Sei sulla pagina 1di 20
Introdução às máquinas de fluido  Matéria:  Pontos dinamicamente semelhantes  Mesma máquina a

Introdução às máquinas de fluido

Matéria:

Pontos dinamicamente semelhantes

Mesma máquina a diferente rotação

Curva da instalação

Ponto de funcionamento

Optimização do funcionamento de turbomáquinas

Condições para rendimento máximo

Exercício.

Aplicação do teorema dos  a máquinas hidráulicas (  constante) (I)  Vimos na

Aplicação do teorema dos a máquinas hidráulicas (constante) (I)

Vimos na última aula que, para máquinas geometricamente semelhantes:

L

5  N 2 D
5
N
2 D

F


Coeficiente de binário

Q ND 2  ,  3  ND   Nº. de Reynolds
Q
ND
2 
,
3
ND
Nº. de Reynolds

Coeficiente de caudal

Desprezando Re (esc. completamente

turbulento):

L

2

N D

5

F

Q

ND

3

Aplicação do teorema dos  a máquinas hidráulicas (  constante) (II)  Binário L

Aplicação do teorema dos a máquinas hidráulicas (constante) (II)

Binário L foi escolhido arbitrariamente

Para qualquer outra variável independente (P, H, ,…):

P Q   F     3 5 P N D 
P
Q
 F  
3
5
P
N D
 ND
3
gH
Q
 F  
2
2
H
3
N D
 ND
Q
F 
 ND
3
etc.

Y f X

Só há um grupo adimensional independente, para Re elevado

Aplicação do teorema dos  a máquinas hidráulicas (  constante) (III)  Para mesma

Aplicação do teorema dos a máquinas hidráulicas (constante) (III)

Para mesma família de máquinas as curvas de

funcionamento adimensionais ficam sobrepostas

H

1000 rpm, D=25 cm 1200 rpm, D=20 cm gH   1350 rpm, D=15 cm
1000
rpm, D=25 cm
1200
rpm, D=20 cm
gH
 
1350
rpm, D=15 cm
N D
2
2
1500
rpm, D=15 cm

Q

Q  ND 3
Q

ND
3

Pontos dinamicamente semelhantes

Portanto se

Q

3

ND

1

 

     1
 
1

  gH

N D

2

2

Q

3

ND

gH

2

N D

2

2

2

e 1 = 2

gH

2

N D

2

1000 rpm 1200 rpm 1350 rpm 1500 rpm 12 Q  ND 3
1000
rpm
1200
rpm
1350
rpm
1500
rpm
12
Q

ND
3

Os pontos 1 e 2 são pontos dinamicamente

semelhantes (mesmos grupos adimensionais, mesma proporção de grandezas dinâmicas e cinemáticas)

Pontos dinamicamente semelhantes para a mesma máquina  Mesma máquina: D 1 =D 2 Q

Pontos dinamicamente semelhantes para a mesma máquina

Mesma máquina: D 1 =D 2

Q 1 3 N D 1
Q
1
3
N D
1

Q 2 3 N D 2 Q 1 Q 2
Q
2
3
N D
2
Q
1
Q 2
gH 1 2 2 N D 1
gH
1
2
2
N D
1

H

 

1

H

2

2 2 N D 1  H         1

1 2

N

1

N

2

gH   N D 2 2 gH 2 2 2 N D 2
gH
 
N D
2
2
gH
2
2
2
N D
2
1000 rpm 1200 rpm 1350 rpm 1500 rpm 12 Q  ND 3
1000
rpm
1200
rpm
1350
rpm
1500
rpm
12
Q

ND
3

Pontos dinamicamente semelhantes da mesma máquina a diferentes velocidades de rotação

Pontos dinamicamente semelhantes para a mesma máquina - D 1 =D 2 Parábolas H=kQ 2

Pontos dinamicamente semelhantes para a mesma máquina - D 1 =D 2

Parábolas H=kQ 2 P 2 P 1 N 2 = 1200 rpm N 1 =
Parábolas H=kQ 2
P 2
P 1
N 2 = 1200
rpm
N 1 = 1000 rpm
Q 1
Q 2
Q

H

H 2

Mesma máquina

1 2 Q  H  N 1 1      1
1 2
Q
 H 
N
1
1
 
1
Q
H
N
2
2
2
 H 
1
H  
2
 
Q
 
1

k

H 1

Q

2

Pontos sobre a mesma parábola no diagrama H,Q representam pontos dinamicamente semelhantes obtidos com a mesma máquina a diferentes rotações

Exercício 1

Considere as turbinas Francis de Cabora Bassa: H=113,5m; N=107,1rpm, P=415MW, D=6,56m.

Pretende-se ensaiar em laboratório um modelo à escala 1/20 com uma queda de 22m.

Qual a velocidade de rotação, potência e caudal do modelo para simular o protótipo em condições nominais? Despreze a influência de Re e admita um rendimento 95%.

Resposta: N’ = 943 rpm, P’ = 88 kW, Q’ = 0,43 m 3 /s.

Curva da instalação  Aplicando equação de Bernoulli entre as 2 superfícies livres da instalação

Curva da instalação

Aplicando equação de Bernoulli entre as 2 superfícies

livres da instalação representada:

Energia mecânica dissipada na Energia mecânica acumulada sob a instalação forma de pressão e energia
Energia mecânica dissipada na
Energia mecânica acumulada sob a
instalação
forma de pressão e energia potencial
p
B
p
p
 l 
1
H
B
A
2
z
z
f
Q
B
A
2
 g
 
d
2
gA
eq
z
B - z A
Energia mecânica necessária
fornecer ao fluido pela bomba
Q
H=F(Q) é a curva da instalação
p
A
Curva da instalação  Curva é necessário fornecer ao fluido para o fazer circular numa

Curva da instalação

Curva

é

necessário fornecer ao fluido para o fazer circular numa dada instalação com um caudal Q.

que

a

energia

que

mecânica

H

que

p  p     l  1 B A 2 H 
p
 p
 l 
1
B
A
2
H 
f
Q
2
 g
 
d
2 gA
eq
 
k
Se o escoamento for completamente
turbulento na conduta f  f(Re)

z

B

z

A

H

Curva da instalação H=F(Q) Dissipação na instalação Acumulação Energia Mec. Q
Curva da instalação
H=F(Q)
Dissipação
na instalação
Acumulação
Energia Mec.
Q
Curva da instalação  H  Instalações de ventilação p  p   l

Curva da instalação

H

Instalações de ventilação p  p   l  1   B A
Instalações de ventilação
p
p
 l 
1
B
A
2
z
z
f
Q
B
A
2
 g
d
2 gA
eq

=0

H

Curva da instalação H=F(Q) Dissipação na instalação Q
Curva da instalação
H=F(Q)
Dissipação
na instalação
Q
da instalação H=F(Q) Dissipação na instalação Q Instalações em circuito fechado têm as mesmas

Instalações em circuito fechado têm as mesmas características (não há armazenamento de energia).

Curva da instalação  Centrais hidroeléctricas H  z A  z B  f

Curva da instalação

Centrais hidroeléctricas

H

z

A

z

B

f

l

d

eq

1

2 gA

2

Q

2

 l      d eq 1 2 gA 2   
 l      d eq 1 2 gA 2   
 l      d eq 1 2 gA 2   
 l      d eq 1 2 gA 2   

H

Dissipação na conduta Curva da instalação H=F(Q)
Dissipação
na conduta
Curva da instalação
H=F(Q)

Q

Ponto de funcionamento

Caudal e altura de elevação para os quais a energia fornecida pela bomba equilibra a que a instalação pede:

H

H 1

Curva da instalação 1 Curva da bomba à rotação N Q 1 Q
Curva da instalação
1
Curva da bomba
à rotação N
Q 1
Q
Condições para rendimento máximo  Qual a rotação para a qual se atinge rendimento máximo?

Condições para rendimento máximo

Qual a rotação para a qual se atinge rendimento máximo?

Ponto 2: rendimento máximo à rotação original

Pontos de rendimento máximo quando N varia:

H

H

Q

2 Q

2

2

2

H

H 2

H 1

2 1 3
2
1
3

Q 3

Q

2

Q

1

Q

Curva da instalação

Curva da bomba

à rotação N

Ponto 3: rendimento máximo à rotação alterada, mas também ponto sob a curva da instalação

N ´ N

Q

3

Q

2

Associação de máquinas em série  Qual o caudal fornecido pelas duas bombas em série?

Associação de máquinas em série

Qual o caudal fornecido pelas duas bombas em série?

Mesmo caudal, altura de elevação somada

B A

Q

B B

H

H=H A +H B

A+B A B
A+B
A
B

Curva resultante da

associação em série

Curva da instalação

Curva da bomba A à rotação N A

Curva da bomba B à rotação N B

Q

Associação de máquinas em paralelo  Qual o caudal fornecido pelas duas bombas em paralelo?

Associação de máquinas em paralelo

Qual o caudal fornecido pelas duas bombas em paralelo? Mesma altura de elevação, caudal somado

H Q B A B B H=H A =H B
H
Q
B A
B B
H=H A =H B
Curva da instalação A+B A Curva resultante da associação em paralelo B Curva da bomba
Curva da instalação
A+B
A
Curva resultante da
associação em paralelo
B
Curva da bomba A
à rotação N A

Curva da bomba B à rotação N B

Q=Q A +Q B

Q

Associação em série e em paralelo de máquinas hidráulicas movidas 

Associação em série e em paralelo de

máquinas hidráulicas movidas

Problema 1º teste 2010-11

Uma bomba radial bombeia água (= 1000 kg/m 3 ; = 10 -6 m 2 /s) de um rio para um reservatório à pressão atmosférica, conforme indicado na figura. As curvas da bomba à rotação de 3000 rpm têm por equação, respectivamente

H 45 12000Q

2

e 4670Q 78000Q

2

com H em m e Q em m 3 /s). O escoamento nas condutas pode ser considerado completamente turbulento, sendo o coeficiente de perda de carga total (condutas

de aspiração e compressão) de 5000 m/(m 3 /s) 2 .

de aspiração e compressão) de 5000 m/(m 3 /s) 2 . 10,5 m 60 l/s e

10,5 m

60 l/s e s
60 l/s
e s

a) Que valor se aproxima mais do caudal debitado?

25 l/s

31 l/s

40 l/s

45 l/s
45 l/s

52 l/s

b) E da potência dissipada na conduta?

1,3 kW

2,1 kW

6,1 kW

7,0 kW

4,5 kW 8,5 kW
4,5 kW
8,5 kW

Problema 1º teste 2010-11

Uma bomba radial bombeia água (= 1000 kg/m 3 ; = 10 -6 m 2 /s) de um rio para um reservatório à pressão atmosférica, conforme indicado na figura. As curvas da bomba à rotação de 3000 rpm têm por equação, respectivamente

H 45 12000Q

2

e 4670Q 78000Q

2

com H em m e Q em m 3 /s). O escoamento nas condutas pode ser considerado completamente turbulento, sendo o coeficiente de perda de carga total (condutas

de aspiração e compressão) de 5000 m/(m 3 /s) 2 .

de aspiração e compressão) de 5000 m/(m 3 /s) 2 . 10,5 m e s c)

10,5 m

e s
e s

c) Qual o valor mais próximo da velocidade de rotação

para a qual a bomba funcionaria com melhor rendimento?

1525

rpm

1685 rpm

1936

rpm

2352 rpm

1784 rpm
1784 rpm

2842 rpm

Bibliografia  Capítulos 2 e 3 Turbomáquinas, A. F. O. Falcão, Folhas AEIST, 2004.

Bibliografia

Capítulos 2 e 3

Turbomáquinas, A. F. O. Falcão, Folhas

AEIST, 2004.