Sei sulla pagina 1di 11

Transmissão Sem Fio

Antenas e Propagação de Ondas de Rádio

Prof. Fernando José da Silva Moreira Prof. Cássio Gonçalves do Rego

José da Silva Moreira Prof. Cássio Gonçalves do Rego - Departamento de Engenharia Eletrônica

- Departamento de Engenharia Eletrônica

da Silva Moreira Prof. Cássio Gonçalves do Rego - Departamento de Engenharia Eletrônica http://www.cpdee.ufmg.br/~getel

http://www.cpdee.ufmg.br/~getel

Antenas e Propagação

Antenas e Propagação Radiodifusão AM (0,55 a 1,6 MHz): l l l Monopolos (torres) de l

Radiodifusão AM (0,55 a 1,6 MHz):

l

l

l

Monopolos (torres) de l/4 (ª 100 metros).

Propagação por onda de superfície (

Alta potência (50 a 500 KW).

1/ R

4 ).

(torres) de l /4 ( ª 100 metros). Propagação por onda de superfície ( Alta potência
Antenas e Propagação Antenas e Propagação Refração Ionosférica (3 a 30 MHz): VHF e UHF
Antenas e Propagação
Antenas e Propagação
Refração Ionosférica (3 a 30 MHz):
VHF e UHF (30 a 3.000 MHz):
Ionosfera reflete ondas de rádio até 30 MHz.
Antenas menores podem ser usadas.
l
l
Transmissão de rádio intercontinental.
Visada direta e reflexão no solo.
l
l
Atenuações e desvanecimentos.
IONOSFERA
l

Antenas e Propagação

Antenas e Propagação SHF e EHF (3 a 300 GHz): l Antenas refletoras altamente diretivas. l

SHF e EHF (3 a 300 GHz):

l Antenas refletoras altamente diretivas. l Visada direta e fortes atenuações causadas pela atmosfera e vapor d’água.

Antenas refletoras altamente diretivas. l Visada direta e fortes atenuações causadas pela atmosfera e vapor d’água.
Antenas refletoras altamente diretivas. l Visada direta e fortes atenuações causadas pela atmosfera e vapor d’água.

Espectro Eletromagnético e Aplicações

Espectro Eletromagnético e Aplicações   Faixa Mecanismo de Aplicações   Propagação VHF
 

Faixa

Mecanismo de

Aplicações

 

Propagação

VHF (Very High Frequency)

Propagação troposfé- rica: visibilidade direta,

Telefonia. Radiodifusão FM e TV. Rádio amador. Radionavegação. Radioastronomia.

30

a 300 MHz

difração e difusão.

Serviços de despacho (polícia, táxi, etc.).

UHF (Ultra High Frequency) 300 a 3.000 MHz

Propagação troposfé- rica: visibilidade direta, difração e difusão.

Telefonia móvel celular. Radiodifusão UHF. Rádio amador. Radionavegação. Radioastronomia. Radar.

SHF (Super High Frequency) 3 a 30 GHz

Visibilidade direta.

Sistemas de média e alta capacidade. Radionavegação. Radioastronomia. Enlaces de microondas. Comunicação via satélite. Radar.

EHF (Extremely

 

Comunicação via satélite. Radar. Diversas aplicações em fase experimental.

High Frequency)

Visibilidade direta.

30

a 300 GHz

 

Espectro Eletromagnético e Aplicações

Espectro Eletromagnético e Aplicações   Faixa Mecanismo de Aplicações   Propagação VLF
 

Faixa

Mecanismo de

Aplicações

 

Propagação

VLF (Very Low Frequency)

Guia de onda entre o solo e a ionosfera.

Radionavegação. Comunicação móvel marítima. Radiolocalização. Sonar.

3

a 30 KHz

LF (Low Frequency) 30 a 300 KHz

Guia de onda entre o solo e a ionosfera. Onda de superfície.

Radionavegação. Comunicação móvel marítima. Radiolocalização. Sonar.

MF (Medium Frequency) 300 a 3.000 KHz

Onda de superfície. Refração ionosférica (de noite).

Radiodifusão AM. Radionavegação. Comunicação Móvel Marítima. Frequência padrão.

 

HF (High

 

Telefonia fixa e móvel à longa distância. Radiodifusão internacional. Rádio amador.

Frequency)

Refração ionosférica.

3

a 30 MHz

Comunicação navio-costa e navio-avião.

Definição

Definição A antena é um dispositivo que faz a adaptação da energia de Rádio Frequência (RF)

A antena é um dispositivo que faz a adaptação da energia de Rádio Frequência (RF) guiada para o espaço livre e vice-versa.

é um dispositivo que faz a adaptação da energia de Rádio Frequência (RF) guiada para o

Tipos de Antenas

Tipos de Antenas Antenas Lineares Antena Yagi Antena Log-Periódica Monopolo Refletor excitado por um dipolo
Antenas Lineares Antena Yagi Antena Log-Periódica Monopolo Refletor excitado por um dipolo
Antenas Lineares
Antena Yagi
Antena Log-Periódica
Monopolo
Refletor excitado por um dipolo

Tipos de Antenas

Tipos de Antenas Conjuntos Conjunto de Dipolos Dobrados em uma Câmara Anecóica

Conjuntos

Tipos de Antenas Conjuntos Conjunto de Dipolos Dobrados em uma Câmara Anecóica

Conjunto de Dipolos Dobrados em uma Câmara Anecóica

Tipos de Antenas

Tipos de Antenas Antenas de Abertura Alimentador “Bow-Tie” Radiotelescópio Cassegrain

Antenas de Abertura

Tipos de Antenas Antenas de Abertura Alimentador “Bow-Tie” Radiotelescópio Cassegrain

Alimentador

Tipos de Antenas Antenas de Abertura Alimentador “Bow-Tie” Radiotelescópio Cassegrain

“Bow-Tie”

Tipos de Antenas Antenas de Abertura Alimentador “Bow-Tie” Radiotelescópio Cassegrain

Radiotelescópio Cassegrain

Campos Irradiados As propriedades elétricas das ANTENAS são obtidas das EQUAÇÕES DE MAXWELL: r r
Campos Irradiados
As propriedades elétricas das ANTENAS
são obtidas das EQUAÇÕES DE MAXWELL:
r
r
r
(
m
H )
— ¥
E = -
— (e E) = r
e
t
r
r
r
r
(
e
E )
— ¥
H
=
J
+
— (
m H) = 0
t
- 12
Ï e
=
8,854
¥
10
(Farads/m)
No vácuo :
Ì
- 7
=
4
p
¥
10
(Henries/m)
Ó m

Campos Irradiados

Campos Irradiados A análise das ANTENAS é geralmente feita no DOMÍNIO DA FREQUÊNCIA . r E

A análise das ANTENAS é geralmente

feita no DOMÍNIO DA FREQUÊNCIA.

r

E

r

(R,t)

= ¬

eal{E(R,w )

r

r

e

j w

t

}, onde w

=

2p f

Meio linear, homogêneo e isotrópico : e e m constantes .

r e

 

r

r

r

— ¥

E

= - jwm

H

 

E =

e

r

r

r

r

— ¥

H

=

J

+ jwe

E

H = 0

Reciprocidade

Reciprocidade Do TEOREMA DA RECIPROCIDADE prova-se que existe uma dualidade entre os “modos” de recepção e

Do TEOREMA DA RECIPROCIDADE

prova-se que existe uma dualidade entre os “modos” de recepção e transmissão de uma antena.

As CARACTERÍSTICAS BÁSICAS de

uma dada antena aplicam-se tanto na recepção como na transmissão.

Formulação

Formulação A formulação necessária vem das EQUAÇÕES DE MAXWELL .   r r — r e

A formulação necessária vem das

EQUAÇÕES DE MAXWELL.

 

r

r

— r e
r
e

e

Equação

2

E

+

k

J

+

de Onda

k =

2 p

l

r 2 E = j wm - jkr e ÚÚÚ r V me
r
2
E
=
j wm
- jkr
e
ÚÚÚ
r
V
me

= w

Equação Integral do Campo DistanteEquação 2 — E + k J + de Onda k = 2 p l r

r

E = -

j

wm

4 p

[ r

J

-

(

r

J

ˆ

r

)

ˆ ]

r

e

r

jk r

r

' ˆ

dv '

Densidade de Potência

Densidade de Potência W = r S = 1 eal ¬ r E ¥ r H

W

=

r

S

=

1 eal

¬

r

E

¥

r

H *

}

 

2

(Watts/m )

 

rad

{
2

 
 
e m
e
m
 

r

r

=

r 1 e 2 E 2 m
r
1
e
2
E
2
m

r ˆ

¥

E

S

r ˆ

 

r

1

r

2

 
m e
m
e

Impedância

Característica

do Meio

W

rad

=

S

=

E

, onde

h

=

 

2 h

r Campo Distante : H =

\

W rad = S = E , onde h =   2 h r Campo Distante

No vácuo :h ª 120p

W

Potência Radiada

Potência Radiada r P = ¬ eal { ÚÚ S n ˆ ds} (Watts) rad r
r P = ¬ eal { ÚÚ S n ˆ ds} (Watts) rad r r
r
P
= ¬
eal {
ÚÚ
S
n ˆ ds} (Watts)
rad
r
r
1 r
Vetor de
Z
S =
E
¥
H *
2 Poynting
q
r
r
Y
Campo Distante:
f
X
r
2
1
2 p
p
2
P
=
Ú
Ú
E
r
sen
q
d
q
d
f
rad
2 h
0
0

Resistência de Radiação

Resistência de Radiação I in r J Circuito Equivalente I in Z in = R +
I in
I in

r

J

Circuito

Equivalente

I in Z in = R + j X Z in in in
I in
Z in
= R
+ j X
Z in
in
in
1 2 = R I fi P rad in in 2
1
2
=
R
I
P rad
in
in
2
2P rad R in 2 I in
2P
rad
R in
2
I in

Diretividade

Diretividade Campo Distante r 1 2 2 = P = ÚÚ E r sen q d

Campo

Distante

r 1 2 2 = P = ÚÚ E r sen q d q d
r
1
2
2
=
P
=
ÚÚ
E
r
sen
q
d
q
d
f
W rad
rad
2 h

A DIRETIVIDADE de uma antena é definida

pela razão entre a W rad da antena e a de um

radiador isotrópico irradiando a mesma Prad.

D( q

,

f

) =

r 2 2 p r 2 E W rad = h P rad P rad
r
2
2 p
r
2 E
W rad
=
h
P rad
P rad
2
4 p
r

P rad

W rad

=

D(

q

,

f

)

4 p r

2

Eficiência

Eficiência P rad P disp h P disp P disp P LT P disp P LT

P rad

P disp

h

P disp

P disp

P LT

P disp P LT P rad L.T. h e2
P disp
P LT
P rad
L.T.
h
e2

Eficiência :

h

e =

Eficiência : h e =

e =

P rad

=

P

LT

P rad

=h

e1

Eficiência

Eficiência Perda de Retorno Potência Incidente Potência Potência Refletida Radiada

Perda de Retorno

Eficiência Perda de Retorno Potência Incidente Potência Potência Refletida Radiada
Potência Incidente Potência
Potência Incidente
Potência

Potência Refletida

Radiada

Exemplo:

Perdas por Descasamento

Exemplo: Perdas por Descasamento P P Circuito disp LT Equivalente P rad L.T. 2 1 2
P P Circuito disp LT Equivalente P rad L.T. 2 1 2 1 R in
P
P
Circuito
disp
LT
Equivalente
P
rad
L.T.
2
1
2
1
R
in
V
P
rad
=
R
in
I
in
=
2
2
2
Z
+
Z
h
in
e
2
*
1
V
P
disp
= P
rad
Z
in
= Z
g
=
8
R
I in Z g Z in + V 4 R R P rad in g
I in
Z
g
Z in
+
V
4 R
R
P rad
in
g
=
=
2
P disp
Z
+
Z
in
g

Exemplo:

Perdas por Descasamento

Exemplo: Perdas por Descasamento P disp P LT P rad L.T. P retorno Coeficiente de Reflexão
P disp P LT P rad L.T. P retorno
P disp
P LT
P rad
L.T.
P retorno

Coeficiente de

Reflexão G

G 2

Taxa de Onda Estacionária (TOE)

S - 1 \ G = S + 1
S
-
1
\
G
=
S
+
1
P retorno = P disp V 1 + G LT S = max = V
P retorno
=
P disp
V
1
+
G
LT
S =
max
=
V
1
-
G
LT
min

h

=

P

rad

=

P

disp

-

P

retorno

=

1

-

G

2

=

4 S

 

e

P

disp

 

P

disp

(

1

+

S

) 2

Ganho

Ganho Diretividade D( q , f ) = r 2 2 2 p r E W

Diretividade

D( q

,

f

) =

r 2 2 2 p r E W rad = h P rad P rad
r
2
2
2 p
r
E
W rad
=
h
P rad
P rad
2
4 p
r

A definição de GANHO é semelhante à da

DIRETIVIDADE, só que levando em conta a EFICIÊNCIA da antena.

, só que levando em conta a EFICIÊNCIA da antena. fi G( q , f )

G(

q

,

f

)

=

r 2 2 p r 2 E W rad = h P disp P disp
r
2
2 p
r
2 E
W rad
=
h
P disp
P disp
2
4
p r

Diagrama de Radiação

Diagrama de Radiação a representação gráfica da DIRETIVIDADE ou do GANHO de uma antena. Os valores

a

representação gráfica da DIRETIVIDADE ou do GANHO de uma antena. Os valores são geralmente apresentados em DECIBÉIS.

O

DIAGRAMA

DE

RADIAÇÃO

é

 

Á Ê

10 Á

Ë

 

2 p

˜ ˜ + 20 log

ˆ (
¯

10

 

r

)

D

dB

= 10 log

10

= 10 log

h

P rad

r

E

r Ê 2 ˆ 2 Á 2 p r E ˜ Á ˜ h P
r
Ê
2
ˆ
2
Á
2
p
r
E
˜
Á
˜
h
P
Á
rad
˜
Ë
¯
r
Ê
2
ˆ
2
Á
2
p
r
E
˜
Á
˜
h
P
Á
disp
˜
Ë
¯
 

Ê Á Á

Ë

2 p h

˜ ˜ + 20 log

ˆ (
¯

10

 

r

)

G

dB

= 10 log

10

= 10 log

10

h

e

P rad

r

E

Diagrama de Radiação

Diagrama de Radiação 3 dB Ganho (dB) LÓBULO PRINCIPAL LÓBULOS SECUNDÁRIOS q (graus) LARGURA DE FEIXE

3 dB

Ganho (dB) LÓBULO PRINCIPAL LÓBULOS SECUNDÁRIOS q (graus) LARGURA DE FEIXE LARGURA DE
Ganho (dB)
LÓBULO PRINCIPAL
LÓBULOS
SECUNDÁRIOS
q (graus)
LARGURA
DE FEIXE
LARGURA DE

MEIA POTÊNCIA

Diagrama de Radiação

Diagrama de Radiação 50 40 Plano E 30 Plano H Envelope ITU 20 10 0 -10
50 40 Plano E 30 Plano H Envelope ITU 20 10 0 -10 -20 -30
50
40
Plano E
30
Plano H
Envelope ITU
20
10
0
-10
-20
-30
-40
-50
0
20
40
60
80
100
120
140
160
180
Z
q (graus)
POLAR
RETANGULAR
X
Y
3-DIMENSÕES
Ganho (dBi)

Exemplo:

Dipolo Infinitesimal

Exemplo: Dipolo Infinitesimal W rad P rad Z q   j wm e - jkr  

W rad

P rad

Z q
Z
q
 

j wm

e - jkr

 

r

r

 

ˆ

E

E =

 

I o l

sen q

q

4 p

r

2 r 2 2 2 sen q h I Ê l ˆ o = 1
2
r
2
2
2 sen q
h
I
Ê l ˆ
o
=
1 E
= Á
˜
2 h
8 Ë
l
¯ 2
r
2
r
2
2 p
p
h
I
Ê l ˆ
2 p
2
o
3
=
1 Ú
Ú
E
r
sen
q
d
q
d
f
=
Á
˜
¥ 2
p Ú
sen
q
d
q
2 h
0
0
8
Ë l
¯
1442443
0
4
=
3
2
= h p
2
l
Ê
ˆ
Io
Á
˜
¯

Exemplo:

Dipolo Infinitesimal

Exemplo: Dipolo Infinitesimal W 3 rad 2 D( q , f ) = = sen q
W 3 rad 2 D( q , f ) = = sen q P 2
W
3
rad
2
D(
q
,
f
) =
=
sen
q
P
2
rad
2
4 p
r
3
D
= D
=
10 log
o
max
2
2
2P
2 p
l ˆ
rad
R
=
h Á Ê
˜
in =
2
3
Ë
l
I
¯
in

10 (1,5)

=

1,76 dB

Faixa de Operação

Faixa de Operação As propriedades de uma antena variam com suas DIMENSÕES ELÉTRICAS , que por

As propriedades de uma antena variam

com suas DIMENSÕES ELÉTRICAS, que

por sua vez dependem da FREQUÊNCIA.

A região do espectro radioelétrico

aonde a antena opera é denominada FAIXA DE OPERAÇÃO. Nesta região, as características da antena devem atender a

determinadas ESPECIFICAÇÕES.

Exemplo:

Dipolo Infinitesimal

Exemplo: Dipolo Infinitesimal 90 3 2 D( q , f ) = sen q 2 3

90

3 2 D( q , f ) = sen q 2 3 D O =
3
2
D( q
,
f
) =
sen
q
2
3
D O =
2
o
o
Largura de
90
Meia Potência
1
sen 2 q
=
3dB
2
o
o
\
q
= 45
e 135
3dB

Polarização

Polarização Até agora vimos as características das antenas relacionadas com a AMPLITUDE do campo eletromagnético

Até agora vimos as características das antenas relacionadas com a AMPLITUDE do campo eletromagnético radiado.

Porém, este campo é uma grandeza VETORIAL e por isso precisamos determinar também a sua orientação ou

POLARIZAÇÃO.

Polarização No Campo Distante: r E r - jk r ( e ˆ ˆ )
Polarização
No Campo Distante:
r
E
r
- jk r
(
e
ˆ
ˆ
)
E
=
E
q +
E
f
q
f
r
r
r
r
r
r
- jk r
1
1
(
e
ˆ
ˆ
)
H
H =
r ˆ
¥
E
=
E
f
-
E
q
q
f
h
h
r
CAMPO
j
a
j
b
onde E
= A e
;
E
= B e
q
f
TEM
No Domínio do Tempo:
r
r
r
{
j
w
t
}
E
(R,t)
= ¬
eal
E
e
1
=
[ A cos
(w
ˆ
t
- kr +
a)q
+
B
cos
(w
t
- kr +
b )f] ˆ
r
Polarização Circular
r
r
1
E (R,t) =
[ A cos
(w
ˆ
t
- kr +
a)q
+
B
cos
(w
t
- kr +
b )f] ˆ
r
Ï Ô A =
Polarização
Ì
q ˆ
-
a
= B ± p
Circular
Ô b
2
Ó l
RHCP
p
LHCP
Ô Ï +
2
b
-
a
=
Ì
f ˆ
p
-
RHCP
Ô
Ó
2
Polegar na direção de propagação
- jkr
r
j
a
e
ˆ
ˆ
\
E
=
A e
q
±
j
f

Polarização Linear

Polarização Linear \ r r 1 ˆ E (R,t) = [ A cos (w t -

\

r r 1 ˆ E (R,t) = [ A cos (w t - kr +
r
r
1
ˆ
E (R,t) =
[ A cos
(w
t
- kr +
a)q
+
B cos
(w
t
- kr +
b )f] ˆ
r
B
q ˆ
tang =
g
A
Polarização
a = b
Linear
f ˆ
r
- jkr
B
j a
ˆ
ˆ ˆ e
E
=
A
e
Ê q
Á +
f ˜
Ë
A
¯ r
l

Abertura Efetiva

Abertura Efetiva A ABERTURA EFETIVA de uma antena é definida como: A ef = Potência disponível

A ABERTURA EFETIVA de uma antena

é definida como:

A ef =

Potência disponível nos terminais da antena

Densidade de potência incidente

Do TEOREMA DA RECIPROCIDADE mostra-se que: 2 l A ( q , f ) =
Do
TEOREMA
DA
RECIPROCIDADE
mostra-se que:
2
l
A
( q
,
f
)
=
D(
q
,
f
)
ef
4 p

Especificações

Especificações Radome
Radome
Radome

Fórmula de Friis

Fórmula de Friis fornece a relação entre as potências transmitida e recebida em um enlace composto

fornece a

relação entre as potências transmitida e recebida em um enlace composto de duas

antenas no ESPAÇO LIVRE.

A

FÓRMULA

DE

FRIIS

Antena R

 
 
 
 
 
 
d

d

Antena T

Antena Yagi-Uda

Antena Yagi-Uda Antena Yagi-Uda projetada e construída por alunos do curso de Antenas (Graduação em Engenharia
Antena Yagi-Uda Antena Yagi-Uda projetada e construída por alunos do curso de Antenas (Graduação em Engenharia

Antena Yagi-Uda projetada e construída por alunos do curso de Antenas (Graduação em Engenharia Elétrica - UFMG)

e construída por alunos do curso de Antenas (Graduação em Engenharia Elétrica - UFMG) ASPAR-810 (Decibel

ASPAR-810 (Decibel Products)

Fórmula de Friis

Fórmula de Friis Densidade de potência incidente na antena receptora: G ( q   f )

Densidade de potência incidente na antena receptora:

G

( q

 

f

)

=h

D ( q

T

 

f

)

=

4

p d

2 W

inc T

W inc T

=

P T

h

T

D ( q

T

t

,

f

t

)

 

T

t

,

t

 

T

t

,

t

 

P T

 

4

p d

2

Potência disponível nos terminais da antena receptora:

2

P dispR

=

A

ef R

( q

r

f

r

) W

inc T

=

P

T

h

T

T

D ( q

t

f

t

)D

R

( q

r

f

r

)

Ê Á

l
˜

ˆ

 

,

   

,

 

,

Potência transferida ao receptor:

2

P R

=

h R

P

dispR

=

P

T

h

T

T

D (

q

t

,

f

t

)

h

R

D

R

( q

r

,

f

r

)

Á Ê

l
˜

ˆ

Fórmula de Friis

Fórmula de Friis Para completar o desenvolvimento da FÓRMULA DE FRIIS , deve-se levar em conta

Para completar o desenvolvimento da FÓRMULA DE FRIIS, deve-se levar em conta a natureza vetorial do campo eletromagnético através do FATOR DE

PERDA DE POLARIZAÇÃO:

2 P ˆ R ˆ ˆ * 2 = h D ( q , f
2
P
ˆ
R
ˆ
ˆ
* 2
= h
D
(
q
,
f
)
h
D
(
q
,
f
)
Á Ê
l ˜
E
T
T
t
t
R
R
r
r
R
P
Ë 4
p d
¯ E T
T
Ganho do
Ganho do
Fator de
Atenuação
Transmissor
Receptor
Perda de
do Espaço
Polarização
Livre
Exemplo: Enlace Via Satélite Para calcular o FATOR DE PERDA DE POLARIZAÇÃO: r e -
Exemplo:
Enlace Via Satélite
Para calcular o FATOR DE PERDA DE POLARIZAÇÃO:
r
e - jkr
ˆ
ˆ
A q
+ B
f
Linear:
(
ˆ
ˆ )
j a
ˆ
E
=
A q
+
B f
e
E
=
r
2
2
A
+
B
ˆ
±
j
ˆ
q
f
ˆ
E
= A e
q
±
j
f
E =
(
)
Se:
2
ˆ
ˆ ˆ
ˆ *
E
T
=
E R
E
T
E
R
= 1
2
ˆ
ˆ
ˆ
ˆ *
E
T
e
E
R
forem ortogonais
fi E
E
T
R
= 0
2
1
ˆ
ˆ
ˆ
ˆ
*
E
T
linear e
E R
circular (ou vice - versa)
E T
E
R
=

Circular: r

j a

ˆ ˆ e

- jkr

Exemplo:

Enlace Via Satélite

Exemplo: Enlace Via Satélite G Freq. = 12 GHz PT = 200 mW GT = 19,3

G

Freq. = 12 GHz PT = 200 mW GT = 19,3 dB GR = 50,4
Freq. = 12 GHz
PT = 200 mW
GT = 19,3 dB
GR = 50,4 dB
d = 36.000 Km
19,3
50,4
10
10
=
85,1138;
G
=
10
10
=
109.647,8196
T =
R

l

3

8

¥ 10 m/s

= =

12

9

¥ 10 Hz

25

¥

10

- 3

m

l

=

25

¥ 10

-

3

m

=

6,944 10

¥

d

36

¥ 10

6

m

- 10

 
2 Ê l ˆ ˆ ) Á ˜ E R T Ë 4 p d
2
Ê
l
ˆ
ˆ
) Á
˜
E
R
T
Ë
4
p
d
¯

ˆ

* 2

ˆ

ˆ

* 2

\

P R

=

P

T

( h

T

D

T

) ( h

R

D

E

R

=

5,7

¥

10

- 12

E T

E

R

mW