Sei sulla pagina 1di 25

METASSISTEMA E CRIAÇÃO MUSICAL

Ricardo Mendonça Petracca

METASSISTEMA E CRIAÇÃO MUSICAL Ricardo Mendonça Petracca
METASSISTEMA E CRIAÇÃO MUSICAL Ricardo Mendonça Petracca

Premissa:

O processo composicional envolve entre outros

fatores conceituação e observação. As decisões que

o compositor deve tomar durante a criação de sua obra depende destes fatores.

Portanto,

A divergência entre o que se espera e o resultado

obtido está (também) relacionado à incapacidade de observação total ou parcial e/ou a um déficit

conceitual.

Antídotos propostos:

Análise de diferentes exemplos de elaboração musical.

Entendimento da composição por meio de uma perspectiva sistêmica metassistema musical.

Definições:

Conceito: sm. 1. Formulação duma idéia por

palavras; definição. 2. Pensamento; idéia. (Aurélio,

1977).

Conceito: sm. (lat conceptu) 1. Aquilo que o espírito

concebe ou entende; idéia; noção. [

idéia, enquanto abstrata e geral. (Michaelis, 2000).

]

12. Lóg A

Sistema: sm 1. Conjunto de elementos, entre os quais se possa encontrar ou definir alguma relação. 2. Disposição das partes ou dos elementos de um todo,

coordenados entre si, e que funcionam como estrutura

organizada. (Aurélio, 1977).

Nesta pesquisa (bibliográfica e participante): conjunto de elementos = conjunto de idéias/ conceitos

1 DE CIÊNCIA, MUNDOS, ANALOGIAS E

METÁFORAS

Ciência tradicional: “mundo-coisa”; objetividade. O objeto é apartado de quem o observa.

Maturana e Varela:

A vida é um processo de conhecimento, os seres vivos constroem esse conhecimento não a partir de uma atitude passiva e sim pela interação.

O objeto estudado não tem existência separada de

quem o observa, com isso, a subjetividade e a

qualidade são indispensáveis ao conhecimento e,

portanto, à ciência.

Os seres vivos percebem e reagem ao meio de acordo com o que é determinado por sua estrutura (e não pelo

meio).

Ciência tradicional um único mundo dado.

Goodman:

Existência de múltiplos mundos reais.

Várias percepções que implicam nas mais diversas versões e concepções do mundo.

O conhecimento não deveria se ocupar tanto com o

que é verdadeiro e sim com o que é correto.

“Um enunciado é verdadeiro em ou para um mundo real se esse enunciado é verdade na medida em que só entre em consideração esse mundo.”(GOODMAN, 1990, 151).

Mundo para ser correto deve ser validado.

Morin:

Multidimensionalidade do mundo; múltiplas

entradas; “migrações de conceitos”.

Analogias e metáforas: “[

]

criar sentidos através

de reaproximações inéditas.” (MORIN, 2007, p. 99).

Metaponto de vista (analogia com um mapa); metassistema.

Propostas teóricas sistêmicas (precursores):

Organicista (seres vivos): Ludwig von Bertalanffy.

Mecanicista (máquinas): Norbert Wiener.

Opção pela abordagem de Morin.

2 DA COMPOSIÇÃO COMO METASSISTEMA MUSICAL

3 níveis de abordagem:

1º. Observador no interior de um sistema musical fechado:

percebe os componentes ligados entre si, os quais

configuram uma rede de relações;

composição = sistema musical.

2º. Observador fora dos limites do sistema musical:

visualiza o sistema como um todo, com suas

emergências tópicas ou globais. Identifica tanto os componentes quanto as relações existentes entre eles e o sistema como um todo (estrutura), assim

como a ordem ou disposição destes (organização);

Potencial ativo: poder ou força apta a agir com

rapidez.

composição = sistema musical.

3º. Observador percebe o entorno (meio e compositor) e é incluído. Observa se observando:

visualiza o sistema musical e seu entorno (sistemas

meio e indivíduo), formando um metassistema musical. Visualiza também as interações entre os sistemas; percebe a dinâmica do metassistema, isto

é, as inter-relações e as perturbações recíprocas que

geram mudanças e adaptações na estrutura dos sistemas e do metassistema como um todo;

composição = metassistema musical.

O metassistema musical contempla:

a subjetividade do compositor/pesquisador, visto que os sistemas são abstrações operadas por ele. Desta forma, é possível conceber diferentes sistemas.

sistemas fechados (organizacional e

operacionalmente distintos) e abertos (provocam

perturbações mútuas);

ordem, desordem e organização.

Bakhtin:

alteridade: sistemas distintos;

excedente de visão: o que posso ver no outro que o outro não pode ver em si mesmo;

compreensão criadora: “a exterioridade cria a possibilidade do diálogo e o diálogo ajuda-nos a compreender uma cultura de maneira profunda.”

(MORSON & EMERSON, 2008, p. 73);

o diálogo passa a modelar o metassistema musical, por meio da circulação de conteúdos que se atualizam durante o processo composicional.

emergências: novos sentidos atribuídos;

forma musical: deixa de ser pressuposta para ser

resultante de um conjunto de sentidos inter- relacionados dialogicamente;

arquitetônica: unidade advinda do sentido e das relações internas;

Bakhtin:

elaboração da composição: fundada nas relações e na dialogia;

sentidos: resultado de um processo dialógico ou seja

dos vários discursos relacionados com o

metassistema musical e seus sistemas;

vozes dos outros se misturam a voz do compositor:

polifonia;

metassistema musical contempla o outro: a

dimensão social;

compositor como enunciador assume um enunciado (um sentido) e o seu papel de interlocutor;

o texto musical é o enunciado manisfesto do compositor que contém os vários discursos (vozes) e

sentidos;

intertextualidade: relação dialógica entre textos;

interdiscursividade: relação dialógica entre enunciados/discursos.

Metassistema Musical

Integra diferentes aspectos do conhecimento e estabelece uma correspondência entre indivíduo, meio e música com a realidade percebida pelo

compositor.

A tradução se localiza entre sistemas e metassistema musical porém é submetida a validação pelos

princípios que permeiam a dinâmica do

metassistema musical.

metassistema musical porém é submetida a validação pelos princípios que permeiam a dinâmica do metassistema musical.
metassistema musical porém é submetida a validação pelos princípios que permeiam a dinâmica do metassistema musical.
Metassistema musical: um metaponto de vista, dialogizado (Bakhtin) e viabilizado pelo pensamento sistêmico (Morin,
Metassistema musical: um metaponto de vista, dialogizado (Bakhtin) e viabilizado pelo pensamento sistêmico (Morin,

Metassistema musical:

um metaponto de vista, dialogizado

(Bakhtin) e viabilizado pelo pensamento

sistêmico (Morin, Maturana e Varela).

musical: um metaponto de vista, dialogizado (Bakhtin) e viabilizado pelo pensamento sistêmico (Morin, Maturana e Varela).
musical: um metaponto de vista, dialogizado (Bakhtin) e viabilizado pelo pensamento sistêmico (Morin, Maturana e Varela).

3 DAS INTER-RELAÇÕES ENTRE OS SISTEMAS

CULTURA, COMPOSITOR E COMPOSIÇÃO

Questões acerca das inter-relações e emergências advindas das interações entre os sistemas cultura, compositor e composição.

Morin: imprinting cultural; metaponto de vista.

Bakhtin: compreensão criadora; exterioridade; simultaneidade de visões; profundezas semânticas (abordagem inter-cultural).

Geertz: acesso ao mundo conceitual no qual vivem as

pessoas; dentro do universo imaginativo das pessoas inseridas em culturas diferentes, seus atos são marcos

determinados (novos referenciais para o compositor).

Produções advindas de outros povos/etnias.

Das inter-relações entre os sistemas cultura, compositor e composição advém emergências que significam o texto musical e atribuem sentido à obra.

Compositor: reduto dos diferentes discursos que participam da atribuição de sentido à composição, sentido este que assumirá sua versão manifesta quando

da elaboração do texto musical.

Por meio das inter-relações entre sistemas é possível criar o arcabouço conceitual, o qual passa a subsidiar a composição musical com base em outros critérios de validade.

Etnomusicologia: vínculos da música com seu entorno.

Com Merriam a etnomusicologia prevê: necessidade

de conhecimento musical; relação entre música e

comportamento (físico ou social); vínculo desses estudos com aqueles oriundos das ciências sociais e humanas em geral.

Para o compositor interessa as relações dialógicas entre os discursos que circundam a composição, os quais podem ser verificados por meio da aplicação ou do exercício composicional.

4 DA APLICAÇÃO:

O CAMINHO DOS NOMES-ALMAS

4 DA APLICAÇÃO: O CAMINHO DOS NOMES-ALMAS
4 DA APLICAÇÃO: O CAMINHO DOS NOMES-ALMAS

Sistema cultura - narrativa mítica: o caminho dos nomes-almas

Sistema cultura - narrativa mítica: o caminho dos nomes-almas

Sistema compositor: insere-se o mito num “mundo mítico geométrico”, validado por relações geométricas, com o fim de estabelecer critérios para elaboração de uma rede de referência

validado por relações geométricas, com o fim de estabelecer critérios para elaboração de uma rede de

Emergência sistema cultura/compositor

Emergência sistema cultura/compositor

Importante observar:

Emergências não são regras. São resultantes de

relações dialógicas ou de sentido;

A emergência (sistema cultura-compositor) da tabela 3, de caráter organizacional, pode provocar diferentes perturbações na estrutura do sistema composição,

como, por exemplo, aquelas referentes a movimentos,

seções, desenvolvimento de idéias musicais, frases,

períodos, manipulação e combinação de alturas, abordagem textural, etc.

Emergências com base em relações entre trajetos/ distâncias percorridas (r) são de ordem quantitativa (proporções) podendo provocar perturbações (e mudanças estruturais no sistema composição) relacionadas, por exemplo, aos componentes pulsação, bpm (andamento), “giros” de uma série de sons,

compassos, tempo (medido), etc.

Sistema composição: histórico de mudanças estruturais no aspecto organizacional do sistema composição (texto musical) resultantes das perturbações geradas pelas interações dos sistemas:

1 Trajeto de Tupã = D(1º. trecho) + E(2º. trecho)

2 Trajeto de Kuaray = 1º. trecho inverso Tupã +

trajeto de Tupã

3 Trajeto de Kuaray = B + contraste (C) + (D+E)

4 Trajeto de Kuaray dialogizado = (inverso E) + B +

contraste (C) + (D+E)

5 Texto musical Kuaray-Tupã = (A+B) + (C) + (D+E)

Kuaray-Tupã = emergência advinda da interação entre os sistemas do metassistema musical.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A composição entendida como metassistema musical implica:

Na compreensão da composição por meio de uma outra perspectiva conceitual.

No reconhecimento da composição como um enunciado que contém emergências (sentidos), oriundos dos diversos discursos que permeiam a música, o indivíduo e o meio.

que contém emergências (sentidos), oriundos dos diversos discursos que permeiam a música, o indivíduo e o

Algumas questões para aprofundamento futuro

(aspectos qualitativos e quantitativos):

emergências das emergências;

relações entre ordem, desordem e organização;

(auto)retroalimentação do metassistema;

inter-relações dialógicas que resultam mudanças

estruturais/organizacionais;

perturbações entre sistemas capazes de gerar a destruição dos mesmos ou adaptações radicais;

alteridade, dialogia e emergências entre o

metassistema musical e o intérprete;

aplicação e exercício composicional para verificação dos conceitos obtidos por meio da concepção da composição como metassistema musical.

FINALIZANDO

O metassistema musical tem suas raízes na dialogia e, portanto, se nutre dos diversos e diferentes discursos

que permeiam o seu objeto. Assim sendo, é

somente por meio do debate e do exercício criativo dialógico que esta proposta pode, de alguma forma, contribuir para as reflexões acerca da composição

musical.

Para compartilhar (meta)pontos de vista:

achamaeamorte@gmail.com