Sei sulla pagina 1di 34
Aula de Hoje: Arendt Lijphart e os Modelos de Democracia Referências: LIJPHART, A. (2003). Modelos
Aula de Hoje: Arendt Lijphart e os Modelos de Democracia Referências: LIJPHART, A. (2003). Modelos
Aula de Hoje: Arendt Lijphart e os Modelos de Democracia Referências: LIJPHART, A. (2003). Modelos
Aula de Hoje: Arendt Lijphart e os Modelos de Democracia Referências: LIJPHART, A. (2003). Modelos
Aula de Hoje: Arendt Lijphart e os Modelos de Democracia Referências: LIJPHART, A. (2003). Modelos
Aula de Hoje: Arendt Lijphart e os Modelos de Democracia Referências: LIJPHART, A. (2003). Modelos
Aula de Hoje: Arendt Lijphart e os Modelos de Democracia Referências: LIJPHART, A. (2003). Modelos
Aula de Hoje: Arendt Lijphart e os Modelos de Democracia Referências: LIJPHART, A. (2003). Modelos

Aula de Hoje: Arendt Lijphart e os Modelos de Democracia

Referências:

LIJPHART, A. (2003). Modelos de democracia; desempenho e padrões de governo em 36 países.

Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Sumário: (1) Introdução geral: a proposta de modelos de democracia; (2) Revisão dos sistemas eleitorais;
Sumário: (1) Introdução geral: a proposta de modelos de democracia; (2) Revisão dos sistemas eleitorais;
Sumário: (1) Introdução geral: a proposta de modelos de democracia; (2) Revisão dos sistemas eleitorais;
Sumário: (1) Introdução geral: a proposta de modelos de democracia; (2) Revisão dos sistemas eleitorais;
Sumário: (1) Introdução geral: a proposta de modelos de democracia; (2) Revisão dos sistemas eleitorais;
Sumário: (1) Introdução geral: a proposta de modelos de democracia; (2) Revisão dos sistemas eleitorais;

Sumário:

(1) Introdução geral: a proposta de modelos de democracia;

(2) Revisão dos sistemas eleitorais;

(3) Sistemas partidários;

(4) Dimensão Executivo/Legislativo.

Dimensões/Variáveis

Modelo Majoritário

Modelo Consensual

I) Estado/Partidos

   

1) Sistemas partidários

-

Bipartidários;

- Pluripartidários;

2) Gabinetes

-

Gabinetes

- Recurso à coalizão;

 

monopartidários;

 

3) Executivo/Legislativo

-

Predomínio do

Equilíbrio entre os poderes;

-

 

Executivo;

4) Sistemas Eleitorais

- Majoritários;

Proporcionais ou Mistos;

-

 

5) Grupos de Interesse

- Pluralismo;

-

Coordenação

 

corporativista;

II) Federal/Unitário

   

6) Divisão de Poder

Governo unitário e centralizado;

-

Governo federal e descentralizado;

-

 

7) Parlamento/Congresso

-

Legislativo

-

Bicameralismo

 

unicameral;

“simétrico”;

8) Constituições

- Flexíveis;

-

Rígidas;

9) Controle de Constitucionalidade:

- É feito pelas

É feito por uma corte judiciária;

-

 

próprias legislaturas;

10) Banco Central:

-

Dependentes do

-

Independentes;

 

gabinete/Executivo;

 

Princípios do modelo majoritário majoritarismo “governo da maioria”. Quem ganha as eleições concentra o poder decisório.

Princípios do modelo consensual Dispersão e desconcentração do poder. Inclusão e representação das minorias. Decisões negociadas entre

Dimensões/Variáveis   Inglaterra   Nova Zelândia (antes de   1996) I) Estado/Partidos

Dimensões/Variáveis

 

Inglaterra

 

Nova Zelândia (antes de

 

1996)

I) Estado/Partidos

 

1) Sistemas partidários

-

Hegemonia dos dois partidos principais

-

Partido

(Trabalhista

e

Conservador)

e

Nacional e

disciplinados, apesar da força crescente do “liberal-democrata”;

Trabalhista;

-

Sistema

partidário

unidimensional

e

polarizado por questões econômicas;

2) Gabinetes

-

Geralmente é composto pelos membros

- Idem

do partido detentor da maior bancada na Casa Legislativa;

- Minorias são excluídas do governo;

 

Possibilidade remota de “gabinetes de coalizão” e “gabinetes de minoria”;

-

 

3) Executivo/Legislativo

-

Devido à coesão e disciplinas dos

- Idem;

partidos, o gabinete controla claramente o parlamento, sofrendo pouca resistência para aprovar sua agenda;

4) Sistemas Eleitorais

-

uninominal de pluralidade que gera

Idem; minoria Maori

-

grandes distorções (fenômeno das “maiorias fabricadas”) [cf. exemplos]

5) Grupos de Interesse

pluralismo competitivo com alto grau de confronto trabalhista;

-

-

Idem

 

Dimensões/Variáveis

Inglaterra

 

Nova Zelândia (antes de 1996)

II) Federal/Unitário

 
 

6) Divisão de Poder

-

- Idem;

Nação unitária e centralizada, onde os poderes locais são dependentes do central e não garantidos constitucionalmente;

 
     

7) Parlamento/Congresso

regime bicameral, mais assimétrico, com uma Câmara dos Lordes fraca;

-

- Unicameralismo

puro;

8) Constituições

Flexíveis e os dispositivos das leis básicas podem ser alteradas por maioria congressual;

-

Também não tem Constituição;

-

 
 

9) Controle de Constitucionalidade:

- Não existe Constituição escrita e nem

- Idem;

tribunal

de

controle

da

 
 

Constitucionalidade;

10) Banco Central:

- Inexiste autonomia; apenas foi concedida em 1997;

- Idem;

 

Obs.: Tentativas de introduzir a representação proporcional no Reino Unido, e aprovação do sistema misto na Nova Zelândia em 1996 podem afetar o funcionamento desse sistema.

Dimensões/Variáveis

Suíça

Bélgica (federativo após 1993)

Brasil??

Suíça Bélgica (federativo após 1993) Brasil?? - Tipo puro com apenas uma exceção; - Modelo a
Suíça Bélgica (federativo após 1993) Brasil?? - Tipo puro com apenas uma exceção; - Modelo a

- Tipo puro com apenas uma exceção;

após 1993) Brasil?? - Tipo puro com apenas uma exceção; - Modelo a ser estudado. presidencialismo,

- Modelo a ser estudado.

Tipo puro com apenas uma exceção; - Modelo a ser estudado. presidencialismo, nem parlamentarismo; vigora um
Tipo puro com apenas uma exceção; - Modelo a ser estudado. presidencialismo, nem parlamentarismo; vigora um
Tipo puro com apenas uma exceção; - Modelo a ser estudado. presidencialismo, nem parlamentarismo; vigora um

presidencialismo, nem

parlamentarismo; vigora um sistema de

colegiado com mandatos fixos;

Na Suíça governa o Conselho Federal,

composto por sete membros, que se alternam na chefia do governo; há um governo de coalizão, formado por três grandes partidos nacionais: Cristão Democrático; Social-Democrático; Radical

Democrático;

+ Nem

+

+ Monarquia parlamentarista;

+ Gabinetes de coalizão, incluindo grupos lingüísticos;

+ A Constituição Belga apresenta

um requisito formal para que o Executivo inclua representantes dos grandes grupos lingüísticos;

governo

presidencialista;

+ Governos de coalizão

combinando critérios partidários e regionais [cf. Abranches];

+

Sistema

de

I) Estado/Partidos

1) Formação do gabinete:

[partilha do Poder Executivo por coalizões]

do gabinete: [partilha do Poder Executivo por coalizões] 2) Executivo/Legislativo: [equilíbrio entre os poderes] -

2) Executivo/Legislativo:

[equilíbrio entre os poderes]

2) Executivo/Legislativo: [equilíbrio entre os poderes] - Predomínio do Executivo na produção legislativa e na

- Predomínio do Executivo na produção legislativa e na formação do gabinete;

-

Uso

de medidas

provisórias;

-

(1999);

Cf.

Argelina

e

Limongi

- (1999); Cf. Argelina e Limongi pluripartidário, fragmentado; + Partidos pouco coesos e

pluripartidário,

fragmentado; + Partidos pouco coesos e altas taxas de migração partidária;

+ Obs.: Polêmica;

+ Sistema

+

Sistema

eleitoral

proporcional

de

listas

abertas;

 

+

“corporativismo

de

estado”,

com

forte papel

do Estado;

de estado”, com forte papel do Estado; + Sistema de governo parlamentarista;  

+

Sistema

de

governo

parlamentarista;

 

+

Os

gabinetes

duram

pouco

são formados por

coalizões amplas e pouco coesas

[NB:

indicadores];

muito nos

tempo,

e

não

avança

indicadores]; muito nos tempo, e não avança + 12 partidos representados na Câmara Baixa, e 9

+ 12 partidos representados na

Câmara Baixa, e 9 deles com potencial de coalizão; + Clivagens religiosas, de classe e lingüísticas;

+ O sistema não é nem parlamentarista,

nem presidencialista. Existe o Conselho

Federal.

+ Como os mandatos são fixos e a

legislatura não pode emitir voto de censura ao gabinete, os dois poderes são mais independentes entre si, e as relações entre eles, equilibradas;

+ Sistema

partido majoritário ou hegemônico;

+ 200 cadeiras na Câmara baixa, com 15

partidos representados, das quais 162 são

ocupadas pelos 4 maiores partidos;

nenhum

multipartidário,

sem

pelos 4 maiores partidos; nenhum multipartidário, sem 3) Sistemas partidários: [pluripartidarismo = f

3) Sistemas partidários:

[pluripartidarismo = f (heterogeneidade + RP)]

[pluripartidarismo = f (heterogeneidade + RP)] 4) Sistemas Eleitorais: [representação proporcional]

4) Sistemas Eleitorais:

[representação

proporcional]

5) Grupos de Interesse [corporativismo]

proporcional] 5) Grupos de Interesse [corporativismo] + Sistema eleitoral proporcional; + “corporativismo
proporcional] 5) Grupos de Interesse [corporativismo] + Sistema eleitoral proporcional; + “corporativismo

+ Sistema eleitoral proporcional;

Interesse [corporativismo] + Sistema eleitoral proporcional; + “corporativismo liberal” com alto grau de poder das

+ “corporativismo liberal” com alto grau de

poder das associações patronais (do corporativismo “social”): concertação tripartite; grupos de interesse; associações de cúpula;

+ Sistema

de listas fechadas;

eleitoral

proporcional

+ Sistema de listas fechadas; eleitoral proporcional + “corporativismo liberal” com alto grau de poder das

+ “corporativismo liberal” com alto grau de poder das associações patronais;

fechadas; eleitoral proporcional + “corporativismo liberal” com alto grau de poder das associações patronais;
 

Dimensões/Variáveis

 

Suíça

 

Bélgica (federativo após 1993)

Brasil??

 

II)

 

Federal/Unitário

       

6)

 

Divisão de Poder:

 

+ Federação altamente descentralizada formada por vinte cantões e seis subcantões;

+/-

Tornou-se

uma

nação

+ Federação centralizada mas com papel importante dos governadores;

[governo federal e descentralizado]

federativa a partir

de 1993

combinando regiões geográficas e

   

comunidades culturais;

   
     

7)

 

Parlamento/Congresso:

+

Bicameralismo

forte

e

simétrico

+/- Bicameralismo forte e assimétrico, já que o Senado não tem poderes orçamentários;

- Bicameralismo forte com grande poder de veto;

 

[forte bicameralismo]

(Conselho Nacional

e

Conselho dos

Estados)

   
   

8)

Constituições:

 

+ Rígidas; emendas à Constituição têm de ser aprovadas por referendo na maioria dos cantões;

-

Rígidas; emendas à Constituição

- Rígidas;

emendas

à

 

[rigidez constitucional]

têm de ser aprovadas por 2/3 de

Constituição necessitam

ambas as casas;

 

de

quorum de

3/5

em

 
   

ambas as casas;

 

9)

Controle

de

-

A Suprema Corte Suíça (o Tribunal

+/- Na Bélgica apenas em 1984 foi introduzida a Nova Corte de Arbitragem;

+

O

STF

tem

essa

Constitucionalidade

Federal) não pode realizar revisão judicial;

prerrogativa

 

 

[revisão judicial]

 

Judicialização da política”

 

10) Banco Central:

+ O BACEN Suíço é um dos mais fortes e independentes do mundo;

O Banco Nacional da Bélgica era fraco e dependente do Executivo até meados dos 90’s;

-

-

BACEN ganhou

 

progressiva autonomia ao

 

longo dos 90’s;

 
Cap. 8) Sistemas eleitorais. 1.1) Introdução: Sete aspectos básicos dos sistemas eleitorais Tese: os SR
Cap. 8) Sistemas eleitorais. 1.1) Introdução: Sete aspectos básicos dos sistemas eleitorais Tese: os SR
Cap. 8) Sistemas eleitorais. 1.1) Introdução: Sete aspectos básicos dos sistemas eleitorais Tese: os SR
Cap. 8) Sistemas eleitorais. 1.1) Introdução: Sete aspectos básicos dos sistemas eleitorais Tese: os SR
Cap. 8) Sistemas eleitorais. 1.1) Introdução: Sete aspectos básicos dos sistemas eleitorais Tese: os SR
Cap. 8) Sistemas eleitorais. 1.1) Introdução: Sete aspectos básicos dos sistemas eleitorais Tese: os SR

Cap. 8) Sistemas eleitorais.

1.1) Introdução:

Sete aspectos básicos dos sistemas eleitorais

Tese: os SR são menos desproporcionais.

As fórmulas eleitorais das 36 democracias (p. 171)

Uma longa citação “A preferência dos defensores do modelo majoritário pelos sistemas bipartidários, assim, está
Uma longa citação “A preferência dos defensores do modelo majoritário pelos sistemas bipartidários, assim, está
Uma longa citação “A preferência dos defensores do modelo majoritário pelos sistemas bipartidários, assim, está
Uma longa citação “A preferência dos defensores do modelo majoritário pelos sistemas bipartidários, assim, está
Uma longa citação “A preferência dos defensores do modelo majoritário pelos sistemas bipartidários, assim, está
Uma longa citação “A preferência dos defensores do modelo majoritário pelos sistemas bipartidários, assim, está

Uma longa citação

“A preferência dos defensores do modelo majoritário pelos sistemas bipartidários, assim, está clara e logicamente ligada à sua preferência pelos gabinetes unipartidários poderosos e predominantes. Além disso, no capítulo 8, mostrarei uma forte ligação entre os sistemas partidários e os sistemas eleitorais, o que explica ainda mais a sólida preferência dos advogados do modelo majoritário pelo sistema de maioria simples, em lugar da representação proporcional, por causa de sua inclinação pelos partidos maiores e sua contribuição para o estabelecimento e a manutenção dos sistemas bipartidários. Entretanto, o fato de essa síndrome das características majoritárias realmente traduzir-se, ou não, por um processo decisório mais capaz e eficaz do que seu correspondente consensual é totalmente um outro assunto. Lowell afirma, simplesmente, que a força concentrada significa uma efetiva capacidade de tomar decisões. No capítulo 15 demonstrarei que essa certeza é, em grande parte, incorreta.” (p. 87).

1.2) Principais determinantes do N (partidos) que compõem sistemas partidários e do grau de desproporcionalidade
1.2) Principais determinantes do N (partidos) que compõem sistemas partidários e do grau de desproporcionalidade
1.2) Principais determinantes do N (partidos) que compõem sistemas partidários e do grau de desproporcionalidade
1.2) Principais determinantes do N (partidos) que compõem sistemas partidários e do grau de desproporcionalidade
1.2) Principais determinantes do N (partidos) que compõem sistemas partidários e do grau de desproporcionalidade
1.2) Principais determinantes do N (partidos) que compõem sistemas partidários e do grau de desproporcionalidade

1.2) Principais determinantes do N (partidos) que compõem sistemas partidários e do grau de desproporcionalidade dos sistemas políticos:

Fórmulas eleitorais: efeitos “mecânicos” (objetivos) e “psicológicos” (subjetivos sobre o eleitor) dos diferentes sistemas;

Magnitude dos distritos: magnitude => desproporcionalidade

Barreira eleitoral/”Cláusula de barreira”: barreira => N (partidos);

Dimensões do corpo eleito: N (eleitos) = N (partidos)

Sistemas de governo: Presidencialismo => N (partidos)

Distribuição geográfica dos distritos:

gerrymandering (majoritários); desigualdades regionais (proporcionais);

Coligações eleitorais: apparentement : coligações “fáceis” => desproporcionalidade e N (partidos)

1.3) Graus de desproporcionalidade: Desproporcionalidade = % votos - % cadeiras que os partidos obtém.
1.3) Graus de desproporcionalidade: Desproporcionalidade = % votos - % cadeiras que os partidos obtém.
1.3) Graus de desproporcionalidade: Desproporcionalidade = % votos - % cadeiras que os partidos obtém.
1.3) Graus de desproporcionalidade: Desproporcionalidade = % votos - % cadeiras que os partidos obtém.
1.3) Graus de desproporcionalidade: Desproporcionalidade = % votos - % cadeiras que os partidos obtém.
1.3) Graus de desproporcionalidade: Desproporcionalidade = % votos - % cadeiras que os partidos obtém.

1.3) Graus de desproporcionalidade:

Desproporcionalidade = % votos - % cadeiras que os partidos obtém.

Os graus/índices de desproporcionalidade nas 36 democracias (p. 187);

Análise dos graus de desproporcionalidade (p. 188)

1.4) Sistemas eleitorais e sistemas partidários As maiorias “fabricadas”; Correlação alta entre grau de
1.4) Sistemas eleitorais e sistemas partidários As maiorias “fabricadas”; Correlação alta entre grau de
1.4) Sistemas eleitorais e sistemas partidários As maiorias “fabricadas”; Correlação alta entre grau de
1.4) Sistemas eleitorais e sistemas partidários As maiorias “fabricadas”; Correlação alta entre grau de
1.4) Sistemas eleitorais e sistemas partidários As maiorias “fabricadas”; Correlação alta entre grau de
1.4) Sistemas eleitorais e sistemas partidários As maiorias “fabricadas”; Correlação alta entre grau de

1.4) Sistemas eleitorais e sistemas partidários

As maiorias “fabricadas”;

Correlação alta entre grau de desproporcionalidade e nº partidos efetivos;

Cap. 5) Sistemas partidários: padrões bipartidários e multipartidários: Critérios de contagem do número efetivo de
Cap. 5) Sistemas partidários: padrões bipartidários e multipartidários: Critérios de contagem do número efetivo de
Cap. 5) Sistemas partidários: padrões bipartidários e multipartidários: Critérios de contagem do número efetivo de
Cap. 5) Sistemas partidários: padrões bipartidários e multipartidários: Critérios de contagem do número efetivo de
Cap. 5) Sistemas partidários: padrões bipartidários e multipartidários: Critérios de contagem do número efetivo de
Cap. 5) Sistemas partidários: padrões bipartidários e multipartidários: Critérios de contagem do número efetivo de

Cap. 5) Sistemas partidários: padrões bipartidários e multipartidários:

Critérios de contagem do número efetivo de partidos; Número aproximado de partidos efetivos nas 36 democracias examinadas; Determinantes não institucionais do número de partidos => o grau de pluralismo do sistema partidário.

5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f
5.1) O número efetivo de partidos Critérios de contagem: Sartori => índice qualitativo = f

5.1) O número efetivo de partidos

Critérios de contagem:

Sartori => índice qualitativo = f (potencial de coalizão; potencial de veto); Markku Laakso & Rein Taagepera

(1979):

=> índice qualitativo = f (potencial de coalizão; potencial de veto); Markku Laakso & Rein Taagepera
5.2) Os sistemas partidários das 36 democracias
5.2) Os sistemas partidários das 36 democracias

5.2) Os sistemas partidários das 36 democracias

5.2) Os sistemas partidários das 36 democracias
5.2) Os sistemas partidários das 36 democracias
5.2) Os sistemas partidários das 36 democracias
Cap. 6) Gabinetes: concentração X partilha do poder Executivo: A extensão da participação dos representantes
Cap. 6) Gabinetes: concentração X partilha do poder Executivo: A extensão da participação dos representantes
Cap. 6) Gabinetes: concentração X partilha do poder Executivo: A extensão da participação dos representantes
Cap. 6) Gabinetes: concentração X partilha do poder Executivo: A extensão da participação dos representantes
Cap. 6) Gabinetes: concentração X partilha do poder Executivo: A extensão da participação dos representantes
Cap. 6) Gabinetes: concentração X partilha do poder Executivo: A extensão da participação dos representantes

Cap. 6) Gabinetes: concentração X partilha do poder Executivo:

A extensão da participação dos representantes do povo no ramo Executivo do governo como variável mais típica do contraste DM/DC;

Dois problemas centrais: a) modelos explicativos das coalizões; b) características dos gabinetes nas 36 democracias

6.1) Teoria das coalizões: Coalizão no parlamentarismo // do presidencialismo;
6.1) Teoria das coalizões: Coalizão no parlamentarismo // do presidencialismo;
6.1) Teoria das coalizões: Coalizão no parlamentarismo // do presidencialismo;
6.1) Teoria das coalizões: Coalizão no parlamentarismo // do presidencialismo;
6.1) Teoria das coalizões: Coalizão no parlamentarismo // do presidencialismo;
6.1) Teoria das coalizões: Coalizão no parlamentarismo // do presidencialismo;

6.1) Teoria das coalizões:

Coalizão no parlamentarismo // do presidencialismo;

6.2) Incentivos para a formação de gabinetes de minoria e de ampla maioria: GMV/Gabinetes Minimamente
6.2) Incentivos para a formação de gabinetes de minoria e de ampla maioria: GMV/Gabinetes Minimamente
6.2) Incentivos para a formação de gabinetes de minoria e de ampla maioria: GMV/Gabinetes Minimamente
6.2) Incentivos para a formação de gabinetes de minoria e de ampla maioria: GMV/Gabinetes Minimamente
6.2) Incentivos para a formação de gabinetes de minoria e de ampla maioria: GMV/Gabinetes Minimamente
6.2) Incentivos para a formação de gabinetes de minoria e de ampla maioria: GMV/Gabinetes Minimamente

6.2) Incentivos para a formação de gabinetes de minoria e de ampla maioria:

GMV/Gabinetes Minimamente Vitoriosos = mais de 50% mas se sair algum partido perde essa maioria; GS/Gabinetes Sobredimensionados = mais de 50% e mesmo se um partido sair da coalizão não perde a maioria; GM/Gabinete de Minoria = não são apoiado por uma maioria parlamentar

(115)

Características das coalizões: Tipo de gabinete Nº Partidos Base parlamentar de apoio Grau de Consenso

Características das coalizões:

Tipo de gabinete

Nº Partidos

Base parlamentar de apoio

Grau de Consenso

GS pluripartidários

N

> 1

N – 1 > 50%

Muito Alto

GS unipartidário

Não existe

Não existe

Não existe

GMV pluripartidário

N

> 1

N

> 50%

Alto

GM unipartidário

N

= 1

N

< 50%

Médio

GMV Unipartidário

N

= 1

N

> 50%

Baixo

Apêndice: as críticas a Lijphart. Acrescentar depois algumas críticas ao autor.
Apêndice: as críticas a Lijphart. Acrescentar depois algumas críticas ao autor.
Apêndice: as críticas a Lijphart. Acrescentar depois algumas críticas ao autor.
Apêndice: as críticas a Lijphart. Acrescentar depois algumas críticas ao autor.
Apêndice: as críticas a Lijphart. Acrescentar depois algumas críticas ao autor.
Apêndice: as críticas a Lijphart. Acrescentar depois algumas críticas ao autor.

Apêndice: as críticas a Lijphart.

Acrescentar depois algumas críticas ao autor.