Sei sulla pagina 1di 85
Sistema de comunicação, execução e controlo da interruptibilidade (SCECI) Protocolo de comunicações entre os

Sistema de comunicação, execução e controlo da interruptibilidade (SCECI)

Protocolo de comunicações entre os sistemas de gestão do operador do sistema e equipamentos de controlo de consumidores interruptíveis e empresas distribuidoras (PCC-SCECI)

Revisão 1.1 30 de Junho de 2011

Direcção Gestão do Sistema ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO 4 1.1 F INALIDADE 4 1.2 D EFINIÇÕES

Direcção Gestão do Sistema

ÍNDICE

1 INTRODUÇÃO

4

1.1 FINALIDADE

4

1.2 DEFINIÇÕES, SIGLAS E ABREVIATURAS

5

1.3 REFERÊNCIAS

6

2 ARQUITECTURA GERAL

7

3 ESTRUTURA DO PROTOCOLO

8

4 INFORMAÇÃO DE CONTROLO DO PROTOCOLO DE APLICAÇÃO

9

4.1 PROTECÇÃO CONTRA A PERDA E DUPLICAÇÃO DE

9

4.2 PROCEDIMENTOS DE TESTE

9

4.3 CONTROLO DE TRANSMISSÃO COM START /

9

4.4 NÚMERO DE PORTA

10

4.5 NÚMERO MÁXIMO DE APDU DE FORMATO I PENDENTES (K)

11

5 FUNÇÕES DE APLICAÇÃO

12

5.1 ESTRUTURA DAS ASDU

12

5.2 DEFINIÇÃO E CODIFICAÇÃO DOS ELEMENTOS DE INFORMAÇÃO

13

5.2.1 Identificadores de tipo e nomes de ASDU

13

5.2.2 Causa de transmissão

15

5.2.3 Objectos de informação

16

5.2.3.1 Formatos básicos

16

5.2.3.2 Formato

QDS: descritor de qualidade

16

5.2.3.3 Formato LVA: potências e energias

16

5.2.3.4 Formato LQV: potências com informação de qualidade

16

5.2.3.5 Formato CUP: Código universal de ponto de fornecimento

17

5.2.3.6 Formato CP56Time2a: marca de tempo / instante

18

5.2.3.7 Formato

FD40: assinatura digital

18

5.2.3.8 Campo Estado

19

5.2.3.9 Campo

CUPF

19

5.2.3.10 Campo identificador de comando de redução de potência

19

5.2.3.11 Campo Tipo de comando de redução de potência

20

5.2.3.12 Campos Pmaxi e PAi

20

5.2.3.13 Campo Pfi (potência de consumo), Pf2, Pf3, Pf4, Pf5, Pf6 e Pf7

20

5.2.3.14 Campo número de períodos de redução

20

5.2.3.15 Campo identificador de potência residual período X

21

5.2.3.16 Campos Instante inicial e Instante final

21

5.2.3.17 Campos Instante inicial P50 e Instante final P50

21

5.2.3.18 Campos Instante inicial período X e Instante final período X

21

5.3

DEFINIÇÃO E APRESENTAÇÃO DAS ASDU ESPECÍFICAS

21

5.3.1 Tipo 103: Sincronização de relógio (C_CS_NA_1)

22

5.3.2 Tipo 147: Programa de consumo (M_PC_AA)

23

5.3.3 Tipo 148: Certificado digital (M_CD_AA)

24

5.3.4 Tipo 149: Dados de tempo real (M_TR_AA)

25

5.3.5 Tipo 150: Lista de interrupções activas (M_LI_AA)

26

5.3.6 Tipo 151: Programa de paragem / manutenção (M_PM_AA)

27

5.3.7 Tipo 152: Dados gerais de EMCC - serviço de interruptibilidade a pedido (M_DG_AK) 28

5.3.8 Tipo 153: Estado do comando de redução de potência (M_EI_AK)

30

5.3.9 Tipo 154: Ficheiro de comando de redução de potência (M_AI_AK)

32

5.3.10 Tipo 155: Dados de tempo real. Potência activa de geração (M_TR_GN)

34

5.3.11 Tipo 163: Pré-aviso de comando de redução de potência ambiental (C_PR_IM)

35

5.3.12 Tipo 167: Validação de pré-aviso (C_VA_PR)

36

5.3.13 Tipo 168: Pré-aviso de anulação de comando de redução de potência ambiental

(C_PR_AM)

37

5.3.14 Tipo 169: Pré-aviso de comando de redução de potência (C_PR_IK)

38

5.3.15 Tipo 170: Pré-aviso de anulação de comando de redução de potência (C_PR_AK)

40

5.3.16 Tipo 171: Pré-aviso de alteração do comando de redução de potência (C_PR_CK)

42

Direcção Gestão do Sistema 5.3.17 Tipo 176: Pedido de dados gerais (C_DG_AA) 44 5.3.18 Tipo

Direcção Gestão do Sistema

5.3.17 Tipo 176: Pedido de dados gerais (C_DG_AA)

44

5.3.18 Tipo 177: Pedido de estado de interrupção (C_EI_AA)

45

5.3.19 Tipo 178: Pedido de ficheiro de interrupção (C_AI_AA)

46

5.3.20 Tipo 180: Pedido de programa de consumo ou de paragem /manutenção (C_PC_AA)

47

5.3.21 Tipo 181: Pedido de certificado digital (C_CD_AA)

48

5.3.22 Tipo 182: Pedido de dados de tempo real (C_TR_AA)

49

5.3.23 Tipo 183: Pedido de lista de comandos de redução de potência activos (C_LI_AA)

50

5.3.24 Tipo 187: Pedido de dados de tempo real de geração (C_TR_GN)

51

5.4

PROCEDIMENTOS DE TROCA DE INFORMAÇÕES

52

5.4.1 Inicialização de estação

52

5.4.2 Sincronização de relógio

58

5.4.3 Pré-avisos de comando de redução de potência (incluindo a ambiental)

59

5.4.4 Pedido de dados gerais

63

5.4.5 Pedido de estado de comando de redução de potência

63

5.4.6 Recuperação de ficheiro de comando de redução de potência

64

5.4.7 Envio de informação para os SGEF

66

5.4.8 Recuperação de programa de consumo ou de paragem / manutenção

67

5.4.9 Pedido de dados em tempo real

70

5.4.10 Procedimentos de troca com os SGEF

70

6 INTEGRIDADE E AUTENTICAÇÃO DE DADOS

73

6.1 CONSIDERAÇÕES GERAIS

73

6.2 PROCEDIMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO E AUTENTICAÇÃO

74

7 SUPERVISÃO DO ESTADO DAS COMUNICAÇÕES

75

8 FUNCIONAMENTO EM MODO DE TESTE

76

9 FUNCIONAMENTO DURANTE A VERIFICAÇÃO

77

10 PARÂMETROS DO PROTOCOLO

79

11 IMPORTAÇÃO MANUAL DE FICHEIRO DE INTERRUPÇÃO

81

11.1 DESCRIÇÃO DA FUNCIONALIDADE

81

11.2 ESTRUTURA DO FICHEIRO DE INTERRUPÇÃO

81

11.2.1 Considerações gerais

81

11.2.2 Estrutura do ficheiro

82

Histórico de alterações Direcção Gestão do Sistema Revisão 1.0 - 27.05.2011 Versão traduzida do protocolo

Histórico de alterações

Direcção Gestão do Sistema

Revisão 1.0 - 27.05.2011

Versão traduzida do protocolo 6.2.4 da REE.

Referencias à legislação Portuguesa.

Código do Ponto de Entrega usada em Portugal.

Revisão 1.1 - 30.06.2011

Retirar os tipos relacionados com as comunicações entre os fornecedores e os equipamentos locais.

1 1.1 INTRODUÇÃO Finalidade Direcção Gestão do Sistema Estas especificações descrevem o protocolo de comunicação

1

1.1

INTRODUÇÃO

Finalidade

Direcção Gestão do Sistema

Estas especificações descrevem o protocolo de comunicação entre os equipamentos de medição

e controlo de consumidores (EMCC) e os sistemas de gestão do serviço de interruptibilidade

(SGCI) que fazem parte do sistema de comunicação, execução e controlo da interruptibilidade (SCECI) descrito na portaria nº 592/2010 de 29 de Julho de 2010, Ref. [1].

A arquitectura do sistema de gestão da Interruptibilidade foi aprovada pela Entidade Reguladora

dos Serviços Energéticos (ERSE) pelo despacho nº 18/2010 de 10 de Dezembro de 2010, Ref. [2].

O presente protocolo foi desenvolvido pela Rede Eléctrica de España (REE), sendo a versão 1.0

deste protocolo a tradução da versão 6.2.4 de 29 de Julho de 2009, fazendo-se as adaptações necessárias às referências da legislação Portuguesa.

1.2 Definições, siglas e abreviaturas Direcção Gestão do Sistema No presente documento serão utilizadas as

1.2 Definições, siglas e abreviaturas

Direcção Gestão do Sistema

No presente documento serão utilizadas as seguintes definições, siglas e abreviaturas:

APCI:

Application Protocol Control Information (informação de controlo do protocolo de aplicação)

APDU:

Application Protocol Data Unit (unidade de dados do protocolo de aplicação)

ASDU:

Application Service Data Unit (unidade de dados do serviço de aplicação)

CDT:

Causa de transmissão

 

CPE:

Código do ponto de entrega

CUPF:

Código universal de ponto de fornecimento

 

EMCC:

Equipamento

de

medição,

controlo

e

comunicações

de

um

consumidor

interruptível.

ET:

Equipamento terminal; equivale a um EMCC ou SGEF.

 

interrupção

Uma interrupção é considerada activa se tiver sido alvo de pré-aviso com êxito,

activa:

se o seu período de execução não tiver terminado e se não tiver sido anulada.

interrupção

Uma interrupção é considerada em execução desde o momento inicial

em

programado até ao momento final programado ou até à sua anulação, se esta

execução:

for anterior ao momento final programado.

octeto:

Palavra binária de 8 bits.

 

SCECI:

Sistema de comunicação, execução e controlo da interruptibilidade.

 

SGEF:

Sistema de gestão de uma empresa fornecedora.

 

SGCI:

Sistema de gestão do serviço de interruptibilidade, localizado nos centros de controlo da REN.

1.3 Referências Direcção Gestão do Sistema [1] Portaria nº 592/2010 de 29 de Julho de

1.3

Referências

Direcção Gestão do Sistema

[1]

Portaria nº 592/2010 de 29 de Julho de 2010 que estabelece o regime de interruptibilida- de a aplicar aos consumidores abastecidos pelo mercado livre.

[2]

Despacho nº 18/2010 da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos de 10 de Dezembro de 2010 em que se aprova o procedimento do sistema de comunicação, execução e controlo de serviço de interruptibilidade.

[3]

NIST FIPS PUB 186, Digital Signature Standard, National Institute of Standard and Technology, US Department of Commerce, 19 de Maio de 1994.

[4]

RFC 2200, Internet Official Protocol Standards, Junho 1997.

[5]

RFC 1349, Type of Service in the Internet Protocol Suite, Julho 1992.

[6]

ITU-T Recommendation X.509 | ISO/IEC 9594-8, "Information technology - Open Systems Interconnection - The Directory: Public Key and Attribute Certificate Frameworks", 2000.

[7]

IEC 60870-5-104 (2000-12): Equipamento de sistemas de telecontrolo. Parte 5104:

Protocolos de transmissão - Acesso de rede para IEC 60870-5-101 usando perfis de transporte normalizados.

[8]

IEC 60870-5-5 (1995-06): Equipamento de sistemas de telecontrolo. Parte 5:

Protocolos de transmissão - Secção 5: Funções de aplicação de base.

[9]

IEC 60870-5-101 (2003-02): Equipamento de sistemas de telecontrolo. Parte 5101:

Protocolos de transmissão. Norma de acompanhamento para operações básicas de telecontrolo.

[10]

Despacho nº 15816/2009 da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos de 30 de Julho de 2009 em que se aprova a metodologia de codificação dos pontos de entrega de energia eléctrica.

[11] IEC 60870-5-4 (1993-08): Equipamento de sistemas de telecontrolo. Parte 5:

Protocolos de transmissão - Secção 4: Definição e codificação dos elementos de informação de aplicação.

Direcção Gestão do Sistema 2 ARQUITECTURA GERAL O SCECI está incluído nos sistemas de gestão

Direcção Gestão do Sistema

2

ARQUITECTURA GERAL

O

SCECI está incluído nos sistemas de gestão de REN (SGCI): o sistema de gestão principal e

o sistema de backup, situados em dois locais diferentes e ligados aos equipamentos terminais (ET) através de uma rede privada virtual única de comunicações IP (IP-VPN).

A rede de comunicações disporá de largura de banda garantida e integrará segurança inerente

sem necessidade de túneis nem de codificação. A topologia da rede será em estrela, com os SGCI no centro e os ET nas extremidades. Apenas um dos SGCI (SGCI principal ou SGCI de backup) estará activo em cada momento.

O acesso dos ET à rede de comunicações será efectuado através de um router com uma linha

permanente (Ethernet, ADSL, …) como ligação principal e uma linha do tipo dial-up (RDIS,

UMTS, …) de backup. A largura de banda mínima destes acessos será de 256 kbps / 128 kbps (para / a partir da rede) para a linha permanente e 64 kbps para a linha dial-up.

O acesso do SGCI principal e de backup à rede de comunicações realiza-se através de route-

res, com circuitos Ethernet de velocidade mínima de 10Mbps.

A ligação entre os SGCI e os ET aos routers é efectuada através de uma interface Ethernet

10/100 (IEEE 802.3).

Todos os acessos à rede IP-VPN e todas as portas disporão de endereçamento IP fixo.

Tanto os SGCI como os ET terão ligação permanente à IP-VPN.

SGCI - Principal SGCI de backup eth eth Router Router IP-VPN (MPLS) Router Router Router
SGCI - Principal
SGCI de backup
eth
eth
Router
Router
IP-VPN
(MPLS)
Router
Router
Router
eth
eth
eth
ET 1
ET n
ET m
Direcção Gestão do Sistema 3 ESTRUTURA DO PROTOCOLO A estrutura do protocolo estará de acordo

Direcção Gestão do Sistema

3 ESTRUTURA DO PROTOCOLO

A estrutura do protocolo estará de acordo com o definido na norma 60870-5-104 (ref. [7]), item 4. Por uma questão de conveniência, é em seguida reproduzida a parte mais significativa do respectivo conteúdo, com as suas especificações.

A figura apresentada em seguida mostra a estrutura do protocolo:

Selecção de funções da aplicação da IEC

Inicialização

Processo do utilizador

60870-5-5

ASDU próprias do protocolo de interruptibilidade

 

APCI (informação de controlo do protocolo de aplicação)

Aplicação (nível 7)

Interface de transporte (interface entre o utilizador e o TCP)

 

Transporte (nível 4)

Rede (nível 3)

Selecção da pilha de protocolos TCP/IP (RFC 2200)

Link (nível 2)

Físico (nível 1)

NOTA: as capas 5 e 6 não são utilizadas

Da pilha de protocolos TCP/IP (ver RFC 2200, ref. [4]), serão incluídos pelo menos os seguin- tes:

Interface de transporte (interface entre o utilizador e o TCP)

RFC 793 (TCP, protocolo de controlo do transporte)

Transporte (nível 4)

RFC 791 (IP, protocolo de Internet)

Rede (nível 3)

RFC 894 (transmissão de datagramas IP sobre redes Ethernet

Link (nível 2)

IEEE 802.3

Físico (nível 1)

Ethernet

Utilizar-se-ão adicionalmente as sinalizações de tipo de serviço pretendido previstas na RFC 1349 (ref. [5]). Os níveis superiores poderão solicitar dinamicamente a utilização de tramas IP com prioridade elevada (precedence = 001) ou reduzida (precedence = 000). Adicionalmente, todas as mensagens utilizarão o campo TOS = 0100 (maximize throughput).

APCI

APDU

C octetos

ASDU

APCI APDU C octetos ASDU Direcção Gestão do Sistema 4 INFORMAÇÃO DE CONTROLO DO PROTOCOLO DE

Direcção Gestão do Sistema

4 INFORMAÇÃO DE CONTROLO DO PROTOCOLO DE APLICAÇÃO

As unidades de dados do protocolo de aplicação (APDU) cumprirão o definido na norma

60870-5-104 (ref. [7]), item 5, cujo conteúdo se resume em seguida, por uma questão de clare-

za:

O comprimento máximo de uma APDU será de 253 octetos.se resume em seguida, por uma questão de clare- za: Considerando que o campo ‘Comprimento da

Considerando que o campo ‘Comprimento da APDU’ contém efectivamente o número de octetos da APDU menos o octeto de início e o octeto do próprio campo de octetos da APDU menos o octeto de início e o octeto do próprio campo de comprimento, o comprimento máximo da uma ASDU será de 253 6= 247 octetos.

O

formato das APDU é o seguinte:

APDU com dados de utilizador

START 68H

Comprimento da APDU (C)

Campo de controlo, octeto 1

Campo de controlo, octeto 2

Campo de controlo, octeto 3

Campo de controlo, octeto 4

Dados do utilizador (ASDU, definida neste protocolo)

APDU

sem

dados

de

utilizador

START 68H

   

C = 4

Campo de controlo, octeto

1

Campo de controlo, octeto

APCI

2

Campo de controlo, octeto

 

3

Campo de controlo, octeto

4

O

60870-5-104 (ref. [7]), item 5.

conteúdo e a função dos quatro octetos do campo de controlo cumprem o definido na norma

4.1 Protecção contra a perda e duplicação de mensagens.

Cumprir-se-á o definido na norma 60870-5-104 (ref. [7]), item 5.1, com as especificações des- critas no item 4.5 do presente documento.

4.2 Procedimentos de teste

Não se utilizarão os procedimentos de teste descritos no item 5.2 da norma 60870-5-104 (ref. [7]). Considera-se que este aspecto está suficientemente coberto com o mecanismo descrito no item 7.

4.3 Controlo de transmissão com Start / Stop.

Cumprir-se-á o definido na norma 60870-5-104 (ref. [7]), item 5.3.

A função de estação de controlo será sempre desempenhada pelos SGCI. Os ET serão sem-

pre estações controladas.

Direcção Gestão do Sistema 4.4 Número de porta Cumprir-se-á o definido na norma 60870-5-104 (ref.

Direcção Gestão do Sistema

4.4 Número de porta

Cumprir-se-á o definido na norma 60870-5-104 (ref. [7]), item 5.4. Por conseguinte, o número de porta a utilizar neste protocolo será o 2404.

Direcção Gestão do Sistema 4.5 Número máximo de APDU de formato I pendentes (k) Os

Direcção Gestão do Sistema

4.5 Número máximo de APDU de formato I pendentes (k)

Os números k e w definidos na norma 60870-5-104 (ref. [7]), item 5.5, assumirão os seguintes valores:

k = 1

w = 1

Por conseguinte, o transmissor esperará sempre o reconhecimento de uma APDU de formato I antes de enviar uma nova APDU, e o receptor reconhecerá sempre uma APDU de formato I antes de enviar qualquer outra mensagem.

Direcção Gestão do Sistema 5 FUNÇÕES DE APLICAÇÃO As funções de aplicação são implementadas através

Direcção Gestão do Sistema

5 FUNÇÕES DE APLICAÇÃO

As funções de aplicação são implementadas através do intercâmbio de unidades de dados do serviço de aplicação (ASDU). Serão utilizadas ASDU definidas na norma 60870-5-104 (ref. [7]), itens 6 e 8, bem como ASDU novas pertencentes ao intervalo privado.

5.1 Estrutura das ASDU

A estrutura das ASDU cumprirá o especificado na norma IEC 60870-5-101 (ref. [9]), item 7, conforme se resume e especifica em seguida:

Uma ASDU é composta por um identificador de unidade de dados e um único objecto

Uma ASDU é composta por um identificador de unidade de dados e um único objecto de informação.

O identificador de unidade de dados de uma ASDU é composto por um identificador de

O

identificador de unidade de dados de uma ASDU é composto por um identificador de tipo

(1 octeto), um qualificador de estrutura variável (1 octeto), uma causa de transmissão (1

octeto) e um endereço comum da ASDU (2 octetos).

O endereço comum da ASDU (entre 1 e 65534) identifica o ET (EMCC ou SGEF)

O

endereço comum da ASDU (entre 1 e 65534) identifica o ET (EMCC ou SGEF) com o

qual é trocado o objecto de informação. Todos os ET terão um endereço comum da ASDU,

que será único em todo o sistema. Este será composto por 2 octetos (DC1 e DC2), de modo que:

 

Endereço comum da ASDU = DC1 + 256 * DC2

O objecto de informação é composto por um endereço de objecto de informação (um único

O

objecto de informação é composto por um endereço de objecto de informação (um único

objecto, sempre com o valor de 0) e dados de informação.

Considerando os pontos anteriores, o formato das ASDU é o seguinte:

ASDU

 

Identificador de tipo

Qualificador de estrutura variável = 1

Identificador

de

unidade

de

 

dados

Causa de transmissão (CDT)

Endereço comum da ASDU, octeto 1 (DC1)

Endereço comum da ASDU, octeto 2 (DC2)

 

Endereço do objecto de informação = 0

   

Dado 1

Objecto de informação

 

Dado n

Direcção Gestão do Sistema 5.2 Definição e codificação dos elementos de informação 5.2.1 Identificadores de

Direcção Gestão do Sistema

5.2 Definição e codificação dos elementos de informação

5.2.1 Identificadores de tipo e nomes de ASDU

O identificador de tipo determina a função de aplicação associada a cada ASDU, bem como a sua estrutura e conteúdo.

Para maior clareza, e em consonância com a nomenclatura adoptada na IEC 60870-5-5 (referência [8], item 6), no presente documento utiliza-se também uma etiqueta associada a cada identificador de tipo, estruturada em níveis:

Nível 1:

 

Tipo de informação

Etiqueta

Informação monitorizada

M

Informação de controlo

C

Nível 2:

 

Tipo de informação

Etiqueta

Informação monitorizada

M

Dados gerais

M_DG

Estado de interrupção

M_EI

Ficheiro de interrupção

M_AI

Programa de consumo

M_PC

Certificado digital

M_CD

Dados de tempo real

M_TR

Lista de interrupções

M_LI

Programa de paragem / manutenção

M_PM

Informação de controlo

C

Comando de sincronização de relógio

C_CS

Comando de pré-aviso

C_PR

Comando de validação

C_VA

Pedido de dados gerais

C_DG

Pedido de estado de interrupção

C_EI

Pedido de ficheiro de interrupção

C_AI

Pedido de programa de consumo ou de paragem / manutenção

C_PC

Pedido de certificado digital

C_CD

Pedido de dados de tempo real

C_TR

Pedido de lista de interrupções

C_LI

Nível 3: utilizam-se duas letras descritivas; no caso de tipos existentes nas normas 101/104, utilizar-se-ão as combinações previstas (NA, NB, TA, TB).

Nível 4: no caso de tipos existentes nas normas 101/104, utiliza-se adicionalmente o número 1.

Direcção Gestão do Sistema O identificador de tipo é um octeto que poderá adoptar os

Direcção Gestão do Sistema

O identificador de tipo é um octeto que poderá adoptar os seguintes valores, de acordo com o

item 7.2.1.1 da norma IEC 60870-5-101 (referência [9]):

1 a 127: ASDU definidas nas normas IEC 60870-5-104 e IEC 60870-5-101

128 a 135: reservado para o encaminhamento de mensagens

136 a 255: intervalo privado, utilizado no presente protocolo para as ASDU não contempladas nas normas IEC 60870-5-104 e IEC 60870-5-101.

O identificador de tipo das ASDU do intervalo privado terá a seguinte estrutura:

bit 8

bit 7

bit 6

bit 5

bit 4

bit 3

bit 2

bit 1

Subtipo (4 bits)

 

Operação (4 bits)

 

Os subtipos utilizados são os seguintes:

1001: informação monitorizada.(4 bits)   Os subtipos utilizados são os seguintes: 1010: informação de controlo: comandos 1011: informação

1010: informação de controlo: comandossão os seguintes: 1001: informação monitorizada. 1011: informação de controlo: pedidos A tabela seguinte

1011: informação de controlo: pedidosmonitorizada. 1010: informação de controlo: comandos A tabela seguinte mostra os identificadores de tipo,

A tabela seguinte mostra os identificadores de tipo, descrição e etiqueta das ASDU utilizados

e/ou definidos no protocolo, bem como a prioridade pretendida das tramas IP sobre as que devem ser transmitidas.

Tipo

Descrição

Mnemónica

Prioridad

e

103

Sincronização de relógio

C_SC_NA_1

alta

147

Programa de consumo

M_PC_AA

baixa

148

Certificado digital

M_CD_AA

baixa

149

Dados de tempo real (consumo)

M_TR_AA

Baixa

150

Lista de comandos de redução de potência activos

M_LI_AA

Baixa

151

Programa de paragem / manutenção

M_PM_AA

Baixa

152

Dados gerais de EMCC - serviço de interruptibilidade a pedido

M_DG_AK

Baixa

153

Estado do comando de redução de potência

M_EI_AK

Baixa

154

Ficheiro do comando de redução de potência

M_AI_AK

Baixa

155

Dados de tempo real (geração)

M_TR_GN

Baixa

156

Usado pela REE devido ao SGEF

   

157

Usado pela REE devido ao SGEF

   

158

Usado pela REE devido ao SGEF

   

159

Reservado para futuras informações monitorizadas

   

163

Pré-aviso de comando de redução de potência ambiental

C_PR_IM

alta

167

Validação de pré-aviso

C_VA_PR

alta

168

Pré-aviso de anulação de comando de redução de potência ambiental

C_PR_AM

alta

169

Pré-aviso de comando de redução de potência

C_PR_IK

alta

170

Pré-aviso de anulação de comando de redução de potência

C_PR_AK

alta

Direcção Gestão do Sistema 171 Pré-aviso de alteração de comando de redução de potência  

Direcção Gestão do Sistema

171

Pré-aviso de alteração de comando de redução de potência

 

C_PR_CK

alta

172 175

Reservado para comandos futuros

     

176

Pedido de dados gerais

 

C_DG_AA

baixa

177

Pedido de estado de interrupção

 

C_EI_AA

baixa

178

Pedido de ficheiro de interrupção

 

C_AI_AA

baixa

179

Usado pela REE devido ao SGEF

     

180

Pedido

de

programa

de

consumo

ou

de

paragem

/

C_PC_AA

baixa

manutenção

 

181

Pedido de certificado digital

 

C_CD_AA

baixa

182

Pedido de dados de tempo real

 

C_TR_AA

baixa

183

Pedido de lista de interrupções activas

 

C_LI_AA

baixa

184

Usado pela REE devido ao SGEF

     

185

Usado pela REE devido ao SGEF

     

186

Usado pela REE devido ao SGEF

     

187

Pedido de dados de tempo real de geração

 

C_TR_GN

baixa

188 191

Reservado para futuros pedidos

     

5.2.2 Causa de transmissão

Utilizada tal como definido na norma 60870-5-101 (referência [9]), item 7.2.3. Não se utiliza o campo de endereço do originador, pelo que a estrutura deste octeto é a seguinte:

T

P/N

Causa (6 bits)

bit T: 0 = modo normal, 1 modo de teste

bit P/N: 0 = confirmação positiva, 1 = confirmação negativa

As causas possíveis a utilizar são as seguintes:

Causa

Significado da causa de transmissão

5

Pedido ou solicitada

6

Activação

7

Confirmação da activação

8

Desactivação

9

Confirmação da desactivação

10

Conclusão da activação

44

Identificador de tipo desconhecido

45

Causa de transmissão desconhecida

46

Endereço comum da ASDU desconhecida

47

Endereço de objecto de informação desconhecido

48

Mudança de horário

Direcção Gestão do Sistema 49 Código CUPF não reconhecido 50 Assinatura não reconhecida 51 Comando

Direcção Gestão do Sistema

49

Código CUPF não reconhecido

50

Assinatura não reconhecida

51

Comando de redução de potência, activo

52

Hora de pré-aviso errónea

53

Não existe comando de redução de potência

54

Dados de comando de redução de potência diferentes

55

Comando de redução de potência em execução

56

Não existe pré-aviso

57

Tipo de comando de redução de potência não contratado

58

Pmaxi ou PAi não contratada

59

Identificador de potência residual não contratado

5.2.3 Objectos de informação

Este item descreve os formatos que podem adoptar os dados contidos nos objectos de informação, bem como as definições dos dados comuns.

5.2.3.1 Formatos básicos

Serão utilizados os seguintes formatos básicos definidos na norma IEC 60870-5-4 (referência [11]), itens 5 e 6:

UI8: octeto <0 255>na norma IEC 60870-5-4 (referência [11]), itens 5 e 6: UI16: palavra de 16 bits <0

UI16: palavra de 16 bits <0 65535>(referência [11]), itens 5 e 6: UI8: octeto <0 255> UI32: palavra de 32 bits <0

UI32: palavra de 32 bits <0<0 255> UI16: palavra de 16 bits <0 65535> 5.2.3.2 Formato QDS: descritor de qualidade Utilizar-se-á

5.2.3.2 Formato QDS: descritor de qualidade

Utilizar-se-á o formato QDS (descritor de qualidade) definido na norma IEC 60870-5-101 (refe- rência [9]), item 7.2.6.3:

2

32 1>

Formato QDS

bit 8

bit 7

Bit 6

bit 5

bit 4

bit 3

bit 2

bit 1

IV

NT

SB

BL

0

0

0

OV

Na presente revisão do protocolo, está prevista apenas a utilização do bit IV (inválido).

5.2.3.3 Formato LVA: potências e energias

Para o envio das potências e energias (consumos), utilizar-se-á o seguinte formato:

LVA

A potência é expressa em kilowatts (kW) ou killovolt-amperes reactivos (kvar). A energia é expressa em kilowatts hora (kWh) Os valores positivos representam pedidos; os valores nega- tivos representam entradas.

:= I24[1

24]<2

23

+2 23 1>

5.2.3.4 Formato LQV: potências com informação de qualidade

Para o envio das potências com informação de qualidade, utilizar-se-á o seguinte formato:

LVQ := CP32{LVA,QDS}

LVA está definido em 5.2.3.3. QDS está definido em 5.2.3.2, e figura como último octeto do formato LVQ.

Direcção Gestão do Sistema 5.2.3.5 Formato CUP: Código universal de ponto de fornecimento Os códigos

Direcção Gestão do Sistema

5.2.3.5 Formato CUP: Código universal de ponto de fornecimento

Os códigos universais de ponto de fornecimento (CUPF) cumprirão um formato alfanumérico baseado no código ISO/IEC 8859-1.

Formato CUP

Campo

Tamanho

Intervalo

LL

(2 octetos)

cada octeto: ‘A’

’Z’

= 65

90

DDDD

(4 octetos)

cada octeto: ‘0’

’9’

= 48

57

CCCC_CCCC_CCCC

(12 octetos)

cada octeto: ‘0’

’9’

= 48

57

EE

(2 octetos)

cada octeto: ‘A’

’Z’

= 65

90

N

(1 octeto)

cada octeto: ‘ ‘, ‘0’

’9’

= 32, 48

57

T

(1 octeto)

cada octeto: ‘ ‘, ‘A’

’Z’

= 32, 65

90

Formalmente:

CUP

:= CP176{LL, DDDD, CCCC_CCCC_CCCC, EE, N, T}

LL

:= OS16[1 16]<65 90>

 

DDDD

:= OS32[17 48]<48 57>

CCCC_CCCC_CCCC

:= OS96[49 144]<48 57>

EE

:= OS16[145 160]<65 90>

N

:= OS8[161

168]<32,

48

57>

T

:= OS8[169

176]<32,

65

90>

A ordem dos octetos dentro de cada campo seguirá a ordem de leitura natural do código CUPF, conforme se estabelece referência [10]:

LL DDDD CCCC CCCC CCCC EE N T

Os primeiros 20 caracteres correspondem ao Código do Ponto de Entrega (CPE).

Os caracteres opcionais (N e T) são codificados com um espaço em branco (código 32) caso não sejam utilizados.

Direcção Gestão do Sistema 5.2.3.6 Formato CP56Time2a: marca de tempo / instante Utilizar-se-á o formato

Direcção Gestão do Sistema

5.2.3.6 Formato CP56Time2a: marca de tempo / instante

Utilizar-se-á o formato CP56Time2a definido na norma IEC 60870-5-101 (referência [9]), item 7.2.6.18. Não será utilizado o dia da semana, pelo que o valor será sempre 0. Também não se utilizará nenhum dos bits de reserva (RES1 a RES4), pelo que o valor também será sempre 0:

Formato CP56Time2a

bit 8

bit 7

bit 6

bit 5

bit 4

bit 3

bit 2

bit 1

milissegundos (parte baixa)

 

<0.59999>

 

milissegundos (parte alta)

 

IV

0

minutos <0 59>

 

SU

0

0

horas <0 23>

 

0

0

0

dia do mês <1 31>

 

0

0

0

0

meses <1 12>

 

0

anos <0 99>

 

O bit IV (invalidade) será utilizado conforme descrito no item 7.6 da norma IEC 60870-5-104. Por conseguinte, normalmente o valor será 0, excepto nos seguintes casos:

quando um ET não tiver recebido uma ASDU válida de tipo C_CS_NA_1 ACT durante um tempo t4, superior ao período de sincronização do sistema.normalmente o valor será 0, excepto nos seguintes casos: após o processo de inicialização de estação

após o processo de inicialização de estação de um ET e enquanto o referido ET não tiver recebido uma ASDU válida de tipo C_CS_NA_1 ACT.t4, superior ao período de sincronização do sistema. 5.2.3.7 Formato FD40: assinatura digital As assinaturas

5.2.3.7 Formato FD40: assinatura digital

As assinaturas digitais são utilizadas para autenticar as mensagens cuja identidade e origem devem ser garantidas de acordo com a referência [2].

Formato FD40

Campo

Tamanho

Intervalo

Assinatura,

(20 octetos)

cada octeto: 0 255

parte r

Assinatura,

(20 octetos)

cada octeto: 0 255

parte s

Formalmente:

FD40

:= CP320{r, s}

r

:= OS160[1 160]<0.255>

s

:= OS160[161 320]<0.255>

A descrição das partes r e s encontra-se no item 6.1.

Direcção Gestão do Sistema 5.2.3.8 Campo Estado O campo Estado contém informações codificadas sobre o

Direcção Gestão do Sistema

5.2.3.8 Campo Estado

O campo Estado contém informações codificadas sobre o estado do EMCC.

Estado := UI8

EGE

ECL

PCD

DIE

CAM

INT

PRE

VPP

bit 8

bit 7

bit 6

bit 5

bit 4

bit 3

bit 2

bit 1

EGE: estado geral do EMCC (0 = normal, 1 = erro detectado no teste automático)

estado das comunicações locais do EMCC, entre a sua unidade de comunicações e a sua unidade de medição (0 = normal, 1 = erro)

PCD: novo programa de consumo ou de paragem / manutenção disponível (0 = o EMCC não tem nenhum programa de consumo ou de paragem / manutenção pendente para recuperação pelo SGCI, 1 = o EMCC tem um novo programa introduzido pelo cliente que, no entanto, não foi recuperado com êxito pelo SGCI).

DIE: disponibilidade da interface Ethernet (0 = disponível, 1 = não disponível). Caso o ET detecte um erro na ligação Ethernet com o router local, este bit assumirá o valor 1 na primeira vez que seja enviado o octeto de estado após a recuperação das comunicações com o SGCI; uma vez efectuado este envio, assumirá o valor 0.

ECL:

CAM:

comando de redução de potência alterado ( = 1 desde o pré-aviso de alteração da interrupção até ao fim da interrupção)

INT:

comando de redução de potência em curso ( = 1 desde o início do período de redução até à sua conclusão ou anulação)

PRE:

comando de redução de potência pré-avisado ( = 1 desde o pré-aviso de comando de redução de potência até ao início do período de redução)

VPP:

vários pré-avisos pendentes ( = 1 enquanto houver mais do que um comando de redução de potência pré-avisado ou não concluído nem anulado)

Quando VPP = 1, os bits CAM, INT e PRE referem-se ao comando de redução de potência pré- avisado e não concluído nem anulado cujo instante de início de execução seja anterior aos restantes comandos de redução.

5.2.3.9 Campo CUPF

O campo CUPF contém o código universal de ponto de fornecimento do consumidor, constituí-

do pelo CPE (ver referência [10]).

CUPF := CUP

5.2.3.10

Campo identificador de comando de redução de potência

O identificador de comando de redução de potência é um número que identifica univocamente

um comando de redução de potência concreto enviado para um determinado EMCC. É atribuído pelo SGCI, o qual deve garantir que não é utilizado o mesmo mais do que uma vez ao longo de toda a vida do SCECI.

Identificador de interrupção := UI32

Direcção Gestão do Sistema 5.2.3.11 Campo Tipo de comando de redução de potência O tipo

Direcção Gestão do Sistema

5.2.3.11 Campo Tipo de comando de redução de potência

O tipo de comando de redução de potência corresponde à denominação das modalidades de

redução de potência (1,2,3,4,5) definidas na referência [1] para os prestadores de serviços de interruptibilidade a pedido.

Tipo de redução de potência := UI8<1

5>

5.2.3.12 Campos Pmaxi e PAi

Pmaxi e PAi são, respectivamente, a potência residual máxima exigível pelo cliente e a potência de entrada comprometida pelo cliente para uma interrupção concreta (ver ref. [1]). Um valor igual a -1 indica que a referida potência não se aplica a essa interrupção. Concretamente, para todos os clientes que não sejam autogeradores será PAi = -1.

Para os prestadores do serviço de interruptibilidade a pedido, Pmaxi é a potência máxima a consumir nos períodos de um comando de redução de potência nos quais se solicite a redução de potência máxima. Por conseguinte, i corresponde ao tipo de comando de redução de potência. Deste modo, existirão tantos valores de Pmaxi: Pmax1, Pmax2, Pmax3, Pmax4, Pmax5 quanto tipos de comandos de redução de potência

Pmaxi := LVA

PAi := LVA

5.2.3.13

Campo Pfi (potência de consumo), Pf2, Pf3, Pf4, Pf5, Pf6 e Pf7

Valor da potência a consumir de forma continuada por um prestador do serviço de interruptibilidade a pedido nos períodos regulamentarmente estabelecidos, pelo que pode assumir valores de 1 a 7, sendo possível definir sete valores diferentes de Pf:

Pf1, Pf2, Pf3, Pf4, Pf5, Pf6 y Pf7:= LVA

O Pf7 mantém-se unicamente por uma questão de retro-compatibilidade e o seu valor será

sempre -1.

5.2.3.14

Campo número de períodos de redução

Especifica o número de períodos nos quais se solicita uma redução de potência.

Número de períodos de redução := UI8<0 6>

Direcção Gestão do Sistema 5.2.3.15 Campo identificador de potência residual período X O identificador de

Direcção Gestão do Sistema

5.2.3.15 Campo identificador de potência residual período X

O identificador de potência residual é uma etiqueta para designar a potência residual a

consumir num período X de redução de potência. A correspondência entre o identificador de potência residual e a potência residual é a que consta da tabela seguinte:

Identificador de potência residual

Potência residual máxima exigível

0

P50%

1

Pmaxi

Identificador de potência residual := UI8<0 5>

5.2.3.16 Campos Instante inicial e Instante final

O instante inicial e o instante final delimitam o intervalo de execução de uma interrupção.

Instante inicial := CP56time2a

Instante final := CP56time2a

5.2.3.17 Campos Instante inicial P50 e Instante final P50

O instante inicial P50 e o instante final P50 delimitam, dentro do intervalo de execução de um

comando de redução de potência tipo 1, o sub-intervalo em que a potência máxima exigível é igual a P50, cujo cálculo é definido na referência [1].

Instante inicial P50 := CP56time2a

Instante final P50 := CP56time2a

Define-se um sub-intervalo P50 de duração nula estabelecendo ambos os instantes (inicial e final) preenchendo com zeros.

5.2.3.18 Campos Instante inicial período X e Instante final período X

O instante inicial período X e o instante final período X delimitam um período de redução de

potência conforme o definido na ref. [1].

Instante inicial período X := CP56time2a

Instante final período X := CP56time2a

5.3 Definição e apresentação das ASDU específicas

Este item especifica os conteúdos e significados das diferentes ASDU, ordenadas segundo o seu identificador de tipo.

Direcção Gestão do Sistema 5.3.1 Tipo 103: Sincronização de relógio (C_CS_NA_1) Utiliza-se para sincronizar o

Direcção Gestão do Sistema

5.3.1 Tipo 103: Sincronização de relógio (C_CS_NA_1)

Utiliza-se para sincronizar o relógio do ET com o do SGCI.

A ASDU encontra-se descrita no item 7.3.4.4 da norma IEC 60870-5-101 (ref. [9]). Deve destacar-se que o campo endereço do objecto de informação ocupará um único octeto (igual a

0).

Causas de transmissão:

No endereço de controlo:

6 =

activação

No endereço de monitorização:

7

=

confirmação da activação

45

=

causa de transmissão desconhecida

46

=

endereço comum da ASDU desconhecido

47

=

endereço de objecto de informação desconhecido

48

=

alteração de horário

55

=

comando de redução de potência em execução

Direcção Gestão do Sistema 5.3.2 Tipo 147: Programa de consumo (M_PC_AA) Utiliza-se para enviar um

Direcção Gestão do Sistema

5.3.2 Tipo 147: Programa de consumo (M_PC_AA)

Utiliza-se para enviar um programa de pedidos de energia horária para um determinado período.

Aplica-se tanto a EMCC que prestem o serviço de interruptibilidade como àqueles que prestem

o serviço de interruptibilidade a pedido.

Campo

Formato

Ocupação

Tipo = 147

UI8

1

octeto

Qualificador de estrutura variável

UI8

1

octeto

Causa de transmissão

UI8

1

octeto

Endereço comum

UI16

2

octetos

Endereço de objecto de informação

UI8

1

octeto

Instante inicial

CP56time2a

7

octetos

Número de horas

UI16

2

octetos

Energia horária 1

LVA

3

octetos

Energia horária n

LVA

3

octetos

Assinatura digital

FD40

40 octetos

Causas de transmissão:

No endereço de monitorização:

5 =

solicitada

O instante inicial é a marca de tempo da primeira hora do programa de consumo que se envia

na mensagem. As horas são identificadas pelo instante de início do período horário correspondente.

O número de horas é a quantidade de horas consecutivas do programa de consumo que se

enviam na mensagem.

A assinatura digital será aplicada a todos os campos da mensagem, desde o tipo até ao final,

excepto a própria assinatura.

Um programa de consumo que não caiba numa só ASDU M_PC_AA pode ser truncado e enviado com duas ou mais ASDU M_PC_AA, cada uma com a sua assinatura correspondente.

Só serão permitidos valores de programa de consumo negativos para os consumidores que sejam autogeradores e aos quais não se tenha solicitado o envio da potência activa instantânea gerada (ASDU M_TR_GN).

O valor absoluto do programa de consumo deverá ser inferior à energia horária correspondente

à máxima das potências contratadas.

Os valores do programa de consumo que não cumpram os critérios anteriores serão considerados não recebidos para efeitos de cumprimento do exigido na legislação em vigor.

Direcção Gestão do Sistema 5.3.3 Tipo 148: Certificado digital (M_CD_AA) Utiliza-se para enviar um certificado

Direcção Gestão do Sistema

5.3.3 Tipo 148: Certificado digital (M_CD_AA)

Utiliza-se para enviar um certificado digital.

Aplica-se tanto a EMCC que prestem o serviço de interruptibilidade como àqueles que prestem o serviço de interruptibilidade a pedido.

Campo

Formato

Ocupação

Tipo = 148

UI8

1 octeto

Qualificador de estrutura variável

UI8

1 octeto

Causa de transmissão

UI8

1 octeto

Endereço comum

UI16

2 octetos

Endereço de objecto de informação

UI8

1 octeto

Octeto inicial

UI16

2 octetos

Número de octetos

UI8

1

octeto

Certificado digital

nUI8

n octetos

Causas de transmissão:

No endereço de monitorização:

5 =

solicitada

O octeto inicial é o número de ordem do primeiro octeto da parte do certificado digital que se

envia na mensagem:

O número de octetos é a quantidade de octetos consecutivos do certificado que se envia na

mensagem.

Um certificado digital que não caiba numa só ASDU M_PC_AA pode ser truncado e enviado com duas ou mais ASDU M_PC_AA.

O formato do certificado digital cumprirá a recomendação X.509 (referência [6]).

Direcção Gestão do Sistema 5.3.4 Tipo 149: Dados de tempo real (M_TR_AA) Utiliza-se para enviar

Direcção Gestão do Sistema

5.3.4 Tipo 149: Dados de tempo real (M_TR_AA)

Utiliza-se para enviar os últimos valores disponíveis de tempo real de um EMCC.

Aplica-se tanto a EMCC que prestem o serviço de interruptibilidade como àqueles que prestem

o serviço de interruptibilidade a pedido.

Campo

Formato

Ocupação

Tipo = 149

UI8

1

octeto

Qualificador de estrutura variável

UI8

1

octeto

Causa de transmissão

UI8

1

octeto

Endereço comum

UI16

2

octetos

Endereço de objecto de informação

UI8

1

octeto

Estado

UI8

1

octeto

Potência activa

LVQ

4

octetos

Potência reactiva

LVQ

4

octetos

Causas de transmissão:

No endereço de monitorização:

5 =

solicitada

A potência activa é a potência activa de tempo real mais recente de entre as disponíveis.

A potência reactiva é a potência reactiva de tempo real mais recente de entre as disponíveis.

Direcção Gestão do Sistema 5.3.5 Tipo 150: Lista de interrupções activas (M_LI_AA) Utiliza-se para enviar

Direcção Gestão do Sistema

5.3.5 Tipo 150: Lista de interrupções activas (M_LI_AA)

Utiliza-se para enviar uma lista com os identificadores de interrupções activas de um EMCC.

Aplica-se tanto a EMCC que prestem o serviço de interruptibilidade como àqueles que prestem o serviço de interruptibilidade a pedido.

Campo

Formato

Ocupação

Tipo = 150

UI8

1 octeto

Qualificador de estrutura variável

UI8

1 octeto

Causa de transmissão

UI8

1 octeto

Endereço comum

UI16

2 octetos

Endereço de objecto de informação

UI8

1 octeto

Estado

UI8

1 octeto

CUPF

CUP

22 octetos

Número de interrupções

UI8

1

octeto

Identificador de interrupção 1

UI32

4

octetos

Identificador de interrupção n

UI32

4

octetos

Causas de transmissão:

No endereço de monitorização:

5 =

solicitada

O

número de interrupções é o número de interrupções activas (ver definição em 1.2).

O

número máximo de interrupções activas de um EMCC é um parâmetro do EMCC, cujo valor

por defeito é 1.

Se o EMCC não tiver interrupções activas, o número de interrupções será 0 e a lista ficará vazia.

Direcção Gestão do Sistema 5.3.6 Tipo 151: Programa de paragem / manutenção (M_PM_AA) Utiliza-se para

Direcção Gestão do Sistema

5.3.6 Tipo 151: Programa de paragem / manutenção (M_PM_AA)

Utiliza-se para enviar um programa de datas previstas de paragem / manutenção.

Aplica-se tanto a EMCC que prestem o serviço de interruptibilidade como àqueles que prestem

o serviço de interruptibilidade a pedido.

Campo

Formato

Ocupação

Tipo = 151

UI8

1

octeto

Qualificador de estrutura variável

UI8

1

octeto

Causa de transmissão

UI8

1

octeto

Endereço comum

UI16

2

octetos

Endereço de objecto de informação

UI8

1

octeto

Número de datas

UI8

1

octeto

Instante inicial 1

CP56time2a

7

octetos

Instante final 1

CP56time2a

7

octetos

Instante inicial n

CP56time2a

7

octetos

Instante final n

CP56time2a

7

octetos

Assinatura digital

FD40

40 octetos

Causas de transmissão:

No endereço de monitorização:

5 =

solicitada

O número de datas é a quantidade de pares de datas previstas de paragem / manutenção que se enviam na mensagem.

A assinatura digital será aplicada a todos os campos da mensagem, desde o tipo até ao final,

excepto a própria assinatura.

Um programa de paragem / manutenção que não caiba numa só ASDU M_PM_AA pode ser truncado e enviado com duas ou mais ASDU M_PM_AA, cada uma com a sua assinatura correspondente.

5.3.7 Tipo (M_DG_AK) 152: Dados gerais Direcção Gestão do Sistema de EMCC - serviço de

5.3.7

Tipo

(M_DG_AK)

152:

Dados gerais

Direcção Gestão do Sistema

de EMCC

-

serviço

de interruptibilidade a pedido

Utiliza-se para enviar a data, a hora, a identificação, o estado, as potências de consumo e residuais contratadas e as potências activas e reactivas registadas nos últimos 4 períodos de 15 minutos dos EMCC correspondentes a prestadores do serviço de interruptibilidade a pedido.

Campo

Formato

Ocupação

Tipo = 152

UI8

1 octeto

Qualificador de estrutura variável

UI8

1 octeto

Causa de transmissão

UI8

1 octeto

Endereço comum

UI16

2 octetos

Endereço de objecto de informação

UI8

1 octeto

Estado

UI8

1 octeto

CUPF

CUP

22 octetos

Hora

CP56time2a

7

octetos

Pmax1

LVA

3

octetos

Pmax2

LVA

3

octetos

Pmax3

LVA

3

octetos

Pmax4

LVA

3

octetos

Pmax5

LVA

3

octetos

Pf1

LVA

3

octetos

Pf2

LVA

3

octetos

Pf3

LVA

3

octetos

Pf4

LVA

3

octetos

Pf5

LVA

3

octetos

Pf6

LVA

3

octetos

Pf7

LVA

3

octetos

Potência activa 1

LVA

3

octetos

Potência activa 2

LVA

3

octetos

Potência activa 3

LVA

3

octetos

Potência activa 4

LVA

3

octetos

Potência reactiva 1

LVA

3

octetos

Potência reactiva 2

LVA

3

octetos

Potência reactiva 3

LVA

3

octetos

Potência reactiva 4

LVA

3

octetos

Causas de transmissão: No endereço de monitorização: 5 = solicitada Direcção Gestão do Sistema A

Causas de transmissão:

No endereço de monitorização:

5 =

solicitada

Direcção Gestão do Sistema

A hora é a actual do EMCC.

Os valores de Pmaxi (i=1,2,3,4,5) e de Pfi (i= 1,2,3,4,5,6,7) correspondentes a tipos de comando de redução de potência não contratados, e potências de consumo não aplicáveis, respectivamente, terão o valor -1.

A potência activa 1 corresponde à potência activa média no período de quarto de hora mais

antigo dos últimos quatro armazenados pelo EMCC. A potência activa 4 corresponde à mais recente de entre estas.

A potência reactiva 1 corresponde à potência reactiva média no período de quarto de hora mais

antigo dos últimos quatro armazenados pelo EMCC. A potência reactiva 4 corresponde à mais recente de entre estas.

Os valores positivos de potência activa e reactiva representam pedidos; os negativos represen- tam entradas.

Direcção Gestão do Sistema 5.3.8 Tipo 153: Estado do comando de redução de potência (M_EI_AK)

Direcção Gestão do Sistema

5.3.8 Tipo 153: Estado do comando de redução de potência (M_EI_AK)

Utiliza-se para enviar o estado de um comando de redução de potência previamente registado no EMCC de um prestador de serviço de interruptibilidade a pedido.

Campo

Formato

Ocupação

Tipo = 153

UI8

1 octeto

Qualificador de estrutura variável

UI8

1 octeto

Causa de transmissão

UI8

1 octeto

Endereço comum

UI16

2 octetos

Endereço de objecto de informação

UI8

1 octeto

Estado

UI8

1 octeto

CUPF

CUP

22 octetos

Factor de escala

UI8

1

octeto

Identificador do comando de redução de potência

UI32

4

octetos

Tipo de comando de redução de potência

UI8

1

octeto

Número de períodos de redução

UI8

1

octeto

Instante inicial período 1

CP56time2a

7

octetos

Instante final período 1

CP56time2a

7

octetos

Identificador de potência residual período 1

UI8

1

octeto

Instante inicial período 2

CP56time2a

7

octetos

Instante final período 2

CP56time2a

7

octetos

Identificador de potência residual período 2

UI8

1

octeto

Instante inicial período 3

CP56time2a

7

octetos

Instante final período 3

CP56time2a

7

octetos

Identificador de potência residual período 3

UI8

1

octeto

Instante inicial período 4

CP56time2a

7

octetos

Instante final período 4

CP56time2a

7

octetos

Identificador de potência residual período 4

UI8

1

octeto

Instante inicial período 5

CP56time2a

7

octetos

Instante final período 5

CP56time2a

7

octetos

Identificador de potência residual período 5

UI8

1

octeto

Instante inicial período 6

CP56time2a

7

octetos

Instante final período 6

CP56time2a

7

octetos

Identificador de potência residual período 6

UI8

1

octeto

Instante de anulação

CP56time2a

7

octetos

Instante de alteração

CP56time2a

7

octetos

campos sombreados = campos cujo conteúdo pode não ser significativo, consoante a interrupção concreta

Causas de transmissão: No endereço de monitorização: 5 = solicitada Direcção Gestão do Sistema O

Causas de transmissão:

No endereço de monitorização:

5 =

solicitada

Direcção Gestão do Sistema

O campo Factor de escala reproduz os valores definidos pelos pré-avisos de redução de potência, anulação e/ou alteração correspondentes.

No caso de comandos de redução de potência de tipo 5 (pré-aviso mínimo = 0), o EMCC especificará o início e o fim do período de redução de potência nos campos Instante inicial do período 1 e Instante final do período 1, respectivamente.

Todos os campos não significativos: Instante de anulação de interrupção se não tiver havido anulação, instante de alteração se não tiver havido alteração, Instantes inicial, final e Identificador de potência residual dos períodos não incluídos no Número de períodos de redução, terão um valor igual a zero

Direcção Gestão do Sistema 5.3.9 Tipo 154: Ficheiro de comando de redução de potência (M_AI_AK)

Direcção Gestão do Sistema

5.3.9 Tipo 154: Ficheiro de comando de redução de potência (M_AI_AK)

Utiliza-se para enviar um ficheiro correspondente a um comando de redução de potência de prestadores do serviço de interruptibilidade a pedido.

Campo

Formato

Ocupação

Tipo = 154

UI8

1 octeto

Qualificador de estrutura variável

 

UI8

1 octeto

Causa de transmissão

 

UI8

1 octeto

Endereço comum

 

UI16

2 octetos

Endereço de objecto de informação

UI8

1 octeto

Estado

UI8

1 octeto

CUPF

CUP

22 octetos

Factor de escala

 

UI8

1

octeto

Identificador

de

redução

de

UI32

4

octetos

potência

 

Tipo de redução de potência

 

UI8

1

octeto

Número de períodos de redução

 

UI8

1

octeto

Instante de anulação

 

CP56time2a

7

octetos

Instante de alteração

 

CP56time2a

7

octetos

Instante inicial período 1

 

CP56time2a

7

octetos

Instante final período 1

 

CP56time2a

7

octetos

Identificador de potência residual período 1

 

UI8

1

octeto

   

Instante inicial período 2

 

CP56time2a

7

octetos

Instante final período 2

 

CP56time2a

7

octetos

Identificador

de potência

residual

UI8

1

octeto

período 2

   

Instante inicial período 3

 

CP56time2a

7

octetos

Instante final período 3

 

CP56time2a

7

octetos

Identificador

de potência

residual

UI8

1

octeto

período 3

   

Instante inicial período 4

 

CP56time2a

7

octetos

Instante final período 4

 

CP56time2a

7

octetos

Identificador

de potência

residual

UI8

1

octeto

período 4

   

Instante inicial período 5

 

CP56time2a

7

octetos

Instante final período 5

 

CP56time2a

7

octetos

Identificador

de potência

residual

UI8

1

octeto

período 5

   

Instante inicial período 6

 

CP56time2a

7

octetos

Instante final período 6

 

CP56time2a

7

octetos

Direcção Gestão do Sistema Identificador de potência residual UI8 1 octeto período 6  

Direcção Gestão do Sistema

Identificador

de potência

residual

UI8

1

octeto

período 6

   

Registo inicial

UI16

2

octetos

Número de registos

 

UI8

1

octeto

Potência 1 ou assinatura digital

LVA ou FD40

3

ou

40

octetos

Potência n

LVA

3

octetos

campos sombreados = campos cujo conteúdo pode não ser significativo, consoante a interrupção concreta

Causas de transmissão:

No endereço de monitorização:

5 =

solicitada

Os campos entre Factor de escala e Identificador de potência residual período 6 reproduzem os valores definidos pelos pré-avisos de redução de potência, anulação e/ou alteração correspondentes.

Todos os campos não significativos: Instante de anulação de comando de redução de potência se não tiver havido anulação, instante de alteração se não tiver havido alteração, Instantes inicial, final e Identificador de potência residual X (sendo X de 1 a 6) dos períodos não incluídos no Número de períodos de redução, terão um valor igual a zero

O registo inicial é o número de ordem dentro do ficheiro de potências da primeira potência

(Potência 1) que se envia na mensagem.

O número de registos é o número de registos do ficheiro de potências enviados na mensagem.

Potência 1 a potência n são os dados de potência activa de 5 minutos do ficheiro (total ou par- cial) que se envia. Os valores positivos representam pedidos; os negativos representam entra- das.

Um ficheiro de interrupção é enviado sempre através de duas ou mais ASDU M_AI_AK. Se o ficheiro completo couber numa ASDU, esta conterá todas as respectivas potências. Caso

contrário, enviam-se mais ASDU até completar o envio de todo o ficheiro. De qualquer modo, a última ASDU M_AI_AK a enviar contém, em vez de potências, a assinatura digital, e os campos

de registo inicial e o número de registos assumem o valor 0.

Esta assinatura digital é a assinatura do ficheiro de interrupção completo, entendendo-se como

tal o constituído pela sequência de campos entre o identificador de interrupção e o número de

registos, seguida de todas as potências de 5 minutos enviadas nas ASDU M_AI_AK anteriores.

Os valores dos campos Registo inicial e Número de registos das (m + 1) ASDU consecutivas

através das quais se envia um ficheiro de interrupção e a sua assinatura são, em geral, os

seguintes:

Número de ASDU

1

2

3

M

m+1

registo inicial

1

1+n 1

1+n 1 +n 2

1+ n 1 +

+n

m-1

0

número de registos

n 1

n 2

n 3

n m

0

Direcção Gestão do Sistema 5.3.10 Tipo 155: Dados de tempo real. Potência activa de geração

Direcção Gestão do Sistema

5.3.10 Tipo 155: Dados de tempo real. Potência activa de geração (M_TR_GN)

Utiliza-se para enviar os últimos valores disponíveis de tempo real de Potência Activa de Geração do EMCC. Esta ASDU será enviada em resposta à ASDU Tipo 187 C_TR_GN

Aplica-se a EMCC de consumidores geradores que prestem o serviço de interruptibilidade a pedido e que tenham acordado explicitamente o envio desta informação.

Campo

Formato

Ocupação

Tipo = 155

UI8

1

octeto

Qualificador de estrutura variável

UI8

1

octeto

Causa de transmissão

UI8

1

octeto

Endereço comum

UI16

2

octetos

Endereço de objecto de informação

UI8

1

octeto

Estado

UI8

1

octeto

Potência activa gerada

LVQ

4

octetos

Causas de transmissão:

No endereço de monitorização:

5 =

solicitada

A potência activa é a potência activa de geração de tempo real mais recente entre as disponíveis.