Sei sulla pagina 1di 139

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Sally Wentworth – Culpada ou Inocente? Sabrina 1048 Culpada ou Inocente? Sally Wentworth O casamento deles

Culpada ou Inocente?

Sally Wentworth

O casamento deles poderá sobreviver a verdade? Lucy tem tudo que uma mulher pode desejar: um marido maravilhoso, um filho adorado

e um novo bebê a caminho. Seu casamento é abençoado

um segredo de seu passado volta a assombrá-la. Como Lucy poderia contara ao marido, Seton Wallace, que ela já estivera na prisão? Fora por um crime que não cometera, mas estava sendo chantageada

pelo homem que armara tudo contra ela. Por cinco anos, Seton idolatrara Lucy como esposa perfeita. O que ele fará, quando descobrir que ela não é exatamente aquilo que ele pensa?

até que

Disponibilização: Juliana Digitalização e Revisão: SR 3

Simplesmente Romântica 2014©

aquilo que ele pensa? até que Disponibilização: Juliana Digitalização e Revisão: SR 3 Simplesmente Romântica 2014©

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Copyright © 1997 by Sally Wentworth

Inocente? Sabrina 1048 Copyright © 1997 by Sally Wentworth Título original: The Guilty Wife Tradução: Wania

Título original: The Guilty Wife Tradução: Wania Pereira Lopes Editor: Janice Florido Chefe de Arte: Ana Suely Dobón Paginador: Nair Fernandes da Silva Em EDITORA NOVA CULTURAL LTDA.

Rua Paes Leme, 52/1 - 1oQ andar CEP: 05424-010 - São Paulo - Brasil Copyright para a língua portuguesa: 1998 EDITORA NOVA CULTURAL LTDA. Fotocomposição: Editora Nova Cultural Ltda. Impressão e acabamento: Gráfica Círculo

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

PRÓLOGO

Tudo aconteceu tão de repente!

Sabrina 1048

PRÓLOGO Tudo aconteceu tão de repente! Sabrina 1048 Lucy pedalava sua bicicleta pela avenida, ao longo

Lucy pedalava sua bicicleta pela avenida, ao longo do parque, sob a sombra que árvores de ambos os lados lançavam no pavimento.

O trânsito não estava “pesado”, o que era normal para uma tarde de sábado, na pequena

cidade de Hayford, onde ela morava.

Notou o carro elegante vindo na direção oposta, mas não prestou muita atenção. Estava absorta em seus próprios pensamentos.

Aí, tudo pareceu acontecer ao mesmo tempo. Uma bola voou por sobre o alambrado do

parque. Um cachorro, arrastando um garoto que o segurava pela coleira, saiu pelo portão

de entrada. No instante em que viu a bola, o cão correu para apanha-1a, puxando o menino.

Uma mulher gritou, o som agudo e apavorado desfazendo a harmonia da tarde calma.

O carro freou e deu uma guinada violenta para não atropelar o garoto. Mas isso o fez ir de

encontro a Lucy.

O mundo pareceu parar completamente. O carro, grande e vermelho, cor de sangue,

atingiu-a com força.

Então, tudo pareceu acontecer em câmara lenta. Cada segundo longo e arrastado, enquanto a mente de Lucy se paralisava de terror. Ela pode ver de relance o rosto de um homem que, pálido como cera, ainda tentou desviar o carro novamente.

Ouviu-se o som de freios e pneus guinchando. E ela foi atingida.

A traseira do carro bateu na roda dianteira da bicicleta, fazendo com que Lucy voasse até a

beira do gramado.

Ela se sentiu-se rolando e rolando, a mente ainda alerta para os odores de terra úmida, flores e grama, para o céu e o chão turbilhonando a sua volta. Rolou até que seu corpo parasse, encostado a uma grade de jardim.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Permaneceu muito quieta, olhos fechados, seu cérebro em choque, incapaz de assimilar o que acontecera.

cérebro em choque, incapaz de assimilar o que acontecera. Logo depois, começou a perceber os sons

Logo depois, começou a perceber os sons que a cercavam: os gritos persistentes da mulher,

o latido do cão, o motor do carro sendo desligado e, em seguida, passos que se aproximaram correndo.

Meu Deus!

Uma hesitante mão tocou-lhe o pescoço, sentindo sua pulsação.

Você está bem? Pode me ouvir?

Devagar, cuidadosamente, Lucy abriu os olhos.

Notou, aliviada, que tudo parara de girar, e que o céu estava em seu devido lugar. A maior parte de sua visão, entretanto, estava bloqueada pela cabeça de um homem que se debruçava sobre ela, visivelmente aterrorizado.

Ela olhou-o, sem conseguir falar.

O estranho tirou pedaços de folhas e gravetos que se prendiam aos cabelos dela, de um

loiro-pálido.

Está ferida? Está sentindo dor?

Nã-nào sei Lucy respondeu com tremendo esforço.

Tentou se mover, sentiu uma dor aguda no braço esquerdo e desmaiou.

Devia ter ficado sem sentidos por um minuto mais ou menos, porque, quando voltou a si, percebeu que o homem estava no mesmo lugar. Falava em um telefone celular.

Havia outras pessoas presentes. Uma mulher soluçava, enquanto abraçava o garoto. Este, por sua vez, olhava para Lucy, assustado e pálido.

Mais gente se aglomerava ao redor da cena. O homem desligou o telefone e olhou para os outros, visivelmente aborrecido. Com um grunhido, afastou os curiosos.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Ajoelhado ao lado de Lucy, tratou de acalma-la.

Não se preocupe disse suavemente. caminho. Você ficará boa.

A ambulância já está a

caminho. Você ficará boa. — A ambulância já está a Tirando o paletó, improvisou um travesseiro.

Tirando o paletó, improvisou um travesseiro. Colocando-o sob a cabeça de Lucy, ergueu-a quase imperceptivelmente, com mãos fortes mas extremamente delicadas.

É este, o menino? Lucy quis saber. Ele não foi atingido?

Não, ele está bem.

A mulher desatou a chorar.

Desculpem ela balbuciou. Lamento tanto! Ele estava com a correia do cachorro enrolada no braço e não conseguiu solta-la!

Lucy sentiu uma onda de raiva invadi-la, mas, olhando a expressão aterrorizada do garoto, toda ira se desvaneceu.

Desviou o olhar, concentrando-se nos olhos do motorista desconhecido.

Eram de uma cor pouco comum, nem cinzento, nem azul, sob espessas sobrancelhas castanhas que, no momento se arqueavam ansiosamente.

Gostaria de me sentar Lucy disse com voz mais firme.

Não alguém falou. Ela pode ter quebrado o pescoço.

Você quebrou o pescoço?

Não. Mas acho que quebrei o pulso. E estou apoiada nele. Além disso, me sinto uma tola, deitada aqui.

Menos tenso, o homem ajudou-a a sentar-se, ignorando as objeções que vinham de todos os lados.

Como se chama? perguntou, cobrindo os ombros dela com o paletó.

Lucy. Lucy Brownlow.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Há alguém que quer que eu avise?

Ele olhou para a mão dela, desprovida de aliança.

Seus pais? insistiu.

Não. Só tenho uma tia, e ela não está na cidade.

Mas deve haver alguém

Sabrina 1048

está na cidade. — Mas deve haver alguém Sabrina 1048 Foi interrompido pelo som de uma

Foi interrompido pelo som de uma sirene. Um carro de policia freou quase tão violentamente quanto o carro vermelho freara momentos antes, Dois policiais apareceram, tomando o controle da situação.

Em seguida chegou a ambulância, e os policiais afastaram-se, dando lugar aos paramédicos.

Eles queriam deitá-la numa maca, mas Lucy insistiu em levantar-se, consciente da preocupação do menino, que ainda a olhava.

Caminhando até a ambulância, ela viu sua bicicleta jogada no chão. Um arrepio de horror a percorreu quando ela notou a roda frente irreconhecível, totalmente retorcida.

Foi por pouco, ela pensou.

Se o motorista não tivesse conseguido desviar pela segunda vez, ela estaria esmagada feito uma panqueca, no lugar daquela roda.

O homem percebeu o tremor que a percorreu.

Sei que a bicicleta esta destruída aele confessou. Mas não se preocupe. Vou providenciar uma nova.

Não ela protestou. Não é isso.

Vamos, senhorita um dos paramédicos interrompeu. Vou leva-la para o hospital.

Que hospital? o homem indagou.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Lucy não ouviu a resposta. Foi ajudada a entrar na ambulância, aliviada por sair daquela cena horrível.

na ambulância, aliviada por sair daquela cena horrível. Algumas horas depois, com o braço engessado e

Algumas horas depois, com o braço engessado e devidamente acomodada numa cama de hospital, foi interrogada sobre o acidente, por um policial.

Essa é a história que ouvimos das outras testemunhas disse o policial. Parece mesmo que o Sr. Wallace não teve culpa de nada.

Quem?

O motorista do Jaguar explicou ele. O carro envolvido no acidente.

Não sabia o nome dele ela falou. Mas é claro que ele não teve culpa. Aliás, foi sua presença de espírito que nos salvou, ao garoto e a mim.

Um pensamento ocorreu-lhe.

E o cão? Também escapou ileso?

Também respondeu o policial, sorrindo. Pondo-se de pé, ele prosseguiu: O Sr.

Wallace ainda está aqui, esperando para saber da senhorita. Eu disse que vai passar

a noite no hospital, mas ele insiste em vê-la. Tudo bem?

Lucy concordou e, assim que ele saiu do quarto, tratou de ajeitar os cabelos com a mão direita. Percebeu que eles tinham sido escovados e puxados severamente para trás, presos com um elástico. Trabalho da enfermeira que a socorrera e limpara suas escoriações.

Lucy desconfiou que estava com um olho roxo. Como se não bastasse, a desbotada camisola do hospital não ajudava a melhorar sua aparência. Normalmente, os olhos dela, de um castanho muito claro, já requeriam boa dose de maquiagem para se realçarem!

Ela não pôde evitar um suspiro de desânimo. O policial afastara a cortina ao redor da cama, portanto ela pôde ver o motorista, quando ele entrou na enfermaria e olhou ao redor. Parecia estar com uns trinta anos, tinha cabelos escuros e era muito alto. Trajava terno escuro, que apesar de manchado de grama na altura dos joelhos e nas mangas, era muito bem talhado. O homem tinha o porte ereto de um soldado, o que lhe conferia um ar de superioridade. Lucy pensou que um Jaguar era o carro certo para ele. Ambos eram grandes, de boa qualidade, e pareciam caros!

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Ele a viu e caminhou através da enfermaria.

Com está se sentindo?

Sabrina 1048

da enfermaria. — Com está se sentindo? Sabrina 1048 — Bem — ela sorriu. — Foi

Bem ela sorriu. Foi gentileza sua esperar tanto tempo.

Não foi nada ele assegurou. Estava muito preocupado com você. Fiquei terrivelmente aborrecido por você ter sido ferida.

Mas não foi sua culpa! Lucy protestou. Foi um acidente. Já contei à polícia. Não vão acusa-lo de nada, vão?

Não, mas agradeço seu apoio.

Ele sorriu, parecendo mais jovem e muito mais acessível.

Já sei o seu nome, mas creio que não sabe o meu.

Estendeu calorosamente a mão.

Sou Seton Wallace.

Que modo mais estranho de se conhecer alguém! Lucy falou, apertando a mão firme, de pele macia.

É mesmo. Ele sorriu de novo. Podemos dizer que causamos impacto um no outro!

Que horror! Lucy não pode evitar uma careta.

Desculpe. Achei que aliviaria a tensão.

Por estar apreciando cada vez mais aquele sorriso, por estar começando a gostar dele, Lucy relaxou.

Espero não estar privando sua família de sua companhia ela se desculpou.

Não está. Vim aqui para visitar meus pais e já telefonei, avisando o que aconteceu. Mas, e quanto a sua família? Será que não há mesmo ninguém que gostaria de avisar?

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Não. Moro sozinha.

Nem mesmo um namorado?

Sabrina 1048

Não. Moro sozinha. — Nem mesmo um namorado? Sabrina 1048 — Ninguém — Lucy respondeu, olhando-o

Ninguém Lucy respondeu, olhando-o rapidamente.

Uma enfermeira aproximou-se, empurrando um carrinho.

Acho melhor eu ir ele falou. Pode me dar seu endereço? Para mandar sua

bicicleta

quando estiver consertada apressou-se em esclarecer.

Não precisa se incomodar. Não foi sua culpa.

Faço questão ele interrompeu firmemente.

Então, obrigada ela agradeceu, dando-lhe o endereço.

Ele saiu, e Lucy recostou-se nos travesseiros. Estava toda dolorida e machucada, mas, apesar disso, sentia uma estranha euforia. Devia ser a reação que sempre se seguia a um choque, ela pensou. A alegria por sentir-se viva. Ou, talvez, fosse a lembrança de um rosto masculino atraente debruçado sobre ela.

Era provável que nunca mais visse Seton. Ele poderia mandar alguém entregar a bicicleta. Mas, de alguma forma, ela sabia que ele iria entrega-la pessoalmente.

Com os olhos pesados de súbita fadiga, Lucy adormeceu, calculando quanto tempo levaria para a bicicleta ser consertada.

Ela o viu, no entanto, muito antes do previsto.

Na manhã seguinte, Lucy vestiu as roupas rasgadas e sujas usadas na véspera e desceu à recepção para pedir um táxi.

Eu sirvo? perguntou uma voz atrás dela.

Lucy reconheceu a voz de Seton imediatamente, e já estava sorrindo, quando se virou.

Oi!

Bom dia! Você parece bem melhor, esta manhã.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Nossa! Então, devia estar mesmo um horror na noite passada! ela respondeu, rindo.

Acabo de me olhar no espelho e quase desmaiei.

rindo. — Acabo de me olhar no espelho e quase desmaiei. — Nesse caso — ele

Nesse caso ele falou, imitando-a , você deve ser deslumbrante, normalmente!

Era um elogio, e Seton parecia sincero ao proferi-lo.

O carro está ali fora.

Ele a tomou pelo cotovelo, conduzindo-a com todo o cuidado, como se ela fosse uma frágil boneca, e não uma moça de um metro e sessenta e cinco de altura e cinquenta e três quilos, que se exercitava habitualmente.

Lucy, pouco acostumada com tal tratamento, percebeu que gostava daquilo.

Ela teve dificuldade para colocar o cinto de segurança, e ele debruçou-se sobre ela para ajuda-la. A fragrância de sua loção pós-barba era sutil, mas provocante.

Seton estava usando jeans e uma camiseta, mas o ar de extrema autoconfiança permanecia.

Dirigiu devagar, cauteloso, para evitar solavancos, tendo a preocupação de evitar o caminho do parque, ainda que fosse o mais curto.

Lucy percebeu que ele não queria aborrecê-la com lembranças do acidente, e sentiu um aperto comovido no coração.

Ele estacionou em frente ao prédio onde ela morava. Era uma casa de dois andares, que fora transformada em dois apartamentos, um em cada andar. Nada especial, mas, para Lucy, compra-lo fora a realização de um sonho bastante ambicioso.

Seton ajudou-a a sair do carro e subiu com ela, como era de esperar.

Entrando, deu um murmúrio de aprovação, o que deixou Lucy muito satisfeita. Afinal, ela despendera muito tempo e carinho para criar a decoração.

A cozinha fica nos fundos ela falou, afastando-se. Talvez queira fazer um café, enquanto troco de roupa?

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Grite, se precisar de ajuda ele sugeriu.

1048 — Grite, se precisar de ajuda — ele sugeriu. Ela se surpreendeu. Será que Seton

Ela se surpreendeu. Será que Seton esperava ajuda-la a se vestir?

Logo descobriu que não era tão fácil quanto parecia. Se despir fora simples, vestir um sutiã limpo era missão impossível. Desistindo, optou por um training folgado, alargando o tecido para acomodar o braço engessado.

Voltou à sala de estar onde Seton esperava.

Ele olhou-a de cima a baixo, por um momento longo demais. Lucy percebeu que ele notara que ela não estava usando sutiã.

Aqui está seu café.

Obrigada.

Ela foi sentar-se no parapeito da janela, alheia ao fato de que o sol que atravessava a vidraça luzia como um halo ao redor de sua cabeça. Os cabelos loiros, já soltos, caíam lisos e fartos pelo pescoço. O sol os fazia brilhar como uma cascata de ouro derretido.

Olhando de relance para Seton, viu que ele a observava, fascinado.

Ele pestanejou e perguntou com voz um tanto forçada:

Trabalha aqui em Hayford?

Trabalho ela respondeu. Num escritório.

É secretária? Não vai poder datilografar, com esse pulso quebrado.

Não. Não sou secretária. Faço coisa bem menos importante, como conferir mercadorias mediante notas, coisas assim. Vão encontrar algo que eu possa fazer, espero.

Mas precisará tirar uma licença, dar tempo para este pulso sarar ele comentou. preocupado.

Telefono para o trabalho amanhã, contando o que aconteceu ela o acalmou.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Promete?

Ela sorriu, satisfeita.

Prometo.

Sabrina 1048

Promete? Ela sorriu, satisfeita. — Prometo. Sabrina 1048 Depois de um momento de reflexão, dedicado a

Depois de um momento de reflexão, dedicado a desastrosas experiências anteriores, ela voltou a falar:

Você não deve se preocupar comigo. Sei cuidar de mim, pode ter certeza.

Não deveria ter de se cuidar sozinha ele argumentou. Olhe, eu tirei férias de uma semana e vou estar por aqui. Use-me. Se tiver que ir ao médico, às compras, ou ao hospital de novo, só me chamar.

Vendo o olhar surpreso de Lucy, ele ergueu a mão num gesto imperativo.

Eu insisto. E, se você recusar, vou ficar sentado no carro, aí fora, até que concorde.

É sempre tão autoritário? Lucy indagou, sorrindo.

Os olhos dele, nesse momento mais azuis do que cinzentos, sorriram de volta.

Só com pessoas que quase consegui matar!

Levantando-se, ele apanhou uma folha do bloco ao lado do telefone e anotou algo.

É o número da casa de meus pais. Ligue, se precisar de alguma coisa. A qualquer hora. Promete?

Quantas promessas! Não estou acostumada com tanta atenção Lucy falou, na defensiva.

Seton aproximou-se e apoiou um cotovelo na parede, como para observar melhor o rosto dela.

Bom, é melhor ir se acostumando com isso ele disse. Caminhou para a porta, então

parou e voltou-se. Acho que não vai ter disposição para fazer o jantar, esta noite. Que tal encomendarmos comida chinesa?

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Lucy hesitou, sabendo que deveria recusar, mas não resistiu.

Eu gostaria muito.

deveria recusar, mas não resistiu. — Eu gostaria muito. Seton saiu, e ela o observou pela

Seton saiu, e ela o observou pela janela. Ele acenou, antes de entrar no carro.

Lucy sentia-se confusa. Aquele não era um homem que se achasse facilmente. Seria muito fácil alguém se apaixonar por ele.

Pelo jeito como Seton a olhara, uma ou duas vezes, Lucy sentia que ele pensava o mesmo sobre ela.

Esse pensamento a excitava, mas, ao mesmo tempo, deixava-a nervosa. Não tinha muita experiência com os homens, e a que tivera fora dolorosa. Mas talvez estivesse enganada, e Seton só estivesse sendo gentil. Quando a semana terminasse, e seu pulso estivesse melhor, era provável que nunca mais o visse.

Não foi o que aconteceu.

O coração de Lucy deu um salto, no momento em que ela abriu a porta para ele naquela noite, deparando-se com o sorriso que a encantara.

Voltou a sentir uma enorme alegria, como se algo maravilhoso estivesse para acontecer.

Depois do jantar, eles ficaram conversando de maneira descontraída. Era como se fossem velhos conhecidos. A conversa fluiu agradavelmente, graças à maneira tranquila de Seton se portar, à sua habilidade de falar sobre temas diversos e, sobretudo, ao seu talento especial para fazê-la falar com desenvoltura sobre si mesma.

Lucy contou-lhe muito sobre sua vida, sobre o curso na universidade aberta que ela frequentava no momento, e suas ambições para o futuro.

Mas não disse tudo. Passou rapidamente pelo passado, devolvendo o assunto para ele.

Seton contou que gostava de esportes e viagens e acabou por desconcertá-la, afirmando ser advogado. Ele estava, para falar claro, numa categoria a anos-luz de distância da dela!

Essa constatação deveria afasta-la, ou pelo menos deixa-la na defensiva. A atração que ela sentia, porém, era forte demais para ser abafada.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Quando não encontrou mais desculpas para continuar ali, Seton dirigiu-se relutante para a porta.

Tem certeza de que não há mais nada que eu possa fazer?

Tem certeza de que não há mais nada que eu possa fazer? — Tenho. Você já

Tenho. Você já excedeu toda e qualquer obrigação ditada por sua consciência.

Lucy estava parada à porta, esperando que ele saísse. Seus cabelos claros brilhavam à luz suave dos abajures.

Se pensa que foi por isso que vim, não poderia estar mais enganada Seton murmurou.

Ela estava consciente da proximidade dele, de sua masculinidade, e, por um momento, ficou nervosa de novo.

Boa noite, Seton jantar.

disse, estendendo formalmente a mão direita. Obrigada pelo

Ele a desconcertou novamente, levando sua mão aos lábios e beijando-a levemente.

Boa noite, Lucy.

Fechando a porta atrás dele, Lucy encostou-se na parede, maravilhada com o gesto inesperado e subitamente triste porque ele se fora.

Antes que ela pudesse se mover, ouviu duas batidas na porta, bem perto de sua cabeça. Lentamente, abriu a porta. Seton estava ali, um braço apoiado no batente.

Esqueci de perguntar. Gosta de beijar no primeiro encontro?

Decididamente, não. ela respondeu sem hesitar.

Eu também não. ele falou. Acho melhor fazer deste, o nosso segundo encontro! Puxando-a para si, ele a beijou. Quando finalmente ergueu a cabeça, Lucy continuava com os olhos fechados, temerosa de quebrar o encanto.

Olá! Será que adormeceu? Seton provocou.

Não ela respondeu. -Mas talvez esteja sonhando!

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

E isso é bom ou mau? ele indagou.

Sabrina 1048

— E isso é bom ou mau? — ele indagou. Sabrina 1048 — Ah! Foi muito

Ah! Foi muito bom! ela suspirou. Sempre provoca esse efeito nas mulheres que beija?

Que efeito?

Devastador! ela confessou, sincera.

Ele suspirou, aliviado.

Ainda bem! Seria triste, se tivesse acontecido só comigo.

Quer dizer que sentiu a mesma coisa? - ela quis saber.

Claro! Seton exclamou. Mas, talvez, devêssemos fazer tudo de novo para ter certeza.

Era só o que Lucy desejava, mas uma ponta de cautela a fez hesitar.

Está

está acontecendo depressa demais. Eu

Seton riu.

eu não conheço você!

Bem, eu também não conheço você, mas estou disposto a correr o risco!

A expressão de Lucy mudou subitamente, tornando-se compenetrada.

Lucy! O que foi? ele perguntou depressa. Estava só brincando!

Está certo, mas a verdade é que realmente não nos conhecemos!

Então, vamos tratar de nos conhecer. Começaremos aquela coisa antiquada, chamada namoro. Sairemos juntos, sem pressa Seton concedeu.

Percebendo o que ela queria dizer, ele a abraçou.

Não vou apressá-la. Deixarei que você decida quando. Mas gostaria de beija-la novamente. Agora. Posso?

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Sem esperar que ela concordasse, ele segurou-lhe o rosto, fazendo-a inclinar a cabeça, de modo que seus lábios alcançassem os dela.

a cabeça, de modo que seus lábios alcançassem os dela. Suave e lentamente a princípio, foi

Suave e lentamente a princípio, foi explorando, mordiscando o voluptuoso volume daquela boca. Depois, com a ponta da língua, fez com que ela entreabrisse os lábios, insinuando-se. Subitamente, os lábios dele deixaram de ser suaves, passando a ser quentes, exigentes e possessivos.

Lucy suspirou e fechou os olhos, deixando-se possuir por um torvelinho de prazer, onde o mundo não mais existia, passando a ser só a proximidade dele, a chama da paixão que queimava suas veias. O desejo, a certeza de que nada, jamais, fora tão maravilhoso quanto aquela sensação.

Seton curvou os ombros, enquanto a beijava, no rosto, no pescoço, sua respiração tornou-se ofegante, e ele repetia o nome dela vezes sem conta, com voz carregada de desejo.

De repente ela se afastou, lembrando o que prometera a si mesma. Podia sentir as batidas do coração dele.

Estou com medo. murmurou.

Eu sei, mas não precisa ter, meu amor ele assegurou. Vou tomar conta de você!

Por favor

ela pediu baixinho. Acho melhor você ir.

Não confia em mim, não é? ele sussurrou. Bem, talvez esteja certa. Nunca me encontrei numa situação como esta, antes.

Como assim?

Os olhos dele brilharam.

Estou louco por você ele falou beijando-a de leve.

Então, abriu a porta e saiu, deixando Lucy completamente atônita.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Seton foi apanha-la na manhã seguinte, feliz, esfuziante, beijando-a logo que chegou. Lucy também estava exultante, mas ao mesmo tempo, tensa. Via a felicidade a sua frente, mas tinha medo de agarra-la.

Isso a fez recuar.

sua frente, mas tinha medo de agarra-la. Isso a fez recuar. — Não me toque! —

Não me toque! ela exclamou, sabendo que estaria perdida, se ele a abraçasse.

Lucy, o que há? Seton perguntou, segurando-a pelos ombros.

Essa

que nos atingiu, surgindo do nada.

atração que sente ela começou. Poderia ser apenas uma coisa química, algo

Ah! ele exclamou. Então admite que também foi atingida!

Como sabe que isso não vai desaparecer tão subitamente quanto apareceu? ela argumentou. Pode acordar um dia e descobrir que não me suporta!

Se eu acordar ao seu lado, só poderá ser maravilhoso, perfeito Seton disse simplesmente.

Lucy deu um suspiro de frustração.

Seu tolo! Não vai me ouvir? Não vai me levar a sério?

Mas ele a beijou novamente, e Lucy sentiu-se realmente perdida. Sabia que seria assim sempre, cada vez que ele a beijasse. E sentia-se tremendamente feliz, percebendo que ele sentia o mesmo.

Nas semanas seguintes, Seton não mudou em nada, e ia vê-la sempre que possível.

Na primeira semana, esteve com ela todo o tempo, levando-a aonde ela precisasse, solicito e preocupado com seu pulso quebrado.

Depois, quando teve de voltar a Londres para trabalhar, deu muito o que fazer ao Jaguar, visitando-a para levá-la ao teatro, ou para jantar. Lugares aonde ela jamais iria sozinha.

Ele não parecia se preocupar com dinheiro, e ainda que não o desperdiçasse, era sempre generoso. Reservava os melhores lugares, no teatro e as melhores mesas, em restaurantes conhecidos.

Sally Wentworth – Culpada ou Inocente? Sabrina 1048 Mesmo que respeitasse as regras do jogo,

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Mesmo que respeitasse as regras do

jogo, dando tempo

para que

se

conhecessem, Seton não deixava de tentar derrubar as defesas de Lucy. Frequentemente, quando se despediam, ele a beijava com tanta sofreguidão, que quase conseguia seu intento. Mas Lucy sempre era capaz de afasta-lo, mandando-o para casa tão frustrado e vazio quanto ela.

Seis semanas depois, num dia quente de verão, Seton alugou um barco e a conduziu, remando, pelo rio que serpenteava pela cidade. Ele levara uma cesta de piquenique e uma garrafa de vinho. Alcançando um lugar arborizado e calmo, ele atracou e ajudou Lucy a saltar para a margem.

Estendendo um tapete na relva, eles comeram, beberam e ouviram velhas melodias de jazz num pequeno gravador.

Para livrar-se do calor, Seton tirou a camisa.

Lucy não pôde deixar de notar o torso másculo e forte, os músculos desenvolvidos dos ombros e braços.

Uma leve brisa fazia as folhas acima deles se moverem suavemente, lançando sombras que dançavam no corpo de Seton, realçando primeiro um ombro, depois o pequeno e fascinante mamilo. E as costas largas, quando ele se virou.

Era erótico e sensual, como se algum insinuante cupido se dispusesse a brincar e a tentar os sentidos de Lucy.

Sem poder resistir, ela o tocou nas costas.

Quando Seton se virou novamente, havia nos olhos azul-acinzentados um desejo profundo. Um desejo que ela sabia estar estampado em seu próprio rosto.

Lucy

- ele disse seu nome com um suspiro.

Levantando a mão trêmula, ele tocou-a na face, afagando-a carinhosamente, sem tirar os olhos dos dela.

Pondo-se de joelhos, beijou-a. Seus lábios estavam quentes, ansiosos e trêmulos.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Lucy sentia a pele dele transpirar, não de calor, mas de excitação. Sabia que também era desejado.

calor, mas de excitação. Sabia que também era desejado. Sem hesitar, ela o puxou para si,

Sem hesitar, ela o puxou para si, retribuindo o beijo com uma paixão que nunca antes ousara demonstrar.

Com um gemido, Seton deitou-se no tapete, levando-a junto, cobrindo-lhe de beijos os lábios, os olhos e o pescoço. Então, apoiando-se num cotovelo, desabotoou lhe a blusa lentamente.

Seu murmúrio de prazer foi quase como de dor, quando ele viu os seios firmes pela primeira vez. Eram arredondados com mamilos pequenos e túrgidos.

Você é tão linda! ele sussurrou. Tão perfeita!

Ele se curvou para beijar-lhe os seios.

Deus

dormir. Nem trabalhar. Fico pensando em você o tempo todo!

ele murmurou Como a quero! Você está me enlouquecendo! Não posso

Lucy abriu olhos turvos de desejo.

Pensando em fazer amor? provocou.

Estou louco por isso! Mas penso em muito mais, penso em

Lucy tentava tirar o cinto dele.

Tem de me ajudar. Não posso fazer isso com uma só mão.

Lucy! ele exclamou Tem certeza?

Tenho. Ela sorriu. Tenho toda a certeza. Você não é o único que não consegue dormir. Por que não realizamos nosso desejo? ela convidou.

O olhar embevecido de Seton percorreu-a de cima a baixo, enquanto ele a despia lentamente, de joelhos. Ela era tão linda! A ideia de possuí-la daí a instantes o enlouquecia. Suas mãos tremiam, ao toca-la.

Adoro você! murmurou, quando Lucy estava completamente nua. Eu te amo.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Então, faça amor comigo! Lucy falou, apressada. Logo!

faça amor comigo! — Lucy falou, apressada. — Logo! Livrando-se rapidamente de suas próprias roupas, Seton

Livrando-se rapidamente de suas próprias roupas, Seton primeiro a beijou, antes de estender-se sobre ela.

O desejo dela era tão forte, que Seton logo perdeu o controle que tentara manter. Com um

gemido, ele a atraiu para si, levantando-lhe os quadris.

Lucy gritou de prazer, a boca ávida procurando a dele, os braços ao redor daquele corpo másculo, apertando-o contra o seu próprio corpo ardente.

A crescente onda de sensualidade os envolveu por completo, e seus suspiros roucos se

misturaram, ecoando no ar, enquanto seus corpos se uniam no ato mais primitivo e mais bonito do mundo.

Depois que tudo acabou numa explosão de êxtase, permaneceram deitados nos braços um do outro, por muito tempo.

Finalmente, ainda atordoado, Seton ergueu a mão para afastar uma mecha de cabelos que se colara à face molhada de Lucy.

Abrindo lentamente os olhos, ela viu nos olhos dele a mais absoluta felicidade, que iluminava seu rosto, como uma luz triunfante.

Esse foi o momento mais lindo de minha vida ele observou com ternura.

Lucy sorriu, totalmente satisfeita e feliz.

E para você? ele quis saber. Sei que as coisas fugiram do controle.

Levantando a mão, Lucy percorreu com um dedo os lábios dele, depois circundou delicadamente um minúsculo mamilo, sentindo-se segura para provoca-lo.

Nunca pensei que houvesse terremotos na Inglaterra! brincou.

A terra tremeu, não é verdade?

Debruçando-se sobre ele, com os loiros cabelos improvisando uma cortina que escondia seus rostos, ela o beijou.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Que bom que perdeu o controle! sussurrou. Você é tão forte, emana tanto poder

— sussurrou. — Você é tão forte, emana tanto poder Olhando-o de modo diferente, admirando cada

Olhando-o de modo diferente, admirando cada detalhe do corpo musculoso em repouso, maravilhou-se.

Nunca pensei que um corpo de homem pudesse ser tão bonito! exclamou. Você é maravilhoso!

Acariciando-o novamente, ela descobriu que ele estava ficando novamente excitado. Surpresa, prosseguiu a exploração, até que Seton não resistiu mais.

Amaram-se novamente.

Enquanto ele remava de volta, o sol poente lançando sombras alongadas no rio, Lucy pensou que aquele era um momento para ser lembrado para sempre.

Nunca se sentira tão feliz, tão completa! Sabia que aquele estado de espírito refletia-se em seu rosto, no sorriso radiante e no brilho do olhar.

Fora um dia perfeito, haviam se saciado com comida, vinho, sol e sexo. Ela se realizara como mulher.

Lembra-se que eu comecei a dizer que queria mais do que fazer amor? ele perguntou.

Mais? ela repetiu com um sorriso brincalhão.

É. Não me expressei muito bem ele concedeu. Mas realmente desejo mais. Quero ficar com você. Saber que me pertence.

Ela o olhava, fascinada.

Quero ir para casa, à tarde, e encontra-la a minha espera. Não quero ter de deixa-la, no fim de uma noite juntos. Não aguento me separar de você!

Também quero isso ela confessou. Quero que fique comigo sempre que puder.

Chegando ao ancoradouro, Seton concentrou-se em atracar o barco com precisão.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Você tem grama nos cabelos murmurou ao ouvido dela.

Oh! Ela riu, passando os dedos pelos cabelos e olhando-o com nova intimidade.

Seton dera-lhe feminilidade e autoconfiança.

intimidade. Seton dera-lhe feminilidade e autoconfiança. Caminharam lentamente para o carro. Ele arriou a capota para

Caminharam lentamente para o carro. Ele arriou a capota para deixar sair o calor, então conduziu Lucy até um barzinho. Sentaram-se no terraço sobre o rio.

Ficarei com você esta noite Seton falou. Mas não era isso que eu queria dizer. Estou perdidamente apaixonado por você. Quero que seja minha para sempre. Que se case comigo, meu amor. O mais depressa possível!

Lucy olhou para ele, totalmente surpresa, com a mente atordoada.

Mas eu pensei que só quisesse

Lucy! ele a interrompeu. Como pode ser tão cega? Com certeza deve saber quanto gosto de você!

Mas é tão repentino! ela exclamou. Só nos conhecemos há poucas semanas!

E que diferença isso pode fazer? ele argumentou. Sei que me ama. Acabou de provar isso! Pode negar, Lucy?

Ela balançou a cabeça lentamente, sabendo que seria inútil tentar negar.

E muito cedo! teimou.

Sei o que quer dizer, mas está enganada, minha querida. Seton acariciou-a no rosto. Eu me apaixonei por você quase que no primeiro momento. Pareceu-me um milagre. Sei que nada neste mundo me fará deixar de ama-la.

Fez uma pausa, olhando-a com imensa ternura.

Nada do que você ou qualquer outra pessoa possa fazer, mudará o que sinto prosseguiu. Isso não vai passar, acredite!

Você continuará a me amar? ela perguntou. Aconteça o que acontecer?

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Sempre ele assegurou. O destino nos aproximou de uma forma muito especial. Nunca a deixaria ir embora, depois de tê-la encontrado.

Nunca a deixaria ir embora, depois de tê-la encontrado. — Poderíamos morar juntos — ela sugeriu,

Poderíamos morar juntos ela sugeriu, num último esforço para dissuadi-lo. Eu deixaria meu trabalho, meu apartamento, e iria morar com você. Ou, então, você viria morar comigo.

Obrigado ele agradeceu, sorrindo. Mas qual seria o sentido disso? Se estamos tão envolvidos, a ponto de querermos ficar juntos o tempo todo, por que não nos casamos?

Não sei

E lembre-se de que já tenho trinta anos! E hora de começar.

Começar o quê? ela perguntou.

A Vida de casado ele respondeu. Uma família.

Ela enrubesceu, sem dizer nada.

Minha querida! Você se entregou a mim esta tarde. Não me entregaria o resto de sua vida?

E o que mais desejo ela suspirou. O coração pesava com o segredo que ela sabia que devia contar. Mas alguns anos atrás

Ele a fez calar, pondo um dedo sobre seus lábios.

O passado não importa. Esqueça! sussurrou. O que interessa é o futuro. Nosso futuro! Tem medo de agarra-lo?

Ela o olhou, sabendo que o passado nunca poderia ser totalmente apagado. Mas ele era tão convincente, que a arrastou consigo numa onda de otimismo e confiança.

Nao ela respondeu. Não tenho medo.

Um brilho de felicidade inundou o olhar de Seton.

Então, case comigo, querida. Diga que sim, meu amor.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Lucy moveu a cabeça numa afirmativa. Lágrimas de alegria subiram-lhe aos olhos.

numa afirmativa. Lágrimas de alegria subiram-lhe aos olhos. — Sim — conseguiu finalmente dizer. — Sim,

Sim conseguiu finalmente dizer. Sim, eu caso com você!

Mas na madrugada seguinte, depois que Seton deixou sua cama, Lucy não sentia mais a mesma força, nem o mesmo otimismo.

Todas as dúvidas e temores voltaram. Por que ela não contara a ele toda a verdade sobre seu passado? Por que não contara que estivera na prisão por três longos anos?

Estava apavorada com a ideia de que um dia ele descobrisse e que o passado voltasse para assombra-la.

Capítulo I

Do terraço, sentindo o sol cálido acariciando seu rosto, Lucy olhava o filho brincar no jardim. Seus pensamentos flutuaram de volta àquele verão, cinco anos atrás, quando ela e Seton tinham se conhecido.

No momento ela podia rir dos temores que sentira. Estava certa de que casar-se com, Seton fora a melhor coisa que já fizera.

Tinham sido anos tão felizes! Sua confiança crescera até transformar-se na certeza de que Seton a amava de verdade.

No princípio, ela tivera medo de crer em sua felicidade. Tantas coisas horríveis tinham acontecido no passado, que ela não acreditava que pudesse ser feliz. Temia que tudo de bom pudesse ser tirado de suas mãos de repente.

Com o passar do tempo, quando Seton não mudara, quando os pais dele a acolheram como a uma filha, e os amigos a aceitaram pronta e afetuosamente, ela se tranquilizara, perdendo

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

o medo de entregar-se à felicidade. Por fim, quando tivera seu bebê, Sam, sentira-se uma mulher realizada.

tivera seu bebê, Sam, sentira-se uma mulher realizada. Durante o primeiro ano de casamento, eles moraram

Durante o primeiro ano de casamento, eles moraram em Londres, no antigo apartamento de Seton, mas logo que Lucy engravidou começaram a procurar uma casa. Passavam os fins de semana passeando pelo campo, até que encontraram a casa desejada, quase por acaso.

Era uma construção antiga, vazia havia alguns anos. Estilo Georgiano, paredes de pedra cobertas de hera, num terreno grande, à entrada de uma linda cidadezinha.

Lucy apaixonou-se logo por ela. Sabia que seria necessário muito carinho e completa dedicação para apagar os vestígios dos anos de abandono, mas carinho havia de sobra! Juntos, eles a transformaram numa casa adorável, aninhada num maravilhoso jardim.

Seton ainda se ausentava bastante, sempre que o tribunal estava em sessão, mas ficava em casa o máximo possível. Continuava apaixonadíssimo por Lucy, adorando estar casado.

No momento, ele estava fora, só devendo regressar ao anoitecer. Consultando o relógio, Lucy constatou que eram apenas quatro horas, e ela já estava ansiosa para vê-lo.

Estou com sede, mamãe.

Sam encarrapitou-se em seus joelhos, tentando agarrar seu copo de Vinho.

Não, querido. Você toma suco de laranja.

Quando é que vou poder tomar vinho?

Quando for alto como o papai.

Ele sorriu, não acreditando que um dia pudesse ser tão alto quanto Seton. Seu sorriso era tão parecido com o de Seton, que Lucy estremeceu, transbordando de amor pelos dois.

Terminando de tomar o suco, Sam escorregou de seu colo e correu para uma cadeira de jardim onde se deitou, caindo imediatamente no sono.

Lucy contemplava o filho, tão enternecida, que lágrimas brotaram de seus olhos.

O que é isso?

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Ela se virou ao som da voz do marido.

Seton!

Sabrina 1048

Com um grito de alegria, correu, para ele, abraçando-o.

Papai! Papai!

alegria, correu, para ele, abraçando-o. — Papai! Papai! Seton percebeu que acordara o filho, que corria

Seton percebeu que acordara o filho, que corria a seu encontro, em busca de atenção. Ergueu-o nos braços, recompensando-o com um beijo,

Chegou em casa tão cedo! Não o esperava antes das sete comentou Lucy.

As partes entraram num acordo, sem termos que ir ao tribunal, graças a Deus. Vim mais cedo para fazer uma surpresa, e encontro você chorando! O que houve?

Ela franziu o nariz.

Ah, estava só ficando sentimental.

Então, é melhor eu beija-la, para que se sinta melhor.

Você já teve beijos demais.

Bobagem. Um homem nunca deve dispensar um beijo. Lembre-se disso, Sam.

Está certo respondeu o menino, plantando lhe mais um beijo sonoro no rosto.

Vou preparar uma bebida para você Lucy ofereceu-se. Conte-me sobre o caso.

Seton sentou-se com o filho no colo, mas não falou sobre o caso. Para ele, ser advogado era como ser médico. Nunca revelava o que um cliente lhe contava confidencialmente.

Ele não era advogado criminalista, mas cível. Alguns casos, como os de fraude, arrastavam- se por muito tempo. Seton sempre ficava aliviado quando um caso terminava antes do tempo previsto.

Tirando do bolso um embrulhinho, entregou-o a Sam. Era um lápis vivamente colorido, com uma borracha numa das pontas. O garoto ficou encantado e foi buscar um papel onde pudesse desenhar.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Seton, então entregou um vidro de perfume a Lucy.

1048 Seton, então entregou um vidro de perfume a Lucy. — Que maravilha! Como soube que

Que maravilha! Como soube que o meu estava quase no fim?

Essas observações é que fazem os escoteiros ganharem pontos brincou ele.

Levantou-se e passou um braço pelos ombros dela, levando-a para dentro de casa.

Como senti sua falta! Seton murmurou.

Foram só alguns dias ela zombou.

Quase uma semana Seton corrigiu. Uma semana desejando você, sonhando com você.

Ele a beijava enquanto falava. Beijava seu pescoço, afastando o decote do vestido para acariciar lhe os seios.

Vamos para a cama sussurrou.

E tão cedo! Lucy ponderou. O que faremos com Sam?

Ele está distraído, no momento. Venha, venha!

Vamos!

Ela o arrastou pela mão até o quarto. Não havia necessidade de fechar as cortinas, pois a casa era isolada. Imediatamente começaram a se despir, ansiosos como sempre.

O tempo e o hábito não haviam diminuído o fogo que os consumia cada vez que se tocavam, se apertavam e acariciavam.

Meu amor, minha querida

Seton estava de joelhos e a beijava intimamente, tão profundamente que Lucy atirou a

cabeça para trás, num gemido incontrolável. Ele se levantou, deslizando os lábios pelas

coxas dela, a respiração já pesada.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Por um momento, ela o apertou de encontro ao seu corpo, sentindo lhe a pulsante virilidade, o desesperado desejo.

Seton

sussurrou. Quero você. Tanto! Por favor, por favor

sussurrou. — Quero você. Tanto! Por favor, por favor Comum gemido, ele a carregou para a

Comum gemido, ele a carregou para a cama, e, sem tempo para rodeios, a possuiu imediatamente, com louco prazer.

Lucy arqueou-se contra o corpo musculoso, sua respiração ofegante em sintonia com a dele.

Era sempre assim, depois de uma ausência de Seton. A urgência que sentiam de fazer amor era quase selvagem.

Depois de jantar e pôr Sam na cama, subiram para o quarto quase tão excitados quanto antes.

Sabiam o que estava por vir, e isso os fez adiar o momento, prolongando o prazer. Lucy, tomou banho, pôs uma longa e transparente camisola branca e sentou-se na frente do espelho para escovar os cabelos.

Seton tirou-lhe a escova da mão, passando ele mesmo a alisar lhe os cabelos com as mãos. Cada gesto era uma expressão de carinho e admiração.

Dessa vez fizeram. amor mais devagar, cada um sabendo exatamente o que o outro queria, o que lhes dava o máximo de prazer.

O luar brincava sobre a cama desfeita. Lucy atirou para longe a camisola, queria sentir a própria. nudez contra a pele de Seton, pelo resto da noite.

Minha maravilhosa, adorada esposa ele murmurou. Não pode imaginar o quanto te amo.

Será que fizemos um bebê? ela perguntou, maliciosa.

Espero que sim ele respondeu. Estou louco por uma menina, tanto quanto você. Certamente foi uma de nossas melhores tentativas!

Afastando os cabelos dela, Seton beijou-lhe o pescoço, mas logo bocejou.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Boa noite, amor.

Em

poucos

minutos,

adormeceu,

mas

Lucy

Sabrina 1048

permaneceu

acordada,

adormeceu, mas Lucy Sabrina 1048 permaneceu acordada, imaginando se o milagre ocorrera, se eles teriam outro

imaginando se o milagre ocorrera, se eles teriam outro filho. Já era tempo de Sam ter um

irmão, ou uma irmã, como Seton desejava. Como tudo que Lucy queria era a felicidade de Seton, ela também esperava que viesse uma menina.

Quando lembrava seu passado, sempre concluía que sua vida só começara realmente quando conhecera Seton. Todos os anos antes dele não contavam, eram como um terrível pesadelo. Ela acordara e se encontrara no paraíso.

De todo seu passado, a única boa lembrança que Lucy tinha era a de Kate Brownlow, a mulher que ela chamava de “tia Kate”, e cujo sobrenome tomara emprestado.

Kate não era sua tia de verdade, ainda que Seton acreditasse que fosse. Fora uma visitante, que ela conhecera na prisão. Reconhecendo honestidade em Lucy, acreditara em sua inocência. Tomara-a sob seus cuidados, a encorajara a fazer cursos suplementares e dera-lhe um lar, até que ela encontrasse trabalho.

Lucy seria eternamente grata por tudo, e via tia Kate como uma parente realmente, a única pessoa que sabia da verdade. Kate jurara, ainda que relutante, nunca contar nada a Seton.

Lucy suspirou, afastando os pensamentos do passado.

Eles raramente a atormentavam, agora que se sentia a plenamente feliz. Aconchegou-se a Seton, que mesmo quase adormecido, sussurrou:

Por que ainda não está dormindo? Você deve ser insaciável! Desse jeito, quando eu tiver quarenta anos, vou estar um trapo!

Mas riu, e puxando-a para si, recomeçou a acariciá-la. Mais uma vez, alcançaram o auge do prazer.

Daquela vez ela adormeceu em seguida, mas despertou logo depois. O quarto estava na mais completa escuridão, sem vestígio da luz do luar.

Seton estava dormindo calmamente.

Lucy tentou imaginar quantas vezes tinham feito amor, desde que se conheceram. Geralmente, duas ou três vezes no mesmo dia. Seria impossível contar.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

A frequência, entretanto, não comprometera a relação.

Sempre em tão bom, tão maravilhoso

E o prazer que partilhavam nunca

tão bom, tão maravilhoso E o prazer que partilhavam nunca fora simulado. Com Seton, a excitação

fora simulado. Com Seton, a excitação de Lucy sempre era verdadeira e intensa.

O casamento deles era perfeito, em todos os sentidos. Talvez perfeito demais. Lucy sabia

que Seton a colocava num pedestal, sentindo por ela uma espécie de adoração. A força e a profundidade daquele amor a atemorizavam, às vezes, quando ela se permitia pensar nisso. Na maior parte do tempo, porém, Lucy só transbordava de gratidão por tê-lo encontrado e

por ter se apaixonado tão loucamente por ele.

Para retribuir, tentava fazer daquele casamento o mais perfeito, o mais completo e feliz que

já houvera.

Teria de bom grado devotado sua vida a Seton, completa e totalmente, mas ele insistira para que ela terminasse o curso livre na universidade. E, quando ela se formara com louvor, ele a encorajara a encontrar trabalho de meio período, como professora.

Lucy deixara o emprego, quando Sam nascera, mas esperava voltar a dar aulas um dia. Sua vida era perfeita em todos os sentidos, o passado fora enterrado profundamente.

Foram para a Noruega, saindo de férias pela primeira vez como uma família. Foi um

sucesso. Sam adorou cada minuto. Lucy voltou com um bronzeado glorioso e a esperança

de estar novamente grávida.

Logo depois que voltaram, ela decidiu passar um dia com as amigas em Ascot, para assistir

às corridas de cavalos só para mulheres, longe das responsabilidades da casa e da família.

Era o “dia das senhoras” em Ascot, quando as mulheres se vestiam elegantemente, usando chapéus incríveis e tudo o mais.

Estou com ciúme Seton reclamou, observando-a, enquanto ela provava o conjunto de saia e casaco, na véspera da viagem.

Por quê, querido?

Você vai se divertir, enquanto que eu, pobre de mim, terei de aguentar uma sessão aborrecida no tribunal.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Que pena! Lucy murmurou, brincando. Nós só temos um “dia das senhoras”, vocês homens podem ir todos os dias às corridas!

vocês homens podem ir todos os dias às corridas! — Não gosto da ideia de outros

Não gosto da ideia de outros homens olhando para você com desejo. Você é minha!

Lucy vestiu o casaquinho do conjunto laranja e banco, depois ajeitou o chapéu de abas largas, enfeitado com flores nas mesmas cores.

Ele gemeu.

Tire tudo isso. Você está linda demais, e não vou permitir que saia assim. Algum milionário fatalmente cairá a seus pés, tentando seduzi-la.

Parece ótimo Lucy provocou.

Se algum homem ousar toca-la ele grunhiu, eu o farei em pedaços!

Nossa! Estou mesmo bonita?

Minha querida! Seton falou, veemente. Olhe-se no espelho. Não acredita no que seus olhos veem?

Nós só vamos lá para nos divertir ela falou, séria. Mas juro que gostaria que você fosse também.

Tenho certeza que vai ser um dia muito agradável. ele declarou. Você vai apostar em todas as corridas e ganhar uma fortuna.

Lucy corou, como ainda fazia quando ele a olhava daquela maneira.

Quando você voltar, vou despi-la toda, com exceção desse fantástico chapéu, e faremos amor exatamente aí, onde está. Na frente do espelho.

Seus pais estão começando a perguntar quando teremos outro bebê Lucy comentou.

Naturalmente. Eles ganharam novo ânimo, depois que se tornaram avós Seton comentou.

Quero ver se não mudam de ideia, depois que passarem o dia com Sam, amanhã Lucy zombou.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

E a noite também! ele emendou.

Sabrina 1048

E quando foi que combinamos isso? ela quis saber.

— E quando foi que combinamos isso? — ela quis saber. Ainda não combinamos, mas é

Ainda não combinamos, mas é o que desejo fazer, depois vê-la com esse chapéu!

Continua incorrigível.

Culpa sua, mulher. Não devia ser tão sensacional! ele exclamou, beijando-a.

O dia amanheceu ensolarado e quente, sem vento. Ideal para todos aqueles chapéus.

Como Seton previra, Lucy se divertiu bastante.

Uma limusine fora apanhar o grupo de amigas, para levá-las ao hipódromo.

Mesas para um piquenique foram dispostas no parque, ao Indo de Bentleys e Rolls Royces. Por serem só mulheres, Lucy e as companheiras puderam ficar a vontade, rir e brincar, principalmente depois da segunda garrafa de champanhe.

Tudo ia muito bem, até que um fotógrafo aproximou-se sem ser notado e tirou uma foto de Lucy e suas amigas.

Vai ficar ótima ele falou satisfeito. Com certeza será aceita pelo jornal. Por favor, seus nomes para as legendas, senhoras.

Não quero meu nome no jornal Lucy disse para Ana, a mulher sentada a seu lado.

Por favor, veja se consegue isso com ele.

Em seguida, levantou-se, afastando-se apressada. Quando voltou, dez minutos mais tarde, o homem tinha desaparecido.

Não deu meu nome a ele, deu? perguntou, tentando aparentar desinteresse.

Não

nossos nomes no jornal, com tantas mulheres interessantes para escolher?

Ana hesitou. Mas Fionna deu o dela. Não se preocupe. Por que iriam pôr

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Ana parecia ter razão.

Sabrina 1048

Pouco depois, foram ver as corridas, e Lucy esqueceu o incidente, na excitação de escolher dois cavalos que pudessem ser vencedores.

Naquela noite, Seton cumpriu sua promessa.

ser vencedores. Naquela noite, Seton cumpriu sua promessa. Fizeram amor na frente do espelho, a paixão

Fizeram amor na frente do espelho, a paixão que sentiam um pelo outro parecendo dobrada. Não só sentiam o que faziam, como viam-se dando e recebendo tão glorioso prazer.

Lucy acordou tarde, na manhã seguinte, permitindo-se dormir despreocupadamente, já que Sam estava com os avós.

Demorou-se no banho e vestiu-se sem pressa, sorrindo ao ver o chapéu esquecido no chão, desde a véspera. Apanhou-o cuidadosamente e guardou-o no armário, pensando que algum dia, já grisalha, iria sorrir com as lembranças felizes daquela noite.

Seton preparara o café e estava sentado à mesa da cozinha lendo o jornal.

Lucy! exclamou admirado. Sua foto está no jornal!

O quê?

Ela olhou por cima do ombro do marido. Era de fato uma bela fotografia colorida. Lucy sobressaia no centro da roda de amigas, todas com suas taças de champanhe estendidas, tentando conter a cascata de espuma que brilhava como diamantes ao sol. Seu nome estava impresso claramente, assim como o nome da cidadezinha onde moravam.

Incrível! Seton falou. Por que não me contou que foram fotografadas?

Esqueci. Havia tantas mulheres atraentes, e tantos fotógrafos por toda parte! Não pensei que logo o nosso grupo fosse sair no jornal.

Mas é uma foto linda. Vocês todas parecem tão felizes!

Abraçando-a pela cintura, ele prosseguiu:

Eu disse que você seria a mulher mais bonita da festa.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

O coração de Lucy deu um salto. Será que alguém ligado a seu passado seria capaz de reconhecê-la naquela mulher sofisticada da foto? Parecia pouco provável. E ninguém a conhecia pelo nome de Lucy Wallace. Esse pensamento a fez sentir-se melhor. Estava segura, sob a proteção do mundo de Seton.

melhor. Estava segura, sob a proteção do mundo de Seton. Ele continuou a ler o jornal,

Ele continuou a ler o jornal, comentando o que parecia interessante.

Deveria ler estes conselhos para mulheres que saem dirigindo sozinhas ele observou. Ensinam como se protegerem, no caso de um problema com o carro.

Você já me deu um telefone celular.

Não faria mal ler o artigo ele insistiu.

Lucy sorriu, sabendo que a maior preocupação dele era com a sua segurança e bem-estar.

Ele fez um som de desaprovação, lendo um outro trecho.

Alguém tem de fazer algo sobre a superlotação dos presídios. Aqui mencionam o caso de um homem que matou um policial e foi solto quatro anos antes do fim da pena. Foi sentenciado a quinze anos, mas só cumpriu onze.

Lucy entornou o suco de frutas.

E-é me mesmo? Qual é o nome dele?

Quê?

Os olhos de Seton procuraram a notícia de novo. Mesmo antes que ele falasse, Lucy sabia quais seriam as palavras que ia ouvir. Era uma premonição tão forte, que ela não se surpreendeu quando ele falou.

Um nome estrangeiro. Ah, sim. Ravena. Rick Ravena.

Seton continuou a falar, mas Lucy não ouvia mais. O tempo parecia ter parado. Aquele era o único nome no mundo que ela esperara nunca mais ouvir. O nome do homem que arruinara sua vida, o homem cuja vingança a mandara para a prisão, por algo que ela não fizera.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Capítulo II

Sabrina 1048

– Culpada ou Inocente? Capítulo II Sabrina 1048 Lucy tentou não tremer, enquanto se servia de

Lucy tentou não tremer, enquanto se servia de suco de laranja, mas acabou entornando um pouco sobre a mesa. Levantou-se para apanhar um pano, virando-se de costas para que Seton não lhe visse o rosto.

Temos que ir andando ele avisou. Lembre-se de que temos um jogo de tênis no clube, antes de apanharmos Sam na casa dos meus pais.

Lucy desejava desesperadamente ficar só para assimilar a péssima notícia que recebera. Pensou em dizer que não estava com vontade de jogar tênis, mas sabia que Seton insistiria em ficar com ela. Talvez fosse melhor ir. No meio de outras pessoas, ele não prestaria tanta atenção em suas atitudes. Eram tão próximos, que ela temia que ele notasse que algo estava errado.

Quase todas as moças que haviam estado em Ascot no dia anterior encontravam-se no clube. Ana juntou-se a eles imediatamente.

Viram o jornal? Não é maravilhoso? falou, beijando Lucy no rosto, e Seton nos lábios. Vou ligar para o jornal e pedir uma cópia da foto para emoldurar.

Boa ideia Seton concordou. Poderia pedir uma para nós também?

Claro!

Ana passou o braço pelo dele, levando-o até o quadro de avisos.

Veja disse, incisiva. Estamos juntos no torneio de duplas.

Seton olhou a lista, mas logo voltou-se para Lucy.

O que há, querida? indagou, notando sua expressão preocupada.

Ana está flertando com você de novo ela disfarçou.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Ela faz isso com todos. Ele riu, dando de ombros.

Mas ela quer você.

— Ele riu, dando de ombros. — Mas ela quer você. — Pelo amor de Deus!

Pelo amor de Deus! Seton exclamou. Não está preocupada com isso, está? Sabe que não existe outra mulher no mundo para mim. Só você.

Lucy sabia das intenções de Ana em relação a Seton e estava tensa demais para ignorar seus avanços, como fazia habitualmente.

Perderam o jogo. Lucy jogou mal, incapaz de se concentrar.

Não me surpreende que não tenha energia para jogar, depois da noite que tivemos Seton gracejou.

Ela custou a entender, percebendo, amargurada, que a noticia sobre Rick tivera o poder de apagar temporariamente de sua memória a maravilhosa noite de amor.

Na sede do clube havia um pequeno restaurante. Seton e Lucy dirigiram-se para lá, depois de tomarem uma ducha. Ana, sentada com Martin, o marido, perto de uma janela, acenou para que eles se aproximassem.

Martin e Ana eram seus amigos mais próximos, Lucy considerou. Moravam a apenas um quilômetro de distância e levavam uma vida semelhante a deles. Ambos os casais tinham um único filho, meninos da mesma idade. Lucy e Ana frequentemente tomavam conta dos dois meninos, para que uma ou outra pudesse sair sozinha. Eram amigas, mas Lucy percebia que, às vezes, Ana tinha inveja de seu casamento tão obviamente feliz.

De certa forma, era uma amizade unilateral, pois apenas Ana era do tipo que fazia confidências. Muitas vezes se queixava de Martin, dizendo que ele era pouco viril. Lucy nunca falava sobre seu casamento, mesmo porque não tinha do que se queixar. Muito pelo contrário.

Almoçaram quase que em silêncio, Lucy incapaz de manter uma conversa.

Acho que é hora de irmos buscar Sam Seton falou com firmeza.

Ora, não me digam que já vão! Ana lamentou.

Lucy está cansada ele justificou.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Você está mesmo muito pálida a amiga observou, olhando para Lucy.

Tudo bem?

Tudo. Só estou cansada Lucy respondeu.

Tudo bem? — Tudo. Só estou cansada — Lucy respondeu. Na casa dos pais de Seton,

Na casa dos pais de Seton, acabaram demorando mais do que desejavam. Era noite, quando chegaram em casa. Lucy estava a ponto de explodir.

Tenho aquela reunião de que lhe falei, mas se você não está bem, posso cancelar Seton disse, observando-a com preocupação.

Por favor, vá Lucy respondeu, aliviada. Vou tomar um banho e me deitar.

Depois de cuidar de Sam e pô-lo para dormir, ela pôde finalmente procurar o conforto de sua própria cama.

Deitada no escuro, deixou-se levar pelas recordações e por seus temores antigos.

Ressentia-se da invasão injusta que o passado e Rick Ravena faziam em seu presente, tão absolutamente feliz. Havia parado de pensar em Ravena, e até parado de comparar a família e a criação de Seton com as que ela tivera.

Ele crescera como filho único, tendo todo o carinho e dedicação dos pais e uma educação esmerada. Todos os talentos que surgiram tinham sido encorajados, tanto que ele era tão bom nos esportes como em tudo o mais. Mesmo assim, os pais tiveram o cuidado de não mimá-lo, concedendo-lhe a independência necessária para transformá-lo no homem confiante que era.

Ela fora criada de maneira totalmente oposta. Ainda era pequena, quando a mãe a deixara. O pai costumava dizer que a mulher o abandonara por outro, deixando-o com aquele estorvo, que era como se referia a Lucy. Algumas vezes ele duvidava que ela fosse mesmo sua filha.

Você é inteligente demais para ser minha filha costumava resmungar.

Chegava mesmo a acusar a menina de ser a causa do abandono da mãe, e Lucy se sentia culpada, sem saber exatamente de quê. Isso a deixava sempre na defensiva. Apesar de tudo, o pai preocupara-se com ela, a seu modo, pois a mantivera com ele, mesmo depois de casar-se outra vez.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

O segundo casamento também não durou, e depois do divórcio ele teve várias companheiras. Elas tratavam Lucy com níveis diferentes de indiferença ou ressentimento. Finalmente, ele se casou pela terceira vez, com uma mulher que já tinha três filhos.

Lucy sempre fora boa aluna, encontrando na escola mais prazer e interesse do que em casa. Esforçava-se muito, pois os únicos elogios que recebia vinham de seus professores.

O pai morrera quando ela tinha catorze anos.

Lucy não suportava lembrar-se do inferno que conhecera nos anos seguintes à morte dele. Ela fora obrigada a cuidar dos filhos de sua madrasta, trabalhando feito escrava e apanhando muito, quando cometia a mais leve falta.

Ao completar os tão esperados dezesseis anos, saíra de casa e fora para Londres, a procura de trabalho.

O que ela desejava era poder estudar à noite e trabalhar.

Depois de duas semanas em Londres, conhecera Rick, e sua vida subitamente transformara-

se em algo excitante e cheio de magia. Ele tinha um carro veloz e um apartamento, além de dinheiro para leva-la a clubes e discotecas.

Lucy esquecera suas ambições, dominada pelo encanto de Rick. Faria qualquer coisa por ele. A primeira coisa que ele quis, naturalmente, foi ir para a cama com ela. Lucy nunca tivera um namorado. Acreditara que Rick estava apaixonado por ela e não resistira, quando, uma noite, ele a fizera beber demais e tirara sua virgindade.

Rick fizera dela uma escrava, tal qual a madrasta. Exercia uma atividade ilegal, mas a inocência de Lucy não lhe permitira perceber isso.

Enquanto ficavam horas namorando, agarrados dentro do carro, ela não percebia que Rick observava as casas que seriam fáceis de roubar.

Depois de morar com ele por três meses, acontecera o pior.

Uma pessoa vira Rick tentando entrar numa casa e chamara a polícia. Lucy ficara no carro, acreditando que ele ia falar com alguém sobre negócios. Talvez até fosse verdade, mas vendo uma janela aberta, na escuridão da noite, ele não resistira.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Lucy cochilara, só despertando com a confusão. Vira Rick correndo para o carro com um policial atrás dele.

Vira Rick correndo para o carro com um policial atrás dele. Não sabia que o namorado

Não sabia que o namorado tinha uma arma. Ele atirara duas vezes no policial, jogara fora a arma e fugira, deixando Lucy entregue à própria sorte.

Ele devia ter pensado que ela, tão apaixonada, não o entregaria à polícia. Talvez Lucy não o tivesse feito, se não a levassem ao hospital para ver o policial baleado, todo ligado a máquinas e fios, lutando para sobreviver. Ela contara à polícia tudo o que sabia, respondera a todas as perguntas, totalmente arrasada.

Segundo a polícia, sua pena seria leve, por ela não ter antecedentes criminais e por colaborar com as investigações. Ficara presa, sem ver o namorado, até o julgamento.

Rick percebera que não havia esperança para ele, depois do testemunho de Lucy, e a olhara com tanto ódio, que ela jamais esquecera aquele olhar.

Então, ele tentara incriminá-la, afirmando que ela sabia da arma, que tinha participado de outros roubos. Lucy protestara inocência, mas o júri acreditara em Rick, e ela fora sentenciada a três anos de prisão.

O advogado designado para defendê-la sugerira uma apelação, mas, por estar tão apavorada

Lucy não fizera nada a respeito. Limitara-se a viver como um zumbi, obedecendo, encolhendo-se dentro de si mesma.

Foi então que Kate Brownlow apareceu para visita-1a na prisão, mudando o curso de sua vida. Lentamente, as coisas foram melhorando, até que ela conhecera Seton.

Tia Kate estava certa, pensou Lucy.

A generosa mulher tentara de todas as maneiras persuadi-la a contar a Seton sobre seu

passado, mas Lucy tivera medo de estragar tudo. Intimidada com o trabalho e a família

de Seton, implorara a tia Kate que mantivesse o segredo e acabara por fazê-la prometer que

nunca contaria nada.

Devia contar tudo a ele agora? Lucy pensava ansiosa, sabendo que não queria realmente contar. O que ele iria pensar, sabendo que fora enganado? Mas se ele a amava, certamente a perdoaria, não?

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Ela se remexia na cama, inquieta, sem saber o que fazer.

Ela se remexia na cama, inquieta, sem saber o que fazer. Estava quase decidida a acabar

Estava quase decidida a acabar com aquela falsa felicidade em que vivia, contando toda a verdade a Seton, quando ele finalmente voltou para casa.

Está dormindo? ele murmurou.

Lucy não se mexeu. Seton despiu-se e acomodou-se sob as cobertas, abraçando-a. Ela ia falar, quando percebeu que ele estava tenso.

O que aconteceu? perguntou.

A reunião foi na sede de nosso partido político. O membro que nos representa no parlamento vai se aposentar antes das próximas eleições. Querem um candidato para substitui-lo. Perguntaram se estou interessado.

O que foi que respondeu? ela quis saber, sentando-se e acendendo a luz.

Que precisava pensar, discutir o assunto com você.

Mas você quer aceitar ela comentou.

Quero ele respondeu com firmeza. Seria um começo. Quem sabe o que poderia vir depois? Pense no desafio, Lucy!

Você pode não se eleger ela ponderou, agarrando-se a um fio de esperança.

Posso nem mesmo ser escolhido como candidato, pois haverá mais concorrentes ele

observou.

Mas gostaria de tentar. A decisão final é sua, Lucy. Se não gosta da ideia,

desisto.

Ele fez uma pausa, à espera, mas ela não disse nada.

Você tem de querer tanto quanto eu prosseguiu. Tem que ser uma coisa em parceria. Aspirantes a candidatos são julgados por suas esposas, tanto quanto por seus próprios méritos.

Mas, e se eu estiver grávida? ela perguntou, ansiosa.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Até os membros do parlamento são capazes de gerar uma criança. Seton riu. Se quiser uma demonstração

— Seton riu. — Se quiser uma demonstração Ele a abraçou, mas pela primeira vez desde

Ele a abraçou, mas pela primeira vez desde seu casamento, Lucy repeliu-o.

Você quer mesmo isso, não? ela perguntou.

Quero ele admitiu. O que me diz?

Pensarei no assunto ela respondeu, apagando a luz.

Tudo o que pôde pensar naquela noite foi em como arruinaria para sempre o sonho de Seton, o sonho de uma vida. Se contasse a verdade, ele retiraria seu nome da lista de aspirantes à candidatura. Como poderia um membro do parlamento ter uma ex prisioneíra como esposa? Ele sempre lhe dera tudo o que ela desejara. Quando a chance de retribuir surgia, ela não podia aproveita-la.

Lucy adiou o mais que pôde o momento de dar a resposta. Seton foi muito paciente, mas o partido local, não, e ele começou a ser pressionado para tomar uma decisão.

Angustiada, Lucy esperava que um milagre a salvasse. Concordou, finalmente, dizendo a Seton que fosse em frente e tentasse.

Um dia, algum tempo depois, quando ele já fora escolhido para disputar a próxima eleição, o telefone tocou, e Lucy atendeu.

Alô, Sra. Wallace? perguntou formalmente uma voz masculina.

Eu mesma. Quem está falando?

A voz do interlocutor mudou, tornando-se jocosa, quando ele respondeu:

Ora, Lucy querida! Não lembra mais de mim?

Então, ela soube que Rick Ravena a encontrara.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Capítulo III

Sabrina 1048

– Culpada ou Inocente? Capítulo III Sabrina 1048 Lucy ficou petrificada com o choque. Quando Rick

Lucy ficou petrificada com o choque. Quando Rick recomeçou a falar, ela bateu o telefone. Toda a força parecia ter-se esvaído de seu corpo, e ela arrastou-se para fora da cozinha com os braços esticados a sua frente, como uma cega.

Apoiou-se na parede, tentando desesperadamente respirar, lutando contra a náusea que a invadia. Ouviu o telefone recomeçar a tocar, parando quando a secretária eletrônica atendeu. Entrou em pânico. Ele não podia deixar uma mensagem! Tinha de impedi-lo!

Trôpega, correu para o escritório de Seton e, caindo de joelhos, arrancou da tomada o plugue da secretária eletrônica, mas algo já fora gravado.

Tremendo, abriu o aparelho e retirou a fita. Ainda de joelhos, arrastou-se até a cozinha e revirou os armários aleatoriamente, procurando uma panela.

Soluçando, desenrolou os infindáveis metros de fita, atirou-os na panela e conseguiu encontrar fósforos para atear fogo.

Encostada no balcão, olhou as altas chamas, lágrimas rolando pelo rosto.

Por meia hora Lucy ficou ali, sabendo que sua paz terminara, que sua felicidade se fora.

Ouvindo o relógio bater quatro horas, ela se deu conta de que Sam, que estava brincando na casa de Ana, logo chegaria.

Ela não podia deixar que Sam a visse naquele estado, que Ana percebesse que algo estava errado.

Apressada, livrou-se dos restos da fita queimada, colocou uma fita nova na secretária eletrônica e conseguiu gravar um recado. Teve uma ideia repentina e ligou para a companhia telefônica pedindo que mudassem seu número. Relutantes a princípio, eles acabaram concordando em fazer a mudança no dia seguinte, excluindo o novo número da lista. Deixando o fone fora do gancho, ela correu para o andar de cima, para se recompor. Olhando-se no espelho, notou que o rosto estava sem cor. Ela parecia doente.

Meu Deus, pensava, por que tenho de passar por isso?

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Já não cumpri minha pena? Então, por quê? Porque você mentiu, dizia uma voz interior. Porque mentiu para Seton. Afastou da mente o pensamento que a atormentava. Com mãos ainda trêmulas, maquiou o rosto, tentando esconder a palidez com uma máscara de cores vibrantes.

esconder a palidez com uma máscara de cores vibrantes. Graças a Deus, Seton estava viajando e

Graças a Deus, Seton estava viajando e só voltaria no final da semana. Lucy percebeu, horrorizada, que pela primeira vez estava feliz com a ausência dele.

O telefonema de Rick Ravena ocorrera há menos de uma hora, e as prioridades de Lucy já

haviam mudado. Para pior.

Ela sentou-se na sala de estar, perto da janela, esperando pelo carro que levaria Sam para casa. Lucy precisava do filho mais do que nunca. Precisava aperta-lo nos braços, ouvir a vozinha inocente, que abafaria o som da voz odiosa de Rick Ravena.

Uma pessoa, pouco visível à distância, apareceu na curva da estrada. Caminhou para a casa, parando perto do portão. Lucy quase gritou, quando lembrou que, se Rick tinha seu número de telefone, poderia ter também seu endereço.

A pessoa continuou a caminhar, aproximando-se da casa. Era um homem alto, cujas feições

estavam meio ocultas pela gola levantada do casaco. Lucy recuou, o coração batendo loucamente.

O homem chegou à porta e tocou a campainha. Num súbito acesso de raiva, Lucy correu

para o vestíbulo e abriu a porta. Não era Rick. O homem era muito mais velho e vestia roupas surradas, mas limpas.

Desculpe incomodar, mas será que a senhora não tem algum serviço para mim? Posso fazer qualquer coisa, limpar o jardim

Lucy, que habitualmente era tão compreensiva com os necessitados, reagiu de modo irracional.

Não! Vá embora! gritou, batendo a porta.

Trancou-a, colocou a trava de segurança e se apoiou na parede, ainda tremendo.

Pouco depois a campainha tocou de novo.

Vá embora! Lucy gritou. Já disse para ir!

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Lucy? a voz de Ana soou do lado de fora. Você está bem?

a voz de Ana soou do lado de fora. — Você está bem? Com um soluço

Com um soluço de alívio, Lucy destrancou e abriu a porta. Ana olhou para ela, espantada.

O que foi?

Na-nada.

Não parece. Você está horrível!

Mamãe

O pequeno Sam chamou num fio de voz.

Lucy tomou-o nos braços, tentando sorrir para anima-lo.

Está tudo bem, não foi nada.

Uma vez dentro de casa, Ana quis saber o que estava acontecendo.

O que foi aquela cena ali na porta?

Um homem tocou a campainha, não gostei do jeito dele Lucy inventou.

Chamou a policia? a amiga perguntou.

Não, claro que não Lucy respondeu, tentando rir. Tenho certeza de que ele era

inofensivo. Só que me pegou de surpresa, pensei que fosse você e

Foi só isso.

Ana estava disposta a conversar e acabou ficando por mais de uma hora. Quando finalmente partiu, Lucy sentiu um enorme alívio.

Ter de fingir que tudo estava bem acabara por acalma-la.

Ela deu o jantar a Sam e deixou-o às voltas com um jogo. Foi para a cozinha, ligar para tia Kate.

Ele deve ter visto minha foto no jornal Lucy comentou pesarosa, depois de ter explicado o ocorrido.

Precisa mudar o número de seu telefone Kate aconselhou.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Já fiz isso. Vai ser tão difícil, agora que Seton foi escolhido para ser candidato! Tanta gente telefona o tempo todo!

para ser candidato! Tanta gente telefona o tempo todo! — Não se pode fazer nada sobre

Não se pode fazer nada sobre isso. Diga a Seton que tem sido importunada por telefonemas inconvenientes.

O que vou fazer? Será que Rick pode ser detido? A Lucy perguntou, ansiosa.

Ele a ameaçou de algum modo?

Não

novamente e deixou uma mensagem na secretária eletrônica, destruí a fita, antes e mesmo de ouvi-la.

Lucy negou. Eu bati o telefone antes que falasse mais. E quando ele ligou

Ora, não foi uma boa ideia Kate lamentou. Se ele não a ameaçou, não há nadar que possamos fazer.

Mas

Só podemos lidar com uma coisa de cada vez Kate continuou. Quer que eu vá ficar com você uns dias, para conversarmos a respeito?

Mas não vai sair para a viagem de férias daqui a dois dias? Lucy lembrou.

Isso pode ser adiado, sem problema Kate assegurou.

Mas Lucy sabia que seria uma viagem para a América do Sul, com a qual tia Kate vinha sonhando havia muito tempo.

Não. De jeito nenhum, tia declarou. amanhã. Está bem?

Mas eu gostaria de passar o dia com você,

Claro que sim. Vai trazer o Sam, ou prefere deixá-lo com sua sogra?

Vou leva-lo comigo.

Certo. E não se aborreça demais com esse telefonema. Vamos dar um jeito. Espero você para o almoço.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Lucy pôs o fone no gancho, mas tirou-o de novo imediatamente, com medo que Rick ligasse.

tirou-o de novo imediatamente, com medo que Rick ligasse. Lembrou que Seton certamente telefonaria, como fazia

Lembrou que Seton certamente telefonaria, como fazia todas as noites, quando viajava. O que faria? O celular! Se Seton não conseguisse ligar para o telefone de casa, tentaria o celular.

Correu para apanhar o aparelho que habitualmente ficava no carro. Deixou-o ligado.

Realmente, Seton telefonou às dez e meia.

Alô, amor cumprimentou-a.

telefone e deixou-o fora do gancho.

Parece que Sam andou brincando de novo com o

Seton

inconvenientes.

Lucy murmurou. Não foi Sam. Fui eu. Andei recebendo uns telefonemas

Como assim? Seton indagou Daqueles obscenos?

Isso.

Miserável! ele praguejou. Tentou localizar a chamada?

Tentei, mas não foi possível ela inventou, furiosa por nem ter se lembrado de fazer tal coisa.

Devia ter me ligado. Eu teria ido para casa ele falou.

Imagine! Dirigir até aqui e de volta amanhã, só por causa de um pervertido? Nem pensar! ela protestou em tom firme.

Por que não? ele insistiu.

Estou bem. Só que pedi para trocarem nosso número e

pusessem o novo número na lista. Sei que será um aborrecimento para você.

Ela hesitou. Pedi que não

De jeito nenhum Seton assegurou. Eu mesmo faria isso.

Lucy respirou, aliviada.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Mas e seu agente, seu escritório? persistiu.

— Mas e seu agente, seu escritório? — persistiu. — Claro que darei a eles o

Claro que darei a eles o novo número, mas dá-lo aos amigos e colegas de trabalho é bem diferente de tê-lo na lista telefônica.

Seton continuava preocupado e sugeriu-lhe pedir aos pais dele fossem ficar com ela.

A esta hora da noite?! Lucy exclamou. Claro que não. Estou perfeitamente bem.

Mas liguei para tia Kate e vou até lá amanhã, ajuda-la a arrumar as malas para a viagem. Quando voltar, o número já deverá ter sido mudado.

Gostaria de estar aí com você murmurou Seton.

Ficaram conversando por mais dez minutos, Lucy sentindo-se confortada só de ouvir a voz dele.

Antes de deitar, ela se dirigiu ao quarto de Sam para ver se ele estava coberto. Não resistiu à tentação de tocar sua mãozinha.

Mesmo adormecido, o menino segurou o dedo dela com força. Uma onda de amor invadiu Lucy. Um amor forte, protetor. Ela sentiu que faria qualquer coisa para impedir que Sam fosse magoado.

Quando finalmente se deitou, não conseguiu dormir. Não parava de pensar. Se ao menos aquela foto não tivesse sido publicada, ou se Fiona não tivesse fornecido seus nomes! Mas suas amigas tinham aproveitado o momento de fama, pois suas vidas eram limpas e abertas, sem segredos tenebrosos ameaçando o futuro.

Furiosa, Lucy sentou-se na cama e acendeu a luz do abajur. Tentou ser otimista, pensando que talvez Rick não mais a procurasse. Mas, se Seton fosse eleito para o parlamento, seria uma figura pública e, como tal, muito fácil de ser encontrado.

Lucy estava certa de que ele seria eleito, tinha a máxima confiança na habilidade dele para vencer em tudo. Seton seria um ótimo parlamentar, e ela precisava evitar que seu segredo ameaçasse esse futuro promissor.

No dia seguinte, dirigiu-se para Derbyshire, onde morava tia Kate. Não era uma viagem curta, mas Lucy não se importou, porque adorava dirigir o carro que Seton comprara para ela: vermelho, rápido e elegante.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Mesmo assim, ficou feliz, quando chegou. Depois que Sam fez o reconhecimento do lugar e já estava brincando um pouco afastado delas, Lucy contou a Kate seus temores.

Acho que você sabe o que deve fazer — disse a “tia”.

Sei Lucy concordou. Mas não posso contar a eles.

Eles?

Seton e Sam. Lucy esclareceu.

a eles. — Eles? — Seton e Sam. — Lucy esclareceu. — Mas Sam é apenas

Mas Sam é apenas uma criança! interveio Kate. Não precisa contar a ele.

Se Seton souber da verdade, se sentirá obrigado a retirar a candidatura. Mas os pais dele estão tão orgulhosos! Teriam que saber a razão da renúncia. E, um dia, eles contariam a Sam, eu sei.

Entendo murmurou Kate. Se contar a Seton, terá que contar a Sam, um dia.

Isso mesmo.

Talvez seja melhor contar agora e acabar logo com essa agonia disse Kate.

Não, nunca! exclamou Lucy. E se contar a ele, tia, nunca mais falo com você.

Ora, querida!

Desculpe, mas tem de saber que falo sério. Nunca em minha vida me importei tanto com uma coisa. Farei tudo para impedir que Seton saiba da verdade.

Quando chegou em casa, naquela noite, Lucy ficou aliviada ao constatar que seu número de telefone fora mudado.

Seton foi muito compreensivo, ignorando os problemas que a mudança de número causaria. Chegou trazendo um enorme buquê de rosas, que por pouco não foi esmagado por Lucy, quando ela se atirou em seus braços.

Querido! Como estou contente que você tenha chegado!

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Depois de beija-la, Seton sentou-se no sofá, puxando-a para seu colo.

O que foi que aquele pervertido falou?

para seu colo. — O que foi que aquele pervertido falou? — Nada. Desliguei em seguida

Nada. Desliguei em seguida ela arriscou.

ter ficado tão aborrecida. Deve ser meu estado.

Talvez ache que estou exagerando por

Foi ao médico para confirmar? ele perguntou.

Não. Fui visitar tia Kate, lembra?

Claro. Mas não pode haver um engano?

Acho que não, meu bem. Tenho quase certeza ela respondeu depressa.

Seton beijou-a, cheio de alegria e ternura.

E normal que você fique nervosa, aqui sozinha comentou depois. Vou tentar não me ausentar demais, nos próximos meses.

Não faça isso! ela objetou. Sei que precisa viajar. Meu medo foi exagerado.

Agora, que o número foi trocado, sei que não serei mais importunada. Na próxima semana vou ao médico. Quando tivermos a confirmação da gravidez, contaremos a seus pais.

Essa ideia o distraiu, como ela esperava, e o fim de semana prosseguiu normalmente.

Levaram Sam ao parque, a uma festa de aniversário e passearam juntos. Foram a um jantar na casa de amigos, cuidaram do jardim e levaram Sam à piscina do clube.

Somente no domingo à noite tiveram chance de ficar realmente sozinhos de novo.

Foi um fim de semana bem movimentado, não? ela observou, quando já estavam na cama.

Se foi Seton concordou.

Fez isso de propósito? ela brincou. Para me distrair?

Foi assim tão óbvio? Ele riu. Pelo menos, não está mais tão deprimida, não é?

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Claro que não Lucy respondeu.

Que bom. Você estava linda, de maiô!

Logo vou estar gorda.

Sabrina 1048

linda, de maiô! — Logo vou estar gorda. Sabrina 1048 — O bebê precisa crescer —

O bebê precisa crescer disse ele, pondo a mão sobre a barriga dela. E você ficará encantadora e luminosa, como guando esperava Sam. Será que vai ser menina?

As vezes pode-se ver no ultrassom ela comentou. Quer que eu tente saber?

Não. Vamos esperar pela surpresa.

Pode ser outro menino ela avisou.

Será maravilhoso também. Talvez, na próxima vez, venha uma garota.

Próxima vez! exclamou Lucy. menina?

Quantas vezes acha que vamos tentar ter essa

Tantas quantas forem necessárias, é claro ele respondeu, alegre. De mais a mais,

gosto de você grávida. Parece tão feliz, ainda mais bonita! E como se tivesse uma luz interior.

Acho que é verdade, de certo modo Lucy riu.

Aconchegou-se a ele, deixando-se envolver pelo perfume suave e másculo de Seton, pela força de seus braços.

Sinto tanto a sua falta murmurou.

Seton olhou-a nos olhos.

Que é isso, amor? Está chorando?

Não. Ela tentou disfarçar. E só

Minha doce menina

ele sussurrou.

amor.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Virando-se

sobre

ela,

ele

a

possuiu

suave

e

Sabrina 1048

lentamente,

até

que

culminassem numa explosão de êxtase que deixou Lucy exausta.

Ainda nos braços dele, ela adormeceu.

deixou Lucy exausta. Ainda nos braços dele, ela adormeceu. Quando Seton partiu, na manhã de segunda-feira,

Quando Seton partiu, na manhã de segunda-feira, a felicidade de Lucy estava quase totalmente refeita. Conseguiu esquecer Rick, voltando a sua vida normal.

Dois dias depois, retornando da escolinha de Sam, apanhou a correspondência e sentou-se no terraço para examiná-la. Um envelope com seu nome chamou-lhe a atenção. Abriu-o. Era uma carta bem curta.

Por que se dar o trabalho de mudar o número do telefone, Lucy? Deveria saber que eu sempre vou encontra-la. Lembra da última vez que nos vimos? No tribunal? Nunca esquecerei. E vou fazer tudo para que você também não esqueça.

Ela devia mesmo saber que ele encontraria seu endereço.

Com mãos trêmulas, observou o carimbo no envelope, vendo que a carta fora remetida dois dias atrás.

Entrou em casa e foi para a cozinha, onde queimou o envelope e a folha de papel. O que devia fazer? Ignorar tudo. Era sua única escolha. Pensou que, se Rick não conseguisse atemorizá-la, talvez desistisse e a deixasse em paz.

Mesmo tentando desesperadamente se convencer disso, passou a temer a chegada da correspondência, a estremecer cada vez que a campainha tocava.

Na sexta-feira, ela esperava por Seton, adiantando os preparativos para o jantar que dariam no sábado, para um grupo de políticos. Seria uma espécie de agradecimento por terem escolhido Seton como candidato.

Acabara de colocar a sobremesa na geladeira, quando ouviu o sinal do fax no escritório. Enxugando as mãos no avental, foi ver do que se tratava.

Tirando o papel do aparelho, leu-o, e por pouco não desmaiou.

Não pense que pode fugir de mim. Sempre poderei encontra-la. Aliás, adorei o seu carro.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Quando Seton chegou, Lucy beijou-o, tentando fingir que estava tudo bem.

Isso não foi exatamente um beijo ele reclamou. O que houve?

exatamente um beijo — ele reclamou. — O que houve? — Foi um dia cansativo —

Foi um dia cansativo

Poderia dar banho em Sam, enquanto acabo o jantar?

ela se desculpou. Estou com um pouco de dor de cabeça.

Dar banho neste diabinho? Seton brincou, pegando Sam por baixo dos braços e balançando-o no ar. Acho que posso dar conta do recado.

Uma hora mais tarde, quando Seton desceu, depois de ter posto o filho na cama, Lucy tinha o jantar pronto. Normalmente, aquela era uma hora preciosa. Era quando punham em dia os assuntos da semana, falavam sobre as novidades ocorridas durante a ausência de Seton, riam e se tocavam por sobre a mesa, transbordando de amor a cada olhar. Mas, naquela noite, quando se sentaram frente a frente, Lucy sentiu-se quase uma estranha. O terrível segredo que ocultava os separava.

Com dificuldade, perguntou como fora a semana dele.

Seton começou a contar sobre o hotel onde se hospedara com dois outros advogados que Lucy conhecia.

Peter Brent nos convidou para um fim de semana em sua casa, em Gales informou.

Parece que fica perto de um lago onde costumam velejar. Que tal?

Lucy olhava fixamente para o prato, o pensamento ausente.

Lucy! ele chamou. Acorde!

Como? Desculpe. Ela tentou sorrir. Estava tão longe!

Eu notei ele replicou. No que estava pensando?

No

no jantar de amanhã. Nunca cozinhei para um grupo tão grande.

Não está nervosa por isso, está? ele perguntou ansioso.

Um pouquinho ela confessou.

Ora não tem com que se preocupar ele a tranquilizou. E uma grande cozinheira!

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Obrigada, mas não conheço essas pessoas, e são tão importantes

mas não conheço essas pessoas, e são tão importantes — Bobagem. São gente como a gente

Bobagem. São gente como a gente ele afirmou. Espere até que eu seja eleito. Vamos convidar o primeiro-ministro para jantar!

Será que as pessoas realmente convidam o primeiro-ministro para jantar? ela perguntou.

Acho que sim. Mas não se preocupe. Temos um longo caminho a percorrer, antes de consideramos essa possibilidade.

Você será um ministro logo, logo — ela “profetizou”.

Quanto otimismo! ele exclamou, beijando-lhe a mão. Nem fui eleito ainda!

Mas será.

Seton notou que ela continuava distraída.

Vá descansar sugeriu. Pode deixar que eu tiro a mesa e faço o café.

Se importaria, se eu não tomasse café? ela perguntou. Acho que vou tomar um banho, para relaxar.

Tudo bem. Como está sua dor de cabeça?

Vai passar.

Espero que sim, pois estive ausente a semana toda ele brincou.

Reclamando seus direitos? ela indagou no mesmo tom brincalhão.

Mas é claro. Você é a mulher mais sensual que já conheci ele sussurrou.

Ela não percebeu o longo tempo que ficou no banho, ausente de tudo, pensando.

Seton encontrou-a ainda na banheira, quando subiu para tomar sua ducha. Pouco depois, ao sair do boxe, vestiu um roupão, olhando para Lucy com um sorriso complacente.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Querida, essa água está quase fria!

É mesmo? Acho melhor eu sair.

Não ele comandou. Fique aí.

Sabrina 1048

— Não — ele comandou. — Fique aí. Sabrina 1048 Abriu a torneira de água quente,

Abriu a torneira de água quente, pegou o sabonete e pôs-se a ensaboá-la. Isso acontecia frequentemente e quase sempre os levava a fazer amor.

Naquela noite, Lucy limitou-se a deixar que ele a lavasse, o olhos fixos em seu rosto, tentando afastar a tristeza que a consumia.

Ele a fitava de vez em quando, mas estava mais concentrado no que fazia, passando o sabonete pelos braços e pernas dela, fazendo desenhos com a espuma.

As bolhas lentamente se desfaziam, pondo a mostra o corpo de Lucy outra vez. Ele ensaboou e acariciou os seios firmes, o ventre liso, fascinado com cada curva daquele corpo que, ele sabia, lhe pertenceria logo depois.

Eu te amo tanto

Lucy murmurou.

Enrolando-a numa enorme toalha, ele a carregou para a cama. Começou a enxugá-la, mas Lucy o interrompeu.

Quero você! ela declarou em tom de urgência. Agora!

Tirando o cinto do roupão dele, puxou-o para si.

Seton deu um gemido, que cresceu de intensidade, quando Lucy, em selvagem abandono, exigiu seu amor.

Mais tarde, quando o coração descompassado de Seton permitiu, ele comentou:

Nossa! Não esperava por tudo isso. Se é assim que age quando tem dor de cabeça

Ela sorriu, mas não disse nada.

Alguma razão especial para tanto ardor? ele perguntou.

Não sei. Se eu o perdesse, não suportaria. Iria querer morrer.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Ele não podia entender o que ela queria dizer.

Sabrina 1048 Ele não podia entender o que ela queria dizer. — Ora, que é isso?

Ora, que é isso? Nada vai me acontecer! Nem a você. Vamos envelhecer juntos. Já combinamos isso. Diga o que houve, que a deixou com medo.

Foi uma coisa que vi na televisão ela inventou.

Não precisou continuar. Havia sempre alguma matéria depressiva na televisão, falando de morte e separação.

Você devia estar mesmo cansada, para deixar que essas bobagens a afetassem ele observou. Deixe-me ajuda-la a colocar a camisola. Quer uma bebida quente?

Não, obrigada ela respondeu, fechando os olhos.

Mas não adormeceu logo. Sentia-se egoísta, desejando outro filho, com tantas ameaças pairando sobre eles. Não era direito, nem. justo. A criança seria outra vitima do passado. A filha que Seton tanto desejava poderia ter sua vida devastada pelo escândalo.

Por um momento, Lucy desejou não estar grávida. Em seguida, assustada com tal pensamento, chorou silenciosamente, enquanto Seton dormia a seu lado.

O jantar da noite seguinte não chegou a ser um fracasso, mas não correu tão bem como o esperado.

Lucy estava muito cansada, tensa, passara o dia todo com medo de que outro fax chegasse. Toda vez que o telefone tocava, ela se assustava. Sam, provavelmente sentindo seu nervosismo, fez manha na hora de ir para a cama. Lucy gritou com ele, pela primeira vez na vida.

Seton correu para ver o que acontecera.

O que está havendo? Acalme-se. E apenas um jantar. Vendo o descontrole nos olhos

dela, ele prosseguiu: Eu ponho Sam na cama. Vá se vestir. Há alguma coisa mais que eu

possa fazer?

Desculpe-me, Sam ela murmurou. Não, Seton, não há mais nada.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Dez minutos depois, estava pronta. Usava um vestido preto, simples, prendera os cabelos no alto da cabeça e pusera o colar de pérolas que Seton lhe dera quando Sam nascera.

o colar de pérolas que Seton lhe dera quando Sam nascera. — Está maravilhosa — ele

Está maravilhosa ele elogiou. Relaxe. Se as pessoas a deixarem tensa, imagine-as

sem roupa. Era isso que minha mãe fazia, quando recebia as pessoas importantes da firma

de papai.

Ei! Ela nunca me contou isso! Lucy exclamou, sem poder conter o riso.

Ela jura que funciona.

Essa ideia absurda ajudou Lucy nas primeiras horas da reunião, quando todos estavam juntos em torno da mesa.

Depois, aconteceu a inevitável separação de homens e mulheres, indo cada grupo para um canto da sala.

Pretende ter outros filhos, minha querida? único é sempre muito solitário, não?

perguntou uma das senhoras. Filho

Seton e eu somos filhos únicos Lucy respondeu.

É mesmo? Pois parece que pessoas que não têm irmãos costumam ter muitos filhos. Quantos pretendem ter?

Não decidimos ainda Lucy respondeu em tom frio.

Mas a mulher não desistia facilmente.

Ainda não? Sempre disse aos meus filhos que essa questão deve ser decidida logo. E tão mais fácil, hoje em dia, já que se pode planejar. Aconselho você a fazer o mesmo.

Lucy estava cansada daquela insistência. Levantou-se abruptamente.

Com licença. Vou providenciar mais café.

Na cozinha, tentou se acalmar, dizendo a si mesma que seu mau humor não era culpa de ninguém.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Quando finalmente as visitas prepararam-se para partir, ela estava a ponto de estourar. Tinha o sorriso congelado no rosto, e pensava que, se todos não fossem embora naquele instante, ela começaria a atirar coisas nas paredes.

instante, ela começaria a atirar coisas nas paredes. Assim que todos saíram, correu para o banheiro

Assim que todos saíram, correu para o banheiro e começou a se despir. Arrancava as roupas com pressa, atirando-as a esmo no chão. De repente, lágrimas silenciosas começaram a rolar por seu rosto.

Lucy? Seton bateu de leve na porta.

Só um minuto ela respondeu, assustada.

Lavou o rosto, removendo a maquiagem borrada, escovou os cabelos e juntou as roupas espalhadas pelo chão, antes de ir para o quarto.

Seton estava começando a se despir. Parou, olhando-a espantado, quando Lucy abriu uma gaveta e tirou dela uma camiseta e uma caça jeans.

Para que está pegando essas roupas? ele quis saber.

Para descer e arrumar tudo ela respondeu.

Já está tudo em ordem ele informou.

Oh! Você fez isso? ela murmurou em tom de remorso.

Não precisava.

Bobagem, não demorou nada. Vá para a cama, querida.

Quando, já deitados, Seton tentou abraça-la, ela o repeliu.

Não. Não quero.

Lucy! ele murmurou, chocado, pois ela nunca lhe negara amor.

No entanto, Lucy ficara irracionalmente zangada com ele, de repente. Como Seton não percebia o inferno que havia dentro dela? Por que ele tivera de se envolver com política, impedindo-a de contar-lhe a verdade? Como ousava coloca-la num pedestal, deixando-a apavorada com a ideia de que poderia cair, de um momento para o outro?

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

O que foi, amor? ele perguntou suavemente.

1048 — O que foi, amor? — ele perguntou suavemente. — Não me toque! — ela

Não me toque! ela retrucou com aspereza. Deixe-me em paz! Eu não quero, pronto!

Afastou-se dele o máximo possível.

Seguiu-se um silêncio aterrador se seguiu.

Tão subitamente quanto viera, a raiva de Lucy desapareceu, e ela percebeu o que acabara de fazer.

Desculpe, Seton! Oh meu amor, desculpe! ela exclamou, desatando a chorar.

Ele tomou-a nos braços.

Mas o que foi, querida?

Ela esteve a ponto de contar tudo, mas perdeu a coragem.

E só um terrível cansaço mentiu de novo.

Minha pobre querida ele consolou. Nunca teria sugerido esse jantar, se soubesse quanto a abalaria.

Não é isso ela negou. Não é culpa sua.

Falava entre soluços, enquanto Seton a segurava, tentando confortá-la.

Desesperada, Lucy refletiu que Rick Ravena já começara a semear o mal no que ela possuía de mais precioso.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Capítulo IV

Sabrina 1048

– Culpada ou Inocente? Capítulo IV Sabrina 1048 N a segunda-feira, Ana foi à casa de

N a segunda-feira, Ana foi à casa de Lucy, para um café, depois de terem deixado as crianças na escola.

Você está bem? ela perguntou. Parece abatida.

Nossa! Obrigada! Lucy ironizou.

Sabe que estou na comissão do clube de tênis Ana prosseguiu sem se acanhar , e há um membro que vai sair. Sugeri que você ficasse no lugar.

Não, obrigada.

Por que não? Você seria perfeita! Ana insistiu.

Desculpe, mas não quero mesmo.

Ana ergueu uma sobrancelha, intrigada, mas mudou de assunto.

Como foi o jantar de sábado? Muito animado?

Está brincando! Lucy respondeu. Foi maçante. Os homens só conversaram sobre

política, e as mulheres se reuniram em outro canto da sala, para falar da vida alheia.

Não posso imaginar como Seton permitiu que isso acontecesse.

Nós dois tentamos reunir homens e mulheres para conversar, mas não houve jeito. Acho que estão acostumados assim.

Ana torceu o nariz.

Vai ter que dar muitos jantares desse tipo?

Deus me livre! Lucy riu. Espero que não.

Se Seton for eleito, acho que não vai ter escapatória.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Aquilo parecia estar num futuro tão distante, que Lucy nem conseguia visualizar.

num futuro tão distante, que Lucy nem conseguia visualizar. — Vou pensar no caso, quando for

Vou pensar no caso, quando for a hora ela retrucou. Se é que essa hora vai chegar.

Lucy! Não é de seu feitio ser tão pessimista! Ana a repreendeu.

Tem razão. Foi uma noite aborrecida, só isso. Mas por favor não comente isso com ninguém. Se o comitê ficar sabendo

Não se preocupe Ana tranquilizou-a rindo. Pode confiar em mim. Mas sabe que,

se

estivesse na comissão do clube, ajudaria Seton.

Chantagem moral não vai funcionar Lucy rebateu.

A campainha soou quando Lucy acabava de preparar o café.

Ela gelou, apavorada.

Pode deixar que eu atendo Ana gritou da sala.

Lucy correu para impedida, mas Ana já abrira a porta.

Com um suspiro de alívio, Lucy viu um rapaz segurando um ramalhete de flores, notando que lá fora havia um carro de floricultura. Aproximou-se, e o jovem entregou-lhe o buquê.

São onze explicou o entregador Não é uma dúzia. O homem que as encomendou

foi bem claro, disse que tinham que ser onze. E seu número de sorte, ou coisa assim?

Não Lucy respondeu, intrigada.

Fechou a porta e foi para a cozinha, seguida de perto por Ana. Abrindo o cartão, leu:

A rosa é mais bonita Do que a simples margarida. Será que você adivinha O que virá em seguida?

Não havia assinatura, nem era preciso. Lucy sentiu que empalidecia.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Que maravilhoso esse seu marido! Ana comentou, lendo junto.

Então, olhando para ela, mudou de tom. Não foi Seton quem mandou,

foi?

ela, mudou de tom. — Não foi Seton quem mandou, foi? — Claro que foi —

Claro que foi Lucy tentou disfarçar. Como você disse, ele é mesmo ótimo!

Ana tentou pegar o cartão.

Tem certeza? Está assinado?

Lucy pôs rapidamente o cartão no bolso.

Ele não precisa assinar. Tentou desesperadamente achar uma desculpa para dar.

Seton

Bem, é uma ocasião muito especial para nós. Vamos ter outro bebê.

Que notícia fabulosa! Ana gritou, beijando-a no rosto. Então é por isso que anda cansada! Eu passei nove meses exausta, quando esperava Adam.

É?

Devia ter me contado. Não teria insistido sobre o clube.

É para o começo do ano que vem, acho. Mas ainda não tenho a confirmação. Nem contamos aos pais de Seton, portanto prometa não comentar, por enquanto.

Prometo. Parabéns! E por que onze rosas?

Onze? Lucy corou. Bem, isso é assunto particular.

Ana riu, encantada.

Acho que posso adivinhar. Por que não põe as rosas num vaso, enquanto sirvo o café?

Lucy não teve escolha, mas mal podia esperar até que Ana partisse.

Quando finalmente ficou sozinha, tirou as flores do vaso e jogou-as no lixo.

Ela sabia muito bem o significado do número onze. Fazia onze anos que Rick fora sentenciado.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Correndo para o telefone, ligou para a floricultura.

1048 Correndo para o telefone, ligou para a floricultura. Sim, isso mesmo. Infelizmente não há nome

Sim, isso

mesmo. Infelizmente não há nome no cartão. Poderia me dizer se as flores foram encomendadas por telefone?

Alô, aqui é a Sra. Wallace. Vocês acabaram de entregar flores para mim

Não, madame respondeu a encarregada. Um senhor veio pessoalmente, no sábado de manhã.

Ele deu o nome?

Deu, mas eu não posso dizer.

Por favor! Lucy insistiu. E muito importante.

Bem, acho que não tem problema a moça concordou.

Foi o Sr. Wallace. Ele disse que era para sua esposa. Deve ter achado que a senhora adivinharia.

Mas é claro. Acho que foi isso. Obrigada.

Ela desligou, desanimada. O pior era pensar que Rick estivera numa floricultura que ficava tão perto de sua casa.

Lucy apanhou Sam na escola e voltou para casa. Estava aborrecida com o fato de ter contado a Ana que estava grávida. A amiga não sabia guardar segredos.

Começou a preparar o jantar, pois Seton estava em Londres e chegaria à noite.

Não conseguia parar de pensar que não mais teria paz.

Pensou em ir à polícia, pedir proteção contra o assédio de Rick. Talvez ela conseguisse isso, se fosse quem aparentava ser: uma senhora casada e respeitável. Mas era uma ex- presidiária tentando esconder seu passado.

Sabia que, por esse motivo, a polícia não lhe daria a menor atenção.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Colocando o assado no forno, subiu para se trocar. Notou que o cartão continuava em seu bolso e apressadamente jogou-o numa gaveta. Vestiu-se e aplicou uma leve maquiagem. Deixou-se ficar por longo tempo na frente do espelho, os pensamentos em tumulto. Tentava adivinhar o próximo movimento de Rick.

Quando finalmente desceu, sentiu cheiro de queimado. O jantar estava irremediavelmente perdido. Lucy teve de jogar tudo fora e procurar algo no congelador, mas Seton chegou antes que o novo prato ficasse pronto.

Olá, querida - ele exclamou ao entrar na cozinha. Que cheiro é esse?

Queimei o jantar ela disse, desviando-se do beijo que ele tentou dar em seu rosto.

Portanto, vai ter de esperar.

Tudo bem ele a acalmou. Que tal um drinque?

Eu não quero, obrigada.

Então, vou subir e dar uma olhada no Sam.

Não o acorde, se ele estiver dormindo ela advertiu.

Nunca faria isso Seton respondeu, quase ofendido.

Subiu, e Lucy sentiu-se de novo culpada. Por quê, por Deus, estava descontando sua frustração em Seton? Tinha de se controlar. Não podia deixar-se afetar daquela maneira pelos acontecimentos. Acabaria estragando seu casamento.

Tentou com afinco ser mais agradável durante o jantar, e percebeu que Seton foi aos poucos se descontraindo.

Naquela noite fizeram amor, mas até isso parecia diferente. Ela perdera a espontaneidade. Pela primeira vez, ficou feliz quando terminou, mesmo sem ter atingido o clímax. Pensou que Seton não notara, mas se enganou.

Ele notara.

O que está acontecendo, amor? ele perguntou carinhoso.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Nada ela respondeu, fingindo que bocejava. Eu estou ótima. Só cansada. Boa noite, querido.

Mas não foi bom para você Seton insistiu.

Desculpe ela falou.

você — Seton insistiu. — Desculpe — ela falou. — Ora, Lucy! Não tem que se

Ora, Lucy! Não tem que se desculpar! Talvez seja por estar grávida. Para quando tem consulta marcada?

Amanhã cedo.

Então, prometa que vai pedir um remédio que a ajude.

Não estou doente ela objetou.

Prometa Seton insistiu.

Está bem ela acabou concordando.

Na consulta ao médico, Lucy não mencionou o cansaço. Para quê? Sabia que não havia nada que o médico pudesse lhe dar para livra-la do tormento em que vivia.

Durante aquela semana, recebeu mais duas mensagens via fax e uma carta colocada diretamente na caixa de correspondência. Rick estava brincando de esconde-esconde com ela, Lucy compreendeu.

As mensagens por fax deixavam claro que ele a espionava. O miserável sabia o modelo e a cor de seu pequeno Fiat, até disse que gostava do novo penteado dela.

A carta se referia a Sam.

Bonito garoto, o que você tem. Pena que a vida dele vai ser estragada.

Lucy teve um acesso de fúria, quando leu aquilo. Ninguém iria estragar a vida de seu

filho

Ninguém!

Naquela noite, Seton chegou em casa mais cedo, pois tinha de participar do torneio de duplas com Ana.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Os pais dele foram ficar com Sam.

Sabrina 1048

Seton trocara de carro, quando Sam nascera. No lugar do Jaguar conversível, agora tinha um Range Rover, muito mais conveniente.

agora tinha um Range Rover, muito mais conveniente. Lucy sentou-se numa arquibancada para observar as duplas

Lucy sentou-se numa arquibancada para observar as duplas jogarem. Era uma quadra coberta, profusamente iluminada, e havia muitos espectadores, pois os quatro jogadores eram bons.

Ana ficava ótima com o uniforme de tênis. Como era morena, o branco lhe caía bem. Tinha longas pernas bem torneadas e constantemente bronzeadas.

Ela e Seton pareciam estar se divertindo. Ana o tocava sempre que tinha chance, aproximando-se, quando discutiam uma jogada. Mas Ana era assim mesmo. Tratava todos de quem gostava com intimidade, principalmente os homens.

Seton e Ana ganharam o primeiro set, mas perderam o segundo. Durante o intervalo, antes do último set, Lucy viu a amiga curvar-se para Seton e murmurar algo. Havia um sorriso provocante em seus lábios.

Seton ouviu e enrijeceu. Seus olhos procuraram por Lucy. Ela sorriu, quando seus olhares se encontraram, mas, para sua surpresa, Seton franziu a testa.

Ele jogou furiosamente, e ganharam o último set em pouco tempo.

Lucy foi para o bar espera-lo, e ele foi a seu encontro quase que imediatamente, ainda com as roupas de tênis.

Vamos! ordenou.

Mas pedi uma bebida para você Lucy falou. Olhando para ele, percebeu que algo estava errado. O que houve?

Esqueça o drinque ele disse, pegando-a pelo cotovelo e pondo-a de pé. Vamos.

Jogou a sacola no banco de trás do veículo e não disse uma palavra, enquanto dirigia. Em vez de ir para casa, tomou uma estrada campestre que levava a um monte, de onde, durante o dia, podia-se ver um lindo vale. A vista, porém, estava perdida na escuridão.

Acendendo a luz interna do carro, Seton finalmente se dirigiu a Lucy.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Pode me dizer por que contou a Ana que está grávida, se nem aos meus pais nós contamos? Se a gravidez ainda nem foi confirmada? indagou.

Então, era isso. Lucy amaldiçoou Ana pela indiscrição.

Então, era isso. Lucy amaldiçoou Ana pela indiscrição. — Ela queria que eu fizesse parte da

Ela queria que eu fizesse parte da comissão de tênis explicou. — Eu disse “não”, mas ela insistiu tanto que acabei contando.

Lucy esperava que ele compreendesse e a perdoasse, mas a expressão dele não mudou. O que mais Ana lhe teria dito?

E o que é isso sobre rosas vermelhas que eu teria mandado para você? E com uma mensagem sexy? Seton demandou.

Foi um engano Lucy falou, apressada. A floricultura errou de endereço. Liguei para lá, e eles se desculparam.

Mas Ana disse que o entregador perguntou por você pelo nome.

É. Esse foi o engano ela continuou mentindo. Procuravam outra Sra. Wallace. Na cidade vizinha. Não era nada comigo.

Seton a olhava, desconfiado, em silêncio. Ela, então resolveu sair da defensiva.

Por quê? O que estava pensando?

Não sei o que pensei disse ele, soltando uma risada.

Só que me parece bem estranho que você receba flores e não me conte nada. E que eu nem tenha visto as ditas flores em casa.

Sr. Wallace, parece que o senhor está com ciúme! Lucy conseguiu brincar.

Mas é claro que estou! ele confirmou, entrando no jogo dela. Não vou deixar que ninguém tire o que é meu!

Ninguém conseguiria - ela sussurrou, encostando o rosto no dele. Está todo suado!

Desculpe, é que estava com pressa de saber que história era essa.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Percebi. Bobo! ela provocou. Gosto de você suado. Me faz pensar que estou sendo levada por um homem das cavernas.

Ele apagou a luz e a puxou para o colo.

homem das cavernas. Ele apagou a luz e a puxou para o colo. — Aposto que

Aposto que você foi uma menina linda. Pena que não tenha nenhuma foto de sua infância ele lamentou com sinceridade.

Eu disse que foram todas destruídas num incêndio.

De fato, era verdade. Num acesso de ciúme, uma das namoradas de seu pai queimara todas as fotos de Lucy e de sua mãe.

Seton não prestou atenção. Acariciava um de seus mamilos.

Quando foi a última vez que fizemos amor num carro? perguntou.

Seton! Não podemos! Somos casados. Só gente desesperada faz, esse tipo de coisa!

Nesse caso, nós temos que fazê-lo, pois estou realmente desesperado, meu amor.

Quando chegaram em casa, Seton contou aos pais sobre o bebê.

Eles ficaram radiantes e demoraram muito para ir embora. Seton abriu uma garrafa de champanhe, e brindaram a uma gravidez bem-sucedida.

Você nos fez tão feliz!

poderíamos desejar melhor esposa para Seton!

a mãe dele declarou, erguendo a taça a Lucy. Não

Lucy aproximou-se para beija-la, sentindo-se uma perfeita hipócrita. Se a verdade viesse à tona, não só as vidas de Seton e de Sam estariam arruinadas, mas também a dos pais dele e a do novo bebê.

Felicidade demais para ser perdida.

Vamos terminar o champanhe na cama? Seton provocou depois que ficaram as sós.

Champanhe quente? Lucy desencorajou.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Vou pôr no gelo por uns minutos.

Sabrina 1048

Lucy despiu-se e foi para a cama esperar por ele.

1048 Lucy despiu-se e foi para a cama esperar por ele. Mas, como sempre que estava

Mas, como sempre que estava sozinha, sua mente perdeu-se em horríveis devaneios sobre as ameaças de Rick. Ela sabia que os telefonemas, as mensagens de fax, as flores com o bilhete, tudo fazia parte de uma vingança planejada.

Por outro lado, parecia que Rick não tinha intenção de incluir Seton nisso, pois todas as vezes em que enviara mensagens, Lucy estivera sozinha.

Esse pensamento tranquilizou-a.

Quando Seton subiu com o champanhe, ela já adormecera.

Dias depois, ele até brincou a respeito. Haviam ido passar o fim de semana com amigos, em Gales.

Os anfitriões tinham três filhos, e o caçula era pouco mais velho que Sam.

Foram dois dias calmos e agradáveis. Passaram o tempo velejando, caminhando e fazendo churrasco à noite.

Seton quis fazer amor, mas Lucy protestou.

As paredes são muito finas! ela sussurrou. Todos Vão ouvir!

Não faremos barulho.

Não. A cama range.

Poderíamos ir lá fora ele sugeriu.

O que eles iriam pensar?

Que sou um homem de sorte!

Não vai ter sorte esta noite, portanto, durma.

Tirana! ele reclamou, rindo. Espere até chegarmos em casa!

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Quando voltaram para casa, Lucy notou uma pilha de correspondência no tapete do alpendre.

notou uma pilha de correspondência no tapete do alpendre. Seton recolheu-a e olhou todos os envelopes,

Seton recolheu-a e olhou todos os envelopes, passando um a Lucy.

Uma carta para você anunciou.

Ela tremeu ao reconhecer a caligrafia. Rapidamente, enfiou a carta no bolso da calça jeans e subiu para pôr Sam na cama.

Quando desceu, Seton já lera toda a correspondência.

De quem era a carta que recebeu? ele perguntou casualmente.

Da

dela.

da vizinha de tia Kate ela mentiu. Para dizer que está tudo em ordem na casa

Seton ergueu uma sobrancelha, parecendo confuso.

Mas não fala sempre com ela por telefone?

É que ela anexou um postal, que recebeu da tia Kate. Achou que eu gostaria de ver.

Naquela noite, Lucy não conseguiu ler a carta, mas também não pôde relaxar. Esteve tensa durante todo o tempo em que fizeram amor.

Ela fingiu chegar ao clímax, para que Seton não desconfiasse de nada.

Mas ele notou.

Estou perdendo o jeito, Lucy? perguntou quando terminaram.

Claro que não! ela protestou, mordendo o lábio.

Ele acendeu a luz de cabeceira.

Então, desde quando acha que precisa fingir o que não está sentindo?

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Não havia raiva na voz dele, mas tristeza e preocupação.

Não havia raiva na voz dele, mas tristeza e preocupação. — Eu queria sentir. Acha que

Eu queria sentir. Acha que não queria? Não tenho culpa, se não consegui.

Não estou dizendo que tenha. Mas por que fingiu?

Porque não queria estragar tudo para você ela falou, exasperada. Não percebe? Mas, se não gostou, da próxima vez não vou me dar ao trabalho.

Ela tentou virar para o lado, mas Seton a segurou pelo ombro.

Não, Lucy. Não gostei. Se está cansada demais para fazer amor, eu aceito. Mas, por favor, não nos insulte a ambos, fingindo uma excitação que não sente.

Pondo os braços ao redor do corpo dela, ele a ergueu de modo que ela apoiasse a cabeça em seu ombro nu.

Não percebe que esse tipo de mentira torna pequeno o que há entre nós, algo que sempre foi tão verdadeiro e maravilhoso?

Abraçou-a mais forte.

Querida, me preocupa muito, o fato de você não ter sentido nada continuou. Não tem sido a mesma, ultimamente. Deve saber disso.

Lucy, que conhecia a persistência dele, tratou de arranjar uma saída.

Tudo isso, só porque o sexo não foi bom para você murmurou.

Seton apertou-lhe o braço.

Desde quando é sexo, e não amor? ele intimou.

Olhe, sinto muito, está bem? Agora será que podemos dormir?

Não. Ainda não, querida. Temos que resolver esse assunto.

Não há nada para resolver ela respondeu, tentando se desvencilhar dele.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Talvez seja a gravidez tenha afetado.

ele ponderou. Mesmo que a de Sam não a

afetado. — ele ponderou. — Mesmo que a de Sam não a Lucy percebeu que Seton

Lucy percebeu que Seton acabara de lhe fornecer uma desculpa. Seria outra mentira, mas era sua única saída.

Oh! Acha que pode ser? perguntou, ansiosa.

E a única coisa que há de diferente, não? ele concluiu.

Tem razão. Tenho me sentido deprimida, e creio que uma gravidez não é necessariamente igual à outra.

Tem que ir ao médico de novo ele falou firmemente.

Mas eu já fui.

Acho que deve procurar um outro ginecologista.

Será? Lucy protestou. Talvez isso logo passe

Por que esperar, se pode ser ajudada a voltar a se sentir bem? Se não marcar uma consulta, eu faço isso e levo você pessoalmente ele ameaçou.

Não será preciso. Marco uma consulta amanhã.

Ele a beijou.

Ótimo! Quero você boa logo, amor.

Lucy ainda estava zangada por ter sido encurralada.

Só porque o sexo não foi o de sempre sibilou por entre os dentes.

Seton não disse palavra, mas Lucy sabia que ele continuava a observá-la, mesmo depois de ela ter-lhe dado as costas.

Por um momento, ambos ficaram quietos, então Lucy deu um suspiro e virou-se, jogando- se sobre ele.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Oh, querido

Sabrina 1048

Meu amor, meu doce amor ele a confortou carinhoso.

Meu amor, meu doce amor — ele a confortou carinhoso. — Abrace-me — ela soluçou. —

Abrace-me ela soluçou. Por favor, me aperte em seus braços. Preciso tanto de você!

Agarrou-se a ele, procurando conforto naquela proximidade física.

Prometa que nunca deixará de me amar suplicou.

Oh, Lucy! ele murmurou. Como se eu pudesse!

Prometa! ela exigiu, cravando os dedos no braço dele. Aconteça o que acontecer, prometa que nunca deixará de me amar.

Prometo ele respondeu. Claro que prometo. Eu te amo com todo meu coração, e nada vai mudar isso. Nada, juro!

Foi como se as palavras dele a enfeitiçassem. Ela adormeceu em segundos e dormiu profundamente, um sono sem sonhos.

Quando o despertador tocou, na manhã seguinte, Lucy mexeu-se, mas não acordou. Seton levou-lhe uma xícara de chá, antes de sair para trabalhar. Despertou-a com um beijo, sacudindo-a suavemente.

Ela falou com ele, sentando-se na cama, mas jogou-se de volta no travesseiro, assim que o viu sair. Dormiu de novo, por mais duas horas, só despertando quando o sol já ia alto. Levou alguns minutos para sair da profunda sonolência. Voltando à realidade, lembrou-se de que era segunda-feira, e que Sam tinha que ir para a escolinha.

Vestiu-se apressadamente, correu escada abaixo e encontrou o filho sentado na frente da televisão. Sam estava com o controle remoto numa das mãos, assistindo a seu vídeo favorito, que aliás o apavorava.

Estava na cadeira favorita de Seton e segurava um copo de cristal.

Estou fingindo que seu o papai explicou a Lucy, sorrindo maliciosamente.

Estou vendo.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Ela esboçou um sorriso, que congelou em seu rosto, de repente. Havia um líquido no copo. Tomou-o da mão do filho e cheirou-o. Era refrigerante. Felizmente, o menino não chegara ao ponto de tomar uísque, em sua tentativa de imitar o pai.

Mas, compreender que ele poderia realmente ter feito aquilo, apavorou-a. Seria culpa dela. Não devia ter dormido até aquela hora.

A mamãe demorou para levantar disse o garoto, como que adivinhando-lhe os pensamentos.

Ele procurava imitar Seton, até na voz. Lucy riu. Olhando para o relógio sobre a lareira, viu que eram quase dez horas.

Sabe que já deveria estar na escola? disse a Sam. Mas já é tarde demais. Que tal desligar a televisão e irmos ao parque?

O menino concordou entusiasticamente e correu para se vestir.

A longa noite de sono fizera bem a Lucy, que parecia descansada e bem mais animada.

Mas, pouco antes de saírem, o telefone tocou.

Só um minuto, Sam ela pediu.

Correu apressadamente para o escritório, pensando na hipótese de outro fax de Rick, mas foi a secretária eletrônica que atendeu. A voz de Seton encheu a sala. “Só liguei para saber se você está bem, querida. Não esqueça de marcar a consulta. Chegarei em casa o mais cedo que puder. Se cuide, amor”.

Havia várias mães brincando com as crianças nos balanços. Lucy conversou com elas por algum tempo, mas logo Sam quis pôr seu barquinho no pequeno lago. Caminharam por entre as árvores. O dia estava perfeito, e os dois andavam de mãos dadas, tagarelando. Sam carregava seu barco, presente de aniversário de tia Kate.

Mamãe, posso ter um cachorro? quis saber, vendo pessoas que passeavam com seus cães.

Sally Wentworth Culpada ou Inocente?

Sabrina 1048

Um cachorro? Lucy olhou-o surpresa, imaginando se ele precisava de algo para amar, ou de um companheiro. Não sei, meu filho. Vamos perguntar ao papai. Animais precisam de muitos cuidados, sabe? Algum de seus amigos e tem um cachorro?

cuidados, sabe? Algum de seus amigos e tem um cachorro? Sam começou a responder, mas Lucy

Sam começou a responder, mas Lucy não conseguia concentrar-se no que ele dizia. Uma estranha sensação apoderara-se dela. A sensação de que estavam sendo observados. Estremeceu, olhando por sobre o ombro.

O caminho estava vazio, e ela não viu ninguém no meio das árvores. Subitamente, ouviu

um barulho vindo de perto. Gritou e virou-se, mas viu que se tratava de um pássaro voando

de um arbusto.

As batidas do coração voltaram ao normal, e ela se recriminou por estar tão assustada. No íntimo, porém, sabia que tinha razões de sobra para se sentir espionada.

Todo seu medo se transformou em raiva. Ela olhava em volta, pronta para enfrentar seu inimigo e lutar, mas Sam a puxava pelo braço, arrastando-a para o lago.

Sentando-se num banco para olhar o filho brincar, lembrou-se da carta que recebera no fim