Sei sulla pagina 1di 2

AMIV e o Avião Invisível

Cálculo da força de sustentação: O F-117 tem uma forma característica muito pouco convencional, necessária para reduzir dramaticamente o : O F-117 tem uma forma característica muito pouco convencional, necessária para reduzir dramaticamente o seu eco de radar. Nunca nenhum avião de forma sequer remotamente parecida tinha sido testado. Poder-se-ia pensar que à partida não era claro que algo com esta forma pudesse voar. No entanto, os desenhadores não só sabiam que sim como tinham uma ideia bastante precisa de qual a força de sustentação que as asas gerariam - isto quando o avião não passava ainda de rabiscos em papel! Para velocidades inferiores a 30% da velocidade do som e pequenos ângulos de ataque (i.e., inclinação da asa em relação à horizontal), por exemplo, as distribuições de pressão ao longo da asa podem ser muito aproximadamente calculadas usando métodos de análise complexa. Isto porque nestas condições o ar se comporta como um fluido incompressível de viscosidade zero, e as componentes da velocidade são portanto representadas por funções harmónicas (i.e., partes reais e imaginárias de uma função complexa diferenciável).

Estabilidade e controlo: Desenhar um avião envolve muito mais do que decidir se ele voará ou não: : Desenhar um avião envolve muito mais do que decidir se ele voará ou não: é preciso que ele o faça de uma forma estável e controlada. Para analisar a estabilidade do avião considera-se o que acontece quando este se encontra numa atitude (i.e., orientação tridimensional) ligeiramente desviada em relação à atitude normal de vôo, que é em geral um ponto de equilíbrio. A evolução desta perturbação da atitude no tempo é então determinada por um sistema de equações diferenciais lineares, cuja solução é fundamental para decidir se o avião é estável ou não. De uma forma semelhante, o efeito das chamadas superfícies de controlo (ailerons, cauda, etc.) na atitude do avião é descrito por equações diferenciais, de cuja solução depende a determinação da controlabilidade do avião. Devido à sua forma peculiar, o F-117 é intrinsecamente instável, sendo estabilizado em tempo real por pequenos ajustes nas superfícies de controlo determinados pelo computador de bordo. Progamar o computador para realizar estes ajustes envolve teoria do controlo, que se baseia nao uso da Transformação de Laplace.

Invisibilidade: O eco de radar do F-117 é aproximadamente igual ao de um berlinde pequeno : O eco de radar do F-117 é aproximadamente igual ao de um berlinde pequeno colocado à mesma distância. Isto é uma consequência não só do facto de este estar coberto por uma camada de tinta com alto coeficiente de absorção de ondas de radar, mas também da sua forma cuidadosamente desenhada. Esse desenho envolveu resolver as Equações de Maxwell correspondentes a uma onda plana incidindo numa estrutura multifacetada. As Equações de Maxwell, claro está, nada mais são que um sistema de equações diferenciais parciais.

são que um sistema de equações diferenciais parciais. (Fotografia retirada da web page da USAF )

(Fotografia retirada da web page da USAF)

AMIV e o Tempo para Depois de Amanhã

diferenciais parciais não lineares, ditas as equações de Navier-Stokes generalizadas. Estas equações descrevem a evolução de quantidades como a temperatura, a pressão e a velocidade do ar em função do movimento de rotação da Terra, do aquecimento (desigual) da superfície da Terra pelo Sol, etc. A previsão exacta do tempo para depois de amanhã (por exemplo) passa pela solução aproximada destas equações.

Equações aproximadas: Infelizmente, as equações de Navier-Stokes generalizadas da atmosfera são demasiado complicadas para poderem ser : Infelizmente, as equações de Navier-Stokes generalizadas da atmosfera são demasiado complicadas para poderem ser resolvidas, mesmo que numericamente. O que se faz então é construir um modelo aproximado utilizando como

variáveis os valores da temperatura, pressão, humidade, etc. num número finito de pontos da atmosfera. Estas variáveis estão relacionadas entre si, de modo que a sua evolução é descrita por um enorme sistema de equações diferenciais ordinárias de

primeira ordem. Note-se que em geral o número de variáveis é da ordem dos milhões!

numericamente em supercomputadores.

Caos: É um facto que muitos sistemas de equações diferenciais ordinárias de primeira ordem (não : É um facto que muitos sistemas de equações diferenciais ordinárias de primeira ordem (não lineares) exibem dependência sensível nas condições iniciais, vulgarmente abreviado no termo "caos". O que isto significa é que soluções com pontos iniciais próximos se afastam exponencialmente, i.e., a cada unidade de tempo o seu afastamento duplica (por exemplo). Como nas aplicações práticas é impossível medir exactamente o estado inicial do sistema (no nosso caso, por exemplo, é impossível medir a temperatura do ar num dado ponto com precisão infinita), existe sempre uma incerteza no ponto inicial, incerteza essa que cresce exponencialmente se o sistema é caótico. As equações que regem a atmosfera parecem exibir este tipo de comportamento; aliás, este fenómeno ganhou notoriedade ao ser detectado num sistema muito simples de três equações diferenciais de primeira ordem que representavam uma aproximação muito grosseira da atmosfera - as equações de Lorenz. Daí que exista um horizonte de previsibilidade do tempo da ordem dos três dias - isto por muito bem que consigamos resolver as equações. Teoricamente, é possível prever que tempo fará depois de amanhã - mas não muito depois disso

Este sistema é depois resolvido

mas não muito depois disso Este sistema é depois resolvido (Fotografia retirada da web page da

(Fotografia retirada da web page da Tornado and StormResearchOrganisation)

resolvido (Fotografia retirada da web page da Tornado and StormResearchOrganisation ) converted by Web2PDFConvert.com

converted by Web2PDFConvert.com