Sei sulla pagina 1di 59
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS DE RIBEIRÃO PRETO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS DE RIBEIRÃO PRETO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS DE RIBEIRÃO PRETO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS

Valida ão de Métodos Analíticos

ç

Profª Drª Cristiane Masetto de Gaitani crisgai@fcfrp.usp.br

Ribeirão Preto - 2012

Valida ão de Métodos Analíticos ç Profª Drª Cristiane Masetto de Gaitani crisgai@fcfrp.usp.br Ribeirão Preto -
Valida ão de Métodos Analíticos ç Profª Drª Cristiane Masetto de Gaitani crisgai@fcfrp.usp.br Ribeirão Preto -
CONCEITO “A validação deve garantir, através de estudos experimentais, que o método atenda às exigências
CONCEITO “A validação deve garantir, através de estudos experimentais, que o método atenda às exigências

CONCEITO

“A validação deve garantir, através de estudos experimentais, que o método atenda às exigências das aplicações analíticas, assegurando a confiabilidade dos resultados” (ANVISA)

“A validação de métodos assegura a credibilidade destes durante o uso rotineiro, sendo algumas vezes mencionado como o “processo que fornece uma evidência documentada de que o método realiza aquilo para o qual é indicado para fazer” (USP)

que fornece uma evidência documentada de que o método realiza aquilo para o qual é indicado
que fornece uma evidência documentada de que o método realiza aquilo para o qual é indicado
2 Tipos Validação no Laboratório Validação Completa Estudo Interlaboratorial METODOLOGIAMETODOLOGIA OFICIALOFICIAL

2 Tipos

2 Tipos Validação no Laboratório Validação Completa Estudo Interlaboratorial METODOLOGIAMETODOLOGIA OFICIALOFICIAL

Validação no Laboratório

Validação Completa

2 Tipos Validação no Laboratório Validação Completa Estudo Interlaboratorial METODOLOGIAMETODOLOGIA OFICIALOFICIAL

Estudo Interlaboratorial

Laboratório Validação Completa Estudo Interlaboratorial METODOLOGIAMETODOLOGIA OFICIALOFICIAL NoNo BrasilBrasil

METODOLOGIAMETODOLOGIA OFICIALOFICIAL

NoNo BrasilBrasil –– IPTIPT (Instituto(Instituto dede PesquisasPesquisas Tecnológicas)Tecnológicas)

OFICIALOFICIAL NoNo BrasilBrasil –– IPTIPT (Instituto(Instituto dede PesquisasPesquisas Tecnológicas)Tecnológicas)
OFICIALOFICIAL NoNo BrasilBrasil –– IPTIPT (Instituto(Instituto dede PesquisasPesquisas Tecnológicas)Tecnológicas)
Brasil ANVISA Resolução ANVISA RE no 899, de 29/05/2003 NMETRO DOQ-CGCRE-008, de março/2007 IUPAC ISO/IEC
Brasil ANVISA Resolução ANVISA RE no 899, de 29/05/2003 NMETRO DOQ-CGCRE-008, de março/2007 IUPAC ISO/IEC

Brasil

ANVISA Resolução ANVISA RE no 899, de 29/05/2003

NMETRO DOQ-CGCRE-008, de março/2007

IUPAC

ISO/IEC 17025 General Requirements for the Competence of Testing and Calibration

Laboratories, 1999

FDA

Guidance for Industr

Guidance for Industry, Analytical Procedures and Methods Validation, 2000

Bioanal tical Method Validation 2001

y

,

y,

ICH

Validation of Analytical Procedures: Definitions and Terminology, Q2A (CPMP/ICH/381/95), 1995

Validation of Analytical Procedures: Methodology, Q2B (CPMP/ICH/281/95), 1995

European Medicines Agency

Guideline on bioanalytical method validation

EMEA/CHMP/EWP/192217/2009, 21 July 2011

method validation EMEA/CHMP/EWP/192217/2009, 21 July 2011 Committee for Medicinal Products for Human Use (CHMP)

Committee for Medicinal Products for Human Use (CHMP)

method validation EMEA/CHMP/EWP/192217/2009, 21 July 2011 Committee for Medicinal Products for Human Use (CHMP)
LEGISLAÇÃO ANVISA - RE nº 899, 29/05/03 INMETRO - DOQ-CGCRE-008 03/03
LEGISLAÇÃO
LEGISLAÇÃO

ANVISA - RE nº 899, 29/05/03 INMETRO - DOQ-CGCRE-008 03/03

LEGISLAÇÃO ANVISA - RE nº 899, 29/05/03 INMETRO - DOQ-CGCRE-008 03/03
LEGISLAÇÃO ANVISA - RE nº 899, 29/05/03 INMETRO - DOQ-CGCRE-008 03/03
estudos de validação sejam representativos variação da faixa de concentração adequada tipos de amostras
estudos de validação sejam representativos variação da faixa de concentração adequada tipos de amostras

estudos de validação sejam representativos variação da faixa de concentração adequada tipos de amostras adequados

OS PARÂMETROS ANALÍTICOS DEVEM SER BASEADOS NA INTENÇÃO DO USO DO MÉTODO

Tipo de análise Freqüência uso

DEVEM SER BASEADOS NA INTENÇÃO DO USO DO MÉTODO Tipo de análise Freqüência uso Parâmetros a

Parâmetros a serem analisados

DEVEM SER BASEADOS NA INTENÇÃO DO USO DO MÉTODO Tipo de análise Freqüência uso Parâmetros a
DEVEM SER BASEADOS NA INTENÇÃO DO USO DO MÉTODO Tipo de análise Freqüência uso Parâmetros a
QUANTIFICAÇÃO DO COMPOSTO DE INTERESSE • Padronização externa • Padronização interna • Superposição de
QUANTIFICAÇÃO DO COMPOSTO DE INTERESSE • Padronização externa • Padronização interna • Superposição de
QUANTIFICAÇÃO DO COMPOSTO DE INTERESSE
QUANTIFICAÇÃO DO COMPOSTO DE INTERESSE

Padronização externa

Padronização interna

Superposição de matriz

Adição de padrão

Padronização externa - substância na amostra - soluções de concentrações conhecidas (padrão referência) - Erros

Padronização externa

- substância na amostra - soluções de concentrações conhecidas (padrão referência)

- Erros de preparo das amostras - Erros de preparo padrão - Erros de leituras

conhecidas (padrão referência) - Erros de preparo das amostras - Erros de preparo padrão - Erros
conhecidas (padrão referência) - Erros de preparo das amostras - Erros de preparo padrão - Erros
Padronização externa

Padronização externa

Padronização externa
Padronização externa
Padronização interna - solução-padrão de concentração conhecida - adição de um padrão interno (concentração

Padronização interna

- solução-padrão de concentração conhecida

- adição de um padrão interno (concentração conhecida)

PADRÃO INTERNO IDEAL

de concentração conhecida - adição de um padrão interno (concentração conhecida) PADRÃO INTERNO IDEAL
Padrão interno ideal Puro, estável e não-reativo; Pouco volátil; Não deve estar presente na amostra;
Padrão interno ideal Puro, estável e não-reativo; Pouco volátil; Não deve estar presente na amostra;
Padrão interno ideal
Padrão interno ideal

Puro, estável e não-reativo;Padrão interno ideal Pouco volátil; Não deve estar presente na amostra; Completamente resolvido dos demais picos;

Pouco volátil;Padrão interno ideal Puro, estável e não-reativo; Não deve estar presente na amostra; Completamente resolvido dos

Não deve estar presente na amostra;interno ideal Puro, estável e não-reativo; Pouco volátil; Completamente resolvido dos demais picos; Deve eluir

Completamente resolvido dos demais picos;Pouco volátil; Não deve estar presente na amostra; Deve eluir próximo aos picos de interesse; Propriedades

Deve eluir próximo aos picos de interesse;na amostra; Completamente resolvido dos demais picos; Propriedades físico-químicas semelhantes aos compostos

Propriedades físico-químicas semelhantes aos compostos analisados.Não deve estar presente na amostra; Completamente resolvido dos demais picos; Deve eluir próximo aos picos

picos; Deve eluir próximo aos picos de interesse; Propriedades físico-químicas semelhantes aos compostos analisados.
Padronização interna

Padronização interna

Padronização interna
Padronização interna
Superposição de matriz - adição do padrão da substância em diversas concentrações em uma matriz

Superposição de matriz

- adição do padrão da substância em diversas concentrações em uma matriz similar à da amostra

- padronização interna - padronização externa

compensar o efeito da matriz ou de possíveis interferentes

matriz pode interferir na pré-concentração, extração, separação ou detecção da substância de interesse

melhor correspondência com a composição da amostra

extração, separação ou detecção da substância de interesse melhor correspondência com a composição da amostra
Superposição de matriz Electropherograms of human plasma spiked with 1.00 mg/mL of IMAT and 1.25
Superposição de matriz Electropherograms of human plasma spiked with 1.00 mg/mL of IMAT and 1.25
Superposição de matriz
Superposição de matriz
Superposição de matriz Electropherograms of human plasma spiked with 1.00 mg/mL of IMAT and 1.25 mg/mL

Electropherograms of human plasma spiked with 1.00 mg/mL of IMAT and 1.25 mg/mL of LID (IS) (A) and human blank plasma (B). (1) IMAT and (2) LID (IS). Electrophoretic conditions: uncoated fused-silica capillary, 46.5 cm total length, 38.0 cm effective length, 50 mm id, 30 kV of voltage, 351C capillary temperature, detection at 200 nm, hydrodynamic injection at a pressure of 50 mbar for 20 s.

at 200 nm, hydrodynamic injection at a pressure of 50 mbar for 20 s. Ajimura et

Ajimura et al., Electrophoresis 2011, 32, 1885–1892

Adição de padrão - adição de diferentes concentrações do analito à matriz, que já contém

Adição de padrão

-adição de diferentes concentrações do analito à matriz, que já contém uma quantidade desconhecida do mesmo

-a concentração do analito na matriz biológica é determinada pela extrapolação da reta, definida pelas demais concentrações analisadas

analito na matriz biológica é determinada pela extrapolação da reta, definida pelas demais concentrações analisadas
analito na matriz biológica é determinada pela extrapolação da reta, definida pelas demais concentrações analisadas
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos SELETIVIDADE Capacidade de avaliar, de forma inequívoca, a
dededede métodosmétodosmétodosmétodos SELETIVIDADE Capacidade de avaliar, de forma inequívoca, a

SELETIVIDADE

Capacidade de avaliar, de forma inequívoca, a substância de interesse na presença de componentes que possam interferir na análise.

Comparar matriz isenta da substância de interesse e matriz + padrão

matriz isenta da substância de interesse e matriz + padrão Uso de detectores que comparam o

Uso de detectores que comparam o pico obtido na separação com o de um padrão (arranjo de diodos, espectrômetro de massas)matriz isenta da substância de interesse e matriz + padrão Método da adição de um padrão

de um padrão (arranjo de diodos, espectrômetro de massas) Método da adição de um padrão Coleta

Método da adição de um padrão

Coleta do composto de interesse e posterior análise com métodos ou técnicas específicas

da adição de um padrão Coleta do composto de interesse e posterior análise com métodos ou
da adição de um padrão Coleta do composto de interesse e posterior análise com métodos ou
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos SELETIVIDADE A - Branco de plasma B – Plasma fortificado

SELETIVIDADE

dededede métodosmétodosmétodosmétodos SELETIVIDADE A - Branco de plasma B – Plasma fortificado com o padrão
dededede métodosmétodosmétodosmétodos SELETIVIDADE A - Branco de plasma B – Plasma fortificado com o padrão
dededede métodosmétodosmétodosmétodos SELETIVIDADE A - Branco de plasma B – Plasma fortificado com o padrão

A - Branco de plasma B – Plasma fortificado com o padrão

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos Aguiar et al., Electrophoresis 2011, 32, 2673–2682

Aguiar et al., Electrophoresis 2011, 32, 2673–2682

Aguiar et al., Electrophoresis 2011, 32, 2673–2682 SELETIVIDADE Chemical structures of isradipine (IRD) and

SELETIVIDADE

et al., Electrophoresis 2011, 32, 2673–2682 SELETIVIDADE Chemical structures of isradipine (IRD) and impurity D and

Chemical structures of isradipine (IRD) and impurity D and electropherogram obtained following the analysis of buffer (A); a standard solution containing racemic IRD and IRD impurity D (B)

obtained following the analysis of buffer (A); a standard solution containing racemic IRD and IRD impurity
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos LINEARIDADE Regressão linear (r) ANVISA = 0,99 INMETRO =

LINEARIDADE

Regressão linear (r)

ANVISA = 0,99

INMETRO = 0,90

Regressão linear (r) ANVISA = 0,99 INMETRO = 0,90 Corresponde à capacidade do método em fornecer
Regressão linear (r) ANVISA = 0,99 INMETRO = 0,90 Corresponde à capacidade do método em fornecer

Corresponde à capacidade do método em fornecer resultados diretamente proporcionais à concentração da substância em exame, dentro de uma determinada faixa de ã

ap

li

caç o.

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos LINEARIDADE Calculada pelo método dos mínimos quadrados
dededede métodosmétodosmétodosmétodos LINEARIDADE Calculada pelo método dos mínimos quadrados

LINEARIDADE

Calculada pelo método dos mínimos quadrados avaliando o coeficiente de correlação (regressão linear)

ICH e ANVISA mínimo 5 concentrações

IUPAC e FDA mínimo 6 concentrações

200 180 (S)-THD 2-SO (FE) (R)-THD 2-SO (FE) 160 140 Y = 0,79497 + 0,02321
200
180
(S)-THD 2-SO (FE)
(R)-THD 2-SO (FE)
160
140
Y = 0,79497 + 0,02321
X
120
r = 0,99783
100
80
Y = 0,3988 + 0,0288
X
r = 0,99818
60
40
20
0
0
1000
2000
3000
4000
5000
6000
7000
Altura 10 3 (mm)

Concentração plasmática (ng mL -1 )

10 3 (mm) Concentração plasmática (ng mL - 1 ) Gráfico de calibração para análise dos

Gráfico de calibração para análise dos enantiômeros da THD 2-SO no intervalo de concentrações plasmáticas de 25-5000 ng mL -1 , referente à linearidade

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos LINEARIDADE O coeficiente de correlação linear (r) é
dededede métodosmétodosmétodosmétodos LINEARIDADE O coeficiente de correlação linear (r) é

LINEARIDADE

O coeficiente de correlação linear (r) é freqüentemente usado para indicar o quanto pode ser considerada adequada a reta como modelo matemático

Como os desvios da linearidade são muitas vezes difíceis de serem detectados visualmente, pode-se verificar a sua adequação por meio do cálculo dos resíduos entre os valores medidos e os valores calculados a partir da equação de regressão

A dispersão das medidas (valores de y) deve ser independente da concentração do padrão de calibração, seguindo uma distribuição normal, propriedade conhecida como homoscedasticidade

Homoscedasticidade: igual (homo) dispersão (scedasticidade), isto é, igual variância

dispersão (scedasticidade), isto é, igual variância Heteroscedasticidade: forte dispersão dos dados em torno

Heteroscedasticidade: forte dispersão dos dados em torno de uma reta

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos LINEARIDADE
paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos LINEARIDADE

LINEARIDADE

paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos LINEARIDADE
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos LINEARIDADE Opções p ode ser estabelecido Fazer duas

LINEARIDADE

Opções

p ode ser estabelecido

LINEARIDADE Opções p ode ser estabelecido Fazer duas curvas analíticas com intervalos menores - um

Fazer duas curvas analíticas com intervalos menores -

um novo intervalo de trabalho

Empregar o modelo de regressão ponderado - maior importância para dados com baixa variância e menor importância para dados com alta variância

ponderado - maior importância para dados com baixa variância e menor importância para dados com alta
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos LINEARIDADE Residual plots for linearity of RAC in vitamin
dededede métodosmétodosmétodosmétodos LINEARIDADE Residual plots for linearity of RAC in vitamin
dededede métodosmétodosmétodosmétodos LINEARIDADE Residual plots for linearity of RAC in vitamin

LINEARIDADE

dededede métodosmétodosmétodosmétodos LINEARIDADE Residual plots for linearity of RAC in vitamin mineral

Residual plots for linearity of RAC in vitamin mineral complex (A) and in swine feed (B).

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO A precisão de um método analítico está

PRECISÃO

dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO A precisão de um método analítico está relacionada com a
dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO A precisão de um método analítico está relacionada com a

A precisão de um método analítico está relacionada com a dispersão das medidas ao redor do seu valor médio.

- desvio padrão absoluto (σσσσ), n>>>>20

- n geralmente é pequeno, e o que se calcula é a estimativa do desvio padrão absoluto (s).

se calcula é a estimativa do desvio padrão absoluto (s). estimativa do desvio padrão relativo ou

estimativa do desvio padrão relativo ou coeficiente de variação

calcula é a estimativa do desvio padrão absoluto (s). estimativa do desvio padrão relativo ou coeficiente
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO
paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO

PRECISÃO

paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO A precisão em validação de métodos é
dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO A precisão em validação de métodos é
dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO A precisão em validação de métodos é
dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO A precisão em validação de métodos é

PRECISÃO

A precisão em validação de métodos é considerada em três níveis diferentes:

de métodos é considerada em três níveis diferentes: Repetibilidade Precisão intermediária Reprodutibilidade

Repetibilidade

de métodos é considerada em três níveis diferentes: Repetibilidade Precisão intermediária Reprodutibilidade

Precisão intermediária

de métodos é considerada em três níveis diferentes: Repetibilidade Precisão intermediária Reprodutibilidade

Reprodutibilidade

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO Repetibilidade (precisão intra-corrida)
dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO Repetibilidade (precisão intra-corrida)
dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO Repetibilidade (precisão intra-corrida)
dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO Repetibilidade (precisão intra-corrida)
dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO Repetibilidade (precisão intra-corrida)

PRECISÃO

Repetibilidade (precisão intra-corrida)

concordância entre os resultados de medições sucessivas de um mesmo método, efetuadas sob as mesmas condições de medição (analista, instrumento e condições, local, curto intervalo de tempo)

- ANVISA

Mínimo de 9 determinações (ex: 3 níveis de concentração, 3 réplicas) ou 6 determinações de 1 concentração

- INMETRO

7 ou + repetições

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO Repetibilidade (precisão intra-corrida) RAC Day

PRECISÃO

dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO Repetibilidade (precisão intra-corrida) RAC Day VMC
dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO Repetibilidade (precisão intra-corrida) RAC Day VMC
dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO Repetibilidade (precisão intra-corrida) RAC Day VMC
dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO Repetibilidade (precisão intra-corrida) RAC Day VMC

Repetibilidade (precisão intra-corrida)

RAC Day VMC Swine Feed Nominal concentration (µµµµg mL -1 ) 120.0 150.0 180.0 9.6
RAC
Day
VMC
Swine Feed
Nominal concentration (µµµµg mL -1 )
120.0
150.0
180.0
9.6
12.0
14.4
Within-day (n a = 3)
Analyzed concentration (µµµµg mL -1 )
1
121.5
153.3
177.8
9.4
11.7
13.8
2
123.0
151.1
178.8
9.0
11.1
13.0
3
120.3
152.2
177.1
9.1
11.2
13.3
Precision (RSD, %) b
1
1.0
0.1
1.6
3.9
5.4
6.3
2
1.1
2.4
2.2
8.6
7.4
9.4
3
0.9
0.1
1.6
8.0
6.8
13.2

Accuracy (%)

1

100.2

102.2

98.8

97.6

97.9

96.1

2

100.8

100.8

99.3

93.8

92.1

90.2

3

100.3

101.5

98.4

94.2

93.0

92.5

Between-day (n = 3) Analyzed concentration (µµµµg mL -1 ) Precision (RSD, %) b Accuracy (%)

 

120.9

152.2

177.9

9.1

11.3

13.4

1.0

1.4

1.5

6.9

6.8

9.7

100.8

101.5

98.8

95.2

94.3

92.9

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO Precisão intermediária (precisão
dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO Precisão intermediária (precisão
dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO Precisão intermediária (precisão

PRECISÃO

Precisão intermediária (precisão inter-corridas)

indica o efeito das variações dentro do laboratório devido a eventos como diferentes dias ou diferentes analistas ou diferentes equipamentos ou uma combinação destes fatores

RAC

Day

VMC

Swine Feed

Nominal concentration (µµµµg mL -1 )

120.0

150.0

180.0

9.6

12.0

14.4

Within-day (n a = 3) Analyzed concentration (µµµµg mL -1 )

1

121.5

153.3

177.8

9.4

11.7

13.8

2

123.0

151.1

178.8

9.0

11.1

13.0

3

120.3

152.2

177.1

9.1

11.2

13.3

Precision (RSD, %) b

1

1.0

0.1

1.6

3.9

5.4

6.3

2

1.1

2.4

2.2

8.6

7.4

9.4

3

0.9

0.1

1.6

8.0

6.8

13.2

Accuracy (%)

1

100.2

102.2

98.8

97.6

97.9

96.1

2

100.8

100.8

99.3

93.8

92.1

90.2

3

100.3

101.5

98.4

94.2

93.0

92.5

Between-day (n = 3) Analyzed concentration (µµµµg mL -1 ) Precision (RSD, %) b 120.9
Between-day (n = 3)
Analyzed concentration (µµµµg mL -1 )
Precision (RSD, %) b
120.9
152.2
177.9
9.1
11.3
13.4
1.0
1.4
1.5
6.9
6.8
9.7
Accuracy (%)
100.8
101.5
98.8
95.2
94.3
92.9
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos PRECISÃO INMETRO - No mínimo 5 laboratórios

PRECISÃO

INMETRO - No mínimo 5 laboratórios

PRECISÃO INMETRO - No mínimo 5 laboratórios Reprodutibilidade (precisão inter-laboratorial) grau de
PRECISÃO INMETRO - No mínimo 5 laboratórios Reprodutibilidade (precisão inter-laboratorial) grau de

Reprodutibilidade (precisão inter-laboratorial)

grau de concordância entre os resultados das medições de uma mesma amostra, efetuada sob condições variadas (mudança de operador, local, equipamentos, etc.)

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO grau de concordância entre os resultados
dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO grau de concordância entre os resultados
dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO grau de concordância entre os resultados

EXATIDÃO

grau de concordância entre os resultados individuais encontrados em um determinado ensaio e um valor de referência aceito como verdadeiro

A exatidão de um método analítico é definida como a diferença

t

l

en re o va or o

btid

édi

o (m

l

d

a) e o va or ver

amostra

a

d

i

t

e ro presen e na

ANVISA, ICH

Mínimo de 9 determinações (ex: 3 níveis, 3 réplicas)

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO

EXATIDÃO

paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO
paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO Como avaliar exatidão: materiais de referência

EXATIDÃO

Como avaliar exatidão:

EXATIDÃO Como avaliar exatidão: materiais de referência comparação de métodos
EXATIDÃO Como avaliar exatidão: materiais de referência comparação de métodos

materiais de referência comparação de métodos ensaios de recuperação

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO MATERIAIS DE REFERÊNCIA CERTIFICADOS (CRM) Os CRM

EXATIDÃO

dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO MATERIAIS DE REFERÊNCIA CERTIFICADOS (CRM) Os CRM são
dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO MATERIAIS DE REFERÊNCIA CERTIFICADOS (CRM) Os CRM são

MATERIAIS DE REFERÊNCIA CERTIFICADOS (CRM)

Os CRM são materiais de referência acompanhados de um certificado que possui o valor de concentração de uma dada substância, ou outra grandeza para cada parâmetro e uma incerteza associada

NIST ("National Institute of Standards and Technology" - USA) LGC ("Laboratory of the Government Chemist" - UK) USP, FAPAS ("Food Analysis Performance Assessment Scheme" – UK)

of the Government Chemist" - UK) USP, FAPAS ("Food Analysis Performance Assessment Scheme" – UK)
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO MATERIAIS DE REFERÊNCIA CERTIFICADOS (CRM) Os
dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO MATERIAIS DE REFERÊNCIA CERTIFICADOS (CRM) Os
dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO MATERIAIS DE REFERÊNCIA CERTIFICADOS (CRM) Os

EXATIDÃO

MATERIAIS DE REFERÊNCIA CERTIFICADOS (CRM)

Os valores obtidos pelo laboratório (a média e a estimativa do desvio padrão de uma série de replicatas) da mesma amostra padrão devem ser comparados com os valores certificados do material de referência, para verificar a exatidão do método Cálculo: erro relativo (ER, %); teste de hipóteses; índice z, erro normalizado

Erro relativo (ER, %), exatidão (% bias)

erro relativo (ER, %); teste de hipóteses; índice z, erro normalizado Erro relativo (ER, %), exatidão
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos
EXATIDÃO
Parâmetros
(-)-(R)-IRD
(+)-(S)-IRD
Concentração Nominal (µg mL -1 )
50,00
100,00
150,00
50,00
100,00
150,00
Intra-dia (n a = 6)
Concentração analizada (µg mL -1 )
Precisão (CV, %) b
51,93
99,66
150,93
50,57
100,57
149,81
3,87
2,66
2,72
4,52
3,50
3,16
Exatidão (E %) c
,
3 86
,
-0 34
,
0 62
,
3 15
,
0 57
,
- 0 13
,
Inter-dia (n d = 2)
Concentração analizada (µg mL -1 )
Precisão (CV, %) b
Exatidão (E, %) c
51,97
98,39
151,32
50,72
99,97
151,33
3,46
4,60
1,65
2,99
2,87
1,42
3,95
-1,61
0,88
1,44
-0,03
0,89
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO COMPARAÇÃO DE MÉTODOS Consiste na comparação

EXATIDÃO

dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO COMPARAÇÃO DE MÉTODOS Consiste na comparação entre
dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO COMPARAÇÃO DE MÉTODOS Consiste na comparação entre
dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO COMPARAÇÃO DE MÉTODOS Consiste na comparação entre

COMPARAÇÃO DE MÉTODOS

Consiste na comparação entre resultados obtidos empregando-se o método em desenvolvimento e os resultados conseguidos através de um método de referência, avaliando o grau de proximidade entre os resultados obtidos pelos dois métodos, ou seja, o grau de exatidão do método testado em relação ao de referência

Esta abordagem assume que a incerteza do método de referência é conhecida

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO ENSAIOS DE RECUPERAÇÃO A recuperação (ou fator
dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO ENSAIOS DE RECUPERAÇÃO A recuperação (ou fator
dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO ENSAIOS DE RECUPERAÇÃO A recuperação (ou fator
dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO ENSAIOS DE RECUPERAÇÃO A recuperação (ou fator

EXATIDÃO

ENSAIOS DE RECUPERAÇÃO

A recuperação (ou fator de recuperação), R, é definida como a proporção da quantidade da substância de interesse, presente ou adicionada na porção analítica do material teste, que é extraída e passível de ser quantificada

-Padrões da substância adicionada à matriz isenta da substância ou à amostra (fortificação, incorporação, dopagem, enriquecimento, termos provenientes do inglês “spiking”)

-Limitação a substância adicionada não está na mesma forma que a presente na amostra

-Efeitos dos componentes da matriz devem ser investigados

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO Recuperação = concentração obtida X 100

EXATIDÃO

dededede métodosmétodosmétodosmétodos EXATIDÃO Recuperação = concentração obtida X 100 concentração

Recuperação = concentração obtida X 100 concentração real

RAC

Day

VMC

Swine Feed

Nominal concentration (µµµµg mL -1 )

120.0

150.0

180.0

9.6

12.0

14.4

Within-day (n a = 3) Analyzed concentration (µµµµg mL -1 )

1

121.5

153.3

177.8

9.4

11.7

13.8

2

123.0

151.1

178.8

9.0

11.1

13.0

3

120.3

152.2

177.1

9.1

11.2

13.3

Precision (RSD, %) b

1

1.0

0.1

1.6

3.9

5.4

6.3

2

1.1

2.4

2.2

8.6

7.4

9.4

3

0.9

0.1

1.6

8.0

6.8

13.2

Accuracy (%) 1 100.2 102.2 98.8 97.6 97.9 96.1 2 100.8 100.8 99.3 93.8 92.1
Accuracy (%)
1
100.2
102.2
98.8
97.6
97.9
96.1
2
100.8
100.8
99.3
93.8
92.1
90.2
3
100.3
101.5
98.4
94.2
93.0
92.5
Between-day (n = 3)
Analyzed concentration (µµµµg mL -1 )
Precision (RSD, %) b
120.9
152.2
177.9
9.1
11.3
13.4
1.0
1.4
1.5
6.9
6.8
9.7
Accuracy (%)
100.8
101.5
98.8
95.2
94.3
92.9
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE DETECÇÃO menor concentração da substância em

LIMITE DE DETECÇÃO

métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE DETECÇÃO menor concentração da substância em exame que pode ser

menor concentração da substância em exame que pode ser detectada, mas não necessariamente quantificada, utilizando um determinado procedimento experimental

Método Visual

Método Relação Sinal-Ruído

Método baseado em parâmetros da curva analítica

• Método Visual • Método Relação Sinal-Ruído • Método baseado em parâmetros da curva analítica
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE DETECÇÃO • Método visual matriz com adição

LIMITE DE DETECÇÃO

métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE DETECÇÃO • Método visual matriz com adição de concentrações
métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE DETECÇÃO • Método visual matriz com adição de concentrações

Método visual

matriz com adição de concentrações conhecidas da substância de interesse, de tal modo que se possa distinguir entre ruído e sinal analítico pela visualização da menor concentração visível

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE DETECÇÃO •• Método relação sinal-ruído
dededede métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE DETECÇÃO •• Método relação sinal-ruído
dededede métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE DETECÇÃO •• Método relação sinal-ruído

LIMITE DE DETECÇÃO •• Método relação sinal-ruído

- aplicado para métodos analíticos que mostram o ruído da linha de base

- comparação entre a medição dos sinais de amostras de baixas

concentrações conhecidas do composto de interesse na matriz e

um branco destas amostras

- concentração mínima na qual a substância pode ser facilmente detectada

Relação sinal-ruído 2:1 ou 3:1

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE DETECÇÃO • Método baseado em parâmetros da
dededede métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE DETECÇÃO • Método baseado em parâmetros da
dededede métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE DETECÇÃO • Método baseado em parâmetros da

LIMITE DE DETECÇÃO

Método baseado em parâmetros da curva analítica

• Método baseado em parâmetros da curva analítica s = estimativa do desvio padrão do coeficiente

s = estimativa do desvio padrão do coeficiente linear da equação S = coeficiente angular da curva analítica (slope)

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos
LIMITE DE QUANTIFICAÇÃO
Representa a menor concentração da substância em exame
que pode ser medida, utilizando um determinado
procedimento experimental
COMPROMISSO:
CONCENTRAÇÃO/PRECISÃO/EXATIDÃO
De acordo como método analítico e seu respectivo uso
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE QUANTIFICAÇÃO • Método Relação

LIMITE DE QUANTIFICAÇÃO

métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE QUANTIFICAÇÃO • Método Relação Sinal-Ruído • Método baseado em
métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE QUANTIFICAÇÃO • Método Relação Sinal-Ruído • Método baseado em

Método Relação Sinal-Ruído

Método baseado em parâmetros da curva analítica

Quintuplicata da menor concentração (precisão e exatidão)

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE QUANTIFICAÇÃO •• Método relação

LIMITE DE QUANTIFICAÇÃO

métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE QUANTIFICAÇÃO •• Método relação sinal-ruído - aplicado para
métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE QUANTIFICAÇÃO •• Método relação sinal-ruído - aplicado para

•• Método relação sinal-ruído

- aplicado para métodos analíticos que mostram o ruído da linha de base

-comparação entre a medição dos sinais de amostras de baixas concentrações conhecidas do composto de interesse na matriz e um branco destas amostras

Relação sinal-ruído

10:1

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE QUANTIFICAÇÃO •• Método baseado em
dededede métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE QUANTIFICAÇÃO •• Método baseado em
dededede métodosmétodosmétodosmétodos LIMITE DE QUANTIFICAÇÃO •• Método baseado em

LIMITE DE QUANTIFICAÇÃO

•• Método baseado em parâmetros da curva analítica

s = estimativa do desvio padrão do coeficiente linear da equação S = coeficiente angular da curva analítica (slope)

= estimativa do desvio padrão do coeficiente linear da equação S = coeficiente angular da curva
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos
LIMITE DE QUANTIFICAÇÃO
•• QUINTUPLICATA
Linearity, limits of detection and quantification of the methods for RAC in VMC and in swine feed
RAC
VMC
Swine Feed
Linear equation a
Correlation coefficient (r)
Range (µµµµg mL -1 )
y = 3921x + 11809
y = 33212x – 39725
0.9984
0.9979
90-210
6.5-14.4
1.44
0.85
F cal b
p value
RSD (%) c
0.27
0.54
2.9
3.9
LOD (µµµµg mL -1 )
1.0
2.0
LOQ (µµµµg
RSD (%) d
RE (%) e
mL -1 )
2.5
4.0
0.5
7.3
4.9
3.5
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos ROBUSTEZ que o método apresenta face a pequenas variações

ROBUSTEZ

que

o

método

apresenta

face

ROBUSTEZ que o método apresenta face a pequenas variações As mudanças introduzidas refletem as

a

pequenas variações

As mudanças introduzidas refletem as alterações que podem ocorrer quando um método é transportado para outros laboratórios, analistas ou equipamentos

Mede

a

sensibilidade

Método cromatográfico: proporção solvente orgânico, pH e força iônica, temperatura,

Mede a sensibilidade Método cromatográfico: proporção solvente orgânico, pH e força iônica, temperatura,
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos ROBUSTEZ são realizados oito ensaios com uma combinação

ROBUSTEZ

dededede métodosmétodosmétodosmétodos ROBUSTEZ são realizados oito ensaios com uma combinação fatorial

são realizados oito ensaios com uma combinação fatorial dos efeitos e verifica-se qual o efeito ou combinação de efeitos que apresentam variações.

permite não só avaliar a robustez do método, como também ordenar a influência de cada uma das variações nos resultados finais, indicando qual o tipo de influência de cada uma dessas variações

de cada uma das variações nos resultados finais, indicando qual o tipo de influência de cada
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos ROBUSTEZ César e Pianetti, vol. 45, n. 2, abr./jun., 2009

ROBUSTEZ

dededede métodosmétodosmétodosmétodos ROBUSTEZ César e Pianetti, vol. 45, n. 2, abr./jun., 2009 Brazilian
dededede métodosmétodosmétodosmétodos ROBUSTEZ César e Pianetti, vol. 45, n. 2, abr./jun., 2009 Brazilian

César e Pianetti,

vol. 45, n. 2, abr./jun., 2009

Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos ROBUSTEZ César e Pianetti, vol. 45, n. 2, abr./jun., 2009

ROBUSTEZ

dededede métodosmétodosmétodosmétodos ROBUSTEZ César e Pianetti, vol. 45, n. 2, abr./jun., 2009 Brazilian
dededede métodosmétodosmétodosmétodos ROBUSTEZ César e Pianetti, vol. 45, n. 2, abr./jun., 2009 Brazilian

César e Pianetti,

vol. 45, n. 2, abr./jun., 2009

Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

ROBUSTEZ César e Pianetti, Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences vol. 45, n. 2, abr./jun., 2009
ROBUSTEZ
César e Pianetti,
Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences
vol. 45, n. 2, abr./jun., 2009
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos ESTABILIDADE DOS PADRÕES E AMOSTRAS - Para gerar resultados

ESTABILIDADE DOS PADRÕES E AMOSTRAS

ESTABILIDADE DOS PADRÕES E AMOSTRAS - Para gerar resultados confiáveis e reprodutíveis, as

- Para gerar resultados confiáveis e reprodutíveis, as amostras, os padrões e reagentes usados devem ser estáveis por um período razoável

- Esta estabilidade é importante em termos de temperatura e tempo

- Embora a estabilidade de dias ou meses seja mais desejável, em alguns casos as soluções precisam ser preparadas antes de cada análise

de dias ou meses seja mais desejável, em alguns casos as soluções precisam ser preparadas antes
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

dededede métodosmétodosmétodosmétodos ESTABILIDADE DOS PADRÕES E AMOSTRAS Nominal concentration
dededede métodosmétodosmétodosmétodos ESTABILIDADE DOS PADRÕES E AMOSTRAS Nominal concentration

ESTABILIDADE DOS PADRÕES E AMOSTRAS

Nominal concentration (µg/mL)

IMAT

p-value b

RSD c (%)

Short-term room temperature a

0.50

0.57

10.50

5.00

0.60

8.54

Freeze-thaw cycles a

0.50

0.14

13.60

5.00

0.20

4.72

Long-term storage at -20 ºC a

0.50

0.76

8.33

5.00

0.32

8.76

Curta duração: 12 horas (temperatura ambiente) Longa duração: 1 semana (freezer) 3 Ciclos de congelamento e descongelamento

Ajimura et al., Electrophoresis 2011, 32, 1885–1892

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

REVALIDAÇÃO

dededede métodosmétodosmétodosmétodos REVALIDAÇÃO É a reavaliação de um método analítico validado em

É a reavaliação de um método analítico validado em resposta a uma mudança em algum aspecto do método

Situações:

Alterações de reagentes e equipamentos, por mudança de fornecedor, troca de componentes ou desgaste do equipamento pelo uso constante

Alteração na proposta e/ou nível de qualidade desejados

Uso apenas após um certo período de tempo

e/ou nível de qualidade desejados • Uso apenas após um certo período de tempo Pequenas variações

Pequenas variações - ROBUSTEZ

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara
ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara

ParâmetrosParâmetrosParâmetrosParâmetros analíticosanalíticosanalíticosanalíticos paraparaparapara validaçãovalidaçãovalidaçãovalidação dededede métodosmétodosmétodosmétodos

CONCLUSÕES

deve

ser

planejada

antes

de

CONCLUSÕES deve ser planejada antes de • Conceitos em constante evolução • Técnicas
CONCLUSÕES deve ser planejada antes de • Conceitos em constante evolução • Técnicas

Conceitos em constante evolução

Técnicas cromatográficas e eletroforéticas são alvos primordiais dos procedimentos de validação

Legislação: ANVISA e INMETRO

A

desenvolvimento e execução

Embora possa ser um processo trabalhoso, a qualidade dos resultados gerada é diretamente relacionada à qualidade do processo

seu

validação

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ANVISA - AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Genéricos- Legislação-Resolução-RE

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANVISA - AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Genéricos- Legislação-Resolução-RE no. 899, de 29 de maio de 2003. Disponível em http://www.anvisa.gov.br/legis/resol/2003/re/899-03.htm. Acesso em 14 de maio de 2008.

RIBANI, M.; BOTTOLI, C. B. G.; COLLINS, C. H.; JARDIM, I. C. S. F.; MELO, L. F. C. Validação em métodos cromatográficos e eletroforéticos. Quim. Nova, v. 27, p.771-780, 2004.

UNITED STATES PHARMACOPEIA. 31 th ed. Rockville: United States Pharmacopeial Convention, 2008.

Cassiano, N. M.; Barreiro, J. C.; Martins, L. R. R.; Oliveira, R. V.; Cass, Q. B. Validação em métodos cromatográficos para análises de pequenas moléculas em matrizes biológicas. Quimica nova, 32, 1021-1030, 2009.

cromatográficos para análises de pequenas moléculas em matrizes biológicas. Quimica nova, 32, 1021-1030, 2009.
cromatográficos para análises de pequenas moléculas em matrizes biológicas. Quimica nova, 32, 1021-1030, 2009.