Sei sulla pagina 1di 6

Waldir Lenzi Júnior

Assessoria em Engenharia Elétrica

1. Disposições Gerais.

Proprietário

Dados

D & C CONSTRUÇÃO E ACABAMENTO LTDA.

Endereço

Projeto

- Av. Marechal Rondon, 1555

- Pimenta Bueno - RO

- SPDA - Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas

O projeto foi elaborado em conformidade com a Norma Técnica NBR –

5419/2005.

2. Objetivo.

O presente projeto visa fornecer condições técnicas para a execução de um SPDA – Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas e possíveis surtos de tensão provenientes de descargas atmosféricas nas redes de distribuição da concessionária, visando fornecer as instalações condições de segurança quanto a descargas atmosféricas.

OBS.: Este projeto está de acordo com a Norma NBR 5419/2005, e como em seus itens 4.1 e 4.2, não impedem a ocorrência da descarga atmosférica.

Itens da Norma:

4.1 DEVE SER LEMBRADO QUE UM SPDA NÃO IMPEDE A OCORRENCIA DAS DESCARGAS ATMOSFÉRICAS.

4.2 – UM SPDA PROJETADO E INSTALADO CONFROME ESTA NORMA NÃO PODE ASSEGURAR A PROTEÇÃO ABSOLUTA DE UMA ESTRUTURA, DE PESSOAS E BENS. ENTRETANTO, A APLICAÇÃO DESTA NORMA REDUZ DE FORMA SIGNIFICATIVA OS RISCOS DE DANOS DEVIDOS ÀS DESCARGAS ATMOSFERICAS.

Waldir Lenzi Júnior

Assessoria em Engenharia Elétrica

3. Avaliação do Risco de Exposição.

A probabilidade de uma estrutura ser atingida por um raio em um ano é o

produto da densidade de descargas atmosféricas para a terra pela área de exposição equivalente da estrutura.

3.1 Densidade de Descargas Atmosféricas para a Terra (Ng)

O valor de Ng para uma dada região pode ser estimado pela seguinte

equação:

Ng = 0,04xTd

1,25

[por Km²/ano]

Sendo Td o número de dias de trovoada por ano, obtido do Mapa Isocerâunico da Figura B.1-a da NBR 5419/2005, sendo valor para o prédio em questão de 60.

Portanto o Ng do prédio é de 6,68 [Km²/ano].

3.2 Área de Exposição Equivalente.

A área de exposição equivalente (Ae), leva em consideração a altura do

prédio a ser protegido, juntamente com a sua área construída, formando uma área equivalente de exposição, cuja forma de calcular segue abaixo:

Ae = L.W + 2LH + 2WH + πH

2 [m²], sendo

L – Comprimento da Construção;

W

– Largura da Construção;

H

– Altura da Construção.

Portanto, para o prédio em questão temos uma Ae de 3.572,05 [m²].

3.3 Freqüência Média Anual Previsível (Nd).

Podemos prever a freqüência média por ano que o prédio em questão pode receber, para isso utilizamos a seguinte equação:

Nd = NgxAex

10

6

[por ano]

Waldir Lenzi Júnior

Assessoria em Engenharia Elétrica

Ao

Nd =

substituirmos

os

itens

2,386 10

x

2

[por ano].

3.4 Avaliação Geral de Risco.

da

equação

chegamos

ao

resultado

de

De posse do valor de Nd, devemos aplicar os fatores de ponderação que a Norma exige, sendo estes fatores obtidos nas tabelas B1 a B5, após a multiplicação de Nd por todos os fatores temos a seguinte situação:

a)- se

Nd 10

3

, a estrutura requer um SPDA;

b)- se

acordo entre projetista e usuário;

10

3

> Nd >

10

5

, a conveniência de um SPDA deve ser decidida por

c)- se

Nd 10

5

, a estrutura dispensa um SPDA.

Das tabelas da Norma retiramos os seguintes fatores:

Tipo de ocupação da Estrutura – 1,0 Tipo de Construção da Estrutura – 0,8 Conteúdo da Estrutura e efeitos indiretos das descargas atmosféricas – 0,8 Localização da Estrutura – 0,4 Topografia da Região – 0,3

Temos então a seguinte equação para Nd ponderado:

Nd

= (2,386 10

x

Nd =

1,832 10

x

3

2

)

x

1,0

x

0,8 0,8

x

x

0,4

x

0,3

PODEMOS ENTÃO CONCLUIR QUE O PRÉDIO EM QUESTÃO REQUER UM SPDA.

O MODELO QUE SERÁ UTILIZADO SERÁ O DA ESFERA ROLANTE OU FICTÍCIA (MODELO ELETROGEOMÉTRICO).

Obs. Detalhes do modelo pode ser observado nas pranchas anexas.

Waldir Lenzi Júnior

Assessoria em Engenharia Elétrica

4. Sistema de Captação.

O sistema de captação adotado será o sistema de captação natural, como a

NBR 5419/2005 classifica, “quaisquer elementos condutores expostos, isto é, que do ponto de vista físico possam ser atingidos pelos raios, devem ser considerados como parte do SPDA”, logicamente atendendo as exigências que a própria norma impõe em seu item 5.1.1.4.2, letra “a”. Portanto a estrutura metálica do prédio, ou seja, a cobertura do prédio, será o sistema captor.

5. Sistema de Descida.

O sistema de descida adotado será o sistema de descida natural, ou seja,

como a NBR 5419/2005 considera em seu item 5.1.2.5.2 os pilares metálicos da estrutura formaram o sistema de descida do SPDA, atendendo todas as exigências do item acima mencionado, e também atendendo o item 5.1.2.5.3

da mesma norma.

6. Sistema de Aterramento.

O sistema de aterramento, como nos itens anteriores, será do tipo natural, ou

seja, como prevê a norma em seu item 5.1.3.3.1, será efetuado pelos blocos

da fundação da estrutura, já que foi garantida a continuidade elétrica entre a

fundação, pilares metálicos e a estrutura da cobertura do prédio a proteger. Como prevê a Norma NBR 5419/2005 e a NBR 5410/2005, um subsistema

único de aterramento, integrado a estrutura, é preferível e adequado para todas as finalidades (proteção contra raio, sistema de potencia de baixa tensão e sistema de sinal), para tanto deverá ser conectado o aterramento da subestação de potencia, e demais aterramentos a estrutura do prédio, sendo esta ligação efetuada de preferência no primeiro quadro de distribuição de baixa tensão do prédio, fazendo assim a equipotencialização do sistema de aterramento.

7. Protetores de Surto.

Será necessária a instalação de protetores de surto de tensão, com capacidade adequada, sendo (01) um para cada fase, na entrada de energia da edificação, e em todos os quadros de distribuição de energia interno, sendo os mesmos

Waldir Lenzi Júnior

Assessoria em Engenharia Elétrica

ligados à malha de aterramento, tendo como finalidade escoar possíveis surtos de tensão provenientes da rede da concessionária à malha de aterramento. O neutro proveniente da concessionária deverá ser ligado à malha de aterramento, ficando a instalação elétrica equipotencializada. A instalação deverá ser efetuada por profissional capacitado para tal, dotado sempre de equipamentos de segurança.

8. Observações

-

Este projeto está de acordo com as normas técnicas brasileiras;

-

Este projeto não possui data de validade, porém se houver mudanças normativas ele perderá o seu valor;

-

O projeto não poderá ser executado de maneira diferente à projetada;

-

Todas as dúvidas deverão ser reportadas ao projetista;

-

O serviço deverá ser executado por profissional habilitado e dotado de todos equipamentos de segurança para tal;

-

Deverá ser mantida no local do prédio, com o administrador, uma cópia deste projeto para fins de fiscalização dos órgãos competentes;

9.

Materiais.

Como existe a ligação mecânica e elétrica entre a cobertura, os pilares e a ferragem das fundações, não há material extra a ser atribuído a este Sistema de Proteção Contra Descarga Atmosférica. No entanto, ao ser implementado o projeto do SPDA e o Projeto de distribuição de energia Elétrica no interior do prédio, deverá ser lembrado de se instalar os protetores de surto de tensão em número de um por fase em cada quadro de distribuição, como é descrito no item 7 (sete) deste projeto.

10.Anexos.

WALDIR LENZI JÚNIOR

Eng.º Eletricista CREA 10.300/MT

Waldir Lenzi Júnior

Assessoria em Engenharia Elétrica

Sumário

1.

Disposições Gerais.

2.

Objetivo.

3.

Avaliação de Risco de Exposição

3.1

Densidade de Descargas Atmosféricas Para a Terra

3.2

Área de Exposição Equivalente

3.3

Freqüência Média Anual Previsível

3.4

Avaliação Geral de Risco

4.

Sistema de Captação.

5.

Sistema de Descida.

6.

Sistema de Aterramento.

7.

Protetor de Surto

8.

Observações

9.

Material.

10.

Anexos