Sei sulla pagina 1di 2

Relatório do Trabalho Prático nº 2 Pedro Pereira nº 11761 / Sara Gonçalves nº 11230 ESER (Pós-laboral) 2012/2013

Sumário: Pretende-se com este trabalho estudar o efeito da temperatura na viscosidade, utilizando para o efeito um viscosímetro de queda de bola.

Viscosímetro de queda de bola,

constante do viscosímetro e viscosidade dinâmica do

Palavras-chave:

fluido.

1 INTRODUÇÃO

A viscosidade é uma propriedade característica dos

líquidos e gases reais e newtonianos que caracterizam se

pela medida da resistência ao escoamento que o fluido oferece quando se encontra a uma força tangencial. Para um fluido newtoniano, a força F necessária para manter

o gradiente dv/dx,entre planos adjacentes de um fluido

de área A, é dada pela seguinte expressão matemática: ,onde µ é o coeficiente de viscosidade. Esta viscosidade e denominada por viscosidade absoluta ou dinâmica. Esta viscosidade é

dada pelo coeficiente de proporcionalidade entre a tensão de cisalhamento e o gradiente de velocidade. Os fluidos que apresentam esta relação linear entre tensão de cisalhamento e a taxa de deformação são denominados newtonianos.

Os viscosímetros são instrumentos utilizados para medir

a viscosidade e podem ser classificados em dois grupos:

primário e secundário. No grupo primário enquadram se os instrumentos que realizam uma medida directa da tensão e da taxa de deformação do fluido. Instrumentos com diversos arranjos podem ser concebidos para este fim, tais como: o disco, cone de disco e cilindro rotativo. No grupo secundário, os viscosímetros inferem na razão entre a tensão aplicada e a taxa de deformação por méis indiretos,ou seja, sem medir a tensão e a deformação directamente. Nesta categoria pode se coitar o viscosímetro capilar onde a viscosidade é obtida por meio da medida do gradiente de pressão e o viscosímetro de Stokes, onde é determinada pelo tempo de queda livre de uma esfera. Os viscosímetros secundários aplicam se principalmente aos fluidos newtonianos uma vez que a viscosidade e medida indirectamente. Nesta experiencia curricular utilizamos o viscosímetro Cannon_Fenske. Este equipamento mede o tempo de escoamento do liquido.A vidraria(capilar) e o tubo de pressão são devidamente encaixados no equipamento e dentro da vidraria deve haver um liquido qualquer. O tubo de pressão aplica uma pressão no fluido para que este suba passando pela primeira marca. A pressão continua ate que o fluido passe pela marca superior,

nesse instante a pressão que esta sendo aplicada ao líquido cessa e o cronómetro dispara.

2 MATERIAL UTILIZADO

1 Viscosímetro capilar

1 Cronómetro

1 Termómetro

1 Bomba de vácuo

1 Banho termostático

3 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL

1. Registar o valor da temperatura ambiente.

2. Cronometrar o tempo de queda de uma bola entre dois traços que distam de 10 cm com o viscosímetro na posição normal e invertido (observar a periferia inferior da bola evitando a paralaxe).

3. Repetir o procedimento (2) quatro vezes.

4. Ligar o banho termostatizado e fixar o valor da temperatura em 20 °C.

5. Esperar cerca de 15 minutos.

6. Repetir o segundo passo oito vezes.

7. Para as temperaturas de 22 °C e 24 °C, após ser atingido o equilíbrio térmico, repetir (2) quatro vezes.

4 RESULTADOS EXPERIMENTAIS

T( ⁰C)

t(s)

µ(mPa.s)

µ(mPa.s)

 

59,33

1,87

 

18,80

59,87

1,89

1,88

60,35

1,90

 

59,13

1,86

 
 

57,94

1,82

 

20,60

58,44

1,84

1,83

58,32

1,84

 

58,06

1,83

 
 

56,40

1,78

 

22,00

55,95

1,76

1,77

56,44

1,78

 

56,66

1,78

 
 

54,89

1,73

 

24,00

54,87

1,73

1,72

54,47

1,72

 

54,68

1,72

  54,68 1,72

Tabela 1 Valores de viscosidade obtidos em função do tempo e da temperatura.

1

Relatório do Trabalho Prático nº 2 Pedro Pereira nº 11761 / Sara Gonçalves nº 11230 ESER (Pós-laboral) 2012/2013

ƿ(E6000, 20⁰C) =

ƿ(E6000, 20⁰C) =

872

(kg/m 3 )

ƿ(bola nº5) =

7646

(kg/m 3 )

k(bola nº5) =

4,649E-06

(m

2 /s 2 )

Tabela 2 Constantes Tabeladas

1/T ln µ 0,053 0,63 0,049 0,61 0,045 0,57 0,042 0,54
1/T
ln µ
0,053
0,63
0,049
0,61
0,045
0,57
0,042
0,54

Tabela 3 Valores obtidos para aplicação na eq. de Arrhenius

3 – Valores obtidos para aplicação na eq. de Arrhenius Gráfico 1 – relação entre viscosidade

Gráfico 1 relação entre viscosidade e temperatura usando a eq. de Arrhenius.

5 CONCLUSÕES

Como podemos verificar através da tabela 1, este procedimento experimental permite-nos concluir que a viscosidade diminui com o aumento da temperatura. Pela análise do gráfico 1 podemos concluir, com o uso da equação de Arrhenius, que existe uma boa linearidade na relação entre temperatura e viscosidade. Nesse mesmo gráfico, pela equação da recta, verificamos que os valores de A e B são, respectivamente, iguais a 0,2271 e 7,659.

2