Sei sulla pagina 1di 4

RECONHECIMENTO DE MINERAIS

(i)

-

Júlio C.F. Lisboa

Faculdade

de Filosofia, Ciências

e Letras da Fundação Santo André

Centro de Treinamento

para Professores

de Ciências

e Naturais de São Paulo

CECISP

Exatas

Nos últimos anos, tem sido observada a tendência de se discutir, nas salas de aula, o tema "Recursos Naturais",abordando-se assuntos rela- cíonados com a extração, o uso e a escassez de minerais. Sem dúvida, tais assuntos são de extrema relevância, mas uma etapa mudo impor- tante tem sido deixada de lado. Esta etapa refere-se a atividades em que se utilizam como instrumentos de trabalho os próprios minerais. Do meu ponto de vista, discutir problemas relacíonados com jazidas minerais, sem que o aluno tenha trabalhadocom minerais, é tão pouco produtivo como, por exemplo, discutir reações químicas que ocorrem nos organismos, nas indústrias, etc., sem que o aluno tenha tido a oportunidade de aprender como se reconhece a ocorrência de rea- ções químicas. Conseguir minerais não é difícile identificá-Iasé uma atividade que, ge- ralmente, desperta muito interesse entre os alunos. Sugerimos a seguir um roteiropara observação das propriedades de amostras de minerais e sua identificação.

Para a realização da atividade, cada grupo de alunos deverá receber uma caixa contendo amostras de minerais identificados apenas por números. Suponhamos que sejam os seguintes:

Calcita

Galena

Hematita

Pirita

Magnetita

Quartzo

Fluorita

(n.O1)

(n? 2)

(n? 3)

(na 4)

(n.o5)

(n? 6)

(na 7)

Cada grupo de alunos deve receber também os se- guintes acessórios:

-

1 placa de porcelana branca despolida (pode ser usa- do o lado fosco de um azulejo)

-

1 lâmina de vidro (das que são usadas em microscó- pios)

-

1 lâmina de aço inoxidável (pode-se usar faca, tesoura

-1

ou canivete) imã

36

. Os minerais não precisam ser obrigatoriamente aque-

les, mas, quaisquer que sejam, devem ser incluídos na Tabela 2 (fornecida aos alunos), na qual se encontram os dados característicos de vários minerais. Se houver ne- cessidade de ampliar a tabela, para incluiroutros minerais que também vão ser fornecidos aos alunos, o professor poderá recorrer às obras mencionadas na bibliografia.

A obtenção de amostras de minerais é tarefa relativa- mente fácil, pelo menos em cidades grandes e médias. Elas são encontradas em feiras de artesanato, em lojas de "souvenirs", em algumas joalherias e até em bancas de jornais.

Na seção de classificados das listas telefônicas, sob

os títulos: "minérios", "minerais" e "pedras preciosas e semi-preciosas", encontram-se diversos endereços de

fornecedores

contrar amostras dos mais variados minerais.

de minérios e minerais, onde é possível en-

Para a realização da atividade, o professor pode re-

produzire distribuiraos alunos o roteiroadiante.

ATIVIDADE

RECONHECIMENTO DE MINERAIS

Como reconhecer um mineral? Algumas vezes isto é possível através de fotografias ou de perguntas a pessoas que entendem de mineralogia - ramo da ciência que se dedica ao estudo dos minerais. Entretanto, na maioria das vezes, mesmo as pessoas que entendem do assunto têm que realizar vários testes para identificar um ou outro mi- neral. Os testes baseiam-se no estudo das propriedades dos minerais. Nesta atividade, serão discutidas algumas:

a cor, o brilho, o hábito, a cor do traço, a dureza e o mag- netismo.

PARTE

1

COLETANDO E ORGANIZANDO DADOS SOBRE OS MINERAIS

Nesta parte da atividade, você investigará algumas propriedades dos minerais que recebeu. Para anotar suas observações, use a Tabela 1 ou prepare uma semelhante.

COR Observeas coresdos mineraisque recebeue anote- as na primeiracolunada tabela.

BRILHO Há mineraisque têm brilho semelhanteao dos me- tais. Diz-se,nestecaso, que apresentambrilho metálico.

Os demais podem ser caracterizados como de brilho não metálico ou, mais detalhadamente, como de brilho naca- rado (semelhante ao da face interior das conchas), perlá- ceo (semelhante ao das pérolas), vítreo, gorduroso, sedo- so e micáceo (semelhante ao da mica). Examine, então, a superfície dos minerais com que está trabalhando e anote, na 2.acoluna da tabela, o tipo de brilho que cada um apresenta.

HÁBITO

Há minerais que têm

aspecto

maciço,

compacto,

sem formas definidas. Outros se apresentam em cristais, transparentes ou não, com as mais diversas formas: pris- mas, cubos, etc. Outros são granulares (formados por grãos). Outros têm regiões arredondadas, lembrando par- tes de esferas. Há ainda os que têm aspecto de lâminas superpostas, os que têm aspecto fibroso, os que têm as- pecto terroso, etc. Esses diferentes aspectos dos minerais são chamados hábitos. Assim, há minerais de hábito ma- ciço, cristalino, granular, esferoidal, laminar, fibroso, terra-

so, etc. Examinando os minerais que recebeu, decida qual é o hábito de cada um e anote na tabela.

TRAÇO

A cor do traço de um mineral é a cor que ele apre- sentaquando está na forma de pó. Paradescobrirqualé estacor, esfreguea amostra na placa de porcelanabran- ca despolida.A marca colorida que fica sobre a porcela- na é constituída pelo pó do mineral. Anote na tabela a cor do pó de cada amostra.

MINERAL

N~

1

2

3

4

5

6

7

COR

BRILHO

HÁBITO

TABELA 1

TRAÇO

DUREZA

MAGNETISMO

O MATERIAL ESTUDADO PODE SER

37

DUREZA

A durezade um mineralé a resistênciaque ele apre- senta, ao ser riscádo por outros minerais,ou por outros objetos.Um mineral riscar outro, significaque deixa nele um sulco. Paradeterminara durezade um mineral,é muito usa- da uma escalacujos valoresvão de 1,0 a 10,0. Elaé co- nhecidacomo "escala de Mohs". Nela,o valor 1,Ocorres- pondeà durezado mineralmenosduro que se conhece,o talco. O valor 10 correspondeà durezado diamante,que

é o mineralmais duro que se conhece. Aos outros mine-

rais,são atribuídosvalores intermediários.Além de mine- rais, outros materiaistambém podem ser inseridosnesta escala.Por exemplo: as unhas humanasapresentamdu- reza2,5 aproximadamente;o vidro comum apresentadu- rezade cerca de 5,5; o aço inoxidável,7,5. Esquematica- mente temos:

MATERIAL

Talco

Unha

Vidro comum

Aço inoxidável

Diamante

DUREZA

na escala

de Mohs

1,0

maior do que

1,O

menor do que

2,5

2,5

maior do que

2,5

menor do que

5,5

5,5

maior do que

5,5

menor do que

7,5

7,5

maior do que

7,5

menor do que 10,0

10,0

Estaescalasignificao seguinte:cada mineralriscaos mineraisou outrosmateriaissituadosacimadele e é risca- do pelos situadosabaixo dele, na tabela. Assim sendo,procureriscaros mineraiscom a unha. Os que forem riscadosapresentamdureza menordo que 2,5. Os outros têm durezamaior. Em seguidatente riscar

o vidrocom os materiaisque apresentamdurezamaiordo

que 2,5. Os que riscaremo vidro têm durezamaiordo que 5,5. A mesmacoisa deve ser feita com o aço inoxidável.

Assim,cadamineralpoderáfazerpartede um dos seguin- tes grupos:

dureza

menor

do que

2,5

38

dureza

dureza

entre

entre

2,5 e

5,5 e

5,5

7,5

dureza

maior

do que

7,5

Anote na tabela a faixa de dureza em que cada mine- ral se encontra.

MAGNETISMO Alguns mineraisapresentammagnetismo,isto é, são atraídospor imãs. Aproximeo imã de cada um dos mine- rais de seu conjunto e verifique se há atração. Em caso positivo, anote "sim"; em caso negativo,"não".

PARTE

11

IDENTIFICAÇÃO DOS MINERAIS

Após a observação das propriedadesdos minerais que se quer identificar,recorre-seàs tabelasexistentesem manuaisde mineralogiaou em guias para identificaçãode minerais.Nessastabelas,há dados sobre todos os mine- rais conhecidos.O que se faz é compararos dados obti- dos no estudo do mineral desconhecido,com os dados existentesnessastabelas.Assim chega-seà identificação. Nesta parte da atividade,você terá idéia de como isto é feito.

A Tabela 2 fornecedados sobrealgunsminerais.En-

tre eles, estão aquelescom que você trabalhou.Procure descobrir que mineraissão esses, comparandosuas ob- servaçõescom os dados fornecidos. Escrevasuas conclusõesna última coluna da Tabe- la 1. Caso você tenha dúvidas na identificaçãode algum material, escreva os nomes de todos os minerais que mais se assemelhama ele.

.

A comparaçãodos dados que você obteve, com os

fornecidos na Tabela 2, provavelmenteo levou a identifi- car alguns minerais, mas deixou dúvidas com relação a outros. Por exemplo, apenascom essa comparaçãonão deve ter sido possívelsaber se o mineral01 é fluoritaou calcita. Isto é comum. Mesmoos especialistasficam com essas dúvidas em situaçõessemelhantes.Nessescasos, realizam-seoutros testes, entre eles os que utilizam rea- ções químicas. Num próximo artigo, estudaremosessescasos.

Bibliografia:

DANA, J. HURLBUT, C. Manual de Mineralogia. Rio de Janeiro, Li- vros Técnicos e Científicos.

LEINZ, V. e CAMPOS, J.E.S. Guia para Determinação de Minerais. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1979.

MINERAL

Calcita

Fluorita

Galena

Gipsita

Grafita

Hematita

Magnetita

Mica

muscovita

Pirita

Pirrotita

Quartzo

()

TABELA 2

CARACTERíSTICAS

DE ALGUNS

CORES MAIS

Às vezes cinza,

BRILHO

Não metálico

HÁBITOS MAIS

COMUNS Branco ou incolor.

(em geral vitreo)

COMUNS Cristalino. Às vezes granular

marron, vermelho,

ou fibroso.

castanho

Incolor, branco,

Não metálico

Metálico

Não metálico

Cristalino.

azulado,esverdeado

(em geral vítreo)

Às vezes granular ou compacto

Cinza claro a cinza chumbo

Cristalino Laminar

Incolor, branco,

Granular

cinza.róseo, amarelo,

(em geral sedoso Fibroso

vermelho

ou perláceo)

Cinza escuro

Metálico

Laminar

(às vezes fosco)

Compacto

Cinza escuro

Metálico

Granular

a

preto

Esfeirodal

 

Maciço

Cinza escuro

a

preto

Metálico

Maciço

Granular

Granular

Incolor. Às vezes

Não metálico

Laminar

esverdeado,

(micáceo)

castanhclaro

Amarelo

Metálico

Granular

Maciço

Cristalino

Amarelo

Metálico

Maciço

Granular

Incolor. Às vezes amarelo,castanho,

Não metálico (em geral vítreo

Cristalino (em forma de prisma)

violeta, esverdeado,

ou gorduroso)

Maciço

rosa

MINERAIS

TRAÇO

DUREZA

Incolor

3,0

Incolor

4,0

Cinza escuro

2,5

a preto

Incolor

1,5

a 3,0

Preto

1,0 a 2,0

Vermelh

5,5 a 6,5

sangue

Preto

5,5 a 6,5

Incolor

2,0 a 2,5

Preto

6,0 a 6,5

esverdeado

ou castanh

escuro

Cinza-Preto

3,5 a 4,5

Incolor

7,0

MAGNETISMO

Apenas o pó é magnético

Magnético

Magnético

BIOLOGIA

Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo

1 livrobásico

4 livrosde

motivação vocacional :

.TécnicasAgrícolas

. Animais

Produtores

.AnálisesClínicas

. A Enfermeira

de Riqueza

Editado pela FENAME

Coordenação: Oswaldo Frota-Pessoa

Supervisão: Maria Angélica Santini

Redação: Alexandre Eduardo Dias de Moraes, Glória

Maria Duccini Dai Co//etto, Hi/da Regina Ferreira, Lia Rosenberg, Lídia Rosenberg Aratangy, Paulo Alberto Otto e Prisci/a Guimarães Otto. A

39