Sei sulla pagina 1di 41

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

Aula 3:

Olá Pessoal, tudo certo Como vão os estudos

Firmes

Espero que estejam animados para aula, pois veremos um assunto que certamente estará na prova de vocês: a Administração Pública.

Podemos começar

Vamos nessa

QUESTÕES DA AULA:

1. (FCC/DPE-RS/2011) Na relação dos princípios expressos no

artigo 37, caput, da Constituição da República Federativa do Brasil, NÃO consta o princípio da

a)

moralidade.

b)

eficiência.

c)

probidade.

d)

legalidade.

e)

impessoalidade.

2.

(FCC/AJAA-TRT 8º/2010) O princípio, que determina que o

administrador público seja um mero executor do ato, é o da:

a)

legalidade.

b)

moralidade.

c)

publicidade.

d)

eficiência.

e)

impessoalidade.

3.

(FCC/AJAJ-TRT

4º/2011)

O

conteúdo

do

princípio

constitucional da legalidade,

a) não exclui a possibilidade de atividade discricionária pela Administração Pública, desde que observados os limites da lei, quando esta deixa alguma margem para a Administração agir conforme os critérios de conveniência e oportunidade.

b) impede o exercício do poder discricionário pela Administração, haja

vista que esse princípio está voltado para a prática dos atos administrativos vinculados, punitivos e regulamentares.

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

1

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

c) autoriza o exercício do poder discricionário pelo administrador

público, com ampla liberdade de escolha quanto ao destinatário do ato, independentemente de previsão normativa.

d) impede a realização de atos administrativos decorrentes do exercício do poder discricionário, por ser este o poder que a lei admite ultrapassar os seus parâmetros para atender satisfatoriamente o interesse público.

e) traça os limites da atuação da Administração Pública quando

pratica atos discricionários externos, mas deixa ao administrador público ampla liberdade de atuação para os atos vinculados internos.

4. (FCC/AJAA - Contabilidade - TRE-AM/2010) A propósito da

atividade administrativa, considere:

I. A administração pública tem natureza de múnus público para quem a exerce, isto é, de encargo de defesa, conservação e aprimoramento dos bens, serviços e interesses da coletividade.

II. No desempenho dos encargos administrativos o agente do Poder

Público tem liberdade de procurar qualquer objetivo, ou de dar fim diverso do previsto em lei, desde que atenda aos interesses do

Governo.

III. Dentre os princípios básicos da Administração não se incluem o

da publicidade e o da eficiência.

IV. O princípio da legalidade significa que o administrador público

está, em toda a sua atividade funcional, sujeito a mandamentos da lei e às exigências do bem comum.

V. Enquanto no Direito Privado o poder de agir é uma faculdade, no Direito Público é uma imposição, um dever para o agente que o detém, traduzindo-se, portanto, num poder-dever.

Está correto o que se afirma APENAS em

a) I, II e III.

b) I, IV e V.

c) II, IV e V.

d) III e IV.

e) III e V.

5. (FCC/Oficial - DPE-SP/2010) A obrigatoriedade da realização de concurso público aplica-se para

a) preenchimento de cargo eletivo e emprego público.

b) provimento de cargo comissionado e função.

c) provimento de cargo efetivo e emprego público.

d) apenas para provimento de cargo efetivo.

2

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

e)

apenas para preenchimento de emprego público.

 

6.

(FCC/Serviço

de

Notas

e

Registro

-

TJPA/2011)

A

nomeação de irmão de Secretário de Estado para exercer cargo de

confiança de assessoria na Secretaria de que este é titular

a) não pode ser objeto de questionamento judicial, em virtude do

princípio da separação de poderes, por se tratar de ato de competência do Poder Executivo.

b) pode ser objeto de mandado de segurança coletivo, impetrado

pelo Ministério Público, por ofensa a interesse difuso protegido constitucionalmente.

c) é passível de impugnação por qualquer cidadão, por meio de ação

popular, em virtude de ofensa à moralidade administrativa.

d) pode ser objeto de habeas data, impetrado por quem preencha os

requisitos para o cargo, com vistas à anulação do ato de nomeação.

e) não conflita com os princípios constitucionais da Administração

Pública, uma vez que não traz prejuízo ao erário.

7. (FCC/TJAA – TRF 1ª/2011) As administrações tributárias da

União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, atividades essenciais ao funcionamento do Estado, exercidas por servidores de carreiras específicas, terão recursos prioritários para a realização de suas atividades e atuarão de forma

a) desassociada, sendo vedado o compartilhamento de cadastros e de

informações fiscais.

b) integrada, inclusive com o compartilhamento de cadastros e de

informações fiscais, na forma da lei ou convênio.

c) separada,

controladores dos cadastros e de informações fiscais em âmbito nacional, estadual e municipal.

d) separada,

controladores dos cadastros e de informações fiscais em âmbito nacional.

e) subordinada à Receita Federal, sendo que, por ordem judicial,

serão compartilhados os cadastros e as informações fiscais.

8.

Administração Pública,

a) os acréscimos pecuniários percebidos por servidor público serão

computados e acumulados para fins de concessão de acréscimos ulteriores.

b) é vedada a vinculação ou equiparação de quaisquer espécies

remuneratórias para o efeito de remuneração de pessoal do serviço público.

3

dividindo-se

dividindo-se

em

três

dois

órgãos

órgãos

multidisciplinares,

multidisciplinares,

em

(FCC/AJAJ

TRT

24ª/2011)

No

que

diz

respeito

à

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

c) a administração fazendária e seus servidores fiscais não terão,

ainda que dentro de suas áreas de competência e jurisdição, precedência sobre os demais setores administrativos.

d) somente por lei específica poderá ser criada autarquia e autorizada

a instituição de fundação, cabendo à lei ordinária, neste último caso, definir as áreas de sua atuação.

e) independe de autorização legislativa, em cada caso, a criação de

subsidiárias de sociedade de economia mista, assim como a participação delas em empresa privada.

Com relação aos servidores

públicos,

a) o membro de Poder, o detentor de mandato eletivo, os Ministros

de Estado e os Secretários Estaduais e Municipais serão remunerados exclusivamente por subsídio fixado em doze parcelas.

b) a fixação dos padrões de vencimento e dos demais componentes

do sistema remuneratório observará a natureza, o grau de responsabilidade e a complexidade dos cargos componentes de cada carreira, os requisitos para a investidura e as peculiaridades dos cargos.

c) Lei da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios

disciplinará a aplicação de recursos orçamentários provenientes da economia com despesas correntes em cada órgão, autarquia e fundação, para aplicação no desenvolvimento de programas de qualidade e produtividade, treinamento e desenvolvimento, modernização, reaparelhamento e racionalização do serviço público, exceto sob a forma de adicional ou prêmio de produtividade.

d) aos servidores titulares de cargos efetivos da União, dos Estados,

do Distrito Federal e dos Municípios, incluídas suas autarquias e fundações, é assegurado regime de previdência de caráter contributivo e subsidiário, mediante contribuição do respectivo ente público, dos servidores ativos e inativos e dos pensionistas.

e) ao servidor ocupante, exclusivamente, de cargo em comissão declarado em Lei de livre nomeação e exoneração, bem como de outro cargo temporário ou de emprego público, não se aplica o regime geral de previdência social.

10. (FCC/AJAJ - TRE-AM/2010) A administração pública direta e

indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, sendo INCORRETO afirmar que:

a) durante o prazo improrrogável previsto no edital de convocação,

aquele aprovado em concurso público de provas ou de provas e

9. (FCC/AJEM-TRF1ª/2011)

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

4

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

títulos, será convocado concorrendo em igualdade de condições com novos concursados para assumir cargo ou emprego, na carreira.

b) as funções de confiança, exercidas exclusivamente por servidores

ocupantes de cargo efetivo, e os cargos em comissão, a serem preenchidos por servidores de carreira nos casos, condições e percentuais mínimos previstos em lei, destinam-se apenas às atribuições de direção, chefia e assessoramento.

c) é vedada a vinculação ou equiparação de quaisquer espécies

remuneratórias para o efeito de remuneração de pessoal do serviço público.

d) os acréscimos pecuniários percebidos por servidor público não

serão computados nem acumulados para fins de concessão de acréscimos ulteriores.

e) a administração fazendária e seus servidores fiscais terão, dentro

de suas áreas de competência e jurisdição, precedência sobre os demais setores administrativos, na forma da lei.

11. (FCC/AJAA-TRT 8º/2010) No tocante à administração

pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, é

INCORRETO afirmar que

a) é vedada a vinculação ou equiparação de quaisquer espécies

remuneratórias para o efeito de remuneração de pessoal do serviço público.

b) o direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos

em lei específica.

c) os acréscimos pecuniários percebidos por servidor público serão

computados e acumulados para fins de concessão de acréscimos

ulteriores.

d) a administração fazendária e seus servidores fiscais terão, dentro

de suas áreas de competência e jurisdição, precedência sobre os demais setores administrativos, na forma da lei.

e) depende de autorização legislativa, em cada caso, a criação de

subsidiárias de empresa de economia mista assim como a participação de quaisquer delas em empresa privada.

12. (FCC/AJAA - TRE-AM/2010) A administração pública direta e

indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, devendo ser observado que:

a) somente por medida provisória poderá ser criada autarquia,

cabendo à lei complementar definir as áreas de sua atuação.

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

5

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

b) a resolução estabelecerá os casos de contratação por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público.

c) o direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos

em lei específica.

d) os acréscimos pecuniários percebidos por servidor público serão computados e acumulados para fins de concessão de acréscimos ulteriores.

e) depende de autorização do judiciário, em cada caso, a criação de

subsidiárias de fundação.

13. (FCC/AJAA - TRE-AM/2010) Sobre os servidores públicos,

considere as assertivas abaixo.

I. A fixação dos padrões de vencimento e dos demais componentes do sistema remuneratório observará a natureza, o grau de responsabilidade e a complexidade dos cargos componentes de cada carreira, os requisitos para a investidura, e as peculiaridades dos cargos.

II. O membro de Poder, o detentor de mandato eletivo, os Ministros de Estado e os Secretários Estaduais e Municipais serão remunerados exclusivamente por subsídio fixado em parcela única.

III. Medida Provisória, regulamentada por Lei Complementar, disciplinará a aplicação de recursos orçamentários da União provenientes da economia com despesas correntes em cada órgão para aplicação no desenvolvimento de programas de qualidade do serviço público.

IV. Aos servidores titulares de cargos efetivos do Distrito Federal não é assegurado regime de previdência de caráter contributivo e solidário, mediante contribuição do respectivo ente público, dos servidores ativos e inativos e dos pensionistas.

Está correto o que se afirma APENAS em

a) I e II.

b) III e IV.

c) I e III.

d) II e III.

e) II e IV.

14. (FCC/TJAA-TRE-PE/2011) Tibério, servidor público estável,

foi demitido, cujo cargo de diretor foi ocupado por Pilatos, também

servidor público estável, que ocupava cargo de auxiliar na mesma repartição pública. A demissão de Tibério foi invalidada por sentença

por

consequência será:

6

judicial

e,

conforme

previsto

na

Constituição

Federal,

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

a) reintegrado ao cargo de diretor e Pilatos será reconduzido ao seu

cargo de origem que se encontra vago, sem direito à indenização.

b) diretamente conduzido ao cargo de origem de Pilatos, que se encontra vago.

c) posto em disponibilidade porque seu cargo está ocupado por Pilatos e não pode ser rebaixado de função.

d) promovido de cargo à titulo de compensação por ter sido demitido.

e) avaliado previamente por psicólogo, que emitirá laudo sobre os

efeitos da demissão e se tem condições ou não de voltar ao trabalho público.

15. (ESAF/ATA-MF/2009) O eventual ocupante de vaga de

servidor reintegrado, se estável, será reconduzido ao cargo de origem mediante prévia e justa indenização proporcional ao tempo de serviço.

16. (FCC/AJAJ-TRE-PE/2011) Apolo, funcionário público, recebeu propina para convidar empresas fantasmas a fim de beneficiar a empresa UUUXXXAA Ltda. no processo de licitação de compra de material escolar pelo Poder Público Estadual. As empresas fantasmas, convidadas, não apresentaram propostas, o que levou a empresa UUUXXXAA a vencer a licitação, mesmo tendo apresentado proposta de fornecimento de material acima dos valores praticados no mercado. Segundo a Constituição Federal, o ato de improbidade administrativa cometido por Apolo, poderá importar:

a) a perda da função pública, apenas, pois o ressarcimento ao erário

competirá a empresa que venceu a licitação.

b) a suspensão dos direitos políticos, apenas, pois o ressarcimento ao

erário competirá a empresa que venceu a licitação.

c) a indisponibilidade de bens, apenas, pois é sua obrigação ressarcir

o erário, caso a empresa tenha fornecido o material escolar.

d) a perda da função pública e o ressarcimento ao erário, apenas,

sem prejuízo da ação penal cabível.

e) a suspensão dos direitos políticos, a perda da função pública, a

indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário, na forma e gradação previstas em lei, sem prejuízo da ação penal cabível.

17. (ESAF/EPPGG-MPOG/2009) A Constituição da República previu consequências graves para os administradores que praticam atos de improbidade administrativa. Assinale, entre as opções abaixo, aquela que não se coaduna com as consequências pela prática dos atos de improbidade administrativa.

a) Suspensão dos direitos políticos.

b) Indisponibilidade dos bens.

7

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

c) A perda da nacionalidade.

d) Ressarcimento ao erário.

e) Perda da função pública.

18. (CESGRANRIO/FENIG-RJ/2005) A Constituição da República elenca no caput de seu Art. 37 cinco princípios a que a Administração Pública deve guardar obediência. É considerado princípio fundamental da Administração Pública o princípio da:

(A)

eficiência.

(B)

impessoalidade.

(C)

razoabilidade.

(D)

legalidade.

(E)

moralidade.

19. (CESGRANRIO/Advogado INEA/2008) Acerca das regras de investidura em cargo ou emprego público previstas na Constituição Federal, pode-se afirmar que:

I - é vedada a investidura de estrangeiros em empregos públicos;

II - o prazo de validade do concurso público será de até 2 (dois)

anos, prorrogável uma vez, por igual período;

III - a obrigatoriedade de realização de concurso público não é

extensível às empresas públicas e sociedades de economia mista;

IV

- a investidura em emprego público depende de aprovação prévia

em

concurso público de provas ou de provas e títulos, ressalvadas as

nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação.

Estão corretas as afirmações

a) I e II, apenas.

b) I e IV, apenas.

c) II e IV, apenas.

d) I, II e IV, apenas.

e) I, II, III e IV.

20.

ao controle da administração pública, assinale a alternativa correta:

A) O direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos em lei complementar.

B) Somente por lei complementar poderá ser criada autarquia e autorizada a instituição de empresa pública, de sociedade de

(Consulplan/Adv. Pref. Laranjeiras – SE/2006) Em relação

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

8

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

economia mista e de fundação, cabendo à lei específica, neste último caso, definir as áreas de atuação.

C) Os cargos, empregos e funções públicas são acessíveis aos brasileiros que preencham os requisitos estabelecidos em lei, assim como aos estrangeiros, na forma da lei.

D) A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios instituirão,

exclusivamente, regime jurídico único e planos de carreira para os servidores da administração direta, das autarquias e das fundações públicas.

E) Nenhuma das assertivas anteriores está correta.

21. (Consulplan/Adv.

estabilidade decorrente de nomeação para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público, é INCORRETO afirmar:

A) O servidor público estável poderá perder o cargo mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa.

B) Como condição para a aquisição da estabilidade, é obrigatória a

avaliação especial de desempenho por comissão instituída para essa finalidade.

C) O procedimento de avaliação periódica de desempenho poderá

ensejar a perda do cargo.

D) Invalidada por sentença judicial a demissão do servidor estável,

será ele reintegrado, e o eventual ocupante da vaga, se com menos de três anos de efetivo exercício no serviço público, será reconduzido ao cargo de origem, sem direito a indenização.

E) Extinto o cargo ou declarada a sua desnecessidade, o servidor

estável ficará em disponibilidade, com remuneração proporcional ao

tempo de serviço, até seu adequado aproveitamento em outro cargo.

22. (Consulplan/Adv. Pref. São José do Ubá - RJ/2010) De

acordo com a Constituição da República Federativa do Brasil NÃO são remunerados necessariamente mediante subsídio o(s):

A) Membros de Poder.

B) Detentor de cargo eletivo.

C) Ministros de Estado e Secretários Estaduais e Municipais.

D) Membros do Ministério Público.

E) Integrantes da Advocacia Pública, incluindo-se nesta as Procuradorias dos Municípios.

23. (Consulplan/Adv. Pref. Sertaneja-PR/2010) Ao servidor

público da administração direta, autárquica e fundacional, no exercício de mandato eletivo, é INCORRETO afirmar que:

Pref.

Sertaneja-PR/2010)

Acerca

da

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

9

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

A) Tratando-se de mandato eletivo federal, estadual ou distrital,

ficará afastado de seu cargo, emprego ou função.

B) Investido no mandato de Prefeito, será afastado do cargo,

emprego ou função, sendo-lhe facultado optar pela sua remuneração.

C) Investido no mandato de Vereador, havendo compatibilidade de

horários, perceberá as vantagens de seu cargo, emprego ou função, sem prejuízo da remuneração do cargo eletivo.

D) Investido no mandato de Vereador, não havendo compatibilidade

de horários, será facultado optar pela sua remuneração.

E) Investido no mandato de Prefeito, será afastado do cargo,

emprego ou função, percebendo as vantagens de seu cargo, sem

prejuízo da remuneração do cargo eletivo.

24. (Consulplan/Adv. Pref. São Leopoldo-RS/2010) O servidor

público da administração direta, autárquica e fundacional, no exercício de mandato eletivo de Vereador, e havendo compatibilidade de horários:

A) Perceberá as vantagens de seu cargo, emprego ou função, sem

prejuízo da remuneração do cargo eletivo.

B) Será afastado do cargo, emprego ou função, sendo-lhe facultado

optar pela sua remuneração.

C) Será afastado de seu cargo, emprego ou função, percebendo a

remuneração de seu cargo eletivo.

D) Perceberá as vantagens de seu cargo, emprego ou função,

apenas.

E) Perceberá as vantagens de seu cargo eletivo, apenas.

25. (CESGRANRIO/Analista-DNPM/2006) De acordo com as

regras definidas na Constituição Federal, é assegurado, aos servidores públicos em geral, que atualmente assumirem a titularidade de cargo efetivo da União, o direito à aposentadoria compulsória, ainda que não tenham completado 30 anos de contribuição, com a idade de:

(A) 65 (sessenta e cinco) anos, com proventos proporcionais ao

tempo de contribuição.

(B)

65 (sessenta e cinco) anos, com proventos integrais.

(C)

70 (setenta) anos, com proventos proporcionais ao tempo de

contribuição.

(D)

70 (setenta) anos, com proventos integrais.

(E)

75 (setenta e cinco) anos, com proventos integrais.

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

10

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

26. (CESPE/SEFAZ-AC/2009) Conforme as regras atuais de

aposentadoria voluntária, não é necessário que o servidor tenha um tempo mínimo de investidura no cargo efetivo em que se dará a aposentadoria.

27. (ESAF/ATA-MF/2009) O tempo de contribuição federal,

estadual ou municipal será contado para efeito de disponibilidade, nos termos da Constituição Federal.

28. (CESPE/MMA/2009) Servidor público federal portador de

deficiência pode ter critérios diferenciados para a concessão de aposentadoria.

GABARITO:

1

C

16

E

2

E

17

C

3

A

18

D

4

B

19

C

5

C

20

C

6

C

21

D

7

B

22

E

8

B

23

E

9

B

24

A

10

A

25

C

11

E

26

Errado

12

C

27

Errado

13

A

28

Correto

14

A

   

15

Errado

   

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

11

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA:

Princípios:

1. (FCC/DPE-RS/2011) Na relação dos princípios expressos no

artigo 37, caput, da Constituição da República Federativa do Brasil, NÃO consta o princípio da

a) moralidade.

b) eficiência.

c) probidade.

d) legalidade.

e) impessoalidade.

Comentários:

Os princípios expressos da Administração Pública são aquele famoso “LIMPE” que está no art. 37 da Constituição:

Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte (

Vamos entender cada um dos princípios:

da

administração pública, pois toda a conduta do agente público deve ser pautada no que dispõe a lei. A legalidade pode ser empregada em duas visões:

Legalidade

É

considerado

o

princípio

fundamental

-

1- Para o cidadão - legalidade é poder fazer tudo aquilo que a lei não proíba.

2- Para o agente público - legalidade é poder fazer somente aquilo que a lei permite ou autoriza.

É importante ainda que lembremos que legalidade é um conceito amplo que significa agir conforme a lei, ou dentro dos limites traçados pela lei. Diante disso, surgem as duas espécies de poderes dos administradores públicos:

a) Poder vinculado – quando o administrador público deve cumprir exatamente os mandamentos traçados pela lei, sem margem de atuação por sua conveniência e oportunidade.

b) Poder discricionário – quando a lei traça apenas as linhas gerais, os limites, do mandamento, deixando margem para uma atuação de acordo com a conveniência e oportunidade do administrador público.

12

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

Impessoalidade

- Os atos praticados pelo agente público

devem ser imputados ao órgão da administração e não ao agente público. Assim, o agente público é apenas a forma de exteriorizar a vontade da administração, um mero executor do ato, não podendo deixar que aspectos subjetivos, pessoais, influenciem na sua execução. Possui também dois prismas de observação:

1- Do administrador – o agente público deve ser impessoal ao praticar o ato.

2- Do administrado – o particular, como destinatário do ato, não deve ser favorecido ou prejudicado por suas características pessoais.

Moralidade

- Ao administrador público não basta cumprir o

que está na lei, deve-se guiar por padrões éticos de conduta e zelo pelo alcance do interesse público. O ato administrativo que for considerado imoral será inconstitucional, devendo ser invalidado.

Publicidade

- os atos administrativos devem estar revestidos

de total transparência para poderem ser fiscalizados pela sociedade (salvo àqueles que forem essenciais à segurança da sociedade e do Estado)

Eficiência

- Inserido pela EC 19/98. Diz que o administrador

público deve ser racional no uso dos gastos, buscando sempre ter o melhor benefício com o menor custo dos recursos públicos. Também orienta o agente público a ter resultados satisfatórios em termos de quantidade e qualidade no desempenho de sua atividade.

Estes 5 princípios arrolados acima, são o que chamamos princípios constitucionais explícitos da administração pública. A doutrina, no entanto, reconhece que teríamos alguns princípios implícitos na Constituição, como:

Supremacia do Interesse Público – O interesse público, que é coletivo, deve prevalecer sobre o interesse particular;

Indisponibilidade do Interesse Público - Os bens e o interesse público pertencem à coletividade, eles são indisponíveis, logo, o administrador deverá apenas geri-los não podendo agir como “bem entender” sobre os esses bens e interesses confiados à sua guarda.

Princípio da Finalidade – A finalidade dos atos deve ser sempre o alcance do interesse público.

Princípio da Razoabilidade e o da Proporcionalidade – No âmbito da administração pública, esses princípios direcionam o

13

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

administrador a ponderar a sua atuação diante do caso concreto e agir sem extremos em sua atividade, o chamado “entendimento do homem médio”.

Voltando à questão:

A questão, maldosamente, tirou a “publicidade” e colocou “probidade”, que também começa com “P”. A letra C é o gabarito, o correto seria “publicidade”.

Gabarito: Letra C.

2. (FCC/AJAA-TRT 8º/2010) O princípio, que determina que o

administrador público seja um mero executor do ato, é o da:

a) legalidade.

b) moralidade.

c) publicidade.

d) eficiência.

e) impessoalidade.

Comentários:

A questão trata claramente da impessoalidade, segundo à qual o agente público é um mero executor do ato, ato este que deve ser imputado ao órgão e não ao administrador, que não pode deixar as suas subjetividades influenciar em sua função.

Gabarito: Letra E.

princípio

constitucional da legalidade,

a) não

Administração Pública, desde que observados os limites da lei,

quando esta deixa alguma margem para a Administração agir conforme os critérios de conveniência e oportunidade.

b) impede o exercício do poder discricionário pela Administração, haja

vista que esse princípio está voltado para a prática dos atos

administrativos vinculados, punitivos e regulamentares.

c) autoriza o exercício do poder discricionário pelo administrador público, com ampla liberdade de escolha quanto ao destinatário do ato, independentemente de previsão normativa.

d) impede a realização de atos administrativos decorrentes do

exercício do poder discricionário, por ser este o poder que a lei

3. (FCC/AJAJ-TRT

4º/2011)

O

conteúdo

do

exclui

a

possibilidade

de

atividade

discricionária

pela

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

14

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

admite ultrapassar os seus parâmetros para atender satisfatoriamente o interesse público.

e) traça os limites da atuação da Administração Pública quando pratica atos discricionários externos, mas deixa ao administrador público ampla liberdade de atuação para os atos vinculados internos.

Comentários:

Legalidade é um conceito amplo que significa agir conforme a lei, ou dentro dos limites traçados pela lei. Diante disso, surgem as duas espécies de poderes dos administradores públicos:

Poder vinculado – quando o administrador público deve cumprir exatamente os mandamentos traçados pela lei, sem margem de atuação por sua conveniência e oportunidade.

Poder discricionário – quando a lei traça apenas as linhas gerais, os limites, do mandamento, deixando margem para uma atuação de acordo com a conveniência e oportunidade do administrador público.

Gabarito: Letra A.

4. (FCC/AJAA - Contabilidade - TRE-AM/2010) A propósito da

atividade administrativa, considere:

I. A administração pública tem natureza de múnus público para quem a exerce, isto é, de encargo de defesa, conservação e aprimoramento dos bens, serviços e interesses da coletividade.

II. No desempenho dos encargos administrativos o agente do Poder

Público tem liberdade de procurar qualquer objetivo, ou de dar fim diverso do previsto em lei, desde que atenda aos interesses do

Governo.

III. Dentre os princípios básicos da Administração não se incluem o

da publicidade e o da eficiência.

IV. O princípio da legalidade significa que o administrador público

está, em toda a sua atividade funcional, sujeito a mandamentos da lei e às exigências do bem comum.

V. Enquanto no Direito Privado o poder de agir é uma faculdade, no Direito Público é uma imposição, um dever para o agente que o detém, traduzindo-se, portanto, num poder-dever.

Está correto o que se afirma APENAS em

a) I, II e III.

b) I, IV e V.

c) II, IV e V.

d) III e IV.

15

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

e) III e V.

Comentários:

I - Correto. Cabe ao administrado público o zelo com o patrimônio e a defesa do interesse público ao exercer sua atividade.

II-

Errado. O objetivo será sempre a satisfação do interesse público.

III

-

Errado.

Trata-se

do

LIMPE

(Legalidade,

Impessoalidade,

Moralidade e Publicidade e Eficiência), logo, se incluem os princípios

da

publicidade e da eficiência.

IV

- Correto. A legalidade possui dois enfoques:

1- Na visão do cidadão - ninguém precisa fazer ou deixar de fazer coisa alguma, se a lei não obrigar. Na ausência de lei, pode fazer tudo.

2- Na visão do administrador público - só se pode fazer aquilo

que a lei permite ou autoriza. Na ausência de lei, não pode fazer

nada.

V - Correto. Trata-se de um desdobramento do princípio da

legalidade. A lei serve para conter os particulares e para direcionar a atividade pública. Os particulares tem a faculdade de agir, sendo-lhes vedado aquilo que estiver em lei. O administrador público tem o dever legal de agir quando deparado com as situações da lei, e não poderá fazer nada que não esteja permitido ou autorizado por lei.

Gabarito: Letra B.

Corpo da Constituição:

5. (FCC/Oficial - DPE-SP/2010) A obrigatoriedade da realização de concurso público aplica-se para

a) preenchimento de cargo eletivo e emprego público.

b) provimento de cargo comissionado e função.

c) provimento de cargo efetivo e emprego público.

d) apenas para provimento de cargo efetivo.

e) apenas para preenchimento de emprego público.

Comentários:

Sabemos que pelo art. 37, II da Constituição, a investidura em cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso público. Assim, não importa se estamos diante de um "cargo efetivo" - cargo estatutário, no qual poderemos após 3 anos nos tornarmos estáveis - ou "emprego público" - cargos de regime privado, regidos pela CLT -, ambos precisam de aprovação em

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

16

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

concurso público, principalmente para atender ao princípio da impessoalidade na administração pública.

A pegadinha começa quando a FCC me vem com um cargo "eletivo",

no lugar de "efetivo" na letra A certa é a letra C!

casca de banana pura! A resposta

O

cargo em comissão na letra B é uma exceção ao concurso público,

que é acessível a qualquer pessoa, por indicação da autoridade

nomeante. Esses cargos devem ser criados por lei e destinarem-se apenas às funções de chefia, direção ou assessoramento, não pode

ser qualquer função não

Gabarito: Letra C.

ok!

6. (FCC/Serviço de Notas e Registro - TJPA/2011) A nomeação de irmão de Secretário de Estado para exercer cargo de confiança de assessoria na Secretaria de que este é titular

a) não pode ser objeto de questionamento judicial, em virtude do

princípio da separação de poderes, por se tratar de ato de competência do Poder Executivo.

b) pode ser objeto de mandado de segurança coletivo, impetrado

pelo Ministério Público, por ofensa a interesse difuso protegido

constitucionalmente.

c) é passível de impugnação por qualquer cidadão, por meio de ação popular, em virtude de ofensa à moralidade administrativa.

d) pode ser objeto de habeas data, impetrado por quem preencha os

requisitos para o cargo, com vistas à anulação do ato de nomeação.

e) não conflita com os princípios constitucionais da Administração

Pública, uma vez que não traz prejuízo ao erário.

Comentários:

A questão trata da súmula vinculante 13, a qual proíbe o nepotismo

na administração pública, vedando a nomeação de parentes até o 3º grau para os cargos de confiança.

O nepotismo é uma clara afronta aos princípios da moralidade

administrativa, impessoalidade e eficiência, já que constitui uma prática reprovável, que não trata com isonomia possíveis candidatos ao cargo, e ainda, muitas vezes preterindo alguém mais qualificado para o exercício do mesmo.

Vejamos o teor da súmula vinculante 13:

Súmula

Vinculante

13

A

nomeação

de

cônjuge,

companheiro

ou

parente

em

linha

reta,

colateral

ou

por

afinidade,

Prof. Vítor Cruz

até

o

terceiro

grau,

inclusive,

da

autoridade

17

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada na administração pública direta e indireta em qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, compreendido o ajuste mediante designações recíprocas, viola a Constituição Federal.

Inaplicabilidade da súmula vinculante nº 13 À nomeação de irmão de Governador de Estado no cargo de Secretário de Estado, não se aplica a súmula vinculante nº 13 por se tratar de cargo de natureza política, já que secretários de Estado são agentes políticos 1 .

Esquematizando a súmula vinculante 13:

O imbróglio gira em torno de 3 pessoas:

1- Temos a pessoa que pretende ser nomeada - chamaremos de "Vida-Boa"

2- Temos a autoridade nomeante - que chamaremos de "Chefe malandro 1"

3- Temos uma outra pessoa que não é a autoridade nomeante, mas que ocupa cargo direção, chefia ou assessoramento, dentro dessa mesma pessoa jurídica em questão - "Chefe malandro 2".

Segundo a súmula vinculante 13: O "Chefe Malandro 1" não pode nomear o "Vida-boa", se este for cônjuge ou parente até 3º grau do próprio "Chefe Malandro 1" ou do "Chefe Malandro 2"

Atenção:

Não confunda essa questão que fala de um secretário nomeando o seu irmão para um cargo de confiança com a decisão do STF sobre a inaplicabilidade da súmula vinculante 13, onde disse ser lícita um governador nomeando o seu irmão para ser secretário.

Segundo o STF, a nomeação para os cargos de Ministros e Secretários, por serem cargos políticos, não precisam observar a súmula vinculante 13.

Gabarito: Letra C.

7. (FCC/TJAA – TRF 1ª/2011) As administrações tributárias da

União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, atividades essenciais ao funcionamento do Estado, exercidas por servidores de

1 STF RclMCAgR 6650 / PR PARANÁ 16/10/2008 Entendimento firmado com base no R.Ex.

579.951/RN.

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

18

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

carreiras específicas, terão recursos prioritários para a realização de suas atividades e atuarão de forma

a) desassociada, sendo vedado o compartilhamento de cadastros e de informações fiscais.

b) integrada, inclusive com o compartilhamento de cadastros e de

informações fiscais, na forma da lei ou convênio.

c) separada,

controladores dos cadastros e de informações fiscais em âmbito nacional, estadual e municipal.

d) separada,

controladores dos cadastros e de informações fiscais em âmbito

nacional.

e) subordinada à Receita Federal, sendo que, por ordem judicial,

serão compartilhados os cadastros e as informações fiscais.

Comentários:

Essa questão é brincadeira, né!

A Constituição Federal toda preocupada em estabelecer um federalismo cooperativo, onde as 3 esferas da Federação atuem de forma integrada, com repartição de receitas e colaboração de

esforços, e a questão me vem com “separada”, “dissociada” disso!

A resposta é letra B! Integrada! Segundo a CF, art. 37, XXII: as administrações tributárias da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, atividades essenciais ao funcionamento do Estado, exercidas por servidores de carreiras específicas, terão recursos prioritários para a realização de suas atividades e atuarão de forma integrada, inclusive com o compartilhamento de cadastros e de informações fiscais, na forma da lei ou convênio.

Gabarito: Letra B.

Deixa

dividindo-se

dividindo-se

em

três

dois

órgãos

órgãos

multidisciplinares,

multidisciplinares,

em

Administração Pública,

8.

(FCC/AJAJ

TRT

24ª/2011)

No

que

diz

respeito

à

a) os acréscimos pecuniários percebidos por servidor público serão

computados e acumulados para fins de concessão de acréscimos

ulteriores.

b) é vedada a vinculação ou equiparação de quaisquer espécies

remuneratórias para o efeito de remuneração de pessoal do serviço público.

c) a administração fazendária e seus servidores fiscais não terão,

ainda que dentro de suas áreas de competência e jurisdição, precedência sobre os demais setores administrativos.

19

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

d) somente por lei específica poderá ser criada autarquia e autorizada

a instituição de fundação, cabendo à lei ordinária, neste último caso, definir as áreas de sua atuação.

e) independe de autorização legislativa, em cada caso, a criação de

subsidiárias de sociedade de economia mista, assim como a participação delas em empresa privada.

Comentários:

Letra A – Errado. Segundo o art. 37, XVIII da Constituição, os acréscimos não serão computados para fins de acréscimos ulteriores. Assim, veda-se que haja um aumento de remuneração “em cascata”.

Letra B – Correto. É a literalidade do art. 37, XIII da Constituição.

Letra C – Errado. Segundo o art. 37, XVIII da Constituição, a administração fazendária e seus servidores fiscais terão, dentro de suas áreas de competência e jurisdição, precedência sobre os demais setores administrativos.

Letra D – Errado. A constituição ordenou que se faça uma “lei complementar” para definir as áreas de atuação da Fundação Pública (CF, art. 37, XIX);

Letra E – Errado. O correto seria “depende de autorização legislativa”, pois assim, teríamos o disposto no art. 37, XX, da Constituição

Essa questão nos mostra a importância de ter os conceitos do art. 37, bem assimilados.

Gabarito: Letra B.

9.

públicos,

a) o membro de Poder, o detentor de mandato eletivo, os Ministros

de Estado e os Secretários Estaduais e Municipais serão remunerados exclusivamente por subsídio fixado em doze parcelas.

b) a fixação dos padrões de vencimento e dos demais componentes

do sistema remuneratório observará a natureza, o grau de responsabilidade e a complexidade dos cargos componentes de cada carreira, os requisitos para a investidura e as peculiaridades dos cargos.

c) Lei da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios disciplinará a aplicação de recursos orçamentários provenientes da economia com despesas correntes em cada órgão, autarquia e fundação, para aplicação no desenvolvimento de programas de qualidade e produtividade, treinamento e desenvolvimento, modernização, reaparelhamento e racionalização do serviço público, exceto sob a forma de adicional ou prêmio de produtividade.

20

servidores

(FCC/AJEM-TRF1ª/2011)

Com

relação

aos

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

d) aos servidores titulares de cargos efetivos da União, dos Estados,

do Distrito Federal e dos Municípios, incluídas suas autarquias e fundações, é assegurado regime de previdência de caráter contributivo e subsidiário, mediante contribuição do respectivo ente público, dos servidores ativos e inativos e dos pensionistas.

e) ao servidor ocupante, exclusivamente, de cargo em comissão declarado em Lei de livre nomeação e exoneração, bem como de outro cargo temporário ou de emprego público, não se aplica o regime geral de previdência social.

Comentários:

Letra A – Errado. Subsídio é caracterizado por ser pago em parcela única. É uma só parcela, e é vedado qualquer acréscimo, ressalvada as parcelas indenizatórias como diárias, transporte, ajuda de custo e auxílio-moradia. Isso nos termos da Constituição, art. 39 §4º.

Letra B – Correto. É o que dispõe a Constituição no art. 37, II.

Letra C – Errado. A questão se baseia em um dos incentivos à eficiência, previsto no art. 39 §7º da Constituição Federal. O erro dela foi “excetuar” os adicionais e prêmios de produtividade. Estes são permitidos pelo dispositivo em questão.

Letra D – Errado. O regime é em caráter contributivo e “solidário”, não subsidiário, nos termos da Constituição, art. 40.

Letra E – Errado. A ele se aplica, justamente, o próprio regime geral. Temos basicamente dois regimes – o regime próprio (RPPS) para os servidores efetivos e o regime geral (RGPS) para os empregados regidos pela CLT. Quando o a pessoa for ocupante somente de cargos em comissão, ela irá contribuir para o regime geral e não para o regime próprio, conforme dispõe a Constituição em seu art. 40 §13.

Gabarito: Letra B.

10. (FCC/AJAJ - TRE-AM/2010) A administração pública direta e

indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito

Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, sendo INCORRETO afirmar que:

a) durante o prazo improrrogável previsto no edital de convocação,

aquele aprovado em concurso público de provas ou de provas e títulos, será convocado concorrendo em igualdade de condições com novos concursados para assumir cargo ou emprego, na carreira.

b) as funções de confiança, exercidas exclusivamente por servidores

ocupantes de cargo efetivo, e os cargos em comissão, a serem preenchidos por servidores de carreira nos casos, condições e

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

21

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

percentuais mínimos previstos em lei, destinam-se apenas às atribuições de direção, chefia e assessoramento.

c) é vedada a vinculação ou equiparação de quaisquer espécies

remuneratórias para o efeito de remuneração de pessoal do serviço público.

d) os acréscimos pecuniários percebidos por servidor público não

serão computados nem acumulados para fins de concessão de

acréscimos ulteriores.

e) a administração fazendária e seus servidores fiscais terão, dentro

de suas áreas de competência e jurisdição, precedência sobre os

demais setores administrativos, na forma da lei.

Comentários:

Letra A - Errado. Tentou-se explorar a literalidade do art. 37, IV da Constituição. Porém, errou ao dizer que o aprovado concorrerá em igualdade de condições com novos concursados, já que ele deve ser chamado preferencialmente.

Letra B - Correto. Literalidade do art. 37, V. Esquematizando:

Funções de confiança Exclusivamente para servidores ocupantes de cargo efetivo; X Cargos em comissão Embora
Funções de confiança Exclusivamente para
servidores ocupantes de cargo
efetivo;
X
Cargos em comissão Embora acessível a qualquer
pessoa, a lei pode prever condições e
percentuais mínimos para serem
preenchidos por servidores de
carreira.
Destinam-se apenas às atribuições de direção, chefia
e assessoramento.

Os cargos efetivos podem ser isolados ou estruturados em carreiras. Observe que para assumir uma função de confiança, a pessoa já é ocupante de qualquer cargo efetivo e é DESIGNADO para ela. Já o cargo em comissão, se trata de novo cargo e não uma simples função, qualquer pessoa pode assumir e a lei irá reservar percentual para os de carreira.

Dica: Função – eFetivo / Cargo em Comissão - Carreira

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

22

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

Letra C - Correto. Trata-se da literalidade do art. 37, XIII.

Letra D - Correto. Trata-se da vedação do aumento da remuneração “em cascata”, que pode ser encontrada no art. 37, XIV.

Letra E - Correto. Agora trata-se da literalidade do art. 37, XVIII.

Gabarito: Letra A.

11. (FCC/AJAA-TRT 8º/2010) No tocante à administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, é INCORRETO afirmar que

a) é vedada a vinculação ou equiparação de quaisquer espécies

remuneratórias para o efeito de remuneração de pessoal do serviço

público.

b) o direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos

em lei específica.

c) os acréscimos pecuniários percebidos por servidor público serão

computados e acumulados para fins de concessão de acréscimos

ulteriores.

d) a administração fazendária e seus servidores fiscais terão, dentro

de suas áreas de competência e jurisdição, precedência sobre os demais setores administrativos, na forma da lei.

e) depende de autorização legislativa, em cada caso, a criação de

subsidiárias de empresa de economia mista assim como a

participação de quaisquer delas em empresa privada.

Comentários:

Letra A - Correto. É a da literalidade do art. 37, XIII.

Letra B - Correto. A disposição se encontra no art. 37, VII. Lembramos que. por força de decisão tomada no julgamento dos Mandados de Injunção 670, 708 e 712 o Supremo determinou que, enquanto não editada essa lei específica referida, deve-se aplicar a lei de greve dos trabalhadores privados aos servidores públicos.

Letra C - Errado. Vai contra a vedação do aumento da remuneração “em cascata”, do art. 37, XIV. Assim, a base de cálculo dos acréscimos não pode conter os acréscimos que já foram concedidos anteriormente, para que não haja um "acréscimo sobre o acréscimo".

Letra D - Correto. Disposição encontrada no art. 37, XVIII.

Letra E - Correto. Para se criar uma autarquia, ou ser autorizado a instituição de uma empresa pública, SEM, ou Fundação, precisamos de uma lei específica, nos termos do art. 37, XIX. Essas entidades no entanto, poderão ter subsidiárias. Para se fazer essas subsidiárias, não precisamos de lei, mas precisa haver uma "autorização na lei

23

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

criadora da entidade principal" para que se faça a criação de subsidiárias = autorização legislativa (CF, art. 37, XX).

Gabarito: Letra E.

12. (FCC/AJAA - TRE-AM/2010) A administração pública direta e

indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, devendo ser observado que:

a) somente por medida provisória poderá ser criada autarquia,

cabendo à lei complementar definir as áreas de sua atuação.

b) a resolução estabelecerá os casos de contratação por tempo

determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público.

c) o direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos

em lei específica.

d) os acréscimos pecuniários percebidos por servidor público serão computados e acumulados para fins de concessão de acréscimos ulteriores.

e) depende de autorização do judiciário, em cada caso, a criação de

subsidiárias de fundação.

Comentários:

Letra A - Errado. O correto seria dizer "somente por lei específica" e não "por medida provisória".

Letra B - Errado, segundo o art. 37, IX, será a lei que estabelecerá os casos de contratação por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público.

Letra C - Correto. Perfeito teor do art. 37, VII. Porém, em decisão tomada no julgamento dos Mandados de Injunção 670, 708 e 712 o Supremo determinou que, enquanto não editada essa lei específica referida, deve-se aplicar a lei de greve dos trabalhadores privados aos servidores públicos.

Letra D - Errado. É a vedação da aumento da remuneração "em cascata" conforme dispõe o art. 37, XIV.

Letra E - Errado. A autorização necessária não é do Judiciário, e sim Legislativa (CF, art. 37, XX).

Gabarito: Letra C.

13. (FCC/AJAA - TRE-AM/2010) Sobre os servidores públicos,

considere as assertivas abaixo.

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

24

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

I. A fixação dos padrões de vencimento e dos demais componentes do sistema remuneratório observará a natureza, o grau de responsabilidade e a complexidade dos cargos componentes de cada carreira, os requisitos para a investidura, e as peculiaridades dos cargos.

II. O membro de Poder, o detentor de mandato eletivo, os Ministros de Estado e os Secretários Estaduais e Municipais serão remunerados exclusivamente por subsídio fixado em parcela única.

III. Medida Provisória, regulamentada por Lei Complementar, disciplinará a aplicação de recursos orçamentários da União provenientes da economia com despesas correntes em cada órgão para aplicação no desenvolvimento de programas de qualidade do serviço público.

IV. Aos servidores titulares de cargos efetivos do Distrito Federal não é assegurado regime de previdência de caráter contributivo e solidário, mediante contribuição do respectivo ente público, dos servidores ativos e inativos e dos pensionistas.

Está correto o que se afirma APENAS em

a) I e II.

b) III e IV.

c) I e III.

d) II e III.

e) II e IV.

Comentários:

I - Correto. CF, art. 39, §1º, I.

II - Correto. Segundo a Constituição em seu art. 39, §4º, o membro de Poder, o detentor de mandato eletivo, os Ministros de Estado e os Secretários Estaduais e Municipais serão remunerados exclusiva- mente por subsídio fixado em parcela única, vedado o acréscimo de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória, obedecido, em qualquer caso, os "tetos" Constitucionais do art. 37, X e XI. Destacamos no entanto:

Apenas pode haver acréscimos de parcelas indenizatórias (a nível federal, segundo a Lei nº 8.112/90, seriam elas: ajuda de custo, diária, transporte e auxílio moradia).

Também é obrigatório para os:

Servidores policiais (art. 144, § 9º);

Membros do MP (art. 128, § 5º, I, “c”); e

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

25

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

Defensores Públicos e integrantes da AGU (art. 135).

Observe que não são “os servidores das polícias”, mas, somente

os

policiais.

 

Este tipo de remuneração também pode ser usada, porém de forma facultativa, para os demais servidores de carreira.

III

- Errado. Completamente errado. A lei complementar nunca irá

regulamentar uma medida provisória. A lei complementar é uma lei que regulamenta a Constituição. O correto, segundo o art. 39, §7º seria: lei da União, dos Estados, do DF e dos Municípios disciplinará a aplicação de recursos orçamentários provenientes da economia com despesas correntes em cada órgão, autarquia e

fundação, para aplicação no desenvolvimento de programas de qualidade e produtividade, treinamento e desenvolvimento, modernização, reaparelhamento e racionalização do serviço público, inclusive sob a forma de adicional ou prêmio de produtividade.

IV - Errado. O correto seria dizer que "é" assegurado, segundo o art.

40 da Constituição.

Gabarito: Letra A

14. (FCC/TJAA-TRE-PE/2011) Tibério, servidor público estável,

foi demitido, cujo cargo de diretor foi ocupado por Pilatos, também

servidor público estável, que ocupava cargo de auxiliar na mesma

repartição pública. A demissão de Tibério foi invalidada por sentença

por

consequência será:

a) reintegrado ao cargo de diretor e Pilatos será reconduzido ao seu

cargo de origem que se encontra vago, sem direito à indenização.

b) diretamente conduzido ao cargo de origem de Pilatos, que se encontra vago.

c) posto em disponibilidade porque seu cargo está ocupado por Pilatos e não pode ser rebaixado de função.

d) promovido de cargo à titulo de compensação por ter sido demitido.

e) avaliado previamente por psicólogo, que emitirá laudo sobre os

efeitos da demissão e se tem condições ou não de voltar ao trabalho

público.

Comentários:

A questão cobra do candidato o conhecimento sobre o instituto da

reintegração que foi prevista pelo art. 41 § 2º da Constituição, segundo o qual, se o servidor estável foi demitido, mas, a demissão

foi invalidada por sentença judicial, será ele reintegrado ao cargo

que ocupava, e o eventual ocupante da vaga, se estável, será

26

judicial

e,

conforme

previsto

na

Constituição

Federal,

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

reconduzido ao cargo de origem, sem direito a indenização, aproveitado em outro cargo ou posto em disponibilidade. Vamos entender melhor cada um desses institutos:

Reintegração, recondução, aproveitamento e disponibilidade:

Reintegração, recondução, aproveitamento e disponibilidade são quatro casos em que é imprescindível a estabilidade, ou seja, não são institutos aplicados ao servidor em estágio probatório.

Reintegração Se o servidor estável foi demitido, mas, a demissão foi invalidada por sentença judicial, será ele reintegrado ao cargo que ocupava, e o eventual ocupante da vaga, se estável, será reconduzido ao cargo de origem, sem direito a indenização, aproveitado em outro cargo ou posto em disponibilidade (Neste caso terá remuneração proporcional ao tempo de serviço).

Situação inicial:

Cargo 1

Cargo 2

Serv. A

Serv. B

Demissão do servidor A (estável) e ocupação do cargo 1 pelo servidor B:

Cargo 1 Serv. A Serv. B
Cargo 1
Serv. A
Serv. B

Cargo 2

do cargo 1 pelo servidor B: Cargo 1 Serv. A Serv. B Cargo 2 Prof. Vítor

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

27

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

Anulação da demissão do servidor A e sua reintegração ao cargo por ser estável:

Reintegração

Cargo 1 Serv. A Serv. B
Cargo 1
Serv. A
Serv. B
por ser estável: Reintegração Cargo 1 Serv. A Serv. B Gabarito: Letra A. Não = Exonerado

Gabarito: Letra A.

Não = Exonerado

1 Serv. A Serv. B Gabarito: Letra A. Não = Exonerado O serv. B é estável

O serv. B é estável

Não = Recondu ção

= Exonerado O serv. B é estável Não = Recondu ção Sim = O cargo 2

Sim = O cargo 2 está ocupado

Não = Recondu ção Sim = O cargo 2 está ocupado Cargo 2 Sim = Disponibilidade

Cargo 2

Não = Recondu ção Sim = O cargo 2 está ocupado Cargo 2 Sim = Disponibilidade

Sim = Disponibilidade com remuneração proporcional ao tempo de serviço ate que ocorra aproveitamento em outro cargo.

15. (ESAF/ATA-MF/2009) O eventual ocupante de vaga de

servidor reintegrado, se estável, será reconduzido ao cargo de origem

mediante prévia e justa indenização proporcional ao tempo de serviço.

Comentários:

A reintegração foi prevista pelo art. 41 § 2º, ali não há previsão para que ocorra indenização, pelo contrário, existe previsão expressa de que isso ocorrerá sem indenização.

Gabarito: Errado.

16. (FCC/AJAJ-TRE-PE/2011) Apolo, funcionário público, recebeu propina para convidar empresas fantasmas a fim de beneficiar a empresa UUUXXXAA Ltda. no processo de licitação de compra de material escolar pelo Poder Público Estadual. As empresas fantasmas, convidadas, não apresentaram propostas, o que levou a empresa UUUXXXAA a vencer a licitação, mesmo tendo apresentado proposta de fornecimento de material acima dos valores praticados no mercado. Segundo a Constituição Federal, o ato de improbidade administrativa cometido por Apolo, poderá importar:

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

28

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

a) a perda da função pública, apenas, pois o ressarcimento ao erário

competirá a empresa que venceu a licitação.

b) a suspensão dos direitos políticos, apenas, pois o ressarcimento ao

erário competirá a empresa que venceu a licitação.

c) a indisponibilidade de bens, apenas, pois é sua obrigação ressarcir

o erário, caso a empresa tenha fornecido o material escolar.

d) a perda da função pública e o ressarcimento ao erário, apenas,

sem prejuízo da ação penal cabível.

e) a suspensão dos direitos políticos, a perda da função pública, a

indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário, na forma e

gradação previstas em lei, sem prejuízo da ação penal cabível.

Comentários:

Assim diz a Constituição no art. 37:

§ 4º - Os atos de improbidade administrativa importarão a

suspensão dos direitos políticos, a perda da função pública, a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário, na forma e gradação previstas em lei, sem prejuízo da ação penal cabível.

§ 5º - A lei estabelecerá os prazos de prescrição para ilícitos praticados por qualquer agente, servidor ou não, que causem prejuízos ao erário, ressalvadas as respectivas ações de ressarcimento.

O parágrafo 4º merece atenção, pois é muito cobrado em concursos.

Deve-se ter atenção a esta diferença:

suspensão dos direitos políticos;

perda da função pública;

O parágrafo 5º também merece atenção para fins de concurso, veja

que os ilícitos terão seus prazos de prescrição disciplinado em lei, isto quer dizer que após este prazo, previsto em lei, o Estado não poderá

mais punir o infrator. Porém, a Constituição não prevê a possibilidade para prescrição das ações de ressarcimento. Ou seja, ainda que o infrator não possa mais ser punido pelo Estado, ele deverá ressarcir os danos causados ao erário.

Dessa forma, podemos esquematizar as consequências dos atos de improbidade administrativa da seguinte forma:

SUSPENSÃO dos direitos políticos;

PERDA da função pública;

Indisponibilidade dos bens;

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

29

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

O ressarcimento ao erário imprescritível, e na forma e gradação previstas em lei. Embora o ressarcimento seja imprescritível, a lei preverá a prescrição para punição dos ilícitos.

Gabarito: Letra E.

17. (ESAF/EPPGG-MPOG/2009) A Constituição da República previu consequências graves para os administradores que praticam atos de improbidade administrativa. Assinale, entre as opções abaixo, aquela que não se coaduna com as consequências pela prática dos atos de improbidade administrativa.

a) Suspensão dos direitos políticos.

b) Indisponibilidade dos bens.

c) A perda da nacionalidade.

d) Ressarcimento ao erário.

e) Perda da função pública.

Comentários:

As consequências para os condenados por improbidade administrativa

estão previstas no art. 37 §4º da Constituição. Combinando com o §5º do mesmo artigo, podemos esquematizar da seguinte forma:

SUSPENSÃO dos direitos políticos;

PERDA da função pública;

Indisponibilidade dos bens;

O ressarcimento ao erário

imprescritível,

e

na

forma e

gradação previstas em lei. Embora

imprescritível, a lei preverá a prescrição para punição dos ilícitos.

o

ressarcimento

seja

O erro,

banimento no Brasil, sendo a perda da nacionalidade declarada

apenas nos termos do art.

12 §4º

de

dessa forma,

está

na

letra

C,

que não

existe pena

da Constituição, não sendo

aplicável aos condenados por improbidade.

Gabarito: Letra C.

18. (CESGRANRIO/FENIG-RJ/2005) A Constituição da República elenca no caput de seu Art. 37 cinco princípios a que a Administração Pública deve guardar obediência. É considerado princípio fundamental da Administração Pública o princípio da:

(A)

eficiência.

(B)

impessoalidade.

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

30

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

(C)

razoabilidade.

(D)

legalidade.

(E)

moralidade.

Comentários:

A administração pública é informada, segundo o art. 37 da CF, pelos princípios do chamado "LIMPE" = Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade, e Eficiência.

Destes 5 princípios, o basilar é o da "legalidade". Por que professor

Legalidade tem 2 aspectos:

1- Para o cidadão - legalidade é poder fazer tudo aquilo que a lei não

proíba.

2- Para o agente público - legalidade é poder fazer somente aquilo que a lei permite ou autoriza.

Desta forma, se não houver um lei para autorizar ou permitir que o servidor possa exercer certa atribuição, ele não poderá fazer nada, ficará engessado.

Assim,

importantíssimos, o princípio considerado basilar, fundamental, é o

da legalidade.

Gabarito: Letra D.

embora

todos

sejam

importantes,

ou

melhor,

19. (CESGRANRIO/Advogado INEA/2008) Acerca das regras de investidura em cargo ou emprego público previstas na Constituição Federal, pode-se afirmar que:

I - é vedada a investidura de estrangeiros em empregos públicos;

II - o prazo de validade do concurso público será de até 2 (dois)

anos, prorrogável uma vez, por igual período;

III - a obrigatoriedade de realização de concurso público não é

extensível às empresas públicas e sociedades de economia mista;

IV

- a investidura em emprego público depende de aprovação prévia

em

concurso público de provas ou de provas e títulos, ressalvadas as

nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação.

Estão corretas as afirmações

a) I e II, apenas.

b) I e IV, apenas.

c) II e IV, apenas.

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

31

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

d) I, II e IV, apenas.

e) I, II, III e IV.

Comentários:

Item I - Errado. O art. 37, I da Constuição diz que os cargos públicos são acessíveis aos brasileiros e aos estrangeiros, mas para estes somente na forma da lei.

Item

e

prorrogáveis por mais 2. Assim, está errado quando as bancas dizem que será de 2 anos ou ainda que será de 4 anos (CF, art. 37, III).

Item III - Errado. Perceba que o art. 37, II da Constituição diz ser

II

- Correto.

Perceba que o

prazo é

de

"ATÉ" 2

anos

obrigatório o concurso para que haja investidura de cargo emprego público.

ou

Item

IV

-

Correto. Acabamos de comentar sobre isso no

item

anterior.

Gabarito - Letra C.

20. (Consulplan/Adv. Pref. Laranjeiras – SE/2006) Em relação

ao controle da administração pública, assinale a alternativa correta:

A) O direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos

em lei complementar.

B) Somente por lei complementar poderá ser criada autarquia e

autorizada a instituição de empresa pública, de sociedade de economia mista e de fundação, cabendo à lei específica, neste último

caso, definir as áreas de atuação.

C) Os cargos, empregos e funções públicas são acessíveis aos

brasileiros que preencham os requisitos estabelecidos em lei, assim

como aos estrangeiros, na forma da lei.

D) A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios instituirão,

exclusivamente, regime jurídico único e planos de carreira para os servidores da administração direta, das autarquias e das fundações públicas.

E) Nenhuma das assertivas anteriores está correta.

Comentários:

Letra A – Errado. Segundo o art. 37, VII da Constituição, o direito de greve dos servidores será exercido nos termos e nos limites definidos em lei específica. Essa redação foi dada pela EC 19/98 que mudou a exigência de "lei complementar" para "lei ordinária específica".

Letra

lei

complementar seria lei específica, e em vez de lei específica seria lei

B

Errado.

Trocaram-se

os

termos.

O

em

vez

de

32

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

complementar. Então temos, pela literalidade do art. 37, XIX - Somente por lei específica poderá:

Ser criada autarquia; e

Ser autorizada a instituição de:

o

Empresa pública;

o

Sociedade de economia mista; e

o

Fundação, cabendo à lei complementar, neste caso, definir as áreas de sua atuação;

Letra C – Correto. Perfeita literalidade do art. 37, I da Constituição. Os estrangeiros podem ocupar cargos públicos, desde que na forma da lei.

Letra D – Essa assertiva deixou a questão prejudicada. Hoje em dia ela está certa, mas na época estava errada. Vamos entender:

Antes de 1998, a redação do art. 39 da CF possuía o seguinte teor:

“A União, os Estados, o DF e os Municípios instituirão, no âmbito de sua competência, regime jurídico único e planos de carreiras para os servidores da administração pública direta, das autarquias e das fundações públicas.”

Isso quer dizer que qualquer um que fosse contratado, mediante concurso, para a Administração Direta da União, Estados/DF e Municípios, ou para as suas autarquias e fundações públicas,

ou seja, seria

ingressaria no serviço através do regime “estatutário”

um servidor público, sujeitando-se à lei 8112 (ou respectivos estatutos Estaduais e Municipais), e que com o tempo iria adquirir estabilidade e etc.

Acontece que com a EC 19/98, o texto do art. 39 mudou para:

“A União, os Estados, o DF e os Municípios instituirão conselho de política de administração e remuneração de pessoal, integrado por servidores designados pelos respectivos Poderes.”

A EC 19/98 acabou com a obrigatoriedade do RJU (regime jurídico único). A partir de então, as administrações diretas, autárquicas ou fundacionais passaram a poder contratar, além de servidores públicos, os “empregados públicos”, que seriam regidos pela CLT e não pelo estatuto (lei 8112). Havia então uma duplicidade de regimes entre os agentes: os servidores estatutários e os empregados públicos celetistas.

de

Mas,

Inconstitucionalidade – ADI nº 2.1354 – atacou a redação do caput do art. 39 da CF, dada pela EC 19/98, que agora encontra-se está cautelarmente suspensa, e com essa suspensão, volta a vigorar

33

o

jogo

mudou

novamente.

Uma

Ação

Direta

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

o texto anterior, embora com uma eficácia não retroativa (ex-nunc) até o momento, pois é uma decisão cautelar.

Resultado, atualmente voltamos a ter o disposto:

“A União, os Estados, o DF e os Municípios instituirão, no âmbito de sua competência, regime jurídico único e planos de carreiras para os servidores da administração pública direta, das autarquias e das fundações públicas.”

Mas na época da questão estava errado!

Gabarito: Letra C.

21. (Consulplan/Adv. Pref. Sertaneja-PR/2010) Acerca da estabilidade decorrente de nomeação para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público, é INCORRETO afirmar:

A) O servidor público estável poderá perder o cargo mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa.

B) Como condição para a aquisição da estabilidade, é obrigatória a

avaliação especial de desempenho por comissão instituída para essa finalidade.

C) O procedimento de avaliação periódica de desempenho poderá

ensejar a perda do cargo.

D) Invalidada por sentença judicial a demissão do servidor estável,

será ele reintegrado, e o eventual ocupante da vaga, se com menos de três anos de efetivo exercício no serviço público, será reconduzido ao cargo de origem, sem direito a indenização.

E) Extinto o cargo ou declarada a sua desnecessidade, o servidor

estável ficará em disponibilidade, com remuneração proporcional ao

tempo de serviço, até seu adequado aproveitamento em outro cargo.

Comentários:

Letra A e C – Corretas. Sabemos que são 4 as hipóteses do servidor público estável perder o cargo, e essas são duas delas:

1- mediante sentença judicial transitada em julgado;

2- mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa;

3- mediante procedimento de avaliação periódica de desempenho, na forma de lei complementar, assegurada ampla defesa.

4- No caso de excesso de despesas do ente público (CF, art. 169, §4º).

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

34

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

Letra B – Correto. É o § 4º do art. 41 da Constituição: Como condição para a aquisição da estabilidade, é obrigatória a avaliação especial de desempenho por comissão instituída para essa finalidade.

Letra D – Errado. O servidor com menos de três anos de efetivo exercício no serviço público não é um servidor estável. E somente servidores estáveis podem ser reconduzidos ao cargo de origem.

Letra E - Correto. É o que dispõe a CF, literalmente, em seu art. 41 § 3º: Extinto o cargo ou declarada a sua desnecessidade, o servidor estável ficará em disponibilidade, com remuneração proporcional ao tempo de serviço, até seu adequado aproveitamento em outro cargo.

Gabarito: Letra D.

22. (Consulplan/Adv. Pref. São José do Ubá - RJ/2010) De

acordo com a Constituição da República Federativa do Brasil NÃO são

remunerados necessariamente mediante subsídio o(s):

A) Membros de Poder.

B) Detentor de cargo eletivo.

C) Ministros de Estado e Secretários Estaduais e Municipais.

D) Membros do Ministério Público.

E) Integrantes da Advocacia Pública, incluindo-se nesta as Procuradorias dos Municípios.

Comentários:

Antes de entrarmos efetivamente na questão, é preciso que saibamos o que estabelece a Constituição sobre a obrigatoriedade do subsídio (aquela remuneração que é paga em parcela única, vedado qualquer acréscimo):

CF art. 39 § 4º O membro de Poder, o detentor de mandato eletivo, os Ministros de Estado e os Secretários Estaduais e Municipais serão remunerados exclusivamente por subsídio fixado em parcela única, vedado o acréscimo de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória, obedecido, em qualquer caso, o disposto no art. 37, X e XI.

Apenas pode haver acréscimos de parcelas indenizatórias (a nível federal, segundo a Lei nº 8.112/90, seriam elas: ajuda de custo, diária, transporte e auxílio moradia).

Também é obrigatório para os:

Prof. Vítor Cruz

Servidores policiais (art. 144, § 9º);

www.pontodosconcursos.com.br

35

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

Membros do MP (art. 128, § 5º, I, “c”); e

Defensores Públicos e integrantes da AGU (art.

135).

Observe que não são “os servidores das polícias”, mas, somente os policiais.

§8º Este tipo de remuneração também pode ser usada, porém de forma facultativa, para os demais servidores de carreira.

Voltando à questão:

Vemos que o erro está na letra E, pois dentro da advocacia pública, só os membros da AGU (Advocacia geral da UNIÃO) é que possuem a obrigatoriedade do subsídio. A questão errou ao dizer: incluindo-se nesta as Procuradorias dos Municípios.

Gabarito: Letra E.

23. (Consulplan/Adv. Pref. Sertaneja-PR/2010) Ao servidor público da administração direta, autárquica e fundacional, no exercício de mandato eletivo, é INCORRETO afirmar que:

A) Tratando-se de mandato eletivo federal, estadual ou distrital,

ficará afastado de seu cargo, emprego ou função.

B) Investido no mandato de Prefeito, será afastado do cargo, emprego ou função, sendo-lhe facultado optar pela sua remuneração.

C) Investido no mandato de Vereador, havendo compatibilidade de

horários, perceberá as vantagens de seu cargo, emprego ou função, sem prejuízo da remuneração do cargo eletivo.

D) Investido no mandato de Vereador, não havendo compatibilidade

de horários, será facultado optar pela sua remuneração.

E) Investido no mandato de Prefeito, será afastado do cargo,

emprego ou função, percebendo as vantagens de seu cargo, sem prejuízo da remuneração do cargo eletivo.

Comentários:

Do art. 38 da Constituição podemos entender que ao servidor público da administração direta, autárquica e fundacional, no exercício de mandato eletivo, irá ser aplicado o seguinte:

Se o mandato for federal, estadual ou distrital: ficará afastado de seu cargo, emprego ou função;

Se for mandato de Prefeito: será afastado do cargo, emprego ou função, sendo-lhe facultado optar pela sua remuneração;

36

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

Se for mandato de Vereador:

o Havendo compatibilidade de horários: Perceberá as vantagens de seu cargo, emprego ou função, sem prejuízo da remuneração do cargo eletivo;

norma

o Não

havendo

compatibilidade:

Será

aplicada

a

referente ao prefeito.

Assim vemos que somente a letra E está errada. Pois investido no mandato de Prefeito, ele realmente será afastado do cargo, emprego ou função, porém ele NÃO receberá as vantagens de seu cargo, sem prejuízo da remuneração do cargo eletivo. Isso é o que acontece no caso de VEREADOR com compatibilidade de horários.

No caso de prefeito ele deve OPTAR por qual a remuneração que quer receber.

Gabarito: Letra E.

24. (Consulplan/Adv. Pref. São Leopoldo-RS/2010) O servidor

público da administração direta, autárquica e fundacional, no exercício de mandato eletivo de Vereador, e havendo compatibilidade de horários:

A) Perceberá as vantagens de seu cargo, emprego ou função, sem

prejuízo da remuneração do cargo eletivo.

B) Será afastado do cargo, emprego ou função, sendo-lhe facultado

optar pela sua remuneração.

C) Será afastado de seu cargo, emprego ou função, percebendo a

remuneração de seu cargo eletivo.

D) Perceberá as vantagens de seu cargo, emprego ou função, apenas.

E) Perceberá as vantagens de seu cargo eletivo, apenas.

Comentários:

Vamos fixar:

Se o mandato for federal, estadual ou distrital: ficará afastado de seu cargo, emprego ou função;

Se for mandato de Prefeito: será afastado do cargo, emprego ou função, sendo-lhe facultado optar pela sua remuneração;

Se for mandato de Vereador:

o Havendo compatibilidade de horários: Perceberá as vantagens de seu cargo, emprego ou função, sem prejuízo da remuneração do cargo eletivo;

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

37

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

o Não

havendo

compatibilidade:

referente ao prefeito.

Gabarito: Letra A.

Será

aplicada

a

norma

25. (CESGRANRIO/Analista-DNPM/2006) De acordo com as regras definidas na Constituição Federal, é assegurado, aos servidores públicos em geral, que atualmente assumirem a titularidade de cargo efetivo da União, o direito à aposentadoria compulsória, ainda que não tenham completado 30 anos de contribuição, com a idade de:

(A) 65 (sessenta e cinco) anos, com proventos proporcionais ao

tempo de contribuição.

(B)

65 (sessenta e cinco) anos, com proventos integrais.

(C)

70 (setenta) anos, com proventos proporcionais ao tempo de

contribuição.

(D)

70 (setenta) anos, com proventos integrais.

(E)

75 (setenta e cinco) anos, com proventos integrais.

Comentários:

proventos

proporcionais, pois, imagine uma pessoa entrar no serviço com 65

anos de idade e depois de 5 anos apenas, se aposentar com proventos integrais, seria ilógico não é mesmo!

Fugindo um pouco da questão, vamos falar um pouco mais sobre as “Regras de Aposentadoria”:

I - por invalidez permanente, sendo os proventos

proporcionais ao tempo de contribuição, exceto se decorrente de acidente em serviço, moléstia profissional ou doença grave, contagiosa ou incurável, na forma da lei;

II - compulsoriamente, aos setenta anos de idade, com

proventos proporcionais ao tempo de contribuição;

III - voluntariamente, desde que cumprido tempo mínimo

de dez anos de efetivo exercício no serviço público e cinco

anos no cargo efetivo em que se dará a aposentadoria, observadas as seguintes condições:

O Gabarito da questão é letra

C,

70

anos

com

a)

sessenta anos de idade e trinta e cinco de contribuição,

se

homem, e cinqüenta e cinco anos de idade e trinta de

contribuição, se mulher;

b) sessenta e cinco anos de idade, se homem, e sessenta

anos de idade, se mulher, com proventos proporcionais ao

tempo de contribuição.

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

38

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

As bancas examinadoras tentam confundir os candidatos trocando o termo "tempo de contribuição" por "tempo de serviço". Muita atenção: sempre que se falar em aposentadoria, a proporção se faz em relação ao tempo de contribuição. O salário proporcional ao tempo de serviço se dá apenas no caso de o servidor encontrar-se em "disponibilidade".

§ 5º Os requisitos de idade e de tempo de contribuição serão reduzidos em 5 anos para a aposentadoria prevista na alínea “a” acima, para o professor que comprove exclusivamente tempo de efetivo exercício das funções de magistério na educação infantil e no ensino fundamental e médio

Esquematizando as regras de aposentadoria:

Aposentadoria por invalidez permanente:

- PROVENTOS PROPORCIONAIS ao tempo de CONTRIBUIÇÃO. Salvo, se decorrente de:

Acidente em serviço;

Moléstia profissional; ou

Doença grave, contagiosa ou incurável.

Nestes casos serão integrais, na forma da lei;

Aposentadoria compulsória:

– PROVENTOS PROPORCIONAIS ao tempo de CONTRIBUIÇÃO aos 70 ANOS de idade.

Aposentadoria voluntária:

Voluntária com proventos “integrais”:

Se Homem

(60+35+10+5)

Se Mulher

(55+30+10+5)

60

35

10

anos de idade; (55 se professor “FMI”) anos de contribuição; (30 se professor “FMI”) anos no serviço público;

5 anos no cargo em que vai se dar a aposentadoria

55

anos de idade; (50 se professor “FMI”)

30

anos de contribuição; (25 se professor “FMI”)

10

anos no serviço público;

5 anos no cargo em que vai se dar a aposentadoria

Professor "FMI" = Se professor de nível Fundamental, Médio ou Infantil.

39

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

Os 10 anos no serviço público e 5 no cargo são fixos para os 2, e do homem para a mulher, diminui-se 5 anos dos demais requisitos.

Voluntária

CONTRIBUIÇÃO:

com

Se Homem

(65+ X +10+5)

Se Mulher

(60+ X +10+5)

proventos

PROPORCIONAIS

65 anos de idade;

ao

tempo

de

anos de contribuição – proporcional a este tempo;

10 anos no serviço público;

5 anos no cargo em que vai se dar a aposentadoria

60 anos de idade;

anos de contribuição – proporcional a este tempo;

10 anos no serviço público;

5 anos no cargo em que vai se dar a aposentadoria

Perceba que o

professor

não

faz

jus

à redução neste caso

de

aposentadoria com contribuição.

proventos

proporcionais

ao

tempo

de

Gabarito: Letra C.

26. (CESPE/SEFAZ-AC/2009) Conforme as regras atuais de

aposentadoria voluntária, não é necessário que o servidor tenha um tempo mínimo de investidura no cargo efetivo em que se dará a

aposentadoria.

Comentários:

É exigido que o servidor tenha pelo menos 5 anos de efetivo serviço no cargo o qual se deu a aposentadoria (CF, art. 40, III).

Gabarito: Errado.

27. (ESAF/ATA-MF/2009) O tempo de contribuição federal,

estadual ou municipal será contado para efeito de disponibilidade, nos termos da Constituição Federal.

Comentários:

Tempo de contribuição se conta para aposentadoria, o que se conta para disponibilidade é o tempo de serviço. Trata-se de disposição muito cobrada em provas: Tempo de contribuição conta para aposentadoria / Tempo de serviço conta para disponibilidade.

Gabarito: Errado.

40

Prof. Vítor Cruz

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL – INSS PROFESSOR: VÍTOR CRUZ

28.

deficiência pode ter critérios diferenciados para a concessão de aposentadoria.

Comentários:

Segundo a Constituição em seu art. 40 § 4º, é vedada a adoção de requisitos e critérios diferenciados para a concessão de aposentadoria aos abrangidos pelo regime próprio de previdência social, ressalvados, de acordo com os termos de leis complementares os casos de servidores:

(CESPE/MMA/2009) Servidor público federal portador de

I. Portadores de deficiência;

II. Que exerçam atividades de risco;

III. Cujas atividades sejam exercidas sob condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física.

Gabarito: Correto.

Acabou!!!

Fim de papo, fim de curso!

Obrigado por terem confiado em nosso trabalho. Espero realmente que consigam alcançar a tão sonhada vaga.

Prof. Vítor Cruz

Vítor Cruz

41

www.pontodosconcursos.com.br