Sei sulla pagina 1di 86

Capítulo 1- Bases da família

Maio, dia 1,no ano de 93

- Maria... Maria... ,acorda meu bem, hoje é “o dia”

- Deixa eu dormir , Fernando, hoje é Dia do trabalho e não estou com vontade de acordar-
disse a mãe gestante

- Se você acordar agora, vamos chegar cedo na Santa Casa e fazer o parto logo.

- Bom, estou saindo da cama e vou para o banho.

Maria levanta da cama, tira as havaianas, anda devagar até a banheira, abre o registro e
agoniza.

- Amor, rompeu a bolsa – Disse Maria com uma dor inabalável

Fernando corre ,entra no quarto de Pedro, o acorda, não diz nada ao pequeno, desce a escada
com o filho nos braços, liga o fusca e põe Maria no carro, e toca para a rua Luís de Camões,
onde mora uma tal de tia Clara.

O pequeno Pedro, com três anos e muita inocência e com uma inteligência de uma criança de 6
pergunta :

-Ela vai ter que nascer hoje, né, vocês já pensaram no nome ? – Se referindo ao não nascido
bebê.

Fernando e Maria respondem :

- Não Pedrinho, não sabemos que nome dar a ela, mas ela vai ser “muito especial”.

Eles chegam a casa da Tia Clara, deixaram Pedrinho lá e começaram a conversar :

- Fê, precisamos falar o “Segredo”, se não ele vai nos “matar” daqui uns anos.

- Amor, ele nem sabe que você “é”, e ele é muito novo para entender.

- Vocês homens, são todos iguais, adoram esconder fatos importantes e... – Maria, agoniza
mais forte- aaaaaaaaaaai, estamos chegando ,amor ?

Fernando para na vaga de deficientes, entra na Santa Casa, chega no balcão e fala :

- Minha mulher rompeu a bolsa .

A equipe corre, pega um cadeira de rodas, e um equipamento de inalação, pega Maria e


começa a correria, pegam todos os sinais vitais, vão para a sala de cirurgia e contatam a
Obstetra da família, e começa toda a balbúrdia de um parto cesariano que todo o pai teme.
- Doutora Rosa – Fernando aperta a mão da obstetra antes da desintoxicação – dessa vez eu
vou agüentar ver o parto. Boa Sorte.

Os médicos começaram a fazer incisões, a abrir tecidos e fazer vários processos e depois de 1
hora e meia, nasceu a menina que ia ter aventuras que não imaginava ainda.

- É uma menina, pesa 2,765 quilogramas ,têm belos olhos azuis e uma marca familiar nas
costas- disse Rosa

- E o nome da criança ? – pergunta uma enfermeira á Maria

- Marine , pela cor azul de seus olhos e por sua herança.

A marca estranha de Marine, era um pentagrama virado para cima, igual e na mesma posição
que está no ombro de Maria.

Dois dias depois, e depois de registrar Marine no cartório, fazer os exames de rotina para
bebês, e do primeiro leite, a família volta para sua casa na cidade litorânea de Marina das
Sereias, calma e pacífica como qualquer cidade deste tipo.

- Vamos dar banho na pequena Marine. – Diz Maria aos olhos fuzilantes de Fernando,
parecendo prever o desastre que aconteceria.

Maria põe a banheirinha de bebê, enche o balde e usa um baldinho para molhar Marine e lava
o bebê por um bom tempo até que escorrega, vira o balde com toda a água na perna e tira toda
a roupa da parte inferior do corpo ultra rapidamente e sua perna começa a brilhar, sua perna
se funde em uma parte só ,seus pés se tornam nadadeiras ,sua perna única se cobre de belas
escamas salmão e começa a sentir falta de ar, metade uma bela dama, metade escama, sim,
Maria é uma sereia e começa a gritar.

- Beem, preciso de muita água – Maria grita e Fernando com cara de “eu-sabia-que-iria-
acontecer” não ouvia.

Daí Pedrinho, corre, vai até o banheiro, olha sua mãe com um rabo de peixe e sua mãe fala com
sede-de-ar :

- Filho, depois eu explico, pegue um balde com água, ligue a torneira quando eu botar a cabeça
no balde e fale pro papai a palavra “Salmão”

Pedrinho tira força de sua alma de pequena criança, vai a varanda de casa pega o balde, vai ao
banheiro,enche o balde, sua mãe bota a cabeça no balde para respirar e a banheira começou a
encher e Pedrinho diz ao pai o código. Fernando chega ao banheiro, põe sua mulher na
banheira e Maria trás Marine ao seu colo para lavá-la, enquanto começa a explicação de
Fernando :
- Pedrinho, só iríamos contar isso quando sua irmãzinha fizesse treze anos, mas agora mãe vai
contar.

Maria fala :

- Filho, já te contei a história dos bebês, agora vou te falar de células e genes.

Pedrinho estranha e sua mãe fala.

- Você é feito de várias partes pequeninhas chamadas células e nessas células tem um núcleo e
no núcleo temos o DNA que é o manual de instruções de como uma pessoa é feita. Uma dessas
instruções é eu ser sereia. Esta instrução está com os genes do sexo. Sua mãe teve um pai e
uma mãe normal com um gene atlante, para ser uma sereia uma mulher precisa ter dois Xis
com o gene atlante.

Pedrinho faz uma cara de entededor, entendeu, Fernando que é farmacologista se impressiona
que seu filho que entedeu o que ele demorou um mês para estudar, e seu filho pergunta :

- Existe tritão ?

Maria responde :

- Filho, não sei porque, mas só existem sereias.

Pedrinho pergunta :

- Sereias só respiram água e nadam rápido , ou têm outros dons também ?

- Sereias respiram água doce e salgada, nadam muito rápido, agüentam muita pressão
atmosférica na água, lêem pensamentos de peixes e de frutos do mar, cantam lindamente e
controlam homens com isso, alcançam notas agudíssimas e controlam a água e seus estados á
distância – Maria explica isso demonstra o truque da água enchendo o copo, e conclui – todos
os poderes se manifestam aos 13 anos após a última lua antes do aniversário, e uma estrela no
ombro direito inrretirável simboliza que uma mulher é sereia, mas alguma pergunta ?

- Posso jogar Mário ? - Pedrinho pergunta.

- Só se eu jogar e almoçar para irmos deixar você na vó Dita.- Responde Fernando.

Pedro vai saltitando até a sala, cantarolando a música que toca em seu cartucho de SNES
favorito e Fernando ajuda a secar as escamas de sua mulher e o rabo de sua mulher brilha,
separam-se as pernas e sua nadadeira cartilaginosa se torna pé humano ósseo. O almoço é
feito, todos os parentes se alimentam, todos os trabalhos foram executados, a janta foi feita e
todos dormiram.
Capítulo 2 – Introduzindo Marine

Três Anos se passaram e muitas coisas mudaram : Pedro fez 6 anos em 23 de março de 96,
entrou na escola e Marine agora tem 3 anos, Maria voltou a trabalhar como consultora de uma
marca de cosmético e Fernando virou farmacologista chefe de sua firma. Maria conseguiu o
cash para bancar a natação dos filhos por eles morarem na frente da praia e não conseguiam
nadar :

- Dona Márcia, nós viemos para a primeira aula de natação da Marine – Maria diz (Pedro já
tinha um ano de natação e estava no infantil-intermediário.)

- Bom , maninha , relaxa, sempre a primeira vez dá medo mas tenho um segredo. Respire pela
boca e solte pelo nariz – Pedro diz

- Mas, se não der certo, tenho medo de me afogar.- A pequena e morena Marine disse.

- Vamos entrar na água- disse Marcela, a instrutora que nunca entrou na água apesar de Pedro
desconfiar que não era uma simples.

Marcela começou a explicar os métodos de natação á pequena Marine e pediu um de cada,


depois cinco, depois dez, depois quinze, até que ela esqueceu do truque que havia sido
ensinado pelo irmão e começou a se afogar.

- Tia Marcela, minha irmã está se afogando na água.- Pedro fala e Marcela olha diz ao garoto
que não pode entrar- Marcela, pode entrar que eu sei o que você é – Pedro fala mas nada para
tomar uma rápida atitude, tira água da psicina, pega a irmã, a instrutora aproveita tira sua
roupa de mergulho inteira, pula na água que nem a Pamela Anderson em Baywatch e suas
pernas e pés viram um rabo de sereia e ela ficou na piscina fazendo a ressuscitação e Pedro
agradece e fala : - Sabia que você era sereia.

A instrutora :

- Eu gosto muito de ensinar natação, mas me faz falta o contato direto com o aluno, além disso
você bateu um recorde olípicio, tentando salvar sua irmã. Já pensou em treinar.

Marine recobra a consciência, e Pedro e Marcela correm para secar as escamas da mesma e
Marcela se veste para não assustar Marine que já acordara.

- Que susto você me deu mana, mas ainda você vai me salvar – Pedro fala para Marine

- Um dia eu vou poder te salvar quando quiser – Diz Marine.


Capítulo 3 – O Segredo de Marine

Marine está comemorando seu aniversário de treze anos e está se arrumando. Marine olha
seus olhos azuis e seus cabelos castanhos lisos e procura o vestido perfeito no armário :

- Pega o azul, fica lindo em você e combina com os brincos – diz Carla, amiga e confidente de
Marine

- Olha Carla, tá difícil, só penso em água, entrar numa piscina, tomo água e a sede não acaba e
minha mãe não me deixa entrar em contato com a água até o parabéns, por que as
conseqüências vão ser terríveis.

- Sua mãe talvez esteja certa, ela pensa só no seu bem – diz Patrícia, vizinha da casa ao lado e
irmã de alma gêmea, segundo Marine

- Vocês tem sombra azul ? Só falta isso pra eu ficar pronta – disse Marine , depois Carla
empresta o pote de sombra.

Marine fica pronta e analisa seu look, vê o longo vestido azul, os belos brincos azuis de estrela,
seu longo cabelo castanho e o salto alto azul combinando com as unhas pintadas de azul
metodicamente pintadas e com a maquiagem feita para reforçar o brilho de seus olhos azuis.

Marine abre a porta de seu quarto azul claro, sai de seu mundo azul e anda pelo corredor
como se fosse uma passarela, encosta a mão no corrimão e desce a escada de vidro como se
fosse da realeza e suas amigas a seguem como pajens, a luz da tarde brilha em seu cabelo e ela
tem direito de se sentir o máximo, pois esse é um aniversário especial.

Marine abre a porta da varanda e sai de seu castelo imaginário de cristal e comprimenta do
seu irmão mais velho até o penetra com toda a classe, e sua mãe Maria rompe o silêncio e a
calmaria :

- Filha, este é seu presente – e Maria tira o toldo de uma piscina azul céu, grande o suficiente
para quinze pessoas e diz – Gastei o dinheiro de dez meses de consultoria, mas valeu a pena.

Como uma criança de dez anos, Marine ficou feliz e se comportou na bela festa de treze anos,
dançou muito, comeu bastante, se divertiu, girou a garrafa, tomou um refrigerante de cola,
cantou o parabéns, assoprou as velas, desejou uma vida mais emocionante, disse tchau á todos
e eram 8 da noite e era a primeira lua após o aniversário de Marine marcou o céu no
compasso e a casa virou uma zona de lixo, depois de limparem o quintal, Pedro e Fernando
foram limpar o resto da casa e deixaram as meninas e estavam falando atrás da porta:

- Pai, tenho medo que elas briguem dessa vez.

- Filho, você vai ver isso, um nascimento oceânide sempre é lindo de se ver.

- Anh ?
- Nascimento oceânide e quando uma garota se transforma em sereia pela primeira vez,
depois dos 13 anos, Pedro.

Enquanto isso na borda da piscina...

- Marine, tenho um segredo para te contar – Maria fala enquanto tira a roupa da parte inferior
do corpo.

Maria senta na grama, e escorrega a perna e a mergulha na água. A perna brilha, sua perna se
funde, seus pés são despidos dos dedos, os pés se fundem, brota uma nadadeira rosa salmão
em seus pés e brotam escamas vermelhas salmão em sua perna única. Marine olha estarrecida
por não saber que sua mãe é uma sereia.

- Marine, agora você deve entrar na água para se tornar o que você é de verdade, uma sereia,
tire seu vestido, sua calcinha e entre na água.

Pedro vê sua irmã nua, vomita e desmaia no sofá

Marine põe sua parte de cima do biquíni favorita, e pula estilo bola-de-canhão na água. Ela fica
de pé na água e a estrela de suas costas começa a brilhar todas as cores e para na cor azul
claro, sua mãe tira o rabo da água e a água começa a borbulhar, a lua brilha em cima de Marine
e uma estrela azul passa no corpo inteiro de Marine. Daí, sua perna brilha, se funde, seus pés
se fundem e ficam sem dedos e nasce uma nadadeira azul no lugar dos dedos, sua perna única
e com nadadeira se enche de escamas azuis e Marine se torna uma sereia. Marine se enche de
alegria vê seu belo rabo azul e vê seu cabelo cobrir uma nadadeira embaixo das costas e pede
a seu pai um espelho, olha sua pele branca bronzeada, seu olhos azuis, seu rosto e compara
seu rabo com seus olhos, Marine segura a borda da piscina e senta seu rabo ao lado de sua
mãe.

- Marine, você não teve medo do que lhe aconteceu ?

- Não mãe, meu irmão me contou tudo. Ele não queria que brigássemos.

- Ele lhe contou as 5 leis ?

- Sim. Usar o poder para o bem, defenda o mar e os rios sempre, tire o mau do planeta terra,
revele seu segredo só a quem merecer e não tirar a calça em público.

- Já tentou manipular água, filha ?

Marine manipula a água, congela a água e faz uma escultura de sua forma de sereia.

- Filha, eu demorei 3 meses para fazer isso. Agora quebre isso.

Marine alcança aquela nota que só cetáceos (golfinho e boto) e baleias alcançam e quebra a
estátua e todas as vidraças da vizinhança.

- Quero ver agora você fazer os vizinhos esquecer tudo o que aconteceu, Marine.
Marine canta “Terra, Planeta Água” no lá lá lá. Pedro acorda, curte a música com Fernando
pois eles são imunes ao “canto da sereia” e os vizinhos que estavam brigando entraram em
suas casas hipnotizados como zumbis.

Maria e Marine põem todo o corpo na piscina, submergem totalmente, e deitam no fundo.
Marine respira um pouco de água e sente o frescor da água se tornar animo oxigenante. Acha
estranho, sorri e vê a beleza do céu estrelado embaixo da água daí ouve uma voz em sua
mente :

- Filha, vamos sair daqui, por que temos que limpar a casa.

- Legal, podemos falar embaixo da água usando a mente. – Marine se surpreende.

Maria e Marine alcançam o topo da piscina, seguram a borda, tiram os seus rabos de sereia da
água, pedem toalhas, secam seus rabos, seus rabos brilham, se dividem em pernas, e suas
nadadeiras se tornam pés, elas põem suas roupas na varanda do sobrado e entram em casa :

- Vamos limpar a casa ? – As mulheres perguntam.

- Vamos filho, vamos limpar.- diz Fernando para Pedro enquanto pega o balde de limpeza.

Maria ensina um truquezinho de limpeza para a filha. Dilui limpa-pisos em um balde de água,
manipula a água a distância e faz uma pequena onda de limpa-pisos fluir sobre a cozinha.
Marine repete o truque com perfeição no hall da escada. Fernando passa o pano no pequeno
oceano de limpa-pisos e Pedro joga os copos recicláveis na lata verde com um triângulo e lava
as tigelas na pia. A família limpa toda a casa e com o trabalho terminando as 22:30, Pedro tem
uma idéia :

- Marine, topa um mergulho ?

- Topo, pegue meu top azul do biquíni azul petróleo enquanto tiro as calças.

Pedro corre até o quarto de Marine, pega o top azul, joga-o pela janela e surfa o corrimão da
escada, abre a vidraça e entra na varanda. Marine já pronta corre em direção do trampolim,
pula, alcança uns 8 metros, dá um giro e entra na água com perfeição, faz espuma na água e
quando a espuma para, as pernas já deixaram Marine que já está como sereia, e completa uma
cena de cinema. Pedro responde :

- Estilo,nota dez, mas não foi tão alto.

Pedro anda vagarosamente no trampolim, pula cinco vezes, acerta as partes baixas e dá uma
barrigada dolorida na água. Marine analisa :

- Sereia ou não, eu sei que o segredo de um mergulho perfeito é correr ,depois pular.

Maria adverte :

- Meus jovens, é hora de dormir para acordar cedo para a escola.


Pedro põe sua irmã nos braços e sobe a escada da piscina entra na sala e diz :

- Eu e minha pesca vamos para a cama.

Todos riem por Pedro estar segurando sua irmã sereia nos braços. Pedro continua o desafio,
leva Marine ao seu quarto, lhe dá uma toalha para a garota poder voltar ás pernas, Marine se
seca, suas pernas voltam, ela anda até o armário e põe seu pijama azul, deita na cama, não
acredita no que lhe foi revelado e dorme com um sorriso.

Capítulo 4 – O Primeiro dia do resto das nossas vidas

Marine acorda após o melhor dia da sua vida e desce para a cozinha para ver sua mãe e
encontra um iPod com um post-it escrito “Dê Play” , e aperta o botão :

- Bom dia, filhões, fui fazer consultoria mais cedo hoje. O leite está em cima do fogão e os pães
estão na mesa. Marine, enquanto seu irmão toma banho, tome seu café e pegue o jornal lá fora.
Depois que seu irmão descer tome banho NA BANHEIRA e esfregue bem suas escamas, se
vista e vá ao Hans, depois você tem o ultimo dia de natação, eu chego á uma da tarde, beijo
filhota. Tchau.

Enquanto o carinho eletrônico tocava, Marine tomava leite, lia “A Gazeta Marítima” e esperava
Pedro, ele desceu e foi tomar café. Marine escova os dentes enquanto a torneira enchia a
banheira. Marine senta na banheira e escova seus lindos cabelos, pôs seus pés na água, senta,
se ajeita enquanto sua perna se transforma. Marine está transformada e vê suas escamas
embaixo da área do umbigo e pensa no trabalho que vai dar para se limpar. Se esfrega da
nadadeira ao cabelo, depois pede para seu irmão lavar suas costas, nadadeira dorsal e seu
rabo. Marine sai da banheira e senta no chão, se seca e agora ela pode ficar de pé e vai ao
quarto e pega a roupa da escola, “Instituto Educacional Hans Christian Andersen” é o nome da
escola, o mesmo nome do escritor de “A Pequena Sereia”. Camisa branca pólo com o logo da
escola, calça preta, detalhes em vermelho e amarelo e sapatos a escolha do aluno, Marine
escolhe um par de tênis azul-prateado.

7 da manhã, Pedro e Marine descem a escada, abrem a porta da sala, a fecham com a chave e a
põem no tapetinho. Pegam as bicicletas, azul é a cor da bici da Marine e verde a de Pedro,
sobem nas bicicletas, viram á direita e pegam a ciclovia, pegam a rua até o final e viram á
direita, chegam na escola e vão ao biciclétario e prendem ela bem. Carla, Patrícia e Douglas os
esperam. Homens e mulheres se separam

- E aí garota. – As três fazem o cumprimento secreto. As amigas perguntam : - Como foi seu
primeiro dia de escama, hein ?

- Foi muito bom, a sensação de ser sereia é incrível, você pode ficar na água e nunca se afoga,
nada a qualquer profundidade e a primeira transformação é um show. – Marine se acha o
máximo

- O meu primeiro dia de escama, foi incrível e a festa começou com a transformação e se
comemora em todo o ciclo da lua atlante. – Diz Carla que viveu em uma ilha bem conhecida
- Vou ter que comemorar meu primeiro dia de escama em Londres, meu pai se separou e
achou trabalho lá. – Patrícia chora.

- Você manda um vídeo do seu nascimento oceanide na internet.- Diz Marine

Enquanto isso, Douglas mostra uma foto tirada ontem. Na foto está Marine ao lado da mãe, e
elas estão como sereias e Pedro não gostou.

- Estava andando de bicicleta quando vi uma casa igual a sua, só que com uma piscina, vi essa
sereia azul, me apaixonei por ela e tirei essa foto. – disse Douglas

- Mas sereias não existem, Douglas – disse Pedro. – Mas vou investigar a fundo.

Pedro pega uma cópia da foto, vai mostrar para a irmã mas o sinal toca e ele vai com Carla até
a sala do segundo de ensino médio. Marine vai a sala do oitavo ano e é saudada por todas as
garotas da sala e Patrícia senta ao seu lado. A professora de ciências começa a falar de corpo
humano e todos prestam atenção. Depois de quatro aulas, Pedro chama Marine e mostra a foto
para ela.

- Marine, tenho que lhe mostrar esta foto. – Disse Pedro

Marine vê sua foto, investiga os mínimos detalhes da foto, procura manipulações fotográfica,
mas vê que as escamas na linha do quadril estavam perfeitas e brilhantes. Pegou o livro de
química do irmão e cochicha :

- Ele sabe que sou eu?

- Não, ele não ligou o rabo á pessoa – Disse Pedro.

Todos voltam á sala, e as outras quatro aulas são feitas. Marine dá tchau aos colegas, fala que
está indo á natação, e pega a bicicleta, vira a segunda á direita e estaciona na academia, passa
o cartão e desce a escadaria. Mostra á instrutora a estrela em seu ombro, a instrutora pisca e
expulsa os homens e alunas não-sereias da piscina. Marine e mais uma garota ficam no
trampolim . A instrutora diz :

- Já ensinei tudo sobre nadar á vocês e já que hoje é o ultimo dia de nadar em público, entrem
nesta água fiquem cinco minutos e tchau.

Marine olha para a água, vira de costas e pula assim mesmo do trampolim, mergulha e sua
perna se torna rabo de peixe. Ela bate o rabo embaixo da água olhando para cima, se distrai e
bate a cabeça na borda. Ela sobe na escadinha apoiando seu rabo no degrau, senta, seca o rabo
,ele volta ao normal e Marine se troca e vai para casa, decide cortar caminho pela praia e ela
olha algo estranho, pega o binóculo na mochila, e vê alguém se afogando, tira toda a roupa
para não ser identificada e corre em direção a água até onde a perna pudesse andar e onde
tivesse profundidade suficiente para mergulhar e nadar transformada. Quando Marine
desequilibra por estar de pé com o rabo, já consegue entrar na água como sereia. Marine
chega rapidamente ao local, levanta seu rabo para afundar na água. Já embaixo do mar, Marine
enxerga a vítima : é Douglas, sem óculos. Marine observa a perfeição do corpo da vítima. Põe o
óculos dele no bolso da roupa do própio. Pega ele pelo colarinho e o leva até o raso. Aplica
respiração boca-a-boca e se sente completa, desafoga Douglas, os dois se olham com amor.
Marine vai voltar a água e Douglas pergunta :

- Qual o seu nome ?

- Marine. Quando a gente se encontra e onde ? – Marine pergunta

- No píer, as oito da noite .

- Te espero lá. – Marine responde e entra na água do mar.

Marine corta caminho pelo oceano. Pedro leva a bicicleta e as roupas de Marine. Marine chega
perto do quintal de casa, congela a cerca, a quebra e se arrasta até a piscina, entra na água e
grita :

- Pedro, me pegue uma toalha ,por favor ?

- Bom ,aqui estão. Porque você deixou a bicicleta na frente da lanchonete ? – Pedro questiona.

- Alguém estava se afogando e fui salvar a pessoa. Era Douglas, marcamos um encontro ás oito,
no píer. Vou me revelar a ele – Marine fala enquanto seca suas escamas.

Depois de recuperar as pernas, se veste, finge que estaciona a bicicleta e cumprimenta sua
mãe e senta na mesa para almoçar.

- Você chegou dez minutos atrasada, o que aconteceu ?

Marine vira a cabeça e mente um pouco para ela :

- Eu fui falar com Patrícia e marcamos um passeio para o museu lá no píer ás oito da noite.

- Bom, você pode ir. Aproveite e use essa roupa de aquatex.

- Aquatex ?- Marine não entende nada.

- É assim – Maria pede para Pedro segurar o vestido com o material têxtil. – Esse tipo de roupa
muda o formato com a água para facilitar transformações – Maria joga um copo de água no
vestido e ele vira um top. Maria o seca e ele volta ao normal. Maria veste o vestido e uma
calcinha com o material e toma um copo de água na frente da piscina e fala : - Ele também
muda de forma quando detectada uma transformação. - Maria bebe o copo de água, o
processo de transformação perna-cauda começa e quando termina o processo o vestido se
torna um top e Maria mergulha. - Assim você evita situações constrangedoras e evita a
perseguição de não-atlantes. Te convenci a comprar ? Se não, não te dou as roupas que a firma
cosmética me deu para demonstrar mas só servem em você.

Marine pensa e fala :


- Sim, me convenceu. Desde quando sua firma vende isso ?

- Desde ontem que entregaram as caixas. Agora me ajudem a me secar. – Diz Maria aos filhos.

Depois do almoço de cunho comercial, Marine pega suas novas roupas ,põe no armário e
começa a lição. Química, Matemática, Física, Geografia , tudo faz lembrar Douglas. Ela faz a
lição com tranqüilidade e pesquisa o perfil de Douglas Amarante e Silva e acha seu endereço,
termina a lição e vai até sua casa, vai para o pedaço de areia atrás da casa de Douglas e finca
uma garrafa com uma mensagem. Marine liga para Patrícia e diz :

- Eu, você ,encontro de fachada ás oito da noite no píer.

- Ok, o que é ? – Patrícia pergunta.

- Garotos .

- Te vejo lá.

Marine pega o kit de roupas especiais e o olha. Sua mãe não ofereceu, sua mãe parece que
tinha o comprado. Eram todas azuis e tinha um vestido igual o de seu aniversário e o vestiu
com as roupas intimas tratadas. Não usou maquiagem, nem pegou brincos, só pegou um colar
simples de conchas para dar uma impressão de já ter nascido com rabo de sereia e o pós na
bolsa. Patrícia toca a campainha e Marine desce e diz até logo. Depois de quinze minutos
chegaram ao píer da cidade onde tem um belo museu de história da cidade. Marine vai por
traz do museu e senta no píer e entra devagar na água ,se transforma e pede o colar de
conchas para Patrícia ,submerge e nada até a borda onde Douglas está . Douglas olha para a
água e Marine surge devagar na água e Douglas pergunta a ela :

- Foi um sonho ou você é uma sereia ?

Marine nada até conseguir chegar a certa profundidade para sair com rabo da água e
mergulhar de costas. Marine alcança profundidade, nada muito rápido, mostra suas escamas
azul-claro e mergulha de costas. Volta ao píer e responde :

- Meu nome é Marine, moro no arrecife de algas, e o seu ?

- Douglas , é Douglas. – Ele pega Marine e a ajuda a sentar ao seu lado.

- Na verdade, não nasci no oceano, nem com escamas e nadadeira, na verdade tenho esse
rabo-de-sereia desde ontem que fiz treze anos. – Marine pega uma toalha e se seca, suas
escamas somem, seu rabo se torna perna e sua nadadeira se torna dois pés. Marine se levanta
e seu cabelo esvoaçante e seu vestido azul brilhante impressionam e surpreende Douglas –
Você me conhece como Marine de Almeida Marítimo, sua colega de classe.

Douglas pergunta a Marine :

- Espere, você é a sereia da foto, a sereia que me salvou e a menina de seis anos de olhos azuis
que conheci quanto eu tinha ido a praia pela primeira vez e minha colega de sala ?
- Mais só conheço só um cara que desceu pra praia que eu eu tive o primeiro beijo. Dôdó ?

- Mázinha !

Os dois se abraçaram e gritaram :

- Eu não acredito que eu amo você desde que eu era pequeno !!!

- Eu me mudei pra cá para acharmos meu pai e minha irmã e eu achei você. Tenho uma foto
dela. Você conhece ela. – disse Douglas

Marine olha a foto e lembra das fotos de Patrícia quando tinha quatro anos e do irmão
desconhecido dela.

- Desde quando você não vê ela ?

- Desde os quatros anos de idade não vejo ela. Somos gêmeos não idênticos. As vezes sinto que
ela está ao meu lado. Minha mãe disse que quando se separou do meu pai minha irmã foi com
ele.

Marine se sente culpada e fala sobre ela :

- Ontem descobri que era sereia. Achei fantástico ,sempre sonhei em nadar sem amarras e ser
bonita a todos. Já meus sonhos de ser loira ,ter rabo vermelho e namorar o Tom Hanks não
foram realizados.

Os dois riem.

- Marine, como funciona sua transformação ? Três luas sim, uma não ou duas luas sim, duas
luas não ?

- Por que você quer saber ?

- Se de repente, quando formos adultos ,aquela coisa, sabe ?

- Eu me transformo em sereia quando entro ou bebo água salgada ou doce. Quando estou sem
calça e roupa ou com essas roupas que estou usando eu tenho trinta segundos para entrar na
água até minhas pernas e pés se tornarem rabo e nadadeiras.

- Vamos mergulhar e dar um beijo histórico ? Sempre quis fazer isso.

Marine e Douglas pegam as mãos e correm em direção a água bem rápido, Marine se
transforma em sereias ,os dois submergem na água e eles se abraçam e dão o beijo mais
apaixonante do mundo, e quando se desabraçam uma rede fica em cima de Marine e Douglas a
avisa, e ele perde o ar. Quando volta a submergir não vê Marine. Volta á margem e vê Marine
presa na rede e sendo levada pelo barco. Douglas corre e fala para Patrícia :

- Sereia, Marine, Rede, Barco, Caçador !!!


- Eu sei como o primeiro beijo é bom, imagine na água. – Patrícia fala para Douglas.

- Sereia, Marine, rede,barco ,caçador !!!

- O que ?

- Um barco de caçadores pescou Marine como sereia e foram embora !!! Temos que avisar a
mãe e o pai dela.

Patrícia e Douglas correm até a casa de Marine pela praia mesmo e chegam á casa.

Cap.5 – Madrugada do pesadelo

- Foi a coisa mais idiota, imbecil e burra que essa pirralha fez na vida dela. Salva a vítima e diz
o nome para ela, marca um encontro de fachada para esconder o novo namorado, revela a sua
identidade ,entra na água para dar um beijo histórico e é pescada por maníacos que vão
vender ela ilegalmente para aquários dos Estados Unidos – diz Maria enfurecida

- Mas não foi culpa dela ! – dizem Patrícia e Douglas.

- Mais uma palavra e vocês viram cubo de gelo. – Diz Maria

- Não podemos ligar para a Polícia, a Marinha e os Bombeiros, eles nem vão acreditar .- diz
Fernando.

- Você já tentou a música de emergência de caçadores. As sereias da Atlântida usavam isso


para chamar todas as sereias do condado. – Disse Pedro que estava lendo um livro.

Maria começa a cantar uma música agradável que ficava cada vez mais agudo até chegar a um
tom inaudível. Todas as mulheres que nasceram na cidade da faixa de treze anos até 81
ouviram o zumbido, inclusive Marine que estava presa num aquário na região do píer ouviu o
canto. Daí as policiais abriram.

- Soldado Márcia da Silva Pimentel. Por acaso sua filha foi pescada por caçadores de sereias,
eu e minhas colegas viemos ir atrás delas.

Maria viu todas as sereias da cidade reunidas na frente da sua casa. Marine vai á praia e elas
correm ao mar aberto. Foram tantas transformações que a água brilhou mais que sol ao meio-
dia. Maria fala para os amigos de Marine e sua família que acharia Marine. Foram tantos
rabos-de-sereia entrando na água que parecia nado sincronizado.

Pedro, Douglas e Patrícia ficaram na casa acordados temendo o pior enquanto Fernando
roncando enquanto Patrícia batia na parede.

- Como eu sou idiota, fui lá para ajudar Marine e não impedi a captura da minha melhor amiga.

Enquanto isso o copo de água fervia na sua mão e Patrícia queimou a mão.

Pedro gritou:
- NÃO MOLHE SUA MÃO, PATRÍCIA. Acho que seu poderes se manifestaram. Quando você
nasceu e que horas.

- Dia três de maio de 93, meia noite e um. Fui registrada dia quatro e ia chegar dia cinco em
Londres. Pensei que não ia entrar na água até lá.

- Ué, eu também nasci no mesmo dia que você, á meia-noite e dez. – disse Douglas.

Pedro e Douglas traçam um plano.

- Você teve um idéia original, Pedrão.Patrícia ajuda a salvar a madrugada e tenho minha
namorada de volta. Feliz Aniversário para nós dois.

Douglas, Pedro e Patrícia vão ao ponto favorito de pesca de seu pai. Um cais velho feito de
madeira onde existe distancia suficiente da areia e profundidade para Patrícia dar seu
primeiro mergulho como sereia. Pedro conta os segundos para ela entrar na água. A Contagem
acaba. Patrícia tira a roupa e entra na água do mar. A estrela de suas costas começa a brilhar
em todas as cores e para no verde enquanto a água borbulha, uma estrela verde passa em seu
corpo enquanto a lua a ilumina. Agora Patrícia está pronta para a transformação, suas pernas
se fundem, seus pés se fundem á perna e perdem os dedos, nasce uma nadadeira verde clara
nasce no seu pé e seu rabo-de-sereia se cobre de escamas verdes dos pés a área do umbigo.

Patrícia dá um tchauzinho a Pedro e Douglas , submerge e nada até o píer rapidamente. Vê


grades embaixo da porta de correr ,congela as barras e canta em alta freqüência para quebrá-
las. Entra no píer pela corredor de água dos Jet-skis, levanta a cabeça acima do nível da água e
vê Marine num aquário bem acima da água a uns dez metros do piso do depósito. Marine usa a
mente para se comunicar com Patrícia :

- Você me disse que ia ter escamas dia 5.

- Eu vim te salvar, fique quieta. – Patrícia diz

- Não adianta cantar pois os caçadores tem filro anti-hipnose e o aquário não quebra em alta
freqüência.

Maria dá um cutucão em Patrícia e pergunta.

- Como você achou ela e como você não me disse que você faz treze anos hoje ? Deixa pra lá,
nos ajude a congelar a porta de correr.

Por causa do congelamento do portão por duas mil sereias, o metal se quebra e como papel se
rasga. As sereias pertencentes á polícia, bombeiros e prefeitura se sentam na borda e pedem
para drenar a água de seus rabos-de-sereia e as outras sereias drenam a água de seus rabos.
Assim as autoridades podem usar suas pernas. De pé as autoridades gritam :

- PARADOS. Vocês serão presos por captura, posse e venda ilegal de atlâtide-descendente
segundo a lei três do cinco de 2006 que foi homologada á cinco minutos atrás.
- Otôridades, se vocês nos ameaçarem noís mata a sereia.

- Ta bom, manda vê – fala a prefeita

Eles atiram em Marine mais as sereias da cidade congelam as balas tornando as balas pesadas
e e os ladrões se entregam. As policiais algemam os três caçadores e sangram os aquários
liberando todas as garotas-sereias do local. Todas as sereias voltam as suas casas e vidas
bípedes. Marine, Maria, Carla e Patrícia voltaram á casa de Marine,depois do arrasta-pula na
piscina-seca o rabo-perna volta-fica de pé. Maria interrompe o jogo de War de Fernando,
Pedro e Douglas :

- Marine está de volta.

- Ganhei, quer dizer, uhuu, Marine voltou – Pedro comemora e os homens jogam Marine no ar.

- Vamos dormir são duas da manhã, Fê, pegue os sacos de dormir. – Fernando obedece a sua
mulher.

Enquanto Douglas, Patrícia e Carla se arrumam nos sacos de dormir. Maria leva sua filha
cansada ao quarto de Marine, mas muda de idéia e abre o registro da banheira do banheiro do
quarto de Marine.

- Sabe o que eu fazia quando ficava cansada demais pra dormir, Marine. Eu dormia de baixo da
água.

Marine deita na banheira e fica no fundo dela com água acima de seu corpo, dorme
transformada. Maria considera o boa noite e todos dormem.

Capítulo 6 – Mais um capítulo desfeito

Maria vai ao banheiro do quarto de Marine ,bate a mão na água da banheira ,seca a mão
rapidamente. Marine acorda e senta na banheira.

- Bom dia mãe. Eu acabei com sua noite. Pegue a toalha para eu me secar.

Marine se seca,as pernas voltam, corre e põe o pijama. Desce as escadas e cumprimenta todos:

- Olá, companheiros de albergue.

Todos riem.

- Seu pai está fazendo o leite, diz Pedro.

Marine pega sucrilhos , leite frio, 4 bolachas Bono, uma banana, e suco de laranja. Patrícia fala .

- Olha o jornal, Má, Douglas tirou uma foto.

A Manchete é “Sim, sereias existem”, a foto das transformações múltiplas por Maximiliam
Sheldon e a chamada : “Todas as Mulheres natas da cidade são sereias e as que não fizeram 13
anos de idade serão. Todas as atlante-descendentes estavam indo atrás de M.A.M. , 13 anos ,
filha de Maria Almeida Marítimo, 36 anos. O mais surpeendente que P.S.A. , amiga da vítima
que acabara de ter seu primeiro dia de sereia”.

- Maximilliam Sheldon ? Que pseudônimo babaca ! – Diz Marine

- Precisava de um nome e idade falsa. Não iriam deixar uma criança de 13 anos fazer free-
lance.

- Vamos tomar banho, temos que ir ao Hans. – Diz Patrícia.

Patrícia e Marine foram ao banheiro de Marine. Patrícia liga o registro de água e escova seu
cabelo loiro enquanto Marine escova os dentes e o cabelo. Patrícia senta na banheira e vira
sereia , Marine pega uma cadeira e senta ao lado dela. Marine pergunta :

- Se sentido poderosa ?

- Sim, Marine, ser sereia é mesmo o máximo. Quando nadei até o píer me senti conectada ao
mar. Quando congelei a barra e a quebrei achei bom ter te achado.

Marine seca o rabo de Patrícia, ela usa suas pernas para andar, põe o roupão de Marine e
Marine enche a banheira para tomar banho. Marine escova seu cabelo enquanto Patrícia
escova os dentes. Marine senta na banheira e se torna sereia. A conversa continua :

- Estava com medo de virar atração de parque aquático ou picadinho de sereia.

Quando Marine secou seu rabo de sereia e ficou de pé com suas pernas. Patrícia perguntou na
frente do armário :

- Depois de tanta bagunça estou sem uniforme. Você me empresta o uniforme reserva.

Depois de toda a arrumação para a escola Marine, Pedro, Douglas, Patrícia e Carla foram a pé
até o Instituto. Sara, a inspetora de alunos e estagiária da escola avisou que o prof. Euclides
Genaro, diretor geral e profª. Fabiana Geraldini , superintendente pedagógica. Ambos iam
falar sobre os “novos fatos” ocorridos.

- Atenção, queridos alunos desta instituição. Principalmente alunas acima da oitava série. –
Disse Genaro.

- Graça a notícia que todas as mulheres da cidade escondiam umas das outras e que foi
revelado a todas as mulheres da cidade. Por isso, iremos adicionar um anexo sobre anatomia
de sereias na aula de ciências e fazer um curso de auto-defesa mágica. E só isso pessoal.

- Legal, sempre quis saber como água vira oxigênio no ciclo de respiração na água – Disse
Douglas.
Marine, Douglas e Patrícia entram na sala e começa a aula de Matemática. Depois começa a
aula de ciência. A professora da matéria, Cristina escreve na lousa “Metamorfose pisciana e
respiração água-ar.

- Enquanto a equipe da escola me traz um aquário com rodinhas para vermos isto na prática
vamos escrever a teoria : Metamorfose pisciana é quando uma mulher com gene atlante tem
seu corpo transformado desde a área púbica até as pontas dos pés em rabo de peixe para esta
mulher se adaptar ao meio aquático. Além de rabo-de-peixe, as adaptações incluem melhorias
para retirar o oxigênio da água.

A professora chama uma voluntária para entrar no aquário e Marine tira a roupa e entra no
aquário. Enquanto ela se transforma ,a professora manda Douglas regular a velocidade da
câmera e ele tira vinte fotos. A professora liga o projetor e mostra as fotos.

- Primeiro a pele da perna do o glúteo e os músculos e os ossos desta região se rearranjam,


depois as unhas somem e os pés criam películas no dedos e os dedos se fundem e a película se
abre em V, revelando a parte inferior da cauda. Daí escamas cobrem toda a cauda para melhor
aderência e dentro da cauda se secreta fluido que funciona como a bexiga natatória dos
peixes. É assim que Marine e vocês garotas viram sereias.

- E a respiração na água ? – Pergunta Patrícia.

- Quando sereias a área de absorção de oxigênio do pulmão, absorvem o oxigênio e essa água
pobre em oxigênio vai aos rins, ok. A respiração normal continua desde que a cauda tenha
contato a água.

O Sinal toca, Marine se seca, volta ao normal e se troca.

- Amanhã falaremos do sistema urinário, tchau gente. – Disse Cristina.

Houveram duas aulas depois e as meninas foram ao trocador para a aula de educação física no
intervalo e leram um quadro : “Garotas de treze anos ou mais devem vestir camisetão e a
parte de cima do biquíni do instituto para atividades aquáticas”. Pegaram o camisetão e o top
e vestiram a roupa do instituto. Fabiane, professora de educação física organizou as alunas-
sereias e elas foram até a praia próxima do instituto. Ela disse :

- Garotas, escondi seis bolinhas da cor prateada no mar. Se organizem em duplas e peguem
uma delas. Quem não quiser achar vai levar uma sessão de bombardeiro. Agora entrem na
água.

Marine e Patrícia se escolheram. Elas correm ao cais de madeira e vão até a ponta, tiram o
camisetão e mergulham. Quando já estão em forma de sereia, submergem e nadam
procurando a bola de metal e ouvem :

- Brilhante, brilhante, brilhante, brilhante !!! – Eram peixes correndo atrás da bolinha.

- Humana-peixe - um dos peixes falou com a mente.


- Não, cabeção, é uma sereia. – outro peixe disse.

Marine e Patrícia nadaram seguindo os peixes e vêm a bolinha prateada. Em cima, tubarões
circundavam-na. As duas vêm á tona e planejam um ataque.

- Têm tubarões lá, tenho medo deles. – disse Patrícia.

- Temos uma arma, a linguagem mental-aquática. – disse Marine.

Marine e Patrícia submergem e Marine vai falar com eles.

- Senhores Tubarões, o que vocês querem em troca da coisa prateada. – Marine se comunica
pela mente.

- Queremos que os surfistas sinalizem as pranchas para sabermos que eles não são comida,
senhorita sereia do rabo azul.

- Tá bom, os humanos vão ser mais cuidadosos.

Os tubarões deram a bolinha prateada e Marine e Patrícia vão ate a praia, se secam, voltam a
ser bípedes, põem o camisetão e entregam a bolinha á professora .

- Parabéns, são as primeiras a entregar a bolinha. Como foram com os tubarões ?

- Usamos a retórica com eles. – Disseram Marine e Patrícia

- Vamos jogar vôlei na segunda aula e revejam as regras.

Depois de quatro equipes terem achado as bolinhas e do resgate da sexta equipe a professora
levou as alunas de volta ao instituto e as alunas foram se trocar para ir em classe. Depois de
duas aulas voltaram para a aula de educação física em terra firme. Fabiane e Fábio, os
professores disseram :

- Time misto, shorts versus calças.

Marine, Patrícia ficaram no banco, Douglas pôs as lentes e foi jogar com os shorts. Douglas foi
libero e salvou todas as bolas. Shorts 8 X 4 Calças. No tempo técnico seu colega Cláudio que o
time escolheu como técnico falou :

- Marine e Patrícia vão para o bloqueio e Mário Ataca , beleza .

Marine e Patrícia entram na quadra e fazem um bloqueio duplo perfeito até o final do jogo
quando Marine faz o saque e mete a bola na quadra adversária deixando os jogadores
atônitos. Ace. 2 sets a zero. 25-17 e 27-25. Marine faz o cumprimento a Douglas mas esquece
que suor humano é feito de água. Fabiane pega Marine nos braços e leva ela á grande banheira
do trocador feminino. Depois de estar ensereiada, Marine conversa com as colegas durante o
banho.

- Belo jogo, Marine – disse Paula, do time das calças, também sereia.
- Não foi nada, agradeça a Patrícia ela que fazia o bloqueio de verdade.

- Mas você fez 16 pontos e eu nenhum. – disse Patrícia.

- Vocês estão convidadas para a festa do pijama molhado de sexta na minha casa ,RSVP – disse
Paula.

- Anh ? – disseram

- Bom, é uma festa do pijama, com piscina, sem garotos e sem pijama,mas á noite. Convidei
todas as garotas-sereias da classe. Confirmem com suas mães. Não façam que nem no ano
passado.

- Nós vamos. – disseram as amigas .

Marine e Patrícia tiraram os rabos do banheirão improvisado, secaram seus rabos que
voltaram a ser pernas e foram se trocar. Cochicharam.

- A Paula Peituda nos convidou pra festa dela ! Não acredito – Disse Marine.

- Vai ver que quando ela descobriu que todas nós podemos hipnotizar garotos ela desistiu de
brigar com todas nós. – Disse Patrícia

- Ou ela quer amenizar uma carência afetiva.

- Ou aquela loira peituda quer se vingar de todas nós.

- Se enxerga ,Paty quem é você para falar mal de loira.

- Loira, mas uma tábua loira de olhos verdes.

- Tchau to indo pra casa.

Marine vai pra casa pensando se sua mãe vai deixar ela ir para a casa de Paula. Fica
lembrando como Paula a tratava, como zoava o seu amor pela cor azul e como foi zoada de
patinho feio quando ela usava aparelho mas isso era aos seis anos e ela começou a se
aproximar de sua colega depois de 8 anos de briga.

Enquanto Marine chegava em casa Patrícia chegou em casa, Douglas também chegou em sua
casa e leram a as cartas endereçadas a eles falando da aventura que viveram na madrugada de
ontem e descobriram que eles eram irmãos . Depois de almoçar Marine viu no seu Skype :
“Douglas está chamando : Chamar,Finalizar,Chat”,cancelou depois Patrícia chamou no Skype.
Marine fez uma conferência com os dois amigos e perguntou .

- Qual a novidade tão importante para atrapalhar minha lição ?

- Sabe nossos irmãos desaparecidos. Patrícia é minha irmã. Douglas é meu irmão.- Os dois
amigos responderam.
- Ontem antes do nosso encontro escrevemos cartas para nossos irmãos ,foi um choque para
nós quando abrimos.

- Putz, legal . Como você vai impedir a viagem pra Londres, Patrícia ?

- Hoje, nem que tiver que congelar minha mãe. – Patrícia desliga.

- Amor, impeça sua irmã de matar a mãe de vocês.

- Ok, te amo meu amor azul profundo. Te vejo no meu níver. – Douglas desliga

- Eles estão fritos ! – Marine prevê

Marine faz a lição enquanto Douglas enche os balões ,põe o disco de DDR conecta os tapetes
de dança no PlayStation2 . Maria Neuza , sua mãe disse :

- Sua irmã não é o que parece.

- Mãe, relaxa ela é um amor de pessoa, nasceu de você.

- É o que você acha. É o que você acha.

São sete horas da noite. Patrícia saiu de casa com Eduardo Amarante ,seu pai e foram a pé á
casa de Douglas e abriu a porta e falou :

- Olá Maria Neuza Silva , tudo bem .

- Tudo bem minha filha – Maria Neuza disse com falsa alegria e tremendo toda.

- Bem vinda irmã e pai, quanto tempo não vejo você – Douglas abraça o pai e chora baixinho –
Você faz muita falta, sabia ?

Patrícia senta numa cadeira de bar que fica na bancada da cozinha e pergunta :

- Podemos desistir de ir para Londres, né, já que achamos meu irmão ?

- Sim, vamos ficar aqui e visitar seu irmão todos os findes – disse Eduardo.

- Como você pode ter a pachorra de chamar ele de irmão se você foi transformada por um
monstro que tirou a humanidade de você e o meu amor do seu pai. – disse Neuza.

- Ela iria morrer e só Maria que foi só um caso podia salvar sua filha da rara alergia de água e
ela te disse que tinha um porem, que ela se tornaria uma sereia aos 13 anos.

Maria Neuza fingiu jogar um copo com água em Patricia.

- Foi sem querer


Douglas e Eduardo pegaram Patrícia rasgaram a roupa dela, iam levar ela ao mar mas a porta
da varanda estava trancada e Neuza engoliu a chave. Iam abrir a torneira, mas Neuza fechou o
registro.

- MORRA ABERRAÇÃO, MORRA. – disse Neuza

Douglas ficou bravo e disse o que nunca iria dizer á mãe :

- Seu monstro, sua filha ou não ela precisa de água.

Patrícia cantou docemente com pouco ar e fez a mãe guspir a chave e abriu a porta. E Douglas
foi com sua irmã ao mar e pôs ela delicadamente na água e Patrícia sumiu no oceano chorando
sua negação e sentou nas pedras longe da costa. Cantou um canto belo e triste que todos
ouviram. Marine foi correndo á casa de Douglas que disse sem som.

- Põe pancake na estrela ou ache a minha irmã.

- Sua mãe é sirenofóbica ? – disse Marine.

- Sim.

- Tô indo buscar sua irmã. – disse Marine.

Marine tira calça,meia e calcinha, corre em direção ao mar, mergulha e vira sereia. Vai até o
final da praia onde existem pedras onde Patrícia sentou e chorou. Marine falou :

- Sua mãe não te aceitou, não é ?

- Sim. – Patrícia diz entristecida.

- Vou te contar o que minha mãe me disse. Seu pai descobriu, quando você nasceu, que você
tinha uma alergia rara á água e não sabia a quem recorrer. Falou pra minha mãe, que era ex-
namorada dele pra ela usar os poderes do oceano para tirar essa alergia. Mas ela disse que iria
ter uma contra-indicação : Você poderia virar sereia. Seu pai não disse que você iria ser assim
para sua mãe pois ela morria de ódio de sereias.

- Minha mãe não sente nenhum amor por mim, e agora vou ter que ir para Londres e nunca
vou ver meu irmão de novo. – disse Patrícia

- Vamos para minha casa, tenho novidades. – disse Marine.

Depois de sair do mar ,secar o rabo de sereia e se confortar. Patrícia ouve do seu pai Eduardo :

- Não vamos mais para Londres, seu irmão precisa do passaporte e sua Mãe precisa de
tratamento psiquiátrico, ou vai matar metade da cidade.

Saindo da casa de Marine e chegando na casa de Douglas. Marine, Eduardo e Patrícia eles
leram um recado.
“Mal Queridos. Estou tirando meu filho precioso, porem hipnotizado por uma tal de Marine
dessa cidade de bruxas com rabo de peixe e corpos esbeltos que roubam homens. Vou provar
que Patrícia não é minha filha e é um resultado de um affaire com Maria. E mas um aviso.
Marine e minha filha bastarda, vocês não vão tirar meu filho de mim, apaguei MSN,Orkut,
Twitter, Skype e Google Talk do meu filho para ele não ser afogado num mar de ilusões”.

- Vamos para Londres, pai. Ela venceu. – disse Patrícia.

Todos foram dormir com esperanças desfeitas mas uma vez.

Capítulo 7 – Voô 4237 da British Airways São Paulo(Guarulhos)-Londres

Na Casa de Marine havia correria e barulhos depois de um dia de escola e um almoço corrido.
Era dia de Patrícia e Eduardo irem para Londres, Marine iria se despedir. Maria pergunta :

- Você achou a maldita estrela-do-mar de pelúcia que você não devolveu para ela desde os
cinco anos ?

- Sim.

Como Marine mora em algum lugar do litoral de São Paulo elas demoraram uma hora e meia
para chegar lá. Quando chegaram lá , viram no bilhete copiado: “Voô 4237 da BAR , 14h20”
foram ao Terminal1-Asa1. No terminal encontraram Patrícia e Eduardo, seu pai.

- Trouxe a Estreluxa, Marine ? – Disse Patrícia.

- Sim. Não agüento, vou chorar. – Marine larga a estrela e Patrícia as malas. Elas se abraçam e
choram muito.

- Já sinto sua falta. – disse Patrícia – Ainda devo seu presente de aniversário.

- Bom vôo e que... que... você viva bem. – disse Marine

- Passageiros do vôo quatro-dois-três-sete da British Airways com destino a Londres,


embarque em dez minutos no portão B. – diz a moça do sistema de som do aeroporto.

- Estamos indo. Quando chegarmos lá mandaremos um e-mail com um vídeo de Londres.-


Disse Eduardo.

- Não, pai é uma mensagem de vídeo do Skype. – disse Patrícia enquanto empurrava o
carrinho em direção ao avião.

Enquanto Marine e Maria iam ao longo caminho de casa. Marine conversava com sua mãe
sobre Paula

- Você pode ir á festa do pijama da Paula, desde que você ache que ela mereça sua confiança.-
diz Maria.

- Mas acho que ela vai aprontar pra mim de novo, mãe – disse Marine
- Vá lá e veja no que vai dar. De repente ela pode ser sua amiga.

Marine liga para Paula e confirma sua presença. Quando mãe e filha chegam em casa , Pedro
deixa a janta pronta. Miojo com frango grelhado. Parece que iria falar algo importante.

- Gente, tenho algo importante para falar. Estou namorando Carla.

- Grande novidade. Desde que você salvou ela e sua mãe ela anda caidinha por você. – disse
Maria.

- Como assim ? – disse Marine

- Vou lhe explicar tim-tim por tim-tim. – disse Pedro.

Capítulo 8 – A ultima princesa da Atlântida

- Foi quando eu iria fazer quatorze anos. Chovia muito, foi a maior tempestade daquele ano. As
ondas estavam enormes. Ouvimos um baque na porta. Parecia uma rabada de peixe. Daí
abrimos a porta e vimos uma jovem sereia com rabo prateado que não conseguia falar. Minha
mãe disse :

- Vamos botar ela na banheira.

- Então levamos ela á banheira. Ela falava em grego e pegamos um mapa para ela apontar sua
origem. Ela apontou no meio do atlântico um pouco perto da Grécia. Daí ela disse em língua de
sinais.

- Eu venho procurando a ilha onde meus antepassados nasceram. Eu sou a princesa da


Atlâtida.

- Ela apontou a marca de estrela dela que tinha uma coroa e um tridente acima da estrela.
Perguntamos a ela qual era seu nome.

- Partenope Marys Atlantines . – ela disse com as mãos

- Perái. – Disse Marine – O que a Carla tem a ver com isso.

- Esse é o nome real dela. Mas ela foi registrada no Cartório quando resolveu ficar em terra
com Carla Marys Atlântide Custeau , ela acha Partenope muito feio .

- Continuando. Descemos as escadas não acreditando, pegamos umas toalhas e secamos sua
cauda. Parti agradeceu e disse que fazia dois anos que não andava e pegamos o vestido curto
da minha mãe. Ela gostou. Aprendi língua de sinais mas comecei a ouvir uma voz linda e
estranha. Era Parti falando comigo pela mente. Pensei que era ilusão mais escutei ela.

- Você está mentindo- disse Marine - Você consegue falar com o poder da mente.

- Leia esse livro : “Guia de Leitura e Fala Mental para Idiotas” , foi assim que eu aprendi.
- Obrigado por ter me salvado, disse Parti e me deu um beijo enorme. Me senti muito bem com
aquilo.

- Como existe dinastia no seu reino se não existe Tritão ? Eu disse com a mente.

- Não existem, mas podemos transformar homens em Tritões. Transformamos todos os


homens de Atlântida em Tritões. Mas meu pai não é Tritão. Ele é oceanógrafo. Ele conheceu
minha mãe eles me tiveram e vivemos no mar. Como o barco dele é pequeno fiquei no barco
até os treze depois que me tornei sereia seguia o barco dele com minha mãe. Daí houve uma
tempestade e me perdi.

- Por acaso ele é esse cara . Apontei um cara chamado François de Custeau , meu cientista
favorito, oceanógrafo .

- Papai Fran, disse Parti .

- Como ele sabe sua língua ? eu perguntei.

- Minha mãe ensinou nossa língua á ele.

- Qual o nome da sua mãe ?

- Ligeia. Minha avó que não conheci deu esse nome á minha mãe. Minha mãe canta muito bem.

- A porta bateu de novo. Era uma sereia. Ligeia , a mãe de Parti. Ela se arrastava com a cauda,
porque ela tinha nadado faz tanto tempo e tinha a idade de nossa mãe por isso secamos sua
cauda e ela só conseguia ficar deitada de lado.

- Parti, quanto tempo não te vejo, senti sua falta. O que são essas duas coisas que estão no
lugar de sua cauda. São per... per... – Ligeia disse

- Pernas, mãe. Você as usa quando seu rabo seca. – Acho que ela, Carla, disse iddo

- Daí Ligeia fez força e ficou de pé. Andou dez metros e ficou feliz. Depois François disse em
português afetado.

- Querô casar com Ligeiá e Morar numa casa que fique num lugar onde sereias e humanos
vivam em paz e onde possa trabalhar.

- Conheço uma casa aqui perto , e custa baratinho. – Eu disse.

- Daí Ligeira virou Lígia. Partepone virou Carla. Elas aprenderam português , Lígia se casou
com François e estamos aqui .

- Como você pode me provar que isso é verdade ? – disse Marine

Carla e Lígia já haviam chegado. Sentaram na mesa. Pedro pediu para elas mostrarem a marca
da estrela. Estrela, coroa e tridente apareceram. Marine Falou :
- Não sabia que vocês eram a rainha e princesa da Atlântida.

- Não mais existe esta historia de reinado. É tão século quinze. – disse Carla.

- Vamos comemorar ! – disse Pedro.

Capítulo 9 – A Maldição da Pobre Menina Rica

Dia 5. Depois de uma noite e um dia agitado, Marine escolhe um top para a festa do pijama de
Paula. Estava com medo e usou o dinheiro do seu cofre-de-porco e gastou com um perfume
que sua mãe lhe sugeriu. Marine pôs uma calça qualquer e foi até a casa de Paula. Tocou a
campainha. Houve um ding, mas não um dong. Tocou denovo e Paula atendeu.

- Bem vinda á ilha da fantasia e diversão, Marine. As outras garotas já vão chegar.

Marine vira a cabeça e escaneia o ambiente. TV de plasma, vídeo-game, media-center, iPod,


um microsistem, um dvd e pufes de todas as cores. Sim, a família da Paula tem muito estilo.

- Coca ou Guaraná?, Pipoca sabor bacon ou manteiga ?, Revista de fofoca ou Capricho ? –


Pergunta Paula.

- Tanto faz. – Marine responde.

- Oi garotas, beleza ? – Chega Carla no recinto.

- Carla Marys, você veio, que bom !!! – Paula responde.

- Marine, tudo bem, ela é legal mas é solitária, os pais dela nunca ficam em casa. Trabalham
muito.

- Mas Carlys, ela sempre me tratou mal desde os seis anos de idade.

- Como dizem. Relaxa e... aproveita.

Depois de duas horas Marine e Carla aproveitam as fofocas, as conversas sobre garotos e a
ingestão calórica com Paula. Depois Paula corre até a cozinha e começa a chorar :

- Ninguém veio curtir minha festa, só Marine e a Carla. Por que os outros não gostam de mim de
verdade. Só porque sou loira, bonita e rica. Mas não de amigas.

- Paula. Pensei que você fosse chata. Mas me enganei. Me desculpe por ter brigado com você. –
disse Marine.
- Mas era eu que brigava com você. Você não merece me desculpar

- Mas eu posso ser sua amiga. Me desculpe, amiga. E aí, qual é a cor de suas escamas ?

Paula e Marine vão até a varanda. Paula tira sua roupa e entra na sua piscina. As pernas
invejadas por todas as garotas da cidade se fundem. Seus belos pés se fundem. Nasce uma
nadadeira roxa nos pés. Sua perna única se cobre de escamas roxas. Paula pergunta

- Vocês tem medo de se transformar ? Pulem na água.

Marine e Carla pulam na água revelando suas caudas de sereias azul e prata. Marine, Carla e
Paula ficam brincando na água. Depois dormem embaixo da água. Quando nasce o sábado
Marine e Carla acordam, saem da água se secam e suas pernas voltam. Paula se despede:

- Depois envio as fotos para vocês por e-mail.

Depois disso Marine vira amiga de Paula. Acontece o acidente 1907 da Gol, passa o Natal e ano
novo. 2007 passa e depois de dois anos Marine fez 15 anos, Pedro 18 , Maria 38 anos e
Fernando 39 anos. Estamos mais a frente e agora, a História Começa.

Capítulo 10 – 4 garotas e um Quartel General


3 da manhã. O silêncio e escuro dominam, daí três olhos refletem a luz da lua e rompem a
escuridão. Marine,Paula e Carla estão de tocaia.

- Gostamos das mechas azuis, Marine. – Paula e Carla dizem baixo extasiadas.

- Nós combinamos de eu ficar com mechas azuis, Paula com mechas roxas e Carla com mechas
prateadas. – Marine justifica.

O alvo de nossas amigas aparece, é o entregador de drogas ilícitas de algum traficante. As


garotas põem mascarás da cor de seus rabos de sereia e aparecem no corredor das docas
vestidas de colegiais dos anos cinqüenta com saias plissadas combinando com suas mechas e
rabos. Elas correm atrás do meliante com rapidez. Ele corre e mergulha no mar como se fosse
afastá-las. As garotas abrem o velcro das saias, tiram os botões da camisa, jogam as roupas
sincronizadamente e em montes separados e mergulham. Depois dos rabos de sereia serem
revelados elas nadam atrás do meliante e o pegam pelo colarinho, vêm á tona e perguntam
para o cara :

- Você trabalha para quem ?

- Para todos os sete traficantes da região. Os Reis do litoral paulista.


As três levam o cara para terra firme, pegam o batom de suas camisas e uma algema de
brinquedo. Algemam o cara na água, dão um soco na cabeça dele para atordoa- lo. Põem ele
em cima do concreto das docas. E escrevem “Cortesia do Trio Oceânico” com batom e
desenham uma estrela. Depois elas sentam no concreto, secam seus rabos, usam suas pernas
para levantar, se vestem e pegam suas mochilas com suas roupas casuais. Depois vão ás suas
casas e dormem. Marine é acordada pela sua mãe.

- Já disse que você não precisa dormir disfarçada. – disse Maria

Marine tira a camisa e troca por outra e guarda a máscara e o batom. Não tira a saia plissada
por ser sábado e por motivos óbvios. O Mac Book dado de presente de Natal por Patrícia para
Marine avisa de uma mensagem enviada por uma amiga para se encontrar com ela no clube.
Marine chega ao local e se encontra com Caroline, cadeirante por ter sofrido acidente de carro
aos 14 anos.

-Beleza, Caroline.

- Beleza.

- Afinal, porque você voltou para cá com sua família depois do acidente ?

- Porque minha mãe viveu aqui e porque eu ... – uma bicicleta interrompe o percurso e
Caroline gira a cadeira para a direita.

A cadeira perde o controle por causa do tranco e Caroline sai rolando até a piscina. Marine sai
correndo em direção de Caroline para salva-la de um possível afogamento. A cadeira pega o
tranco da piscina e cai reto na piscina. A cadeira mergulha devagar e chega no fundo da
piscina e Caroline tira o cinto de segurança e tira a camiseta e puxa a calça. Marine observa e
se espanta com a calma de Caroline. As pernas de Caroline se iluminam e acontece aquilo que
acontece com sereias que entram em contato com a água. Cria rabo. No caso de Caroline,
verde escuro é seu rabo. Mas continua imóvel e ela usa toda a força do seus braços para
chegar ao topo da piscina.

- Esse é outro motivo de ter voltado para Marina das Sereias, Marine.

Marine pede ajuda para recuperar os pertences de Caroline, põem ela na cadeira e pega um
pouco de água para respirar até a casa de Marine. Quando chegam põem Caroline na piscina
de Marine. Marine entra na água e conversa com Caroline.

- Mas como você... na água...?

- Na verdade nado só com os braços. Só não nado com as pernas, digo, rabo.
- Você conhece o Trio Oceânico ?

- Conheço, e que disfarce idiota, né Marine ?

- De repente, você poderia fazer trabalho de inteligência.

- Inteligência ?

- Investigação. Você é muito boa em matemática e tem os poderes de congelamento e


descongelamento de água como toda sereia, o que torna o trabalho em condições de defesa
fácil.

- Encontro você às nove da noite com as outras, leve um computador e uma mochila.

Caroline pede autorização para sua mãe e sai de casa, pois têm 15 anos e se dirige as docas e
vai até um lugar. Uma portinhola se abre.

- Senha ?

- Eu cheiro água de colônia com gases.

- Pode entrar, Cá. Bem-vinda ao Quartel General das Oceânicas, daqui a pouco vamos nos
reunir na frente do centro de vigilância e investigação. Este é seu armário.

Caroline põe sua mala no armário e dá uma olhada no QG. Vê o trocador com as letras dos
nomes que brilham prata. Depois roda mais um pouco e vê camas e pufes ao lado de paredes
prata, azul e roxo. Vê uma parede branca escrita com lápis “Pintar o canto da Cá2” e seu pufe e
cama verdes-escuro. Daí vê o centro de vigilância. 4 telas de 30 polegadas ligadas a um Mac
Pro de última geração com uma mesa prata com o mouse e teclado em cima e 3 cadeiras
giroflex. Ela vira sua cadeira de roda para o alvo de assunto que é algo em baixo de um pano
branco. Paula começa a falar.

- Garotas, sabemos o motivo dessa reunião. Além da nossa adição ao grupo, Caroline. Eu vou
mostar o novo uniforme das 4 Oceânicas. – Paula tira o pano – Esses uniformes contem 4
partes : um bustiê preto com zíper, uma saia plissada um pouco acima do joelho com velcro,
uma luva e uma máscara para a área do olhos. Os bustiês pretos têm no lado esquerdo inferior
uma estampa de escamas na cor do rabos de sereia nossos e do lado direito uma estrela do
lado superior e a inicial no lado inferior do nossos nomes seguindo o padrão de cores.A luva e
a máscara são extremamente confortáveis. E aí, está lindo ?

As garotas viram Paula com o uniforme e analisaram as condições.

- O velcro da saia é na frente ? – Caroline pergunta


- Sim.

- Fabuloso, Incrível, Você é demais, Está no armário ? – As garotas não paravam de falar.

Todas foram ao trocador, Marine ajudava Caroline a se vestir. Caroline sai da cadeira de rodas
e deita no banco do trocador.

- Legal esse uniforme. Fácil de tirar e pôr. Eficiente para tirar durante a transformação.

- Ainda bem que eu pus calcinhas tratadas de aquatex. Essas roupas são tão provocantes que
tenho medo de tirar essa roupa e a calcinha depois. – disse Marine.

- Bom, essa roupa me fez me sentir linda. Essas luvas e a máscara ressaltam a beleza das mãos
e olhos. – Caroline senta no banco e se transfere para a cadeira de rodas. – Olha, nem amassa
na cadeira, deixa eu tirar a máscara. Depois ponho isso. O que tenho que pesquisar hoje ?

- Queremos saber tudo “Os sete reis do tráfico do litoral paulista”, se eles traficam só drogas,
se eles lavam dinheiro, se têm contatos no governo. Até a cor da cueca deles se lhe for pedido,
como é seu primeiro dia, você não vai para a ronda hoje, ok ! – disse Carla Marys.

- Qualquer informação, aperte o botão dos fones e você pode falar conosco. Te vemos depois.
Tchau. – Marine fala e fecha o portão do QG.

- Google.com.br, Os sete reis do tráfico do litoral paulista, pesquisar. - Disse Caroline achando
que falar iria ajudar.

A página de pesquisa abre rápido e o primeiro resultado é uma página da Wikipédia.

- Isto ta ficando interessante. Muito interessante, muito interessante.

Caroline pesquisa tudo sobre a gangue, pega todas as informações e redige um relatório, salva,
imprime e arquiva na gaveta. Com isso passam duas horas. Caroline tenta usar o comunicador
para falar com elas. Não funciona. Daí ela vê as câmeras de vigilância e vê os capangas batendo
em suas companheiras, tirando suas roupas e trancafiando suas amigas num aquário. Caroline
põe a máscara e faz um pequeno software para interagir com o motor do portão mas o portão
fechava em dez minutos e Caroline sentou a mão na roda e saiu “queimando” o chão atrás das
suas companheiras. Usa o endereço do GPS da câmera e se dirige ao QG dos meliantes. E fica
em fúria e manipula um feixo de água de alta pressão que rasga o portão em dois pedaços.
Depois grita.

- SOLTEM ELAS SEUS SAFADOS . NENHUMA DELAS VAI PARA A ESPANHA ENQUANTO EU
ESTIVER AQUI .
- Você é o que ? Uma nerd manca fantasiada de idiota ?

Caroline perde a razão e fala.

- Sou senhorita C, a espiã, defensora da água e dessa cidade. Sou o poder da beleza e da dor,
digo isso pois sou mais que humana. Sou uma das 4 Oceânicas.

Enquanto isso as outras três falam com ela pela mente.

-Incrível, você sabe nosso grito de guerra. Agora alcance a nota X.

Caroline usa o poder do canto agudo e quebra os aquários. As outras se secam e põem as
roupas. Depois as quatro correm atrás dos Reis do Tráfico. Caroline faz dois correrem atrás
dela. Faz um 360º com a cadeira e congela os pés dos meliantes. Marine e Paula usam o poder
da sedução hipnótica e fazem 2 caras atirarem em seus pés. Carla Marys pega 3 caras e faz eles
correrem na mesma direção , depois ela dá um salto de costas, tira a roupa, mergulha na água,
vira sereia, manipula uma onda e as outras três congelam a onda. Depois todas as 4 amarram
os 7 bandidos no teto do QG deles e desenham uma estrela e escrevem “Cortesia das
Senhoritas M,C,CM e P aka. 4 Oceânicas” com batom abaixo deles.

- Que movimento fantástico, Carla, foi incrível. – Disse Caroline.

- Você rasgando o portão com água em alta-pressão foi melhor. – disse Carla

- Alguém tem que entregar a pesquisa dos crimes dos 7 Reis. Estão aqui. – disse Caroline

- Estou indo lá. – disse Marine – Só pra garantir. Vou pôr a máscara.

Marine vai até o lugar e põe a pasta em cima da estrela de batom. A polícia chega no local e um
cadete de 18 anos fala com Marine.

- Você é Srta. M ?

- A Defensora, sim.

- É verdade que vocês são sereias ?

- Sim. Só que não posso te mostrar, se mostrar isso terá que esqucer.

Marine faz uma marca de estrela com um M escrito e vai embora deixando ele e os policiais
com o serviço burocrático.
- Um dia eu vou revelar quem são elas. Elas são muito bonitas e boas para se esconderem. –
diz o cadete
Capítulo 11 – A imprensa segundo M. de Almeida

Marine foi tomar o banho de beleza típico de domingo, como não tem escola hoje ela demora
um pouco pra sair da banheira. Pedro fala.
- Como foi ontem ?
- Bem, acabamos com sete caras de uma vez. Caroline nos salvou. – disse Marine
- Parece que a imprensa também viu isso. – Pedro estende o jornal para Marine ver.

“Elas vieram do oceano para nos salvar” era a Capa do jornal e tinha um foto frontal de
Marine, Carla, Paula e Caroline com suas roupas, máscara e luvas de Oceânicas. Marine leva
um susto, tira seu rabo de sereia da banheira e usa o secador para recuperar as pernas.Com
elas corre até o quarto e põe camiseta, jeans e um tênis qualquer e manda um sms para suas
três amigas “QG, agora. destruam provas das Quatro O´s que vcs tem em casa”

Quando Marine, Carla e Caroline chegaram, Paula e seus pais estavam impedindo a violação
do QG que era um antigo deposito da grife de roupas de sua mãe.
- Vocês não podem abrir um portão de local particular sem autorização. – disse o pai de Paula,
Osmar, famoso advogado da região.
- Temos autorização, pois temos 4 garotas fazendo justiça com as próprias mãos. – disse o
funcionário contratado para abrir o portão.
- Apoiamos as 4 Oceânicas pois elas ... têm o poder para deixar a cidade mais justa. – disse
Clotilde, mãe de Paula se corrigindo depois de quase ter revelado a identidade de sua filha.
- Paula, Vampuqgcomo ? – perguntou Marine
- Vamusacanosecreto. – Responde Paula.

As quatro foram aos fundos do QG. Daí Paula pegou a chave que abria a gaveta do pé de cabra
para o cano. Paula abre a tampa e as meninas vêm ele cheio de água.
- Como vamos mergulhar nessa sujeira aquática ? – Perguntaram Marine e Caroline.
- Fácil. Juntem as mãos e pensem em água limpa. Usaremos o poder da água para limpar a
água – disse Carla.

Elas pensam em água limpa e sai uma luz azul das mãos das garotas e a água fica
extremamente limpa. As meninas tiram a roupa delas e depois de Caroline. As três mergulham
de cabeça e Carol põe suas pernas na água devagar. Transformadas as que podem usar o rabo
usam e Caroline usa a manipulação de água para impulsionar seu corpo. Assim elas chegam na
banheira com ralo grande do QG e se posicionam. Elas saem da banheira rapidamente,
pensam em pernas e a água é drenada de seus rabos que se tornam pernas. Marine pega
Caroline no colo e elas saem correndo nuas para porem os uniformes.
- Senhor, vejo tudo menos a identidade delas. – O policial vê na câmera instalada no QG

O Sargento desmaia. As meninas já estão vestidas e com suas máscaras. Daí o portão cai.
- Paradas. Tirem as máscaras, não a roupa. Vocês mataram de susto o Sargento e metade dos
homens daqui.

- Tá bom. Mas vocês vão se arrepender. – Elas tiram as máscaras.

- O quê ? Vocês não são jovens lindas com mais de 18 anos. Vocês são jovens lindas com
menos de 18 anos. – Os Jornalistas ficam chateados.

- Na verdade, Carla têm 18 anos. Todas as outras têm 15 – disse Marine.

- Não vamos revelar a identidade de menores, é anti-ético. E revelar a identidade de uma só


não vai vender jornal.

- Então vocês não revelam nossa identidade. O que vocês querem em troca ? – Pergunta Carla.

- Queremos informações das prisões e investigações suas, ok !

- Topado. Agora alguém pega minha cadeira por favor. Não gosto de colo de mulher. – disse
Caroline.

Todos riem do que Caroline disse. E acham a cadeira de rodas da Caroline.

- Ah, suas infelizes, vocês não prestam. – O Cadete Almeida, o fanático pega uma faca e avança
em Marine.

Marine roda em seu eixo e chuta a faca pra longe.

- Vocês não quiseram se revelar, agora a vida de vocês vai ser um inferno. Vou fazer o mundo
odiar sereias. – disse o Cadete que foi detido pelo seu companheiro

Depois de se arrumarem e botarem roupas “normais” as meninas agradeceram os jornalistas


elas disseram.

- Esse Almeida vai acabar com a gente se não ficarmos de olho.

Capítulo 12 – O milagre da Lua Cheia

Marine e suas amigas estavam fazendo trabalho escolar, segunda-feira no QG pois o dia estava
calmo na cidade e o texto era esse:

Como os poderes das sereias são relacionados a água do mar, a


fase da lua influi nos seus poderes. Na lua cheia, os seus poderes
aumentam cinco vezes. Até um espirro de uma sereia pode
transformar uma humana normal. Em período de lua cheia
sereias podem transformar humanas se ambas estiverem na
água ou com a sereia oferecendo um corpo de água com o
feitiço da transformação. Na mitologia atlante, a lua cheia
realiza os desejos de humanas se tornarem sereias.

Depois de ter escrito o texto. Caroline foi checar as atividades.

- Marine, a representação de como a lua afeta os poderes de sereia está pronta ? Paula, você
fez os slides de Powerpoint? Carla, eu sei que você está no 3º ano do ensino médio mas você
pode nos auxiliar ?

- Posso entrar no computador ? Já entrei. – disse Carla.

- Há não. Enquanto nós estamos trabalhando, você não vai vadiar. – disse Marine.

- Então, estava sem inspiração para escrever e vi a ficha do Almeida. Ele têm a ficha limpa, mas
não tão limpa. Ele... – Caroline cochicha uma palavra que não é muito legal.

- O que ? Ele fez com ela á força. E ela têm quinze anos. Que espécie de sociopata é ele ? Depois
de terminar isso vamos falar com ela como pessoas normais, ok ? – Marine disse para as
meninas seriamente.

Elas foram á casa de garota que o Cadete tirou da adolescência á força. O nome dela é Beatriz,
As garotas viram a cara depressiva dela e foram conversar com ela.

- Você depois daquele dia, o que aconteceu ?


- A partir daquele dia eu fiquei com medo de todos os homens que não eram meu pai. Tenho
medo de ser violentada. Não consigo sair de casa, só saio quando vou á escola.
- Você gostaria de falar o que para aquele estúpido ?
- Nada. Absolutamente nada. Sabe, Marine, minhas irmãs são sereias. Gostaria de ser que nem
elas. Poder nadar na alegria do oceano sem ter que parar. O oceano é lindo, existe muita vida e
cor nele. Eu gostaria de trabalhar em oceanografia quando crescer.
- Foi muito bom falar com você. Amanhã vejo você.

Marine, Paula, Carla e Caroline ficaram tocadas pelo sofrimento de Beatriz. Voltaram ao QG.
- O que você está fazendo com essa máquina de costura, Paula ? – Pergunta Marine
- Estou fazendo outro uniforme. Você acha que o rabo de sereia dela seria rosa ou dourado ?
- Vocês estão pensando em tornar Beatriz um sereia ? – Marine provoca.
- Sim, As irmãs dela são sereias mesmo, segundo os arquivos da cidade. Vamos aproveitar a
lua cheia e lançar o feitiço da transformação nela. – Disse Caroline.
- Então, quem vai lançar o “Antropo-Psices” nela ?
- Eu. Como sou a última princesa da Atlântida e tenho 2x mais poder que vocês inclusive em
lua cheia. – disse Carla Marys (como visto no ep.8)

No dia seguinte as meninas estavam no QG. Depois de armado o plano elas foram á casa de
Beatriz com uma caixa de pizza e refrigerante.

- Então vocês são as irmãs de Beatriz, Emília e Cláudia. Vocês são sereias ? – perguntou
Marine.
- Sim. – elas dizem em sintonia. – e também gêmeas idênticas. Na nossa família, só nossa irmã
não é sereia, mas nos damos bem.

Marine derruba o garfo e chama Emília e Cláudia para ajudar.

- Na verdade eu e minhas amigas somos as quatro oceânicas. Vamos tornar ela sereia hoje, ok,
amanhã vocês vão nadar com ela sem compromisso, se ela ganhar rabo, tirem uma foto e
mande um MMS. Nós e sua irmã vamos ajudar ela a se livrar do Cadete Patife. – Disse Marine
baixinho para as gêmeas.

- Alguém pode me dar refri ? – Perguntou Beatriz.

- Sim, Eu pego pra você. – Carla enche o copo – Antropo-psices – diz Carla baixinho – Pode
pegar.

Beatriz vira o copo.


- Ahh!!! Você pode me dar mais.
- Sim, Yes !! – diz Carla.

Beatriz passa a noite bem e suas irmãs impedem ela de se molhar até a volta da escola.
- E aí mana. Quer dar um mergulho. – diz Emília.
- Sim. – diz Beatriz
- Alguma coisa me diz para você tirar a parte de baixo do biquíni. – Diz Cláudia.
- Mas vocês tiram, eu não. – diz Beatriz
- Faz bem pra pele nadar sem calcinha com duas sereias . É uma sabedoria popular. – Emília e
Cláudia tiram a parte de baixo do biquíni e empurram ela na água.
- Como amo água quente. Peraí, minhas pernas estão brilhando !!! Minhas pernas estão se
fundindo!!! Eu perdi meu pé, não pode ser!!! Tenho uma cauda dourada de sereia!!! Perdi o Ar,
uhuu!!! Preciso respirar água!!! – Beatriz submerge na água e sente o prazer de respirar água.

Depois á noite. Marine recebeu a ligação das irmãs de Beatriz.

- Marine. Acho que Beatriz fugiu pro mar. Diz na carta dela que ela vai viver na alegria do
oceano e sair da terra pois ela encerra toda tristeza. Ela vai ser filha do mar pra sempre !!!
Marine bate o telefone e corre com as amigas até a praia que Marine diz ser a praia mais
intocável da cidade. Mas a beleza dela é ofuscada pela lua. Daí aparece um rabo de sereia
dourado entre o azul do mar e a prata da lua.

- BEATRIZ, VEM CONVERSAR COM A GENTE AQUI. – disse Marine.


- Vem falar comigo aqui, que eu não escuto. – disse Beatriz.

Marine faz cara de fazer-o-quê e tira a sua calça e roupa íntima e corre em direção da água até
mergulhar como sereia e chega em direção de Beatriz.

- Olha, Beatriz. Não vou te convencer de ficar em terra. Muitas vezes pensei em fugir pro mar
pra sempre. Não tem ninguém pra te chatear. Virtualmente se pode fazer tudo nele. E os
peixes te entendem e a vista, compensa. Mas se você quer viver no mar, tudo bem. Suas irmãs
vão estar lá ? Quando você for pega, seu pai vai te ajudar ? E quando você sentir falta da terra.
Eu e minhas amigas podemos ajudar você a fazer Almeida pagar pelos erros que ele cometeu.
Se você pode sair da sua depressão. Ele pode se recuperar. Olha, você tem uma vida sem
emoção. Que tal ser a 5ª Oceânica. Já que nosso símbolo é uma estrela. Cinco componentes
tornaria isso equilibrado. – discursou Marine.

- Olha Marine, sou muito frágil para lutar. – disse Beatriz.

- Beatriz, você não é mais uma humana. Não fiz Carla te transformar á toa. Acho que você que
sempre desejou isso desde os treze anos é merecedora. Humanas não podem manipular os
estados da água á distância, não podem hipnotizar pessoas com doce voz,não alcançam notas
hipersônicas , não nadam em alta velocidade, não criam escamas e barbatanas na água e não
respiram água. Você é mais forte que imagina.

- Bom, vou voltar. Mas como ? - diz Beatriz.

Marine e Beatriz nadam até uma rocha e sentam nela. Drenam a água de seus rabos. Quando
as suas pernas voltam elas vão pelas pedras e chegam na calçada.

- Beatriz, como você está sem roupa e descobri a cor de seu rabo, terminei seu uniforme. –
disse Paula dando a caixa com o bustiê, saia , luvas e máscara.
- Essa roupa é fantástica. Adorei.

Capítulo 13 – Dr. Carlos da Silva Doido

Marine teve um dia típico de escola, na volta para a casa, Marine recebeu uma ligação no
celular.
- Soldado Rebeca, Ai é a Marine das Oceânicas ? – disse a soldado e Marine pede a ela
prosseguir com sua fala.
- Temos um cara aqui que não vai sair de casa se vocês não aparecerem. Estamos numa
negociação para ele ser preso.
- Ok, Soldado Rebeca. Estamos indo.

Marine aperta o botão de Push-To-Talk do celular. Marine fala.

- Garotas, Hora da ação. Precisamos ajudar a polícia.

Depois de Marine, Paula, Carla, Caroline e Beatriz chegarem ao local disfarçadas e prontas a
Soldado recebeu nossas amigas.

- M, obrigado por nos ajudar, pegue esse megafone.


- SENHOR, AQUI É M. AGORA PODE SAIR.
- Já vou sair mas... preciso fazer um coisinha. – Uma velhinho apertou um botão.

De repente aparecem correntes que prendem nos braços de Marine e suas amigas. Depois
sobe um disco de metal abaixo dos pés e cadeira delas que levam elas até a casa do
Senhorzinho.

- M. eu vou te botar num lugar especial. – Diz o senhor.


- Você não pode me trancar num aquário !!! – diz Marine.
- Na verdade... – ele pega um pano, molha-o com éter, e faz ela ficar pouco tonta respirando o
vapor. - ... vou botar a amiga de vocês num tubo de plástico sem água.
- Nós vamos sair daqui e te pegar Sr. ... – Paula diz.
- Sr. Não, Dr. Carlos da Silva Doido, especialista em Biologia Humano-mágica.
- O quê ? – Carla fica em dúvida.
- Especialista em Sereias, Fadas e Afins.
- Não em duendes ? – Caroline atrapalha
- Duendes são efeitos de alucinação e Anões são Pessoas com baixa altura. Você é interessante,
não se vê Sereias ,principalmente paraplégicas.
- Conheço sua laia, Dr. Doido, vocês vem todos com boas intenções, depois pegam amostras de
DNA e nos revelam para o mundo inteiro. – diz Beatriz.
- Eu NÃO SOU DR DOIDO. Eu sou Dr.Carlos da Silva Doido.
- Por que você escolheu M. ? – disse Carla.
- Por que ela é Marine de Almeida Marítimo e quero me vingar de seu Avô, Pai e aquela
MALDITA sereia que é a Mãe dela. E revelar minha descoberta para o Mundo. – diz Doido
- Por que você criou tanto ódio dos Almeida e dos Marítimo ? – perguntou Beatriz.
- Eu era pesquisador com o doutor Paulo Sílvio Marítimo e nós pesquisávamos sereias. Um dia
ele levou sua filha, Maria para visitar o laboratório. Ela se molhou acidentalmente e eu vi a
transformação completa dela. Seu pai achava que pesquisar sereias era para ajudar elas a
viverem melhor entre humanos. Eu seqüestrei ela mas o namorado dela, Fernando libertou
aquela escória de cor salmão. Mas eu vou me vingar.
Marine acordou e se viu num tubo de plástico conectada á verificadores de sinais vitais. Olhou
para baixo para ver se estava na água. Mas viu sua saia e suas pernas. Viu seu reflexo, estava
sem máscara e sem luvas.

- Não adianta congelar a fechadura, usar grito cetáceo, ou canto hipnotizador. Esse tubo filtra
qualquer freqüência sonora feita dentro dele e o tubo não congela. Marine Almeida Marítimo.
- disse Doido.

Marine estava tensa dentro do tubo. Suava demais. Daí teve uma idéia. Como estava com sua
calcinha especial, começou a manipular a água do suor por telecinesia com a mão pois estava
solta. Mexeu e remexeu com a água e encheu o tubo de água aos poucos. Quando estava com
escamas, Marine estava com o tubo cheio de água. Marine continuava enchendo o tubo com
água e começou a fazer o grito supersônico.

- Não faça isso. Vai fazer o tubo explodir se usar grito cetáceo e manipulação aqua-cinética
constantemente.

Marine aumenta a dose e pede para suas amigas congelarem e romperem as algemas e para
ajudarem a conduzir a água até o mar com elas e o Dr. Doido junto. O tubo explode e a água vai
junto. As meninas se molham e viram sereia e empurram um lago transparente para o mar. O
cubo de água gigante faz o caminho até o mar e depois as meninas o desfazerem. Daí Marine
dá uma rabada no Dr. E as meninas congelam a roupa do Dr. Doido. Depois elas empurram o
doutor para a polícia.

- Já entregamos a carga. Agora vocês podem emprestar roupas secas ? Não podemos sair com
escamas por aí. – disse Marine.

- Mas só se vocês irem pra cadeia depois. – diz a Soldado.

Todos riem e Marine e suas amigas vão fardadas para casa.

Sub- Série – Uma semana na vida de Douglas. Dia 1

- As coisas andam bem aqui no bairro do Tatuapé na Capital de São Paulo, apesar de ter saído
de Marina das Sereias faz dois anos e três meses. Ultimamente, a vida tem mudado muito.
Acabei de me mudar para um apartamento com minha mãe depois de ter ficado 6 meses na
casa das minhas tias. Minha mãe agora é gerente de uma padaria perto do apê. Dá pra pagar o
meu técnico em fotografia, minha escola e a comida. Eu ajudo minha mãe com a grana
trabalhando no estúdio M de fotografia que faz books fotográficos, meu chefe é o seu Paulo.
Tento reconstruir minhas lembranças de Marine, mas não consigo achar um rosto parecido
com o dela. Já tentei fazer montagens de rosto com fotos de artistas e modelos não
selecionadas pelas agências mas não é parecido com o de Marine. No meu tempo livre faço
manipulações de photoshop para transformar as modelos dos books negados pelas agências
em sereias. Ganhei até o premio montagem do mês das comunidades de photoshop do Orkut,
facebook e do myspace. – escreve Douglas em seu blog.

- Para de atualizar o blog, e se mexe. Pô. Você tem um book para fotografar. – disse seu Paulo.

- Olá. Sou Douglas e serei seu fotografo hoje. – Douglas arruma a câmera e pega um fotômetro.

- Micaela, tenho medo de fotografia.

- Qual é a sua idade ? – Douglas fala com Micaela.

- Quinze.

- Eu tenho quinze também. Porque você veio aqui ?

- Estou tentando ser atriz, mas me mandaram fazer um book para ver alguma coisa.

- Não entendo essas redes de têve. O que importa a forma física na atuação ? Bom, sente-se de
lado. Estique as pernas. Dê uma viradinha no quadril. Beleza !!! Diga atriz !

Depois da sessão, Douglas levou Micaela para fora do estúdio. Poucos minutos depois, Douglas
bateu o ponto e começou a cair uma chuva tórrida sobre São Paulo. Douglas sai do estúdio e
anda até sua casa até que vê uma garota pedindo ajuda para chegar em casa. Ele corre e vê a
garota. É Micaela. Depois ele vira seus olhos para os pés de Micaela. Mas vê sua calça partida
ao meio na transversal e uma calcinha do outro lado da rua. Douglas tira as calças estripadas
de Micaela. Douglas pega ela nos braços. E anda com ela nos braços. Micaela e Douglas
começam a discutir.

- Me larga.
- Não.
- Mas você nunca viu uma...
- Vi.
- Você já viu uma sereia ?
- Minha irmã é. E já tive uma namorada assim.
- Porque você está sem guarda-chuva ?
- Porque você precisa respirar.
- E se a chuva acabar ?
- Você respira a água do meu cantil.
- Onde você mora ?
- É só virar á direita. 402. Bloco B. 43.
- Bom. Já estamos lá.
Quando chegam á portaria, a porta já está aberta e eles vão ate á sala do elevador. Douglas
aperta o botão do elevador e senta Micaela na cadeira.

- O quê aconteceu com suas calças e calcinha ? E seu guarda-chuva ?


- Estava andando na rua normalmente. Começou a molhar. Se a calça e a calcinha fossem
tratadas elas iriam ficar incolores e se adaptar á cauda. Mas quando começa a transformação,
a perna some rapidamente e o rabo começa á crescer desde o quadril e a nadadeira inferior
rasga toda a calça e a calcinha estica demais e sai zunido.
- Me abraça no ombro.
- Porque ?
- Vou ter que pegar você de rabo, quer dizer, em pé para passarmos no elevador.

Douglas pega ela em pé e anda de costas até o elevador e aperta o botão. Douglas fica de
costas para o povo do elevador.

- Me beija, Micaela.
- O quê ?
- Você quer fazer os vizinhos descobrir que é sereia ?

Micaela e Douglas dão um beijo escandaloso. Até chegarem no quarto andar. Depois ele volta a
pegar ela de lado. Douglas põe sua cara no olho mágico.

- Você é a mãe da Micaela, dona Célia ?


- Sim.
- Digamos que sua filha se molhou.
- Peraí,estou enchendo a banheira.

Depois de ter enchido a banheira, a mãe de Micaela abre a porta e Douglas corre até a
banheira e põe Micaela na banheira. Quando Micaela tira a camiseta e põe um top, Douglas
olha Micaela com detalhes. A cauda de sereia azul profundo que fica cada vez mais claro
quando se aproxima do quadril. Um busto perfeito realçado pelo top azul do biquíni. Seus
cabelos loiros com mechas castanhas que realçavam seus olhos verdes que refletiam a
profundidade e leveza do mar. Douglas havia esquecido a garota de olhos azuis e cabelos
castanhos e a bela sereia de rabo azul que era Marine. Douglas pede o e-mail de Micaela e vai
embora para sua casa.

Sub- Série – Uma semana na vida de Douglas. Dia 2


Depois de uma noite bem dormida. O Alarme do celular de Douglas dispara. O alarme é aquela
música das esteiras do OKGO. Douglas corre para a cozinha esquentar seu leite e pegar as suas
torradas, come rapidamente e vai ao banheiro fazer suas necessidades e escovar os dentes.
Pega seu MacBookPro que havia ganhado num dos vários concursos de fotografia que ganhou
junto com sua câmera semi-profissional e sua mala de escola. Sai de seu apartamento e desce
pelas escadas até o estacionamento. Pega sua bicicleta e vai até quatro quarteirões de
distância de sua casa. É lá onde está sua escola. Douglas chega com vinte minutos antes da
aula. Chega á sua sala, abre o notebook e põe fone de ouvido e continua a ouvir música. Depois
de todo mundo chegar, Douglas para de ouvir música. Depois de duas ou três aulas a hora da
pausa pro lanche chega.

- Douglas, vem aqui. Vamos conversar. – Disse Micaela, ao longe.


- Ué, você estuda aqui ? – Douglas chega com sua mala e senta.
- Sim. Porque você não ficou pra janta em casa ? – Pergunta Micaela.
- Tinha que voltar pra casa, tinha lição. Você gostaria de ir ao shopping, tomar um milkshake ?
- Isso é um encontro ?
- Não, isso é um passeio, sem compromisso. Primeiro precisamos se conhecer melhor.
- 3 horas ?
- 4 , 4 e 35 da tarde. Você me espera na Padaria da Esquina para eu pedir uma bicicleta
emprestada pra minha mãe.

Depois do recreio, houve mais duas ou três aulas e depois Douglas foi para um self-service
perto do trabalho de sua mãe e se encontrou com ela.

- Boa tarde mãe, tudo bem ?


- Sim, apesar de que padaria nunca ser 100% vazia de terça e de ter acabado a farinha. Não
falemos de mim hoje. Como foi seu dia ? – Disse Neuza.
- Reencontrei aquela garota que estava fazendo o book e tive que levar pro hospital, a Micaela,
ela estuda na mesma escola que eu. Marcamos de ir ao shopping hoje.
- Por acaso, meu filhinho, isso é um encontro ? – Pergunta Neuza.
- Não é um encontro, é um pequeno passeio para nos conhecermos melhor. Me simpatizei com
ela.
- Bom, eu vou indo pro técnico de foto. Vou voltar ás quatro da tarde para pegar sua bicicleta
emprestada na padaria. Até.

Douglas foi ao técnico de fotografia. Depois de uma hora, Douglas chega ao estúdio M para o
trabalho.

- Seu Paulo, você não vai acreditar. Ela aceitou meu convite de encontro sem-compromissos.
Estou me sentido muito bem e nenhuma brincadeira de você têm muito trabalho vai me
derrubar. Tem muito trabalho ?
- Não. Mas esse é um cliente muito importante. Mães paranóicas que querem fazer seu filho
ser famoso para saírem da classe média valem muita grana. Mas se lembre. Vale mais uma
criança que quer ser famosa do que uma que não quer.

Depois de ter convencido uma criança a ser fotografada, Douglas bate o ponto e vai de
bicicleta até a padaria de sua mãe. Douglas sai da bicicleta e vê Micaela. Vê a camiseta verde
com um detalhe que cai levemente em seu jeans azul claro que realça as curvas de suas pernas
e quadris. Tudo combinando com um tênis verde-água. Estava falando com a mãe dele.
- Não sabia isso, muito interessante aliás. – Disse Neuza
- Então, dona Neuza, meu pai é advogado mesmo. Trabalha com direitos humanos. – disse
Micaela.
Douglas respira aliviado por Mica não ter dito nada sobre sua forma na água.
- Mãe, posso pegar a Biba ?
- Sim, mas tenha cuidado com ela. Ela é meu único veículo.
- Bom, Mica vai cuidar muito bem dela.

Douglas ajuda Micaela a sentar na Biba, a bicicleta da sua mãe e eles foram até a shopping com
elas, Douglas pagou uma quantia de 10 Reais para cuidarem das bicicletas e eles foram até a
escada rolante. Começaram a conversar.
- Porque você veio pra capital, Douglas ? - Micaela
- Eu tinha uma irmã que nasceu com uma alergia á água, daí quando saiu do útero da minha
mãe, ela teve que ser transformada pela ex-namorada do meu pai, Maria que é sereia e foi
inimiga de namoro de minha mãe. Além do meu pai não ter contado isso pra minha mãe, eu
comecei a namorar uma sereia. Minha mãe ficou doida e fugiu pra cá. - Douglas
- Muito triste, Dô. Eu também morava em Marina das Sereias. Achava o máximo, até que minha
mãe brigou com minha vó. Daí tivemos que nós mudar pra cá. – Micaela.
- Sua mãe é uma sereia também ? - Douglas
- Ela era meio sereia mas decidiu ser normal. Como meu pai é filho de sereia, fiquei com 2
genes dominantes de sereia. Minha mãe adorou a notícia. - Micaela
- Como assim sua mãe escolheu ser normal ? - Douglas
- Quando você é mulher e tem só um gene dominante de sereia, quando você faz treze te dão
uma perola azul mágica. Se você quiser ser uma sereia, você molha a pérola na água do mar e
entra no mar com ela e se funde com a mágica da pérola. Minha mãe não quis nem a pérola. –
Micaela

Douglas e Micaela estavam na frente de uma daquelas megastores de livros, CDs, revistas e
videogames. Douglas puxou Micaela para a megastore.

- Você gosta de ler o quê ? – disse Douglas.


- Ficcão, tipo Harry Potter. E você ? – disse Micaela.
- Gosto muito de fotografia, mas se não tiver uma poesia ou texto reflexivo sobre a foto, não
tem graça. Afinal, é um livro.
- Ouve essa aqui, não é legal ?
- Sim, bom. Island in the Sun. Do weezer. Que tal essa ?
- Até que essa música é legal ? OK-Go ? Vou levar esse.
- Então, como foi a primeira vez após os treze na água ?
- Eu sempre me preparei para aquele dia na minha vida. Quando entrei na água me senti
muito bem. A sensação de se sentir unida á água é incrível. É muito bom.

Depois disso eles continuaram o passeio no shopping como combinado e foram tomar um
milkshake. Depois foram embora, e enquanto esperavam as bicicletas começaram a conversar.
- Será que vale a pena sermos namorados ? – Pergunta Douglas.
- Só tem um jeito de saber. – Micaela pega Douglas pelo braço e começa a beijá-lo. Douglas
sente a emoção inabalável do amor. Eles não quiseram parar e continuaram por mais trinta e
nove segundos. Depois o segurança cutucou Douglas. Depois eles pegaram as bicicletas.
- Quando vamos contar ? – pergunta Micaela.
- Amanhã, na minha casa. Te encontro lá.

Sub- Série – Uma semana na vida de Douglas. Dia 3

-Mãe, a Mica chegou !!! – Douglas gritou para sua mãe.


- Dona Célia, senhor Gabriel, tudo bem ? – Neuza fala com os pai de Micaela.
- Afinal, o que vocês querem nos falar, filha ? – Pergunta Gabriel , o pai de Micaela.
- Estamos namorando, pra valer. – Disse Micaela.
- Nos beijamos ontem por 2 minutos e meio. – Disse Douglas.

Célia pediu um copo d’ água e Neuza pegou o copo de água e acabou caindo um pouco de água.
- Deixa eu secar. – disse Neuza.
- É só água, se fosse... – Célia lembra o que Douglas disse - ...feita de papelão, daí seria um
problema.
- Vamos comer o quê ? – Pergunta Douglas.
- Pizza. O que mais iríamos comer ? – disseram todos.

Depois da pizza e de comerem tudo, chegava a hora de lavar a louça. Célia, Gabriel e Neuza
foram lavar a louça e os dois pombinhos fizeram uma pergunta estranha para as oito horas da
noite.
- Podemos descer para a piscina do prédio ?
- Eh... nada impede de vocês irem para lá. Tá meio quente mesmo. – responde Neuza. – não
façam barulho.

Douglas e Micaela descem até o térreo do apartamento e eles abriram a portinhola da área da
piscina. Mica e Douglas foram até as barraquinhas para trocar de roupa. Douglas pôs seu
shorts e Mica pôs um top azul. Mica saiu correndo e mergulha. Enquanto Mica abandona suas
pernas, a água brilha e borbulha. A mãe de Douglas liga no celular dele.
- Porque a água está borbulhando, filho ?
- É o sistema de limpeza de água da piscina com raios UV.

Mica levanta seu rabo de sereia e fala para Douglas vir para a piscina. Douglas entra na
piscina. Eles nadam um pouquinho e se beijam no fundo da água. Neuza chama Micaela.
Douglas manda Mica abaixar suas barbatanas e abraça ela.
- Tudo bem, Mica.
- Tudo, dona Neuza.
- Você esqueceu seu shorts.
- Não precisa de shorts na piscina.
- Você está sem shorts na piscina ? Levante sua perna.
- Não posso, dona Neuza. – Micaela dá uma rabada nas partes íntimas de Douglas. – Está muito
frio fora da água.
- Porque você está com as mãos no bolso, Dô ?
- Porque ela me deu um rabo... quer dizer, chute nas partes íntimas.
- Sente-se na borda, Micaela pois você não tem nada a esconder de mim.

Douglas liga para o pai de Micaela e pede para ele pegar seu taco de beisebol que seu pai
comprou caso sua mãe pirasse de novo.

- Dona Neuza, não queria te chatear. Nunca quis hipnotizá-lo, nunca o alienei e nosso amor
nem começou mas preciso te contar uma coisa. Quando não entro em contato com a água sou
uma pessoa normal. Mas quando a água toca minha pele me torno parte dela. Sou uma sereia.

Mica tira seu rabo da água. O brilho azul de sua cauda entra nos olhos de Neuza. Depois ela
grita.

-Tire seu rabo de peixe e seu busto fora desta casa, sua bruxa hipnótica do mar. Fora.
- Me ouça, por favor mãe. Se controle, por que você tem tanto ódio delas ? Elas são do bem. –
disse Douglas.
- Depois falamos disso. Agora estou levando essa aberração e seus pais para fora daqui.

Depois de subir para casa , Douglas e sua mãe vão ao quarto dele e ele abriu o skype,
contactou sua irmã e desligou a tela para não levantar suspeitas. Neuza chega.
- Você é um desgosto. Você é teimoso, idiota, bobo e maleável. Você só namora monstros
ardilosos e hipnotizadores que se aproveitam dos homens. E que me enganar, não sabia que
aquele doce de menina com bons pais era uma sereia. VOCÊ É UM DESGOTO.
- Mas mãe, ela é uma pessoa normal e eu amo ela da forma mais pura do mundo. Não que nem
você que forçou meu pai a ter filhos para esfregar na cara da ex-namorada de primeiro ano de
colegial. Foi isso que meu pai disse.
- Você foi hipnotizado por essa sereia. Sempre odiei elas. “Ai, como somos lindas, gostosas e
magneticamente sensuais, vamos zombar da gordinha.” , elas viviam pensando isso de mim
quando tinha 15. Elas sempre eram as mais bonitas, inteligentes e pegáveis, nunca
respeitaram minha normalidade. Mais eu odiava mais Maria, pois ela tinha ficado com meu
Eduardo. Eu tive você e sua irmã na faculdade por acidente. Não por golpe da barriga.
- Então porque você negou minha irmã ?
- Foi uma praga da Maria. Ela queria tirar seu pai de mim fazendo eu sofrer criando uma
sereia.
- Mãe, como foi praga se minha irmã nasceu com alergia á água e tem nos documentos do
hospital que ela nasceu. Tão na internet.
- É MEN-TI-RA. Ela hipnotizou os médicos, seu pai, eu, a cidade. Por isso eu saco a grana da
pensão sua que seu pai manda e queimo, pois não aceito que um traidor ajude. Fiz isso pro seu
bem.
- Meu bem, você deseja meu bem. Você foge da cidade onde vivemos por treze anos, me proíbe
de falar com sereias por que acha elas más, queima o dinheiro da pensão do meu pai e acha
que faz bem pra mim. Você é uma louca. Vou pegar meu celular, minha câmera, minha mala
escolar e meu notebook e vou fugir daqui. E vou ter meu último dia de escola e vou fazer
minha transferência escolar. Assine aqui. FUI. Te ligo sábado para falar onde estou para não
ficar desaparecido.

Douglas entra no elevador e sai do apartamento chorando e vai até a casa de Micaela. Os pais
dela o acolhem e Douglas se tranca no banheiro e chora.
-EU SINTO SUA FALTA MARINE !!!

Sub- Série – Uma semana na vida de Douglas. Dia 4


- Douglas, acorda. Douglas, acorda. ACORDA DOUGLAS.
- Dona Célia, bom dia. Desculpe ter incomodado. Agora sou home-less.
- O que você pretende fazer agora, Douglas ? – Pergunta Gabriel.
- Depois de ir á escola e me demitir do meu estágio de técnico em foto, vou pegar um ônibus
na rodoviária e ir para Marina das Sereias e ficar num albergue estudantil. Vou me
reencontrar com Marine. Não tenho nada a perder.
- Mas porque você me beijou, Douglas ? – Perguntou Micaela.
- Eu não beijei você na minha mente. Beijei Marine.
- Estava na internet atrás dessa tal Marine e achei isso.
Era uma foto das 5 oceânicas e com um rabisco de caneta escrito “Marine ?”. Douglas viu que a
garota de olhos azuis, de pele branca levemente bronzeada, cabelos castanhos lisos e curvas
levemente acentuadas parecia com Marine mas a máscara e a roupa com M dificultavam sua
busca.
- Você disse cabelos castanhos lisos, olhos azuis e bonita. Achei ela.
- Preciso falar com Paty. Faço isso no café da rodoviária.
- Precisa de ajuda, carro, uma despedida decente ?
- Tenho medo de deixar você, Mica. Eu tenho uma alma-gêmea, mas ,e você ?
- Cara, se toca. Tem 3 bilhões de caras nesse mundo. Podem existir várias outras chances pra
mim. Agora chega disso, ok. Vamos terminar suas coisas.

Depois de algumas horas de aula, Douglas aproveitou o wi-fi da escola e se conectou com sua
irmã no seu computador.
-Oiê !!
- Você me pegou na hora do almoço, pô (13h). Não saí da escola ainda.
- O que você sabe das 5 oceânicas ?
- O projeto ambicioso da Marine. Como você sabe disso ? Bancar a heroína é burrice.
- Li na internet. Bom, o que vocês vão fazer com o que minha mãe disse ? Vou fugir pra Marina.
- Bom, mandamos o vídeo pro advogado aí no Brasil e vamos tirar sua guarda da Neuza.
- Não vou ficar em Londres, mana. Não saio de Marina das Sereias quando chegar lá.
- Estou mandando o endereço do albergue estudantil do site do STB. Boa sorte. Mandaremos a
grana no correio.

Depois de sair da escola e escrever a carta de demissão para o Estúdio de Fotografia. Douglas
pega o ônibus para a rodoviária. Quando chega na rodoviária pega os 50 reais e a carteira
internacional do estudante. Paga a grana e entra no ônibus. Depois de três horas chega na
rodoviária de Marina das Sereias e chega ao Albergue Estudantil. As condições de privacidade
por montes de adolescentes dormindo ao lado e acima de Douglas e a quantidade de
banheiros não impressiona muito. Mas Douglas iria dormir lá todo dia pelo resto da vida dele.

Capítulo 14 –Douglas voltou á cidade.


- Meu deus do céu. Ele vai se matar.
- Alguém pega ele de lá por favor.
- Pára cara, você vai desperdiçar sua vida.
- Só saio daqui se vocês trouxerem M só negocio minha vida se ela estiver aqui. – Disse
Douglas.
- Aqui é M, qual o seu nome, suicida ? – Pergunta Marine para o provável desconhecido.
- Douglas, Silva. Douglas Silva.
- Qual o seu problema ? Por que quer se matar ? Você tem a minha idade, pode viver mais.
- M, minha mãe havia se mudado, dois anos atrás por ódio de sereias. Até que namorei outra
na capital , houve um acidente , briguei com minha mãe e fugi para reencontrar minha
verdadeira namorada. Mas faz dois anos que não a vejo. Ela tem cabelos castanhos e olhos
azuis. Parece você, M. Será que ela vai aceitar um cara como eu, nerd e meio bobo.
- Na verdade, ela vai aceitar um cara como você, pode descer aqui. Se viver ela poderá lhe ver.
Circulando, gente, circulando.

Douglas desce e chega até Marine. Espera todos irem embora e pega na mão dela. Sente
Marine de um jeito que só o amor é sentido. Leva suas mãos á mascara de Marine e tira ela.
Eles se beijam de uma maneira eterna, inabalável e indecifrável. Durou um curto momento,
mas foi eterno e incrível para os dois. Depois eles voltam a falar.
- Se eu fosse você botaria essa máscara e sairia correndo daqui agora.
- Mas...- Marine põe a mascará e sai correndo, mas os fotógrafos a seguem. Marine tira seu
uniforme e joga ele nos braços de Douglas. Corre em direção ao mar, mergulha, os despista e
levanta seu rabo de sereia zombando dos fotógrafos.

Douglas chega até o QG das 5 oceânicas. Depois Marine entra pelo corredor de água que foi
implantado faz pouco tempo no QG. Depois senta no degrau com água e chama Douglas.
- Douglas, quanto tempo não te vejo. Sinto muita falta de você. Me ajuda, pega a roupa pra
mim.
- Faz muito tempo... – Douglas vê Marine secar seu rabo e quando suas pernas voltam, Douglas
vê as belas e curvilíneas pernas e mais alguma coisa. - ... e o tempo fez muito bem pra você.
Gostei da tatuagem no seu calcanhar. “Pareço inofensiva, mas você não me viu embaixo
d’água”.
- Afinal, porque você fugiu de casa ?
- Marine, minha mãe tem medo de sereias e queima o dinheiro da pensão do meu pai... –
Marine troca seu top de mergulho. - ... ela é meio doida. Posso parar de ver você se trocar ?
- Tá tanto tempo assim sem mulher. Nunca viu mulher se trocando ?
- Mulher, sim. Minha namorada na puberdade, não. Os hormônios femininos fazem milagres.
- Onde você vai ficar ?
- No albergue do STB na avenida central.
- Você pode ficar aqui no QG, mas vai ter que agüentar as curvas femininas toda noite, tudo
bem ? Estamos precisando de mais uma pessoa pra ajudar com o computador.
- Depois dessa, que tal um mergulho ?
- Mas eu me troquei faz tempo... Mas como uma sereia vai recusar água ?

Marine tira toda a roupa e deixa o top. Ela e Douglas pulam na água.
- Sabe o que é melhor que isso ? Segure o fôlego, Douglas.

Marine pega Douglas no braço e nada muito rápido até o recife de corais perto da cidade. A
quantidade e beleza da vida marinha do local e eles se beijam novamente. Depois disso,
Marine voltou ao QG com Douglas.
- Marine, estou sem ar.
- Foi o beijo ou a falta de ar ?
- Não me dê mais um beijo, nem respiração boca-a-boca. Foi muita emoção por hoje.

Capítulo 14 – Efeito “Zacnessa”


Douglas acorda. Vê as horas em seu relógio. São oito da manhã de um sábado. Mas a fome era
maior que seu sono. Ele acorda e sai do casulo de dormir. Ele ainda não se acostumou em
acordar sem ninguém. Ele levanta e sai do QG. Ele vai a uma lanchonete que Marine o indicou
e chega no balcão.
- Chapa, bem vindo ao Chapas. Vai pedir o que ? Douglas ?!?
- Pedro ?!? Você trabalha aqui ? Me vê um queijo-quente e um leite com chocolate. Tudo bem
com você ?
- Sim, trabalhando muito pra terminar a faculdade de culinária e namorar com Carla. Que pena
que ela esta nas aulas de Oceanografia. Ela estuda de manhã, trabalha comigo á tarde e você
sabe o que ela faz á noite.
- Posso ler o jornal,Peu ?

Douglas abre o jornal e dá uma conferida enquanto come. Lê a notícia sobre seu salvamento e
lê uma nota com a foto deles se beijando e outra deles se beijando em baixo da água.
“Supostos Rumores sobre relações amorosas de M com a vítima circulam na internet” é isso
que apareceu no jornal. Douglas paga a comida e deixa um resto no prato. Corre até a casa de
Marine abre a porta do quarto e fala.
- Marine, alguém sabe de nós. Precisamos saber quem é.
- O quê ? Vamos pro QG.
- Você não vai tirar o pijama.
- Na verdade, sim, mas na água, do mar. Leva essa chave do meu armário. Não podemos ir
juntos pra lá.
- Ok. Vou pro QG com a Carol. Encontro você com as outras no corredor de água.
Douglas corre até a casa de Caroline e pega ela no café da manhã. Pega ela sem pedir.
- Me larga, seu maluco.
- Meu nome é Douglas, apesar de você não me conhecer, Marine me mandou te pegar e levar
para o QG.
- Depois te pergunto mais sobre você.

Douglas corre com Caroline até o QG e vê Carla, Paula e Beatriz. Vê de todos os lados para
achar Marine.
- Cadê Marine ?
- Ela já ta chegando. Ela tem mania de entrar pela água. Achamos que isso chama a atenção
demais.
- Gente, cês podem me ajudar aqui. – Marine chama.

Marine põe sua cauda no seco e a seca. Sua perna volta, ela sobe os degraus do tanque de água
e se veste com umas roupas meio rasgadas que ela guardou no QG.
- Douglas, você já conhece Carla e Paula, então vou te apresentar as outras. Essa é Caroline,
não nada, nem anda mas investiga e controla a água muito bem. E essa é Beatriz, nossa garota
dourada, literalmente, ela é uma aprendiz, mas ás vezes nos ensina muito sobre garra.
- Pô, Marine, como conseguiram essa foto de você e seu namorado embaixo da água. Nem
jornalistas conseguem isto ? Só pode ser proveniente de fanatismo. – disse Caroline em frente
ao computador.
- Só pode ser isso. Todas as nossas admiradoras achariam fantástico que fizéssemos um par
romântico com alguém. Todo mundo gosta de casaizinhos estilo “Zacnessa”. - disse Paula.
- Zacnessa ? – pergunta Douglas
- Zac Efron e Vanessa Anne Hudgens. Os protagonistas do High School Musical. Quando eles
começaram a namorar, foi um sonho realizado para os fãs do filme de tevê. Você não vê tevê ?
Se informa, cara. – disse Beatriz
- Então temos de achar essa blogueira fofoqueira para parar de ferir a intimidade de Marine e
Douglas. – disse Carla.
- Por isso liguei para a dona da nossa comunidade do Orkut para reunir todos os admiradores.
Vamos saber quem fez isso.Vamos nos vestir garotas !!! – disse Marine.
- Você me ajuda a me vestir, Douglas ? – pergunta Caroline.
- Você vai trocar de calcinha ? Não quero ver muitas curvas se não vou bater meu carro.

Depois de ter ajudado Caroline e ter esperado as outras. As garotas perguntaram como
estavam.
- Luvas, Bustiê, Saia. Burlesco, mais interessante. Azul, Prata, Roxo, Verde e Dourado. Iniciais,
uma estrela com uma cor em cada linha e um detalhe de escamas. Bonito, mais provocante.
Achei bonito. Mas a Marine é mais bonita. Vamos para a reunião com a comunidade.
Elas andaram até um palquinho montado na última hora e Marine começou a falar.
- Bom dia membros da nossa comunidade do Orkut.
- Bom dia, M.
- Como vocês sabem, um de vocês que eu não sei quem é, tirou fotos de mim e meu namorado.
Quero saber quem é para falar para essa pessoa parar de ferir minha intimidade.
- Não sabemos quem foi, M.
- Quem não tem máquina fotográfica, se levante.
Mil pessoas se levantaram.
- Agora, saiam. Quem não tem blog, pode sair.
Quinhentas pessoas saíram.
- Quem não atualiza seu blog ? – 250 pessoas levantaram a mão – Rua !
Marine olha as 250 pessoas e tenta imaginar quem tiraria uma foto sua com Douglas em baixo
da água.
- Só saiam quando eu pedir. Alguém aqui usa equipamento de mergulho e tira fotografias com
câmera aquática ? – Ninguém se mexe. – Alguém pratica mergulho aqui ? – Algumas meninas
ficam apreensivas em levantar. – Todos os homens podem sair. – 125 homens saem.
As garotas apreensivas ficam mais relaxadas por causa de algo que os garotos não sabem.
- Algumas de vocês tem algo que as diferem das outras, principalmente na água, como nós
cinco ?
Sessenta e duas garotas se levantaram.
- Fiquem aqui. As que não responderam vão embora. – Marine espera as outras garotas saírem
para falar sobre a diferenciação aquática das outras.
- Eu não acredito que uma de vocês oferece risco de revelar minha identidade e das minhas
amigas. Pô, vocês sabem que se falarmos que somos sereias, as pessoas irão nos tratar como
aberrações ou virar tema de pesquisa em doutorado. Porque tirar foto de nossa intimidade ?
- Por que merecemos saber. Por que vocês fazem nós parecermos boas e não hipnotizadoras
de homens. Por que nos espelhamos em vocês. Queremos seguir o exemplo de vocês. – disse
uma garota de atitude.
- Qual o seu nome ?
- Clara.
- Desculpe mas eu vou tirar a máscara. Não tirem fotos e não falem pra ninguém que eu sou.
- Prima ? M é Marine ? Eu sou uma anta. Fotografei e feri a intimidade da minha prima.
- Clara ? Faz cinco anos que não te vejo. Por que você fez isso? Obrigado por me ajudarem,
gente, o assunto é particular.
- Faz um ano que voltei pra cá, e não conhecia a cidade. Daí toda essa história de 5 oceânicas
me interessou e você sabe como gosto.

Clara Maria Marítimo de Oliveira, 15 anos, filha de Clara. Uma garota afro-descendente com
cabelos encaracolados negros e olhos verdes. Havia se mudado de Marina das Sereias para
Salvador-Bahia por causa de assuntos pendentes da família de seu pai, Lucio. Depois voltaram
para a cidade por causa do trabalho de sua mãe, que é cabeleira. Seu pai é professor de
natação.
- Você tem novidades, Clarinha ? – disse Marine.
- Parece que puxei o lado da família da minha mãe. Sou sereia. – responde Clara
- Parece ser óbvio. Depois que você respondeu isso para nós, não parece surpreendente da
segunda vez. Com que cor de cauda você foi presenteada ?
- Ainda bem que você perguntou, pois já estou me trocando para entrar na água.

Douglas e as garotas estavam curiosos para saber como é Clara na água. Clara pôs os braços
acima da cabeça e mergulha. Daí acontece tudo aquilo que chamamos transformação. Os pés
criam nadadeiras, se esticam e se fundem, suas pernas se fundem em uma grande cauda. A
cauda ganha escamas. A cauda de Clara começa vermelha no quadril e se torna alaranjada até
a nadadeira onde era seu pé.

-Madison-tástico. Adorei a cor de sua cauda, Clara. – Marine se surpreende.


- Vocês tem mais uma vaga no time ? – Pergunta Clara.

Marine, Carla, Paula, Caroline e Beatriz conversam entre si e pensam no assunto.


- Você pode ser a sexta oceânica. Mas quando Patrícia voltar você vai ter que ceder seu lugar,
ok. – Marine disse.- Mas você sabe que dependendo do seu desempenho, você pode ficar.
- Ok, agora vocês podem me secar ? – disse Clara.

Cap.16 – O grande telefonema


- Clara, tudo bem irmã ? Viemos almoçar com vocês hoje, como está a Clarinha ? – disse Maria
- Oi, tudo bem, não esperamos vocês virem hoje, afinal hoje é domingo. – disse Clara.

Clara Marítimo de Oliveira, irmã de Maria. Loira, cabelos lisos, olhos castanhos. Usava óculos
quando criança e sempre gostou de sua irmã apesar de tudo que passaram. Sereia como
Maria, conheceu Lucio na adolescência depois de ter salvo ele. A cor de sua cauda é vermelha.

- Quem é esse cara com sua filha, Maria ?


- É Douglas, o namorado dela. Fugiu de casa e não tinha com quem ficar de domingo. Bom,
podemos entrar ?
- Podem entrar.

A casa da família de Clara tem uma grande vidraça no primeiro andar no fundo da casa com
uma porta de vidro. Como a vista do mar, o sol e areia colorem a casa, a tinta branca invade a
parede do local. Douglas, Marine, Pedro, Carla, Fernando e Maria se dispuseram na mesa com
toalha branca com detalhes azuis e verdes. Clara, a mãe, começa a servir o almoço de domingo.
Macarronada, almôndegas e suco de laranja fraco. Passados dez minutos o celular de Douglas
toca. Douglas lê na tela. É sua mãe. Douglas corre e atende.

- Filho, tudo bem. Estou aqui com Micaela e seus pais.


- Mãe não a transforme em sushi, mãe.
- Na verdade Mica e seus pais vieram falar sobre sua namorada Marine. Não sabia que ela
salvava pessoas. Subestimei-te, filho.
- Isso quer dizer que você volta para Marina das Sereias ?
- Não filho, acho que descobriram que tenho medo crônico de sereias. Preciso saber o que fez
isso.
- Onde você está ?
- Na clínica de reabilitação psicológica da capital. Quase queimei o apartamento da Mica
inteiro.
- Onde eu vou ficar ?
- Tô te passando o endereço da casa da minha irmã. Ela mora aí. Mas por favor, não fale sobre
mim.
A mãe de Douglas passou um sms com o endereço da casa da sua irmã. Douglas termina de
comer e Marine vai com Douglas a um lugar especial.
- Onde fica esse lugar ? – Douglas pergunta.
- Esse é meu lugar especial e fica daqui alguns metros daqui. – Marine Responde. – Agora você
vai ter que subir esse morrinho.
- Putz... é muito alto.
- Dô, cuidado com a cratera, você tem que escorregar com cuidado, ok ? – Disse Marine
embaixo – Te encontro lá embaixo, ok.
Douglas desce para o fundo da caverna e viu as pedras bem moldadas pela natureza brilharem
com o sol. Depois viu um laginho azul se mexer. Marine chegou e nadou até uma pedra e
sentou deixando uma parte de sua cauda na água.
- Esse lugar é lindo ! Você nunca me disse dele. – Douglas disse.
- Esse lugar é lindo. Eu o descobri acidentalmente. Estava sem sono uma noite e eu resolvi
nadar. Daí eu vi um buraco e entrei nele. É fantástico. Esse top novo aperta muito, vou tirar.
- Isso aperta muito ? – Douglas duvida
- Você não sabe. – Marine tira o top.
- Você tem escamas azuis nos seios ? – Douglas tenta procurar o que deveria estar naquele
lugar.
- Sim, na verdade essas escamas são uma espécie de proteção. Elas também aparecem quando
me molho. Elas protegem de machucados por nadar em alta velocidade. Eu uso top para não
fazer ninguém desmaiar.
- Você fica linda de qualquer jeito, Marine. Mas suas costas ficam mais bonitas sem aquele top.
O top atrapalha muito o nado.
O celular de Marine, que Douglas tinha pego para não molhar, toca.
- O quê ? Abriram um rombo na casa de Carla. Estamos indo. -
- Estamos indo. Douglas, leva meu celular e seca meu rabo lá na praia, precisamos ir á casa de
Carla, ok ?
Cap.17 – Tudo que você queria saber sobre Atlântida e não tinha para quem perguntar.

- Mas o quê é isso ? Arrombaram a casa dela. – Beatriz disse.


- Bom, vejamos. Tem um rombo enorme, uma marca de tridente e “A monarquia negra voltou”
escrito nas paredes. Daí seja quem saiu andando e parece que é... – Caroline vê pés na areia,
depois esses pés viram nadadeiras e depois ela vê marcas que parecem ser de sereia fugindo e
ela vê uma marca de tridente. - ...é uma espécie de sereia do mal.
- Não acredito, minha mãe estava certa. – Carla responde
- Quê ? – Marine, Douglas, Paula, Caroline, Beatriz e Clara Maria falam.
- Uma vez, quando a Atlântida ainda estava acima do mar, nasceram princesas gêmeas. Estava
tudo bem até que rolou um conselho quando as duas foram rainhas. Uma queria que humanos
e sereias governassem juntos, e a outra queria que as sereias dominassem os humanos e os
tornassem escravos. Digamos que depois disso a segunda sereia foi tirada do poder. Depois
ela afundou Atlântida. Mas ela teve uma filha com seu destinado. E surgiu um monarquia
negra. Não houveram problemas. Até 1800 não tivemos problemas. Depois disso uma das
princesas negras matou uma rainha e uma princesa e pegou o tridente de Atlântida. Mas não
se pode operar o tridente sem isso. – Carla tira o prendedor de cabelos e põe ele na cabeça. Ela
estala os dedos e uma espécie de luz transforma ele numa coroa com uma pedra azul no
centro. – Esta é a coroa de Atlântida. Só eu e minha mãe com a coroa podemos usar o tridente
em seu poder total. – Carla termina.
- Bichinha, o que raios esse garfo gigante faz ? – Clarinha pergunta.
- Faz uma sereia controlar marés, nuvens de chuva, ventos, pode fazer você se transformar em
qualquer sereia, com qualquer parte de baixo. Você pode ter até o rabo de sereia tipo cavalo-
marinho ou polvo. Apesar que o tipo cavalo-marinho deixa o nadar lento. Mas só o tridente faz
isso acontecer. – Carla Responde.
- Pensei que rolava aquela história de casamento real. O que é um destinado ? - diz Marine.
- É uma pessoa que nasceu para te encontrar, uma alma-gemea. Só o amor de uma princesa da
Atlântida por seu destinado pode criar uma princesa. E ela só será rainha se casar com ele. Por
isso existe a monarquia negra. – Carla Responde.

De repente escurece, começa a ventar e uma linda voz começa a ser ouvida, e Pedro começa a
andar em direção a água.
- Peraí, não diz a lenda que irmãos e filhos de sereias não se hipnotizam fácil ? Que bela voz.
Estou indo minha mestra. – Douglas segue Pedro.
- Meu Deus !?! Só uma magia de sereia muito poderosa hipnotizaria homens nascidos de
sereia. Marys, faça alguma coisa. – Caroline fala.

A coroa de Carla começa a piscar cada vez mais forte, e começa a tremer. Carla começa a
perceber a intensidade da luz.

- Garotas, menos Carol que vai ver o canal do clima para prevenir de furacão. Já pro oceano. –
Carla diz.
- Mas pode ocorrer furacão, Câ ?
- Sim, e dos fortes se ela quizer.

Paula, Beatriz, Carla, Clara e Marine tiram as calças e correm em direção ao mar. Os brilhos da
transformação de suas caudas fazem riscos roxo,dourado, prata, vermelho e azul. Quando a
necessidade de andar acaba, elas usam toda a força de seus rabos de peixe. Quando elas
levantam suas cabeças acima da água, elas acham uma ilhota com uma garota de cabelos
escuros segurando o tridente. E Douglas e Pedro acorrentados á pedras se afogando.
- Como vamos pegar ela ? – Pergunta Beatriz.
- Ela pode se disfarçar de qualquer uma de nós. Tomem cuidado. – Carla diz.
- O que temos aqui ? – a garota desconhecida diz – Um nerd, um virador de hamburgers, um
surfista, uma garota com uma coroa de pedra azul voltando a ter pernas. Uma garota com
coroa voltando a ter pernas !?! Então você é a perola majestosa, a linda semi-deusa, a
incomparável e bela princesa da Atlântida. Parténope Marys.
- Sim, e quem é a desafiante ? – disse Clara.
- Eu sou a princesa negra que irá te destruir, vingar minhas antepassadas e fazer as sereias
dominarem esses sequinhos imbecis, meu nome é Melissa.

Cabelos muito escuros, olhos negros cheios de vingança, curvas belas e malditas, cor de rabo :
a cor de quem ela quisesse se vingar. Essa é Melissa.

- Vejamos, nossas dinastias se encontraram pela última vez em 1800. Meu lado matou a pura
sereia ruiva e sua mãezinha de rabos verdes. E conseguimos essa jóia. Quer ? – diz Melissa.
- Sim, por favor. – disse Carla.
- Você vai ter que me enfrentar sem essa coroa. Eu e você, sem armas. – diz Melissa.
- Tudo bem. – Carla põe a coroa numa pedra ao lado do tridente. – Então, como vai ser isso.
- Na verdade vai ser... – Melissa pega Carla por trás pelo cabelo – o lado negro tem muito mais
força, meu bem, duvido que você viva para contar a história.

Carla agacha pega Melissa pelos pés e joga ela em direção á água. Só que Melissa corre até
Carla e dá uma chave de braço nela.

- Melissa... larga ela, não faça isso... Não, sua fracote, as sereias tem que dominar o mundo...
Parténope, por favor, pegue a coroa, ponha nela, me liberte. – Disse Melissa que parecia não
ser ela mas sim uma espécie de possesão.

Carla pega um côco e mete ele em Melissa. Põe a Melissa dopada pela topada nas costas e joga
ela na água do mar e observa sua transformação de sereia. Melissa tinha escamas pretas. Carla
corre, pega sua coroa e o tridente. Põe sua coroa em Melissa.

- O que você fez, isso esta doendo, ardendo. Sua idiota, o que você fez. Aiiiii... – Melissa começa
a sentir dor.
Os cabelos de Melissa começaram a mudar de cor levemente, parecia que ela era outra pessoa.
Seus cabelos se tornavam loiros cada vez mais, seus olhos se tornavam cada vez mais azuis.
Sua cauda se tornara de uma cor levemente rosa. Ela se secou e ficou de pé. Num momento de
brainstorm, Carla viu que Melissa ou quem fosse essa garota vestia longas vestes até o joelho.

- Em que ano estou, e em que calendário ? – o lado positivo de Melissa disse.


- 2008, depois de cristo, calendário gregoriano. – Carla responde. – Qual o seu nome ?
- Cecaelia, ou Cecília em português, a ex-primeira princesa negra. Já que não estou mais sobre
a influência do tridente, vou me unir ao mar pela última vez. Já vivi por quase 1900 anos a
idade de 16.
- Cecília, espere, fique aqui em terra, você pode viver liberta agora, Melissa se foi. Viva o resto
de sua vida. – Carla diz.
- Queria fazer as sereias dominarem o mundo, usei o tridente com raiva e fui tomada por ele, a
minha maldição foi matar minhas semelhantes e não ver mais um aniversário por 1900 anos.
Agora posso morrer daqui 5 segundos, não vou voltar a viver, tome sua coroa. – Cecília diz.
- E se eu usasse o tridente e a coroa para mudar sua vida. Assim você pode viver comigo e
minhas amigas. E você poderá ter novos parentes. – disse Carla.
- Tudo bem, pegue o tridente. Mentalize e deixe ele fazer o resto.

Carla põe a coroa e pega o tridente. Pensa em mudar a vida de Cecília e que todas as suas
amigas lembrem disso. A coroa e o tridente brilham na mesma intensidade. As garotas são
cobertas por um brilho azul. Um redemoinho azul cobre Cecília e ela fica com camisa rosa e
uma calça jeans rasgada.

- O que é isso vibrando ? – Cecília pega um celular – Como funciona ? – Carla pega o celular e
aperta o botão atender.
- Cecília, o que você aprontou hoje, fugiu de casa de novo ? – perguntou um homem no celular.
- Quem é você ? – Cecília responde.
- É seu pai, Carlos, você esqueceu seu nome também, filha ? – Carlos Responde.
- Tô numa ilhotinha com minhas amigas, já estou voltando. – Cecília desliga. – Perséfone, quer
diser, Carla, preciso tirar essa calça para mudar na água melhor ?
- Não, ela fica transparente e se molda com seu rabo. – Carla responde.

Cecília liberta Douglas e Pedro. Aproveita e faz uma coisa que sempre quis. Ela gira seu corpo
pelas pernas e braços mergulhando de costas na água. Mergulha na água, vira seus lindos
cabelos para ver a ilha e dar adeus a seu alter-ego maligno. Chega ao fundo depois voa baixo e
mergulha sua cauda rosa de sereia novamente.
Cap.18 – Atlântida volta à superfície.

Marine, Douglas, Paula, Pedro, Beatriz, Cecília e Clara Maria estavam sendo voluntários na
etapa local do mundial de surfe depois de terem aprontado confusão com a prefeitura da
cidade.
- Por que Caroline não veio hoje pra cá ? – Pedro pergunta
- Ela foi fazer um check-up na capital. – Marine responde para seu irmão.
- Me arrependo de ter dado a idéia de Carla testar o tridente, não sabia que ia inundar o prédio
da prefeitura. E esse biquíni está machucando, por que inventaram fio-dental ? – Cecília
reclama.
- Vale a pena, Cê, alem disso você vai poder tirar o biquíni e salvar um cara gatinho. – disse
Clara Maria.
- E também, surfistas tem paixão por garotas que são mitologia marinha viva. Eles até
acreditam em sereias. – disse Beatriz.

Depois de meia hora sem nada importante acontecer as meninas observarem uma multidão se
junta atrás de alguém que era muito importante. Carla sai do Jet-sky e correu até as amigas.
- Putz como é difícil dirigir aquilo sem cair na água. Sabe quem é aquele loiro, meninas ? É um
tal de Smith Smith, o melhor surfista do mundo. Só que ele é americano. – Disse Carla.
- Dizem que ele surfa tão bem que é filho de uma sereia com um oceanógrafo. Ele é demais, o
surfe dele e fotogênico. Tirei uma foto dele, é demais. – disse Douglas.
- Ele é lindo. Quase um semi-deus. – disse Cecília.

De repente começa a ventar forte, as garotas vêem uma onda de dez metros se formando e um
tubo mortal vindo em direção de Smith. As garotas vão correndo para o deque, mas Cecília se
adianta. Corre o mais rápido possível, tira a parte de baixo do biquíni. E mergulha com classe
na água. Depois de transformar ela pega o surfista e leva ele até o rasinho, ela “ajoelha” e faz
respiração boca-a-boca, depois de desafogar, Smith fala.
- You are a Angel? – Smith fala.
- I´m a sea angel, a mermaid, I saved you. – Cecília diz
- People, kind you, exists? – Smith fala.
- Yes, mermaids exists. – Cecília diz.

Cecília começa a nadar para o mar para voltar para a vida.


- Hey, Pink Sea Angel, i must see you again? - Smith fala.
- Yes, next day, 8pm. – Cecília diz.
- Whats your name? I need know your name. – Smith diz.
- Cecilia. I see you next day.

Depois ela nadou em direção ao mar e vai ao deque para se secar.


- É melhor você não sair daí, Cecília. – Carla fala.
- Por que, Carla ? – diz Cecília.

Carla pega seu celular com TV digital e mostra para Cecília.


- Estamos recebendo informações de que os acontecimentos marítimos da última semana
trouxeram a ilha de Atlântida de volta ao mapa. Mais informações ao vivo na programação.
- Parece que você mudou não só a minha vida, na hora que você mudou minha vida, você foi
movida pela emoção e botou A Atlântida de volta no mapa.- disse Cecília.
- Temos que investigar isso. Te vejo no QG das Oceânicas. – disse Carla.
- Mas eu não sou uma. – disse Cecília.
- Vá lá, não discuta. – disse Carla.

Depois de cinco ou dez minutos as garotas, Douglas e Pedro chegaram no QG. Depois
chegaram e sentaram nos banquinhos do trocador e começaram a pensar. Carla tirou o
tridente da gargantilha, pôs o prendedor de cabelos na cabeça e estalou os dedos. A coroa e o
tridente estavam prontos para irem.
- Vamos lá gente, façam um circulo. Agora é nossa vez. Atlântida no 3. Um, dois, três, Atlântida.
- Cecília Explica o mecanismo de teletransporte.

Quando eles falam, o tridente e a coroa agem e um turbilhão azul começa a cobrir eles. O vento
faz eles girarem e flutuarem no ar, por isso a necessidade de se dar as mãos. Depois de dez
segundos eles pararam na ilha, mil metros acima. Depois eles caem muito rápido.

- Como fazemos para tirar as calças antes de mergulharmos !!! – Carla Grita.
- Tirem as calças rápido, assim já mergulhamos na água !!! – Marine Grita.
- Joguem uma calça de strass para a gente, daí caímos no macio, ou não morremos. – disseram
Douglas e Pedro.

Douglas pega na sua mochila de fotografia um pano branco e manda Pedro pegar e chegar o
mais perto possível dele. Eles diminuem a velocidade consideravelmente. As meninas jogam a
cabeça para baixo e juntam seus braços para mergulhar. Depois elas mergulharam
sicronizadamente na água e manipulam um gêiser para amortecer a queda dos garotos.
- O que vocês vão fazer ? - Douglas pergunta
- Vamos achar a entrada submarina do castelo real da Atlântida. Depois achamos vocês lá. –
Carla fala

Carla desativa o tridente e elas mergulham ao desconhecido. As cores dos rabos de peixe das
sereias iluminam o mar com sua beleza. Carla vê um triângulo com uma coroa encima e a
marca de uma mão. Ela põe sua mão na marca e uma luz azul marca um caminho até um
circulo azul que abriu uma passagem. Ficou escuro até que elas viram uma luz no fim do
pequeno túnel. Quando elas chegam ao final vêem um belo teto brilhoso de vidro azul,verde e
branco com um alfa maiúsculo. Os pilares de arquitetura grega e dois tronos um pouco acima
da água. Carla nada até um trono que está brilhando azul. Depois ela senta.
- Esse lugar é incrível. – Carla diz
- Tem muito espaço e dá para nadar em paz o dia inteiro. Você não sabe a falta que sinto desse
lugar. – disse Cecília. – mas agora eu só quero esse lugar.
- O que os garotos devem estar fazendo agora ? – Marine pergunta

Os garotos estavam catalogando as ruas de pedra da ilha. Eles começaram achando um banho
publico e estavam chegando no castelo.
- Rua numero 128, Localizar no GPS, marcado. Principais monumentos : Templo de Afrodite,
Ginásio feminino e mais casas. Bom, só falta o castelo de que minha namorada anda tendo
visões com ele. – Fala Pedro.
- Não sei porque você está usando o meu smartphone do jornal para marcar posições de GPS.
Como vou enviar as fotos ? – diz Douglas.

Douglas e Pedro viram uma pessoa se mexendo. Era um homem, um garoto da idade deles. Era
Smith, mas estava de roxo e usando um telefone via-satélite.
- Agente Smith na escuta, mãe roxa. Parece que a ilha da Atlântida não tem ninguém em terra,
agente Sara está investigando o lado submarino da ilha. Cambio, desligo.
- Carla está em perigo, Dô, eles parecem ser caçadores de criaturas mágicas. – Pedro diz.
- Não, já ouvi falar deles. São os agentes roxos. Eles mantém a ordem do mundo mágico e o
sigilo das identidades de fadas e sereias. Eles têm varias delas na equipe. – diz Douglas.
- Ouço garotas rindo... Está lá o palácio. Vamos Douglas. – Pedro corre.

Quando eles chegam na piscina do palácio reconhecem todas as meninas menos uma garota
ruiva com rabo de peixe vermelho. Ela havia contado uma piada.
- Quem é ela ?- Os garotos perguntaram.
- Sara. Ela é agente secreta da agência mágica independente. Ela estava investigando a ilha. –
disse Carla.
- Você é mesmo a princesa da Atlântida, Carla. Você deveria ter um nome grego e a marca. –
disse Sara.
- Na verdade, meu nome é Perséfone e tenho a marca. E isso. – Carla estala os dedos e a coroa
se mostra e todo o cômodo brilha.
- Sara, você tem que nos falar sobre Smith, ele faz algo além de trabalhar na AMI ? – pergunta
Douglas.
- Cecília, tenho que te contar uma coisa. Smith Smith na verdade é Carlinhos da Silva Smith. –
Disse Sara.
- O QUE ??? ELE MENTIU PRA MIM. COMO ASSIM ? – disse Cecília.
- Yes, is true. Smith Smith não é meu nome, mas sou surfista e você é linda. Mas agradeço sua
ajuda, e você me salvou. O encontro continua em pé. Eu iria te contar amanhã. Mas desculpe
por isso. – disse Smith
- Te desculpo, mas só por que você é gatinho. Me ajude a sair daqui ? – disse Cecília com os
braços na borda da piscina.

As garotas usaram toda sua força para sair da água e secaram seus rabos de sereia. Depois
Sara pega um bottom mágico e joga ele para cima. Daí cai suas roupas da AMI. Terno feminino,
calças, sapatos, meia e camisa, tudo na cor roxo. Depois de todas as garotas se vestirem Carla
fala com Sara.
- E então, como fica a questão da ilha ?
- Bom, vamos mandar o documento para as Nações Unidas e esperaremos retorno. Vão me
enviar uma carta e se você e sua mãe desistirem da monarquia, vão enviar um conselho
político para Atlântida. A AMI vai manter a segurança da ilha. – diz Sara

Enquanto isso...
- Então você foi purificada por Carla e ela reescreveu literalmente sua história. – diz Smith.
- Sim, então é isso. Você vai amanhã, eu e você no Tiki. E nunca mais nos veremos ? – diz
Cecília.
- Não, trabalho numa sede inter-dimensional. É só eu abrir qualquer porta com a chave roxa
que chegarei na sede. – diz Smith.

Todos entram na água e fazem um circulo. Carla ativa o tridente e a coroa. Douglas fala.
- Tudo bem, mas vocês garotas não se afogam. Se nós pararmos á 200 metros da superfície eu
morro.
- Se concentrem numa imagem de Marina das Sereias. Só que na altura do mar. Um, dois, três,
TRANSPORTE.

Um redemoinho de água com ar se formou e fez o transporte deles rapidamente.


- Garotas, vocês estão bem ? – disse Pedro.
- Aqui, embaixo. – Marine diz.

As meninas estavam deitadas com seus rabos de sereia levantados se arrastando até o mar.
Pedro e Douglas ajudaram as garotas a ficar com pé e em pé. Douglas e Pedro pegaram o pano
branco para levar as garotas para casa pois perderam as roupas.

Cap.19 – O grande dia de Paula.


- Beleza, continua assim, ele é o seu amor, mas a lua cheia chama. Bom, faz cara de mistério,
você vai revelar seu segredo mais profundo. Bela foto. Você está caminhando em direção ao
mar e tira sua calça para revelar seu segredo á ele. Pode deitar Pê. Levante devagar sua perna
e deixe sua barriga no chão. Deixe eu pegar um copo de água. 10,9,8,7,6,5,4,3,2,1. Agora
mostra o que você faz melhor como sereia. – Douglas fala enquanto tira fotos para Paula.

Depois de tirar todas as fotos de Paula, secar e revelar as fotos de Paula, ela se encontra com
Douglas no deque.
- Nada melhor que nadar depois de uma sessão de fotos. Obrigado por ter feito meu book,
Douglas. Você pode pegar seu dinheiro na bolsa. – Disse Carla.
- Não precisa. Nunca vi uma garota com tanta constância, energia e beleza. Você tem grandes
chances como modelo. Nunca vi uma modelo assim. Mas como namorada você não serve. E
queimei e deletei suas fotos na sua forma de sereia. Ninguém vai saber que você sequer gosta
de água. – disse Douglas.
Depois de uma semana, as meninas e Douglas estavam no QG fazendo o de sempre, esperando
acontecer encrenca.
- Boa noite, Caroline, esperam você aqui. Esperamos que você possa voltar a andar. – Marine
fala.
- Então, como está Caroline, Má ? – pergunta Douglas.
- Parece que os médicos descobriram que Caroline recuperou a sensibilidade dos pés e
começou a nadar com força considerável. Agora vão ver se ela poderá voltar a andar. – disse
Marine.
- Gente, vocês não acreditam no que recebi. Uma marca de biquínis me chamou para desfilar.
Mas parece que vou ter que entrar na água. Vai ser amanhã e eu preciso ficar normal na água.
Não existe modo de eu desistir de ser sereia por um dia. – disse Paula.
- Na verdade, existe um modo de trocar de poderes com uma humana, só que tem que ser
desejo das duas. – diz Cecília.
- Conheço uma prima minha que sempre sonhou ser uma sereia. E já que ela é a última
humana da cidade pois eu já virei sereia. – disse Beatriz. – é minha prima Clarissa e ela vai
chegar hoje com seu barco. Ela pratica iatismo. Ela atravessou o Atlântico em treze dias. Ela
está lá no apê dela.

As meninas foram ao apartamento mais chique da cidade a cinqüenta metros da praia e


entram no elevador. Clarissa mora na cobertura do apartamento, no trigésimo andar. Beatriz
bateu na porta e Clarissa atendeu a porta.
- Bom dia prima, pode entrar com suas amigas. – disse Clarissa.

Clarissa, 25 anos, filha humana em família com três sereias. Morena de olhos com olhos cor-
de-mel. Belas curvas e bronzeada por mérito do esporte. Fez mechas loiras pois acha seus
cabelos pouco radiantes. Bela, mas diz não ter o homem ideal para sua vida por isso escolheu
viver com o Mar.

- E aí prima, novidades ? - disse Clarissa.


- Sim, me transformaram em sereia e agora faço parte de um grupo de sereias que combatem
o crime da cidade. Por que pergunta ? – disse Beatriz.

Clarissa solta café pela boca fora do alcance das meninas e volta a falar com elas.
- Então vocês são... elas. – disse Clarissa.

As meninas menos Cecília pegam as máscaras e as mostram na mesa.


- Uma está na capital e Cecília era uma sereia do mal. Agora, você gostaria de trocar de lugar
com uma amiga minha modelo ? Ela não quer se revelar para o mundo...

As meninas sobem as escadas e ficam perto da piscina se por acaso haver “enrabação”
acidental.
- Mas como isso vai rolar comigo. Não sei como proceder.
- É só ler o papelzinho. – diz Paula. – Eu , Paula entrego de meu coração meus poderes de
sereia para Clarissa pelo resto desse dia.
- Eu, - Clarissa lê.- recebo os poderes de Paula com muito amor e honrarei os compromissos
que esses poderes acarretam.

Depois de falarem as frase um brilho roxo forte vindo de Paula vai em direção de Clarissa e se
torna verde. Mais nada acontece depois.
- Obrigado, Clarissa, e não entre na água. – disse Beatriz.
- De nada, - Beatriz fecha a porta. – por me afastar por um dia do Marilou. – Clarissa fica
emburrada.

Depois de duas horas sem fazer nada com água, Clarissa dá a louca e vai até o deque onde seu
barco, Marilou, está ancorado e pula nele. Tira as amarras dele e navega muito bem com ele
durante 2 horas. Vai muito bem até bater o barco numa pedra e enroscar nela. O rádio do
barco pifa e seu celular apita e descarrega. Clarissa vê seu GPS e ele define que sua posição
está á 2km da praia de Marina das Sereias.
- Bom, o máximo que pode acontecer é eu respirar água e gostar da cor do rabo de peixe. – diz
Clarissa.

Depois de ter aprendido que tirar as calças é importante para entrar na água quando se tem
rabo de peixe. Clarissa tirou toda sua roupa por impulso e mergulhou na água.
- Bom, já deram 10 segundo e nada... – Pensa Clarissa ate que ela sente algo.

Ela sentiu suas pernas moles e viu nadadeiras entre os pés e uma vontade súbita de suas
pernas e pés se fundirem e um formigamento em suas partes intimas e seios. Sentiu uma falta
de ar e suas partes intimas, pernas e pés se tornarem um rabo de peixe. Depois um brilho
verde iluminou e coloriu suas escamas com um verde esmeralda. Depois leves escamas
cobriram seus seios.

Clarissa não se deixou se dominar pela alegria do que havia se tornado. Foi até o casco e
empurrou seu barco para tirá-lo da pedra. Ela conseguiu tirar o barco e percebeu que ele
havia só enroscado e nem estragou a pintura do barco. O telefone celular dela tocou depois de
ter sido carregado numa base com energia solar. Ela pôs as mãos no barco e usou toda sua
força para entrar no barco, sentou na borda do barco e atendeu o telefone.
- E aí, prima, beleza ? – disse Beatriz
- Beleza, tudo bem. Estou dando uma voltinha no Marilou. O mar está ótimo. Você vem aqui
depois ?- fala Clarissa admirando sua forma de sereia.
- Vou com você amanhã. Até, tchau.

Clarissa se secou e foi se trocar no barco e navegou de volta á costa e embarcou no deque sem
dificuldade até que ouviu um chamado no rádio de emergência.
- Mayday, Mayday, aqui é Orca Um, estou em vinte e quatro zero sete sul, quarenta e três zero
cinco oeste batemos em algo, o barco está afundando, sem bote de emergência, preciso de
ajuda imediata, um ocupante. Cambio.
- Marilou, está a caminho, Câmbio, Desligo.- disse Clarissa.
- Senhora, vai precisar de ajuda com a retirada do barco. – disse um dos que estavam no
deque.
- Não, só preciso que chamem 192. Já volto.

Clarissa tira as calças e corre de biquíni até mergulhar. Não sobe sua cabeça, faz um impulso
com suas pernas e com a espuma do impulso vai sua perna e entra sua cauda. Usa a potência
do nado de sereia para chegar no local do incidente. Vê o nome do barco e pega seu tripulante.
Ricardo, seu colega de escola e de trabalho, conhecido da família. Pega ele pelo colarinho e
leva ele até a praia e faz respiração boca-a-boca nele. Clarissa já fez isso várias vezes que não
teve nem graça.
- Cof! Obrigado por me salvar... – Ricardo espera parar de turvar sua visão.- ... Clarissa.
Estranho... quando desmaiei vi uma sereia... DE BÍQUINI. NÃO ACREDITO NISSO, O QUE SUAS
IRMÃS FIZERAM EM VOCÊ ? – diz Ricardo.
- Fiz um favor pra uma amiga da minha prima, troquei de poderes com ela por esse dia. Mas
parece que gostei desses poderes. Não preciso mais de barco. Sonho em ser sereia desde
quando fiz treze. – diz Clarissa.
- Agora, o que eu faço ? Espero você voltar pro mar e fico sem ver você até o próximo mês. Ou
você se seca e vamos para um evento interessante e comemos em algum lugar para bater um
papo. – diz Douglas.
- Na verdade... – Clarissa se seca- ...a amiga da minha prima me chamou para a sua debutada
nas passarelas. Me deram dois convites para ir lá pois acham que eu tenho namorado. – as
pernas dela voltam e ela fica em pé e estende a mão para Ricardo.- Quer ir comigo ?
-Sim, aceito seu convite. – Douglas fala e usa a ajuda de Clarissa para levantar.

A noite chega e a praia fica cheia de gente e burburinho de eventos com grande público e
Marine estava entrando no backstage e foi falar com Paula.
- Relaxa, Paula, hoje é seu grande dia. Você vai arrebentar. – disse Marine.
- Qual de vocês é Paula ? – disse uma moça do staff.
- Eu, por quê ? – disse Paula.
- Disseram que você tem que usar isso. – Ela mostrou um biquíni e um rabo de sereia falso em
silicone.
- Mas... pra que esse rabo de peixe falso ? – disse Paula.
- Você disse que não tinha problema com água e as outras modelos disseram ter “graves
problemas de origem genética com a água”. 5 minutos.
- Clá você pode vir aqui ? Ok, beleza. Ela já vem aqui, Paula. – disse Marine, depois de chamar
Clarissa.
- Vou te devolver seu poder, ok. Devolvo de meu coração, o poder de Paula. – disse Clarissa
- Recebo de volta, do fundo de meu ser, o poder a mim concedido pelos deuses do mar. – disse
Paula.
O poder que estava com Clarissa voltou para Paula.
- Vou querer ainda hoje, minha cerimônia de transformação. Eu gostei muito dos poderes. –
disse Clarissa.
- Três minutos. – disse a mulher do staff.
- Segure a Paula, vou ver se ela voltou ao normal. – disse Marine para Clarissa.

Marine pegou um copo de água e jogou em Paula. Clarissa pegou os braços de Paula. Em dez
segundos, Paula se transformou em sereia e com o seu rabo de peixe roxo, com normalmente
é. As meninas secaram o rabo de Paula e as pernas de Paula voltaram.
- Um minuto. Algo para falar agora ? – disse a moça do Staff.
- Moça do Staff, eu sou sereia. – disse
- Beleza, me devolva o rabo de peixe falso. Você tira a parte de baixo do biquíni quando
aparecer a fumaça, mergulha, e quando acabar a espuma do tanque, você começa a nadar. 30
segundos. – disse a moça do staff.

Começa o desfile. Todas as meninas desfilavam no corredor central. Uma cortina de fumaça
cobria as garotas para tirarem a parte de baixo do biquíni, depois elas mergulhavam num dos
tanques de água transparentes e enquanto as garotas se transformavam em sereias, uma
máquina fazia espuma na água. Depois elas nadavam livre e divinamente nos tanques. Paula
entra na passarela e anda bem, faz suas poses na frente do público muito bem. A cortina de
fumaça a cobriu completamente, ela tirou a parte indicada e mergulhou divinamente.
Enquanto Paula está no período de transformação de suas pernas, ela relaxou. Depois de
entrar em sua forma de sereia ela nadou pela passarela de água. Ela fez aquela pequena saída
do corpo e cauda com o mergulho. No final do desfile as modelos se perfilaram na borda dos
tanques e aplaudiram o estilista. Depois as garotas falaram com Paula.
- Você foi ó-ti-ma viu quando é fácil quando você assume a verdade ? – disse Marine.
- Minha prima sempre tem razão. Precisamos comemorar esta vitória...com o quê ? –
perguntou Clara.
- Bom, temos que fazer um favor para Clarissa. Temos que torná-la sereia, e tem que ser agora
que temos lua. – disse Paula depois de se secar.
- Mas não sei como se faz essa porcaria de cerimônia de transformação... Além disso quem
conhecemos que sabe magia antiga de sereia ? – disse Marine.
- A gente não vai acabar com o primeiro encontro em 5 mil anos de Cecília. Ela merece um
pouco de paz. – disse Carla.

Cap.20 – Feitiço ou Show de Fogos ?


- Adorei o encontro de hoje, Smith, foi muito legal da sua parte fazer isso. Posso te ajudar a ir
para casa ? – disse Cecília.
- Na verdade só preciso disso... – disse Carlinhos que pegou uma chave roxa e abriu a porta da
casa de Cecília – ...até a próxima semana. E não tente abrir a porta pra me ver de novo pois eu
estou nos Estados Unidos e você pode se perder. Beijos. – A porta fecha e Cecília vê uma luz
roxa piscar.
Cecília sobe as escadas e vai até seu quarto para por o pijama, abre a porta e vê Marine, Carla e
Clarissa sentadas na sua cama.
- Como vocês invadem meu quarto essa hora sem me perguntar, vocês poderiam ter me
avisado ?
- Eu não queria acabar com seu encontro, mas decidi tomar minha decisão de me tornar uma
sereia. Como posso fazer isso ? – disse Clarissa.
- Você sabe que essa decisão acarreta MUITA responsabilidade e vai tornar sua vida muito
mais difícil, ok ! – disse Cecília
- Eu tenho 25 anos, minha mãe disse que quando me sentisse segura para me tornar sereia,
poderia fazer isso, estou de acordo com o poder e a responsabilidade. – disse Clarissa.
- Você precisa de uma estrela do mar, algas, duas conchas e comer peixe em todas as refeições
no período de uma semana. – disse Cecília.
- Em todas as refeições ? – disse Clarissa.
- Sim, você vai precisar de muita proteína de peixe se você for ter um rabo igual a sua perna...
– disse Cecília.
- Você acha que eu tenho muita... bunda ? – disse Clarissa.
- Na verdade, sim.Nos vemos depois de uma semana, á meia-noite – disse Cecília.

Uma semana depois as meninas pegam um barco para longe da costa e chegam ao alto mar. As
meninas ajudam Clarissa a se preparar para a transformação, tiram toda a roupa dela.
Puseram a estrela-do-mar em sua cabeça, as conchas em seus seios e enrolaram uma fita de
alga um pouco abaixo do seu umbigo e deram uma checada na tatuagem das suas pernas feita
para a ocasião.
- Pra que a tatuagem de nadadeira nos pés ? – disse Clarissa.
- Checamos todos os livros de magia lunar e oceânica que tivemos que traduzir em uma
semana. E está lá. Ainda bem que nosso grego está afiado. – disseram Carla e Cecília
- Vou entrar na água com você, pois para a parte do sangue pois sou B+, não queremos
encrenca com sangue. – disse Marine.

Marine pegou um daqueles furadores de aparelho de diabetes e ela e Clarissa fizeram “selo de
sangue”. O furador ajudou a não fazer sujeira. Cecília pulou o barco e entrou.
- Deuses do mar e da lua, permitam que Clarissa possa se tornar uma das criaturas que tem
mais poder, beleza e mistério, as sereias. Deem a ela a beleza de defender os oceanos. ... – disse
Clarissa. – ...agora é só esperar um brilho estranho.

As garotas esperavam algo estranho, de repente um brilho branco desce até onde Clarissa
está, depois este brilho faz Clarissa levitar.
- Gente, façam alguma coisa, eu quero voltar para á água. – disse Clarissa.
- 1,2,3, já. – Cecília fala.
- ANTROPO-PSICES !!! – Marine, Carla e Cecília disseram.

Os poderes de sereia delas unidos á presença da luz mágica foram direcionados para Clarissa.
As conchas brilharam e por algum motivo a estrela-do-mar se fundiu internamente com ela, a
fita de alga se tornou uma espécie de tecido mágico e preencheu as pernas de Clarissa. A
tatuagem de nadadeira nos pés dela brilharam, se estenderam e se encarnaram. A luz
desenhou em seu ombro a marca da estrela que designa uma sereia. A cauda brilhante e seus
seios ganharam as escamas verde-esmeralda já conhecidas e o brilho se apagou e jogou
Clarissa levemente na água.
- Vamos como para a praia, agora ? – disse Marine.
- Estava pensando em dormir um pouco “mais profundamente”, se é que vocês entenderam. –
disse Clarissa.

Cap.20 – Segunda feira + Lua Cheia + Oito da Noite.


Caroline havia chegado depois de seu mês de reabilitação extrema para voltar a andar. Ela tira
suas pernas para fora do carro e pega uma bengala verde-brilhante.
- Olá, doutora House. – disse Paula.
- Não me chame mais desse apelido, senão vou ficar tão chata quanto ele. – disse Caroline. – E
quem é a tal de Cecília ?
- Eu sou Cecília, prazer te conhecer Caroline. Você voltou a nadar ? – disse Cecília.
- Sim, estou nadando e andando de bicicleta melhor que andando sem bengala. E trouxe meu
namorado, Hugo. – disse Caroline.
- Ele é paraplégico ? – pergunta Clara.
- Não, ele tem sensibilidade nos pés mas não anda, tem distrofia muscular, mas não se
preocupe, ele se vira. Ele está com os garotos, não sabe que eu sou... vocês sabem... – disse
Caroline.
- Você não disse. Você não sabe se ele vai viver mais dez anos e não contou a ele. – disse
Marine brava com ocorrido.
- Vou contar para ele no meu encontro ás sete da noite. – disse Caroline.
- O QUÊ ? Numa segunda feira, de lua cheia, ás sete. Você sabe por que segunda feira é Monday
em inglês. É porque a lua tem mais poder, em qualquer fase, menos na lua nova. E como você
sabe, na segunda-feira de lua cheia, ás oito da noite nossas pernas se tornam rabo de peixe
sem água e só voltam ás oito da manhã de terça. – disseram Carla e Cecília em uma voz
uníssona.
- Eu vou contar a ele, juro. – disse Caroline.

- Então eu fui lá e meti um haduken no carinha dele. Foi o melhor jogo de Street da minha
vida.- disse Hugo.
Hugo, 15 anos, faz técnico em computação e escola normal, gosta de progamação e tem QI de
duzentos e dez, fez todos os anos da escola normal. Por ter descoberto sua deficiência com
dois anos de idade pode ter um tratamento decente e ainda lê e escreve muito bem, mas
precisa de ajuda para comer, deitar e virar. Ele e um amigo engenheiro fizeram uma cadeira
de rodas á motor auto-deitante que tem um notebook tablet que adora usar. Cabelos loiros,
olhos verdes.
- Então, Hugs, como você faz... xixi... – disse Douglas
- Interessante você falar, eu uso sonda urinária na escola e fora de casa, em casa uso uma
espécie de pote. Mas vamos falar de Carolzinha. As instrutoras de natação falam que ela nada
melhor que anda, como se ela fosse como uma sereia. – Diz Hugo. Douglas e Pedro seguram o
ar. – Mas ela faz uma sessão de natação com outras meninas que não gostam de ser vistas.
Gostaria de ver ela nadar. – Douglas e Pedro respiraram aliviados.
Os garotos andam tranquilamente no deque para pesca esportiva e Caroline chega e tira a
cabeça da água.
- Oi Hugo, tudo bem ? – disse Caroline.
- Sim – disse Hugo
- Não levanta o rabo, pelo amor de deus. – sussurram Douglas e Pedro
- Gostaria de comer alguma coisa com você lá no chapas ás sete da noite. Topa ? – disse
Caroline.
- Sim, quem vai pagar. – disse Hugo
- Nós. – disse Caroline.
- Até lá. – disse Hugo
- Tudo bem, vou voltar a nadar.Te vejo lá. – disse Caroline.
- Não sai com rabo, não sai com rabo, não sai com rabo. – sussurram Douglas e Pedro.

Caroline sai de casa com uma camiseta verde, uma saia branca e calcinhas especiais e se
encontra com Hugo na lanchonete onde Pedro e Carla trabalham, a Companhia Chapas. E eles
sentam numa mesa que Carla disse ser a melhor mesa.
- Quero batata frita, e um xisburger. – Disse Hugo
- Eu quero salada e um xisburger. Dois copos de refri. – Disse Caroline.
- A lua está muito linda hoje, como você.
- Você não sabe como ela vai atrapalhar essa noite. Também acho
Passam-se 55 minutos.
- ... e daí ele meteu o nariz da porta, foi muito engraçado. – disse Hugo enquanto comia o
sorvete de chocolate. – Por que está tão triste, foi algo que eu disse ?
- Hugo, tenho que te falar que gosto de você, nunca te manipulei mas tenho que te falar uma
coisa, daqui dois minutos você vai ver como realmente sou. Quando estou fora da água sou
uma pessoa normal, mas na água e nas segundas-feiras de lua cheia a partir das oito sou... me
peça água... agora... – disse Caroline.
- AGUA AGORA, ELA PODE MORRER... – disse Hugo.
- Obrigado... – disse Caroline que botou a cara na água. - ...eu sou uma sereia. Eu não posso
andar agora... – Caroline desabou da cadeira que estava sentada e Hugo viu sua cauda de peixe
verde.
- Bom, o que eu posso fazer, não sei como te ajudar, não consigo te pegar. – Hugo joga um vaso
de água na cabeça dela. - ...isso ajudou ?
- Porque você está tentando me ajudar... Eu ... Preciso ... Re... spirar... – Disse Caroline.
- Pega nas rodinhas de segurança da cadeira. Te levo até o deque. – Disse Hugo.

Caroline usa os braços e pega as rodinhas de segurança da cadeira de rodas e Hugo arrasta
Caroline até uns metros do final do deque. Caroline pega na borda e mergulha no mar.
- Pelo menos eu tentei... tomara que ela não morra. – Disse Hugo.
- Obrigado Hugo, que pena que você não pode entrar na água. – Disse Caroline enquanto tirava
a camiseta e a saia e jogava as roupas no deque.
- Vai ser assim toda noite ? Vou ter uma Caroline de dia e outra de noite ? – Disse Hugo.
- Olha, eu sou sereia só em contato com a água e de segunda-feira, com lua-cheia, depois das
oito da noite. - Disse Caroline.
- Isso é um poder muito chato, específico e lunar. Nunca tinha percebido o quanto você é mais
bonita assim. Te ligo em Sampa, minha mãe já chamou, beijos. – Disse Hugo depois de ter
atendido o celular.

Cap.22 – Bem vinda á Capital.


- Valeu Sr. Gabriel e dona Célia, obrigada pela carona com Douglas. – Disse Marine.
- É o mínimo que podemos fazer pela namorada do ex-namorado da Micaela, afinal quando é
para o bem de nosso televisor... digo ex-vizinho. – disse Gabriel.
- Prazer, Micaela. Você está cuidando bem de Douglas ? – disse Micaela.
- Sim, cuido dele muito bem, e a mãe do Douglas ?
- Ela está no passo mais importante do tratamento, o enfrentamento de traumas extremos.
Você vai ter que dar o beijo mais selvagem de todos na piscina da clínica. Você não precisa se
preocupar. Tem seguranças lá. – disse Micaela.
- Mas minha mãe não conhece Marine. Ela nem viu ela... – disse Douglas. – ...tenho que sacar a
grana da pensão para pagar o tratamento. Preciso de uma procuração.
- Então vamos esperar mais meia hora, pois precisamos sair desse trânsito. – disse Célia.

- Boa tarde, bem-vindos ao CRP. Vocês são do paciente 40, com raiva extrema de... – disse a
enfermeira. -... sereias, normalmente acharíamos que é loucura mais como ela morava numa
cidade de sereias, o medo tem base real. Agora ela está na piscina por ordem do médico.
- Tudo bem, Douglas, prazer, Dr. Paulo da Silva. Bom você e sua namorada... Neta ?
- Vô ? Você disse que tinha parado com a medicina. – disse Marine.
- Eu gosto de trabalhar, e o dinheiro que seu pai manda é pouco. Você vai apresentar Marine á
sua mãe e vai agir naturalmente e Marine vai entrar na água e vai falar que é uma sereia. Se
der errado vamos sedar sua mãe. Se ela aceitar, vocês vão perguntar porque Neuza tem ódio
de sereias. OK.
- Oi, mãe, essa aqui é Marine, minha namorada que você ouviu falar, mais nunca viu.
- Olá Dona Neuza...
- Você é a filha de Maria Marítimo ?
- Sim.
- Não tenha medo de se revelar para mim. Sua mãe sempre me ajudou. Na verdade ela sempre
me apoiou quando as garotas da escola fizeram 13 anos. Mas três garotas sempre zombaram
de mim. Elas se intitulavam “As Poderosas”, eram ricas, lindas e de famílias com nenhuma
mulher não sereia há vinte gerações. Elas sempre humilharam as garotas normais e até uma
fada que fazia intercâmbio e foi expulsa por ter explodido as carteiras delas. Elas
hipnotizavam os garotos para se vingar das garotas que elas achavam que ameaçavam a
popularidade delas. Elas roubaram meu primeiro namorado. Elas fizeram eu achar as sereias
más. Elas acabaram com minha família, fizeram eu tornar minha filha um monstro, perdi meu
marido e quase fiz meu filho virar um mendigo.
- Bom, então não preciso entrar na água. Você vai ficar aqui até se livrar do trauma ?
- Não, na verdade já acabou meu horário. Vamos para casa.
- Senhores, a escudeira e o anjo saíram. Podemos começar a operação. – disse uma pessoa que
estava seguindo Marine e Micaela.

Douglas, Marine e Neuza chegaram no apartamento onde morava Douglas e viram que ele
estava arrumado, menos pela mesa de café que estava com várias fotos de Maria e Neuza e
duas pulseiras de ferro enfeitadas com conchas e com uma gravação: “M & N Amigas para
sempre”. Douglas fora pegar suas coisas que havia esquecido. Marine estava cansada e suja da
sua viagem para a Capital de São Paulo. Foi ver o banheiro para ver se tinha uma banheira
para tomar banho por motivos óbvios. Pediu autorização e foi tomar seu banho.

Marine estava terminando seu banho com o seu descanso de sereia em baixo da água quando
ouviu um estrondo e um grito.
- SAIA DESSA BANHEIRA, PARA QUE EU POSSA TE MATAR, SUA SEREIA VADIA.
- QUEM É VOCE, SEU FILHO DE... UMA SANTA MÃE?
- SOU UM DEFENSOR DOS REIS... QUEREMOS DEVOLVER O REINO DA ATLÂNTIDA AOS
HOMENS SE LIVRANDO DAS MALDITAS SEREIAS.
Marine usa a força de seu corpo para sair da banheira e pegou uma toalha para secar seu rabo
de sereia. Depois que suas pernas voltaram, ela amarrou a toalha do lado seco em sua cintura
e amarrou outra na área das mamas por pressa.
- Suas últimas palavras, escudeira ? – disse o cara, apontando um trabuco no nariz de Marine.
Marine manipula a água e amarra o feixe de água no assassino.
- Fica frio, cara. – disse Marine que congelou o assassino.
Marine usa a mente e as mãos para enviar o cara para a banheira. Vai no quarto de empregada
e desamarra Douglas e Neuza.
- Obrigado por nos salvar, Marine. Você e Douglas pegam os outros cinco caras lá fora. Eu
defendo minha casa enquanto houver sal grosso e minha arma.
Marine põe seu uniforme das Oceânicas sem a máscara e corre para descer as escadas com
Douglas.
-Marine, o que vamos fazer ?
- Vamos pegar Micaela e ir para a AMI saber porque estão querendo me matar.
- Então, temos que ir atrás dela, pois ta rolando uma pancadaria...
Douglas e Marine viram Célia e Micaela tacando cadeiras e jogando sete caras na escada.
Douglas pega sua câmera e clica o flash em cima do seu skate e Marine e Mica começam a
chicotear água nos agentes que estavam perseguindo-as. Célia corre e pega a sua pérola da
escolha e as chaves do carro de Gabriel e os quatro descem as escadas no emocionante
embate. Marine manda uma mensagem de texto para a AMI e eles pedem para eles irem para
uma porta roxa em dos prédios da Cidade Universitária, perto da marginal pinheiros. Célia
enfia o pé no acelerador do 4X4.
- Tudo bem ?
- Marine, nunca fui perseguida por lunáticos querendo me matar. Se explique.
- Não sei porque eles nos perseguem, minha vida se tornou um inferno desde que Carla fez a
Atlântida voltar para a superfície, parece que eu faço parte de uma profecia, e você também...
temos que manter a calma...
- Acho que vamos demorar, parece que temos um bloqueio na marginal... Vamos por fora... da
rua... – Na altura da entrada para a marginal Pinheiros na marginal Tietê, havia um bloqueio
policial e o carro dos defensores dos reis apontando uma bazuca nos pneus do carro.
- Desejo me tornar uma sereia, a partir de hoje, para sempre... – a perola da escolha de Célia se
fundiu em Célia.
- Mãe, você não precisava fazer isso, agora sua vida se tornou pior do que era.
- Douglas, saia do carro agora, e estou fazendo isso para você viver, Micaela.

Depois que Douglas saiu do carro, a bazuca foi ativada e acertou o carro de Gabriel, o tanque
de gasolina faz o carro girar e sair voando para dentro do rio. Marine, Micaela e Célia abrem a
porta e caem em direção da água.
- Purificatem Agua... – Marine grita o feitiço de purificação de água e os rios inteiros deixam de
ser cor-de-lama e se torna azul-escuro pois esta é a cor original do Rio Tietê e do Rio
Pinheiros.

Marine e Micaela mergulham na água com facilidade e Célia afunda muito. As garotas voltam a
superfície da água para conversar sobre o suposto desaparecimento de Célia.
- Mica, sua mãe se afogou ?
- Não sei, parece que a pérola chegou ao prazo de validade. Será que ela vai se afogar ?
No mesmo momento as garotas entraram na água e viram uma silueta brilhante de uma
transformação de mulher para sereia. Depois as duas correram atrás da mancha laranja e
branca que nadava em alta velocidade. Talvez fosse Célia. Depois de cinco minutos a mancha
subiu para a superfície. As garotas subiram atrás da mancha. As garotas viram Célia as
chamando.
- Filha, Marine, como vocês vão passar para o outro lado, não tem conexão para a Raia
Olimpica. São pelo menos 300 metros ou mais para atravessar.
- Peraí, Dona Célia. Já sei o que fazer.

Marine manipula uma grande massa de água e faz um tubo conector gigante entre o rio e a
raia. Congela esse tubo e descongela uma saída onde ela e Micaela possam sair para a Raia.
- Dona Célia, você sabe como usar a telecinesia aquática ? Empurre o curso de água para nós
duas sermos empurradas pelo túnel, ok ?
- Sim.
Marine, Micaela e Célia, recém apresentada ao mundo das sereias mergulharam até a borda
Norte do túnel e Dona Célia usou toda a força da sua mente e as garotas foram empurradas até
a Raia. Marine e Micaela nadaram devagar enquanto imaginavam um jeito de passar
desapercebidas pelos universitários. Chegaram para a outra borda e quando revelaram seus
rabos de peixe, as câmeras começaram a pipocar.
- Estamos ferradas, agora vamos virar objeto de estudo. Láááá – Marine deu um daqueles
gritos superagudos que só sereias conseguem dar e derruba pessoas e quebra as câmeras.

Micaela e Marine se secam e possibilitam mais cliques por Marine estar de saias curtas e sem
calcinha e Micaela por estar completamente sem calças. Elas correm em direção a porta da
torre do relógio que vai se desconectar do sistema da AMI. Elas entram na porta e são
transferidas para a dimensão neutra.

Cap.23 – A Profecia da Guarda Real

- Agência Mágica Internacional, um órgão da ONU, como nós podemos ajudar ?


- Somos, ... sereias... – disse Marine para atendente, virando os olhos para se certificar de que
ninguém estava olhando.
- Espere... – a atendente pega uma espécie de báculo e bate ele 5 vezes no chão e um elevador
aparece do chão. - ... entrem no elevador, sentem e ponham as barras de proteção, boa sorte.
- Por que ela disse boa sorte ? – perguntou Micaela.
- Porque este elevador vai descer 200 andares á 600km/h. Já tirei minha licença de uso militar
de mágica. Você não pode pegar bandidos sem ela. 3,2,1. – Marine segura na mão de Micaela.

O elevador pega velocidade e zune rapidamente até o andar Térreo M. Micaela e Marine saem
do elevador e vêem fadas voando em todos os lugares, minotauros, bruxas, unicórnios,
duendes , grifos, ninfas e uma infinidade de filas e... uma porta para atender todas as criaturas
mágicas do local.
- Bem vindos á Nova Iorque, vocês precisam fazer sua ficha para serem atendidas, venham
comigo ao Definidor de Atendimento. – disse a Atendente.
- Você é uma mulher-aranha... – disse Micaela.
- Desculpe, Diana, ela nunca viu uma aracno-descendente na vida. Ela é da Cidade, não está
acostumada. – disse Marine.
- Sentem aqui, no detector mágico. Ele vai ler a mente de vocês e preencher seu nome, tipo de
sangue, alergias e o que vocês vieram fazer aqui sem eu ter que digitar nada. – Diana aperta o
botão e a máquina imprime as informações. – Podem ir para a porta, os agentes Smith e Sara
estão esperando vocês.

Marine e Micaela abriram a porta e chegaram ao escritório de Sara e Smith que estavam
apagando todas as informações relacionadas à forma de sereia de Marine e Micaela.
- Meninas, tudo bem, afinal, o que aconteceu com você e Micaela ?
- Fomos atacadas por um grupo chamado “Defensores dos Reis...
- ...da Atlândida. Marine, qual a cor da sua cauda ?
- Acho que azul-marinho, porquê ?
- Porque a vinda de você foi profetizada. Olhos azuis, morena, cauda azul marinha, sua defesa
de ataques aquáticos é perfeita e você é amiga da última princesa da Atlântida. Você é a
Escudeira. Sendo assim você é a chefe da guarda real da Atlântida, todas as garotas sereias que
você encontrou na sua vida podem salvar todas as sereias do mundo até amanhã quando
Vênus, Netuno e a lua fizerem uma linha reta aumentando o poder das sereias em 5.000 vezes
na terra e 100.000 vezes na água. Netuno aumenta o poder da água e Vênus o poder feminino,
junto com a lua cheia, só assim vocês poderão salvar o Coração da Atlântida. – disse Sara.
- Desculpem, Sara é sensitiva, e sabe de tudo que os espíritos falam.
- Pronto, está tudo aqui. Podem ler.
- A Escudeira, O Anjo, A Liberta, A Curada, A Rica, A Estrangeira, A Nortista, A Agente, A
Transformada, Rubi, Safira, Esmeralda e o Quarteto dos Gênios. Ou eu, você, Cecília, Caroline,
Paula, Patrícia, Clara, você Sara, Beatriz, Clarissa, as irmãs dela. Douglas, Pedro, Hugo, e Você
Carlinhos. Estamos todos nesse livro. Parece que O Coração da Atlântida era uma espécie de
escudo e o poder de todas as sereias do mundo está acumulado nele. Tem tanto poder nele
que... pode tirar o poder de todas as sereias do planeta. – disse Marine.
- Mas ... se atacarem Douglas e os outros... o que eles vão fazer ? – disse Micaela.
- Marine, chame todas as garotas e caras. Sara, use o Multi-Porta. Vamos concentrá-los aqui
que eu preciso ir ao departamento tecnológico pegar 3 Demlocomdes. – disse Carlinhos.

Marine ligou para todas as suas amigas, sua prima e as irmãs de Clarissa. Chamou Hugo, Pedro
e Douglas. Todos abriram a porta mais próxima e chegaram a sala de Sara e Smith na AMI.
Marine explicou tudo para o grupo de futuros heróis.
- Se eles tem tudo isso para nos matar, como eu, Douglas e Pedro vamos se defender deles. –
disse Hugo.
- Com isso. – Smith mostra um relógio digital roxo.
- Com essa coisa inútil ? Estamos Mortos. – disse Douglas.
- ATIVAR ! – o relógio brilha e sua tela vira uma tela de sete polegadas com um pequeno
canhão. – Esse é o Dispositivo Mágico de Localização, Comunicação e Defesa. Ou Demlocodes
ou LCD- 100. Ele lança raios, gelo, fogo, raio paralisante, e localiza pulso eletromágico
informando onde estão sereias, fadas, dragões e se comunica com esses fones de ouvido
indestrutíveis á prova de água. – disse Smith demonstrando o aparelho.
- Meu deus isso é ... demais e detonante. Posso pôr o relógio ? – disse Hugo.
- Não, sua cadeira precisa de braços e um jato de propulsão. Fernanda, leve Hugo ao
departamento de Cientec. O Resto de vocês homens vão comigo ir á aula de Estratégias de
Guerra Básico.
- Garotas, hora de aprender a controlar sua energia interior. Vocês vão praticar Ioga. Depois
vocês vão aprender sobre nosso centro do poder da água. Ok. Vamos lá. – disse Sara.

A sessão de Ioga durou três horas e as garotas mostraram toda a sua flexibilidade e poder de
relaxamento e concentração. Depois as meninas botaram roupas de ginástica e foram ao
centro de treinamento relacionado á água.
- Garotas, o desafio é o seguinte : Daqui a 500 metros tem uma piscina. No fundo dela tem um
globo de cristal com uma luz azul. Vocês tem que pegá-lo mas não podem ser acertadas pelos
jatos de água, mas podem usar eles para chegar ao destino. Corram. Tem uns robozinhos e
armas de faser para atrapalhar. E 25 metros antes da piscina têm duas linhas de laser cortante
na área das pernas.
As onze começaram a correr para a piscina e os jatos estavam sendo redirecionados por
Clarissa e suas irmãs Melissa e Larissa, Caroline pegou Beatriz e a lançou para cima e ela
congelou e subiu sete degraus de água desativando o botão dos jatos. Cecília, Paula e Patrícia
juntaram as mãos para fazer um vórtice de água para destruir os robôs. Clara, Carla, Marine e
Micaela correram para chegar na água. Quando chegam aos lasers Marine e Clara pularam e
Carla e Micaela escorregaram a barriga para passarem por baixo do laser. Marine tirou os
tênis e o shorts de caminhada e mergulhou na piscina. Nadou rapidamente e pegou a bola
cristalina. Usou sua cauda de sereia para jogar a bola para fora. Micaela pega a bola e lança
para Clarissa que pega a bola e quebra o vidro da sala de observação e atinge a mão de Sara.
- 1 minuto e 25 segundos no nível de combate 75 por cento, parabéns, vocês atingiram nível
suficiente para irem ao front. Paula, precisamos de você para ver o projeto do uniforme e...
Patrícia, seu pai te chamou lá em Londres porque tem algo a te dizer. – disse Sara.
- Não vá embora não, Paty. – Marine implora, faz biquinho e balança a cauda na piscina.
- Vou ligar pro meu pai, afinal por que nós pagamos um plano de 3000 libras se não usamos
ele ? – Patrícia disca – Hello ? Ed, to my dad, please, ok. Pai, e aí, Sério? Sim, pro Brasil, É
mesmo? Ok, obrigado, de nada, tchau. Ed, thanks, Kisses. Marine, tenho boas notícias.
- Quais ? – falou Marine enquanto se secava para sair da água.
- Parece que a Amarante Surfware tem que sair da Inglaterra senão ela vai falir por causa da
crise e falta de dinheiro dos nossos clientes e meu pai acabou de anunciar que vai abrir uma
fabrica no Brasil e que minha mãe está curada. Não é o máximo ? – disse Patrícia.
- É, mas, digamos, quando me acharam na banheira na casa da sua mãe , eu salvei ela, mas ela
quis ficar pra defender o apê dela. – disse Marine.
- LIGA JÁ PRA ELA. Agora. – disse Patrícia.
- Tá chamando, pode pegar o telefone. – disse Marine, rezando para Neuza estar viva.
- Mãe, bom dia, tudo bem ? Sério ? Você não acha mais aquilo de mim, te amo muito. – disse
Patrícia.
- Meninas, o uniforme está pronto para apresentação. Você vai vesti-lo Marine. Pronto. 5
minutos da atenção de vocês, Paula vai falar do novo uniforme.
- Vocês lembram daquele corpete ? Esqueçam ele. A saia continua e agora vocês vão usar um
colete preto com sua identificação e com uma estampa com duas ondas sendo a de baixo da
cor de suas caudas. Embaixo do colete, vocês vão usar um top e em baixo da saia um short á
prova de balas. O top e o short têm velcro para tirar a roupa para entrar na água. O colete
também é a prova de balas e...- Paula abre uma escotilha embaixo de Marine. Duas asas
semitransparentes azuis em forma de coração com metade da altura de Marine com 5mm de
grossura expandem do colete. – ... tem asas de fada robóticas para diminuir a força da queda.
Marine, pule com os dois pés juntos o mais alto possível. – Marine pula alto e as asas se
expandem novamente e Marine voa pela sala de convenções. – Baseado nas suas ondas
cerebrais e nano acelerômetros para fazer vocês voarem. Agora vou mostrar o equipamento
que vocês vão usar na água. Marine, tire suas roupas e ponha isso. – Marine põe o colar e a
pulseira e mergulha na piscina. Enquanto o borbulho da transformação de Marine acontece,
Paula espera. – Essas são os únicos dois acessórios que irão usar na água pois suas roupas não
ficam transparentes nem se adaptam a suas caudas. Essa é uma pulseira de plástico que tem o
nome de vocês e verificam suas condições vitais : Pressão Arterial, Temperatura, Batimentos
Cardíacos e Pressão Barométrica e Profundidade. Se vocês passarem os 1500 metros que é o
máximo de profundidade que uma sereia aguenta ou um dos seus sinais vitais mudarem as
suas pulseiras verdes ficam vermelhas e seu pingente-câmera vai piscar, como o pingente
câmera tem a cor das suas caudas de peixe, vamos saber quem está correndo risco. Pode sair
da água, Marine.

- Gente, temos uma mensagem do Smith, relógio, ativar. E aí ? – pergunta Sara com seu LCD
ativado.
- Sara, parece que nós fomos atacados no reconhecimento da Atlântida. Quando chegamos a
um andar subterrâneo, eles nos atacaram e nos amarraram, eu me soltei, mas eles sumiram.
Eu ajudo vocês a chegarem no local. Ponham os óculos multi-função. Vocês tem 5 horas até a
conjunção total, Vênus e Netuno já estão alinhados. Conexão Encerrada. – disse Smith.
- Alguém precisa de um transporte rápido. – Disse Carla com sua coroa e seu tridente nos
devidos lugares.
- Isso já deu problemas para vocês. Relógio, nos leve para Área nº53. Ativar. – Sara fala e um
portal se abre.
- Porque vocês chamam Atlântida de Área 53 ?
- São normas da Associação Mundial de Casos Sobrenaturais, Mágicos e Extraterrenos. Se não
cadastrarmos no sistema, o local não vai ser protegido. Vamos entrar no portal agora.

Cap.23 – A Profecia da Guarda Real.Parte 2: A Conjunção e a Alma.


- Garotas, chegamos, ponham os óculos multiuso. – Sara põe os óculos. – Agora sigam as setas
brilhantes.
- Sara, venha aqui e veja isso. Parece um elevador de pedra, tem 13 círculos com símbolos. E
tem um circulo com uma estrela igual a das nossas costas na frente desse elevador. Vou pisar
nele. – Clara pisa no meio da estrela que se ilumina na cor de sua cauda e esse brilho segue
uma trilha até seu símbolo.
- Garotas, pisem no símbolo da estrela e sigam até seu símbolo, porque temos que descer
segundo o localizador dos óculos. – disse Carla.

As garotas seguiram as ordens mágicas e brilhantes da estrela e todas ficaram em seus


símbolos. Depois um circulo de pedra aparece na frente de cada garota. Era uma mão com
uma marca de estrela. Elas encostaram as mãos nos símbolos e eles se iluminaram e
circundaram o dito elevador com todas as cores. Depois a porta se fechou e elas foram
rapidamente para baixo. Depois o elevador se abriu e elas viram um andar enorme com
grandes inscrições em pedra e uma passagem para a água do mar. Depois elas viram um
circulo azul brilhante no topo com várias inscrições em grego. Carla e Cecília usaram as asas
dos coletes para chegar ao topo e decifrá-lo.
- O Coração da Atlântida foi feito para proteger Atlântida dos perigos do continente e ajudar
suas protetoras, as sereias, nos momentos de alto perigo. Este cristal foi criado antes do
nascimento das primeiras habitantes desta ilha. Ele é a fonte de todos os poderes do mar e
pode conceder um pedido para quem o achar. Se por acaso o desejo for o extermínio do poder
das sereias o cristal irá se destruir e o poder do mar pode se acabar, o mar perderá sua cor
verde-azul e a doce canção das sereias irá ser silenciada. Por isso, o cristal está numa
profundidade que só sereias podem alcançar na ponta desta ilha que pode ser acessada por
esta entrada para o mar. A voz da Atlântida as guiará. – leu Cecília do teto com ajuda de Carla.
- Parece que precisamos achar esse cristal e desejar que ele se torne parte de todas as sereias
do mundo, assim não vai ser possível a reunião dos seus pedaços. – disse Paula.
- Como vamos achar essa coisa, e mesmo assim, não temos como se defender se não
estivermos todos juntos. – disse Micaela.
- Sem minha ajuda vai ser difícil achar os caras. – disse Carlinhos Smith.
- Amor, senti sua falta, e os outros ? – disse Cecília.
- O LCD Diz que eles estão em um túnel por aqui, Marine, você sabe como achar seu irmão !!! É
só se concentrar. – disse Smith.
- Espere. – Marine se concentra. – “Pedro, cadê você ? Estou desesperada”.
- “Marine, é você ? Você está na água ? Nos tire desse túnel, você está abaixo de nós”. – disse
Pedro no contato com Marine.
- Carla, Paula, Caroline, Clara e Beatriz. Vamos juntar as mãos. Vórtice de Alta Pressão, agora,
naquele cano. – Disse Marine.

As garotas começaram a rodar cada vez mais rápido e uma torre de água se formou e as
garotas continuaram girando mais rápido até que o feixe de água quebrou o cano de pedra. Os
Garotos caíram e Marine fez um polvo de água e usou seus braços para botá-los no chão.
Depois as outras garotas fizeram chaves de gelo congelando água no tambor das algemas,
soltando Pedro e Douglas. Depois Smith soldou e consertou os fios da cadeira de Hugo.

- Alô, ONU ? Quero 3 satélites exclusivos para a área 53 e 3 submarinos robôs com MVGPS, ok,
tchau. – disse Sara.
- Já tenho o Gps Marítimo Vertical e o comum na rede do LCD. Agora estamos com tudo que
precisamos e a Conjunção Atlântide já está no céu. Podemos ir.
- Gente, tem jatos de água caindo do teto. – disse Clarissa.
- Era o que eu temia, eles realmente controlam a água. Todos os guardiões do rei são homens
Atlantes. – disse Smith.
- Eles são tritões ? – disse Patrícia.
- Eles não têm rabo de peixe e respiram na água. Eles só manipulam água com a mente. Só
acontece este tipo de mago se ele tiver Duplo gene de Sereia e se eles nascerem no dias de
Signos aquáticos. – disse Hugo.
- Como você sabe disso ? – disse Caroline.
- Aprendemos isso no treinamento. Relógio, Ativar. – Hugo ativa seu LCD e manobra sua
cadeira para o alto com os jatos de propulsão.

Hugo ativa os braços mecânicos da cadeira e pega dois guardiões e os esmaga um contra o
outro. Marine canta para hipnotizar três guardiões e tira a roupa. Mergulha e faz eles a
seguirem para o fundo do mar. Chega a certa profundidade, estende e junta às mãos
disparando um baque de água que atira os três pra fora da entrada para o mar e congela-os no
teto. Marine nada com toda a força, pega Patrícia pela mão e as duas giram freneticamente
para cima acertando tudo com seus rabos de sereia. Enquanto as duas voltam para a água,
Carla e Clara ficam encostadas uma na outra disparando feixes de água sem parar. Caroline
finge mancar, depois assusta todos dando bengaladas de um lado e congelando guardiões do
outro. Cecília assume o controle do tridente e da coroa para não ser possuída pelo lado negro
do tridente, atirando raios elétricos e fazendo 300 guardiões congelar. Paula usa a nota
agudíssima para deixar os sentidos dos guardiões serem estressados. Micaela faz jus ao nome
usando as asas do colete para combater os guardiões com malas a jato. Clarissa e suas irmãs
usam todo conhecimento de auto defesa para bater no máximo de homens possível. Beatriz e
Sara atacam todos os guardiões. Depois de meia hora termina o embate.
- “Marine, Marine, venha até mim. Siga-me.” – disse uma voz misteriosa que falava para a
mente de Marine.
- Quem pensou isso ? – Disse Marine que estava se preparando para sair da água.
- “Marine, siga seu instinto, venha até mim.”
- Deve ser a voz da Atlântida, ela está te chamando para o coração – disse Patrícia.
- Então Carla, você, Beatriz, Paula e Clara vem comigo. Vamos “seguir” a voz. – disse Marine.
- Mas, e eu ? Não sou incapaz como antes. – disse Caroline.
- Carol, eles precisam de ajuda. Você tem uma capacidade que mais valorizada que poderes
mágicos. Você é muito inteligente e pode ajudá-los a se defender. – Disse Marine chacoalhando
os ombros de Caroline.
- Já estou com o tridente e a coroa, vamos. – disse Carla.

As garotas que não estavam na água mergulharam na água e nadaram por alguns metros,
depois viram 6 outras sereias idênticas a elas.
- “Sigam-nos. Não tenham medo.” – elas disseram.
- “Esse instinto é meio estranho.” – falou Carla para Marine.

Depois as garotas seguiram seus misteriosos clones e foram até mais ou menos a 1,5 km
abaixo da superfície do mar, onde só se enxerga a cor azul e seu espectro. Depois elas
chegaram a um prédio cilíndrico e chegara a um ponto onde tinham que entrar por canos. O
clone de Marine disse para elas botarem as mãos no mesmo ponto e para todas as outras
repetirem o mesmo. Depois elas escorregaram nos tubos.
- Bom, parece que chegamos ao templo do cristal e... Estamos sem roupa. – disse Marine.
- Não precisam ficar preocupadas, afinal, vocês estão no primeiro Quartel General da Força
das 7 Guardiãs Oceânicas. Eu sou Nerina, mais pode me chamar de Sua Primeira Encarnação.
- Você... sou eu. EM OUTRA GERAÇÃO. E VOCÊ ESTÁ AQUI, DE PÉ, VIVA, NÃO FALANDO
GREGO. ME EXPLICA COMO ISSO PODE ACONTECER ? – gritou Marine.
- Sim, mas na verdade, eu e todas as suas encarnações, como a de todas as sereias
permanecem vivas com o Coração de Atlantis. Ou Atlântida para vocês que falam português.
Neste cristal, todo o conhecimento dos segredos do mar se encerra. As vezes as encarnações
adquirem vida. – disse Nerina.
- Como assim, outra encarnação ? – perguntou Marine.
- Vocês e aquela garota que não veio com vocês, não são 7 garotas-sereias que deram a louca
de combater os inimigos do mar. Vocês são uma força poderosa que passou as eras. Nós já
fomos varias sereias em vários lugares e em várias eras. Vocês são a bola da vez. – disse
Nerina.
- Então, onde está o cristal ? – disse Marine.
- Se vocês sete concentrarem seu poder em um único ponto naquele círculo azul brilhante,
vocês irão saber.

Marine e as outras seis garotas pensaram na sua energia, depois um raio na cor de cada cauda
surgiu das mãos delas. Os raios se fundiram e começaram a se materializar em uma gema oval
azul que piscava.
- Ele sempre esteve com vocês, durante toda a sua vida. Na verdade eu e minhas amigas
criamos esse cristal. – disse Nerina.
- Nós somos Deusas da água ? – perguntou Marine.
- Não, tolinha, nós só somos parte do poder de uma coisa maior que vocês chamam de Deus.
Nós somos só humanas com poderes mágicos aquáticos. Nos vemos na próxima vez que vocês
invocarem o cristal. – disse Nerina.
- Nerina, mais uma coisa. Como nós desativamos o cristal... – Marine vê Nerina se tornar areia.
- Que beleza, pelo menos a vista vai ser mais bela quando acabar com todas vocês. – disse
Carlinhos Smith.
- Smith ? Você é um guardião dos reis ? – perguntou Patrícia.
- Como vocês são idiotas. Vocês não viram Matrix mesmo. Eu sabia que com esse nome falso
ninguém ia achar que eu não era agente. Tudo foi uma armação. E Sara caiu de pato. Na
verdade eu já tentei me livrar de todas vocês. Primeiro eu e meu pai fizemos um pequeno
investimento para duas amigas se separarem. Depois contratamos uns caras para fazer uma
pesca especial. Libertamos uma força maléfica para dar cabo de vocês. E vocês conseguiram
purificá-la. Ficou ainda melhor quando a princesa idiota fez a ilha voltar para a superfície.
Depois fingi amar uma garota de 15 anos com mente de 10 anos para saber mais da Atlântida
e fiz Marine e a filhinha do papai que não consegue nem fazer cubo de gelo caírem na
armadilha. Agora vocês estão na minha mão.

As garotas jogam água em direção de Smith e ele deixou se molhar pelos jatos de água delas.
- Sabe, antes de vocês se livrarem de Melissa, eu fiz dois pedidos. Um só sereias podem
realizar... – Carlinhos tira as calças - ... duvido que vocês ganhem de mim agora. Batalhas entre
iguais nunca terminam. Vou desejar que seus poderes sumam e afogar vocês aqui enquanto
fujo com meus poderes de tritão que esse tridente não vai tirar. – Smith usou ganchos para
chegar ao cristal.
- “Marine, se concentre no cristal” – diz a sua voz interior.
O cristal foi para as mãos de Marine e ela não soube o que fazer com o azul e oval cristal. Ela
saiu correndo com o cristal sem parar
- Marine ! Pare !!! Você precisa se fundir com o cristal. – disse Nerina.
- Mas eu posso morrer se conjurar tanta energia !!! – disse Marine.
- Você não vai morrer se confiar em você e se você confiar no cristal. – disse Nerina.
Marine pôs suas duas mãos no cristal e ele brilhou muito forte. O cristal penetrou em seu peito
e Marine começou a brilhar azul. Suas costas ganharam asas angelicais brilhantes. E sua perna
se tornou cauda de peixe mesmo sem água. Todas suas encarnações assumiram seu corpo.
Marine se tornou uma grande força energética feminina.
- Carlos Smith, você será purificado e seus poderes de tritão serão retirados.
- Você não pode, ninguém aqui pode, vocês vão morrer. Vocês se acham só porque tem
poderes fantásticos. Se essa maldita ilha fosse governada por homens ela não teria nem
afundado. Quem você acha que é ?
- Sou o Anjo Escudeiro, produto da fusão do Coração da Atlântida com a Escudeira. A
protetora máxima de Atlântida. – O Anjo estendeu e juntou as mãos lançando uma rajada de
energia mágica branca em Carlinhos.

A Rajada demorou uns vinte minutos e tirou toda a energia negativa e os poderes de tritão de
Carlinhos. Ele desmaiou e Marine e o Cristal despencaram do teto do antigo QG. As garotas
ficaram desconcertadas.
- MARINE, VOLTA PRA GENTE, NÃO MORRE !!! – disse Patrícia.

O teto começou a ruir e Sara e os outros vieram para pegar Carlos.


- Mãos na cabeça e qualquer feitiço deve ser quebrado agora. Carlos, você está...
- VOCÊS NÃO TÃO VENDO QUE MINHA AMIGA TÁ MORRENDO E ELE ESTA IMÓVEL !!! Meu
Deus, por que você não deixou eu ir no lugar dela. MARINE, VOLTA PRA MIM. EU NÃO TENHO
NENHUM AMIGO EM LONDRES. – Chorou Patrícia.
- LCD, Condiçoes, Marine. Parece que Marine não teve parada, nem ataque. Isso parece coma.
FAB, preciso de um helicóptero e a melhor equipe de neuro de São Paulo em 25 minutos aqui
em Atlântida. – disse Sara. – Carla, preciso que você assine aqui para oficializar a criação da
Monarquia Parlamentar da Ilha de Atlântida. Pode usar seu título de Princesa. Sua mãe já
assinou. Pronto. Amanhã vamos decidir a Arquitetura e a Organização junto com a criação do
nome da capital nacional.
- Tomara que Marine volte para ver como isso vai ficar. – disse Carla.

Cap. 24 – Bem vinda de volta.


- Acho que você deveria deixar eu ver Marine. – disse Carla.
- Princesa, sabemos que ela é sua amiga, mas você deve esperar o horário da Visita daqui a um
minuto.
- Dr. Paulo da Silva, especialista em seres mágicos. Estou acompanhando o caso da minha neta
e é imperativo que uma das suas melhores amigas fique com ela pelo menos cinco minutos. E
eu tenho autoridade para demitir todo esse hospital. – disse o avô de Marine.
- Apartamento 53 da Semi-Itensiva. Ela está estável.
- Ainda bem que escolhi você para presidir o Hospital Feminino de Nova Atlantis. Você é muito
bom. – disse Carla.
- Você só homologa coisas, isso foi decisão do Parlamento. Sua primeira-ministra evoluiu
muito. – disse o avô de Marine.
- Eu não sei se o povo está aceitando bem uma iatista no governo. Mas ela vai muito bem. –
disse Carla.
- Bom, chegamos. 53. Não se esqueça que ela pensa, mas não pode falar, eu acho. – disse o avô
de Marine.
- Marine, tudo bem. Você não sabe o que me disseram ? Hoje vamos ter um baile de
comemoração de um mês de fundação do país. Paula acabou de finalizar meu vestido, ele está
fantástico. Tenho medo de minha coroa dispare um raio ou coisa parecida, afinal, preciso usá-
la agora. – disse Carla.
- Carla, onde eu estou ? – Marine levanta as costas e senta no casulo de água que mantém ela
respirando.
- Bom, você está no primeiro hospital da Atlântida, depois de um mês em coma por ter se
fundido com o Coração de Atlântida. E esse é um casulo de água que seu avô disse que iria
ajudar a você se recuperar mais rápido. E parece que funcionou. – disse Carla.
- Não pode ser, estou numa maca... e meu rabo de sereia está num casulo de água. Mas alguma
coisa ? – disse Marine.
- A purificação de Carlos transformou ele em um vegetariano vegano, você foi transferida dos
Estados Unidos e todas as garotas se mudaram para cá. Menos Paty, que está esperando eu no
aeroporto. Mais alguma coisa ? – disse Carla.
- Obama fechou Guantánamo ? Brincadeira. – disse Marine.
- Marine, você mexe a cauda e os braços ? – Perguntou o enfermeiro.
- Sim, e acabei de fazer xixi no casulo. – disse Marine
- Se você tiver roupa para sair, você está em alta.
- Eu trouxe umas roupas meio ridículas, mas servem.

Marine tira seus tubos e tiras. O Enfermeiro tirou Marine do tubo e secou ela. Marine se troca.
– Nunca mais pegue meu vestido do Aniversário de 13 Anos, ele não é bonito pra sair de um
hospital, posso trocar ?
- Agora sim, gosto de sair com esta daqui. – Marine veste uma camiseta branca com barras
azuis na manga, uma calça azul e um tênis preto que Carla nunca usa.
- Minha bicicleta está lá fora nos esperando.
- Bicicleta ? Não vamos de carro ?
- É proibido o uso de carros, caminhões, motos, monomotores e jatos particulares na ilha. Lei
numero 43/2009. Para garantir o uso de ônibus com qualidade.
- Como se tem aeroporto ?
- Bom, o Aeroporto de Atlântida é pequeno e só recebe vôos de pequenos aviões direto da
América do Sul e África, estamos no meio, 30 milhas á direita da faixa marítima brasileira.
- Onde eu sento ?
- No compartimento de carga, botei uma cadeira lá, ponha o cinto da cadeira. Pernas abertas.

Carla solta sua bicicleta prateada e espera Marine sentar. Depois pega ela e começa a andar
pelas avenidas com grandes canteiros floridos da ilha com a infinita vista do mar enfeitando a
praia. As bicicletas brilhantes e coloridas viajando com velocidade enchendo a avenida. Carla
vira á direita e chega até a nova casa de Marine.
- Pode descer. Te encontro ás oito, vista-se bem. – disse Carla.
- Marine, pode entrar na sua nova casa. Aproveite e veja seu quarto, ele está lindo. Tudo bem,
filha ?
- Sim, só estou meio preocupada. Acho que estou vivendo uma mentira. Tem certeza que isso é
real ?
- Marine, você ficou um mês em coma. É estranho nos primeiros dias, mas depois você se
acostuma com Atlântida. Eu nunca tive oportunidade de ir a praia e entrar no mar sem medo
de ser caçada, isso é fantástico e aqui você pode fazer isso. Por isso você estranha viver aqui...
- Vou pro meu quarto.

Marine sobe a escada e vira para o lado esquerdo a cabeça e tenta achar seu quarto.
- Primeira porta á direita. Estou bem assim? – disse Pedro.
- Terno? Quem é você e o que fizeram com o Pedro? – disse Marine puxando seu irmão pela
gravata.
- Bom, pelo menos o namorado da Princesa tem que ir ao Baile.
- Você chegou ao “Estágio 2”?
- E com camisinha. Ela é demais.
- Como foi o dia 1 de Atlântida?
- Vieram Niemayer, Bono Vox, Dalai Lama e o Papa e mais uma porrada de políticos. E aquele
insolente príncipe da Inglaterra. Eu mato ele. Nós planejamos a planta da cidade capital e mais
200 cidades e 4 estados. Obama trouxe sua mulher e nos ajudou muito nos dias da transição
do Totalitarismo Monárquico e os dias da eleição da Câmara, Senado e Primeiro-Ministério.
Sereias do Mundo se mudaram pra cá. São 3 milhões de habitantes. Toma esta fita micro e
ponha na secretária. É pra você ouvir. Preciso chegar no palácio, vou ensaiar a valsa de novo.

Marine se dirigiu ao seu quarto novo. Pareceu estranho para ela de relance mas depois viu que
seu quarto era azul e tinha uma varanda conjunta com o quarto de Pedro. Marine apreciou
toda a vista e gostou da vista do mar. Foi ao banheiro novo e viu a banheira de louça enorme
que haviam posto lá. A velha ladainha que é o banho de Marine começou. Marine estava
esperando a banheira encher quando batem á sua porta.
-É Patrícia, eu trouxe as fotos de Londres e sorvete de Chocolate com Menta. Posso entrar ?
- Você está de biquíni ?
- Saí do avião com ele. Quando vinte por cento de um país tem praia e você é uma sereia, o
biquíni é seu sutiã.
- Pode entrar no meu banheiro. Cuidado com o tapetinho.
- Preciso de um pouco de água mesmo. Fiquei 12 horas esperando o jato da empresa do meu
pai, foi uma chatura. Não pare, continue esfriando o sorvete. Pronto, podemos sentar na
banheira.

Marine e Patrícia sentaram na ponta da banheira e deixaram suas pernas molhadas pela
metade para não desidratarem suas caudas e respirar sem precisar mergulhar a cabeça na
água.
- Lembra quando fazíamos isso no verão na banheira da sua mãe ?
- Só que nós não éramos sereias. De resto, nada de diferente.
- Essas são as fotos com Edward, nosso mordomo, meu único amigo em Londres. Ele cuidava
de mim enquanto papai trabalhava. A primeira vez que fui na piscina com ele, ele teve um
ataque cardíaco. Ele levou um susto quando descobriu que eu era sereia. Às vezes queria ir ao
shopping mas não queria ir com ele porque achava que ele ia ficar constrangido. Depois ele
me disse que era homossexual mas os pais dele queriam que ele fizesse economia ao invés de
moda. Ele acabou ficando com DP em todas as matérias e virou mordomo porque tinha um
comportamento exemplar. Essa foto aqui é muito engraçada...
- PATRÍCIA, DEIXE MARINE TOMAR BANHO, ELA TEM QUE SAIR AS SETE E MEIA.
- JÁ ESTOU INDO, MEU IRMÃO ACABOU DE ME CHAMAR. Paula vai trazer seu vestido. Não se
esqueça de chegar acordada.

Marine tirou o resto de sua roupa e escorregou seu corpo para a banheira e deixou se cobrir
pela água e sua sensação refrescante e relaxante. Marine entrou no estado de contemplação
do que é ser uma sereia. Nunca Marine sentiu isso de um jeito tão profundo. Ela não acreditou,
achou que era a ilha, falta de sentir isso, cósmica, ou aquele cristal. Depois ela sentiu a
banheira ser chutada. Levantou a cabeça e começou a ensaboar todo seu corpo rapidamente
com medo do chute da banheira. Terminou o serviço, tirou sua cauda da banheira e se secou.
Ia pegar a toalha e amarrá-la na cintura.
- RELÓGIO, DESATIVAR MODO SILENCIOSO.
- DOUGLAS, estou nua !
- Queria fazer surpresa. Trouxe flores azuis, difíceis de achar, chocolate e tentei escrever um
poema que deu errado. Desculpe se te atrapalhei.
- Leia, o poema. Não importa se ele é ruim.
- Marine, tentei escrever um poema, mas não consegui. Depois, uma música e um haikai.
Depois li Vinícius, ouvi Hebert. Tentei copiar eles, mas sem sucesso. Pensei que seria
impossível botar sua beleza e sua alegria e salpicar com arte. Desisti e vi a lua encostar sua
face na água e ela estava azul e havia duas nuvens laranja. Esta foto é meu poema para você. O
poema é de verdade, foi escrito atrás da foto. Ela se chama “O melhor desafio da minha vida”.
- É bonito, adorei essa foto. Como você entrou aqui ?
- Fiquei invisível e subi na treliça do seu quarto, depois.

Os dois continuaram a conversar no quarto.


- Mas como Clarissa virou premiê? Ela não sabe nada de política.
- Tinham 35 pessoas na ilha e ela mais duas pessoas eram adultas e sereias. Daí votamos na
pessoa que julgamos mais apta ao cargo. Democracia é assim.
- Parece interessante esse tal de Parlamentarismo. Está bom assim?
- Marine, espere seu vestido chegar.
- Opa, desculpe.
- Não é o que você imagina.
- Marine, vista isso e eu verei o que precisa mudar.
Marine pôs o vestido novo. Ele é curto e longo, sem mangas e sem alças, um tomara-que-caia
azul escuro com brilhantes.
- Você vai ter que usar um top. Coube divinamente. Acho que precisa de um pouco disso.
Patrícia é tão genial quanto eu. Esse vestido é fantástico. Tenho que finalizar meu passaporte
para Paris. O vestido da Princesa Carla e da Rainha Lígia.
- Até o baile. Termine o vestido da Carlys. Douglas, feche a porta e volte quando eu sair do
quarto.

Depois de certo tempo depois da sombra, blush, batom, lápis, todas aquelas coisas, Douglas foi
para sua casa por seu terno e gravata, camisa, calças. Marine desceu as escadas e foi ao
encontro de Douglas.
- Mãe, onde Douglas está?
- Em casa, se trocando. Parece que Carla vai mandar uma limusine para as garotas.
- E vocês ?
- Os ônibus de Atlântida são limpos e confortáveis. Douglas vai com o pai dele, numa van
executiva. Bom, acho que é minha vez de demorar no banho.
- Boa noite. Olá, Marine. A Atlasfarma acabou de ser inaugurada e seu pai é gerente da linha de
produção e membro da mesa diretora. Essa casa terminou de ser paga.
- Parece que chegou minha carona, vejo vocês no baile. Tchau !

Marine desce as escadas que a levam para a rua. O motorista abre a porta da limo e ela vê
Paula,Clara, Patrícia, Caroline, Beatriz e Cecília.
- Boa Noite, garotas. Nem parece que vivemos em outro país.
- É estranho mais depois você acostuma. – disse Beatriz.
- Seu vestido está fantástico, muito bonito. Sinto sua falta, você não sabe como é achar que sua
amiga vai te deixar pra sempre. Desculpe a emoção. – Patrícia limpa o nariz.
- Vamos aproveitar e fazer um brinde com água levemente gaseificada com aspartame pela
recuperação de Marine. Viva! – disse Caroline.
- Esta meio frio por aqui. Vocês podem me emprestar uma blusa. – disse Cecília.
- Vou te emprestar. Estamos chegando. Este castelo é grande, não tem torres, estranho! – disse
Marine.
- Podem descer do carro. Tenham uma boa noite.

As meninas desceram do carro e subiram as escadas até um amplo salão onde as pessoas
sentavam em mesas com 8, 10 pessoas sentadas e Marine foi para uma das 10 mesas que
ficavam em um patamar acima das outras mesas e chegou nela junto com Patrícia.
- Dona Neuza, que belo vestido e que belo acompanhante. – disse Marine.
- Acabamos de rasgar o contrato de separação conjugal... e acabamos de ser o primeiro casal a
casar no civil em Atlântida. Mas para garantir que o dinheiro não atrapalhe, eu e Ed fizemos
com separação... total de bens. Adoro essas piadas com separação. – disse Neuza. – Douglas,
fale com sua namorada.
- Bom, vamos dar uma volta. E já voltamos. – disse Douglas, vermelho de vergonha da atitude
de sua mãe.
- Patrícia...
- Mãe...
- Se vocês não resolverem o problema de falta de afeto de vocês, nunca vão sair do genitora e
rebenta e chegar a Mãe e Filha. – disse Eduardo.
- Desculpe por te tratar como nada por 15 anos. Me desculpe pelo jeito que te tratei. Sempre
pensei que você não tivesse saído de mim. Mil desculpas. Te amo, muito, me abraça.
- Você é minha mãe, pode me abraçar.
- É emochonante... me abracha pói. – disse Douglas com a boca cheia de comida.

Depois de meia hora depois de todos chegarem e se arrumarem para a chegada de Lígia e
Carla para começar o baile oficialmente. De repente uma clarinada toca.
- Recebam a Rainha Lígia Atlantines e sua filha, a Princesa Carla Marys Atlantines.

A rainha estava com um vestido prata longo com detalhes também em prata com a coroa
mágica e com o cabelo preso com rabo de cavalo. Mas Carla realmente estava em seu melhor
momento, com seu vestido prata um pouco mais curto com detalhes em azul brilhante e com
seus longos e soltos com uma coroa um pouco menor. Pedro chorou com a entrada de Carla no
salão.
- Cidadãos de Atlântida, hoje comemoramos o renascimento de um reino que havia
desaparecido por anos. Mas por uma ajuda do destino, sua única herança, o sangue da família
real e as sereias sobreviveram 5 mil anos. Até que o maior símbolo de poder, o tridente, unido
ao desejo profundo da princesa Carla de achar sua casa levantou esse reino. Mas uma pessoa
unida á mágica de um cristal, sem uma gota de sangue real mais com todo seu poder de sereia
salvou todas nós e pode possibilitar todo um processo de re-habitação e democratização sem
esquecer a importância da figuras da Rainha e Princesa. Vamos celebrar Marine e o primeiro
mês de sucesso de nosso país. – disse Lígia.

Como todo baile, começou o momento da valsa e todos foram dançar. Douglas e Marine
congelaram todos os pensamentos externos á eles e dançaram. O tempo parou para Pedro e
Carla também. Cecília foi ao banheiro se limpar com lencinhos umedecidos e se olhou no
espelho. Viu Melissa em seu reflexo.
- Volte pra casa de Hades, sua... coisa. – disse Cecília
- Eu não preciso mais de seu corpo. Mas só uma de nós pode ficar neste universo. Mas você vai
ter que sumir.
Melissa pôs sua mão para fora e saiu do espelho como uma bolha de gosma preta. Cecília ficou
paralisada. Cecília gritou quebrando todo e qualquer vidro do castelo.
- Você tem um belo relógio. 5,4,3,2,1. Agora vem o coma. – Disse Melissa depois de ter visto o
relógio de Cecília.
- “Eu voltei, Pedro, e vocês estão ferrados. Cecília está comigo.” – Pedro recebeu uma
mensagem telepática de Melissa.
- “Marine, corra e tire todos daqui. Melissa voltou, quando eu disser pra voltarem pra cá.”
Douglas pega um isqueiro e acende. Os detectores de fumaça dispararam os jatos de água
depois de tudo vasio, Pedro chamou todas as garotas com Douglas.
- Temos que pegar ela.
- Acho que vocês vão precisar de ajuda. – Maria, Lígia e a mãe atual de Cecilia, Helena.
- Garotas, isso é uma missão para eu ajudá-las. Eu não fui criada para ter uma filha morta.
Estou sem ar... – Helena desmaia e começa a piscar como uma TV pifada.
- Parece que tudo que é ligado á Cecília está sumindo. Acho que como Cecília e Melissa tem o
mesmo DNA só uma delas pode viver neste universo.
-... mas existem gêmeos.
-... mas são duas energias mágicas diferentes. Mas Melissa tem 5000 anos de energia mágica
negra. Precisamos purificar Melissa.

As garotas se concentraram em invocar o Coração da Atlântida. Depois todas elas encostaram


a mão nele. Seus pulsos receberam uma espécie de pulseira de pedra com três círculos e a
letra grega psi (Ψ). E o tridente de Carla ganhou cristais azuis e a mesma letra no centro da
coroa.
- Como isso funciona ? Vejamos como funciona... – Marine se concentrou e saiu um raio branco
de sua mão da pulseira – Douglas, abra o zíper da minha roupa. Agora. Vamos lá.

Marine correu com Carla, Patrícia, Paula, Clara, Beatriz e Caroline para mergulhar nas piscinas
decorativas e numa entrada para o oceano. Maria e Lígia estavam congelando todas as
entradas e saídas.
- Maria, preciso falar com minha filha. Deixe-me entrar. Eu posso ajudar – disse Neuza.
- As garotas vão inundar o prédio, só sereias vão conseguir ficar lá dentro. Como você
pretende ajudar?
- Uma amiga minha fez uma coisa pra mim. Ela se chama Célia. – Neuza pisca. Depois solta
uma manga do vestido e vira de costas. Maria vê a “marca”. E Neuza entra e fecha a porta.
- Mas como você fez isso ? Você ficou doida!?!
- Eu fiz terapia e descobri que eu não era feliz em ser igual a todos.
- Demonstre seu poder.
Neuza põe as duas mãos no portão e ela congelou parte do portão.
- Mais alguma coisa?

As garotas mergulharam bem fundo e inundaram o castelo devagar até encherem todo o
primeiro andar. Douglas e Pedro esperam um nível acima, na frente de uma porta no topo de
uma escadaria.

- Entre em posição de alerta, elimine tudo ao seu redor, se foque em seu alvo. – Pedro tenta
entrar em contato com Cecília.

A mente de Pedro sai de seu corpo. Depois ele entra na mente de Cecília.
- SOCORRO. EU NÃO MORRI! PORQUE ESTÁ TUDO ESCURO? Pedro, eu posso falar com você?
Como você entrou aqui? Parece que quando o coma acontece você tem acesso a todo seu
conhecimento. Estou ferida no meu braço. Pedro pegue o Livro Atlante da Cura. A qualquer
custo. Te guiarei ao livro. Vá. Eu estou sendo sugada e sem o livro não voltarei. Você está
piscando... Pedro... – Pedro começa a voltar. - Pedro... Pedro, ufa, ainda bem que você voltou.
Como você é estranho !!! Entra e volta de um coma. O que Cecília disse ?
- Que preciso pegar o Livro Atlante da Cura. E vou fazer a escolha mais idiota da minha vida.
- Ficar nu com uma pulseira num dia do Apocalipse. Isso é idiota? E eu que sou doido.
- Isso é a pulseira da retribuição. Lígia me deu quando salvei Carla aos 14. Eu molharei ela e
realizarei um desejo. Eu vou virar um tritão. Meio homem, meio peixe. Normal do umbigo pra
cima e com um rabo de peixe. Deseje-me sorte.

Pedro corre para a escada e mergulha. Depois faz seu desejo. Espera algum efeito, quando
decide voltar para fora da água, suas pernas brilham, o processo de transformação começa.
Depois de todo o processo ele ganhou uma cauda prateada com algumas manchas pretas e
laranjas , um pouco parecida com a cauda de um Koi. Pedro começou a nadar e desceu ao
térreo. Marine e as garotas estavam atacando Melissa quando viram Pedro.
- “Meu deus, como, onde, por quê?” – disse Marine.
- “Ele usou a pulseira.” – disse Carla. – “Depois de 4 anos, ele fez o desejo.”
- “Onde fica as ruínas da biblioteca antiga? Eu preciso achar o Livro Atlante da Cura.
Curaremos Cecília e ela ajudará.” – disse Pedro.
- “Passagem Secreta da Biblioteca comum. Lá estão os livros do poder.” – disse Carla. –
“Falando nisso, você fica ÓTIMO nesse look.” “Marine?”

No outro andar...
- DOUGLAS, VEM AQUI.
- Sim, como eu posso ajudar?
- Acho que você terá que me ajudar em alguma coisa que vai ser idiota.
- Topo.
- Junte o Maximo de sereias possível.
- E se transformássemos todos os homens em tritões. Daí teríamos o dobro do poder.

Douglas e Marine abrem a porta e vão a praia chamar ajuda.


- Cidadãos de Atlântida, eu sou Douglas e essa é Marine. É idiota essa idéia ,mas se fizermos
vamos salvar a ilha. Primeiro : Caras acima de 13. Tirem TODA a roupa. – Douglas repete.
- Garotas, peguem seu cara. Mas ele tem que ser de preferência o que você mais ama. Façam
um pacto de sangue e beijem seu cara. Pulem com ele na água. E esperem.

Marine e Douglas entraram na água. O brilho de Marine foi compartilhado com Douglas.
Douglas observou seu pés virarem nadadeiras e suas pernas se fundirem em uma só. Douglas
agora tem uma cauda de peixe azul marinho, igual a de Marine.
- Agora vamos ajudar eles a entrar.

Douglas e Marine se secam e chamam os outros a entrar no castelo. Eles abrem a porta que
ficava acima da inundação. Todos saem correndo e mergulham. O cardume de sereianos nada
até Melissa.
- “Vamos lá, nadando em círculos.” – Disse Marine.

Os olhos vermelhos de Melissa foram confundidos com tantas caudas que ficou parada. Não
sabia onde posicionar sua nadadeira negra. Uma torre de água que as garotas fizeram a cobriu
e ela foi congelada. Pedro chegou com o livro e todos esvaziaram o andar.
- Como é bom ter nossos pés de volta. – disse Pedro. –Bom, o livro diz que para curar uma
pessoa, vocês tem que cantar, como sereias, uma canção com essas pulseiras do psi. E
dispostas em circulo. No caso é esta canção. – Pedro aponta.
- Bom, traga o paciente. – Carla pega Cecília.
Caroline e Carla traduzem a música numa linguagem mais clara. Depois todas as sete se
juntam, se ajoelham e juntam as mãos. Pedro e Douglas molham as pernas de Paula, Patrícia,
Caroline, Beatriz, Carla, Clara e Marine. Elas começam o grande cânone com belas vozes que
inundam todo o lugar. O corpo de Cecília brilhou e a ferida em seu braço se reconstrói. Cecília
acorda. As garotas acabam a música e ficam ofegantes por ficar sem respirar água. Cecília
levanta e recobra resto de partes desconhecidas de sua memória.
- Eu e Melissa não somos a mesma pessoa. Somos gêmeas e ela ficou possuída pelo poder.

O gelo quebra. Melissa pula em cima de Cecília com uma faca.


- Se eu fosse você eu não faria isso. – Cecília fala.
- Você e todos os humanos dessa ilha vão morrer.
- Acho que não. Maria! – disse Fernando. – E... Neuza! Pelo meu país eu topo não surfar nunca
mais. – disse Eduardo.

Maria e Neuza lançam o feitiço que transforma humanos em sereianos. Elas molham eles
provando que eles, os últimos humanos de Atlântida não são humanos somente.
- Não pode mais matar ninguém. E só falta uma coisa.

Cecília se concentra. Seus olhos brilharam rosa e asas brancas aparecem em suas costas.
Todas as suas roupas se tornaram vestes brancas.
- Meu Deus... – disse Marina.
- Ela é um anjo... do mar. São sereias tão poderosas que dizem que são escolhidas por
Posseidon. Elas são imortais a não ser que a matem fisicamente. Ela mesma criou o Cristal. –
Pedro lê o Livro da História Atlântide. – Ela não ia sobreviver, ate que os pais fizeram uma
promessa para Posseidon. Se ela sobrevivesse ela iria servir a Posseidon para salvar Atlântida
de um futuro horrível.
- Mas Melissa quando morreu resolveu se vingar dos humanos que mataram ela. Mas o mal
dominou ela.

Cecília fez uma flecha branca apareceu e ela pegou seu arco.
- Flechas de Posseidon !

Ela mirou e acertou sete flechas em Melissa e uma espécie de raio a purificou. Como Melissa é
um espírito, ela desapareceu. Cecília pousa e volta ao normal. Ela começa a caminhar e é
ovacionada por todos. Começou a tirar brincos, pulseiras e colares. Depois a presilha do
cabelo e o vestido. Tirou o sutiã e chegou ao cais.
- Cecília, não vá embora, fique, com a gente. Você não tem mais nada, ninguém.
- Marine, eu não pertenço a nada. Preciso pensar. Meu sonho é conhecer todo o mundo
começando pelos oceanos e rios. Depois os lagos e os continentes. Mas para isso preciso me
livrar de tudo que é material, pois sou uma sereia e não preciso disso no mar. Mas vocês vão
ficar aqui, no meu peito.

Cecília tira suas meias e seus sapatos. Chora. Aproveita cada último passo e senta na ponta do
cais.
- E se vocês precisarem de mim?
- Você vai achar o caminho de volta. Não se preocupe. Sua busca por si mesma vai acabar e
você voltará. Vá. – Marine abraça Cecília.
Todos abraçam Cecília aos prantos. Ela toma distancia e mergulha. Todos vêem o corpo e a
cauda rosa de Cecília e ninguém a impede de ir atrás de seu destino. Ela desaparece no
horizonte.

Cap. 25 – Climax.
- Serio que você foi transformado em tritão. Não pode ser. É impossível – disse Hugo pelo
programa de MI.
- Liga sua câmera, eu posso provar. Você me vê? – disse Pedro.

Pedro desce as escadas com seu notebook e chega na piscina. Tira as roupas de baixo e
mergulha na piscina. Sua cauda de peixe persiste. Pedro chega na borda da piscina e fala com
Hugo.
- Cansei de ficar “ajudando” elas e depois do que rolou em fevereiro, não existe mais um
homem não tritão na ilha. Você continua namorando Carol?
- Sim, aprendi a ignorar que eu ela estamos separados por uma tela e dois IPS. Estou indo,
abraços.

Pedro senta na borda da piscina e vê o sol derreter sua testa. Tira a camisa e volta para a água.
Sua cauda de peixe faz movimentos fluidos na água como a de todos sereianos. Pedro chega ao
fundo da piscina e fica observando o céu. Carla desponta na piscina. Pedro volta à borda.
- Carla, tudo bem? Quer dar um mergulho?
- Sim. Você fez o bolo pro aniversário da Marine?
- Putz. Bom, tudo que é bom, dura pouco.
- Não. Fica um pouco comigo na água.
- Você vai desistir do seu poderes, Pê ?
- Não, vou ficar com eles. Quero enfrentar tudo com esses poderes. E isso nos aproximou
muito. Alem disso, respirar embaixo da água é muito bom. Bom, me seque que vou fazer o
bolo.

Duas horas depois a festa está pronta, os balões estão cheios e todos esperando por Marine.
Pedro pega o bolo de chocolate e termina a cobertura. Douglas chega com Marine e mexe na
maçaneta para avisar a chegada deles. Depois todos se esconderam e apagaram a luz.
- Marine, eu não vou desistir dos poderes! Eu gosto deles.
- SURPRESA!!! Parabéns pra você, Marine. Agora... meu presente. Não sabia o que dar, então
comprei isso, uma lâmpada azul. – disse Pedro.
- É... é muito... criativo... Douglas? O que você acha?
- Eh… luminoso . Marine, você gosta de anéis ou gargantilhas?
- Sim.
- Você conhece uma pedra preciosa chamada Safira? Esse é seu anel. E uma corrente com uma
concha feita de... bom... é melhor que nada...
- Douglas, não precisava ter pedido dinheiro ao seu pai. Devolva o anel.
- Mas era da minha mãe esse anel. Ela fez questão de que você fique com ele.
- Se é assim, obrigado. – Marine beija a testa de Douglas.
O computador de Pedro fez um barulho estranho.

“Chamada de vídeo de CStu<34ever”


- Quem será que é... e como sabe meu nome de tela do programa de Mensagem Instantânea.
- Pedro, e aí ?
- Cecília? Faz Tempo que não vemos você...
- Deixa eu ver todos vocês ?
- Peraí... eu vou ligar meu computador na TV.

Pedro pega o cabo do computador e liga na TV. Todos vêem Cecília com uma camisa rosa e
uma calça branca e óculos escuros do lado de um jovem com shorts branco. Parecia que
estavam em alguma praia.

- Marine, parabéns pelo seu aniversário de 16. Eu e o Stuart damos parabéns.


- Er... Happy Birthday. Marine...
- Ele é... seu... namorado?
- Sim. Ele era cabo da marinha inglesa que teve seu navio naufragado na Austrália no século ...
Honey? What century?
- Eighteen. And a immortal mermaid turns me in a immortal merman. That´s it. I found Ceci in
Australian Coast.
- Qual a “idade” dele?
- 17.
- Nome dele?
- Stuart, eu já disse.
- Vocês vão voltar pra cá?
- Não, só viemos para descansar um pouco as caudas. Falando nisso precisamos voltar ao mar
se não vamos ser deportados.
- Onde achamos vocês?
- Se você vir uma sereia loira com cauda rosa e um tritão moreno com cauda estilo peixe-
palhaço, somos nós. Vemos vocês em outra cidade do mundo. Tchau!
- Gente, vamos comemorar! Pelo melhor ano da minha vida. Que os próximos sejam os
melhores , também. – Marine levanta o copo com refrigerante.

Todos os copos tilintam o som da comemoração. Douglas continua a namorar Marine. Pedro e
Carla estão no segundo ano de faculdade. Patrícia e Paula iniciaram seu curso de Moda. Clara
Maria volta ao Brasil depois da festa de Marine. Caroline abandonou sua bengala no mês
passado. Beatriz se recuperou de sua depressão e conseguiu com processar Cadete Almeida
por abuso sexual. Micaela realizou o sonho dela, ser atleta de natação. Clarissa conseguiu mais
dois anos de cargo de primeira ministra de Atlântida.
Fim do Livro1.