Sei sulla pagina 1di 6
ÚLTIMO DIÁRIO 06/02/2014
ÚLTIMO
DIÁRIO
06/02/2014

ANO: 48 – 2014

FECHAMENTO: 06/02/2014

EXPEDIÇÃO: 09/02/2014

PÁGINAS:

072/067

FASCÍCULO Nº: 06

Destaques

Calcule a contribuição previdenciária em atraso no mês de fevereiro/2014 RFB aprova versão 6.0 do PER/DComp

Sumário

PREVIDÊNCIA SOCIAL

BENEFÍCIO

Desastre Natural – Portaria 45 MPS

CONTRIBUIÇÃO

Cessão de Mão de Obra – Solução de Divergência 30 Cosit

PER/DCOMP

Aprovação do Programa Gerador – Ato Declaratório Executivo 1 Corec

RECOLHIMENTO EM ATRASO

Fevereiro/2014 – Orientação

070

069

069

071

SIMPLES NACIONAL Cessão de Mão de Obra – Solução de Divergência 30 Cosit

069

TRABALHO

CONTRATO DE TRABALHO Suspensão – Jurisprudência – Recurso Ordinário 35.046 TRT

067

DÉBITO TRABALHISTA Atualização – Fevereiro/2014 – Tabela Prática

068

PIS/PASEP

PER/DCOMP Aprovação do Programa Gerador – Ato Declaratório Executivo 1 Corec

069

PER/DCOMP Aprovação do Programa Gerador – Ato Declaratório Executivo 1 Corec 069 LEGISLAÇÃO TRABALHISTA 072

LEGISLAÇÃO TRABALHISTA

072

COAD

FASCÍCULO 06/2014

PREVIDÊNCIA SOCIAL

ORIENTAÇÃO

PREVIDÊNCIA SOCIAL

RECOLHIMENTO EM ATRASO

Fevereiro/2014

Calcule a contribuição previdenciária em atraso no mês de fevereiro/2014

 

TABELA PRÁTICA

 
     

MESES DE COMPETÊNCIA

 

Anos

Acréscimos

Jan.

Fev.

Mar.

Abr.

Mai.

Jun.

Jul.

Ago.

Set.

Out.

Nov.

Dez.

13º Sal.

 

Juros

45,94

44,97

44,13

43,36

42,60

41,81

41,12

40,43

39,74

39,08

38,35

37,69

38,35

2009

Multa

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

 

Juros

37,10

36,34

35,67

34,92

34,13

33,27

32,38

31,53

30,72

29,91

28,98

28,12

28,98

2010

Multa

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

 

Juros

27,28

26,36

25,52

24,53

23,57

22,60

21,53

20,59

19,71

18,85

17,94

17,05

17,94

2011

Multa

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

 

Juros

16,30

15,48

14,77

14,03

13,39

12,71

12,02

11,48

10,87

10,32

9,77

9,17

9,77

2012

Multa

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

 

Juros

8,68

8,13

7,52

6,92

6,31

5,59

4,88

4,17

3,36

2,64

1,85

1

1,85

2013

Multa

20

20

20

20

20

20

20

20

20

20

(*)

(*)

(*)

 

Juros

                       

2014

Multa

(*)

                       

A Lei 11.941, de 27-5-2009 (Fascículo 22/2009), alterou, a partir de 4-12-2008, a metodologia de aplicação dos acréscimos legais sobre os recolhimentos em atraso das contribuições previdenciárias, devendo ser adotados os mesmos critérios aplicados aos tributos arrecadados pela RFB – Secretaria da Receita Federal do Brasil.

CRITÉRIOS PARA UTILIZAÇÃO DA TABELA:

1. MULTA

A multa de mora será calculada à taxa de 0,33%, por dia de atraso, limitada a 20%, a partir do primeiro dia útil subsequente ao do vencimento

até o dia em que ocorrer o pagamento da contribuição.

A multa incide sobre o valor original da contribuição.

DIAS DE

MULTA

DIAS DE

MULTA

DIAS DE

MULTA

DIAS DE

MULTA

ATRASO

(%)

ATRASO

(%)

ATRASO

(%)

ATRASO

(%)

 

01 0,33

 

17 5,61

 

33 10,89

 

49 16,17

 

02 0,66

 

18 5,94

 

34 11,22

 

50 16,50

 

03 0,99

 

19 6,27

 

35 11,55

 

51 16,83

 

04 1,32

 

20 6,60

 

36 11,88

 

52 17,16

 

05 1,65

 

21 6,93

 

37 12,21

 

53 17,49

 

06 1,98

 

22 7,26

 

38 12,54

 

54 17,82

 

07 2,31

 

23 7,59

 

39 12,87

 

55 18,15

 

08 2,64

 

24 7,92

 

40 13,20

 

56 18,48

 

09 2,97

 

25 8,25

 

41 13,53

 

57 18,81

 

10 3,30

 

26 8,58

 

42 13,86

 

58 19,14

 

11 3,63

 

27 8,91

 

43 14,19

 

59 19,47

 

12 3,96

 

28 9,24

 

44 14,52

 

60 19,80

 

13 4,29

 

29 9,57

 

45 14,85

A partir de 61

20

 

14 4,62

 

30 9,90

 

46 15,18

– –

 
 

15 4,95

 

31 10,23

 

47 15,51

– –

 
 

16 5,28

 

32 10,56

 

48 15,84

– –

 

COAD

FASCÍCULO 06/2014

PREVIDÊNCIA SOCIAL

2. JUROS

Os juros de mora incidentes no recolhimento em atraso das contribuições previdenciárias correspondem à taxa referencial do Selic – Sistema Especial de Liquidação e Custódia, para títulos federais, acumulada mensalmente, a partir do mês seguinte ao vencimento e de 1%

no mês do pagamento.

3. EXEMPLO PRÁTICO

Pagamento a ser realizado no dia 17-2-2014, de contribuição previdenciária no valor de R$ 9.525,00 referente à competência abril/2013, cujo vencimento foi em 20-5-2013.

I – Valor Original do Débito

R$

9.525,00

– Multa (mais de 60 dias de atraso = 20%) III – Juros (6,92%) TOTAL A RECOLHER

II

R$

1.905,00

R$

659,13

R$

12.089,13

 

BENEFÍCIO

PORTARIA 45 MPS, DE 4-2-2014 (DO-U DE 5-2-2014)

Desastre Natural

INSS autoriza antecipação de benefício para vítimas das enchentes no Estado de SP

Em virtude do estado de calamidade pública decorrente de desastres naturais os beneficiários domiciliados no Município de Itaóca, no Estado de São Paulo, receberão de forma antecipada os benefícios de prestação continuada previdenciária (aposentadoria e pensão) e assistencial (para idosos e deficientes) no primeiro dia útil do cronograma, a partir da competência fevereiro de 2014 e enquanto perdurar a situação. Também será permitido, mediante opção do beneficiário, o adiantamento de mais uma renda mensal correspondente ao valor do benefício, devendo esta quantia ser ressarcida ao INSS em até 36 parcelas mensais fixas, a partir do terceiro mês seguinte ao da antecipação, mediante desconto da renda do benefício.

O MINISTRO DE ESTADO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL, no

uso de suas atribuições e tendo em vista o disposto na Lei nº

8.213, de 24 de julho de 1991, e nos §§ 1º e 2º do art. 169 do Regu- lamento da Previdência Social – RPS, aprovado pelo Decreto nº 3.048, de 6 de maio de1999, com a redação dada pelo Decreto nº 7.223, de 29 de junho de 2010, e considerando o disposto na Portaria nº 10, de 15 de janeiro de 2014, da Secretária Nacional de Proteção e Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional, que reconhece, em decorrência de inundações, o estado de calami- dade pública no Município de Itaóca, no Estado de São Paulo,

RESOLVE:

Art. 1º – Autorizar o Instituto Nacional do Seguro Social –

INSS a antecipar, nos casos de estado de calamidade pública

decorrente de desastres naturais reconhecidos por ato do Gover- no Federal, aos beneficiários domiciliados no Município de Itaóca, no Estado de São Paulo:

I – o pagamento dos benefícios de prestação continuada

previdenciária e assistencial para o primeiro dia útil do crono- grama, a partir da competência fevereiro de 2014 e enquanto perdurar a situação; e

II – mediante opção do beneficiário, o valor correspondente

a uma renda mensal do benefício previdenciário ou assistencial a

que tem direito, excetuado os casos de benefícios temporários.

§ 1º – O disposto neste artigo aplica-se unicamente aos

beneficiários domiciliados nos municípios na data de decretação do

estado de calamidade pública, ainda que os benefícios sejam manti- dos em outros municípios, bem como aos benefícios decorrentes.

§ 2º – O valor antecipado na forma do inciso II deverá ser

ressarcido em até 36 (trinta e seis) parcelas mensais fixas, a partir

do terceiro mês seguinte ao da antecipação, mediante desconto da renda do benefício e, dada a natureza da operação, sem qual- quer custo ou correção, aplicando-se, no que couber, o inciso II do art. 154 do RPS.

Esclarecimento COAD: O inciso II do artigo 154 do RPS – Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto 3.048/99 (Portal COAD), trata do desconto da renda mensal do benefício de pagamento feito além do devido.

§ 3º – Deverá ser adequada a quantidade de parcelas de

que trata o § 2º, para aqueles benefícios cuja cessação esteja

prevista para ocorrer em data anterior à 36ª parcela, de modo a propiciar a quitação total da antecipação, ainda na vigência dos referidos benefícios.

§ 4º – Na hipótese de cessação do benefício antes da quita-

ção total do valor antecipado, deverá ser providenciado o encontro de contas entre o valor devido pelo beneficiário e o crédito a ser recebido, nele incluído, se for o caso, o abono anual.

§ 5º – A identificação do beneficiário para fins de opção pela

antecipação de que trata o inciso II do caput poderá ser feita pela estrutura da rede bancária, inclusive os correspondentes bancá-

rios, responsável pelo pagamento do respectivo benefício. Art. 2º – O INSS e a Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social – DATAPREV adotarão as providências necessárias ao cumprimento do disposto nesta Portaria. Art. 3º – Esta Portaria entra em vigor na data de sua publi- cação. (Garibaldi Alves Filho)

COAD

FASCÍCULO 06/2014

PREVIDÊNCIA SOCIAL

ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 1 COREC, DE 30-1-2014 (DO-U DE 31-1-2014)

RFB aprova versão 6.0 do PER/DComp

PER/DCOMP Aprovação do Programa Gerador

O referido ato aprova a versão 6.0 do PER/DComp – Programa Pedido de Restituição, Ressarcimento ou Reembolso e Declaração

de Compensação para, entre outras alterações, incluir novos códigos de receita para o crédito decorrente de pagamento indevido ou a maior recolhido mediante Darf – Documento de Arrecadação de Receitas Federais, com destaque para os códigos de receita vinculados ao pagamento de débitos de contribuição previdenciária apurada mediante aplicação de percentual sobre a receita bruta, de que trata a Lei 12.546, de 14-12-2011 (Fascículo 50/2011 e Portal COAD).

A compensação de débitos lançados de ofício passa a ser declarada em documento distinto daquele que declare compensações de

débitos de outros grupos de tributo.

O programa PER/DComp, de livre reprodução, estará disponível para download no sítio da RFB – Secretaria da Receita Federal do

Brasil na Internet, no endereço http://www.receita.fazenda.gov.br, e deverá ser utilizado a partir do dia 1-2-2014. Na versão 6.0 do programa estará contida a versão 47 do arquivo para atualização de suas tabelas. Não serão recepcionados documentos de versão anterior à 6.0 do programa após as 23:59 horas, horário de Brasília, do dia

31-1-2014.

Os pedidos de restituição, ressarcimento, reembolso e declaração de compensação em que o titular do crédito seja sociedade em conta de participação não poderão ser solicitados com utilização do PER/DComp, devendo ser realizados por meio dos anexos constantes da Instrução Normativa 1.300 RFB, de 20-11-2012 (Fascículo 47/2012 e Portal COAD).

SOLUÇÃO DE DIVERGÊNCIA 30 COSIT, DE 29-11-2013 (DO-U DE 23-12-2013)

SIMPLES NACIONAL Cessão de Mão de Obra

Cosit esclarece quanto a retenção de 11% nos serviços de instalação de elevadores e escadas rolantes

A Cosit – Coordenação-Geral de Tributação, da Secretaria

da Receita Federal do Brasil, aprovou a seguinte ementa através da Solução de Consulta em referência:

“Os serviços de instalação, manutenção e reparação de

elevadores, escadas e esteiras rolantes são tributados pelo Anexo

III da Lei Complementar nº 123, de 2006, e não estão sujeitos à

retenção da contribuição previdenciária prevista no art. 31 da Lei

nº 8.212, de 1991, ainda que prestados mediante empreitada.

Entretanto, se forem prestados mediante cessão ou locação de mão de obra, constituem atividade vedada ao Simples Nacional.

Esclarecimentos COAD: Dentre os serviços elenca- dos no Anexo III da Lei Complementar 123/2006 (Portal COAD) estão os de instalação, de reparos e de manu- tenção em geral, bem como de usinagem, solda, trata- mento e revestimento em metais. • O artigo 31 da Lei 8.212/91 (Portal COAD) determina que a empresa contratante de serviços executados me- diante cessão de mão de obra, inclusive em regime de trabalho temporário, deverá reter 11% sobre o valor bruto da nota fiscal ou fatura de prestação de serviços e recolher, em nome da empresa cedente da mão de obra,

a importância retida até o dia 20 do mês subsequente ao da emissão da respectiva nota fiscal ou fatura, ou até o dia útil imediatamente anterior se não houver expediente bancário naquele dia.

Caso a ME ou EPP seja contratada para construir imóvel ou executar obra de engenharia em que os serviços de instalação de elevadores, escadas e esteiras rolantes façam parte do respectivo contrato, sua tributação ocorrerá juntamente com a obra, na forma do Anexo IV da Lei Complementar nº 123, de 2006.

Esclarecimento COAD: Dentre os serviços constantes do Anexo IV da Lei Complementar 123/2006 encon- tram-se o de construção de imóveis e obras de enge- nharia em geral, inclusive sob a forma de subemprei- tada, execução de projetos e serviços de paisagismo, bem como decoração de interiores.

DISPOSITIVOS LEGAIS: Lei Complementar nº 123, de 2006, art. 17, XI, XII, § 1º, art. 18, § 5º-B, IX, § 5º-C, § 5º-F, § 5º-H; Lei nº 8.212, de 1991, art. 31; Instrução Normativa RFB nº 971, de 2009, arts. 112, 117, III, 142, III e 191.”

LEGISLAÇÃO TRABALHISTA

069

COAD

FASCÍCULO 06/2014

TRABALHO

TABELA PRÁTICA

TRABALHO

DÉBITO TRABALHISTA Atualização

Atualize os débitos trabalhistas para pagamento no mês de fevereiro/2014

1. ATUALIZAÇÃO MENSAL Os coeficientes de atualização da tabela a seguir corrigem os débitos trabalhistas desde o primeiro dia do mês/ano em que o débito tornou-se devido até o último dia do mês anterior ao do pagamento. Sendo assim, a Tabela está atualizada até 31-1-2014, aplicando-se ao pagamento realizado em 1-2-2014.

 

TABELA 1 – COEFICIENTES MENSAIS

 

Meses de

           

Vencimento

2003

2004

2005

2006

2007

2008

do Débito

Jan

1,190056770

1,137192828

1,116883220

1,086108065

1,064418068

1,049253099

Fev

1,184279853

1,135739082

1,114787420

1,083587640

1,062093146

1,048194422

Mar

1,179425338

1,135219152

1,113716025

1,082802609

1,061327929

1,047939773

Abr

1,174981558

1,133204314

1,110789096

1,080562602

1,059340606

1,047511341

Mai

1,170085918

1,132214759

1,108568633

1,079639510

1,057994837

1,046511922

Jun

1,164670202

1,130467057

1,105774341

1,077604992

1,056210896

1,045742255

Jul

1,159838315

1,128479804

1,102474634

1,075521707

1,055204232

1,044545207

Ago

1,153534251

1,126281303

1,099643053

1,073641760

1,053656410

1,042549766

Set

1,148895013

1,124027627

1,095844855

1,071032724

1,052114011

1,040911372

Out

1,145043088

1,122088658

1,092962713

1,069406157

1,051743797

1,038864808

Nov

1,141375847

1,120846760

1,090672301

1,067404774

1,050544076

1,036267921

Dez

1,139352357

1,119563740

1,088572444

1,066038113

1,049924621

1,034593948

Meses de

           

Vencimento

2009

2010

2011

2012

2013

2014

do Débito

Jan

1,032375373

1,025107302

1,018095154

1,005944277

1,003038382

1,001126000

Fev

1,030479291

1,025107302

1,017367736

1,005075891

1,003038382

1,000000000

Mar

1,030014755

1,025107302

1,016834915

1,005075891

1,003038382

 

Abr

1,028535720

1,024296060

1,015604003

1,004003615

1,003038382

 

Mai

1,028068977

1,024296060

1,015229383

1,003775758

1,003038382

 

Jun

1,027607581

1,023773935

1,013637971

1,003306211

1,003038382

 

Jul

1,026933912

1,023171287

1,012510035

1,003306211

1,003038382

 

Ago

1,025855738

1,021994971

1,011267188

1,003161756

1,002828791

 

Set

1,025653684

1,021066821

1,009172146

1,003038382

1,002828791

 

Out

1,025653684

1,020350535

1,008160961

1,003038382

1,002749573

 

Nov

1,025653684

1,019869157

1,007536288

1,003038382

1,001827892

 

Dez

1,025653684

1,019526596

1,006886846

1,003038382

1,001620556

 

De acordo com a Súmula 381 do TST, o pagamento dos salários até o 5º dia útil do mês subsequente ao vencido não está sujeito à correção monetária. Contudo, se essa data limite for ultrapassada, incidirá o índice da correção monetária do mês subsequente ao da prestação dos serviços, a partir do dia 1º.

COAD

FASCÍCULO 06/2014

TRABALHO

2. ATUALIZAÇÃO DIÁRIA

Para atualização diária de débito pago em dia diferente do dia 1º, ou seja, para pagamentos a partir do dia 2, cabe ao devedor utilizar a TR

pró-rata dia.

A

seguir, divulgamos os coeficientes diários que devem ser utilizados entre o período de 1-2 a 1-3-2014:

 
 

TABELA 2 – COEFICIENTES DIÁRIOS

 
 

DIA

COEFICIENTE

DIA

COEFICIENTE

 

1

1,00000000

17

1,00026846

 

2

1,00000000

18

1,00029531

 

3

1,00000000

19

1,00032217

 

4

1,00002684

20

1,00034902

 

5

1,00005369

21

1,00037587

 

6

1,00008053

22

1,00040272

 

7

1,00010738

23

1,00040272

 

8

1,00013422

24

1,00040272

 

9

1,00013422

25

1,00042958

 

10

1,00013422

26

1,00045643

 

11

1,00016107

27

1,00048329

 

12

1,00018792

28

1,00051014

 

13

1,00021477

1

1,00053700

 

14

1,00024161

   
 

15

1,00026846

   
 

16

1,00026846

   

3.

EXEMPLOS

a)

Suponhamos uma diferença de comissões referente ao mês de agosto/2006, cujo pagamento deveria ter sido efetuado até o 5º dia útil de

setembro/2006, e a empresa realiza o pagamento em 1-2-2014.

O

valor da diferença de comissões é de R$ 302,00.

O

cálculo ficará da seguinte forma:

– R$ 302,00 x 1,071032724 (coeficiente mensal de setembro/2006, mês seguinte ao da prestação de serviços, de acordo com a Tabela 1) = R$ 323,45

O

valor atualizado para pagamento em 1-2-2014 é de R$ 323,45.

b)

Considerando a mesma diferença de comissões (R$ 302,00), referente ao mês de agosto/2006, cujo pagamento deveria ter sido

efetuado até o 5º dia útil de setembro/2006, para pagamento em 28-2-2014.

O cálculo ficará da seguinte forma:

– R$ 302,00 x 1,071032724 (coeficiente mensal de setembro/2006, mês seguinte ao da prestação de serviços, de acordo com a Tabela 1) = R$ 323,45

R$ 323,45 x 1,00051014 (coeficiente de 28-2-2014, de acordo com a Tabela 2) = R$ 323,62

O

valor atualizado para pagamento em 28-2-2014 é de R$ 323,62.

JURISPRUDÊNCIA RECURSO ORDINÁRIO 35.046 TRT

CONTRATO DE TRABALHO Suspensão

Manutenção do plano de saúde é garantida aos aposentados por invalidez com contrato suspenso

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ – PLANO DE ASSIS- TÊNCIA MÉDICA – MANUTENÇÃO PELO EMPREGADOR –

EXIGIBILIDADE

A suspensão contratual, ainda que decorrente de aposen- tadoria por invalidez, não confere ao empregador o direito de suspender o plano de saúde. Isso porque os efeitos da suspensão do contrato de trabalho restringem-se às obrigações principais da relação contratual, ou seja, aqueles efeitos incompatíveis com a prestação do trabalho, mas não as demais cláusulas contratuais. Tal posicionamento se coaduna com a efetividade que deve ser aplicada aos princípios da dignidade da pessoa humana e do valor

social do trabalho – artigo 1º, III e V, da CF. (TRT – 9ª Região – Recurso Ordinário 35046-2010-001-09-00-7 – Relator Desembar- gador Adayde Santos Cecone – DeJT de 24-9-2013).

Esclarecimento COAD: Os incisos III e V do artigo 1º da Constituição Federal/88 (Portal COAD) estabele- cem, respectivamente, que a República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Es- tado Democrático de Direito e tem como fundamentos a dignidade da pessoa humana e o pluralismo político, dentre outros.

LEGISLAÇÃO TRABALHISTA

067