Sei sulla pagina 1di 12
O cálculo da inversa de uma matriz quadrada ou triangular é importante para ajudar a
O cálculo da inversa de uma matriz quadrada ou triangular é importante para ajudar a

O cálculo da inversa de uma matriz quadrada ou triangular é importante para ajudar a solucionar uma série problemas, por exemplo, a computação gráfica, na resolução de problemas de posicionamento de juntas articuladas e nas mesmas proposições algébricas citadas no tópico de determinantes.

Podemos utilizar o cálculo do determinante para nos auxiliar a encontrar a inversa de uma matriz, como veremos à seguir.

Características das matrizes inversas

Dada uma matriz quadrada A, se existir outra matriz B da mesma ordem que verifique:

A × B = B × A = I ( I é a matriz identidade ).

Dizemos que B é a matriz inversa de A e representamos por A -1 . Portanto:

A × A 1 = (A 1 )×A=I

Algumas propriedades das matrizes inversas

(A 1 ) 1 = A

(AB) 1 = B 1 A 1 (A inversa da multiplicação de duas matrizes inversíveis A e B = multiplicação das inversas de A e B

(A T ) 1 = (A 1 ) T

• N em t o d a matriz qua d ra d a t em
• N em t o d a matriz qua d ra d a t em

Nem toda matriz quadrada tem inversa.

•Se existir a matriz inversa de A, dizemos que a matriz A é inversível ou regular ou não-singular.

•Caso contrário, dizemos que a matriz A é singular. Podemos aplicar a regra 2 do cálculo do determinante de uma matriz (se det(A)0, então A é inversível).

Quando é que uma matriz A tem inversa?

Uma matriz A de ordem mxn (m linhas e n colunas de mesma quantidade) tem inversa quando seu determinante é diferente de zero ou também quando seu posto é m, ou seja, quando o posto desta matriz coincide com a quantidade de linhas da matriz quadrada A.

*** CÁLCULO DA MATRIZ INVERSA NO SCILAB *** No SciLab , temos duas maneiras diretas
*** CÁLCULO DA MATRIZ INVERSA NO SCILAB *** No SciLab , temos duas maneiras diretas

*** CÁLCULO DA MATRIZ INVERSA NO SCILAB ***

No SciLab, temos duas maneiras diretas de encontrar a inversa de uma matriz quadrada:

1. Utilizando a função inv(matriz). Ex: inv(A) retorna o inverso da matriz A

2. Elevando a matriz original por -1. Ex: A^-1.

Outra maneira (indireta) pode ser feita pela função rref(), utilizada no método das matrizes escalonadas, estudado no tópico “Sistemas de Equações Lineares”. Mais à frente veremos como aplicar tal método na resolução das matrizes inversas.

Exercícios no SciLab:

Dada as matrizes A e B:

A =

⎡− 2 1

0

3

B =

3

5

2 1

a)

b)

V

er

ifi

l

que, pe o

d

t

i

ã

ã

e erm nan e, que as ma r z s o n o-s ngu ares (possuem nversa).

Encontre a inversa das matrizes, pelas formas vistas nos tópicos 1 e 2 deste slide.

t

i

t

i

l

i

c)

Prove que:

 

•A × A1 = (A1)×A = I. Faça o mesmo para a matriz B

Faça o mesmo para a matriz B

•(A 1 ) 1 = A . (AB) 1 = B 1 A 1

(A T ) 1 = (A 1 ) T

.

Faça o mesmo para a matriz B

R egra para ca l cu l ar a i nversa d e uma ma
R egra para ca l cu l ar a i nversa d e uma ma

Regra para calcular a inversa de uma matriz quadrada pelo método de Gauss- Jordan 1º: Posiciona-se as matrizes A e I lado a lado, de modo a formar uma matriz completa escalonada E = [ A|I ] 2º: Aplica-se, agora, Gauss. Se necessário, continuamos aplicando Jordan. Ao final, a porção da matriz E, equivalente à matriz A deve gerar a matriz identidade (I) e a porção que antes era a matriz I será, então, a matriz inversa de A. Caso isso não tenha ocorrido, implica dizer que a matriz A é singular e, consequentemente, não possui inversa.

DICA: Se achar mais fácil, verifique primeiro o determinante da matriz A. Se det(A)0, então a matriz A é inversível.

Exemplo 1: Dada a matriz A:

A =

3

2

5

1

Encontre, se existir a inversa desta matriz.

Resolução: Como a matriz A é não-singular (det(A) = -13), prosseguimos o cálculo de sua inversa:

E xemp l o 1 d o ca l cu l o d a i
E xemp l o 1 d o ca l cu l o d a i

Exemplo 1 do calculo da inversa de uma matriz quadrada pelo método de Gauss- Jordan 1º: Posiciona-se as matrizes A e I lado a lado, de modo a formar uma matriz completa escalonada E = [ A|I ]:

2º: Aplica-se, agora, Gauss:

E =

3

2

5

1

1 0

0

1

l

l

1

1

l

l

1

1

3

=>

E =

3

2

5

1

1 0

0

1

E =

1 1, 67 0,33 0

2

1

0

1

l

2

l

← −

2

2 l

E =

1 1, 67 0,33 0

2

1

0

1

l

2

← −

l

2

4,34

=> E =

1 1, 67 0,33

0,15

0

1

0

0, 23

1

=>

fim G auss

como ainda não zeramos todos os elementos acima dos pivôs, continuamos com Jordan:

l

1

,

l 1 67 l =>

1

2

E =

1

0

0

1

0, 08

0,15 0, 23

0,38

fim Jordan

E xemp l o 1 d o ca l cu l o d a i
E xemp l o 1 d o ca l cu l o d a i

Exemplo 1 do calculo da inversa de uma matriz quadrada pelo método de Gauss- Jordan Notamos que a porção de E, antes ocupada pela matriz A, gera a matriz identidade (I) e a porção que antes era a matriz I é, então, a matriz inversa de A:

Então:

E =

⎡ 1 0 0,08 0,38 ⎤ ⎢ ⎥ 0 1 0,15 − 0, 23 ⎣
⎡ 1
0
0,08
0,38 ⎤
0
1
0,15
0, 23
⎡ 0, 08 0,38 ⎤ − 1 A = ⎢ ⎥ 0,15 − 0, 23
0, 08
0,38
1
A =
0,15
0, 23

Se quisermos comprovar, basta aplicarmos as regras de matrizes inversas, vistas anteriormente.

Exemplo 2 : D a d a a matriz A : ⎡ ⎢ ⎢ ⎢
Exemplo 2 : D a d a a matriz A : ⎡ ⎢ ⎢ ⎢

Exemplo 2: Dada a matriz A:

0

A = 2

1

2 3

1

1

2

2

Encontre se existir a inversa desta matriz.

,

Resolução: Como a matriz A é não-singular (det(A) = -2), prosseguimos o cálculo de

sua inversa:

1º: Posiciona-se as matrizes A e I lado a lado, de modo a formar uma matriz completa

escalonada E = [ A|I ]:

1

E = 2

0

2

1

1

2º: Aplica-se, agora, Gauss:

1

E = 2

0

2

1

1

3

2

2

1

0

0

0 0

0

1

0 l

1

1

l

2

=>

3

2

2

1

0

0

2

E = 1

0

0

1

0

1

2

1

0

0

1

2

3

2

0

1

0

1

0

0

0

0 l

1

1

l

1

← =>

2

E xemp l o 3 d o ca l cu l o d a i
E xemp l o 3 d o ca l cu l o d a i

Exemplo 3 do calculo da inversa de uma matriz quadrada pelo método de Gauss- Jordan (continuação) Continuação do passo 2:

1

E = 1

0

0,5 1

2

1

3

2

1 0,5

E = 0

0

1

1

1

1,33

2

0 0,5 0

1

0

0

0

0

1

l

2

l

2

l

1

1

=> E = 0 1,5 2

0

2

0,5 1

1

0

1

0

0,5

0

0,5 0

0

1

0

0, 67

0

0,5

0

0

0,33 0

1

l

3

1 0,5

1

1,33

0

0,67

l

← −

l

2

=>

E = 0

0

1

0

0

3

0,67 0,67

1 0,5

⎢ ⎣

1

0 0,5

0,33

0,5

1,5

0 fim Gauss

E = 0

0

1

0

1,33 0,67

1

1

0,5

0,33

0,33

l

2

l

l

2

2

l

2

1,5

=>

0

0 l

3

1

l

3

0,67

=>

como ainda não zeramos todos os elementos acima dos pivôs, continuamos com Jordan:

1 0,5

E = ⎢ 0

0

1

0

1

0

1,33 0,67

1

1

0,5

0,33

0,5

0

0

1,5

l

l

2

1

l

2

1,33

← −

l

1

l

3

l

3

=>

1 0,5 0

0

1

E = ⎢ 0

0

1

0

1

2

0

1

1 0,5

1,5

2

1,5

l

1

← −

l

1

0,5

l

2

=>

E xemp l o 2 d o ca l cu l o d a i
E xemp l o 2 d o ca l cu l o d a i

Exemplo 2 do calculo da inversa de uma matriz quadrada pelo método de Gauss- Jordan

⎡ E = ⎢ ⎢ 0 ⎢ 1 0 0 0 0,5 − 0,5 ⎤
E = ⎢ ⎢ 0
1
0
0
0
0,5 − 0,5 ⎤
1
0
2
1
2 ⎥ ⎥ fim Jordan
0
0
1
− 1 0,5
1,5 ⎥

Então:

⎡ 0 0,5 − 0,5⎤ ⎥ − 1 A = 2 − 1 − 2
0
0,5 − 0,5⎤
1
A =
2
1
− 2
⎢ ⎢
1
0,5
1,5 ⎥

Aplicar as regras de matrizes inversas, vistas anteriormente, para comprovação.

OBS: Para o cálculo da inversa de matrizes de ordem superior a 3x3, o cálculo deverá ser feito pelo SciLab, visto que o esforço algébrico é mais complexo de ser feito manualmente. Para encontrar, no SciLab, a inversa de qualquer matriz quadrada, basta utilizar a função inv(matriz), A^-1 ou rref(E), já vistas anteriormente. Na multiplicação de A por A -1, o SciLab poderá dar um valor aproximado de 0 ou 1, o que deveremos entender tratar-se da matriz identidade (I).

FIM DA PARTE 5 – FAZER LISTA DE EXERCÍCIOS 5 (PRÓXIMO SLIDE) Utilizar o SciLab
FIM DA PARTE 5 – FAZER LISTA DE EXERCÍCIOS 5 (PRÓXIMO SLIDE) Utilizar o SciLab

FIM DA PARTE 5 – FAZER LISTA DE EXERCÍCIOS 5 (PRÓXIMO SLIDE) Utilizar o SciLab para conferir as respostas

FIM DA PARTE 5 – FAZER LISTA DE EXERCÍCIOS 5 (PRÓXIMO SLIDE) Utilizar o SciLab para
1 – Baseado nos itens da questão de 1 da lista de exercícios 4, calcule
1 – Baseado nos itens da questão de 1 da lista de exercícios 4, calcule

1 – Baseado nos itens da questão de 1 da lista de exercícios 4, calcule a inversa das matrizes não-singulares.

2 – Baseado nas matrizes da questão 3 da lista de exercícios 4, calcule a inversa das matrizes não-singulares

3 – Baseado na questão 2, utilize o SCILab para provar que:

•C × C1

(D 1 ) 1 = D . (AC) 1 = C 1 A 1

= (C1)×C = I.

(D T ) 1 = (D 1 ) T

.

UNIDADE I Introdução – Matrizes FIM
UNIDADE I Introdução – Matrizes FIM
UNIDADE I Introdução – Matrizes FIM

UNIDADE I Introdução Matrizes FIM

UNIDADE I Introdução – Matrizes FIM