano

4. Elementos estruturais

Paredes resistentes:

As paredes resistentes são usadas quando os esforços verticais são muito elevados e os pilares passam a apresentar dimensões muito grandes e/ou estão muito próximos existe a necessidade de se recorrer a um elemento com uma maior volume de betão armado. As paredes resistentes normalmente apoiam-se em sapatas contínuas (ver definição mais à frente) ou em lajes resistentes de fundação no caso das sapatas ficarem muito próximas; Um conjunto de paredes contíguas pode formar um núcleo de paredes resistentes (de escadas ou de elevador).

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

16

de paredes resist entes (de escadas ou de elevador). Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano
de paredes resist entes (de escadas ou de elevador). Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano

4. Elementos estruturais

Muros de Suporte:

Os muros de suporte servem para contenção do solo a escavar. São usados, por exemplo, nos muros da cave de uma edificação ou então podem ser uma estrutura isolada, como é o exemplo de um muro de contenção de terras isolado; Um muro de suporte assenta numa sapata contínua, que é uma sapata cujo comprimento (L), que é igual ao comprimento do muro, é muito superior à sua largura (B) (B<<L); O posicionamento transversal da sapata pode variar em função das condições existentes: poderá ser centrada com o muro, excêntrica para o lado do terreno a suportar ou então com a sapata excêntrica para o lado a escavar.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

17

ou então com a sapata excêntrica para o lado a escavar. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios
ou então com a sapata excêntrica para o lado a escavar. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios

5. Desenhos de pormenorização

Os

diâmetros

usados

nas

armaduras

ordinárias

(varões de aço

ordinários) são 6, 8, 10, 12, 16, 20, 25 e 32 mm;

Os varões de diâmetros 6 e 8 mm são usados essencialmente em estribos, que servem para absorverem o esforço transverso;

Os restantes diâmetros são usados em armaduras principais de flexão.

Todos os elementos que constam nas plantas de estruturas devem ser representadas (às escalas 1:50, as lajes, e a 1:20, os pilares, vigas e sapatas) através de desenhos de pormenorização.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

18

e sapatas) através de desenhos de pormenorização. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007
e sapatas) através de desenhos de pormenorização. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

6.

Levantamento das condicionantes de projecto

Exigências funcionais da edificação:

Estudo do projecto de arquitectura; Informações dadas pelo dono-de-obra (requerente); Informações do coordenador das diversas especialidades.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

19

do coordenador das diversas especialidades. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 19
do coordenador das diversas especialidades. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 19

6.

Levantamento das condicionantes de projecto

Para a quantificação das acções:

Localização? Para quantificar as acções da neve, vento e sismo; Que tipo de utilização? Escritórios, lojas, habitação, lazer, etc; Possibilidade de alteração do tipo de utilização.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

20

Possibilidade de alteração do tipo de utilização. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007
Possibilidade de alteração do tipo de utilização. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

6.

Levantamento das condicionantes de projecto

Importante para a concepção:

Condicionalismos arquitectónicos: vigas que não se podem ver, pilares cuja posição não é conveniente em todos os pisos, etc; Condicionantes à concepção da estrutura impostas por outras especialidades: ausência de vigas para passagem de tubagens, aberturas nas lajes, em especial junto aos pilares, etc.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

21

aberturas nas lajes, em especial junto aos pilares, etc. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano
aberturas nas lajes, em especial junto aos pilares, etc. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano

6.

Levantamento das condicionantes de projecto

DefinirDefinir oo tipotipo dede usouso ee aa localizaçãolocalização dodo elementoselementos estruturaisestruturais::

CaracterizaçãoCaracterização dasdas condicionantescondicionantes geotécnicasgeotécnicas:

Pela experiência; Pela observação de obras nas proximidades; Existência de Relatório Geológico e Geotécnico, incluindo as condicionantes hidrológicas;

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

22

Geotécnico, incluindo as condicionantes hidrológicas; Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 22
Geotécnico, incluindo as condicionantes hidrológicas; Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 22

6.

Levantamento das condicionantes de projecto

ConsegueConsegue--sese obterobter informaçãoinformação queque permitepermite::

Caracterização dos impulsos de terras em muros; Identificar caves que funcionam de forma estanque grandes impulsos hidráulicos; Estudar um sistema de abaixamento do nível freático; Avaliar a capacidade de fundação do solo: fundações superficiais (sapatas, ensoleiramento geral, por exemplo) ou fundações profundas (estacas, por exemplo);

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

23

ou fundações profundas (e stacas, por exemplo); Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007
ou fundações profundas (e stacas, por exemplo); Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

6.

Levantamento das condicionantes de projecto

O principal objectivo é de evitar que ocorram

assentamentos diferenciais;

As tensões nas sapatas devem ser semelhantes (admitindo que o solo é igual);

O edifício a estudar tem uma cave; terão que

justificar o tipo de solo.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

24

tem uma cave; terão que justificar o tipo de solo. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios -
tem uma cave; terão que justificar o tipo de solo. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios -

6.

Levantamento das condicionantes de projecto

CondicionalismosCondicionalismos impostosimpostos porpor construçõesconstruções envolventesenvolventes:

Reconhecimento local; Consulta de projectos; Inquérito.

Usar, se necessário, sapatas excêntricas;

Verificar o nível das fundações existentes;

Se necessário, garantir juntas de dilatação.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

25

Se necessário, garantir juntas de dilatação. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 25
Se necessário, garantir juntas de dilatação. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 25

6.

Levantamento das condicionantes de projecto

OutrosOutros aspectosaspectos aa considerarconsiderar nana concepçãoconcepção:

Agressividade do meio em que se insere a construção, o que pode implicar cuidados especiais de durabilidade; Existência de um elevado risco de incêndio ou acidente.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

26

de um elevado risco de incêndio ou acidente. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo
de um elevado risco de incêndio ou acidente. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo

7. Concepção da estrutura

ParaPara taltal devedeve--sese terter emem contaconta:

Influência da localização (já discutido); Consideração da finalidade do edifício:

Quantificação das acções (em especial a sobrecarga); Adequar a solução estrutural à utilização do edifício (opção dos vãos entre pilares, solução estrutural para as lajes e considerar a opção de maiores níveis de segurança em edifícios cuja importância social seja muito grande) .

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

27

cuja importância social seja muito grande) . Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007
cuja importância social seja muito grande) . Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

7. Concepção da estrutura

Considerações da economia e da estética: projectar e construir com economia e estética – função do Engenheiro; Considerar o possível comportamento da estrutura:

Dotar a estrutura de um bom comportamento nas condições normais de utilização e de uma margem de segurança adequada em relação à ocorrência de danos severos na estrutura; A concepção deve prever com boa aproximação do comportamento da estrutura, devendo os modelos de análise devem ser coerentes com a concepção e comportamento real da estrutura; Deve evitar roturas frágeis e em cadeia: os elementos e as suas ligações devem ter a necessária resistência e durabilidade.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

28

devem ter a necessária resistência e durabilidade. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007
devem ter a necessária resistência e durabilidade. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

7. Concepção da estrutura

TiposTipos dede soluçõessoluções estruturaisestruturais dosdos edifíciosedifícios:

1. Estrutura principal reticulada (pórtico):

Com lajes maciças;

Com lajes aligeiradas.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

29

(pórtico): Com lajes maciças; Com lajes aligeiradas. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007
(pórtico): Com lajes maciças; Com lajes aligeiradas. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

7. Concepção da estrutura

TiposTipos dede soluçõessoluções estruturaisestruturais dosdos edifíciosedifícios:

2. Estrutura com lajes fungiformes (sem vigas ou só com viga de bordadura):

Com lajes maciças; Com lajes aligeiradas.

As principais preocupações a ter em conta:

Comportamento sísmico; Verificação do punçoamento; Verificação da deformabilidade.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

30

do punçoamento; Verificação da deformabilidade. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 30
do punçoamento; Verificação da deformabilidade. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 30

7. Concepção da estrutura

TiposTipos dede soluçõessoluções estruturaisestruturais dosdos edifíciosedifícios:

2. Estrutura com lajes fungiformes (sem vigas ou só com viga de bordadura):

As vantagens e razões porque se adoptam estas soluções:

Menor altura ao solo;

Maior liberdade de utilização do piso (localização de divisórias, ar condicionado, etc.);

Em algumas situações trata-se de uma solução mais económica.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

31

situações trata-se de uma solução mais económica. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007
situações trata-se de uma solução mais económica. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

7. Concepção da estrutura

TiposTipos dede soluçõessoluções estruturaisestruturais dosdos edifíciosedifícios:

3. Estrutura laminar:

As principais preocupações a ter em conta:

Grande rigidez e reduzida ductilidade estrutural; Limitações arquitectónicas; Reduzida liberdade para futuras alterações.

As vantagens e razões porque se adoptam estas soluções:

Economia da solução; Grande rapidez e racionalização da construção.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

32

Grande rapidez e racionalização da construção. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 32
Grande rapidez e racionalização da construção. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 32

7. Concepção da estrutura

TiposTipos dede soluçõessoluções estruturaisestruturais dosdos edifíciosedifícios:

3. Estrutura laminar:

Podem ser construídas in situ ou pré-fabricadas e montadas em obra;

Pré-fabricação:

Grande preocupação com a garantia da qualidade, resistência e ductilidade das ligações entre elementos (redobrada preocupação em zonas de maior risco sísmico);

Solução económica, rápida de construir e racional;

Pouco usadas nas construção de edifícios.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

33

e racional; Pouco usadas nas construção de edifícios. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo
e racional; Pouco usadas nas construção de edifícios. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo

7. Concepção da estrutura

SoluçãoSolução estruturalestrutural aa adoptaradoptar nono projectoprojecto:

Laje fungiforme maciça com viga de bordadura alta;

Ou então:

Laje fungiforme aligeirada, também com viga de bordadura alta (se possível);

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

34

também com viga de bordadura alta (se possível); Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo
também com viga de bordadura alta (se possível); Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo

8. Execução do Projecto

Ponderação Ponderação da da estrutura estrutura Cálculo Cálculo de de esforços esforços no no “Galileu”
Ponderação Ponderação da da estrutura estrutura
Cálculo Cálculo de de esforços esforços no no “Galileu” “Galileu”
RSA, RSA, EC1; EC1;
Modelação Modelação + + combinação combinação de de esforços esforços
Peças Peças escritas: escritas:
Memória Memória Descritiva Descritiva e e Justificativa; Justificativa;
Cadeno Cadeno de de Encargos; Encargos;
Medições Medições e e Orçamento; Orçamento;
Cálculos Cálculos
Elaboração Elaboração do do Projecto Projecto
Peças Peças desenhadas: desenhadas:
Representação Representação gráfica gráfica da da estrutura estrutura

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

35

gráfica gráfica da da estrutura estrutura Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 35
gráfica gráfica da da estrutura estrutura Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 35

8. Execução do Projecto

OutrosOutros projectosprojectos parapara umauma edificaçãoedificação:

Arquitectura;

Rede predial de águas;

Rede predial de águas residuais;

Rede pluvial;

Rede predial de instalação de gás;

Verificação Acústica;

Verificação Térmica;

Segurança contra incêndios;

Projectos especiais: aquecimento, ar condicionado, etc.

Ricardo Duarte

Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007

36

Projectos especiais: aquecimento, ar condicionado, etc. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 36
Projectos especiais: aquecimento, ar condicionado, etc. Ricardo Duarte Projecto de Edifícios - Ano Lectivo 2006/2007 36