Sei sulla pagina 1di 5
O que devemos entender por Revitalização de Igreja ? Introdução O que vem à nossa

O que devemos entender por Revitalização de Igreja?

Introdução

O que vem à nossa mente quando ouvimos a expressão revitalização de igreja? É bem provável que surjam muitas imagens, mas não resta dúvida de que, essa expressão pressupõe ou carrega a ideia de que algo está em declínio e precisando ser restaurado. Quando pensamos ou falamos na necessidade de revitalização, pensamos naquelas igrejas que não estão crescendo, cuja membresia está deixando de frequentar os cultos, as finanças não estão indo bem, não está havendo conversões e parece que nada funciona direito. Ao contrário, o que impera é um contexto de desânimo e inércia espiritual. Igrejas que apresentam essas características precisam urgentemente ser revitalizadas, precisam ser trabalhadas para que haja revigoramento e dinamismo espiritual. A igreja precisa voltar a crescer.

Definindo a revitalização

Para o professor de teologia Dr. C. E. Autrey, revitalização pode ser definido como: “a reanimação daqueles que já possuem vida. No seu sentido estrito, diz respeito ao povo de Deus. Reaviva a vida espiritual que se encontra em um estado de declínio. È um instrumento de evangelização”. 1 De acordo com esta definição, revitalização é “a reanimação daqueles que já possuem vida”. Segundo o historiador E.E. Cairns, revitalização diz respeito,

“A obra do Espírito Santo no sentido de restaurar o povo de Deus a uma vida espiritual, testemunho e trabalho mais dinâmicos, mediante a oração e a Palavra, após profundo arrependimento por seu declínio espiritual. Os elementos permanentes do avivamento são a Palavra, a oração, o Espírito Santo e um Deus soberano que usa o ser humano como seu instrumento.

Termos sinônimos usados na Bíblia para revitalização

O termo “revitalização” não é encontrado nas Escrituras. No entanto, existem pelo menos outros três termos que descrevem o fenômeno (revigorar, renovar e despertar). Vejamos:

1) Revigorar ou reavivar Oséias 6.2: “Depois de dois dias, nos revigorará ( WnYEßx;y>)) ao terceiro dia, nos levantará, e viveremos diante dele.

1 KAISER, Walter C. Jr. Revive Us Again - Your Wakeup Call for Spiritual Renewal. Christian Focus Publications. Scotland: 2001. p. 7.

Habacuque 3.2: “Tenho ouvido, ó S ENHOR , as tuas declarações, e me sinto alarmado;

Habacuque 3.2: “Tenho ouvido, ó SENHOR, as tuas declarações, e me sinto alarmado; aviva (WhyYEëx;‘) a tua obra, ó SENHOR, no decorrer dos anos, e, no decurso dos anos, faze-a conhecida; na tua ira, lembra-te da misericórdia”.

2) Renovar (fazer de novo ou tornar novo) Salmo 51.10: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova ( vDEîx) dentro de mim um espírito inabalável.” Isaías 40.31: “mas os que esperam no SENHOR renovam ( vDEîx; ) as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam”. 2Coríntios 4.16: “Por isso não desfalecemos; mas ainda que o nosso homem exterior se esteja consumindo, o interior, contudo, se renova ( avnakainou /tai ) de dia em dia”. Romanos 12.2: “E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação ( avnakainw ,sei) da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”.

3) Despertar (tirar de um sono profundo) Isaías 52.1: Desperta, desperta, reveste-te da tua fortaleza, ó Sião; veste-te das tuas roupagens formosas, ó Jerusalém, cidade santa; porque não mais entrará em ti nem incircunciso nem imundo”. Romanos 13.11: “E isso fazei, conhecendo o tempo, que já é hora de despertardes ( evgerqh /nai) do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando nos tornamos crentes. John Armstrong, escrevendo sobre o Grande Despertamento (1730-1740), defende o uso do termo despertamento. Para ele o termo é muito útil porque “descreve de forma precisa o que acontece quando uma pessoa que está dormindo espiritualmente, ou morta “em suas transgressões e pecados” (Ef 2.1), é despertada para a vida pela intervenção soberana do Espírito de Deus”. 2 Como podemos notar pela leitura dessas passagens, a revitalização (ou reavivamento) está presente nas Escrituras em diversos momentos. Os termos podem variar, mas a ideia é sempre a mesma. Podemos encontrar passagens que utilizam termos como revigorar, renovar, despertar, avivar, mas o ensino não muda, Deus deseja a transformação do seu povo. Revitalização se faz necessária quando há um espírito de comodismo, quando parece que a igreja está dormindo, quando não há mais paixão pela evangelização, quando há pecados agasalhados e encobertos, quando há animosidade contra outros irmãos. Quando notamos que a igreja não está indo bem, quando sentimos o desânimo do povo ou não há preocupação com a santidade, temos então um diagnóstico: a igreja está doente e há uma extrema e urgente necessidade de buscar sua revitalização. Há necessidade de renovação, de transformação. É preciso trazê-la à vida novamente. Vale ressaltar que essa realidade de apatia que constatamos em algumas igrejas, não é um fato apenas da nossa época. Cada geração tem os seus próprios desafios e oferece as suas próprias dificuldades. Por isso somos convocados a analisar a crise da nossa geração e pensar biblicamente buscando respostas que ajudem na revitalização da igreja.

2 ARMSTRONG, O verdadeiro avivamento. p. 124.

John H. Armstrong sabiamente nos orienta: Como a igreja militante nunca é pura, sua tendência

John H. Armstrong sabiamente nos orienta:

Como a igreja militante nunca é pura, sua tendência sempre tem sido em direção ao declínio. Há duas razões aparentes para essa realidade. Uma é que aqueles que realmente creem em Cristo ainda são pecadores, embora uma vida de fé tenha realmente começado neles e eles tenham uma fé viva (cf. Rm 1.5; 16.25-26). A outra é que, até mesmo a melhor de todas as congregações é, no máximo, uma congregação mista. Elementos carnais e mundanos sempre estarão presentes, até mesmo em igrejas saudáveis. 3

Isaías 57.15 é uma importante passagem que ensina sobre a revitalização:

“Porque assim diz o Alto, o Sublime, que habita a eternidade, o qual tem o nome de Santo:

Habito no alto e santo lugar, mas habito também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos e vivificar o coração dos contritos.

2Crônicas 7.14 um esboço para a revitalização

Outra relevante passagem do Antigo Testamento que nos ajuda a entender o reavivamento ou a revitalização de uma igreja é 2Crônicas 7.14: “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. Nem sempre conseguimos perceber a importância e o lugar desse texto e sua relação com o reavivamento. Na opinião de Walter Kaiser Jr., essa passagem é de vital importância na teologia do livro das Crônicas. 4 O texto provê o esboço do livro e organiza o material selecionado por meio das vidas de cinco reis (Roboão, Asa, Josafá, Ezequias e Josias). Para Kaiser, cada uma das quatro condições para o reavivamento (Se humilhar, orar, buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos) são tomadas separadamente e cada uma como singular, e como termos muito importantes para os reinos e as vidas daqueles cinco monarcas judeus. Observe o quadro abaixo e veja que o padrão resultante forma uma inclusão em que o primeiro e o último rei compartilham o mesmo termo. 5

Imperativo

2Crônicas

Reis sobre quem o reavivamento veio

“humilhar-se”

11-12

Roboão

“buscar minha face”

14-16

Asa

“orar”

17-20

Josafá

“abandonar os seus maus caminhos”

29-32

Ezequias

“humilhar-se”

34-35

Josias

3 ARMSTRONG, John. Semper Reformanda: O papel pastoral na reforma moderna. In: O ministério pastoral segundo a Bíblia. ARMSTRONG, John. (org.), Editora Cultura Cristã. São Paulo: 2007. p. 20.

4 KAISER, Walter C. Jr. Revive Us Again - Your Wake up Call for Spiritual Renewal. p. 5, 6.

5 KAISER, Walter C. Jr. Op Cit., p. 5, 6.

2Crônicas 7.14 é um resumo da promessa de Deus de restaurar o seu povo. É

2Crônicas 7.14 é um resumo da promessa de Deus de restaurar o seu povo. É uma promessa que Deus pronunciou várias vezes, de Gênesis ao Apocalipse, e ainda hoje a pronuncia. O versículo 14 é uma resposta de Deus à oração de Salomão (6.14-42). Como é sabido, o povo que havia retornado do exílio estava enfrentando diversas crises. Crise econômica, pressão das nações estrangeiras, dificuldades internas e externas. Deus voltaria a derramar o seu perdão e amor ao seu povo. Ele prometeu que iria recuperá-lo, revitalizá-lo e por isso definiu as condições para o reavivamento: se humilhar, orar, buscar a sua face e se converter dos maus caminhos. Nesta passagem, 2 Crônicas 7.14 , podemos aprender três aspectos importantes para a revitalização da igreja:

1º) O objeto ou alvo da revitalização: se meu povo, que se chama pelo meu nome”. Conforme já apontamos pouco, a revitalização é “a reanimação daqueles que já possuem vida”. A revitalização é a ação soberana e graciosa de Deus sobre aqueles que são o seu povo, que o chamam pelo seu nome. 2º) As quatro condições para a revitalização: para que haja a revitalização é preciso atender à estas quatro exigências:

1) Orar: a oração é um instrumento pelo qual confessamos duas coisas ao mesmo tempo: a estreiteza de nossos recursos e a extrema largueza dos recursos do poder e do amor de Deus. A prática da oração é um dos mais extraordinários meios de graça de que o homem pode dispor. Como fez Josafá, quando enfrentou um momento de crise e se colocou em buscar ao Senhor (2Crônicas

20.1-12).

Algumas coisas pelas quais devemos orar.

Devemos orar para que Deus nos conceda um coração submisso a ele, convicção de pecado e desejo espiritual (Mt 5.3; 6; Pv 28.13; Is 55.6-7).

Devemos orar para que Deus nos conceda mais amor a Sua Palavra e que desejemos conhecê-lo melhor através dela (Sl 1; 19.7-11; 119.11, 97).

Devemos orar suplicando a Deus que ele nos dê ousadia a fim de testemunharmos dele aos pecadores que ainda estão perdidos e para que o façamos com sabedoria, intrepidez e amor (Mt 9.37-38; At 4.29, 31; Cl 4.3-4; 1Co 13.1).

Devemos orar pelas famílias da igreja. Orar para que o amor entre casais, pais e filhos cresça (Ef 5.226.4; Sl 78.5-8; Pv 1.8).

Buscar a face de Deus: o termo buscar traduz o desejo de ter intimidade com Deus. Revela o desejo de estar na presença do Senhor.

3) Humilhar-se: o primeiro passo é nos humilharmos diante de Deus. Começamos esse processo, confessando a Deus que nos afastamos dele. Na língua hebraica há dezenas de palavras para o termo “humilhar”. Aqui nesse texto, a palavra usada é Kana, e tem o significado de subjugar, como Gideão “subjugou” os midianitas (Jz 8.28). A ideia é de “dobrar os joelhos”. Deus chama o seu povo para se curvar diante dele em completa e total reverência e submissão. Deus é o autor da revitalização. Se desejamos uma mudança na vida da igreja precisamos nos humilhar diante de Deus e admitir que não conseguiremos isso por nossa própria energia e vontade.

2)

4) Abandonar os maus caminhos : a quarta e última condição para o reavivamento é

4) Abandonar os maus caminhos: a quarta e última condição para o reavivamento é uma decisão firme de abandonar os maus caminhos. O ponto aqui é que, para haver um reavivamento, faz-se necessário abandonar práticas pecaminosas, é preciso haver arrependimento e voltar às costas ao pecado e a tudo aquilo que desagrada a Deus. Como bem disse A. W. Tozer: “É inútil grandes grupos de crentes gastarem horas e mais horas implorando que Deus mande um avivamento. Se não pretendemos nos reformar, também não devemos orar”.

3º) Os três resultados da revitalização: como resultado, Deus vai ouvir, perdoar e curar. Deus vai ouvir, Deus vai perdoar e Deus vai curar.

Aplicação

1. O que vem à sua mente quando ouve a expressão “revitalização de igreja”?

2. Leia o Salmo 51.10 e reflita em como ele pode ser útil na compreensão do

conceito de revitalização.

3. Das quatro condições para a revitalização, conforme lemos em 2 Crônicas

7.14, qual delas é mais importante? Justifique sua resposta.

Rev. Gildásio Reis