Sei sulla pagina 1di 8

PRÁTICAS E MODELOS DE AUTO-

AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS


ESCOLARES

O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas


Escolares: metodologias de operacionalização
(Parte I)

- Plano de Avaliação -

Formanda: Elisa Morais

22 de Novembro de 2009
“A leitura amplia e integra os conhecimentos,
desonerando a memória, abrindo cada vez mais os
horizontes do saber, enriquecendo o vocabulário e a
facilidade de comunicação, disciplinando a mente e
alargando a consciência pelo contacto com formas e
ângulos diferentes sob os quais o mesmo problema
pode ser considerado. Quem lê constrói sua própria
ciência…”

RUIZ, J. A. Metodologia Científica: guia para eficiência nos estudos. São Paulo:
Atlas, 1996

Segundo Carter McNamara e o texto-guia da sessão deve


considerar-se na elaboração do Plano de Avaliação:

* O propósito da avaliação,
* O que devo avaliar no processo,
* Quais os intervenientes,
* As fontes de informação,
* Os métodos de recolha de evidências,
* A calendarização para a recolha da informação,
* A análise crítica e o tratamento dos dados,
* A divulgação dos resultados,
* Definição e priorização de acções de melhoria.

Deste modo, a AVALIAÇÂO permite dar resposta a três


perguntas essenciais:

O que estamos a fazer?


Como é que o sabemos?
O que vamos fazer?
Objectivos/Propósitos

Espera-se que a implementação do processo de auto-avaliação possibilite:

* maior investimento por parte da comunidade escolar

* priorizar necessidades e identificar os aspectos que necessitam de melhoria,


abrindo caminho para a mudança

* optimizar processos que produzam resultados e impacto na qualidade da BE


e dos serviços que presta

* a obtenção de evidências, de forma a conhecer melhor o impacto da BE no


ensino e aprendizagem

Desenvolvimento do Plano de Avaliação

Análise prévia que permite identificar os pontos fortes e os pontos a necessitar


de desenvolvimento, aspectos ainda não implementados ou sobre os quais não
se tem informação.

Selecção do Domínio / Motivo para a sua escolha


Ao ter que seleccionar um Domínio para avaliação (Setembro/
Outubro), a escolha recaiu de imediato no domínio B pela necessidade
premente de se desenvolver nos alunos competências de leitura, o que se
manifesta prioritário face às metas do próprio Agrupamento, esperando, deste
modo, contribuir para melhorar as aprendizagens e os resultados escolares dos
alunos.
Objecto de Avaliação

Domínio B: Leitura e Literacia


Indicadores
B.1 Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na escola/agrupamento
(indicador de sucesso)
B.3 Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos
alunos, no âmbito da leitura e da literacia (indicador de impacto)

Análise dos factores críticos de sucesso


B.1 Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na escola/
agrupamento
* A BE disponibiliza uma colecção variada e adequada aos gostos, interesses e
necessidades dos utilizadores
* A BE incentiva o empréstimo domiciliário
* A BE está informada relativamente às linhas de orientação e actividades
propostas pelo PNL e desenvolve as acções implicadas na sua implementação
* A BE desenvolve, de forma sistemática, actividades no âmbito da promoção
da leitura: sessões e clubes de leitura, blogs…
* A BE promove encontro com escritores ou outros eventos culturais que
aproximem os alunos dos livros ou de outros materiais/ambientes incentivem o
gosto pela leitura
* A BE apoia os alunos nas suas escolhas e conhece as novidades literárias e
de divulgação que melhor se adequam aos seus gostos

B.3 Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos,


no âmbito da leitura e da literacia
* Os alunos usam o livro e a BE para ler de forma recreativa, para se informar
ou para realizar trabalhos escolares
* Os alunos, de acordo com o seu ano/ciclo de escolaridade manifestam
progressos nas competências de leitura, lendo mais e com maior profundidade
* Os alunos desenvolvem trabalhos onde interagem com equipamentos e
ambientes informacionais variados, manifestando progressos nas suas
competências no âmbito da leitura e da literacia

Assim:
O que se avalia?
B.1 Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na escola/
agrupamento
Colecção: qualidade, quantidade e adequação
Sessões de leitura
Actividades que promovam a leitura em ambiente digital
Actividades de Leitura com docentes, pais, Biblioteca Municipal
Actividades da “Hora do Conto”
Trabalhos realizados pelos alunos na BE e em sala de aula
Articulação com o Plano Nacional de Leitura
Leitor do mês
Livro do mês
Feira do Livro
“Semana da Leitura”
Concurso de Leitura
Encontro com escritor

B.3. Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos,


no âmbito da leitura e da literacia
Leitura recreativa
Desenvolvimento de competências ao nível da leitura
Progressos dos alunos em diversos ambientes informacionais
Participação dos alunos em actividades de promoção de leitura
(clubes, fóruns, blogs…)

Recolha de evidências (métodos quantitativos e qualitativos / técnicas


de recolha de informação variada)
B.1 Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na escola/
agrupamento
Plano Anual de Actividades da Escola
Plano Anual de Actividades da BE
Actas e registos de reuniões
Registos de actividades
Materiais produzidos pela BE ou em colaboração
Planificações
Estatísticas de utilização informal da BE
Estatísticas de utilização da BE para actividades de leitura programada
Estatísticas de empréstimos domiciliários
Registos de observação informal
Questionário aos docentes (QD2) (Fevereiro/Março)
Questionário aos alunos (QA2) (Fevereiro/Março)
Questionário aos pais/Encarregados de Educação (QEE1) (Fevereiro/Março)

B.3 Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos,


no âmbito da leitura e da literacia
Estatísticas de utilização da BE para actividades de leitura
Estatísticas de empréstimos domiciliários
Trabalhos realizados pelos alunos em diversos suportes
Registos de observação informal
Grelha de observação - O4 Motivação para a leitura (1 por período)
Questionário aos docentes QD2 (Fevereiro/Março)
Questionário aos alunos QA2 (Fevereiro/Março)

Intervenientes
Professor Bibliotecário / Equipa da BE

Direcção Executiva

Aplicação dos questionários a três populações-alvo:


* 10% dos alunos do Agrupamento, com representatividade dos alunos do 5º
ao 9º ano de escolaridade
* 20% do número total de docentes do Agrupamento
* 10% dos pais/encarregados de educação

Análise e divulgação dos resultados


Deve proceder-se a uma reflexão detalhada que procure:
• Aferir, de forma objectiva e sistemática, os resultados efectivos do trabalho
desenvolvido
• Identificar os pontos fortes e os pontos fracos
• Decidir em qual dos níveis de desempenho se situa a BE no domínio em
avaliação
• Delinear acções de melhoria

(Junho)
Análise e divulgação dos resultados (continuação)
A divulgação dos resultados e das Acções de Melhoria deverá ser feita no
Conselho Pedagógico de Julho, a fim de possibilitar o seu conhecimento nos
últimos Conselhos de Turma. Os resultados serão afixados no placard
existente na sala de professores e dever-se-á inclusivamente disponibilizar a
informação on-line.

A avaliação da Biblioteca Escolar deve estabelecer ligações com a avaliação


do Agrupamento, servindo esta de fonte de informação para a avaliação
externa.

Sistematização de todo o processo


Etapas a desenvolver ao longo do ano, durante a avaliação:
1º Período:
Análise prévia (diagnose, pontos fortes e fracos, …)
Escolher o Domínio a avaliar
Analisar atenciosamente o Domínio e Subdomínios
Analisar os Factores Críticos de Sucesso
Organizar e produzir instrumentos
Recolher todos os dados relativos ao domínio a avaliar
2º Período:
Continuar a recolher evidências
Aplicar os inquéritos relativos ao subdomínio
Tratamento dos dados, realização de gráficos, registo de conclusões
3º Período:
Concluir a recolha de evidências
Começar a apresentar resultados
Delinear o perfil da BE
Posicionamento da BE no Perfil de Desempenho
Preenchimento do quadro – síntese dos resultados de avaliação
Elaborar o relatório final, fazendo referência aos pontos fortes/pontos fracos e
acções de melhoria
Comunicar os resultados ao Agrupamento e a outros interlocutores
Incluir resumo de resultados no Relatório de Auto-Avaliação do Agrupamento

Algumas limitações/constrangimentos
* Processo complexo, que requer muito tempo
* Dificuldade em mobilizar todos os intervenientes
* Dificuldade na recolha de evidências demonstrativas do impacto da BE