Sei sulla pagina 1di 1
ESTADO DE MINAS - SÁBADO, 20 DE OUTUBRO DE 2001 P Á G I N

ESTADO DE MINAS - SÁBADO, 20 DE OUTUBRO DE 2001

PÁGINA 23

GERAIS

ASSASSINATO

JULGAMENTO DO ESTUDANTE ERNANI ABRITTA, ACUSADO DE MATAR O PUBLICITÁRIO EMÍLIO BELLETTI, EM DEZEMBRO DE 1998, REÚNE DEZ TESTEMUNHAS, COM PREVISÃO DE TÉRMINO APENAS NA MADRUGADA DE HOJE

Júri popular agita Nova Lima

MARCELO PORTELA

das as pessoas que queriam acompanhar a sessão do júri, e apesar de mais cadeiras terem sido colocadas na sala, muitos curiosos permaneceram de pé.

NEGATIVAS

O julgamento teve início com

o interrogatório do réu, que ne-

gou todas as acusações e tentou desqualificar as provas arrola-

das no inquérito policial, prin- cipalmente o laudo da balística

e o reconhecimento realizado

no Departamento Estadual de Operações Especiais (Deoesp)

da Polícia Civil, em Belo Hori-

zonte. Abritta está preso no lo- cal desde 1999. “Não digo que as provas da

acusação são

forjadas, mas

são imprestá-

veis”, avaliou

um dos advo-

gados do réu, Maurício Campos Jú- nior, durante a leitura das peças do pro-

cesso. “Além

do laudo e do

reconheci-

Moradores de Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, pararam suas atividades, ontem, para acom- panhar o julgamento do estu- dante de Direito, Ernani de

Souza Abritta Jr., 26 anos, acu- sado de matar a tiros o publi- citário Emílio Sérgio Belletti Rodrigues, no dia 13 de de- zembro de 1998. O julgamento teve início pouco depois das 8h

e a previsão é que a decisão so-

bre o destino de Abritta só fos-

se conhecida na madrugada de

hoje.

Abritta foi submetido a júri popular acu-

sado de homi-

cídio

(com intenção

de matar) com

a qualificação

de utilizar re- curso que im-

possibilita

defesa da víti- ma. As cinco

testemunhas

de

cinco

acusação

foram ouvidas

até

seguindo-se

um recesso.

cinco acusação foram ouvidas até seguindo-se um recesso. JAIR AMARAL VINGANÇA O foi publicitário Emílio Belletti

JAIR AMARAL

VINGANÇA

O

foi

publicitário Emílio Belletti

assassinado a tiros

doloso

a

e

de

22h10,

0h30,

de

defesa

Até

mento, tudo mais são espe-

culações. Todo

o caso foi

construído co- mo um grande romance poli- cialesco”, acrescenta. Já o assis- tente da acu- sação, advo-

gado Jair Leo-

nardo Lopes,

estava con- fiante na condenação de Abrit- ta e afirmou não ter dúvidas sobre a culpa do réu. “Há pro- vas concretas contra ele. É nor- mal que a defesa queira des-

moralizar as provas, mas não

tenho dúvida nenhuma que vai

ter a condenação. Tem casos que a gente pode até ter dúvi- das, mas nesse não”, salientou. Ex-professor de Maurício Cam- pos, Jair Leonardo elogiou o colega, mas avaliou que não havia como conseguir a absol- vição do réu. “Ele (Abritta) po- deria ter conseguido outro ad- vogado tão bom, mas nunca melhor. Só que ele não vai con- seguir a absolvição porque se- ria um milagre. E milagroso ele não é”, concluiu.

horário

fechamento

desta edição,

a promotoria

não tinha con- cluído sua ar- gumentação.

Após esta fase,

seguiriam-se

os debates

pela madruga-

da adentro. A promotoria in- sistia na tese de que se tratou de um homicídio qualificado, sujeito a pena de 12 a 30 anos

de prisão.

A praça onde fica localizado

o Fórum de Nova Lima teve o

trânsito interditado e o plená- rio do júri foi tomado por ad- vogados, amigos, familiares da vítima e do réu e muitos curio- sos. O plenário tem lugar para 85 pessoas assistirem ao julga- mento, sendo dez deles reser- vados a advogados e estagiá- rios de Direito, dez para fami- liares da vítima e outros dez para parentes do réu. Mas os 55 lugares restantes não foram suficientes para acomodar to-

lugares restantes não foram suficientes para acomodar to- SIDNEY LOPES SEM CULPA Ernani Abritta (primeiro à

SIDNEY LOPES

SEM CULPA

Ernani Abritta (primeiro à esquerda) alega inocência durante o júri popular a que está sendo submetido

Crime teria motivação passional

O publicitário Emílio Sérgio Belletti foi assassinado com cinco tiros no dia 13 de dezembro de 1998. O corpo foi encontrado dentro de seu Vectra na região do Vale do Sereno, também co- nhecida como “Seis Pistas”, em Nova Lima, na Grande BH. De acordo com a polícia, o pu- blicitário foi vítima de um crime passional e teria sido assassina- do porque estaria se relacionan- do com Tatiana Alves Torres, ex- namorada do estudante de Direi- to Ernani de Souza Abritta, indi- ciado como autor do assassinato.

Apesar de não ter anteceden- tes criminais, ter residência fixa e uma série de outros fatores, Abritta acabou preso alguns me- ses após o crime e desde então teve negados todos os recursos judiciais que tentavam fazer com que ele respondesse processo em liberdade. Segundo a polícia, o maior erro de Abritta foi utilizar, para matar Belletti, o revólver calibre 38 que havia comprado e regis- trado em seu nome dez dias an- tes do crime. A arma foi entre- gue à polícia por um amigo do

réu algum tempo após o homicí- dio. O exame de balística feito pelo Instituto de Criminalística constatou que três das cinco ba- las extraídas do corpo do publi- citário saíram da arma. Outro fator que levou ao indi- ciamento de Abritta foram os crisântemos que ele teria utiliza- do para entrar disfarçado no prédio onde morava o publicitá- rio. Algumas dessas flores foram encontradas dentro do carro de Belleti. Se condenado, o réu po- de pegar de 12 a 30 anos de ca- deia.

ITABIRA

LIVRE DA ACUSAÇÃO DE ENVOLVIMENTO COM DROGAS, JOSÉ GERALDO ACUSA MILITARES

Jornalista acusado de tráfico é absolvido

LANDERCY HEMERSONVY

O jornalista e despachante

José Geraldo Rodrigues, de 44 anos, foi absolvido ontem da acusação de tráfico de drogas. Ele ficou detido 44 dias na 49ª Delegacia Regional da Polícia Civil, em Itabira, a 167 quilô- metros de Belo Horizonte, após ser preso em flagrante em sua casa por policiais militares dos 26º BPM daquela cidade, que

encontraram no local 22 pape-

lotes de cocaína e oito de crack.

O jornalista atribuiu sua prisão

a uma armação de militares de-

nunciados por ele pela prática

de tortura e abuso de poder.

A absolvição de José Rodri-

gues foi pedida pelo próprio promotor Paulo de Tarso du- rante a audiência de instrução

e julgamento do processo. O

juiz Fernando Vasconcelos Lins acatou o pedido diante da falta

de provas de que a droga apreendida pertencia de fato ao acusado. Porém, a tese de ar-

mação policial não foi aceita pe-

lo juiz. O advogado do jornalis-

ta, Fabiano Penido de Alvaren- ga, disse que avalia com seu cliente a possibilidade de entrar

disse que avalia com seu cliente a possibilidade de entrar com uma ação de danos morais

com uma ação de danos morais contra o Estado.

José Rodrigues foi libertado no final da tarde. Ele disse que sua família já tomou cuidados para evitar perseguições poli- ciais. Seu advogado não descar- ta que pode pedir habeas-cor- pus preventivo, no caso de o jornalista voltar a sofrer intimi- dações, tais com as constantes blitze de trânsito a que era sub- metido. Rodrigues garante que não vai se calar diante das ar- bitrariedades policiais. Ele afir-

ma que vai persistir nas denún-

cias de abusos policiais, prome- tendo mobilizar entidades e po-

líticos ligados à defesa dos di-

reitos humanos. A prisão do pedreiro Sérgio Gonçalves, de 29 anos, ocorri- da no dia 21 em Itabira, tam-

bém é apontada por seus fami- liares como armação. A mu- lher do acusado, a costureira Marli Pereira Antunes, de 38 anos, disse que um mês antes da prisão de seu marido, ela viu militares forjando um fla-

grante e se prontificou a teste- munhar. Sérgio, que já foi pro- cessado por uso de drogas, permanece preso.

já foi pro- cessado por uso de drogas, permanece preso. MARCELO SANT’ANNA DENÚNCIA O jornalista José

MARCELO SANT’ANNA

DENÚNCIA

O jornalista José Geraldo Rodrigues ficou preso durante 44 dias

METRÔ

Tiroteio em estação fere três pessoas

Um menor de 17 anos foi baleado no fim da tarde de ontem, na Estação Metrô El- dorado , no Conjunto Água Branca, em Contagem. Atingi- do por cinco tiros, ele está em estado grave no Hospital de Pronto Socorro (HPS). Outras duas pessoas foram atingidas por balas perdidas. José Ail- son dos Santos, 37, sofreu fe- rimento na coxa e foi medica- do no Hospital Municipal de Contagem e liberado. José Ubirajara Correia, 31, ferido de raspão não quis receber atendimento médico. Os dois homens que efe- tuaram o disparo fugiram na moto CG 125, placa GQQ 9449. A polícia acredita que o objetivo dos criminosos era executar o menor, que há um mês escapou de um outro atentado. Luiz Augusto Nascimento, 25, foi atingido por um tiro na boca, durante um assalto a co- letivo. O fato ocorreu no come- ço da noite, no interior de um ônibus da linha 8207 (Estrela Dalva), quando o veículo trafe- gava pela avenida Raja Gaba- glia, no bairro São Bento, re- gião oeste da capital. (LH)

GIRO

POLICIAL

CONTAGEM

LADRÕES LEVAM R$ 194 MIL DE AGÊNCIA

Quatro homens assaltaram, ontem de manhã, a agência do banco Rural, na avenida Babita Camargo, 766, Cidade Industrial, em Contagem. Os assaltantes levaram R$ 194.684 e o revólver do segurança Renato Barbosa de Almeida, segundo o gerente da agência, Jonas

Lúcio da Silva Filho. Eles estavam armados de revólver e metralhadora, dois deles usavam capuz.

A

Parati, placa GYM 3613,

foi usada na fuga. O carro

foi encontrado na rua Ozório de Morais, no mesmo bairro, mas os assaltantes fugiram.

REBELIÃO

A rebelião no presídio

Francisco Floriano de

Paula, no distrito de Paca,

a

50 quilômetros de

Governador Valadares, Leste de Minas, terminou no início da tarde de ontem. Cerca de 50 presos do regime semi-aberto começaram a rebelião na tarde de quinta-feira fazendo dois agentes penitenciários como reféns. Depois de quase 24 horas, os reféns foram libertados. As negociações foram feitas pelo juiz Nelson Missias, que acertou os detalhes para atender a única reivindicação dos presos, a transferência para outros presídios, onde poderiam ficar mais próximos das famílias. A penitenciária tem capacidade para 471 detentos e no momento da rebelião estava com 470.

ACIDENTE

Uma colisão frontal entre o Gol placa CMF 6905, de São Paulo, e o Fusca placa GQM 6373, de Nova União (MG), por volta das 8h de ontem, no km 414 da BR-381, próximo a Caeté, matou Raimundo Ribeiro Dias, de 68 anos. Ele dirigia o Fusca. João Batista dos Santos, 72, Geraldo Pedro Alexandrino, 54, que estavam no Fusca, e o condutor do Gol, Robson Ribeiro do Prado, 28, sofreram lesões graves. O outro passageiro do Gol, Ronair Ribeiro do Prado, 24, sofreu lesões leves. Os feridos foram socorridos no HPS da capital.

HOMICÍDIO

O

corpo de Ronaldo Gomes

dos Santos, de 19 anos, foi encontrado no início da

madrugada de ontem, na rua Diniz, número 150, bairro Vila Ideal, em Ibirité, Região Metropolitana. O cadáver tinha 16 perfurações causadas por tiros. A Polícia Militar não tem pistas dos autores e motivos do crime. O corpo foi levado para o IML e a ocorrência foi registrada na 8ª Seccional de Betim.

BOMBA

Um susto, na tarde de ontem, no Shopping Cidade, no Centro de Belo Horizonte. Uma pessoa não identificada explodiu bombinhas de São João em um dos banheiros do centro de compras. Somente a lixeira, onde estavam as bombinhas, foi danificada. Ninguém ficou ferido. A assessoria de imprensa do shopping informou que tudo está funcionando normalmente.