Sei sulla pagina 1di 80

RACIOCÍNIO LÓGICO EM EXERCÍCIOS

RACIOCÍNIO LÓGICO EM EXERCÍCIOS Professor: Brunno Lima E-mail: brunnolima@euvoupassar.com.br Facebook:

Professor: Brunno Lima

E-mail:

Facebook:

RACIOCÍNIO LÓGICO

Estruturas Lógicas.

Diagramas Lógicos e Lógica de Argumentação.

Raciocínio sequencial; orientação espacial e

temporal; formação de conceitos; discriminação de elementos.

MATEMÁTICA

Arranjos, Combinações e Permutações Probabilidade

Matrizes,

Determinantes

(Álgebra Linear)

e

Sistemas Lineares

MATEMÁTICA

Compreensão e elaboração da lógica das situações por meio de: raciocínio matemático (que envolvam, entre outros, conjuntos numéricos racionais e reais - operações, propriedades, problemas envolvendo as quatro operações nas formas fracionária e decimal; conjuntos numéricos complexos; números e grandezas proporcionais; razão e proporção; divisão proporcional; regra de três simples e composta; porcentagem)

MATEMÁTICA

Trigonometria

Geometria Básica

Conjuntos

Álgebra

MATEMÁTICA FINANCEIRA

Juros Simples e Compostos, Taxas de Juros, Desconto, Equivalência de Capitais, Anuidades e Sistemas de Amortização.

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS
Tabelas-verdade 1ª) Negação (ÿ ou ~) NÃO V F
Tabelas-verdade
1ª) Negação (ÿ ou ~)
NÃO
V
F
REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS
NEGAÇÃO DE SÍMBOLOS MATEMÁTICOS Exemplos: a) Negar a sentença: a > 7 b) Negar a
NEGAÇÃO DE SÍMBOLOS MATEMÁTICOS
Exemplos:
a) Negar a sentença: a > 7
b) Negar a sentença: x ≤ – 8
1
c) Negar a sentença: y≠ 2
REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS
Tabelas-verdade 2ª) Conjunção ( Ÿ ) E, V V MAS V F F V F
Tabelas-verdade
2ª) Conjunção ( Ÿ )
E,
V
V
MAS
V
F
F
V
F
F
REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS
Tabelas-verdade 3ª) Disjunção Inclusiva (⁄) ⁄ V V OU V F F V F F
Tabelas-verdade
3ª) Disjunção Inclusiva (⁄)
V
V
OU
V
F
F
V
F
F
REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS
Tabelas-verdade 4ª) Disjunção Exclusiva ( ⁄ ) ⁄ V V OU OU V F F
Tabelas-verdade
4ª) Disjunção Exclusiva ( ⁄ )
V
V
OU
OU
V
F
F
V
F
F
REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS
Tabelas-verdade 5ª) Condicional ( Æ ) Æ V V SE ENTÃO V F F V
Tabelas-verdade
5ª) Condicional ( Æ )
Æ
V
V
SE
ENTÃO
V
F
F
V
F
F
REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS
Tabelas-verdade 6ª) Bicondicional ( « ) V V SE E SOMENTE SE V F F
Tabelas-verdade
6ª) Bicondicional ( « )
V
V
SE E SOMENTE SE
V
F
F
V
F
F

01) (ANALISTA EM PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS PÚBLICAS-SEFAZ-SP/MARÇO DE 2009-ESAF) Assinale a opção verdadeira.

a) 3 = 4 e 3 + 4 = 9

b) Se 3 = 3, então 3 + 4 = 9

c) Se 3 = 4, então 3 + 4 = 9

d) 3 = 4 ou 3 + 4 = 9

e) 3 = 3 se e somente se 3 + 4 = 9

02) (GESTOR FAZENDÁRIO-MG/JUNHO DE 2005-ESAF) Considere a afirmação P:

P: “A ou B” ondeAe B, por sua vez, são as seguintes afirmações:

A: “Carlos é dentista” B: “Se Enio é economista, então Juca é arquiteto” Ora, sabe-se que a afirmação P é falsa. Logo:

a) Carlos não é dentista; Enio não é economista; Juca

não é arquiteto.

b) Carlos não é dentista; Enio é economista; Juca não é

arquiteto.

c) Carlos não é dentista; Enio é economista; Juca é

arquiteto.

d) Carlos é dentista; Enio não é economista; Juca não é

arquiteto.

e) Carlos é dentista; Enio é economista; Juca não é

arquiteto.

03) (ANALISTA DE FINANÇAS E CONTROLE-STN/2005-ESAF)

A afirmação “Alda é alta, ou Bino não é baixo, ou Ciro é calvo” é falsa. Segue-se, pois, que é verdade que:

a) se Bino é baixo, Alda é alta, e se Bino não é baixo,

Ciro não é calvo.

b) se Alda é alta, Bino é baixo, e se Bino é baixo, Ciro é

calvo.

c) se Alda é alta, Bino é baixo, e se Bino não é baixo, Ciro não é calvo.

d) se Bino não é baixo, Alda é alta, e se Bino é baixo,

Ciro é calvo.

e) se Alda não é

calvo, Bino não é baixo.

alta, Bino não é baixo, e se

Ciro é

04) (AUDITOR FISCAL DA RECEITA ESTADUAL-MG/JULHO DE 2005)

O reino está sendo atormentado por um terrível dragão. O mago diz ao rei: “O dragão desaparecerá amanhã se e somente se Aladim beijou a princesa ontem”. O rei, tentando compreender melhor as palavras do mago, faz as seguintes perguntas ao lógico da corte:

1. Se a afirmação do mago é falsa e se o dragão desaparecer amanhã, posso concluir corretamente que Aladim beijou a princesa ontem?

2. Se a afirmação do mago é verdadeira e se o dragão desaparecer amanhã, posso concluir corretamente que Aladim beijou a princesa ontem? 3. Se a afirmação do mago é falsa e se Aladim não beijou a princesa ontem, posso concluir corretamente que o dragão desaparecerá amanhã?

O lógico da corte, então, diz acertadamente que as respostas logicamente corretas para as três perguntas são, respectivamente:

a) Não, sim, não

c) Sim, sim, sim d) Não, sim, sim

e) Sim, não, sim

b) Não, não, sim

Resolução:

O mago diz ao rei:

“O dragão desaparecerá amanhã se Aladim beijou a princesa ontem”

e somente se

1. Se a afirmação do mago é falsa e se o dragão desaparecer amanhã, posso concluir corretamente que Aladim beijou a princesa ontem?

Resolução:

O mago diz ao rei:

“O dragão desaparecerá amanhã se Aladim beijou a princesa ontem”

e somente se

2. Se a afirmação do mago é verdadeira e se o dragão desaparecer amanhã, posso concluir corretamente que Aladim beijou a princesa ontem?

Resolução:

O mago diz ao rei:

“O dragão desaparecerá amanhã se Aladim beijou a princesa ontem”

e somente se

3. Se a afirmação do mago é falsa e se Aladim não beijou a princesa ontem, posso concluir corretamente que o dragão desaparecerá amanhã?

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS
ORDEM DE PRECEDÊNCIA DOS CONECTIVOS
ORDEM DE PRECEDÊNCIA DOS CONECTIVOS

05) (ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL-MPOG/AGOSTO DE 2009-ESAF) Entre as opções abaixo, a única com valor lógico verdadeiro é:

a) Se Roma é a capital da Itália, Londres é a capital da França.

b) Se Londres é a capital da Inglaterra, Paris não é a capital da França.

c) Roma é a capital da Itália e Londres é a capital da

França ou Paris é a capital da França.

d) Roma é a capital da Itália e Londres é a capital da França ou Paris é a capital da Inglaterra.

e) Romaéa capital da Itália e Londres não é a capital

da Inglaterra.

06) (TÉCNICO DE CONTROLE INTERNO-PREFEITURA MUNICIPAL DE NITERÓI/1999-ESAF) Dadas as proposições:

I) ~ (1 + 1 = 2 ´ 3 + 4 = 5)

II) ~ (2 + 2 4 Ù 3 + 5 = 8)

III) 4 3 64 Æ ~ (3 + 3 =7 ´ 1 + 1 = 2)

IV) ~ (2 3 8

Ú 4 2 4 3 )

V) 3 4 = 81 Æ (2 + 1 = 3 Ù 5 x 0 = 0)

A que tem valor lógico falso é a:

a) IV

b) V

c) III

d) II

e) I

Resolução:

I) ~ (1 + 1 = 2 ´ 3 + 4 = 5)

II) ~ (2 + 2 4 Ù 3 + 5 = 8)

III) 4 3 64 Æ ~ (3 + 3 =7 ´ 1 + 1 = 2)

IV) ~ (2 3 8

Ú 4 2 4 3 )

V) 3 4 = 81 Æ (2 + 1 = 3 Ù 5 x 0 = 0)

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS

LEITURAS DA CONDICIONAL

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS

LEITURAS DA BICONDICIONAL

07) (ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL-MPOG/AGOSTO DE 2009-ESAF) Considere que: “se o dia está bonito, então não chove”. Desse modo:

a) não chover é condição necessária para o dia estar

bonito.

b) não chover é condição suficiente para o dia estar bonito.

c)

bonito.

estar

chover

é

condição

necessária

dia

para

o

d) o dia estar bonito é condição necessária e suficiente para chover.

e) chover é condição necessária para o dia não estar

bonito.

08) (ANALISTA JUDICIÁRIO-ESPECIALIDADE: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO-TRT 2ª REGIÃO/NOVEMBRO DE 2008-FCC)

São dadas as seguintes proposições:

p: Computadores são capazes de processar quaisquer tipos de dados. q: É possível provar que + 1 = . Se p implica em q, então o fato de a) ser possível provar que + 1 = é uma condição necessária e suficiente para que os computadores sejam capazes de processar quaisquer tipos de dados.

b) computadores serem capazes de processar quaisquer tipos de dados não é condição necessária e nem suficiente para que seja possível provar que + 1 = .

c) ser possível provar que + 1 = é uma condição suficiente para que os computadores sejam capazes de processar quaisquer tipos de dados.

d) computadores serem capazes de processar quaisquer tipos de dados é condição necessária para que seja possível provar que + 1 = .

e) ser possível provar que + 1 = é condição necessária para que os computadores sejam capazes de processar quaisquer tipos de dados.

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS

EQUIVALÊNCIAS

P ® Q Û ~P Ú Q

Regra para se escrever um “se “ou” ou vice-versa:

1º) Negar a 1ª parte.

2º) Trocar o conectivo “se

“ou”; ou trocar o conectivo “ou” pelo “se

então” como um

então” pelo conectivo

então

”.

3º) Manter a 2ª parte.

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS

Exemplos:

a) (ANALISTA JUDICIÁRIO-TRT 9ª REGIÃO/2004-FCC) Um economista deu a seguinte declaração em uma entrevista: "Se os juros bancários são altos, então a inflação é baixa'".

do

economista é:

Uma

proposição

logicamente

equivalente

à

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS

campeão

brasileiro de futebol em 2012 ou o professor João Antonio ficará triste” é logicamente equivalente a:

b)

A

proposição

“O

time

do

Sport

será

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS
EQUIVALÊNCIAS P ® Q Û ~Q ® ~P (contrapositiva) Devemos negar as duas partes e
EQUIVALÊNCIAS
P ® Q Û ~Q ® ~P
(contrapositiva)
Devemos negar as duas partes e depois
“inverter” as posições das proposições
obtidas.
REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS

Exemplos:

a) (AGENTE PENITENCIÁRIO-BA/ABRIL DE 2010-FCC) Uma afirmação equivalente à afirmação “Se bebo, então não dirijo” é:

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS

b) Se 2 + 4 > 5, então 12 – 3 = 8.

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS
EQUIVALÊNCIAS P « Q Û (P ® Q) Ù (Q ® P)
EQUIVALÊNCIAS
P « Q Û (P ® Q) Ù (Q ® P)
REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS

Exemplo:

Salvador é capital da Bahia se e somente se Maceió não é capital de Pernambuco.

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS
NEGAÇÕES NEGAÇÃO DA NEGAÇÃO ~ ~P Û P Exemplos: ~(~(~(~(~P)))) Û
NEGAÇÕES
NEGAÇÃO DA NEGAÇÃO
~ ~P Û P
Exemplos:
~(~(~(~(~P)))) Û
REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS

b) Dizer que não é verdade que é falso que não é o caso que não sou brasileiro é logicamente equivalente a dizer que é verdade que

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS
NEGAÇÃO DO “E” 1ª regra: ~(P Ù Q) Û (~P) Ú (~Q) Para negarmos uma
NEGAÇÃO DO “E”
1ª regra: ~(P Ù Q) Û (~P) Ú (~Q)
Para negarmos uma proposição com conectivo “e”,
podemos negar todas as partes e trocar o conectivo
“e” pelo “ou”.
2ª regra: ~(P Ù Q) Û P ® (~Q)
Para negarmos uma proposição com conectivo “e”,
podemos manter a primeira parte; trocar o “e” pelo
“se
então” e, por fim, negar a 2ª parte.
REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS

Exemplos:

a) A negação da proposição: “2 não é um número primo e 3 + 5 < 9” é logicamente equivalente a:

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS

Exemplo:

A negação da proposição “x < 3 e x 5” é:

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS
NEGAÇÃO DO “OU” ~(P Ú Q) Û (~P) Ù (~Q) Regra: Para negarmos uma proposição
NEGAÇÃO DO “OU”
~(P Ú Q) Û (~P) Ù (~Q)
Regra:
Para negarmos uma proposição com conectivo “ou”,
devemos negar todas as partes e trocar o conectivo
“ou” pelo “e”.
REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS

Exemplos:

a) (TÉCNICO ADMINISTRATIVO-DETRAN-AC/2009-CESGRANRIO)

A negação da proposição “Mário é brasileiro ou Maria não é boliviana” é

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS

b) A negação da proposição “x < 3 ou x 5” é:

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS

NEGAÇÃO DO “SE

ENTÃO

~(P ® Q) Û P Ù (~Q)

Para

negarmos

uma

proposição

com

conectivo

“se

então

”,

devemos:

 

1º) manter a 1ª parte; 2º) trocar o conectivo “se 3º) negar a 2ª parte.

então

pelo “e”

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS

Exemplos:

(CONTADOR-DETRAN-AC/SETEMBRO DE 2009- CESGRANRIO) Qual é a negação da proposição “Se Lino se esforça, então consegue”?

REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS
Idempotência Comutatividade P Ù P Û P P Ù Q Û Q Ù P P
Idempotência
Comutatividade
P
Ù P
Û
P
P
Ù Q Û
Q Ù P
P
Ú P
Û
P
P
Ú Q Û
Q Ú P
Distributividade
P
Ú Q Û
Q Ú P
P
Ù (Q Ú R) Û
P
Ú (Q Ù R) Û
(P Ù Q) Ú (P Ù R)
(P Ú Q) Ù (P Ú R)
P «
Q Û Q « P
REVISÃO DE CONTEÚDOS
REVISÃO DE CONTEÚDOS
Alguns casos particulares de: Tautologia Contradição Indeterminação P Ú (~P) P Ù (~P) P ®
Alguns casos particulares de:
Tautologia
Contradição
Indeterminação
P Ú (~P)
P Ù (~P)
P ® (~P)
P
®
P
P « (~P)
P
Ù P
P
« P
P Ú P
P
Ú P
P Ú (~P)

09) (AGENTE DE FAZENDA-SMF-PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO/OUTUBRO DE 2010-ESAF)

Qual das proposições abaixo tem a mesma tabela verdade que a proposição: “Se |a| < 3, então b 4 ”, ondeae b são números reais?

a) b 4 e | a| < 3 .

b) b > 4 ou |a| < 3.

c) b > 4 e |a| < 3 .

d) b 4 ou |a| < 3 .

e) b 4 ou |a| 3.

10) (FISCAL DE RENDAS-SMF-PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO/SETEMBRO DE 2010-ESAF) A proposição “um número inteiro é par se e somente se o seu quadrado for par” equivale logicamente à proposição:

a) se um número inteiro for par, então o seu quadrado

é par, e se um número inteiro não for par, então o seu quadrado não é par.

b) se um número inteiro for ímpar, então o seu quadrado é ímpar. c) se o quadrado de um número inteiro for ímpar, então o número é ímpar.

d) se um número inteiro for par, então o seu quadrado

é par, e se o quadrado de um número inteiro não for

par, então o número não é par.

e) se um número inteiro for par, então o seu quadrado

é par.

11) (AGENTE DE TRABALHOS DE ENGENHARIA-SMF- PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO/SETEMBRO

DE 2010-ESAF) Sendo x um número real, a proposição

x 2

1

se

e

somente

logicamente à:

se

x

1

ou x 1 equivale

a) Se x = 1 , então x 2 = 1 .

b) Se x > 1 , então x 2 > 1 .

c) Se – 1 < x < 1 , então x 2 < 1 .

d) Se – 1 < x < 1, então x 2 < 1, e se x 1 x 2 1.

– x 1 ou x – 1 .

e)

Se

1

1, então x 2

<

x

1,

<

<

e

ou x – 1, então

se

x 2

1, então

13) (ANALISTA TRIBUTÁRIO DA RECEITA FEDERAL-SRF/DEZEMBRO

DE 2009-ESAF) A afirmação: “João não chegou ou Maria está atrasada” equivale logicamente a:

a) Se João não chegou, Maria está atrasada.

b) João chegou e Maria não está atrasada.

c) Se João chegou, Maria não está atrasada.

d) Se João chegou, Maria está atrasada.

e) João chegou ou Maria não está atrasada.

Resolução:

“João não chegou ou Maria está atrasada”

14)

(ASSISTENTE

TÉCNICO

ADMINISTRATIVO-MF/MAIO

DE

2009-ESAF)

X e Y são números tais que: Se Sendo assim:

a) Se Y 7 , então X > 4 .

X

4,

então Y >

7.

b) Se Y > 7 , então X 4.

c) Se X 4 , então Y < 7.

d) Se

Y < 7, então X 4.

e) Se X < 4 , então Y 7.

15)

(ASSISTENTE

TÉCNICO

ADMINISTRATIVO-MF/MAIO

DE

2009-ESAF)

A negação de “Ana ou Pedro vão ao cinema e Maria fica em casa” é:

a) Ana e Pedro não vão ao cinema ou Maria fica em casa.

b) Ana e Pedro não vão ao cinema ou Maria não fica

em casa.

c) Ana ou Pedro vão ao cinema ou Maria não fica em casa.

d) Ana ou Pedro não vão ao cinema e Maria não fica

em casa.

e) Ana e Pedro não vão ao cinema e Maria fica em casa.

16) (ANALISTA-ANEEL/ABRIL DE 2006-ESAF) A negação

da

viajar” é:

afirmação

condicional

“se

Ana

viajar,

Paulo

vai

a) Ana não está viajando e Paulo vai viajar.

b) se Ana não viajar, Paulo vai viajar.

c) Ana está viajando e Paulo não vai viajar.

d) Ana não está viajando e Paulo não vai viajar.

e) se Ana estiver viajando, Paulo não vai viajar.

17) (ANALISTA DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO- MPOG/FEVEREIRO DE 2010-ESAF) Sejam F e G duas proposições e ~F e ~G suas respectivas negações. Marque a opção que equivale logicamente à proposição composta: F se e somente G.

a) F implica G e ~G implica F.

b) F implica G e ~F implica ~G.

c) Se F então G e se ~F então G.

d) F implica G e ~G implica ~F. e) F se e somente se ~G. B

Resolução:

F se e somente G

18) (ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL-MPOG/FEVEREIRO DE 2001-ESAF) Dizer que “André é artista ou Bernardo não é engenheiro” é logicamente equivalente a dizer que:

a) André é artista se e somente se Bernardo não é engenheiro.

b)

Se

André

é

artista,

então

Bernardo

não

é

engenheiro.

 

c)

Se

André

não

é

artista,

então

Bernardo

é

engenheiro. d) Se Bernardo é engenheiro, então André é artista. e) André não é artista e Bernardo é engenheiro.

Resolução:

“André é artista ou Bernardo não é engenheiro”

19) (ANALISTA DE SISTEMAS JÚNIOR – ÁREA:SOFTWARE-

TRANSPETRO/JULHO

DE

2011-CESGRANRIO)

Negar

a

afirmação “o leão não é feroz e a girafa não gorjeia” equivale a afirmar que

a) se o leão não é feroz, então a girafa gorjeia.

b) se a girafa não gorjeia, então o leão não é feroz.

c) o leão é feroz, e a girafa gorjeia.

d) o leão não é feroz ou a girafa gorjeia.

e) o leão é feroz ou a girafa não gorjeia.

Resolução:

“o leão não é feroz e a girafa não gorjeia”

20) (TÉCNICO ADMINISTRATIVO–ANEEL/ABRIL DE 2006-ESAF)

Se Elaine não ensaia, Elisa não estuda. Logo,

a) Elaine ensaiar é condição necessária para Elisa não

estudar.

b)

estudar.

c) Elaine não ensaiar é condição necessária para Elisa

não estudar.

d) Elaine não ensaiar é condição suficiente para Elisa estudar.

e)

Elisa

estudar.

Elisa

Elaine

ensaiar

é

condição

suficiente

para

Elaine

ensaiar

é

condição

necessária

para

Resolução:

Se Elaine não ensaia, Elisa não estuda.

21) (ANALISTA EM PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS PÚBLICAS-SEFAZ-SP/MARÇO DE 2009-ESAF) A negação de: Milão é a capital da Itália ou Paris é a capital da Inglaterra é:

a) Milão não é a capital da Itália e Paris não é a capital

da Inglaterra.

b) Paris não é a capital da Inglaterra.

c) Milão não é a capital da Itália ou Paris não é a capital da Inglaterra.

d) Milão não é a capital da Itália.

e) Milão é a capital da Itália e Paris não é a capital da

Inglaterra.

Resolução:

Milão é a capital Inglaterra é

da Itália

ou Paris

é

a capital da

22) (TÉCNICO DE FINANÇAS E CONTROLE-CGU/MARÇO DE 2008-ESAF)

Um renomado economista afirma que “A inflação não baixa ou a taxa de juros aumenta”. Do ponto de vista lógico, a afirmação do renomado economista equivale a dizer que:

a)

se a taxa de juros aumenta, então a inflação baixa.

b)

se a inflação baixa, então a taxa de juros aumenta.

c)

se

a

inflação

não

baixa,

então

a

taxa

de

juros

aumenta.

a inflação baixa, então a taxa de juros não

aumenta. e) se a inflação não baixa, então a taxa de juros não aumenta.

d)

se

Resolução:

“A inflação não baixa ou a taxa de juros aumenta”.

“Maria comprou uma blusa nova e foi ao cinema com José” é:

a) Maria não comprou uma blusa nova ou não foi ao

cinema com José.

b) Maria não comprou uma blusa nova e foi ao cinema

sozinha.

c) Maria não comprou uma blusa nova e não foi ao

cinema com José.

d) Maria não comprou uma blusa nova e não foi ao

cinema.

e) Maria comprou uma blusa nova, mas não foi ao

cinema com José.

Resolução:

“Maria comprou uma blusa nova e foi ao cinema com José”