Sei sulla pagina 1di 5
UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE ARQUITETURA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE ARQUITETURA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL

ANTIBIOGRAMA PELO MÉTODO DE KIRBY-BAUER

PALOMA DONDO TONELLO PEDRO RAFAEL DE BONA RODRIGUES

CUIABÁ-MT

2013

ROTEIRO PRÁTICO

1. INTRODUÇÃO

Em 1928, Alexander Fleming observou que um fungo contaminante de ambientes estava se desenvolvendo em uma placa de cultivo, deixada aberta por descuido, e que as colônias de estafilococos que cresciam ao redor desse fungo estavam sofrendo lise. Fleming corretamente deduziu que o fungo, posteriormente identificado como Penicillium notatum, produzia uma substância bacteriolítica que se difundia no meio de cultura e era capaz de matar os estafilococos. Este antibiótico desconhecido de Fleming foi mais tarde chamado de penicilina, anunciando um dos maiores adventos da era moderna: a era dos antibióticos (VERMELHO, 2006, p.

197).

Os antibióticos são substâncias antimicrobianas que possuem toxicidade seletiva, isto é, são capazes de atuar sobre alvos específicos na estrutura dos micro- organismos (VERMELHO, 2006, p. 202). Fleming associou suas descobertas e desenvolveu o primeiro método na tentativa de estudar a suscetibilidade microbiana aos antibióticos, dando início à prática do que hoje se denomina antibiograma ou teste de sensibilidade a antimicrobianos (VERMELHO, 2006, p. 198). Antibiogramas são testes com o objetivo de verificar a sensibilidade de determinado micro-organismo a vários antibióticos mediante comparação usando um padrão preestabelecido. Uma das funções mais importantes dos laboratórios de análises clínicas e laboratórios hospitalares são a de detectar por intermédio desses testes qual a sensibilidade/resistência do micro-organismo que está causando infecção diante de vários antibióticos, de modo a escolher o antimicrobiano mais adequado. Basicamente existem dois métodos para determinar a sensibilidade de uma bactéria aos agentes antimicrobianos: método da diluição em tubo e método da difusão em disco (VERMELHO, 2006, p. 198). Nesta prática de antibiograma o método utilizado fora apenas o método da difusão em disco, ou método de Kirby-Bauer. Este é amplamente utilizado como método-padrão para a realização dos antibiogramas. É tipicamente utilizado para

medir a eficácia de uma variedade de antibióticos sobre uma espécie de micro- organismo (VERMELHO, 2006, p. 199). No teste de Kirby-Bauer, uma série de antibióticos impregnados em pequenos discos circulares de papel são colocados sobre uma placa contendo meio de cultura crescido com a bactéria inoculada de forma homogênea, como se fosse um “tapete” sobre a superfície do meio. As placas são incubadas em temperatura e tempo adequados para permitir o crescimento da bactéria e também para que os antibióticos possam difundir-se no interior do aguar. Se um organsmo é suscetível a um antibiótico, uma zona clara aparece ao redor do disco, onde o crescimento do organismo foi inibido. O tamanho dessa zona de inibição depende da sensibilidade da bactéria a um antibiótico específico e da habilidade de difusão através do ágar do antibiótico contido no disco.

2. OBJETIVO GERAL

Verificar a ação de substâncias antimicrobianas no crescimento de bactérias, usando o método de Kirby-Bauer.

3. OBJETIVO ESPECÍFICO

Verificar a ação de substâncias antimicrobianas, em específico cefoxitina e tobramicina no crescimento de bactérias Escherichia coli, usando o método de Kirby- Bauer. Sendo este método padronizado e tipicamente utilizado para medir a eficácia de antibióticos, determinando a suscetibilidade do micro-organismo diante dos antibióticos, e assim fornecer orientação para a prescrição, na prática médica, da maioria dos antibióticos usados na terapia das infecções.

4. PROCEDIMENTOS

A amostra contendo em específico Escherichia coli foi disponibilizada pelo laboratório, e a partir desta foi retirado através de uma pipeta automática 0,1 mL, que foi transferido a 2 (duas) placas de Petri já contendo o meio de cultura (Ágar). Após transferência, fora necessário retirar a alça de Drigalsky emergida no álcool e realizar a flambagem, para assim homogeneizar a alíquota.

Após término da preparação das placas de Petri, foi necessário através de uma pinça, previamente flambada, retirar de um frasco o disco contendo o antibiótico, primeiramente o cefoxitina, e posteriormente o tobramicina. Estes antibióticos foram introduzidos cada um em uma placa de Petri, na parte centralizada da mesma. Assim, as placas de Petri foram levadas à incubadora, sendo incubadas à temperatura de 37 ºC, pelo período de 48 horas.

5. RESULTADOS E DISCUSSÕES

Tanto o antibiótico cefoxitina como o tobramicina possuem especificações previamente estabelecidas quanto aos halos registrados.

Tabela 1 Informações para interpretação do diâmetro da zona (halo) de inibição.

Agente

Diâmetro do halo (mm)

Antimicrobiano

Resistente

Intermediário

Sensível

Cefoxitina

≤ 14

15-17

≥ 18

Tobramicina

≤ 12

13-14

≥15

Fonte: Práticas de microbiologia, 2006.

Na análise das placas de Petri, primeiramente contendo o antibiótico cefoxitina foi registrado o diâmetro de 15 mm no halo, ou zona de inibição. Já no caso do antibiótico tobramicina fora registrado no halo, ou zona de inibição, o diâmetro de 13 mm. Assim, ao analisar a tabela 1, verificou-se que a bactéria Escherichia coli, em relação tanto ao cefoxitina como ao tobramicina, possui uma resistência intermediária, ou seja, não é resistente nem sensível. Após verificação, as placas de Petri foram devidamente descartadas.

6. CONCLUSÃO

A orientação fornecida pelo método de Kirby-Bauer permite que este avalie a maior ou menor eficácia de determinada droga contra um agente infeccioso, o que é

de grande valia, visto que diferentes espécies bacterianas podem mostrar diferentes níveis de sensibilidade a uma mesma droga. A formação de um halo transparente sobre a superfície do meio, ao redor de um disco de antibiótico, indica uma região com ausência de crescimento bacteriano, revelando a ação inibitória do agente antimicrobiano sobre a bactéria ensaiada. Com a cefoxitina e a tobramicina, observou-se que ambas apesar de não serem os antibióticos ideais para a Escherichia coli, ainda são capazes de proporcionar um halo transparente considerável, proporcionando assim uma eficiência notória para este tipo de bactéria.

7. REFERÊNCIAS

CASE, C. L.; FUNKE, B. R.; TORTORA, G. J. Microbiologia. 6ª ed. São Paulo:

ARTMED, 2000, 827p.

HARVEY, R. A.; CHAMPE, P. C. e FISHER, B. D. Microbiologia ilustrada, 2ª Ed., Editora Artmed, 2008.

VERMELHO, A. B.; COELHO, R. R. R.; PADRÓN, T. S. Práticas de microbiologia. São Paulo: Guanabara Koogan, 2006.