Sei sulla pagina 1di 82

ESTADO DE SANTA CATARINA

PODER JUDICIÁRIO

Foro de Blumenau
3ª. Vara Cível e Feitos da
Fazenda

Classe : Declaratória de Nulidade de Ato Jurídico


Ordinário
Valor : R$ 500,00
Autor : S.A. Publicidade e Promoções Ltda
Advogado : Rubens Garcia
Réu : Cachoeira Produção e Comunicação Ltda
Oficial : Joao Maria de Abreu

Distribuído por dependência ao 008.98.003429-6 em


14/04/1998

AUDIÊNCIA
Dia ___/___/___
às __________horas.
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA 3ª VARA
CÍVEL DA COMARCA DE BLUMENAU – SANTA CATARINA

Distribuição por Dependência


Apenso aos Autos da Ação Cautelar
De Sustação de Protestos
(Proc. no. 008.98.003429-6)

S.A. PUBLICIDADE E PROMOÇÕES LTDA., pessoa jurídica de


direito privado, com sede a Rua Petrópolis, no. 75, na cidade de Blumenau, estado
de Santa Catarina, inscrita no CGC(MF) sob no. 80.442.205/0001-66, vem,
respeitosamente, por seu procurador infrafirmado, à presença de V. Exa., com base
nos artigos 806 e segs. Do Código de Processo Civil, propor a presente

AÇÃO DE DESCONSTITUIÇÃO DE TÍTULO CAMBIÁRIO

contra Cachoeira Produção e Comunicação Ltda., pessoa jurídica de direito


privado, com sede na Rua Deputado Antonio Edu Vieira, no 880, bairro Pantanal, na
cidade de Florianópolis, estado de Santa Catarina, CEP 88040-001, pelos motivos
que passa a expor e finalmente requerer:

A requerente foi surpreendida pela notificação emitida pelo cartório do 2o


Tabelião de Notas e Protestos, Dra. Therezinha Pedrosa da Nóbrega, da comarca de
Blumenau, para pagamento da duplicata no 322916-1, no valor de R$ 500,00
(quinhentos reais), vencida em 27 de fevereiro de 1998, emitida pela requerida
contra a requerente, apresentada pelo Banco Bradesco S.A.

Fundamentada nas conseqüências ruinosas do ato notorial, especialmente


no mundo dos negócios, e asseverando o abuso e ilicitude do referido protesto,
capaz de gerar fundado receio ou perigo de dano de difícil ou incerta separação,
como medida preparatória postulou e obteve a sustação de protesto do título acima
mencionado, por não corresponder à realidade, haja vista que a duplicata de no
322916-1 é totalmente ilegal, não possuindo a requerida qualquer documento que
possa embasar a emissão do presente título.

Como é sabido, a duplicata é um título que exige uma provisão determinada,


só podendo ser emitida desde que corresponda a uma venda efetiva de
mercadorias, entregues ou remetidas ao comprador, ou serviços realmente
prestados.

No presente caso, não existe qualquer relação jurídica comercial entre a


requerente e a requerida, tratando-se puramente de duplicata simulada, e que
ao final do deslinde restará provado.

A requerente atua no ramo de agência de publicidade e para tal


encaminhou junto a requerida em nome de sua cliente, Tamisa eventos Ltda, a
veiculação de publicidade para a Rede Barriga Verde, conforme documentos
anexos.

Ocorre que a requerente é somente agenciadora, sendo que o documento


anexo não foi assinado pela mesma. Depreende-se também que houve o
pagamento com cheque pré-datado para 12/09/97.

Assim não existe qualquer relação jurídica entre a requerente e a


requerida para que a mesma pudesse emitir o presente título. Título este que já
foi levado anteriormente a cartório e foi solicitado baixa (documento anexo).

A prática de emissão de duplicatas simuladas é muito comum, conforme


assinala CARLOS FULGÊNCIO DA CUNHA PEIXOTO (aut. Cit. Prática de
Processos e Jurisprudência, pag. 63, no 02 – duplicatas) “que comerciantes
destituídos do mínimo zelo profissional aproveitando-se da credibilidade
que o título inspirava, passassem a expedi-la sem que decorasse de
vendas mercantis realmente efetuadas. Emitiam-na e aceitavam-na pó
favor, e até entrecruzadamente. Era o comprador que algumas aceitava
expedindo outras, por sua vez pelo pseudo vendedor, abarrotando as casas
bancárias de títulos fictícios.”

Diz também ALBERTO JOÃO ZORTÉA, “A Duplicata Mercantil e Similares


no Direito Estrangeiro”, RJ, Forense, 1983. p. 30:
“A NECESSIDADE DE PROVISÃO. O art. 2o, § 1 o, inciso II, procurou no novo
texto legal (Lei n o 5.474, de 18.07.1968) formar o cerco à duplicata
simulada ou “fria”, pois, pela lei anterior (Lei n o 187/36), sem um maior
rigor vinha se processando facilmente tal fenômeno prejudicial ao
desconto desses papéis. A provisão, pelo atual texto, é da substância do
ato, ao fazer referência ao número da fatura e, “ipso facto”, com a
discriminação das mercadorias vendidas. A venda servirá de suporte fático
à duplicata, como provisão, caso contrário constituirá crime de estelionato,
previsto pelo art. 172 do Código Penal, além da multa aplicada no
montante de 20% sobre o valor da mesma.”

A jurisprudência é pacifica quanto ao assunto, senão vejamos:


“Duplicata. Título sem a correspondência de uma fatura, nos moldes
preconizadas pela Lei n o 5.474, de 18/07/68. Sentença reformada para
declarar a nulidade do respectivo título. Inversão do ônus de sucumbência.
A duplicata, para assim ser considerada, a teor da lei que a disciplina, deve
necessariamente corresponder à emissão de uma fatura extraída pelo
vendedor, em contrato mercantil entre partes domiciliada no território
brasileiro, com prazo não inferior a trinta dias, para efeito de apresentação
ao comprador. Sem tais pressupostos, a cártula, ainda que ostente a
denominação de duplicata e se apresente com todos os requisitos formais,
não se erige à condição de título de crédito no plano da ordem jurídica
vigente”. (J.C. – AP. Cível no 28.795, vol. 61, p. 92 – Rel. Dês. Napoleão
Amarante).

Ante o exposto, requer digne-se V. Exa. Em acolher o pedido “in totum”,


determinando a citação da requerida, na pessoa de seu representante legal, para
oferecer a defesa que tiver, no prazo legal, sob pena de revelia.

Requer ainda, julgar PROCEDENTE a presente ação, antecipadamente, na


forma do art. 330, inciso I, do Código de Processo Civil, para, ao final, declarar
DESCONSTITUÍDA a referida duplicata e a INEXISTÊNCIA DE OBRIGAÇÃO
CAMBIÁRIA, pelos motivos expostos, bem como a nulidade da mesma,
condenando a requerida no pagamento das custas processuais, honorários
advocatícios, à base usual de 20% (vinte por cento), e demais cominações de
estilo.

Requer, finalmente, provar o alegado por todos os meios de provas em


direito permitidos, notadamente o testemunhal, oportunamente arrolado,
documental, pericial, e a oitiva do representante legal da requerida, sob pena de
confesso.

Dá-se à presente o valor de R$ 500,00 (quinhentos reais).

Nestes termos,
Pede Deferimento.

Blumenau, 13 de abril de 1998.

Rubens Garcia
OAB/SC N o 5.555
CERTIDÃO

CERTIFICO que nesta data, recebi, registrei e autuei o


Presente processo. DOU FÉ.
Blumenau, 17 de Abril de 1.998.
Escrivã Judicial:

CONCLUSÃO

Faço estes autos conclusos ao MM. Juiz de Direito da 3ª


Vara Cível e Feitos da Fazenda, em 17 de abril de 1.998.
Escrivã Judicial:
Autos n. 008.98.004975-7

R.h.,

Cite-se a requerida, para querendo,


Apresente resposta no prazo de 15 (quinze dias),
sob pena de revelia.
Constem no mandado as advertências dos
Arts. 285, parte final, 297 e 319, todos do Código
De Processo Civil.

Blumenau, 20 de abril de 1.998.

ROBSON LUIZ VARELLA


JUIZ DE DIREITO DA 3ª VARA CÍVEL E FEITOS DA FAZENDA

Recebimento:
Foram-me entregues estes autos em ___/____/98.
A escrivã:................................................................ .
CERTIDÃO

CERTIFICO que o despacho/decisão/art. 162, § 4º, de fls. _____


(_________________________________________), consta da relação de nº 85/98,
a ser publicada no Diário da Justiça para intimação do Dr(s)________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
Dou fé. Blumenau, 18/05/98.
Escrivã Judicial:
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA 3ª VARA
CÍVEL DA COMARCA DE BLUMENAU – SANTA CATARINA

S.A PUBLICIDADE E PROMOÇÕES LTDA., por seu procurador


nos autos da Ação Declaratória no. 008.98.003429-6, que promove contra
CACHOEIRA PRODUÇÃO E COMUNICAÇÃO LTDA., vem, respeitosamente,
perante V. Exa., em acatamento ao r. despacho de fls., requerer seja efetuada nova
citação pelo correio, pois o endereço confere com o indicado na inicial, porém
momentaneamente encontrava-se “ausente”, motivo pelo qual poderá ser renovada
a citação via correio.

Nestes termos,
Pede deferimento.

Blumenau, 19 de junho de 1998.

RUBENS GARCIA
OAB/SC NO. 5.555
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO

CONCLUSÃO

Faço estes autos conclusos ao MM. Juiz de Direito da 3ª Vara


Cível e Feitos da Fazenda, em 13 de julho de 1998.
Escrivã Judicial:
COMARCA DE BLUMENAU
PROCESSO No. 008.98.004975-7
AÇÃO DECLARATÓRIA DE NULIDADE DE ATO JURÍDICO
3ª VARA CÍVEL E FEITOS DA FAZENDA

R.h.,

Atendendo ao pedido de fls. 22, expeça-se novo


mandado de citação na forma requerida pelo autor.
Cumpra-se.

Blumenau, 14 de julho de 1.1998.

ROBSON LUZ VARELLA


JUÍZ DE DIREITO DA 3ª VARA CÍVEL E FEITOS DA FAZENDA
COMARCA DE BLUMENAU/SC
3ª VARA CÍVEL E FEITOS DA FAZENDA

CARTA DE CITAÇÃO – PELO CORREIO

Blumenau, 11 de agosto de 1998.

Ao
Ilmo(a). Sr(a).
CACHOEIRA PRODUÇÃO E COMUNICAÇÃO LTDA
Rua Deputado Antonio Edu Vieira, 880
FLORIANÓPOLIS – SC

Prezado Senhor,

Pelo presente, extraído dos autos de


DECLARATÓRIA DE NULIDADE DE ATO JURÍDICO No.
898004975-7 (382/98) em que S.A. PUBLICIDADE E
PROMOÇÕES LTDA move em face de CACHOEIRA PRODUÇÃO E
COMUNICAÇÃO LTDA, tem por finalidade CITAÇÃO de Vossa
Senhoria, por todo conteúdo da petição inicial cujas fotocópias
seguem anexas como parte integrante desta, ciente de que o prazo
para contestar a presente ação é de 15 (quinze) dias, querendo,
sob pena de serem presumidos como verdadeiros os fatos alegados
pelo autor da inicial (Arts. 285, parte final, 297 e 319 todos do CPC).

Atenciosamente,

MARILSE A. V. HEINZLE
Escrivã Judicial

Despacho: “cite-se...”
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA 3ª VARA
CÍVEL DA COMARCA DE BLUMENAU – SANTA CATARINA

PROC. N. 898004975-7 (382/98)

CACHOEIRA COMUNICAÇÃO E PRODUÇÃO LTDA, pessoa


jurídica de direito privado, inscrita no CGC/MF sob no.
83.606.690/0001-99, e com Inscrição Estadual no.
251.252.212, estabelecida na Rua Dep. Antonio Edu Vieira,
338, Pantanal, Florianópolis/SC, na pessoa de seu diretor
Executivo, Sr. Saul Brandalise Junior, conforme Procuração e
Contrato Social acostados (docs. 1 e 2), por intermédio de seus
procuradores legalmente habilitados, ut mandato procuratório
já incluso, com escritório profissional na rua Vidal Ramos, 53,
Edifícil Crystal Center, sala 706, Centro, Florianópolis – Santa
Catarina, CEP: 88010-320 (fone/faz: 2231565 / 2233961),
onde poderão receber intimações, nos autos da ação de
Desconstituição de Titulo Cambiário, processo em epígrafe,
que lhe move S.A. PUBLICIDADE E PROMOÇÕES LTDA., já
qualificada, vem, respeitosamente, ante V. Exa., apresentar a
devida CONTESTAÇÃO, para o que, passa a expor o que
segue, requerendo ao final:
I – PRELIMINARMENTE

1 – DA IMPOSSIBILIDADE DO PEDIDO

A autora, oportune tempore, como ação principal a arredar sua


responsabilidade ante relação mercantil mantida com a ré, vem aforar ação de
cunho eminentemente declaratório, aventando o que reputa condizente à sua
pretensão.

O ilustre processualista CÉSAR MONTENEGRO1 , sobre ação declaratória,


assim se expressou:

“A ação declaratória visa provocar a manifestação do Estado-juiz sobre a


existência ou inexistência de uma relação jurídica ou a declaração de
autenticidade ou falsidade de documento”.

Citando o mestre CLÓVIS BEVILÁQUA, dispôs:

“Entende-se como relação jurídica o laço que, sob a garantia da ordem


pública, submete o objeto ao sejeito”.
CELSO AGRÍCOLA BRABI2, por sua vez, afirma que:

“A noção corrente de relação jurídica – relação entre pessoas ou entre


pessoas e coisas, regulada pelo direito – fornece a idéia satisfatória para
apreciação deste objeto da declaratória”.

O não menos renomado THEOTÔNIO NEGRÃO3, explica:

“O interesse de agir por meio de ação declaratória envolve a necessidade,


concretamente demonstrada, de eliminar ou resolver a incerteza do direito
ou da relação jurídica. A declaratória tem por conteúdo o acertamento, pelo
juiz, de uma relação jurídica (RTJ 83/934). Logo, se não há dúvida ou
incerteza quanto à relação jurídica, descabe a ação declaratória” (RTJJESP
107/325).

In casu, vale-se a Autora da alegação de que fora emitida uma duplicata


pela ré, sendo a mesma “fria”, visto não existir qualquer relação jurídica comercial
entre as partes, o que restaria provado.

Ainda, que a autora é somente agenciadora, atuando no ramo de


publicidade, tendo encaminhado à veiculação, publicidade para a empresa Tamisa
Eventos LTDA., sua cliente.

Juntou documento – autorização de publicidade – dizendo não tê-lo


assinado, ademais, de que tal pendência fora paga com cheque pré-datado.

Nesse contexto, em consonância com já consagrados entendimentos,


jurisprudenciais ou doutrinários, avoca a desconstituição do título (duplicata),

__________________________
1
– in Dicionário de Prática Processual Civil, vol. I, Ed. Saraiva
2
– in Comentários ao Código de Processo Civil, 9ª edição, vol. I
3
- in Código de Processo Civil e Legislação Processual em Vigor, 24ª Ed., nota 8 ao art. 4º. Do CPC
emitido em seu desfavor, rogando, ao final, pela procedência.

Ocorre, meritíssimo julgador, que equivoca-se a Autora – sabe-se lá,


propositadamente – ao trazer a baila, alegações completamente inoportunas a
ensejar o fim a que visa pela presente.

O documento suso mencionado diz respeito a uma contratação entre a Ré e


a empresa Tamisa Eventos Ltda., com intermediação da agência S.A. Publicidade e
Promoções Ltda., ora autora, que não diz respeito à citada duplicata emitida, no
valor de R$ 500,00 (quinhentos reais), e de conseguinte, ao protesto que pretende
sustar à cautelar, uma vez que essa transação deu-se por perfeita e acabada,
devidamente cumprida e paga, nada restando a justificar esta demanda, ou
qualquer outra.

Note, Exa., que os valores são completamente diferentes, porto que, num, o
é de R$ 6.000,00 (seis mil reais), de uma só vez contratado, não tendo, pois,
porque faturar-se quantia outra – R$ 500,00 (quinhentos reais) -, contra a Autora,
que não figura, se não intermediando dita relação.

Portanto, afastando-se completamente o estado de incerteza a justificar a


pretensão em tela, o que, sem o qual, não deve prosperar, deve,
conseqüentemente, ser julgada extinta a ação sem julgamento do mérito, ex vi do
artigo 267, VI, do Código de Processo Civil.

Não bastasse, acrescenta o mestre:

“Sempre que se manifeste estado de incerteza, ou que se suscite


controvérsia em torno da existência (ação declaratória positiva) ou da
inexistência (ação declaratória negativa), há legitimo interesse no exercício
do remédio preventivo” (RJTJESP 107/83).

A autora vem socorrer-se de “Ação desconstitutiva de Título Cambiário”, de


cunho eminentemente declaratório, segundo consta, inclusive, ao mandado
citatório, tornando certa a conclusão de sê-la declaratória negativa, ou seja, aquela
em que requer-se a manifestação do juiz acerca da inexistência da relação jurídica,
in casu, de débito cambial.

No caso presente, acena a Requerente com ação declaratória desconstitutiva


da duplicata em questionamento, ou, segundo entendido, de nulidade de ato
jurídico.

A propósito, vale observar que, é um equívoco supor-se que a circunstância


de a duplicata ter sido irregularmente emitida faz com que seja nula. Sua validade
depende do atendimento de requisitos formais. Se faltar-lhe causa, isto poderá ser
argüido entre partes originais.

Vê-se, assim, que não há como declarar nulo o título, com base nas
alegações da Autora. Se nulo, nenhuma eficácia poderia ter as obrigações nele
fundadas. E ter-se-ia alcançado um resultado verdadeiramente absurdo. A
Devedora, por não ter cumprido o que contratou com o portador, ficaria liberada
das obrigações contidas na cártula.

Assim, faltando a possibilidade jurídica, como demonstrado, há de ser


extinta essa medida cautelar, sem julgamento do mérito, pelos mesmos dispositivos
de direito, já invocados.
DEFESA DE MÉRITO

Ultrapassadas as preliminares acima, admitindo-o, apenas, por força de


argumentação, no mérito melhor sorte não lhe será observada.

As alegações neste tópico expendidas, diga-se, poderão auxiliar V.Exa. na


busca do convencimento mínimo necessário a julgar extinto o feito segundo
propugnou-se na fase retro.

Assim que, ofertou a Requerente, ação declaratória de desconstituição de


débito contra a Requerida, aduzindo, em síntese, não ter firmado contrato de
publicidade com a empresa Rede Barriga Verde, não existindo, assim, qualquer
relação jurídica comercial, sendo, pois, a duplicata emitida, simulada, assentando
ainda ter sido contratado, com sua intermediação, com a cliente Tamisa Eventos
Ltda., nada devendo, se não esta, conseqüentemente.

Juntou autorização de publicidade a roborar o aludido.

Segundo informado alhures, este documento reporta-se à contratação outra,


que não a que justifica a emissão da duplicata n. 32916-1, no valor de R$ 500,00
(quinhentos reais), enquadrando o fato, a Autora, de modo a alterar o efetivamente
ocorrido, desvirtuando o fato em comento.

Para espancar qualquer dúvida, junta a Ré o documento que respaldou sua


providência – a de ver lavrado o protesto -, qual seja, a Autorização de publicidade
firmado com a Autora, aqui acostado (doc. 3), e fatura respectiva (doc. 4), que
traz, em seu bojo, valor, data, qualificação, enfim, todos os detalhes da ocorrida
transação, em especial, a assinatura da cliente S.A. Publicidade e Promoções Ltda.,
caindo por terra as assertivas expostas à peça inaugural, por mentirosas.

Contratação que se reporta a 10 (dez) flashes ao vivo, em promoção da Ré


intitulada “pedágio da Band”, em avenidas de maior movimento, com carros, som,
animadores, enfim, toda estrutura ao chamamento ao público.

Aliás, afim de afastar o direito que invocar-se-á, por certo, em ação de


execução a ser intentada, incumbia à Autora, posto tratar-se de relação fundada
em duplicata de prestação de serviços, invocar os preceitos do artigo 21 da Lei
5.474/68, justificando a recusa da mesma, tornando plausível a ordinária sub
examine, ao questionamento. Diga-se ainda, fato constitutivo do direito ora
pleiteado, e, pelo visto, segundo acima disposto e demonstrado, não provado, não
devendo vingar, pois, a pretensão desconstitutiva.

Restando a conclusão de que a Requerente continua em débito com a


Requerida, perfeitamente admissível o caminho tomado por esta, ao lançar mão de
prerrogativa na busca de ver-se ressarcida pelo serviço prestado.

Nesse contexto, alterando a verdade dos fatos, ao tentar fazer crer não
haver relação comercial entre as partes, acaba por incorrer em litigância de má-fé,
segundo dispõe o abaixo transcrito artigo 17 do Código de Processo civil:

Art. 17 – Reputa-se litigante de má-fé aquele que:

I – deduzir pretensão ou defesa contra texto expresso de lei ou fato


incontroverso;

II – alterar a verdade dos fatos;


III – usar do processo para conseguir objeto ilegal;

........

Dessa feita, deve ver-se condenada a Requerente nas penas pela litigância
de má-fé, à proporção de 20% (vinte por cento) sobre o valor da causa (art. 18,
par. 2º., CPC).

Isto posto, e cingindo-se unicamente o pedido sobre a alegação ora


espancada, dá azo a V.Exa. julgar antecipadamente a lide, vez tratar-se de matéria
fática, prescindindo-se da designação de audiência de instrução e julgamento, nos
exatos termos do art. 330, I, da Lei Adjetiva Civil.

REQUERIMENTO

Pelo exposto melhores razões que acudirão ao esclarecido pronunciamento


desse douto juízo, está a Contestante certo de que será a Autora julgada
carecedora de ação, e, transposta a barreira das preliminares, só por argumentar,
impõe-se, no mérito, o decreto da improcedência da presente ação, inclusive, com
julgamento antecipado, condenando-se a mesma nas despesas processuais,
honorários advocatícios, bem como, na litigância de má-fé, segundo faz-se mister.

Requer seja-lhe deferida a produção de todas as provas em direitos


admitidas, como depoimento pessoal dos representantes da Autora, dentre outras
mais especiais que possam sê-las.

Por derradeiro, requer seja deferido prazo para juntada do instrumento de


procuração, uma vez encontrar-se momentaneamente ausente, o representante
legal da Ré.

Termos em que,
Pede Deferimento.

De Florianópolis p/ Blumenau, em 15 de setembro de 1998.

RODRIGO B. CURI OAB/SC 8681

JORGE N. GALIBERN JR. OAB/SC 8608


CONCLUSÃO

Faço estes autos conclusos a MM. Juíza de Direito Substituta


da 3ª Vara Cível e Feitos da Fazenda, em 22 de setembro de
1998.
Escrivã Judicial:
Autos no 008.98.004975-7

R.h.,

Informe-se o autor para que, no prazo de 10 (dez) dias,


manifeste-se sobre a contestação apresentada às fls. 26/32.

Blumenau, 06 de outubro de 1998.

ROBSON LUZ VARELLA


JUIZ DE DIREITO DA 3ª. VARA CÍVEL E FEITOS DA FAZENDA

RECEBIMENTO

Foram entregues estes autos em _____/______/_______.

A escrivã:______________________________________.
CERTIDÃO

CERTIFICO que o despacho/decisão/art. 162, § 4º, de fls. _______


(______________________________), consta da relação de no
206/98, a ser publicada no diário da justiça para intimação do(s)
Dr(s) ___________________________________________________
_______________________________________________________
Dou fé. Blumenau, 13/10/98.
Escrivã Judicial:
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA 3ª VARA
CÍVEL DA COMARCA DE BLUMENAU – SANTA CATARINA

S.A. PUBLICIDADE E PROMOÇÕES LTDA., por seu procurador


nos autos na Ação Declaratória no. 008.98.004975-7, que promove contra
CACHOEIRA PRODUÇÃO E COMUNICAÇÃO LTDA., vem, respeitosamente,
perante V.Exa., impugnar à contestação de fls., aduzindo para tanto o seguinte:

DA PRELIMINAR

A presente ação preenche os requisitos legais, visto que a requerente não


efetuou qualquer relação jurídica comercial com a requerida. É a presente ação o
meio legal para desconstituir um negócio jurídico inexistente.

As alegações da requerente em sua inicial, vem corroborar com o fato de que não
manteve com a requerida qualquer relação jurídica, a não ser através de
agenciamento em favor da empresa Tamisa Eventos Ltda.

Porém, verifica-se que a requerida emitiu a fatura com base no documento de fls.
46, cujo o qual desconhece a requerente, tão pouco foi por ela autorizado.

Assim, diante da inexistência de uma relação de uma relação jurídica entre


requerente e requerida é presente a possibilidade jurídica do pedido e a
conseqüente improcedência da preliminar pleiteada.

DO MÉRITO

No mérito não assiste melhor sorte para a requerida em seu argumento, pois o
único negócio jurídico firmado entre ambas, foi quando a requerente agenciou em
nome da Empresa Tamisa Eventos Ltda., conforme documento juntados na inicial.
Na sua resposta a requerida disse que a título objeto da presente ação, não se
refere aqueles documentos e sim o negócio firmado entre ambas. Para tanto juntou
a documentação de fls. 46 e 47.

A documentação juntada pela ré, visa dar legalidade as sua alegações, ou seja, visa
dar à duplicata os requisitos legais e embasar a emissão do mesmo.

Ocorre que a requerente não solicitou qualquer prestação de serviços, tampouco


assinou a autorização de fls. 46, motivo pela qual desconhece qualquer serviço
prestado para a mesma.

A requerente na data de 05.09.97, já havia recebido uma intimação do cartório


(doc. Fls. 13), onde apontava para o protesto o mesmo título, que após entrar em
contato, a requerida sobre o que se tratava, esta solicitou a baixa e a devolução,
conforme documento de fls. 16. Na data de 27.02.98, após três meses voltou a
apontar o mesmo título indevido. A requerente nada deve a requerida.

Diante do exposto, requer seja a presente contestação julgada improcedente.

Nestes termos,
pede deferimento

Blumenau, 07 de dezembro de 1998.

RUBENS GARCIA
OAB/SC № 5.432
CERTIDÃO

CERTIFICO que a intimação constante da relação de ___/___, foi


publicada no Diário da Justiça №______ dia ___/___/___, as fls. №
_____. Certifico ainda que o doc. em conformidade com o Provimento
03/98. item 01 teve início em ___/___/___, expirado em
___/___/___.
Dou fé. _______________________Blumenau, 15/12/98.
Escrivão____________________

CONCLUSÃO

Em ____ de _______________ de ____.


Faço os presentes autos conclusos do MM Dr. Juíz de direito da 3ª
Vara Cível e Feitos da Fazenda. Dou fé.
O escr. __________________

RECEBIMENTO

Foram-me entregues estes autos em ____/____/____


A Escrivã _____________________.
EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA 3ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE BLUMENAU –
ESTADO DE SANTA CATARINA.

PROC. N. 898004975-7 (382/98)

FIRENZE COMUNICAÇÃO E PRODUÇÃO LTDA., já qualificada nos autos da Ação


de Desconstituição de Título Cambiário – processo em epígrafe, que lhe move A.S.
PUBLICIDADE E PROMOÇÕES LTDA., igualmente qualificada, vem,
respeitosamente, ante a V. Exa., por intermédio de seu procurador subscrito, requer a
juntada do presente instrumento Particular de Procuração (doc. 01) em anexo, ademais,
do Contrato Social igualmente acostado (doc. 02), suprindo a omissão por ocasião da
interposição da peca contestatória, segundo lhe faculta o artigo 37 do Diploma
Processual Civil, outrossim, nos autos da ação cautelar de sustentação de protesto –
proc. 008.98.003429-6, já apensada, salientando ter sido a ré citada, primeiramente,
para a ação principal, seguindo-se em seus demais termos, como convém.

Pede Deferimento.

De Florianópolis p/ Blumenau, em 21 de setembro de 1998.

RODRIGO B. CURI OAB/SC 8681


PROCURAÇÃO

Pelo presente Instrumento Particular de Procuração, o (a) (s)


abaixo assinados (a) (s) denominado (a) (s) OUTORGANTES (S),
nomeiam (m) e constitui (em) seus bastantes procuradores, os
advogados abaixo qualificados, que aqui simplesmente de
denominam OUTORGADOS.

OUTORGANTE (S): FIRENZE COMUNICAÇÃO E PRODUÇÃO


LTDA., pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CGC/MF sob n.
83.601.690/0001-61, estabelecida na Rua Deputado Antônio Edu
Vieira, 388, Pantanal, Florianópolis/SC, na pessoa de seu diretor,
SAUL BRANDALISE JÚNIOR.

OUTORGADOS: RODRIGO BRANDEBURGO CURI, MICHEL


CURI, JORGE NOGUEIRA GALIBERN JÚNIOR E EMIR ROSA,
advogados legalmente inscritos na OAB/SC sob n. 8681, 1167, 8608
e 12431, respectivamente, com escritório profissional na Rua Vidal
Ramos, 53, Edifício Crystal Center, sala 706, Centro, Florianópolis/SC,
CEP 88.010-320 (Fones/fax 223.3961 / 223.1565).

PODERES: Para o foro em geral, com as cláusulas ad e extra


judicia e especiais para acordar, transigir, transacionar nos autos,
impugnar, receber e passar recibos, dar quitação, assinar o termo de
inventariante, cessionar nos autos, desistir, recorrer a Superior
Instância, requerer falência, receber citação inicial, notificações e
intimações, e tudo mais que for necessário for na defesa dos
interesses do (a) (s) Outorgantes (s), inclusive substabelecer com ou
sem reserva de iguais poderes e especialmente para contestar a Ação
Declaratória de Nulidade de Ato Jurídico movida por A.S. Publicidade
e Promoções Ltda.

Florianópolis-SC, 1 de setembro de 1998.

Outorgante
CONCLUSÃO

Faço estes autos conclusos ao MM. Juiz de Direito da 3ª Vara Cível de feitos da
Fazenda, em 01 de fevereiro de 1999.

Escrivã Judicial:
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO

Autos no 008.98.004975-7

R.h.,

Providencie a Sra. Escrivã o desentranhamento dos


documentos de f. 56 e seguintes tendo em vista que não se
referem ao presente ao presente feito, juntando-os no
correspondente.

Intime-se

Blumenau, 02 de fevereiro de 1999.

EDUARDO MATTOS GALLO JÚNIOR


Juiz de Direito

RECEBIMENTO

Foram entregues estes autos em _____/______/_______.

A escrivã:______________________________________.

Certifico que: ______________________________________

________________________________________________________

________________________________________________________

Blumenau, _____ de _____________________ de ______.


CONCLUSÃO

Faço estes autos conclusos ao MM. Juiz de Direito da 3ª Vara Cível de feitos da
Fazenda, em 12 de fevereiro de 1999.

Escrivã Judicial:
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO

Vistos, os autos...

1 – Forte no art. 125, IV do Código de Processo Civil, designo o dia


____/____/____, às _________, para a realização de uma audiência conciliatória.

2 – I-se.

Blumenau, 10 de março de 1.999.

EDUARDO MATTOS GALLO JÚNIOR


Juiz de Direito

RECEBIMENTO

Foram entregues estes autos em _____/______/_______.

A escrivã:______________________________________.
CERTIDÃO

CERTIFICO que o despacho/decisão/art. 162, § 4º, de fls. _______


(______________________________), consta da relação de no
017/99, a ser publicada no Diário da Justiça para intimação do(s)
Dr(s) ___________________________________________________
_______________________________________________________
Dou fé. Blumenau, 12 de Março de 1999.
Escrivã Judicial:

CERTIDÃO

Certifico que nesta data, neste Cartório, foi lavrad___ competente


_____________.
Dou fé.
Blumenau, ______ de ______________ de 19___.
Escrivã ____________________.
PODER JUDICIÁRIO
COMARCA DE BLUMENAU – SC
3ª VARA CÍVEL E FEITOS DA FAZENDA

CARTA DE INTIMAÇÃO – PELO CORREIO

Ofício n. 455/99 Blumenau, 15 de março de 1999.

Ao
Ilmo (a) Sr. (a)
REPRESENTANTE LEGAL DE A.S. PUBLICIDADE DE PROMOÇÕES
LTDA.
RUA PETRÓPOLIS, 75
CEP 89010-240 BLUMENAU SC

Pelo presente, cumprindo determinação do MM Juiz de Direito desta


Comarca DR. EDUARDO MATTOS GALLO JÚNIOR, nos autos da ação de
DESCONSTITUIÇÃO DE TÍTULO CAMBIÁRIO N. 008.98.004975.7 (328/98)
Onde ficaram como Autor(es) A.S. PUBLICIDADE DE PROMOÇÕES e
requerido(s) FIRENZE COMUNICAÇÃO E PRODUÇÃO LTDA. Fica(m) Vossa(s)
Senhorias(s) entimados(s), nos autos supra para comparecer(em) neste juízo, da 3ª
VARA CÍVEL E FEITOS DA FAZENDA, FÓRUM DE BLUMENAU SC (sala 76) no
dia 05/05/99 às 10:00 horas a fim de participar(em) da audiência de conciliação.

Limitado ao exposto, apresento a Vossa Senhoria, cordiais saudações.

MARELISE A. V. HEINZLE
Escrivã Judicial
PODER JUDICIÁRIO
COMARCA DE BLUMENAU – SC
3ª VARA CÍVEL E FEITOS DA FAZENDA

CARTA DE INTIMAÇÃO – PELO CORREIO

Ofício n. 456/99 Blumenau, 15 de março de 1999.

Ao
Ilmo (a) Sr. (a)
REPRESENTANTE LEGAL DE A.S. PUBLICIDADE DE PROMOÇÕES
LTDA.
RUA PETRÓPOLIS, 75
CEP 89010-240 BLUMENAU SC

Pelo presente, cumprindo determinação do MM Juiz de Direito desta


Comarca DR. EDUARDO MATTOS GALLO JÚNIOR, nos autos da ação de
DESCONSTITUIÇÃO DE TÍTULO CAMBIÁRIO N. 008.98.004975.7 (328/98)
Onde ficaram como Autor(es) A.S. PUBLICIDADE DE PROMOÇÕES e
requerido(s) FIRENZE COMUNICAÇÃO E PRODUÇÃO LTDA. Fica(m) Vossa(s)
Senhorias(s) entimados(s), nos autos supra para comparecer(em) neste juízo, da 3ª
VARA CÍVEL E FEITOS DA FAZENDA, FÓRUM DE BLUMENAU SC (sala 76) no
dia 05/05/99 às 10:00 horas a fim de participar(em) da audiência de conciliação.

Limitado ao exposto, apresento a Vossa Senhoria, cordiais saudações.

MARELISE A. V. HEINZLE
Escrivã Judicial
PODER JUDICIÁRIO
COMARCA DE BLUMENAU – SC
3ª VARA CÍVEL E FEITOS DA FAZENDA

Ofc. no 457/98 Blumenau, 15 de março de 1999.

Senhor Advogado,

Cumprindo determinação do MM. Juiz de Direito desta comarca, DR.


EDUARDO MATTOS GALLO JUNIOR, tenho a honra de intimar do respeitável
despacho proferido nos autos da ação de DESCONSTITUIÇÃO DE TÍTULO
CAMBIÁRIO NO 008.98.004975-7 (382/98) em que é autor S.A. PUBLICIDADE E
PROMOÇÕES e Requerido(s) CACHOEIRA COMUNICAÇÃO E PRODUÇÃO a seguir
transcrito:

“1 – Forte no art. 125, IV do CPC, designo o dia 05/05/99 às 10:00 horas, para
a realização de uma audiência conciliatória..2- I-se.”

OBSERVAÇÃO: As próximas intimações serão feitas pelo Diário da justiça


de Santa Catarina/SC.

Na oportunidade, apresento a Vossa Senhoria, cordiais saudações.

MARILSE A. V. HEINZLE
Escrivã Judicial

Ao
Ilmo(a) Sr.(a)
DR. RODRIGO B. CURI
RUA VIDAL RAMOS, 53, SALA 706
CEP 88010-320 – FLORIANÓPOLIS/SC
CERTIDÃO

CERTIFICO que, a intimação constante da relação de no 017/99 foi


publicado no Diário da Justiça no 10.175, do dia 18/03/99, às fls. 33/34.
Dou fé.
Blumenau, 03 de maio de 1999.

MARILSE A. V. HEINZLE
Escrivã Judicial
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível e Feitos da Fazenda

TERMO DE AUDIÊNCIA

Autos no 898004975-7 (382/98)


Ação: Declaratória de nulidade de Ato Jurídico

Parte Ativa: S.A. Publicidade e Promoções Ltda


Parte Passiva: Cachoeira Produção e Comunicação
Ato Processual: Audiência de Conciliação
Data: 05/05/1999 – 10:00 horas
Local: Sala de Audiências da 3ª. Vara Cível e Feitos da Fazenda

PRESENÇAS:
Juiz de Direito: Dr. Eduardo Mattos Gallo Júnior
Ministério Público: Não participa.

Advogados:
Dr. Rodrigo Pitrez de Oliveira – Procurador do(a) Requerido(a)

Aberta a audiência, apregoadas as partes deixou de ser proposta a conciliação face


a ausência da Requerente. A seguir pelo MM. Juiz de Direito, foi determinado que os
autos viessem conclusos para análise da possibilidade de julgamento antecipado.
Nada mais.

JUIZ DE DIREITO

PROCURADORES

PARTES
SUBSTABELECIMENTO

RODRIGO BRANDEBURGO CURI, brasileiro, casado, advogado, inscrito na


OAB/SC sob no 8681, com escritório profissional na Rua Vidal Ramos, 53, Edf.
Crystal Center, sala 706, Centro, Fpolis, CEP: 88010-320 (fone/fax: 2233961 /
2231565). SUBSTABELECE, com reserva, aos Drs. TULLO CAVALLAZZI
FILHO, ALEXANDRE BRITO ARAÚJO, EVERALDO LUIZ RESTANHO E
RODRIGO PITREZ DE OLIVEIRA, brasileiros, advogados legalmente inscritos na
OAB/SC sob ns. 9212, 9990, 9191 e 13350, respectivamente, todos os poderes que
lhes foram estendidos por CACHOEIRA COMUNICAÇÃO E PRODUÇÃO LTDA.,
nos autos da Ação Cautelar de sustação de Protesto e de Desconstituição de
título Cambiário, movidas por S.A. PUBLICIDADE E PROMOÇÕES LTDA.,
tramitando na 3ª Vara Cível da Comarca de Blumenau/SC – Procs. no
008.98.003429-6 e 008.98.004975-7.

Florianópolis, 5 de Abril de 1999.

RODRIGO BRANDESBURGO CURI


ADVOGADO OAB/SC 8681
CONCLUSÃO

Faço estes autos conclusos ao MM. Juiz de Direito da 3ª Vara Cível e Feitos
da Fazenda, em 06 de maio de 1999.

Escrivã Judicial:
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO

Vistos, os autos de no 008.98.004975-7

1 – Considerando o teor de portaria da presidência do Tribunal de Justiça,


este magistrado está designado para responder, apenas, pela recém instalada Vara
da Fazenda, não possuindo mais competência para atuar nos feitos da jurisdição da
Terceira Vara Cível.

2 – Destarte, devolvo os presentes autos a Cartório, sem manifestação, pois


em que pese ter devolvido a imensa maioria dos feitos com devido impulso, não foi
possível fazê-lo no presente.

Blumenau, 01 de Dezembro de 1999.

Eduardo Mattos Gallo Júnior


Juiz de Direito

RECEBIMENTO

Foram-me entregues estes autos em 15/12/99.


A escrivã: ..................................................
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA 3ª VARA
CÍVEL DA COMARCA DE BLUMENAU – SANTA CATARINA

Ref. Proc. no 008.98.004975-7


Requerente: S.A. PUBLICIDADE E PROMOÇÕES LTDA.
Requerida: CACHOEIRA COMUNICAÇÃO E PRODUÇÃO LTDA.

CACHOEIRA COMUNICAÇÃO E PRODUÇÃO LTDA., já qualificada nos


autos do processo acima destacado, vem respeitosamente, através de seus
Patronos Constituídos, à presença Vossa Excelência requerer a juntada do
substabelecimento anexo.

Nestes termos,
Pedem deferimento.

Blumenau, 12 de maio de 1999.

RODRIGO PITREZ DE OLIVEIRA


OAB/SC 13.350
SUBSTABELECIMENTO

RODRIGO BRANDEBURGO CURI, brasileiro, casado, advogado, inscrito na


OAB/SC sob no 8681, com escritório profissional na Rua Vidal Ramos, 53, Edf.
Crystal Center, sala 706, Centro, Fpolis, CEP: 88010-320 (fone/fax: 2233961 /
2231565). SUBSTABELECE, com reserva, aos Drs. TULLO CAVALLAZZI
FILHO, ALEXANDRE BRITO ARAÚJO, EVERALDO LUIZ RESTANHO E
RODRIGO PITREZ DE OLIVEIRA, brasileiros, advogados legalmente inscritos na
OAB/SC sob ns. 9212, 9990, 9191 e 13350, respectivamente, todos os poderes que
lhes foram estendidos por CACHOEIRA COMUNICAÇÃO E PRODUÇÃO LTDA.,
nos autos da Ação Cautelar de sustação de Protesto e de Desconstituição de
título Cambiário, movidas por S.A. PUBLICIDADE E PROMOÇÕES LTDA.,
tramitando na 3ª Vara Cível da Comarca de Blumenau/SC – Procs. no
008.98.003429-6 e 008.98.004975-7.

Florianópolis, 5 de Abril de 1999.

RODRIGO BRANDESBURGO CURI


ADVOGADO OAB/SC 8681
CONCLUSÃO

Aos 03 dias do mês de Março de 2000, faço estes autos conclusos ao MM.
Juiz de Direito da 3ª Vara Cível, Dr. JOSÉ INÁCIO SCHAEFER.
Escrivã Judicial:
PODER JUDICIÁRIO
COMARCA DE BLUMENAU – SC
3ª VARA CÍVEL E FEITOS DA FAZENDA

Autos no. 008.98.004975-7

Ação: Declaratória de Nulidade de Ato Jurídico


Parte Ativa: S.A. Publicidade
Parte Passiva: Cachoeira Produção e Comunicação Ltda

R.h.

Verifico que sobre a contestação e documentos juntos, não se


manifestou a autora, intime-se para que o faça, no prazo de 10 dias, querendo.

Blumenau, 07 de Abril de 2000.

José Inácio Schaefer


Juiz de Direito

RECEBIMENTO

Foram-me entregues estes autos em 10/04/2000.


A escrivã:_______________________________
CERTIDÃO

CERTIFICO que o despacho/decisão/art. 162, § 4º, de fls. _______


(______________________________), consta da relação de no
34/2000, a ser publicada no Diário da Justiça para intimação do(s)
Dr(s) ___________________________________________________
_______________________________________________________
Dou fé. Blumenau, 13/04/2000.
Escrivã Judicial:

CERTIDÃO

CERTIFICO que, a intimação constante da relação de no 34/2000,


foi publicada do Diário da Justiça no 10447 no dia 02/05/00, às fls.
60/62. CERTIFICO, ainda, que o prazo, em conformidade com o
provimento 03/92, item 10.2, teve seu inicio em 08/05/00, expirando
em 17/05/00. Do que dou fé.
Blumenau, 08/05/00.
Escrivã Judicial:

CERTIDÃO
CERTIFICO que nesta data, foram estes autos retirados em carga, pelo Dr. Rubens Garcia com 82-35
folhas, tendo o seguinte no. De ordem 655.
Blumenau, 08 de maio de 2000.
Escrivã Judicial:

RECEBIMENTO
Foram-me entregues estes autos em 09/05/2000.
A Escrivã:

CERTIDÃO
CERTIFICO que não houve manifestação quanto a intimação do despacho retro.
Blumenau, 15 de agosto de 2000.
Escrivã:
CONCLUSÃO

Faço estes autos conclusos ao


MM. Juiz de Direito da 3ª Vara
Cível Dr. Ricardo Rafael dos Santos.
Blumenau, 22/11/2000.
Escrivã Jud. Matr. 1352
CERTIDÃO

Certifico que, nesta data, os presentes autos foram devolvidos, sem


despacho, em virtude de ter o MM. Juiz, Dr. Ricardo Rafael dos
Santos, ter sido designado para responder pela comarca de Gaspar.
Dou fé.
Blumenau, 08 de fevereiro de 2001.
Escrivã Judicial:

CONCLUSÃO

Faço estes autos conclusos à MM. Juiz de Direito da 3ª Vara


Cível, Dr. Rubens Schulz.
Em 08 de Fevereiro de 2001.
Escrivão Judicial:
Autos no 008.98.004975-7
Ação: Declaratória de Nulidade de Ato Jurídico / Ordinário
Requerente: S.A. Publicidade e Promoções Ltda
Requerido: Cachoeira Produção e Comunicação Ltda

R.h.

Designo audiência de conciliação para o dia


03/12/2001, às 13:30 horas, para os fins do art. 331 do CPC.

I-se.

Rubens Schulz
JUIZ DE DIREITO

RECEBIMENTO
Foram-me entregues estes autos em 08/08/2001.
A Escrivã:
CERTIDÃO DE INTIMAÇÃO DIÁRIO DA JUSTIÇA

CERTIFICO e dou fé, que o(s) procurador(es) abaixo será(ao) intimado(s) do


despacho/decisão/art. 162, § 4º. de acordo como o que segue:
Requerente: Rubens Garcia
Requerido: Rodrigo Pitrez de Oliveira
Desp./decisão/art. 162, § 4º: 85
Relação D.J. nº 075/2001
Dou fé.
Blumenau, 06/09/2001.
Escrivã Judicial:_______________

CERTIDÃO

CERTIFICO que expedi ofícios intimação


Conforme cópia que segue:
Blumenau, 04 de Setembro de 2001.
A escrivã:_____________________
CERTIDÃO DE INTIMAÇÃO DIÁRIO DA JUSTIÇA

CERTIFICO e dou fé, que o(s) procurador(es) abaixo será(ao) intimado(s) do


despacho/decisão/art. 162, § 4º. de acordo como o que segue:
Requerente: Rubens Garcia
Requerido:
Desp./decisão/art. 162, § 4º: 89
Relação D.J. nº 085/2001
Dou fé.
Blumenau, 02/10/2001.
Escrivã Judicial:_______________

CERTIDÃO

Certifico que a relação de publicação nº 075/01


foi publicada do Diário da Justiça nº 10788
no dia 17/09/01, às fls. 73/74.
Dou fé.
Blumenau 20/11/01.
Escrivã Judicial:___________________

CERTIDÃO

Certifico que a relação de publicação nº 085/01


foi publicada do Diário da Justiça nº 10803
no dia 08/10/01, às fls. 85/86.
Dou fé.
Blumenau 20/11/01.
Escrivã Judicial:___________________
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

TERMO DE AUDIÊNCIA

Autos nº 008.98.004975-7/0000

Espécie: Declaratória de Nulidade de Ato Jurídico/Ordinário


Parte Ativa: S.A. Publicidade e Promoções Ltda.
Parte Passiva: Cachoeira Produção e Comunicação Ltda.

Data: 03/12/2001 às 13:30 horas Conciliação


Local: Sala de Audiências da 3ª Vara Cível da Comarca de Blumenau.

PRESENÇAS:
Juiz de Direito: Rubens Schulz
Ministério Público: não participa
Partes: S.A. Publicidade e Promoções Ltda X Cachoeira Produção e Comunicação Ltda
Advogados:

Aberta a audiência, apregoadas as partes, não compareceram e nem seus


procuradores determinando o MM. Juiz que os autos fossem conclusos.
Nada mais.

JUIZ DE DIREITO
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

CERTIDÃO

Autos nº 008.98.004975-7/0000

Ação: Declaratória de Nulidade de Ato Jurídico/Ordinário


Parte Ativa: S.A. Publicidade e Promoções Ltda
Parte Passiva: Cachoeira Produção e Comunicação Ltda.

CERTIFICO que, nesta data, faço os autos suso mencionados,


conclusos ao MM. Juiz de Direito Rubens Schulz.
Dou fé.

Comarca de Blumenau (SC), 03 de Dezembro de 2001.

Marilse Aparecida Vanzuita heinzle


Escrivã(o) Judicial
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

Autos nº 008.98.004975-7/0000 e 008.02.016620-3


Ação: Declaratória de Nulidade de Ato Jurídico/Ordinário
Parte Ativa: S.A. Publicidade e Promoções Ltda
Parte Passiva: Cachoeira Produção e Comunicação Ltda

Vistos, etc.

Verifico que a autora, embora nos autos da cautelar em apenso esteja


devidamente representada, nos presentes autos não juntou o devido
instrumento.

Assim, visando evitar qualquer nulidade no feito, determino a mesma


que regularize sua representação processual no prazo de 10 (dez) dias, sob
as penas previstas no art. 37, § único do CPC. Deverá a autora ser intimada
pessoalmente.

Manifestem-se as partes, no prazo de 10 (dez) dias, informando se


possuem interesse na produção de demais provas e, em caso afirmativo,
indicando-as detalhadamente, sob pena de indeferimento.

Intime-se. Cumpra-se.

Blumenau, 12/04/2004

Rubens Schulz
Juiz de Direito

REQUERIMENTO

Foram entregues estes autos em 12/04/2004


A escrivã:_____________________________
PODER JUDICIÁRIO/COMARCA BLUMENAU Emitido em : 28/01/2005 – 13:37:59
Certidão – Processo 008.98.004975-7/0000 página: 1

CERTIDÃO DE REMESSA DE RELAÇÃO

Certifico que o ato abaixo consta da relação nº 0009/2005, encaminhada


para publicação.

Advogado: Forma
Rubens Garcia (OAB 5432SC) D.J.
Rodrigo Pitrez de Oliveira (OAB 13350SC) D.J.

Teor do ato: “Verifico que a autora, embora nos autos da cautelar em apenso
esteja devidamente representada, nos presentes autos não juntou o devido
instrumento. Assim, visando evitar qualquer nulidade no feito, determino a mesma
que regularize sua representação processual no prazo de 10 (dez) dias, sob as
penas previstas no art. 37, § único do CPC. Deverá a autora ser intimada
pessoalmente. Manifestem-se as partes, no prazo de 10 (dez) dias, informando se
possuem interesse na produção de demais provas e, em caso afirmativo, indicando-
as detalhadamente, sob pena de indeferimento.

Dou fé.
Blumenau, 28 de janeiro de 2005.

Escrivã(o) Judicial
PODER JUDICIÁRIO/COMARCA BLUMENAU Emitido em : 11/02/2005 – 15:08:54
Certidão – Processo 008.98.004975-7/0000 página: 1

CERTIDÃO DE REMESSA DE RELAÇÃO

Certifico que a intimação do ato abaixo, constante da relação nº 0009/2005,


foi publicada no Diário da Justiça nº 11606, do dia 10/02/2005, paginas 43/44,
com inicio do prazo em 16/02/2005, conforme disposto no Código de Normas da
Corregedoria da Justiça.

Advogado Prazo em dias Termino do prazo


Rubens Garcia (OAB 5432SC) 10 25/02/2005
Rodrigo P. de Oliveira (OAB 13350SC) 10 25/02/2005

Teor do ato: “Verifico que a autora, embora nos autos da cautelar em apenso
esteja devidamente representada, nos presentes autos não juntou o devido
instrumento. Assim, visando evitar qualquer nulidade no feito, determino a mesma
que regularize sua representação processual no prazo de 10 (dez) dias, sob as
penas previstas no art. 37, § único do CPC. Deverá a autora ser intimada
pessoalmente. Manifestem-se as partes, no prazo de 10 (dez) dias, informando se
possuem interesse na produção de demais provas e, em caso afirmativo, indicando-
as detalhadamente, sob pena de indeferimento.

Do que dou fé.


Blumenau, 11 de Fevereiro de 2005.

Escrivã(o) Judicial
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

JUNTADA

Em 11/03/2005, junto a petição que segue.

Mariana Galvan
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA 3ª VARA
CÍVEL DA COMARCA DE BLUMENAU – SANTA CATARINA

S.A. PUBLICIDADE E PROMOÇÕES LTDA., por seu procurador nos


autos da AÇÃO DECLARATÓRIA Nº 008.98.004975-7, que move em face de
CACHOEIRA PRODUÇÃO E COMUNICAÇÃO LTDA., vem respeitosamente, a
presença de V. Exa. Requerer juntada da anexa cópia do instrumento de procuração
outorgado de uma só vez para a Ação Cautelar e Principal.

A Autora não possui mais endereço nesta cidade, desconhecendo este


procurador outro endereço da mesma.

Em relação a produção de prova a autora nada mais tem a requerer.

Nestes termos,
Pede deferimento,

Blumenau, 17 de fevereiro de 2005.


Rubens Garcia
OAB/SC 5432

PROCURACAO

OUTORGANTE: S.A. PUBLICIDADE E PROMOÇÕES LTDA., pessoa jurídica


de direito privado, com sede nesta cidade, na Rua Petrópolis, 75, inscrita no
CGC(MF) sob nº 99.999.999/0001-99, neste ato representada por seu(s)
representante(s) legal(is).

OUTORGADOS: MARCOS GRÜTZMACHER, brasileiro, casado, advogado inscrito na OAB/SC


sob nº 6.541, portador do CIC 999.999.999-99, MARIA GARDÊNIA
MADERS, brasileira, solteira, maior, advogada inscrita na OAB sob nº 7015,
portadora do CIC 999.999.999/99, RUBENS GARCIA, brasileiro, solteiro,
maior, advogado inscrito na OAB/SC sob nº 5432, portador do CIC sob nº
999.999.999/99, LAERTES NARDELLI, brasileiro, solteiro, maior, advogado
inscrito na OAB/SC sob nº 5432, portador do CIC sob nº 999.999.999/99,
PEDRO FRANCISCO DUTRA DA SILVA, brasileiro, casado, maior, advogado
inscrito na OAB/SC sob nº 8016, portador do CIC sob nº 999.999.999/99,
JAMES ANDREI ZUCCO, brasileiro, solteiro, maior, advogado inscrito na
OAB/SC sob nº 10134, portador do CIC sob nº 999.999.999/99, FABIAN
MARCELO GOMES CAPELLO, brasileiro, casado, maior, advogado inscrito na
OAB/SC sob nº 10250, portador do CIC sob nº 999.999.999/99, MARCIA S.
M. KLEMZ, brasileiro, casada, maior, advogado inscrito na OAB/SC sob nº
6984, portador do CIC sob nº 999.999.999/99, LUIZ PAULO STÁVALE
JOAQUIM, brasileiro, divorciado, maior, advogado inscrito na OAB/SC sob nº
5693, portador do CIC sob nº 999.999.999/99, RENE ROBERTO PUKALL,
brasileiro, solteiro, maior, advogado inscrito na OAB/SC sob nº 6887, portador
do CIC sob nº 999.999.999/99, SIMONE KEILLA BONA, brasileira, solteira,
maior, advogado inscrito na OAB/SC sob nº 9732, portador do CIC sob nº
999.999.999/99, LUIZ EDUARDO FERENCZ, brasileiro, casado, maior,
advogado inscrito na OAB/SC sob nº 9807, portador do CIC sob nº
999.999.999/99, ADRIANA DE PAULA NEUMANN, brasileira, solteiro,
maior, advogado inscrito na OAB/SC sob nº 8281-B, portador do CIC sob nº
999.999.999/99, ANOUKE LONGEN, brasileira, solteiro, maior, advogado
inscrito na OAB/SC sob nº 11769, portador do CIC sob nº 999.999.999/99,
VANDERLEI KROETZ, brasileiro, solteiro, maior, advogado inscrito na
OAB/SC sob nº 42980, portador do CIC sob nº 999.999.999/99, MARCELO
REQUE, brasileiro, casado, maior, advogado inscrito na OAB/SC sob nº 8573,
portador do CIC sob nº 999.999.999/99, TATIANE YARA ODEBRECHT,
brasileira, solteira, maior, advogado inscrito na OAB/SC sob nº 11908,
portador do CIC sob nº 999.999.999/99, MARIA HELENA BIAOBOCK,
brasileira, solteira, maior, advogado inscrito na OAB/SC sob nº 4701-II,
portador do CIC sob nº 999.999.999/99

PODERES:
A OUTORGANTE confere aos OUTORGADOS, em conjunto ou isoladamente,
independente da ordem de nomeação, os poderes gerais para o foro de geral,
com a clausula “ad judícia et extra” em qualquer juízo, instancia ou tribunal,
podendo propor contra, quem de direito, as ações competentes e defendê-lo,
nas contrárias, transigir, desistir, firmar acordos em juízo “et extra”, firmar
compromissos amigáveis e judiciais, representar junto a repartições publicas,
federais, estaduais, municipais e autarquias, seguindo umas e outras até final
decisão, usando dos recursos legais e acompanhando-os, podendo inclusive
receber e dar quitação, substabelecer, com ou sem reservas de poderes, no
todo ou em parte a presente procuração, praticando enfim todos os atos
necessários ao cumprimento deste mandato, especialmente para promover
Ação de Sustação de Protesto e Ação de Desconstituição de Titulo Cambiário.

Blumenau, 12 de março de a998.


S.A. PUBLICIDADE E PROMOÇÕES LTDA.
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

JUNTADA

Em 13/03/2005, junto a petição que segue.

Mariana Galvan
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA 3ª VARA
CÍVEL DA COMARCA DE BLUMENAU – SANTA CATARINA

REF. PROC. Nº 008.98.004975-7

CACHOEIRA PRODUÇÃO E COMUNICAÇÃO LTDA., qualificada nos autos


do processo acima destacado, vem respeitosamente, através de seus Patronos
constituídos, à presença de Vossa Excelência, requerer:

1. Que as futuras INTIMAÇÕES realizadas neste processo, assim como na


cautelar de sustação de protesto em apenso de nº 008.98.003429-6,
deverão ser dirigidas exclusivamente ao advogado RODRIGO
BRANDEMBURGO CURI, OAB/SC Nº 8.681.

NESTES TERMOS,
PEDE DEFERIMENTO.

Blumenau, 09 de março de 2005.


RODRIGO PITREZ DE OLIVEIRA
OAB/SC 13.350
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

CERTIDÃO

Certifico que decorreu o prazo de dez dias, sem que a ré,


intimada por seu procurador, tivesse se manifestado quanto
ao r. despacho de fls. 92. Dou fé.

Blumenau, 18/04/2005.

Marilse Aparecida Vanzuita Heinzie


CONCLUSÃO

Aos 11 de Novembro de 2005, faço estes autos conclusos ao


MM. Juiz de Direito da 3ª Vara Cível, Dr. Rubens Schulz.
Escrivã Judicial:
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

JUNTADA

Em 27/07/2006, junto a petição que segue.

André Olivério Padilha


EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA 3ª VARA CÍVEL DA
COMARCA DE BLUMENAU – SANTA CATARINA

Autos nº 008.98.004975-7

EDUARDO ZANATTA BRANDEBURGO, brasileiro, solteiro,


advogado portador da OAB/SC 19.579, domiciliado na rua Rosa, 192,
Pantanal, Florianópolis/SC, CEP 88040-270, venho respeitosamente ante
vossa Excelência aduzir o meu impedimento para a prática da advocacia
privada em virtude de aprovação em concurso público e opção pelo regime
de dedicação exclusiva. Por conseguinte, renuncio ao mandato com fulcro
no art. 45 do CPC cumulado com o art. 5º, §3º, da lei 8.906/94. Informo
ainda, por oportuno, que o (a) (s) mandante (s) não foi (ram) notificado (a)
(s) para nomear substituto, visto que os demais mandatários continuam
legitimados e responsáveis, sendo que futuras intimações deverão ser feitas
na pessoa dos Drs. Rodrigo Brandeburgo Curi, OAB/SC 8681 e Sandro L. R.
Araújo, OAB/SC 11148.

Peço deferimento.

Florianópolis, 22 de junho de 2006.

EDUARDO ZANATTA BRANDEBURGO, OAB/SC 19579


ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

Autos nº 008.98.004975-7 e 008.98.003429-6


Ação: Declaratória de Nulidade de Ato Jurídico/Ordinário
Autor: S.A. Publicidade e Promoções Ltda.
Réu: Cachoeira Produção e Comunicação Ltda.

Vistos, etc...

S.A. Publicidade e Promoções Ltda. ajuizou a presente


Ação de Desconstituição de Título Cambiário, proveniente de
duplicata protestada por Cachoeira Comunicação e Produção Ltda.,
ambas devidamente qualificadas e representadas nos autos.

Aduziu a autora, em síntese, que não há qualquer relação


jurídica comercial entre as partes. Aduziu que atua no ramo de
publicidade, já tendo encaminhado para a requerida, mas em nome
de terceiro, veiculação de publicidade, onde não possui qualquer
responsabilidade, porque atuou como mera agenciadora. Juntou
documento de referida transação, argumentando constar no corpo do
mesmo, o pagamento mediante cheque. Acrescentou que o mesmo
título já havia sido protestado anteriormente, tendo sido solicitada a
baixa. Aduz a inexistência do débito, requerendo a desconstituição do
título.

Regularmente citada, a ré apresentou contestação


tempestiva, alegando, preliminarmente, a impossibilidade do pedido,
ao argumento de que as alegações da autora não são eficazes à
desconstituição do título. No mérito, apontou que a negociação de
que trata o título protestado não é a mesma da qual a autora juntou
documentos, posto que esta foi no valor de R$ 6.000,00, enquanto
está em discussão o valor de R$ 500,00, tendo juntado a autorização
de publicidade referente a mesma, inclusive assinada pela autora,
referente a 10 flashes ao vivo na promoção “pedágio da band”. Por
último, requereu a condenação da autora nas penas da litigância de
má-fé (fls. 26/32).

ESTADO DE SANTA CATARINA


PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

Manifestação à contestação às fls. 53/54, tendo a autora


reafirmado que o mesmo título já havia sido protestado há 03 (três)
meses e quando entrou em contato com a ré, para saber do que se
tratava, a mesma requereu a baixa do título.

Designada audiência de conciliação, restou prejudicada,


ante a ausência da requerente (fl. 74).

Designada nova audiência de conciliação, novamente


prejudicada pela ausência das partes (fl. 91).

Intimadas as partes, a autora afirmou não ter outras


provas a produzir, tendo a ré deixado o prazo transcorrer in albis.

Paralelamente, foi interposta cautelar de sustação de


protesto, em apenso, que teve a liminar deferida (fls. 14/15).

Em contestação, a requerida apresentou os mesmos


termos da ação principal.

Vieram os autos conclusos.

Relatados, decido:

A questão de mérito é de fato e de direito, não tendo as


partes requerido a produção de outras provas além da documental.

Preliminarmente, a ré apontou a impossibilidade jurídica


do pedido, ao argumento de que as alegações despendidas na inicial
são ineficazes à desconstituição do título.

A questão argüida em preliminar confunde-se com o


mérito e com esse será analisado.
Trata-se de pedido de declaratória de inexistência de
débito, onde alega a autora a inexistência de relação comercial entre
as partes a fim de justificar o título protestado.

É cediço que cabe ao autor, em pretendendo desconstituir


a eficácia dos documentos que representam o débito, comprovar a
inexistência de causa válida para a sua emissão ou a existência de
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

vícios que lhe acarretem a inexigibilidade, porquanto, admitindo-se a


discussão sobre a causa debendi da operação mercantil, em face de
possível inexigibilidade, conforme dispõe o art. 333 do CPC. Na
mesma esteira, cabe ao réu a comprovação de regularidade do título.

Argumenta a autora que atua no ramo de publicidade e


que nesta qualidade encaminhou à requerida, como agenciadora, a
cliente Tamisa Eventos Ltda., para veiculação de publicidade. Juntou
documento de referida negociação, onde consta que o pagamento foi
realizado com cheque.

Em contraponto, a ré afirma que a negociação de que


trata o título protestado não é a mesma da qual a autora juntou
documentos, posto que esta foi no valor de R$ 6.000, enquanto está
em discussão o valor de R$ 500,00, juntando nova autorização de
publicidade, atinente a 10 flashes ao vivo na promoção “pedágio da
band”.

De outro norte, aduziu a autora que desconhece o


documento de fl. reafirmando não o ter autorizado. Acrescentou que
esse mesmo título já foi objeto de protesto anteriormente, o que
comprovou com o documento de fl. 13. Acrescentou, a autora, que na
época discutiu com a ré a ilegitimidade do título, tendo a requerida,
imediatamente, promovido a baixa do protesto (documento de fl. 16).

Analisando os documentos juntados, verifico que o


documento de fl. 46 representa o contrato n. 1339 e se coaduna com
a duplicata n. 32.916, de fl. 47, ambos juntados pela ré, no valor de
R$ 500,00, com vencimento previsto para o dia 03/10/1997.

Ocorre que a baixa do protesto foi requerida


imediatamente após, pela ré, em 07 de novembro de 1997, conforme
comprova o documento de fl. 16 e, segundo afirmou a autora, a
imediatidade da baixa deu-se porque a ré concordou com a
ilegitimidade do protesto.
Nada obstante, sobre tal fato, nada comentou a ré,
presumindo-se ser verdadeira a alegação.

Sobre o ônus da impugnação especifica, lecionam Nelson


Nery Júnior e Rosa Maria de Andrade Nery, em comentário ao art.
302 do CPC: “No processo civil é proibida a contestação genérica, isto
é, por negação geral. Pelo princípio do ônus da impugnação
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

especificada, cabe ao réu impugnar um a um os fatos articulados pelo


autor na petição inicial. Deixando de impugnar um fato, por exemplo,
será revel quanto a ele, incidindo os efeitos da revelia (presunção de
veracidade – CPC 319)” (in código de Processo Civil Comentado, 9ª
Ed. – São Paulo : Editora RT, 2006, p. 498).

Há que se ressaltar, por último, que o protesto em


comento teve como base a mesma duplicata n. 32.916, com mesmo
valor de R$ 500,00, contudo, com data de vencimento diversa
(27/02/1998) do título que representa o protesto (03/10/97), não se
sustentando, portanto, a legitimidade do protesto, porque não
correspondente ao título que lhe deu causa.

Destarte, analisando tais fatos, concluo pela inexistência


da relação jurídica e pela procedência do pleito da autora.
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

Dispositivo:

Ante o exposto, a teor do art. 269, I, do CPC, julgo


PROCEDENTE o pedido deduzido na Ação Declaratória n.
008.98.004975-7, opostas por AS Publicidade e Promoções Ltda.
Contra Cachoeira Produção e Comunicação Ltda., para declarar a
inexigibilidade do título.

Na mesma esteira, julgo PROCEDENTE a sustação de


processo n. 98.003429-6, co m as mesmas partes, a teor do art. 269,
I, do CPC.

CONDENO a ré ao pagamento das custas processuais e


honorários advocatícios, que arbitro, com fulcro no art. 20, § 4º., do
CPC, em R$ 500,00, englobando ambas as ações.

P. R. I.

Oficie-se o Tabelionato de notas e Protestos (fl. 15 dos


autos principais), dando-se ciência da presente decisão.

Transita e pagas as custas processuais, arquivem-se os


autos, mediante as devidas anotações e baixa.

Blumenau (SC), 22 de março de 2007.

Sonia Eunice Odwazny


Juíza Substituta
RECEBIMENTO

Foram-me entregues estes autos em 23/03/2007.


Escrivã:_________________________________

ESTADO DE SANTA CATARINA


PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

PUBLICAÇÃO

Certifico que, nesta data, publiquei, em cartório, a


sentença de fls. 104/107.

Blumenau, 23/03/2007.

Cleide Ines Wagner

REGISTRO

Certifico que, nesta data, efetuei o registro da sentença


eletronicamente.

Blumenau, 23/03/2007.

Cleide Ines Wagner


PODER JUDICIÁRIO / COMARCA DE BLUMENAU Emitido em: 23/03/2007 – 14:46:26
Certidão – Processo 008.98.004975-7/000 Página : 1

CERTIDÃO DE REMESSA DE RELAÇÃO

Certifico que o ato abaixo consta da relação nº. 0042/2007, encaminhada


para publicação.

Advogado Forma
Rubens Garcia (OAB 005.432/SC) D.J.
Rodrigo Brandemburgo Curi (OAB/SC 008.681/SC) D.J.

Teor do ato: “ Ante o exposto, a teor do art. 269, I, do CPC, julgo


PROCEDENTE o pedido deduzido na Ação Declaratória n. 008.98.004975-7,
opostas por AS Publicidade e Promoções Ltda. Contra Cachoeira Produção e
Comunicação Ltda., para declarar a inexigibilidade do título. Na mesma esteira,
julgo PROCEDENTE a sustação de processo n. 98.003429-6, co m as mesmas
partes, a teor do art. 269, I, do CPC. CONDENO a ré ao pagamento das custas
processuais e honorários advocatícios, que arbitro, com fulcro no art. 20, § 4º., do
CPC, em R$ 500,00, englobando ambas as ações. P.R.I. (Dra. Sônia Eunice
Odwazny – Juíza Substituta)”.

Do que dou fé.


Blumenau, 23 de março de 2007.

Escrivã(o) Judicial
PODER JUDICIÁRIO / COMARCA DE BLUMENAU Emitido em: 27/03/2007 – 15:01:15
Certidão – Processo 008.98.004975-7/000 Página : 1

CERTIDÃO DE REMESSA DE RELAÇÃO

Certifico que a intimação do ato abaixo, constante da relação nº.


0042/2007, foi publicada no Diário da Justiça nº. 171, do dia 27/03/2007, com
inicio do prazo em 28/03/2007, conforme disposto no Código de Normas da
Corregedoria Geral da Justiça.

Advogado Prazo Dias Termino Prazo


Rubens Garcia (OAB 005.432/SC) 15 11/04/2007
Rodrigo Brandemburgo Curi (OAB/SC 008.681/SC) 15 11/04/2007

Teor do ato: “ Ante o exposto, a teor do art. 269, I, do CPC, julgo


PROCEDENTE o pedido deduzido na Ação Declaratória n. 008.98.004975-7,
opostas por AS Publicidade e Promoções Ltda. Contra Cachoeira Produção e
Comunicação Ltda., para declarar a inexigibilidade do título. Na mesma esteira,
julgo PROCEDENTE a sustação de processo n. 98.003429-6, co m as mesmas
partes, a teor do art. 269, I, do CPC. CONDENO a ré ao pagamento das custas
processuais e honorários advocatícios, que arbitro, com fulcro no art. 20, § 4º., do
CPC, em R$ 500,00, englobando ambas as ações. P.R.I. (Dra. Sônia Eunice
Odwazny – Juíza Substituta)”.

Do que dou fé.


Blumenau, 27 de março de 2007.

Escrivã(o) Judicial
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

CERTIDÃO

Certifico que a sentença de fls. 104/107 transitou em


julgado, posto que o prazo teve início em 28/03/2007 e término em
11/04/2007.

Blumenau, 09/07/2007.

Cleide Ines Wagner


ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

CERTIDÃO DE ATO ORDINÁRIO

Conforme o Manual de Procedimentos do Cartórios Cível,


pratiquei o ato processual abaixo.

 Fica intimado o Contador para efetuar o cálculo das custas finais.

Blumenau, 09/07/2007.

Cleide Ines Wagner


ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

REMESSA

Em 10/07/07, remeto estes autos ao contador.

Larissa Puhlmann
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

CERTIDÃO DE ATO ORDINÁRIO

Conforme o Manual de Procedimentos de Cartório Cível,


pratiquei o ato processual abaixo:

 Fica intimado o réu, na pessoa de seu advogado, para


pagamento das custas finais de fls. 114, no valor de R$
105,70, no prazo de 5 (cinco) dias.

Blumenau, 14/08/2007.

Ana Carolina Treis Wurster


PODER JUDICIÁRIO / COMARCA DE BLUMENAU Emitido em: 17/08/2007 – 12:49:20
Certidão – Processo 008.98.004975-7/000 Página : 1

CERTIDÃO DE REMESSA DE RELAÇÃO

Certifico que o abaixo consta da relação nº 0185/2007, encaminhada para


publicação.

Advogado: Forma
Rodrigo Brandemburgo Curi (OAB 008.681/SC) D.J.

Teor do ato: “Fica intimado o réu, na pessoa de seu advogado, para


pagamento das custas finais de fls. 114, no valor de R$ 105,70, no prazo de 5
(cinco) dias.”

Dou fé.
Blumenau, 17 de agosto de 2007.

Escrivã(o) Judicial
PODER JUDICIÁRIO / COMARCA DE BLUMENAU Emitido em: 21/08/2007 – 18:42:16
Certidão – Processo 008.98.004975-7/000 Página : 1

CERTIDÃO DE REMESSA DE RELAÇÃO

Certifico que a intimação do ato abaixo, constante da relação nº.


0185/2007, foi publicada no Diário da Justiça nº. 272, do dia 21/08/2007,
conforme disposto no Código de Normas da Corregedoria Geral da Justiça.

Advogado: Prazo em dias Termino Prazo


Rodrigo Brandemburgo Curi (OAB 008.681/SC) 5 27/08/2007

Teor do ato: “Fica intimado o réu, na pessoa de seu advogado, para


pagamento das custas finais de fls. 114, no valor de R$ 105,70, no prazo de 5
(cinco) dias.”

Dou fé.
Blumenau, 21 de agosto de 2007.

Escrivã(o) Judicial
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

Ofício nº 008980049757-001 Blumenau, 17 de setembro de 2007.

Autos nº 008.98.004975-7

Ação: Declaratória de Nulidade de Ato Jurídico/Ordinário


Autor: SA Publicidade e Promoções Ltda.
Réu: Cachoeira Produção e Comunicação Ltda.

Prezado(a) Senhor(a),

Através da presente carta de intimação com aviso de


recebimento (AR), fica o destinatário desta INTIMADO, quanto ao
teor da sentença prolatadas nos autos em epígrafe de fls. 107/107,
ref. Ao título distribuído sob o nº 235300-98, consoante cópias que
seguem, para as providências que se fizerem necessárias.

Marilse Aparecida Vanzuita Heinzle


Escrivã Judicial

2º. Tabelionato de Notas e Protestos de Títulos – Cartório Nóbrega


Rua Nereu Ramos, 41, centro
Blumenau – SC
CEP 89.010-400

ESTADO DE SANTA CATARINA


PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

CERTIDÃO DE ATO ORDINÁRIO

Conforme o Manual de Procedimentos de Cartório Cível,


pratiquei o ato processual abaixo:

Certifico que, apesar de intimado na pessoa de seu


advogado, a Requerida não pagou as custas finais.

 Fica intimada a Requerida, pessoalmente, para pagamento das


custas finais de fls. 114, no valor de R$ 105,70, no prazo de
10(dez) dias.

Blumenau, 17/09/2007.

Cleide Ines Wagner


ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

Ofício nº 008980049757-002 Blumenau, 17 de setembro de 2007.

Autos nº 008.98.004975-7

Ação: Declaratória de Nulidade de Ato Jurídico/Ordinário


Autor: SA Publicidade e Promoções Ltda.
Réu: Cachoeira Produção e Comunicação Ltda.

Prezado(a) Senhor(a),

Através da presente carta de intimação com aviso de


recebimento (AR), fica o destinatário desta INTIMADO, para
providenciar o recolhimento das custas/multa relativas aos autos em
epígrafe, no prazo de 10 dias, sob pena de ser encaminhado à
Gerência de Arrecadação de Crédito Tributário – GERAR, da
Secretaria de Estado da Fazenda, certidão para fins de inscrição de
dívida ativa, consoante o disposto no código de Normas da
Corregedoria-Geral da Justiça.

Valor das Custas/multa: R$ 105,70.


Data do cálculo: 13/07/2007

Obs: O valor poderá sofrer reajuste quando a data do efetivo


pagamento.

Marilse Aparecida Vanzuita Heinzle


Escrivã Judicial
Cachoeira Produção e Comunicação Ltda.
Rua Deputado Antonio Edu Vieira, 338, Pantanal
Florianópolis – SC
CEP 88010-001
ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

CERTIDÃO

Certifico que, até a presente data, a Requerida não comprovou


o recolhimento das custas processuais finais, sendo que foi intimada
via AR, cfe. Fl. 122.

Blumenau, 31/10/2007.

Cleide Ines Wagner


ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

CERTIDÃO DE ATO ORDINÁRIO

Conforme o código de Normas da Corregedoria Geral da Justiça,


pratiquei o ato processual abaixo:

 Certifico que, em cumprimento ao disposto no art. 26 da Lei


Complementar n. 156/97 e art. 516 do CNCGJ, em relação à
receita do Tribunal de Justiça (Grupo 1), lancei o nome do
devedor de custas no SAT – Sistema de Administração
Tributária, conforme Cadastro de Dívida Ativa em anexo – CDA
nº 8000617216.

Blumenau, 07/03/2008.

Marilse Aparecida Vanzuita Heinzle


ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

ARQUIVAMENTO DEFINITIVO

Em 14/03/2008, arquivei definitivamente os autos.

 Caixa nº 1233/08

Alessandra Zenilda P. do Amaral e Silva


ESTADO DE SANTA CATARINA
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Blumenau
3ª Vara Cível

CERTIDÃO

Certifico, em cumprimento à portaria n. 01/2004, deste


juízo, abro vistas dos autos ao requerente pelo prazo de 5
(cinco) dias.

Blumenau, 22/09/2008