Sei sulla pagina 1di 9

Plinio Marcos Moreira da Rocha <pliniomarcosmr@gmail.

com>

RES: Projeto HAARP


Plinio Marcos Moreira da
Rocha 2 de setembro de 2009 15:09
<pliniomarcosmr@gmail.com>
Para: Adriano Benayon <abenayon@brturbo.com.br>
Prezado Adriano Benayon,

Apresento os comentários feitos por Marilda Conceição de Oliveira ,


http://protogenescontraacorrupcao.ning.com/profile/Marilda , na discussão Projeto HAARP a
nova tecnologia BÉLICA, http://protogenescontraacorrupcao.ning.com/profiles/blogs/projeto-
haarp-a-nova , consequência da divulgação das trocas de emails, recebida,


Prezado Plinio, realmente é muito preocupante " nova Ordem Mundial" está preparara à anos:
A capacidade de cientistas russos e americanos controlarem o clima e usarem esse controle como
armas de destruição maciça contra uma humanidade vulnerável Compreendendo o que realmente
é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente
O tenente-coronel Beardon analisa o armamento moderno dos EUA e o compara com a
capacidade escalar da Rússia:"Temos radares terrestres, interceptores endoatmosféricos,
interceptores exoatmosféricos, sensores aéreos, sensores colocados no espaço, interceptores de
propulsão química, pistolas eletromagnéticas, armas de feixe de partículas, lasers de alta energia,
amarrados todos juntos por sistemas maciços de controle e de comando... Sistemas maciços.
Maravilhas eletromagnéticas. Lasers nucleares de poder surpreendente. Talvez até lasers de
raios-X e de raios gama. Armas de radiofreqüência de energia dirigida. Railguns estupendos.
Sensores em toda a parte. Redes gigantes de comunicações. Bancos de computadores e sistemas
de controle."
"E tudo isso está vulnerável aos armamentos de interferômetro eletromagnético. 'Radares'
eletromagnéticos escalares gigantes podem simplesmente passar por Você já observou que desde
que os cientistas conseguiram decifrar o código genético, a humanidade foi afligida com uma
variedade de doenças mortais para quais não há cura? Da AIDS ao Ebola, a SARS, a Gripe
Aviária, os cientistas têm à sua disposição a capacidade singular de matar centenas de milhões de
pessoas, em um período de tempo muito curto. Um cientista russo advertiu alguns meses atrás
que um bilhão de pessoas podem morrer de Gripe Aviária. Adicionalmente, a SARS, sabemos
agora, é composta de elementos genéticos de vários animaistudo isso como uma foice pelo meio
do feno.Puclicado na revista Nexus Technonet é uma forma de protesto dos anos 90 pegando as
auto estradas da informação. Por exemplo, um grupo rapidamente crescente de homens e
mulheres por todas as partes do mundo está usando a Internet (iniciou-se com militares
americanos para transferência de informação e troca que nunca poderia haver interferência) para
chamar atenção para um projeto militar questionável no Alasca. Agora que estas pessoas estão
usando a Internet, mandando e mails, faxes, estão abrindo buracos na parede de sigilo do
Departamento de Defesa usando os próprios sistemas do governo. Uma parte do protesto
impresso em palavras começou quando Dennis Specht, um ativista anti nuclear então vivendo no
Alasca, enviou um item de notícias para a NEXUS sobre o tópico do HAARP-the High-
frequency Active Auroral Research Program (programa de Pesquisa da Atividade de Alta
Freqüência Auroral (/ - algo a ver com Aurora ou Aurora Boreal?). Então, um ativista político do
Alasca e pesquisador científico em Anchorage, Nick Begich, ligado pela rede a Patrick e Crystal
Flanagan, que se auto descrevem como ‘’tecnomonges” que vivem em Sedona, Arizona, e dito
que examinaram a mesma revista baseada na Austrália. Begich esta surpreso de ver um item
sobre sua cidade natal em NEXUS e imediatamente dirigiu-se para a biblioteca local para
‘’levantar’’ os documentos que eram citados no artigo. Aquela pesquisa conduziu aos artigos e a
um livro, Angels Don't Play this HAARP: Advances in Tesla Technology (Avanços na
Tecnologia de Tesla – Os Anjos Não Tocam Esta Harpa), que contém 230 páginas de informação
detalhada sobre o projeto invasivo. Este artigo contém somente os pontos mais relevantes. A
despeito da quantidade de pesquisas (350 notas de rodapé), em seu coração está a história sobre
pessoas comuns que causaram uma mudança extraordinária.
HAARP FERVE NA ATMOSFERA SUPERIOR - AARP atingirá a atmosfera superior com um
raio eletromagnético focalizado e endurecido. É um modelo avançado de ‘’aquecedor
ionosférico”. (a ionosfera é uma esfera eletricamente carregada que envolve a atmosfera superior
da Terra. Tem alcance entre 40 e 600 milhas acima da superfície da Terra .)
Em linguagem simples, o aparelho do HAARP é o inverso de um radio telescópio: antenas que
enviam sinais em lugar de recebê-los. HAARP está em fase de testes com uma tecnologia de
raios de ondas de rádio super poderosas que suspende áreas da ionosfera por meio da focalização
e aquecimento destas áreas. As ondas eletromagnéticas então retornam para a Terra e penetram
em tudo – vivo ou não. A publicidade dada ao projeto HAARP dá a impressão que este programa
é principalmente um projeto acadêmico com o objetivo de alterar a ionosfera com o objetivo de
melhorar as comunicações para nosso próprio benefício. Entretanto, há documentos militares que
mostram mais claramente tudo isto: HAARP tem como objetivo saber como ‘’explorar a
ionosfera para os propósitos do Departamento de Defesa”.
As publicações da imprensa e outras informações dos militares sobre o HAARP continuamente
dão a entender que isto pode ser. A publicidade de documentos insiste que o projeto HAARP não
é diferente de outros projetos de aquecimento da ionosfera que estão operando com segurança
através do mundo em lugares como Arecibo, Porto Rico; Tromsø, Noruega e na antiga União
Soviética. Entretanto, um documento do governo do ano de 1990 indica que a energia de rádio
freqüência (RF) conduzirá a ionosfera a apresentar atividades que não são naturais: "...nas mais
altas energias de HF disponíveis no Ocidente, as instabilidades comumente estudadas estão se
aproximando ao máximo da capacidade de dissipação da energia de RF, além do que os
processos do plasma ficarão sem controle até que um novo fator limitante seja encontrado’’.
Se os militares, em cooperação com a Universidade do Alasca, em Fairbanks, podem mostrar
que esta é uma nova tecnologia de solo baseada em "Star Wars" como parece, eles vencem. Os
militares tem um escudo de defesa relativamente barato e a universidade pode se bravatear sobre
esta manipulação geofísica , a mais dramática desde a explosão de bombas atômicas na
atmosfera. Depois de bem sucedidamente testadas, eles teriam megaprojetos militares do futuro e
enormes mercados para o gás natural do Aclive Norte do Alasca.
Portanto Plínio, é revoltante estes nossos governantes não cuidarem da Soberania Brasileira,
deixarem por conta das Ongs que estão espalhadas no Brasil, desde os anos 80 preparando o
terreno; agora entendo porque o Golbery dizia: toda a panela de pressão deve ter uma boa
válvula. Abraços Fraternos.


Abraços Fraternos,
Plínio Marcos

Adriano Benayon <abenayon@brturbo.com.br> 1 de setembro de 2009 09:30


Para: jose netto <jbmlnetto@gmail.com>
Caro José Netto,

Guardei estas tenebrosas informações. A realidade é para ser encarada.

Os espíritos do bem têm muito trabalho pela frente e urgente, se é que se considera que a
sobrevivência da humanidade (com seres humanos e não robôs hominídeos) vale a pena.

Muita força coletiva de pensamento e de ação é necessária.

Parabéns por divulgar a matéria.

Abraços,

Adriano Benayon

De: jose netto [mailto:jbmlnetto@gmail.com]


Enviada em: segunda-feira, 31 de agosto de 2009 15:08
Assunto: Projeto HAARP

Muito sinistro. Curioso é que o engenheiro e cientista Nikola Tesla, a quem se atribui a
idealização de todas as engenhocas elétricas que usamos atualmente, é praticamente ignorado na
esfera de influência do império anglo-saxão - que prefere incensar o Thomas Edson. Tesla é
retratado em um filme recente (2 ou 3 anos), O GRANDE TRUQUE, sobre disputa entre dois
mágicos londrinos da virada do século XIX, fazendo coisas impressionantes.

Sds
---------- Forwarded message ----------
Date: 2008/11/30
Subject: ENC: Projeto HAARP > capaz de criar uma super-arma eletromagnética que
promoveria modificações climáticas.]
Meus amigos. Se isto é real, tenho certeza de uma coisa. Estamos nas mãos de psicopatas.
---------- Forwarded message ----------

Enchente de Santa Catarina fenômeno da natureza ou provocado?


Vejam o que Jerry E. Smith diz em seu livro "Armas Eletromagnéticas (Projeto
HAARP)."
Livro Armas Eletromagnéticas (Projeto HAARP)
Autor: Jerry E. Smith Publicação: 01 / 07 / 2005 Edição: 1
Editora: Aleph ISBN: 8576570122 Páginas: 380
Sub-título: Seria o projeto HAARP a próxima ameaça mundial?
Idioma: Português
Jerry E. Smith começou escrever este livro com a intenção de separar a verdade
da ficção quanto às múltiplas e contraditórias afirmações sobre o que o HAARP
poderia ou não fazer. Rapidamente descobriu que o projeto era somente a ponta
e um iceberg muito mais perigoso. No fim, convence o leitor de que o HAARP
representa a fase final e mais extremada de uma ciência fora de controle; de que
poderia ser o artefato mais perigoso jamais criado pelo gênero humano; e de que a
próxima corrida armamentista já começou!
O que alguns técnicos e cientistas disseram sobre o Programa HAARP:
Patrick Flanagan. - Indicado ao Prêmio Nobel de Física:
"O HAARP me preocupa porque eu sei o que ele pode fazer, sei que o
HAARP pode controlar a mente humana."
"A ionosfera tem uma grande quantidade de energia, e existem cerca
de oitocentas tormentas elétricas que podem se descarregar a qualquer
momento sobre a terra. Existem milhões de ampères de eletricidade
em forma de raios e o HAARP pode criar um efeito disparador desse
sistema."
Adam Trombley. - Físico:
"Utilizando técnicas eletromagnéticas contra seres humanos, pode-se
causar doenças, histeria coletiva ou apatia, para controlar populações
inteiras."
"A guerra eletromagnética pode ser usada concomitantemente à
guerra ionosférica."
Brooks Agnew, Ph.D. Especialista em Física Topográfica:
"As vibrações de ondas ELF produzidas pelo HAARP são tão severas
que poderiam causar terremotos artificiais."
Seria o Projeto HAARP a próxima ameaça mundial?
O HAARP é um dos projetos mais controversos já empreendidos pelo governo dos
Estados Unidos. Oficialmente, trata-se de um complexo de antenas cuja finalidade
é promover estudos de caráter puramente científico. Mas muitos pesquisadores
questionam essa versão.
Por que um projeto não militar e voltado exclusivamente para a pesquisa
desenvolveria uma tecnologia que comprometeriam o meio ambiente global e até
mesmo de controlar mentalmente populações inteiras?
Por meio de uma linguagem clara e acessível, Smith explica de que forma o Projeto
HAARP pode ser utilizado como espantosa e terrível arma de destruição em massa,
revela um plano militar secreto e conduz o leitor por uma trilha de evidências que
levam a teorias de conspiração verdadeiramente assustadoras. O que aconteceria
se uma única nação dispusesse de uma arma capaz de destruir todos os satélites
inimigos em órbita da Terra de uma só vez?
Para começar, tal país melhoraria enormemente a capacidade de movimentar suas
forças militares sem que fossem percebidas. Essa vantagem seria incalculável caso
tal governo estivesse projetando um ataque surpresa a qualquer outro país do
planeta. E o que ocorreria se essa mesma arma fosse capaz de proteger uma parte
da Terra de quaisquer ameaças, por meio de um escudo impenetrável? Ataques ou
retaliações se tornariam impossíveis contra os detentores de tal engenhoca.
E o que poderia uma nação em guerra fazer com um equipamento que pudesse
redirecionar os ventos sem ser detectado? O clima poderia ser controlado sobre
continentes inteiros, causando inundações e secas conforme a operadora. Tal nação,
enfim, teria o controle do mundo.
Tais questões são apresentadas na obra Armas Eletromagnéticas – Seria o Projeto
HAARP a Próxima Ameaça Mundial? [2005], de Jerry E. Smith, que trata de
um dos programas mais controversos já empreendidos pelo governo dos Estados
Unidos.
Oficialmente, o Programa de Pesquisa de Ativação de Alta Freqüência Auroral
[High Frequency Active Auroral Research Program ou HAARP], situado no Alasca,
é a maior e mais poderosa instalação militar do Departamento de Defesa norte-
americano.
Trata-se de um complexo de antenas cuja finalidade oficial seria promover estudos
de caráter puramente científico. Segundo planos do governo, quando for completada
- a previsão é para 2007 -, será a maior estação transmissora de ondas de rádio de
todo o mundo, com um poder de irradiação efetivo de 3,6 bilhões de watts. Isso
é cerca de 72 mil vezes mais poderosa que a maior rádio comercial legalmente
autorizada dos EUA.
Sonegação de informações
Entretanto, tais transmissões não se destinam aos ouvidos humanos. O propósito
do HAARP é injetar toda essa freqüência em um único ponto localizado na região
superior da atmosfera, uma faixa denominada ionosfera. O governo norte-
americano, seus comandos militares, cientistas e acadêmicos afirmam que o projeto
é apenas uma instalação para pesquisas destinadas a aumentar nossa compreensão
sobre as camadas superiores da atmosfera. Porém, muitos pesquisadores questionam
essa versão e denunciam que o que os Estados Unidos pretendem mesmo é usar o
HAARP como uma arma, uma poderosíssima e imbatível arma.
Uma das principais questões levantadas por Smith para sustentar a tese conspiratória
é o motivo pelo qual um projeto não militar desenvolveria uma tecnologia capaz de
criar uma super arma eletromagnética, que promoveria modificações climáticas e
comprometeria todo o meio ambiente global. Com uma linguagem clara e acessível,
o autor de Armas Eletromagnéticas explica que o HAARP pode vir a ser utilizado
como espantosa e terrível engenharia de destruição em massa. Revela ainda um
plano militar secreto com finalidade bélica e conduz o leitor por uma trilha de
evidências que levam a teorias verdadeiramente assustadoras. Mesmo antes que
tal projeto começasse a efetuar seus primeiros testes, em 1995, estudiosos já
investigavam seu potencial de realização. Alguns acreditam que o HAARP seja o
protótipo de um sistema de armas similar ao Guerra nas Estrelas, antigo programa
militar que tinha em Ronald Reagan seu principal defensor.
Corporações de fachada
Outros afirmam que seria usado para controle climático, podendo provocar
catástrofes ambientais de proporções inimagináveis. Há cientistas que ainda
preconizam sua capacidade de influenciar o comportamento humano. Especulações
à parte, Smith começou a escrever esse livro com a intenção de separar a verdade
da ficção quanto às múltiplas e contraditórias afirmações sobre o que o HAARP
poderia ou não fazer, e rapidamente descobriu que o projeto era somente a ponta de
um iceberg muito mais perigoso. Apesar de os militares norte-americanos insistirem
que tal pesquisa é um simples projeto científico, muitos dos arquivos relacionados
ao programa HAARP estão em posse de corporações particulares, que não têm a
menor obrigação de partilhar seus segredos com o público em geral.
Tal artifício foi adotado para manter secreto alguns dos detalhes técnicos de suas
operações. "O HAARP representa a fase final e mais extrema de uma ciência fora
de controle, que pode ser o artefato mais perigoso jamais criado pelo ser humano,
numa indicação clara de que a próxima corrida armamentista do século XXI já
começou", diz Smith. Ele é um autor independente, ativista das liberdades civis há
mais de três décadas e atualmente vive no Estado do Nevada. Pesquisa e escreve
sobre geopolítica e tecnologias emergentes que ameacem nossa liberdade.
O Livro fala sobre arma de destruição em massa
"Estou convencido de que o HAARP tem o potencial para produzir um desastre
ecológico que se compararia ao derramamento de petróleo do Exxon Valdez, assim
como a detonação de uma bomba atômica se compararia aos fogos de artifício do
4 de Julho. Espero que você tenha chegado a uma conclusão semelhante. Quanto
mais pessoas alertarmos em relação a este perigo, tanto maiores serão nossas
possibilidades de impedir que ele se realize. Agora a bola está com você. Afinal de
contas, este é o seu planeta."
É assim que o autor Jerry E. Smith encerra o livro "Armas Eletromagnéticas: seria
o projeto HAARP a próxima ameaça mundial?", que acaba de ser lançado no Brasil
pela Editora Aleph.
O Cavaleiro do Cavalo Vermelho
Durante toda história humana tem havido inúmeras guerras, mas infelizmente, no
presente, a intensidade e a gravidade delas está se acelerando com incrível rapidez.
Só no século XX, já houve mais de duzentos conflitos armados de grande porte.
Além do mais, houve duas grandes guerras (1914 - 1918, 1939 - 1945), nas quais
se perderam respectivamente: na primeira dez milhões e na segunda cinqüenta e um
milhões de vidas humanas.
O cavalo é vermelho. No original grego é purrhos, e pode ser traduzido como cor de
fogo, ou como cor de sangue.
Seu cavaleiro traz consigo guerra e destruição. Mísseis nucleares começam a ser
acionados, viajam continentes e ao atingirem seus alvos, destroem povoados
inteiros, deixando um rastro de morte, destruição e contaminação radioativa por
meio de seus cogumelos radioativos. Arsenais atômicos serão acionados de locais
obscuros, debaixo da terra, de montanhas, de submarinos, de cima, das nuvens;
O profeta viu um artefato nuclear sendo detonado em Ap 8:8-11. Observe que o
cavaleiro que está montado nesse cavalo vermelho de guerra carrega uma grande
espada, não uma espada comum. Os estudiosos das Profecias, não tinham idéia,
antes da bomba atômica, do que essa passagem significava; entretanto, depois do
uso das bombas atômicas na Segunda Guerra Mundial, seguida pelos inúmeros
testes e pelo medo excessivo de um ataque nuclear russo, as pessoas
compreenderam muito bem que essa passagem poderia estar predizendo a guerra
nuclear dos últimos dias. Seria a grande espada a tecnologia HAARP?
Subitamente começo a entender melhor o sentido do aumentativo nesta passagem!
A espada na Bíblia é um instrumento de morte! o profeta viu o cavaleiro encima do
cavalo vermelho (no grego vermelho sangue) armado com uma grande espada!.
Jerry E. Smith em seu livro ARMAS ELETROMAGNÉTICAS ? Seria o Projeto
HAARP a Próxima ameaça Mundial? Faz o seguinte comentário:
A diferença entre uma corrente que pode ser usada para ativar, digamos, uma
máquina de costura e uma corrente usada como método de destruição, entretanto, é
uma questão de tempo.
Se a quantidade de eletricidade usada para ativar uma máquina de costura por uma
hora for liberada em um milésimo de segundo, teria um efeito muito diferente e
negativo na máquina de costura.
Tesla disse que seus transmissores eram capazes de produzir 100 milhões de volts
de pressão, com correntes de até 1.000 ampères, o que é um nível de potencia de
100 bilhões de watts. Se ele ressonasse numa freqüência de 2 MHz, então a energia
liberada durante um período de sua oscilação seria de 100.000.000.000.000.000
joules de energia ou, aproximadamente, a quantidade de energia liberada pela
explosão de 10 megatons de TNT. Um transmissor como esse poderia projetar a
energia de uma ogiva nuclear por ondas de rádio. Qualquer lugar do mundo poderia
ser vaporizado na velocidade da luz (pg 90-91).
Essa capacidade poderia certamente cumprir a profecia da grande espada! Combates
travados com explosões de proporções nucleares transmitidas por antena na
velocidade da luz, produziriam a guerra mais sangrenta, maciça e destrutiva que já
se viu ou sequer alguém imaginou!
O armamento HAARP pode atingir continentes inteiros com um enorme foco solar,
que queimaria furiosamente qualquer lugar da terra que atingisse. A física é exata,
toda essa energia está lá para ser utilizada. Se a energia elétrica da ionosfera
despencasse na Terra em um fluxo contínuo, tostaria completamente o local em que
tocasse a Terra. O mesmo ocorre no mar e nos oceanos.
Uma transmissão de HAARP poderia provocar terremotos profundamente abaixo
da superfície dos oceanos, produzindo ondas gigantes conhecidas como tsunanis,
que inundariam a maioria das ilhas. Uma combinação de atividades sísmicas e
ondas gigantes poderiam demolir todas as ilhas e nações-ilha deste planeta! O
Japão, por exemplo, está perfurado pelas mais incríveis linhas de falhas naturais
imagináveis, conforme se pode comprovar pelos diversos terremotos severos que já
sofreu recentemente.
Talvez agora temos a resposta para um questionamento intrigante! Lembra quando
os negociadores russos e americanos chegaram a um acordo sobre a destruição de
tantas ogivas e mísseis nucleares? Cada lado até mesmo permitiu que equipes de
inspeção supervisionassem a destruição das ogivas e mísseis do outro. O mundo
sentiu-se muito mais seguro. Acontece que as ogivas nucleares estão obsoletas!
Se ambos os lados podem criar explosões nucleares da mesma magnitude de uma
bomba atômica, porém sem irradiação, por meio de torres de rádio do tipo HAARP,
os mísseis com ogivas nucleares não serão mais necessários. Como você se defende
de um ataque de magnitude nuclear que está sendo iniciado por ondas de rádio
ELF silenciosas e invisíveis geradas a partir do território inimigo, que sobem até a
ionosfera e depois são refletidas para o seu território para criar a explosão?
O HAARP pode criar explosões da mesma magnitude de uma bomba nuclear, mas
sem radiação. Esse processo está protegido pela Patente dos Estados Unidos nº
4.873.928! Isso pode ser o fim de toda e qualquer estratégia de defesa contra ataques
inimigos nos próximos anos!
O mundo entrou em uma era de guerra totalmente nova, e poucos se dão conta
disso. Nunca se concebeu nem se imaginou algo assim. Na verdade, a infantaria está
completamente obsoleta nas próximas guerras!
Sobre o autor:
Jerry E. Smith é um autor independente, editor e ativista pelas liberdades civis há
mais de três décadas. Freqüentemente convidado a proferir palestras e a conceder
entrevistas no rádio e na televisão, apresentou-se em mais de cem programas,
muitos dos quais foram difundidos por todo o mundo via Internet. Seus
compromissos como conferencista o levaram a viajar por metade do mundo.