Sei sulla pagina 1di 61
Evolução, estrutura e função celular Prof a . Marta G. Amaral, Dra. Biologia Celular
Evolução, estrutura e função celular Prof a . Marta G. Amaral, Dra. Biologia Celular
Evolução, estrutura e função celular Prof a . Marta G. Amaral, Dra. Biologia Celular

Evolução, estrutura e função celular

Prof a . Marta G. Amaral, Dra. Biologia Celular

Em 1665, observando uma secção de cortiça ao microscópio, notara pequeníssimas cavidades semelhantes às de

Em 1665, observando uma secção

de cortiça ao microscópio, notara

pequeníssimas cavidades semelhantes às de uma colmeia, a que chamou células.

notara pequeníssimas cavidades semelhantes às de uma colmeia, a que chamou células. O inglês Robert Hooke

O inglês Robert Hooke (1635-1703)

notara pequeníssimas cavidades semelhantes às de uma colmeia, a que chamou células. O inglês Robert Hooke

No século XIX a célula foi reconhecida como a unidade

funcional de todos os

organismos vivos.

como a unidade funcional de todos os organismos vivos. Criaram a teoria celular em 1838-39 A

Criaram a teoria celular em 1838-39

A célula é a unidade

básica da vida

unidade funcional de todos os organismos vivos. Criaram a teoria celular em 1838-39 A célula é

Teoria celular

1. Todos os seres vivos são formados por células

2. Todas as reações metabólicas ocorrem dentro

da célula

3. Cada célula origina-se de outra célula

4. As células são portadoras de material genético

então,

a solução para

qualquer problema biológico

deve ser buscada na Célula

qualquer problema biológico deve ser buscada na Célula Claude Bernard (1813-1878) Médico e fisiologista francês

Claude Bernard (1813-1878) Médico e fisiologista francês

“A vida em si, existe

apenas na célula.

O resto são mecanismos auxiliares para tornar a

vida possível.”

O médico Rudolf Virchow (1821-1902) Considerou que a célula doente não era uma estrutura nova,

O médico Rudolf Virchow (1821-1902)

Considerou que a célula doente não

era uma estrutura

nova, mas era mesma estrutura

qualitativamente

diferente.

Ele abriu o caminho para pesquisas sobre a

identificação das condições que alteram o estado normal de uma célula e a resposta da própria célula àquelas condições patológicas.

Célula x Energia

Primeira lei da termodinâmica

Energia não pode ser criada ou destruída, mas pode ser convertida de uma forma em outra.

Segunda lei da termodinâmica

"Não existe processo natural cujo único resultado seja resfriar um reservatório de calor e realizar trabalho externo." Lord Kelvin, físico

Num sistema fechado, a entropia nunca diminui. Se o sistema está inicialmente num estado de baixa entropia (organizado), tenderá espontaneamente a um estado de entropia máxima (desordem).

Traduzindo para o nosso cotidiano:

1. Coisas materiais não são eternas.

2. Tudo parece mudar eventualmente, e o caos aumenta.

3. Nada permanece tão fresco como no dia em que comprado;

roupas desbotam, ficam surradas, e finalmente retornam ao pó.

4. Tudo envelhece, se desgasta.

5. Até a morte é uma manifestação desta lei.

6. Os efeitos da Segunda Lei estão em todo lugar, tocando tudo

pelo universo

Nas transformações naturais, a energia se "degrada" de uma forma organizada para uma desordenada, isto é a energia térmica. Pela 2ª lei, a energia térmica circula de regiões mais quentes para as mais frias.

Célula x Energia

Célula x Energia
Célula x Energia
" A vida é o produto cumulativo de interações entre as muitas espécies de substâncias

"A vida é o produto

cumulativo de interações

entre as muitas espécies de substâncias químicas que

constituem as células de um

organismo". Neil A. Campbell

"Vida é chuva, é sol, uma fila, um olá Um retrato, um farol, que será, que será?

 

Vida é o filho que cresce, uma estrada, um caminho

É um pouco de tudo, é um beijo, um carinho

 

É um sino tocando, uma fêmea no cio

 

É alguém se chegando, é o que ninguém viu

 

É discurso, é promessa, é um mar, é um rio

Vida é revolução, é deixar como está

 
   

É

uma velha canção, Deus nos deu, Deus dará

Será??????

Vida é solidão, é a turma do bar

 
 

É

partir sem razão, é voltar por voltar

Vida é palco, é plateia, é cadeira vazia

 

É rotina, odisseia, é sair de uma fria

É um sonho tão bom, é a briga no altar

 

Vida é o grito de gol, é um banho de mar

É

inverno, é verão

Vida é mentira, é verdade E quem sabe a vida é da vida a razão"

Ricardo E Garai

1. ABIOGÊNESE (GERAÇÃO ESPONTÂNEA) (A- negação, BIO- vida, GÊNESE- origem) Defendida por Aristóteles (século IV

1. ABIOGÊNESE (GERAÇÃO ESPONTÂNEA)(A- negação, BIO- vida, GÊNESE- origem)

Defendida por Aristóteles (século IV a.C), Newton, Harwey, Descartes

Aristóleles considerava que a Vida era o resultado da ação de um princípio ativo sobre a matéria inanimada, a qual se tornava, então, animada.

Não haveria intervenção sobrenatural no surgimento

dos organismos vivos, apenas um fenômeno natural, a geração espontânea

Van Helmont (1577-1644) acreditava:

geração espontânea Van Helmont (1577-1644) acreditava: Cheiro dos pântanos Roupa suja Intestinos Carne putrefata

Cheiro dos pântanos

Roupa suja

Intestinos Carne putrefata

rãs ratos adultos, completamente formados vermes

moscas

Francesco Redi, no séc. XVII (1668), foi o primeiro a

defender a teoria da Biogênese.

“Qualquer forma de vida só podia provir de outra pré-existente.”

forma de vida só podia provir de outra pré - existente.” As larvas originavam d a

As larvas originavam

da carne putrefata

d a c a r n e p u t r e f a t a

Abiogênicos defendiam que no frasco selado, não continha a matéria bruta principal, o Ar. Diziam que apenas as larvas nasciam de seres pré existentes

mas

ainda havia dúvida????????????

Pasteur (1862), refutou definitivamente a teoria da abiogênese

Ele preparou infusões com carne e aqueceu

ALGUMAS DEIXADAS AO AR

infusões com carne e aqueceu ALGUMAS DEIXADAS AO AR O U T R A S V

OUTRAS VEDADAS

DEIXADAS AO AR O U T R A S V E D A D A S

“Concluiu que o ar contém partículas sólidas que originavam os microrganismos”

2. PANSPERMIA e CÓSMICA

Defendida por Arreheius, Liebig, Richter e Helmholtz

Sugerem que o aparecimento dos primeiros seres vivos na Terra

surgiram dos cosmozoários (esporos resistentes), que seriam microrganismos flutuantes no espaço cósmico

que seriam microrganismos flutuantes no espaço cósmico Na década de 80 (sec. XX), Crick (um dos

Na década de 80 (sec. XX), Crick (um

dos

DNA) e Orgel sugeriram uma teoria

de Panspermia dirigida, em que o agente inicial da Vida na Terra passaria a ser colônias de microrganismos, transportadas numa nave espacial não tripulada,

lançada por qualquer civilização muito avançada. A Vida na Terra teria surgido a partir da multiplicação desses organismos no

oceano primitivo.

descobridores da estrutura do

Em 2008, Nature Geoscience

publicou que os

impactos desses corpos sobre os mares primitivos, muito frequentes na época,

podem ter gerado

alguma das complexas moléculas orgânicas necessárias para a vida (Yoshihiro et al., 2008)

3. MODELO EVOLUTIVO DE OPARIN /COACERVADOS:

Surgiu em 1924, foi a1ª explicação racional, é hoje aceita como a de maior peso.

Defendeu que a vida na Terra surgiu há cerca de 3,5 bilhões

de anos, surgindo o primeiro ser vivo a partir da combinação

de elementos químicos presentes na Terra primitiva.

Oparin possuía conhecimentos em astronomia, geologia,

biologia e bioquímica e os empregou para a solução deste

problema.

aparecimento espontâneo de compostos orgânicos, que, mais tarde, se acumularam nos mares Vapor D'água, Metano
aparecimento espontâneo de compostos orgânicos, que, mais tarde, se acumularam nos mares Vapor D'água, Metano

aparecimento espontâneo de compostos orgânicos, que, mais tarde, se acumularam nos mares

Vapor D'água, Metano (CH 2 ), Gás Carbônico (CO 2 ), Hidrogênio (H 2 ), Outros Gases

Carbônico (CO 2 ), Hidrogênio (H 2 ), Outros Gases Gases (vapor de água + metano

Gases (vapor de água + metano + amônia + hidrogênio + raios ultravioleta e descargas elétricas --> aminoácidos + outros compostos orgânicos + chuva levados para os mares --> "sopa química" ou "caldo nutritivo" --> formação de coacervados (compostos orgânicos reunidos) -> formação de protegenes (genes; primitivos) reunidos por membranas lipoprotéicas --> células primitivas (heterotróficas aeróbias)

Experimento de Urey-Miller ou a Sopa Orgânica

Publicado em 1953 na Science : foi a primeira demonstração de como moléculas orgânicas poderiam ter surgido nas condições especiais da Terra primitiva.

ter surgido nas condições especiais da Terra primitiva. alanina, glutamato, ácido aspártico, ácido fórmico,
ter surgido nas condições especiais da Terra primitiva. alanina, glutamato, ácido aspártico, ácido fórmico,

alanina, glutamato, ácido aspártico, ácido fórmico, acético, propiônico, láctico e succínico

3. CRIACIONISMO (explicação teológica)

Acreditam na criação do mundo em “6 dias”. A teoria tem bases no livro de GÊNESES e tem Deus como criador de tudo

4. BIOGÊNESE

Os seres surgem de outros seres vivos Evolução

Como a vida surgiu?

A partir de uma estrutura simples capaz de se autoduplicar

Como iniciou a evolução das

espécies?

Duplicações com mutações

Para haver EVOLUÇÃO é preciso que haja HEREDITARIEDADE

Origem do universo

Elementos formadores das estrelas

Formação do sistema solar

Formação de Júpiter

Formação da Terra

BIG BANG

Formação de moléculas químicas

Hoje em dia

No século XXI, a maioria dos cientistas acredita que o candidato favorito para ser o recheio da massa escura do universo é o

neutrino, uma partícula subatômica sem carga elétrica que é a

mais abundante no cosmo.

O problema é que nenhuma equipe de astrofísicos conseguiu

determinar se o neutrino tem massa.

Dificilmente isso será feito nas próximas duas décadas.

James Trefil, físico da Universidade George Mason

e autor do livro Fronteiras do Desconhecido, faz as perguntas:

1. Existe temperatura mais fria que o zero absoluto?

2. Por que centenas de milhões de toneladas de carbono somem na atmosfera todos os anos?

3. Como os genes são controlados?

4. Como uma célula dá origem a um organismo complexo?

5. Como o DNA consegue se auto consertar?

6. Por que o DNA humano tem largas porções inúteis?

7. A mente pode existir separada do cérebro?

8. Quantas espécies de vida existem na Terra?

1° passo da biogênese

Síntese de

monômeros

1 ° passo da biogênese Síntese de monômeros

Biogênese

Iniciou

a 3,5 - 3,7 bilhões de anos

1.

Síntese dos monômeros

2.

Síntese dos polímeros (polipeptídios, Ac. Nucléicos, Açúcares)

Foi sugerido que macromoléculas de diversos tipos, se organizaram em pequenas unidades auto reprodutoras (RNA) e usaram as outras como “alimento”.

Formaram colóides hidrofílicos e hidrofóbicos

Biogênese

Coacervados = tipo especial de colóide orgânicos.

Possuem grande número de moléculas, rigidamente localizadas e isoladas do meio ambiente por uma película superficial de água. Desse modo, adquirem "individualidade“ e

possivelmente as formas mais

próximas do Protobionte (organismo primitivo)

modo, adquirem "individualidade“ e possivelmente as formas mais próximas do Protobionte (organismo primitivo)
modo, adquirem "individualidade“ e possivelmente as formas mais próximas do Protobionte (organismo primitivo)

Protobionte

Fox (1970) mostrou que

algumas proteínas aquecidas,

formam espontaneamente microesferas contendo uma dupla membrana na volta envolvendo hiperciclos.

.

proteínas aquecidas, formam espontaneamente microesferas contendo uma dupla membrana na volta envolvendo hiperciclos. .

Autocatálise

É um processo em que o catalizador é um dos produtos formados durante a reação química. Significa que a reação é cada vez mais rápida à medida que vai progredindo.

Teoria da organização molecular espontânea

Para Eigen, 1971 (Prêmio Nobel) a vida se originou do caos molecular

por autocatálise interação molecular

caos molecular por autocatálise – interação molecular Hiperciclo : é um sistema catalítico onde ocorrem

Hiperciclo: é um sistema catalítico onde ocorrem reações espontâneas formando

novas moléculas.

Ex.: A catálise de RNAs curtos formando polinucleotídeos para a síntese de aa de uma pequena proteína.

Vários hiperciclos podem estar interligados

para a síntese de aa de uma pequena proteína. Vários hiperciclos podem estar interligados Rotas metabólicas

Rotas metabólicas

Genes primitivos eram de DNA ou RNA?

Capacidade auto catalítica

RNA

eram de DNA ou RNA? • Capacidade auto catalítica RNA RNA • RNA: Não necessita de

RNA

RNA: Não necessita de enzimas, pode agir como enzima (Ribozima)

RNA pode se auto clivar, assim como se polimerizar rRNA

A síntese de DNA requer primers de RNA

O DNA não é usado na síntese de proteínas e sim o RNA

Transcriptase Reversa: RNA

requer primers de RNA • O DNA não é usado na síntese de proteínas e sim

DNA

Etapas da evolução celular

Etapa I

Síntese abiótica e acúmulo de pequenas moléculas orgânicas como aa, nucleosídeos, lipídeos, etc.

Etapa II

Moléculas da I etapa condensam formando polímeros

Etapa III Formação de coloides microesferas formação de compartimentos

(cel. primitiva)

Etapa IV Os elementos das etapas I-III desenvolvem a propriedade da replicação,

formando o 1º genoma, por meio da autocatálise de RNA (Ribozima).

Este processo evolutivo demorou pelo

menos 100 milhões de anos

Protobionte

Nome dado as células primitivas que possuíam como principais

características:

· Simples

· Unicelulares

· Anaeróbicos

· Hipertermófilos

· Quimio-autotrófico (reduzia H 2 , S, e fixavam CO 2 , acha-se em fontes

quentes)

·

Procariotes

Evolução na obtenção de energia

A obtenção de energia pelas células ocorreu na sequência:

FERMENTAÇÃO

QUIMIOSSÍNTESE

FOTOSSÍNTESE

RESPIRAÇÃO AERÓBICA

Evolução da

vida na terra

Evolução da vida na terra

Tipos de células

Podem ser:

Solitárias

Viver em comunidades

Forma geométrica definida

Formas indefinidas, com limites flexíveis

Sedentárias

Nadar, rastejar

Incolores

Coloridas (verde, vermelha, azul)

Procarióticas Eucarióticas (do grego “antes do núcleo) (do grego “com núcleo) Bactérias Dos protistas aos
Procarióticas
Eucarióticas
(do grego “antes do núcleo)
(do grego “com núcleo)
Bactérias
Dos protistas aos mamíferos,
fungos e plantas
Pouca organização interna,
material genético livre no citosol,
São organizadas por organelas
rodeadas pelo citosol.
O DNA está estocado no núcleo.
Pequenas com 1-2 µm
Medem de 5-100 µm, algumas
podem ser vistas a olho nu.

Procarióticas

Procarióticas
Staphylococcus aureus
Staphylococcus aureus
Streptococcus salivarius
Streptococcus salivarius
Bactérias da língua humana
Bactérias da língua humana

Evolução da célula

procariótica à célula

eucariótica

Evolução da célula procariótica à célula eucariótica célula procariótica nua estádios progressivos de

célula procariótica nua

à célula eucariótica célula procariótica nua estádios progressivos de hipertrofia da membrana
à célula eucariótica célula procariótica nua estádios progressivos de hipertrofia da membrana

estádios progressivos de hipertrofia da membrana plasmática e de configuração do núcleo

progressivos de hipertrofia da membrana plasmática e de configuração do núcleo retículo e núcleo constituídos

retículo e núcleo constituídos

Evolução da célula eucariótica

Evolução da célula eucariótica Teoria da endosimbiose micoplasmas (mitocôndria) e cianobactérias (Cloroplastos) )

Teoria da endosimbiose

Evolução da célula eucariótica Teoria da endosimbiose micoplasmas (mitocôndria) e cianobactérias (Cloroplastos) )

micoplasmas (mitocôndria) e cianobactérias (Cloroplastos))

TEORIA DA ENDOSSIMBIOSE

ORIGEM DAS MITOCÔNDRIAS E CLOROPLASTOS

DA ENDOSSIMBIOSE ORIGEM DAS MITOCÔNDRIAS E CLOROPLASTOS BACTÉRIAS CIANOBACTÉRIAS EUCARIOTO PRIMITIVO CÉLULAS

BACTÉRIAS

ORIGEM DAS MITOCÔNDRIAS E CLOROPLASTOS BACTÉRIAS CIANOBACTÉRIAS EUCARIOTO PRIMITIVO CÉLULAS ANIMAIS

CIANOBACTÉRIAS

EUCARIOTO

PRIMITIVO

ORIGEM DAS MITOCÔNDRIAS E CLOROPLASTOS BACTÉRIAS CIANOBACTÉRIAS EUCARIOTO PRIMITIVO CÉLULAS ANIMAIS CÉLULAS VEGETAIS
ORIGEM DAS MITOCÔNDRIAS E CLOROPLASTOS BACTÉRIAS CIANOBACTÉRIAS EUCARIOTO PRIMITIVO CÉLULAS ANIMAIS CÉLULAS VEGETAIS
ORIGEM DAS MITOCÔNDRIAS E CLOROPLASTOS BACTÉRIAS CIANOBACTÉRIAS EUCARIOTO PRIMITIVO CÉLULAS ANIMAIS CÉLULAS VEGETAIS

CÉLULAS

ANIMAIS

CÉLULAS

VEGETAIS

Célula Eucariótica

O SISTEMA DE ENDOMEMBRANAS possibilitou:

1.

Maior crescimento celular;

2.

Maior especialização, divisão de tarefas entre componentes celulares

e eficiência metabólica;

3.

Facilidade no contato e na aglomeração intermolecular;

4.

Maior proteção do material hereditário;

5.

Maior diversidade de rotas metabólicas.

Unicelulares

Unicelulares Entamoeba histolytica . G i a r d i a l a m b l

Entamoeba histolytica.

Unicelulares Entamoeba histolytica . G i a r d i a l a m b l

Giardia lamblia

Tripanozoma cruzzi
Tripanozoma cruzzi

Unicelular em Multicelular

A união de células para formarem colônias formaram os

primeiros seres multicelulares trazendo como vantagens:

1.

Longevidade;

2.

Proteção dos órgãos internos, especialmente os reprodutores; devido

a camadas de células mortas da superfície do organismo, foi possibilitada a exploração de novos ambientes mais agressivos;

3.

Expressão diferenciada dos genes com consequente economia energética

4.

Surgimento de novos padrões de comunicação entre as células

gerando esquemas novos de desenvolvimento embrionário;

Fungos

Fungos Neurospora fungo do pão
Fungos Neurospora fungo do pão

Neurospora fungo do pão

Penicillium sp Aspergillus flavus Saccharomyces cervisiae

Penicillium sp

Aspergillus flavus
Aspergillus flavus
Saccharomyces cervisiae
Saccharomyces cervisiae

Células vegetais

Apresentam:

1. Parede celular: que dá rigidez e forma

2. Vacúolos: podem ocupar 75% do volume

celular

Acumulam açúcares e outros compostos solúveis em água. Geralmente são coloridos.

3. Cloroplasto: faz a fotossíntese.

Não apresentam:

Centrossomos, embora sejam encontrados

em algumas algas.

cloroplastos

cloroplastos Parede celular
cloroplastos Parede celular

Parede celular

Células animais especializadas As células com o mesmo material genético não são idênticas.

Se diferenciam e formam grupos que exercem a mesma

função, formando os tecidos

1. Tecidos epitelial

2. Tecido conjuntivo: Propriamente dito Adiposo Sanguíneo Cartilaginoso

Ósseo

3. Tecido muscular

TECIDOS EPITELIAL

DE REVESTIMENTO

TECIDOS EPITELIAL DE REVESTIMENTO P E L E TECIDOS EPITELIAL GLANDULAR PÂNCREAS

PELE

TECIDOS EPITELIAL

GLANDULAR

TECIDOS EPITELIAL DE REVESTIMENTO P E L E TECIDOS EPITELIAL GLANDULAR PÂNCREAS

PÂNCREAS

TECIDOS CONJUNTIVOS

TECIDOS CONJUNTIVOS DENSO MODELADO SANGUÍNEO MUCOSO CARTILAGINOSO ADIPOSO Ó S S E O
TECIDOS CONJUNTIVOS DENSO MODELADO SANGUÍNEO MUCOSO CARTILAGINOSO ADIPOSO Ó S S E O
TECIDOS CONJUNTIVOS DENSO MODELADO SANGUÍNEO MUCOSO CARTILAGINOSO ADIPOSO Ó S S E O

DENSO MODELADO

TECIDOS CONJUNTIVOS DENSO MODELADO SANGUÍNEO MUCOSO CARTILAGINOSO ADIPOSO Ó S S E O

SANGUÍNEO

MUCOSO

TECIDOS CONJUNTIVOS DENSO MODELADO SANGUÍNEO MUCOSO CARTILAGINOSO ADIPOSO Ó S S E O

CARTILAGINOSO

ADIPOSO

TECIDOS CONJUNTIVOS DENSO MODELADO SANGUÍNEO MUCOSO CARTILAGINOSO ADIPOSO Ó S S E O

ÓSSEO

TECIDOS MUSCULARES

TECIDOS MUSCULARES ESTRIADO ESQUELÉTICO ESTRIADO CARDÍACO LISO

ESTRIADO ESQUELÉTICO

TECIDOS MUSCULARES ESTRIADO ESQUELÉTICO ESTRIADO CARDÍACO LISO

ESTRIADO CARDÍACO

TECIDOS MUSCULARES ESTRIADO ESQUELÉTICO ESTRIADO CARDÍACO LISO

LISO

TECIDO NERVOSO

TECIDO NERVOSO C E R E B E L O MICRÓGLIA

CEREBELO

TECIDO NERVOSO C E R E B E L O MICRÓGLIA

MICRÓGLIA

TIPOS CÉLULARES

REVESTIMENTO E GLANDULARES

FIBROBLASTOS, CÉLULAS DE

DEFESA, ADIPÓCITOS,

CONDRÓCITOS, OSTEÓCITOS

ESTRIADA ESQUELÉTICA,

ESTRIADA CARDÍACA, LISA

NEURÔNIOS, CÉLULAS DA

NEURÓGLIA E SCHWANN

MATRIZ

POUCA

ABUNDANTE

MODERADA

‘AUSENTE’

FUNÇÃO

REVESTIMENTO

E SECREÇÃO

APOIO E PROTEÇÃO

MOVIMENTOS

RECEPÇÃO E

TRANSMISSÃO DE

ESTÍMULOS

NERVOSOS

Vírus

Tem as mesmas moléculas que os seres vivos

Não sobrevivem de forma independente

Tem um centro de material genético envolvido por uma capa proteica (capsídeo)

Podem ter membrana extra denominada envoltório

Parasitas celulares obrigatórios: quando entram no hospedeiro, o material genético viral dirige a maquinaria da célula para produzir a proteína viral e

o material genético viral

Virus RNA: hepatites A e C, o HIV, Rhabdovirus (raiva), Picornavirus (poliomielite), Rhinovirus (constipações/resfriados) e Orthomyxoviruses (gripes).

Os vírus de RNA dispõem de enzimas próprias para serem processados, como por exemplo enzimas de replicação (RNA replicases e transcriptases reversas).

Vírus HIV
Vírus HIV
como por exemplo enzimas de replicação (RNA replicases e transcriptases reversas). Vírus HIV Vírus influenza

Vírus influenza

Vírus DNA: HPV (Human Papilloma Virus), o vírus da varíola, o

vírus da varicela (Varicella-zoster), Herpes simplex e o vírus

causador da hepatite B.

Usam a maquinaria celular para transcrição de seus genes, sua replicação e reparo de seu DNA. Isso permite a alguns vírus ter um genoma grande como os herpes vírus, que

evoluíram de forma a produzir alguns genes próprios (como

para síntese de nucleotídeos e polimerases próprias), ficando mais independentes do metabolismo celular.

síntese de nucleotídeos e polimerases próprias), ficando mais independentes do metabolismo celular. Vírus HPV humano

Vírus HPV humano

Bacteriófagos (vírus bacterianos) são usados para

transferência gênica entre linhagens bacterianas

Bacteriófagos (vírus bacterianos) são usados para transferência gênica entre linhagens bacterianas
Bacteriófagos (vírus bacterianos) são usados para transferência gênica entre linhagens bacterianas

Viroides (agentes subvirais) são os menores sistemas

genéticos capazes de se replicar no interior de uma célula e encontram-se confinados ao Reino Vegetal.

São fragmentos de RNA que causam doenças apenas

em plantas.

Não codificam proteínas, não possuem capa proteica

(envoltório de proteína que envolve e protege o DNA

viral)

Dependem da maquinaria transcricional da célula do

hospedeiro para cumprir as diferentes etapas do seu ciclo infeccioso que inclui: replicação, movimento (intra- e inter-celular) e patogênese

PRÍONS:

São proteínas com capacidade de modificar outras proteínas. Causam doenças no homem e em outros animais. Ex.: vaca louca.

doenças no homem e em outros animais. Ex.: vaca louca. • São conhecidos 13 tipos de

São conhecidos 13 tipos de príons, das quais 3 atacam fungos e 10 afetam

mamíferos; dentre estes, 7

têm por alvo os humanos.

Está no cromossomo 21 humano e faz parte do equilíbrio celular neuronal

referente à velhice.

Se replica em porções do sistema imunológico (tonsilas, apêndice, placas Peyer), fígado, músculo

Atacam o SNC.

A proteína defeituosa

mata o neurônio e na necropsia observa-se o encéfalo como um tecido esponjoso, chamada de

encefalopatia

espongiforme.

mata o neurônio e na necropsia observa-se o encéfalo como um tecido esponjoso, chamada de encefalopatia

Organização Celular

1. ACELULARES: vírus, viróides e príons

2. CELULARES

Atenção
Atenção

2.1. PROCARIONTES: bactérias/arquibactérias

2.2. EUCARIONTES

2.2.1. UNICELULARES: protistas

2.2.2. PLURICELULARES

2.2.2.1. SEM TECIDOS: fungos

2.2.2.2. COM TECIDOS

2.2.2.2.1. ACLOROFILADOS: animais

Classificação dos seres vivos, de acordo com Woese (1977) (Adaptado de Pommerville, J.C.(2004) Alcamo's Fundamentals of Microbiology)

seres vivos, de acordo com Woese (1977) (Adaptado de Pommerville, J.C.(2004) Alcamo's Fundamentals of Microbiology)