Sei sulla pagina 1di 14

Direito Penal

Prof. Ronaldo Marinho PREPARATÓRIO OAB 2013

TEORIA GERAL DO CRIME I. Desistência voluntária e arrependimento eficaz (art. 15 CP) (tentativa abandonada);
TEORIA GERAL DO CRIME
I. Desistência voluntária e arrependimento
eficaz (art. 15 CP) (tentativa abandonada);

II. Arrependimento posterior (art. 16 CP)

III. Crime Impossível (art. 17 do CP) (Tentativa

inidônea, tentativa inacabada ou quase-

crime);

TEORIA GERAL DO CRIME IV. Delito putativo por erro de tipo
TEORIA GERAL DO CRIME
IV. Delito putativo por erro de tipo

(Criminoso incompetente)

V. Delito putativo por obra do agente

provocador (Flagrante preparado, delito de ensaio ou de experiência)

VI. Agravação pelo resultado (art. 19 CP)

ERRO DE TIPO Erro de Tipo Essencial ou acidental
ERRO DE TIPO
Erro de Tipo Essencial ou acidental

1. Erro essencial

a) inevitável ou invencível ou escusável:

exclui dolo ou culpa

b) Evitável ou vencível ou inescusável:

Exclui o dolo

ERRO DE TIPO 2. Erro acidental, pode ser:: a) erro sobre o objeto (error in
ERRO DE TIPO
2. Erro acidental, pode ser::
a) erro sobre o objeto (error in objecto);

b) erro sobre a pessoa (error in persona art. 20, § 3º CP);

c) erro na execução (aberratio ictus art. 73 CP);

d) resultado diverso do pretendido (aberratio criminis art. 74);

e) erro sobre o nexo causal (aberratio causae)

ATT: ERRO DE TIPO PERMISSIVO

CRIME TENTADO E CONSUMADO O ITERT CRIMINIS : FASE INTERNA (COGITATIO) E FASE EXTERNA
CRIME TENTADO E CONSUMADO
O ITERT CRIMINIS : FASE INTERNA
(COGITATIO) E FASE EXTERNA

1. cogitatio ou cogitação.

2. preparação: (art. 31 CP)

3. execução;

4. consumação; e, em alguns casos,

5. exaurimento.

(art. 14 do CPB)

CRIME TENTADO E CONSUMADO Formas de Tentativa: a) Imperfeita: Aqui o agente não exaure
CRIME TENTADO E CONSUMADO
Formas de Tentativa:
a) Imperfeita: Aqui o agente não exaure

sua potencialidade lesiva;

b) Perfeita ou crime falho: exaure toda a sua potencialidade lesiva, mas não se

consuma, por circunstância alheia.

ATT: Súmula 610 STF (latrocínio)

NÃO ADMITEM TENTATIVA: 1. Crime culposo; 2. Crime preterdoloso; 3. Contravenções penais (art. 4º LCP);
NÃO ADMITEM TENTATIVA:
1.
Crime culposo;
2.
Crime preterdoloso;
3.
Contravenções penais (art. 4º LCP);

4.

5.

6.

7.

Crimes omissivos próprios;

Crimes habituais;

Crimes unissubsistentes (art. 140 CP);

Crimes de empreendimentos ou atentados (art.

352 CP)

QUESTÕES
QUESTÕES

QUESTÃO 3

É cabível o arrependimento posterior no crime de:

A) lesão corporal dolosa.

B ) homicídio.

C ) roubo.

D ) furto.

V EXAME DA ORDEM 59) Apolo foi ameaçado de morte por Hades, conhecido matador de
V EXAME DA ORDEM
59) Apolo foi ameaçado de morte por Hades, conhecido matador de

aluguel. Tendo tido ciência, por fontes seguras, que Hades o mataria naquela noite e, com o intuito de defender-se, Apolo saiu de casa com uma faca no bolso de seu casaco. Naquela noite, ao encontrar Hades em uma rua vazia e escura e, vendo que este colocava a mão

no bolso, Apolo precipita-se e, objetivando impedir o ataque que

imaginava iminente, esfaqueia Hades, provocando-lhe as lesões corporais que desejava. Todavia, após o ocorrido, o próprio Hades contou a Apolo que não ia matá-lo, pois havia desistido de seu intento e, naquela noite, foi ao seu encontro justamente para dar-lhe

a notícia. Nesse sentido, é correto afirmar que

(A)

mesmo sendo o erro escusável, Apolo não é isento de pena.

(B)

havia dolo na conduta de Apolo.

(C)

mesmo sendo o erro inescusável, Apolo responde a título de dolo.

VI EXAME DA ORDEM 60) José dispara cinco tiros de revólver contra Joaquim, jovem de
VI EXAME DA ORDEM
60) José dispara cinco tiros de revólver contra Joaquim, jovem de 26

(vinte e seis) anos que acabara de estuprar sua filha. Contudo, em decorrência de um problema na mira da arma, José erra seu alvo, vindo a atingir Rubem, senhor de 80 (oitenta) anos, ceifando-lhe a vida.

A esse respeito, é correto afirmar que José responderá

pelo homicídio de Rubem, agravado por ser a vítima maior de 60

(sessenta) anos.

por tentativa de homicídio privilegiado de Joaquim e homicídio

culposo de Rubem, agravado por ser a vítima maior de 60 (sessenta)

(B)

(A)

anos. (C) apenas por tentativa de homicídio privilegiado, uma vez que ocorreu erro quanto à pessoa.

(D) apenas por homicídio privilegiado consumado, uma vez que

ocorreu erro na execução.

OAB NACIONAL 2008.1 Acerca do dolo e da culpa, assinale a opção correta: a)
OAB NACIONAL 2008.1
Acerca do dolo e da culpa, assinale a opção correta:
a)

Quando o agente deixa de prever o resultado que lhe era previsível, fica caracterizada a culpa imprópria e o agente responderá pelo delito preterdoloso;

b) Quando o agente, embora prevendo o resultado, não deixa de

praticar a conduta porque acredita, sinceramente, que esse resultado não venha a ocorrer, caracteriza-se a culpa inconsciente;

c) Quando o agente comete o erro sobre elemento constitutivo do

tipo legal de crime, exclui-se o dolo, embora seja permitida a

punição por crime culposo, se previsto em lei;

d) Quando o agente, embora não querendo diretamente praticar a infração penal, não se abastem de agir e, com isso, assume o risco

de produzir o resultado que por ele já havia sido previsto e aceito,

há culpa consciente.

OAB NACIONAL 2009.1 Acerca do instituto da desistência voluntária, do arrependimento eficaz e do arrependimento
OAB NACIONAL 2009.1
Acerca do instituto da desistência voluntária, do arrependimento eficaz e do
arrependimento posterior, assinale a opção correta:
a)

O agente que, voluntariamente, desiste de prosseguir na execução ou impede que o resultado se produza responderá pelo crime consumado com causa de redução de pena de um a dois terços;

b) A desistência voluntária e o arrependimento eficaz, espécies de tentativa abandonada ou qualificada, passam por três fases: o início da execução, a não consumação e a interferência do próprio agente;

c) Crimes de mera conduta e formais comportam arrependimento eficaz,

uma vez que, encerrada a execução, o resultado naturalístico pode ser

evitado;

d) A natureza jurídica do arrependimento posterior é a de causa geradora de atipicidade absoluta da conduta, que provoca a adequação típica

indireta, de forma que o autor não responde pela tentativa, mas pelos

atos até então praticados.

Direito Penal

Prof. Ronaldo Marinho PREPARATÓRIO OAB 2013