Sei sulla pagina 1di 9
VISCOSIDADE E REOLOGIA: NOÇÕES BÁSICAS 1 - INTRODUÇÃO de escoamento de um fluido ou seja

VISCOSIDADE E REOLOGIA: NOÇÕES BÁSICAS

1 - INTRODUÇÃO

de

escoamento de um fluido ou seja o atrito das camadas internas dentro do fluido que impõe resistência a fluir.

A reologia é o estudo do escoamento e deformação da matéria, ou seja a reologia é o estudo

do comportamento de fluidez. Os componentes dos fluidos podem apresentar diferentes

formas geométricas, características diversas de ligação, tamanhos variados, que lhe conferem comportamentos distintos.

Então devido a sua composição alguns produtos possuem uma única viscosidade a uma dada temperatura independente da força de cisalhamento e são denominados de fluidos Newtonianos, enquanto a maioria dos fluidos apresenta comportamento reológico mais complexo e a determinação da viscosidade não é um tópico simples.

Outros produtos apresentam um comportamento reológico bastante variado dependentes do tempo e ou visco-elástico.

Esses comportamentos são o tema central deste boletim.

Os dados reológicos nas indústrias são importantes para:

• Determinar a funcionalidade de ingredientes no desenvolvimento de produtos.

• Controle de qualidade do produto final ou intermediário.

• Determinação da vida de prateleira

• Avaliação da textura pela correlação com dados sensoriais.

• Cálculo de engenharia de processos englobando uma grande quantidade de equipamentos tais como agitadores, extrusoras, bombas, trocadores de calor tubulações ou homogeneizadores.

Existem vários instrumentos disponíveis para a realização das medidas de viscosidade e reologia, com princípio de funcionamento rotacional ou tubular. Os instrumentos rotacionais podem operar em cisalhamento estacionário (velocidade angular constante) ou dinâmico (oscilatório).

Os equipamentos comerciais mais simples fornecem curvas de escoamento (viscosidade), enquanto que instrumentos mais sofisticados fornecem comportamento reológico e também dão informações de visco-elasticidade do material. Todos os parâmetros, curva de escoamento, tendência reológica e visco-elasticidade, são importantes para a completa caracterização.

É importante observar que os comportamentos não são exclusivos, ou seja, um material pode apresentar pseudoplasticidade, tixotropia e visco-elasticidade.

A viscosidade

é

o

termo

comumente

conhecido

que

descreve

as

propriedades

1

2 - DEFINIÇÕES 2.1 Terminologias Existem alguns conceitos básicos e terminologias específicas que são usados

2 - DEFINIÇÕES

2.1 Terminologias

Existem alguns conceitos básicos e terminologias específicas que são usados em se tratando de medidas reológicas.

Fluxo: Quando se aplica uma força de cisalhamento em um líquido este origina uma deformação que se denomina fluxo.

Tensão de cisalhamento: quantidade de força (tensão) aplicada em uma determinada área do fluido. A força cisalhante aplicada em uma determinada área de um fluido em contato com um plano estacionário é a tensão de cisalhamento, matematicamente definida:

é a tensão de cisalhamento, matematicamente definida: Taxa de cisalhamento: é o gradiente de velocidade de

Taxa de cisalhamento: é o gradiente de velocidade de cisalhamento por uma determinada distância.

velocidade de cisalhamento por uma determinada distância. Exemplo de tensão e taxa de cisalhamento: Es palhar

Exemplo de tensão e taxa de cisalhamento: Espalhar margarina com uma espátula em um pão.

Ao espalhar a margarina com a espátula aplica-se uma força com a mão (tensão) e uma velocidade de espalhamento (dv). A altura da camada de margarina formada entre o pão e a espátula é a distância (dx).

Tensão de deformação inicial (Yield stress): A definição típica de dicionário para o verbo “Yield” é “abrir caminho por ação de uma força” que implica em uma abrupta e extrema mudança no comportamento em relação ao estado de menor resistência (descanso). Ou seja é como o próprio nome diz, a tensão mínima exigida para que um material comece a fluir.

A tensão de deformação é benéfica para evitar sedimentação ou sinerese ou para estabelecer a característica de um produto em cima de uma faca ou colher sem escorrer. Esse parâmetro será desfavorável se um produto tem que preencher cavidades através de escoamento do material. Com relação ao nivelamento, se a tensão de cisalhamento é muito alta, o produto exibe nivelação irregular. (Cunha, 1999)

Viscosidade: definindo matematicamente

é muito alta, o produto exibe nive lação irregular. (Cunha, 1999) Viscosidade: definindo matematicamente 2

2

2.2 – Comportamento de escoamento

2.2 – Comportamento de escoamento A) NEWTONIANO O fluido Newtoniano, ou um material classificado como

A)

NEWTONIANO

O

fluido Newtoniano, ou um material classificado como Newtoniano, é aquele cuja

viscosidade é igual, independente da taxa de cisalhamento na qual é medido, numa dada temperatura.

Ao medir a viscosidade de um material em diferentes velocidades num Viscosímetro rotacional, ou sob várias condições de pressão num Viscosímetro capilar e as viscosidades resultantes forem equivalentes, então o material é Newtoniano, sobre as condições de cisalhamento em que foi medido.

É possível para um material ter ambas viscosidades, Newtonianos e não-Newtonianos

quando medido em uma larga faixa de taxa de cisalhamento. Muitos fluidos são Newtonianos, como a água, solventes, soluções muito diluídas, óleos minerais e fluidos de silicone.

muito diluídas, óleos minerais e fluidos de silicone. B) NÃO-NEWTONIANO Os materiais não-Newtonianos

B)

NÃO-NEWTONIANO

Os

materiais não-Newtonianos podem ser classificados em 02 sub grupos:

Não-Newtoniano - independente de tempo

Não-Newtoniano - dependente de tempo

B1) INDEPENDENTE DE TEMPO

Fluidos pseudoplásticos (com ou sem tensão de deformação inicial): a viscosidade decresce com o aumento da taxa de cisalhamento. Isto é chamado de "cisalhamento fino". Ao efetuar

a leitura em um Viscosímetro, rotacionando de baixa para alta velocidade e voltar para a baixa e as leituras nas mesmas velocidades coincidirem, o material é considerado pseudoplástico independente de tempo e de cisalhamento fino.

Este parâmetro deve ser levado em consideração no desenvolvimento de produtos. Ex.:

maioria dos alimentos, tintas, emulsões

3

Fluidos dilatantes : a viscosidade aumenta com o aumento da taxa de cisalhamento. Se o
Fluidos dilatantes : a viscosidade aumenta com o aumento da taxa de cisalhamento. Se o

Fluidos dilatantes: a viscosidade aumenta com o aumento da taxa de cisalhamento. Se o material é medido de baixa para alta velocidade e a viscosidade aumenta com o aumento da

velocidade (gradiente de cisalhamento), o material é classificado como Dilatante. Este tipo

de comportamento é mais raro que a pseudoplasticidade, e observado em fluidos contendo

altos níveis de defloculantes como argilas, lama, amido de milho em água, ingrediente de balas.

lama, amido de milho em água, ingrediente de balas. Plásticos : este tipo de fluido comporta-se

Plásticos: este tipo de fluido comporta-se como sólido em condições estáticas ou de repouso e após aplicação de uma certa força começa a fluir. Esta força aplicada denomina-se tensão

de

deformação. Após começar a fluir o comportamento pode ser Newtoniano, pseudoplástico

ou

dilatante. Ex. Catchup

Plástico Bingham: se o material apresenta forças internas que o impeçam de fluir, até atingir

a tensão de deformação inicial e em seguida começa a fluir apresentando um comportamento newtoniano, ele é classificado como Plástico Bingham.

4

B2) DEPENDENTE DE TEMPO Alguns fluidos apresentam mudança na viscosidade em função do tempo sob
B2) DEPENDENTE DE TEMPO Alguns fluidos apresentam mudança na viscosidade em função do tempo sob

B2) DEPENDENTE DE TEMPO

Alguns fluidos apresentam mudança na viscosidade em função do tempo sob condições constantes de taxa de cisalhamento. Há 2 categorias a serem consideradas.

Tixotropia: podem ser mensuradas de 2 formas

Fluidos decrescem a viscosidade com o tempo enquanto são submetidos a um constante cisalhamento.

Medidas de viscosidade num curso de velocidade de alta para baixa e vice-versa, obtendo nas leituras ascendentes, valores diferentes dos obtidos nas leituras descendentes. O material é classificado como sendo tixotrópico e dependente do tempo.

dos obtidos nas leituras descendentes. O material é classificado como sendo tixotrópico e dependente do tempo.

5

Reopexia : Fluidos aumentam a viscosidade com o tempo a um cisalhamento constante. A tixotropia

Reopexia:

Fluidos aumentam a viscosidade com o tempo a um cisalhamento constante.

A tixotropia e a reopexia podem ocorrer em combinação com os comportamentos de escoamento.

em combinação com os comportamentos de escoamento. 3 - PROPRIEDADES DE VISCOELASTICIDADE Reologia inclui o

3 - PROPRIEDADES DE VISCOELASTICIDADE

Reologia inclui o estudo da deformação e recuperação de um material, que exibe características de sólido elástico e de líquido viscoso, ou seja, considerado viscoelástico. Podemos definir que as amostras viscoelásticas apresentam inicialmente comportamento sólido e posteriormente líquido.

Iniciamos a descrição desta propriedade diferenciando o comportamento de um sólido e de um líquido quando submetidos à tensão de cisalhamento.

Um sólido ideal, denominado de sólido de Hooke, submetido a uma tensão constante (força), sofrerá distensões em todas as direções e a quantidade de distensão é controlada pela quantidade de tensão. A distensão é mantida até que a tensão seja removida, a qual terá uma completa e instantânea recuperação quando a tensão é removida. O processo ocorre instantaneamente, portanto o tempo não é uma variável. (Rohn ,1995)

Em oposição a esse comportamento, um líquido ao ser submetido a uma tensão, deforma iniciando imediatamente o fluxo, não recuperando a forma inicial.

Um fluido ideal, Newtoniano, que não apresenta característica elástica inerente ou estrutura de gel, nem possui alta viscosidade, como a água ou óleo ao ser submetido a uma tensão constante escoará enquanto a tensão for mantida. Portanto, o estiramento do líquido é função de 2 variáveis: tensão e tempo. (Rohn ,1995)

As dispersões de polímeros, os sistemas multifásicos, materiais com tecidos estruturais e semi-sólidos tais como pastas e géis são viscoelásticos por apresentarem comportamento híbrido elástico e viscoso,

Ao aplicar uma tensão em um material viscoelástico, o seu componente sólido elástico distende instantaneamente na proporção da magnitude da tensão aplicada. A extensão da

6

distensão é referenciada como deformação angular (usualmente em frações de radiano) ou distensão angular (strain)

distensão é referenciada como deformação angular (usualmente em frações de radiano) ou distensão angular (strain) ou distensão em razão da tensão aplicada. Devido à imposição da tensão constante a amostra sofre distensão crescente (semelhante ao estiramento elástico).

Na fase inicial entre períodos de poucos segundos ou de muitos minutos, a amostra pode continuar a distender primeiramente em alta velocidade, mas vagarosamente ao longo do tempo.

Este período de tempo constitui a combinação entre a distensão elástica e deformação viscosa uma vez que os componentes com estrutura elástica da amostra alcançam a sua distensão de estiramento máximo, toda a subseqüente deformação é verdadeiramente viscosa e portanto não recuperável, da mesma forma que ocorre com o fluxo.

Os dados de viscoelasticidade podem ser úteis no entendimento de alguns processos como estabilidade de emulsões e extrusão. Também é uma ferramenta valiosa no desenvolvimento de produtos, pois fornece parâmetros que podem ser relacionados à estrutura do material.

Na indústria de alimentos o desenvolvimento de novos produtos demonstra a necessidade de ingredientes funcionais, em particular de macromoléculas formadoras de estrutura nos alimentos de baixas calorias, que apresentam função de espessante, geleificante, emulsificante ou ainda evitar a sinerese (exsudação espontânea).

A medida da viscoelasticidade pode ser feita por métodos estáticos e dinâmicos, porém

somente através de ensaios oscilatórios (dinâmicos), as propriedades podem ser medidas simultaneamente.

A resposta dinâmica de materiais viscoelásticos pode ser usada para dar informação sobre o aspecto estrutural de um sistema a nível molecular ou predizer o comportamento em escala macroscópica, desde que o ensaio seja feito dentro do intervalo de viscoelasticidade linear.

Os líquidos viscoelásticos freqüentemente contêm uma rede de moléculas tridimensional que se deformam elasticamente devido às grandes moléculas. Na deformação oscilatória de líquidos viscoelásticos, somente parte da energia aplicada é recuperada, porque uma parte da rede tridimensional tende a escoar sob tensão.

Redes mais resistentes à ruptura possuem maior componente elástico.

O armazenamento e perda de energia associados a elasticidade e à viscosidade do material,

respectivamente, podem ser ilustrados quando uma bola é batida no chão. Quanto menos elástico for o material da bola, mais baixa será a altura alcançada pela mesma. Um material viscoelástico responde como: Um sólido em intervalos de tempo curtos (alta freqüência) e um líquido em intervalos de tempo longos (baixa freqüência)

Para auxiliar o entendimento do conceito de reação a tensão constante, imagine retirando uma colherada de maionese do frasco e permanecendo dessa forma por um tempo. A maionese inicialmente “murchará” devido ao seu próprio peso ou mais precisamente devido a constante tensão da gravidade.

A intensidade dessa depressão inicial na maionese está correlacionada com a magnitude da

distensão elástica a qual pode ser vista no teste da deformação (creep).

A maionese ao permanecer por um determinado período nesse estado acaba escoando –

nivelamento da colherada sob contínua constante de tensão da gravidade.

7

MEDIDA DE VISCOELASTICIDADE Teste de deformação é uma técnica disponível apenas em reômetros com tensão
MEDIDA DE VISCOELASTICIDADE Teste de deformação é uma técnica disponível apenas em reômetros com tensão

MEDIDA DE VISCOELASTICIDADE Teste de deformação é uma técnica disponível apenas em reômetros com tensão de cisalhamento controlado, este parâmetro revela características sobre a natureza viscoelástica do material, informação não conseguida simplesmente com a medida de viscosidade ou tensão de deformação inicial.

Para realizar o teste de deformação aplica-se uma tensão baixa e constante sobre a amostra por um determinado período de tempo. A resposta da amostra à tensão aplicada, quanto à distância e velocidade com que se moveu em função do tempo é a propriedade de deformação de um material. Quando a deformação é pequena, ou é aplicada de forma muito lenta, os arranjos moleculares estão próximos ao equilíbrio. Nesse caso, a resposta mecânica é apenas uma reflexão dos processos dinâmicos a nível molecular que mudam constantemente e isso ocorre mesmo quando o sistema está em equilíbrio. Este é o domínio da viscoelasticidade linear. As magnitudes de tensão e deformação estão linearmente relacionadas e o comportamento de qualquer líquido é completamente descrito como uma simples função do tempo.

GEOMETRIA VANES (ALETAS) A última consideração sobre equipamento apropriado para medir materiais com tensão de deformação inicial deve-se levar em conta os fatores necessários para evitar depleção de parede ou artefatos falsos que freqüentemente aparecem em medidas com baixa taxa de cisalhamento em líquidos altamente estruturados.

A geometria mais largamente usada e adequada para medir a tensão de deformação com o propósito de eliminar o efeito de parede é a geometria de aletas (as aletas são utilizadas ao invés de um cilindro de uma polegada), com sua diversidade no número de aletas e aspectos de dimensão proporcional. Isto oferece a possibilidade de inserir aletas finas dentro de amostras em repouso ou armazenadas com um mínimo de distúrbio.

O uso de aletas em velocidade de rotação muito alta deve ser excluído devido à formação de

8

fluxo secundário que se desenvolve atrás das aletas. Análises teóricas desta geometria têm sido disseminadas

fluxo secundário que se desenvolve atrás das aletas.

Análises teóricas desta geometria têm sido disseminadas por vários pesquisadores que concluíram que para tensão de deformação / líquidos muito finos, a geometria de aleta atua como um cilindro circunscrito definido pela ponta das pás das aletas, com o material inserido no cilindro virtual, agindo essencialmente como um corpo sólido e o material fora sendo cisalhado no caminho normal. Isto assegura que o artefato falso é completamente sobreposto pela rotação.

9