Sei sulla pagina 1di 24
Resistência dos Materiais Aula 3 – Tensão Admissível, Fator de Segurança e Projeto de Acoplamentos
Resistência dos Materiais
Aula 3 – Tensão Admissível, Fator
de Segurança e Projeto de
Acoplamentos Simples
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Tópicos Abordados Nesta Aula

Tensão Admissível. Fator de Segurança. Projeto de Acoplamentos Simples.

Nesta Aula Tensão Admissível. Fator de Segurança. Projeto de Acoplamentos Simples. Resistência dos Materiais

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Tensão Admissível

O engenheiro responsável pelo projeto de elementos estruturais ou mecânicos deve restringir a tensão do material a um nível seguro, portanto, deve usar uma tensão segura ou admissível.

tensão do material a um nível seguro, portanto, deve usar uma tensão segura ou admissível. Resistência
tensão do material a um nível seguro, portanto, deve usar uma tensão segura ou admissível. Resistência

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Fator de Segurança (F.S.)

O fator de segurança (F.S.) é a relação entre a carga de

ruptura F rup e a carga admissível F adm.

O fator de segurança é um número maior que 1 a fim de

evitar maior possibilidade de falha.

Valores específicos dependem dos tipos de materiais usados e da finalidade pretendida da estrutura ou máquina.

F.S. =

F rup

F adm

da estrutura ou máquina. F . S . = F rup F adm F S .

F S

.

. =

σ rup

σ adm

F S

.

. =

τ rup

τ adm

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Projeto de Acoplamentos Simples

Elemento sujeito a aplicação de força normal:

A =

P

σ adm

Elemento sujeito a aplicação de força de cisalhamento:

A =

P

τ adm

Problemas comuns:

1) Área da seção transversal de um elemento de tração.

2) Área da seção transversal de um acoplamento submetido a cisalhamento.

3) Área requerida para resistir ao apoio.

4) Área requerida para resistir ao cisalhamento provocado por carga axial.

resistir ao apoio. 4) Área requerida para resistir ao cisalhamento provocado por carga axial. Resistência dos

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Área da Seção Transversal de um
Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Área da Seção Transversal de um
Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Área da Seção Transversal de um Elemento sob Tração

MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Área da Seção Transversal de um Elemento sob Tração Resistência
MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Área da Seção Transversal de um Elemento sob Tração Resistência
MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Área da Seção Transversal de um Elemento sob Tração Resistência

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Acoplamento Submetido a Cisalhamento

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Acoplamento Submetido a Cisalhamento Resistência dos Materiais
Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Acoplamento Submetido a Cisalhamento Resistência dos Materiais
Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Acoplamento Submetido a Cisalhamento Resistência dos Materiais

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Área Requerida para Apoio

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Área Requerida para Apoio Resistência dos Materiais
Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Área Requerida para Apoio Resistência dos Materiais
Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Área Requerida para Apoio Resistência dos Materiais

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Cisalhamento por Carga Axial

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Cisalhamento por Carga Axial Resistência dos Materiais
Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Cisalhamento por Carga Axial Resistência dos Materiais
Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Cisalhamento por Carga Axial Resistência dos Materiais
Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Cisalhamento por Carga Axial Resistência dos Materiais

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Exercício 1

1) O tirante está apoiado em sua extremidade por um disco circular fixo como mostrado na figura. Se a haste passa por um furo de 40 mm de diâmetro, determinar o diâmetro mínimo requerido da haste e a espessura mínima do disco necessários para suportar uma carga de 20 kN. A tensão normal admissível da haste é σ adm = 60 MPa, e a tensão de cisalhamento admissível do disco é τ adm = 35 MPa.

d m = 60 MPa, e a tensão de cisalhamento admissível do disco é τ a
d m = 60 MPa, e a tensão de cisalhamento admissível do disco é τ a

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Solução do Exercício 1

Diâmetro da haste: por verificação, a força axial na haste é 20 kN, assim, a área da seção transversal da haste é dada por:

A =

P

σ adm

A =

20000

60

A = 333,33

mm²

é dada por: A = P σ adm A = 20000 60 A = 333,33 mm²
é dada por: A = P σ adm A = 20000 60 A = 333,33 mm²
é dada por: A = P σ adm A = 20000 60 A = 333,33 mm²

Sabe-se que:

2 ⋅ d A = π 4 Portanto: 4 ⋅ A d = π 4
2
⋅ d
A
= π
4
Portanto:
4
⋅ A
d =
π
4 ⋅333,33
d =
π

d = 20,60

mm

que: 2 ⋅ d A = π 4 Portanto: 4 ⋅ A d = π 4

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Solução do Exercício 1

A =

V

τ adm

A =

20000

35

A = 571,42mm²

Exercício 1 A = V τ adm A = 20000 35 A = 571,42 mm² A
Exercício 1 A = V τ adm A = 20000 35 A = 571,42 mm² A
Exercício 1 A = V τ adm A = 20000 35 A = 571,42 mm² A

A área seccionada é dada por:

A = 2π r t

Portanto:

t

A

= 2 π

r

t =

571,42

2

π

20

t = 4,55

mm

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Exercício 2

2) A barra rígida mostrada na figura é suportada por uma haste de aço AC que tem diâmetro de 20 mm e um bloco de alumínio que tem área da seção transversal de 1800 mm². Os pinos de 18 mm de diâmetro em A e C estão submetidos a um cisalhamento simples. Se a tensão de ruptura do aço e do alumínio forem (σ aço ) rup = 680 MPa e (σ al ) rup = 70 MPa, respectivamente, e a tensão de cisalhamento de ruptura de cada pino for τ rup = 900 MPa, determinar a maior carga P que pode ser aplica à barra. Aplicar F.S = 2.

r u p = 900 MPa, determinar a maior carga P que pode ser aplica à
r u p = 900 MPa, determinar a maior carga P que pode ser aplica à

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Solução do Exercício 2

Diagrama de corpo livre:

Rodrigues Solução do Exercício 2 Diagrama de corpo livre: Reações de apoio: − F AC ∑

Reações de apoio:

F

AC

2

M

+ P 1,25 = 0

= 0

B

de apoio: − F AC ∑ ⋅ 2 M + P ⋅ 1,25 = 0 =
de apoio: − F AC ∑ ⋅ 2 M + P ⋅ 1,25 = 0 =
de apoio: − F AC ∑ ⋅ 2 M + P ⋅ 1,25 = 0 =

F

B

M

A

= 0

2 P 0,75 = 0

F AC

Relação entre as forças:

=

1,25 P

2

F B

=

0,75 P

2

F

AC = 0,625

P

F

B

=

0,375

P

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Solução do Exercício 2

(

σ

aço

(

(

σ

aço

σ

aço

)

)

)

Aço

adm

=

(

σ

aço

)

rup

F.S.

adm

adm

680

=

2

= 340

MPa

adm = ( σ aço ) rup F . S . adm adm 680 = 2
adm = ( σ aço ) rup F . S . adm adm 680 = 2
adm = ( σ aço ) rup F . S . adm adm 680 = 2

(

σ

al

(

σ

al

(

σ

al

Alumínio

)

)

)

adm

adm

adm

=

=

(

σ

al

)

rup

F.S.

70

2

= 35

MPa

) ) ) adm adm adm = = ( σ al ) rup F . S
) ) ) adm adm adm = = ( σ al ) rup F . S

τ

adm

Pino

=

τ

rup

F.S.

τ

adm

τ

adm

900

=

2

= 450

MPa

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Solução do Exercício 2

Barra AC

(

σ

aço

(

σ

aço

(

σ

aço

(

σ

aço

)

)

adm

adm

)

adm

)

adm

=

=

=

=

F AC

A

AC

F AC

π

d

2

4

4

F AC

 

π

d

2

4 0,625

P

 

π

d

2

2 4 0,625 ⋅ ⋅ P   π ⋅ d 2 P P P = =
2 4 0,625 ⋅ ⋅ P   π ⋅ d 2 P P P = =
2 4 0,625 ⋅ ⋅ P   π ⋅ d 2 P P P = =

P

P

P

=

=

(

σ

aço

)

adm

π

d

2

4 0,625

340

π

20 2

4 0,625

= 170816 N

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Solução do Exercício 2

Bloco B

(

σ

al

)

adm

=

F

B

A

B

(

σ

al

)

adm

0,375 P

=

A

B

P =

(

σ

al

)

adm

A

B

0,375

) adm 0,375 ⋅ P = A B P = ( σ al ) adm ⋅
) adm 0,375 ⋅ P = A B P = ( σ al ) adm ⋅
) adm 0,375 ⋅ P = A B P = ( σ al ) adm ⋅

P =

351800

0,375

P = 168000 N

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Solução do Exercício 2

Pino A

τ

adm

=

V

A

p

V = F

AC

=τ

adm

A

p

0,625

P

=

τ

adm

d

2

π

4

P =

τ

adm

π

d

2

4 0,625

⋅ d 2 ⋅ π 4 P = τ adm ⋅ π ⋅ d 2 4

P

=

450

π

18 2

 

4 0,625

P

= 183124 N

⋅ 18 2   4 0,625 ⋅ P = 183124 N Por comparação, a maior carga
⋅ 18 2   4 0,625 ⋅ P = 183124 N Por comparação, a maior carga

Por comparação, a

maior carga que pode ser aplicada ao sistema é P = 168000 N, pois qualquer carga maior que essa fará com que a tensão admissível seja excedida.

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Exercícios Propostos

1) Uma carga axial no eixo mostrado na figura é resistida pelo colar em C, que está preso ao eixo e localizado à direita do mancal em B. Determinar o maior valor de P para as duas forças axiais em E e F de modo que a tensão no colar não exceda uma tensão de apoio admissível em C de σ adm = 75 MPa e que a tensão normal média no eixo não exceda um esforço de tração admissível de σ adm = 55 MPa.

média no eixo não exceda um esforço de tração admissível de σ a d m =
média no eixo não exceda um esforço de tração admissível de σ a d m =

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Exercícios Propostos

2) A alavanca é presa ao eixo A por meio de uma chaveta que tem largura d e comprimento de 25 mm. Supondo que o eixo esteja fixo e seja aplica uma força vertical de 200 N perpendicular ao cabo, determinar a dimensão d se a tensão de cisalhamento admissível para a chaveta for τ adm = 35 MPa.

d se a tensão de cisalhamento admissível para a chaveta for τ a d m =
d se a tensão de cisalhamento admissível para a chaveta for τ a d m =

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Exercícios Propostos

3) As duas hastes de alumínio suportam a carga vertical P = 20 kN. Determinar seus diâmetros requeridos se o esforço de tração admissível para o alumínio for (σ t ) adm = 150 MPa.

se o esforço de tração admissível para o alumínio for ( σ t ) a d
se o esforço de tração admissível para o alumínio for ( σ t ) a d

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Exercícios Propostos

4) O punção circular B exerce uma força de 2 kN no topo da chapa A. Determinar a tensão de cisalhamento média na chapa devida a esse carregamento.

da chapa A . Determinar a tensão de cisalhamento média na chapa devida a esse carregamento.
da chapa A . Determinar a tensão de cisalhamento média na chapa devida a esse carregamento.

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Exercícios Propostos

5) O conjunto da correia sobreposta será submetido a uma força de 800 N. Determinar (a) a espessura t necessária para a correia se o esforço de tração admissível para o material for (σ t ) adm = 10 MPa, (b) o comprimento d l necessário para a sobreposição se a cola pode resistir a um esforço de cisalhamento admissível de (τ adm ) c = 0,75 MPa e (c) o diâmetro d r do pino se a tensão de cisalhamento admissível para o pino for (τ adm ) p = 30 MPa.

se a tensão de cisalhamento admissível para o pino for ( τ a d m )
se a tensão de cisalhamento admissível para o pino for ( τ a d m )

Resistência dos Materiais

Aula 3 Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues
Aula 3
Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Próxima Aula

Estudo de Deformações, Normal e por Cisalhamento. Propriedades Mecânicas dos Materiais. Coeficiente de Poisson.

Normal e por Cisalhamento. Propriedades Mecânicas dos Materiais. Coeficiente de Poisson. Resistência dos Materiais

Resistência dos Materiais