Sei sulla pagina 1di 7

Edição # 7,Dezembro de 2003, São Paulo.

Paulo (1)

VOCIS
Temas:
*Zona do Zé*
Contos
Reflexão


“Vejamos: o presente da vovó, o carro do papai, volta no mundo à meia-noite. Dorf voltou aflito,



o vestido da mamãe, a tartaruga dos priminhos... anunciando que um novo e-mail dos Silva tinha


Ótimo, tudo o que Zezinho pediu está aqui. Dorf, acabado de chegar: “Quero o melhor presente do



por favor, coloque tudo na sacola de número 21 e mundo para o meu irmão mais velho”. O sábio



leve-a para o trenó, porque está chegando a hora velhinho tranqüilizou Dorf imediatamente: “Ho,


de presentear as famílias Silva”. Papai Noel olhou


Ho, Ho. Dorf, por favor, separe mais um


para seu relógio, e verificou que se multiplicasse o VOCIS!!!”



tempo pelo espaço, e elevasse tudo à potência 10-15,
então ele ainda tinha tempo de sobra para dar a AACD

MENSAGEM DO “CORAÇÃO”
REFLEXÃO

Duendes e Anões

Talvez a festa mais esperada durante todo o ano seja o Natal,


tempo de paz, alegria, compaixão e felicidade nos corações de todos
os que o comemoram. Tempo também de relembrar tradições e mitos
como a lenda do Papai Noel, suas renas e duendes que trabalham o
Papai Noel
ano inteiro em sua fábrica de brinquedos no pólo norte, para em um
único dia entregar o fruto de seu esforço. É uma lenda muito bela,

mas poucos de nós paramos para refletir sobre os seres pequeninos uma enorme carência afetiva,

que fazem tudo isso acontecer, que efetivamente trabalham e que resultado de preconceito, gostos e

fazem a alegria das crianças no mundo, são estes os duendes e anões. incompatibilidade anatômica.

Na minha opinião particular, duendes não existem, Os anões, são gente como a gente.

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

são apenas anões que se fantasiam de modo a Trabalham duro no que podem trabalhar apesar das

conseguir um emprego fixo, que é muito raro e difícil piadas de mau gosto por parte dos grandões. Procuram

para a comunidade anã nos dias de hoje. Seu se manter sempre muito asseados e higienizados,

“handicap” físico não os permite fazer qualquer tipo mesmo com a dificuldade por braços curtos. E indo

de atividade devido à sua altura reduzida, braços e ainda mais longe, os anões também amam, querem

pernas curtas além de uma grande cabeça com uma ser amados com carinho, afeto, e ter prazer como nós.

testa protuberante. Sensibilizado com essas palavras ou não, eu insisto,



Rumores existem sobre um parentesco próximo adote um anão neste natal, o vista, o alimente e lhe

entre os duendes que trabalham com o Papai Noel e compre um brinquedo. Faça feliz quem faz feliz o seu

os Umpa Lumpas que trabalham na Fantástica Fábrica natal todos os anos!


de Chocolates, o que eu humildemente concordo, Feliz Natal! E Próspero Ano Novo!



baseando-se no fenótipo, emprego e capacidade



motora dos pequenos em questão.


Contudo, o jeito desengonçado e “bonachão” dos


Paizão

anões, nos cativa e faz rir, levando alegria e diversão


para o restante da população. Esta, que nunca parou



para pensar sobre a dura vida desses engraçados seres,


suas condições de trabalho, sonhos e anseios, além de



Site: www.vocis.kit.net E-mail: vocis@uol.com.br


Edição # 7, Dezembro de 2003, São Paulo. (2)
cochilo. Seu cochilo foi interrompido por um grito



CONTO desconhecido: “O seu amigo secreto é a


Clarissaaaaaaa”. Em menos de 5 segundos Zazu sentiu



o seu corpo balançar forte, e seu coração batendo em
Quebra-cabeça


ritmo acelerado. De repente, uma luz forte machucou


seus olhos, mas de repente outra imagem veio aos



Zini olhos de Zazu. Ela se encantou com o que viu...


- “O meu amigo secreto é uma menina loira muito



bonita, que sabe ler sem mesmo ter chegado à primeira


série”. Em dois tempos Clarissa alcançou o tio, ansiosa



para receber o seu presente, que tinha forma de caixa Zini


de sapato. “Está aqui, espero que você goste. Cuide



muito bem dele”. Enquanto desfazia o embrulho, ela


o chacoalhava e calculava: “O tamanho é o mesmo do



de uma caixa de sapatos, mas tomara que seja uma


Barbie...” Ela abriu e se encantou com o que tinha


AACD
ganhado...
Marcelo era um rapaz com pouco mais de 30 anos
de idade. Ele vivia sozinho, mas costumava passar o
dia na casa dos amigos ou de sua irmã, mimando a
sua sobrinha. No Natal, sempre distribuía presentes e
bons votos. Para os Ranji, tinha levado uma bela peça
de decoração. Porém, os amigos nem sempre estavam
preparados para dar-lhe um presente também. Foi o
que aconteceu com os Ranji... Os Ranji sempre
passavam as férias na fazenda. Eles não gostavam de
grandes badalações, e preferiam se afastar de tudo e
de todos. A única pessoa de quem eles não podiam se
afastar era Marcelo, que os perseguia onde quer que
fossem. Os Ranji, certamente, eram os que mais torciam Noite Belem
para que ele se casasse logo. Nesse Natal, Marcelo foi
atrás deles até na fazenda, surpreendendo-os. Eles
tiveram que improvisar um presente para ele...
A fazenda era um lugar muito agradável. Além da
casa maior, havia também a modesta casa dos caseiros,
que cuidavam dos animais, dentre cavalos, galinhas,
porcos, tartarugas, pássaros, e muitos outros. O caseiro
cuidava dos animais como se fossem seus, por isso
seu coração ficou partido ao ouvir o novo pedido dos
Ranji... Era uma vez um casal de tartarugas que levava
uma vida pacata, respeitando o espaço dos outros e
tendo o seu espaço respeitado. Não faltava comida,
nem trabalho, nem descanso. No último mês, a família Árvore de Natal
cresceu. A alegria foi muito grande, mas por pouco
tempo, até descobrirem que o destino lhes havia
pregado uma peça: a caçula teria que deixá-los...
Zazu era pequenina, mas já tinha história para
contar. A maior delas, certamente, é também a mais
recente. Ela comia tranqüilamente uma folha de alface
quando o caseiro a carregou e a levou para longe de
seus pais, que assistiam tudo sem poder intervir.
Rapidamente, eles tinham chegado à casa dos Ranji.
Percebeu um rosto desconhecido, e se escondeu dentro
do casco, com medo. Percebeu que era carregada de
Elementos
um lado para o outro, mas não compreendia o porquê.
Depois de um tempo, tudo havia se acalmado. Tudo
estava preto, e silencioso. Cansada, ela tirou um
Site: www.vocis.kit.net E-mail: vocis@uol.com.br
Edição # 7,Dezembro de 2003, São Paulo. (3)
Consumir ...consumir... freneticamente, para que, para



REFLEXÃO quem? Que eu me lembre, o verdadeiro espírito de


Natal não tem nada a ver com isso. Natal não tem nada



O verdadeiro espírito de Natal! a ver com isso. Natal é um momento de solidariedade,


de união e para isso não se necessita presentear Deus



Por onde anda o verdadeiro espírito de Natal? e o mundo e muito menos se sentir na obrigação de


Nestes últimos dois dias tenho me perguntado isto. fazê-lo. Natal é um momento de paz e a harmonia



Ontem, depois de uma semana louca de trabalho, me entre as pessoas, as famílias, os povos... e a harmonia


vi exausta cumprindo com uma obrigação – a de não é conquistada desta maneira. Natal é um momento



comprar presentes para um montão de pessoas – em de amor, e o amor verdadeiro não é comprado, é


um ritual desumano. Entrei em lojas repletas de gente, gratuito.



que brigavam por mercadorias, enfrentei absurdas filas Será que não está na hora de resgatar o verdadeiro


de caixas, comprei o que encontrava pela frente...sem espírito de Natal e em lugar de dar presentes, amar



nem me perguntar se realmente aquilo agradaria ou mais ao próximo, ser mais solidário com os demais,


não o destinatário. Hoje repeti a mesma odisséia, viver mais em paz consigo mesmo, com a família, com


os amigos, ajudar a comunidade, fazer algo pela paz


estacionando o carro a quilômetros do shopping,


enfrentando chuva para chegar até lá e mais uma vez mundial....



correndo atrás de presentes e presentes. Depois gastei


horas, fazendo pacotes, etiquetando embalagens, e
Kathia Maria Costa Neiva


listando os presentes comprados pois, corro o risco de



esquecer alguém ou até comprar em dobro.

E agora estou aqui me perguntando “O que significa ○

tudo isto?” “É este o verdadeiro espírito do Natal?”.



AACD

Noite de Natal

Boas Festas

Magia Natal

Festividade Símbolo do Natal

Site: www.vocis.kit.net E-mail: vocis@uol.com.br


Edição # 7, Dezembro de 2003, São Paulo. (4)
e começa a agitar os semi-bêbados para a troca de



ZONA DO ZÉ presentes (momento que todos realmente esperam e


vão para a casa logo depois). Um vizinho bêbado dá



a idéia de falar sobre a pessoa que o presente designa,


Natal em família. em vez de dizer apenas os nomes. Péssima idéia! Um


pega um presente e fala: “Este me deve R$4000 desde



Foks Kiko o ano passado”, outro fala “este roubou minha


Mês de dezembro, verão na área, e férias... Não namorada”... briga vai, briga vem, depois de altas



para todos, mas os feriados até que salvam os discussões, tudo volta ao normal com o whisky


trabalhadores dessa época, principalmente o Natal. importado.



Zezinho não é trabalhador e tem quatro meses de férias Troca vai, troca vem, sempre tem um rejeitado da


por ano, mas mesmo assim o Natal para ele é algo família que fica com menos presentes, todos reparam



“especial”. É nesta data que ele pode encontrar toda a mas ninguém fala nada. Neste ano foi o tio “mala” da


“super-família” reunida: desde os tios chatos às avós máquina fotográfica, ele realmente incomoda, é uma



queridas, desde os primos de todas as idades aos mala sem alça e sem rodinha.


amigos de família que ele mal conhece (mas que juram Pouco depois, a família Silva já não agüenta mais



tê-lo carregado no colo quando era pequeno). ficar ali. Eles querem voltar para a casa e usam a velha


Neste ano, o jantar será na casa de uma das avós. tática de botar a culpa no sono de Zinho. Todos felizes,



Zezinho até se anima pois sabe que pelo menos a com álcool na veia e peru no estômago, se despedem

comida será boa. A família Silva resolve se arrumar alegremente. Mal se fecha o elevador e aqueles sorrisos

para ir à casa da avó: Zé (pai), Maria (mãe), Zezinho ○

que pareciam presos as bochechas, despencam.


(filho mais velho,20), Mia (filha do meio,18), e Zinho Esse foi mais um Feliz Natal!

(o mais novo, 11... veio por falta de “planejamento


familiar”, mas isso não vem ao caso). Todos entram



na minivan de Zé com 7 sacolas de presentes no Foks Kiko


bagageiro, e um maldito bolo que Maria pediu para



sua filha segurar, lá no banco de trás. Como de praxe,


já a primeira freada de Zé em um quebra-mola fez o



bolo se desmanchar, parte voou no cabelo escovado


de Maria, e outra na roupa nova de Zinho. Mas tudo AACD


bem, é Natal e nada irritará a família Silva.
Todos chegam à casa da avó sorridentes como se
fosse o melhor dia de suas vidas. Zezinho sai do carro,
ajuda com as sacolas e toca a campainha. Abre a porta
sua avó, a dona da casa. Zezinho leva um susto ao
reparar na vó: ela tinha feito plástica, estava quase que
irreconhecível, a pele puxada brilhava mais que a
careca de seu pai. Ao lado da vó surgiu outra criatura
da mesma faixa etária, uma amiga que pulou em cima
de Zezinho e começou a beliscar suas bochechas e dizer
que ele era uma graça. Zezinho, meio sem jeito, ficou
vermelho mas pegou seu irmão mas novo e jogou-o
na frente da mulher. Agora Zinho era quem agonizava
pelos apertões da senhora. Entra toda a família na casa,
todos se cumprimentam, ninguém se via (e muitos nem Enfeites Natalinos
queriam se ver) há muito tempo.
Festa vai, festa vem, começa a bebedeira e as
recordações dos tempos passados. A nova geração se
entedia diante disso, pois o papo era de uma época
muito longínqua que remonta as lembranças dos
falecidos da família (do tataravô ao peixe de Zinho, a
choradeira começa). Além disso, vem aquele tio chato
querendo tirar milhões de fotos da família com zilhões
de flashes, como se a família fosse toda feliz e alegre...
Zezinho, que não agüentava mais aquele ritual, olha Feliz Natal
para o relógio e percebe que são quase 24 horas. É
hora de abrir os presentes! Ele chama um dos primos
Site: www.vocis.kit.net E-mail: vocis@uol.com.br
Edição # 7,Dezembro de 2003, São Paulo. (5)
posição e a velocidade de alguma coisa com
REFLEXÃO precisão infinita. Isso leva à conclusão que tudo o
que vemos é só uma probabilidade de estar aonde
Papai Noel existe? está fisicamente, aonde estamos enxergando. Outra
possibilidade seria usar a topologia altamente não
linear do espaço-tempo. Assim, o Papai Noel
“E aí, o que o Papai Noel vai te trazer pro poderia usar minúsculos buracos de verme que
Natal ???” – pergunta Alexandre para o seu amigo permitissem que o Papai Noel atravessasse o tecido
Tiago. “Para com isso seu crianção, Papai Noel, do espaço-tempo em pouco tempo (uma escala de
Coelhinho da Páscoa e loira inteligente não tempo totalmente incomparável com essa que temos
existem”. Quanto à última, com certeza é uma no dia a dia).
hipótese pouco provável. Mas os dois outros, e No caso da teoria quântica, nada nos
principalmente o primeiro, têm uma grande permite dizer que o Papai Noel está, em um
probabilidade de existirem. Vejamos, por que um momento determinado, em tal ou tal chaminé (ou
velhinho barbudo vestido de vermelho que, na noite mesmo a caminho de uma pra outra). Portanto não
do dia 25 de Dezembro, passa de chaminé em podemos ter a certeza de que ele está em um lugar
chaminé para deixar os presentes que cada pessoa ou em outro, nem mesmo que ele está em todos os
pediu a ele o ano todo não lugares ao mesmo tempo. Só
existiria ? “Porque sim... uai” AACD podemos discutir sobre a
diria uma pessoa qualquer. Eu probabilidade que ele esteja em
digo que essas evidências uma ou outra chaminé.
aparentes são a perdição da No caso do buraco de
ciência e da abertura de verme, a imagem mais fácil é
espírito. Temos que abrir o de dizer que o universo seria
nosso espírito e não usar mais como uma folha de papel
a palavra « evidente » ou curvada sobre si mesma em
qualquer palavra semelhante. varias regiões e que se poderia
Voltando ao nosso problema de passar de uma região para
Papai Noel, andei pensando no outra usando um túnel que
assunto e achei umas levaria o nosso velho gordinho
explicações provando que ele Luzes de um lugar pro outro em
pode existir. poucos bilionésimos de
Não achei nada que prove sua inexistência. bilionésimos de segundos. Nesse caso não veríamos
Quando digo, “Papai Noel existe” alguns me dizem o atraso causado pelo caminho de uma a outra
que é impossível porque a lenda diz que ele entra chaminé.
na chaminé das casas à meia noite em ponto e não é Em todo caso, existem mil maneiras de
possível ele passar ao mesmo tempo em todas as devolver ao Papai Noel sua existência física. Ao
chaminés. Não é impossível não! Em primeiro lugar, menos, não existe, por enquanto, uma prova exata
o Papai Noel se beneficia do fuso horário que tem e irrefutável de que o Papai Noel não exista. Mas
entre cada país do Mundo. Em segundo lugar, afinal de contas, é mais fácil dizer a uma criança
existem diferenças entre cada relógio de cada casa que o Papai Noel não existe e que é uma fantasia
em cada país. Ou seja, mesmo que o fuso horário para fazer do Natal uma bela lenda, do que explicar
entre você e o seu vizinho seja nulo, não significa esses negócios pro coitado… ainda mais que criança
que vocês tenham o mesmo horário nos seus pergunta sempre “por que?” quando tentamos
relógios. E se você não estiver satisfeito com essa explicar algo.
analogia pense que na sua própria casa todos os
relógios não estão no mesmo horário. Essa é uma
explicação simples e pouco satisfatória pela qual o
Papai Noel tem a possibilidade de estar na chaminé Lelex
das casas a meia noite.
Outro método para comprovar a possibilidade do
Papai Noel estar nas chaminés à meia noite é usando
a mecânica quântica e o princípio de incerteza de
Heisenberg: que diz que não podemos saber a
Site: www.vocis.kit.net E-mail: vocis@uol.com.br
Edição # 7, Dezembro de 2003, São Paulo. (6)

Fwd-Mail Especial Cartas de Natal

Querido Marco:
Sua ortografia é excelente!!! Parece um índio
Kerido Papai Noéu:
escrevendo... Definitivamente terá uma brilhante
Eu queria ganhá um joginho espasiau de prezente
carreira na vida... Como auxiliar de pedreiro!!! Tem
de natau... Tenho cido um boum minino neste ano.
certeza que você não prefere um livro de português?
Ti adoro,
Quanto ao joguinho espacial, darei ao seu irmão,
Marco.
pelo menos ele sabe escrever!!!
Um abraço,
Papai Noel

Querida Julia:
Querido Papai Noel: E o que você quer garota? Que eu arruine a relação
Não sei se você pode, mas gostaria de ver meus pais de seu pai com a sua secretária? Deixe ele se divertir
juntos outra vez este ano. com uns seios de verdade!!! Melhor te dar uma
Com amor Julia Barbie...
Papai Noel

Querido Papai Noel:


Querida Sara:
Tenho sido uma boa menina este ano. A única coisa
Você anda fumando maconha?
que peço é paz e amor para o mundo...
Papai Noel
Com amor, Sara
Querido Luis:
Seus pedidos já me encheram o saco!!! Outra coisa ...
Querido Papai Noel: não é “fazem 3 anos”... caraca, não aprendeu ainda?
Poxa, fazem 3 anos que venho pedindo um Use sempre “faz 1 ano”; “faz 3 anos”; “faz 2.000
caminhãozinho de bombeiro e nada... anos”. O verbo fazer no sentido de tempo não vai no
Por favor vê se desta vez você me traz um!!! plural ... ah deixa prá lá ... Mas enfim, desculpe-me
Obrigado, Luis por favor. Quando você estiver dormindo,
incendiarei a sua casa. Assim terá todos os
caminhões de bombeiros que sempre desejou!!!
Papai Noel

Querida Susane:
Empanadas me dão diarréia, e cenouras fazem
Querido Papai Noel: minhas renas peidarem em minha cara... Quer me
Deixei embaixo da árvore de natal umas empanadas agradar sua puxa-saco? Ao invés de porcarias,
para você e cenouras para as renas. ponha uma garrafa de Chivas, uns Toblerones e
Um beijinho, convença a sua mãe a se pôr com aquela lingerie
Susane transparente que ela usa com o carpinteiro.
Um beijão,
Papai Noel

Querido Juninho!!!
Querido Papai Noel: Esse tipo de imploração funciona melhor com os
Por favor!!! Por favor!!! Por favor!!! Por favor!!! seus pais, já que você é adotado (ops falei!!! agora já
Dá um cachorrinho pra mim!! !! era) e eles te toleram demais... Já comigo não
Por favor!!! Por favor!!! Por favor!!! Por favor!!! funciona... Comigo o buraco é mais embaixo... Pare
Com imploração, de ser mala!!! Vou te dar mais outro pijama!!!
Juninho Papai Noel (Hehehe)

apresentado por Zini.

Site: www.vocis.kit.net E-mail: vocis@uol.com.br


Edição # 7,Dezembro de 2003, São Paulo. (7)

NETNEWS

Enquete do mês de
Nota da Edição
Dezembro/03
Caros Leitores, o Natal bateu em nossa porta.
Com este feriado tão festivo e alegre, Como você descobriu que Papai
resolvemos dar esta cara ao VOCIS 7. Espero Noel não existe?
que vocês gostem e curtam esse feriado.
- Ooops... acabou de descobrir.
Como ilustrações, escolhemos alguns cartões - Você viu seu pai colocando os
de Natal da AACD. Entrem no site deles que presentes debaixo da árvore.
vocês descobrirão mais variedades e poderão - Sua irmã, invejosa da sua
até comprá-los! alegria, te contou.
- A barba da fantasia de Papai
Gratos, Grupo VOCIS. Noel caiu, e você viu o rosto do
seu pai.
- Seu pai entalou na chaminé.

Novidades no VOCIS:
- VOCIS especial de Natal!
- Desta vez estão representados alguns cartões de Natal da AACD.
- Aproveitem o último VOCIS... de 2003! Ano que vem tem mais!
- PS: Trabalhadores do VOCIS de férias em janeiro. Curtam o verão e as férias,
mas mandem seus textos. Mesmo de férias vocês conseguem um tempinho para
escrever, e desta vez, nem a faculdade e nem o trabalho podem ser empecilhos.
- No ar, os perfis dos criadores do VOCIS! Entrem no site e conheçam suas
peculiaridades.

PARTICIPEM E OBRIGADO!!!

Site: www.vocis.kit.net E-mail: vocis@uol.com.br