Sei sulla pagina 1di 1

Não deixe a ansiedade emperrar sua carreira

Descubra se você é um ansioso desmedido e aprenda a controlar esse sentimento para não afastar as oportunidades

Mariana Fonseca quarta-feira, 23 de maio de 2012

Mariana Fonseca quarta-feira, 23 de maio de 2012 Crescer na carreira é o que todo mundo

Crescer na carreira é o que todo mundo quer, mas ficar na expectativa de receber um milhão de promoções em pouco tempo pode causar má impressão no ambiente corporativo e ainda fazer com que as boas oportunidades passem longe de você.

Quando o assunto é ansiedade, todo cuidado é pouco, principalmente quando ela se mistura à sua carreira e seu desenvolvimento profissional. Quem é ansioso demais pode perder o controle emocional e até desenvolver doenças mais sérias como gastrite, taquicardia e hipertensão.

“Ninguém aprende muito quando dá um salto enorme em um período curto”, diz Manoela Costa, gerente da Page Talent, especializada na estruturação e condução de processos seletivos para estagiários e trainees. “É preciso compreender que o crescimento profissional é conquistado dia após dia e que o tempo é um elemento fundamental para desenvolver a carreira”, afirma.

Sinais de ansiedade em excesso - Alguns comportamentos no ambiente corporativo revelam o nível de impaciência do profissional. Por exemplo, querer mostrar serviço a qualquer custo. “Existe uma grande diferença entre ser proativo e ser inconveniente”, alerta Manoela. “Não tente querer ajudar todo mundo o tempo todo e nem pegar muito trabalho só pra mostrar que você é capaz”, recomenda. Além de mostrar falta de foco, agir dessa maneira pode passar arrogância

Pessimismo - Outro sinal de ansiedade é o pessimismo. Ansiosos normalmente são bem pessimistas. Além disso, o medo de não conquistar os objetivos faz com que os profissionais muito ansiosos tomem decisões precipitadas. “Como buscam mudanças, essas pessoas agem impulsivamente e não avaliam os prós e contras de uma proposta”, afirma Manoela.

Desmotivação - A desmotivação também é um sinal de que a ansiedade ultrapassou os limites. Infelizes com o cargo atual, os profissionais acabam atirando para todos os lados para tentar mudar a situação. “Quando a pessoa começa a sofrer pela espera de uma promoção e percebe que não há chances de isso acontecer logo, ela começa a se frustrar com o emprego e não ter mais ânimo”, diz.

Instabilidade - O resultado desse desânimo acaba resultando no troca troca de emprego. Segundo a consultora, a ansiedade excessiva cega o trabalhador, que não consegue entender que o problema está nele. “Ao trocar de emprego ele renova a expectativa de que terá um rápido crescimento, mas ao se deparar com a frustração novamente, ele procura outro trabalho e assim fica pulando de empresa em empresa e cai num círculo vicioso.”

Falar sem parar - Provavelmente você já deve ter escutado a expressão “Você tem uma boca e dois ouvidos. Use-os nesta proporção”. Pois, essa frase é uma dica valiosa para os ansiosos de plantão que não deixam os colegas de trabalho completarem uma frase. “Interromper a fala dos outros revela a impaciência do profissional. É preciso escutar, compreender e interagir porque só assim é possível estreitar as relações corporativas”, diz ela.

Na medida certa – Se em excesso a ansiedade é um mal, se usada com moderação ela pode ser umtemperinho bom para sua carreira. É isso o que afirma psicólogo Robert H. Rosen, no livro Just Enough Anxiety, ainda sem tradução para o português. Segundo o autor, esse sentimento, na medida certa, pode ser uma injeção de ânimo para alcançar suas metas. “A medida certa é a quantidade exata que você precisa para responder ao perigo, resolver um problema ou ter autoconfiança”, diz ele.

Quer aprender a controlar esse sentimento? Confira cinco dicas de Rosen:

Invista em autoconhecimento – Reflita sobre os tipos de situações que deixam você mais aflito. Entenda quais são os seus pontos fracos e fortes e avalie como agiu nessas ocasiões. Dessa maneira, você começa a dominar os seus sentimentos. “Aceite e aprenda com as suas experiências de vida e reconheça seus objetivos e preocupações”, recomenda o autor.

Saiba lidar com o inesperado – Encare as mudanças como um processo natural de amadurecimento. Tenha em mente que tanto de experiências negativas quanto de positivas é possível tirar bons aprendizados. “Quanto mais você reconhecer aquilo que pode e não pode controlar na sua vida, mais será capaz de lidar com o inesperado.”

na sua vida, mais será capaz de lidar com o inesperado.” Descanse o cérebro – Segundo

Descanse o cérebro – Segundo Rosen, é importante se sentir confortável com as próprias emoções e, para isso, ele recomenda a prática de atividades que ofereçam qualidade de vida. “Controle a ansiedade com meditação, passeios na natureza e exercícios físicos.”

Pratique o desapego – Livre-se de ideias negativas e não foque seus objetivos apenas para o sucesso, fama ou dinheiro. “Cuidado com pensamentos repetitivos que intensificam sua ansiedade.”

Permita-se viver – A vida é feita de perdas e ganhos. Permita-se passar por qualquer tipo de situação e não se cobrar tanto. “Seja paciente, acredite no seu potencial e saiba que você tem o poder de adaptar o seu futuro.”