Sei sulla pagina 1di 6
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA FACULDADE DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS LABORATÓRIO DE MEDIDAS FISICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA FACULDADE DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS LABORATÓRIO DE MEDIDAS FISICAS FENÔMENOS DE TRANSPORTE PROF.: DR. ANTÔNIO RODRIGUES

ANÁLISE DE DENSIDADE EM LIQUIDOS

LIVIA MARTINS DE MIRANDA

BELÉM,

ABRIL 2012

1. INTRODUÇÃO

A Amazônia apresenta inúmeras espécies nativas de plantas frutíferas que apresentam potencial econômico, tecnológico e nutricional, que vem despertando o interesse de estudos científicos em diversificadas áreas, tais como: alimentícia, farmacêutica, cosmética, aromatizante e essências. Neste contexto, encontra-se o tucumã (Astrocaryum vulgare Mart.) espécie pertencente à família da Arecaceae (Palmeiras), conhecida popularmente pelo nome de tucumanzeiro. [1] Os frutos servem para a alimentação humana e animais domésticos, dos quais o mesocarpo (polpa) é considerado uma fonte alimentícia altamente calórica, devido ao elevado conteúdo de lipídios, apresenta ainda quantidade expressiva do precursor da vitamina A, teores satisfatórios de fibra e vitamina E. O óleo considerado comestível, de cor amarela extraído do mesocarpo possui características organolépticas e nutritivas de alto valor para a indústria de alimentos e cosmética. [2] Uma emulsão é um sistema coloidal consistindo de dois líquidos imiscíveis, um dos quais está disperso no outro na forma de pequenas gotículas. As gotículas, que normalmente apresentam diâmetros entre 0,1 e 20 µm, possuem uma estabilidade mínima devida às forças elétricas e tal estabilidade pode ser incrementada pela adição de agentes emulsificantes. Com respeito ao sistema óleo-água, dois tipos de emulsão podem existir: uma emulsão água em óleo (água-óleo), na qual a água é a fase dispersa e o óleo é a fase contínua; ou uma emulsão óleo em água (óleo-água), na qual o óleo é a fase dispersa e a água é a fase contínua. Ambos os tipos são extensivamente utilizados em diversas aplicações. [3] A densidade é usada em muitas áreas para caracterizar determinadas propriedades de um produto ou material. Ela é uma propriedade física da matéria, assim como odor, cor, ponto de fusão e ponto de ebulição. A determinação da densidade é realizada segundo o princípio de Arquimedes (método de flutuação), que diz que um corpo imerso em um líquido aparentemente perde peso em quantidade igual ao peso do líquido que desloca. Esse método permite a determinação da densidade de substâncias sólidas, viscosas e pastosas, além de líquidas. [4] A densidade é uma propriedade física importante e pode ser utilizada para distinguir um material puro de um impuro (ou de ligas desse metal), pois a densidade dos materiais que não são puros (misturas) é uma função da sua composição. [5] A densidade dos líquidos pode ser determinada analogamente à densidade dos sólidos, medindo-se a sua massa e determinando-se o seu volume. Entretanto, no caso

dos líquidos, uma alteração relativamente pequena na temperatura pode afetar consideravelmente o valor da densidade, enquanto que a alteração de pressão tem que ser relativamente alta para que o valor da densidade seja afetado [6]. As densidades de soluções e de líquidos podem também ser medidas facilmente - sem cálculo, por meio de um aparelho chamado densímetro. O densímetro flutua no líquido quando seu peso é igual ao empuxo exercido pelo líquido. A densidade do líquido é indicada por meio da graduação na haste do equipamento, pelo valor da escala coincidente com a superfície do líquido. [3] A densidade apresenta variações periódicas com o número atômico, mas essas variações não são regulares, já que a relação entre as propriedades físicas e a configuração eletrônica não é direta [6]. Como é característica de cada substância, a densidade tem um importante papel nas indústrias de alimentos, tais como na determinação da densidade de óleos e leites, é possível, através dela, verificarmos se houve adulteração nos produtos com a adição de água e substâncias dissolvidas dentro das amostras (presença de contaminantes). A densidade para os triglicerídeos vai diminuindo conforme diminui o seu peso molecular e quanto mais alto for o seu grau de saturação, ou seja, gorduras sólidas (margarinas e etc.) possuem densidade maior do que óleos refinados, por exemplo. [7] Diante do exposto o seguinte relatório teve o objetivo determinar a densidade do óleo de palma e da água mediante diferentes temperaturas.

  • 2. MATERIAIS E MÉTODOS

2.1 MATERIAIS

Óleo de palma (bruto e refinado); Água;

Béckeres;

Densímetro;

Papel toalha;

Termômetro.

2.2 MÉTODOS Primeiramente foi medida a densidade da água em temperatura ambiente (aproximadamente 24,8°C) no equipamento densímetro. A água foi resfriada até temperatura de 8,3°C aproximadamente para, então, ser realizada novamente a medição de sua densidade. O óleo de palma no seu estado bruto foi medido duas vezes em temperaturas diferentes (27°C e 29°C) para encontrar os valores de densidade. Este mesmo procedimento foi realizado para o óleo de palma no seu estado refinado a temperaturas diferentes (47°C e 29°C). Foi realizada também a medição de densidade para uma emulsão (formada através de agitação), proporcional, de água + óleo a temperatura de 26,5°C.

  • 3. RESULTADOS E DISCUSSÃO

As medições de densidade a diferentes temperaturas para a água, óleo de palma

bruto e refinado e para a emulsão resultaram nos seguintes valores explicitados na Tabela 1:

Tabela 1: Valores de densidade para a água, óleo de palma e emulsão a diferentes temperaturas.

Temperatura

Densidade da

Densidade do

Densidade do

Densidade da

(°C)

água (g/cm²)

óleo em estado

óleo em estado

emulsão

 

bruto (g/cm²)

refinado (g/cm²)

(g/cm²)

24,8

1

-

-

-

8,3

1,012

-

-

-

26,5

-

-

-

0,994

  • 27 -

0,921

-

-

  • 29 -

0,912

0,912

-

  • 47 -

-

0,909

-

A através dos resultados obtidos para densidade, verifica-se que a água, quando resfriada, obtém valor de densidade maior. Entretanto, quando a uma temperatura maior, obtêm valor de densidade menor. Este fato pode ser explicado devido às moléculas ficarem mais aproximas umas das outras quando a temperatura é mais baixa e o espaço entre elas torna-se menor, logo, mais moléculas podem ser encontradas em um dado volume constante, aumentando a densidade. Outra explicação para a diminuição de densidade a temperaturas maiores é devido ao movimento cinético das moléculas que aumenta com o aumento de temperatura, em

consequência, mais intensa será a agitação entre as moléculas provocando um distanciamento entre elas ocasionando a diminuição da densidade. Foi observado também que a densidade dos dois tipos de óleo de palma é a mesma quando está a mesma temperatura. Este fato pode ser devido a alguma mudança na composição dos dois óleos, considerando que o óleo de palma refinado possui estado semi-sólido a temperatura ambiente ou em alguns casos com separação de fases se deve a sua composição peculiar de ácidos graxos com cerca de 50% de ácidos graxos saturados, 40% de mono-insaturados e 10% de poliinsaturados. A densidade da emulsão resultou em um valor entre os valores para água e para o óleo de palma. Nota-se também que a temperatura foi entre as temperaturas correspondentes para os mesmos. Isto é explicado devido o volume da fase dispersa, neste caso o óleo, quando em emulsões é menor favorecendo a formação de gotículas pequenas. Entretanto, a viscosidade de emulsões água e óleo é alta, levando à um equilíbrio de densidade entre as densidades da água e do óleo quando estão separados. Ressaltando que a mistura de água e óleo só ocorreu devido à ação mecânica (agitação e/ou homogeneização) dos mesmos. As polaridades distintas dos dois líquidos Não permite uma homogeneização sem uma força cinética. Quando uma molécula é polar ela tem polos positivos e/ou negativos, no caso da agua (H2O) o oxigênio concentra mais elétrons e vira o polo negativo, consequentemente, os hidrogênios viram positivos, atraindo somente os negativos. Quando a molécula é apolar como o óleo ela não tem esses polos, logo, não atrai as moléculas de água.

4. CONCLUSÃO

A partir dos resultados obtidos para a densidade dos líquidos verificou-se que a temperatura tem grande influência na densidade dos mesmos diminuindo a densidade quando há elevação de temperatura, assim como sua composição. Verificou-se também que a densidade da mistura óleo + água é distinta das densidades encontradas para cada líquido quando separado, alcançando um equilíbrio entre os dois valores.

4. REFERÊNCIAS

[1] BACELAR-LIMA, C. G.; MENDONÇA, M. S.; BARBOSA, T. C. T. S. Morfologia foral de uma população de tucumã, Astrocaryum aculeatum G. Mey. (Arecaceae) na Amazônia Central. Acta Amaz., v. 36, n. 4, p. 407-412, 2006.

[2] CLEMENT, C. R.; LLERAS, P. E.; VAN LEEUWEN, J. O potencial das palmeiras tropicais no Brasil: acertos e fracassos das últimas décadas. R. Bras. Agrociênc., v. 9, n. 1-2, p. 67-71, 2005.

[3] [www2.dbd.puc-rio.br/pergamum/tesesabertas/0511146_08_cap_02.pdf]

[4] Hawkes, S. J., “The Concept of Density”, J. Chem. Educ., 2004, 81: 14-15.

[5] Sienko, M.J.; Plane, R.A., “Experimental Chemistry”, 4th. edition, McGraw-Hill, New York, 1972, pp.31-35.

[6] Russel, J. B., “Química Geral”, Editora McGraw-Hill, São Paulo, 1981, pp.193-

194.

[7] MAPA, Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Lei nº 9.972, de 25 de maiode 2000, estabelece o Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade dos ÓleosVegetais Refinados; a Amostragem; os Procedimentos Complementares; e o Roteiro deClassificação de Óleos Vegetais Refinados, conforme os respectivos Anexos I, II, III eIV desta Instrução Normativa. Publicado no Diário Oficial da União de 26/12/2006, Seção 1, Página 140.