Sei sulla pagina 1di 4

03/06/2010

• Sibele Almeida, Maricélia Côrtes Ágata Cristian, Éder Sodré, Rodrigo Reis, Uilins Palma, Samara Leal,
• Sibele Almeida, Maricélia Côrtes Ágata Cristian, Éder
Sodré, Rodrigo Reis, Uilins Palma, Samara Leal, Jaiany
Costa, Gabriel Cunha, Karliane Fonseca.
 Hipertensão, usualmente chamada de pressão alta, é ter a pressão arterial, sistematicamente, igual ou
 Hipertensão, usualmente chamada de pressão alta, é ter a
pressão arterial, sistematicamente, igual ou maior que 140x90
mmHg.
 A pressão se eleva por vários motivos, mas principalmente porque
os vasos nos quais o sangue circula se contraem.
 A Hipertensão acomete uma em cada quatro pessoas adultas.
Assim, estima-se que atinja em torno de, no mínimo, 25 % da
população brasileira adulta, chegando a mais de 50% após os 60
anos e está presente em 5% das crianças e adolescentes no
Brasil.
Obesidade Hereditariedade Dislipidemia Idade Sexo Etnia Sedentarismo / Consumo de sal / álcool Estresse
Obesidade
Hereditariedade
Dislipidemia
Idade
Sexo
Etnia
Sedentarismo /
Consumo de sal /
álcool
Estresse
 Os dentistas devem desempenhar papel principal na detecção da hipertensão. SONIS, 1995  O
 Os dentistas devem desempenhar papel principal na
detecção da hipertensão.
SONIS, 1995
 O controle da PA do paciente é tarefa fácil e um aspecto
importante do tratamento médico-dentário completo, por
que os pacientes com HA frequentemente são
assintomáticos.
SONIS, 1995
 O CD deve saber como a hipertensão pode complicar o
tratamento dentário.
SONIS, 1995
 A triagem de PA no consultório odontológico é um
procedimento simples e que pode ser bem executado pelo
auxiliar capacitado.
YAGIELA, ENID, FRANK, 2000
 É responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de
 É responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e
25% dos casos de insuficiência renal terminal.
 As graves consequências da pressão alta podem ser
evitadas, desde que os hipertensos conheçam sua condição e
mantenham-se em tratamento com adequado controle da
pressão.
 Órgãos-alvo da hipertensão: coração (risco de cardiopatia
como a insuficiência cardíaca ou infarto do miocárdio),
cérebro (AVC – acidente vascular cerebral), vasos e rins
(insuficiência renal).
 Assintomática  Pouco Sintomática - Cefaléias Constante - Dores na região da nuca -
 Assintomática
 Pouco Sintomática
- Cefaléias Constante
- Dores na região da nuca
- Taquicardia
- Turvação da visão nos casos mais graves

03/06/2010

Pressão Pressão Sistólica Diastólica (mmHg) (mmHg) Estágio I (Hipertensão Leve) 140-160 90-100 Estágio II
Pressão
Pressão
Sistólica
Diastólica
(mmHg)
(mmHg)
Estágio I (Hipertensão Leve)
140-160
90-100
Estágio II (Hipertensão Moderada)
160-180
100-110
Estágio III (Hipertensão Grave ou
Severa)
Acima de 180
Acima de 110
Estágio IV (Hipertensão Muito Grave
ou Maligna)
Acima de 210
Acima de 120
SONIS, 1995
NÃO DIAGNÓSTICADA • Encaminhamento ao cardiologista para avaliação. DIAGNOSTICADA E TRATADA • Intervenções
NÃO DIAGNÓSTICADA
• Encaminhamento ao cardiologista para avaliação.
DIAGNOSTICADA E TRATADA
• Intervenções não-cirúrgicas e todas as intervenções cirúrgicas
simples pelos métodos normais.
• Preparos para coroas e pontes e todos os procedimentos
cirúrgicos simples – sedação complementar
• Intervenções cirúrgicas intermediárias e avançadas – ambiente
cirúrgico e hospitalar.
SONIS, 1995
 A HA mal controlada pode aumentar de modo agudo, perante situações estressantes, e desencadear
 A HA mal controlada pode aumentar de modo
agudo, perante situações estressantes, e
desencadear a angina, a insuficiência cardíaca
congestiva (ICC) ou, raramente, um AVC
(apoplexia, hemorragia), o cuidado com a
verificação da PA, antes de intervenções
dentárias, minimiza o risco do surgimento destes
problemas!
SONIS, 1995
Procedimentos não cirúrgicos e simples executados normalmente. Extrações múltiplas, cirurgia periodontal e oral por
Procedimentos não cirúrgicos e simples
executados normalmente.
Extrações múltiplas, cirurgia periodontal e oral por
quadrante ou em toda arcada – utilização de
técnicas de sedação.
SONIS, 1995
GRAVE OU SEVERA Encaminhamento ao médico para controle, antes do tratamento odontológico. MUITO GRAVE /
GRAVE OU SEVERA
Encaminhamento ao médico para controle,
antes do tratamento odontológico.
MUITO GRAVE / MALIGNA
• RAPIDAMENTE ENCAMINHADA AOMÉDICO PARA
INTERVENÇÃO IMEDIATA!!!
SONIS, 1995
Elevação da PA notada no paciente apenas na clínica, quando ele se encontra na expectativa
Elevação da PA notada no
paciente apenas na clínica,
quando ele se encontra na
expectativa ou sob a tensão
do atendimento odontológico
ou médico, mas que se
mantém normal em outras
situações cotidianas.

03/06/2010

03/06/2010 Pacientes com arritmia não tratado IAM Recente Hipertireoidismo não controlado ICC Grave
Pacientes com arritmia não tratado IAM Recente Hipertireoidismo não controlado ICC Grave
Pacientes com arritmia não tratado
IAM Recente
Hipertireoidismo não controlado
ICC Grave
http://www.braile.com.br/profsaude/dentista/TRATAM%20ODONTOL%20PAC%20HIPERT%20DIABETICOS/slide25.htm
 Noradrenalina nas concentrações presentes em
 Noradrenalina nas concentrações presentes em associações com anestésico local, produz mais arritmias cardíacas
 Noradrenalina nas concentrações
presentes em associações com anestésico
local, produz mais arritmias cardíacas e
maior aumento de pressão arterial.
WANNMACHER e FERREIRA, 1999
Prilocaína
- Menor toxicidade
- Potência e tempo de latência semelhantes aos da
Lidocaína
-3 % com felipressina a 0,03 UI/mL
- Outra opção para anestesia local em pacientes
hipertensos.
ANDRADE, 2002
ANTES DA CIRURGIA: Agentes hipnóticos para provocar sono na noite anterior à cirurgia; Agentes sedativos
ANTES DA CIRURGIA: Agentes hipnóticos para provocar sono na noite
anterior à cirurgia; Agentes sedativos para reduzir a ansiedade na manhã
da cirurgia.
Marcação da consulta pela manhã e agendamento de forma a
reduzir o tempo de espera.
DURANTE: Métodos não farmacológicos de controle de ansiedade como
afirmações verbais frequentes.
Evitar barulhos desnecessários; Manter instrumentos fora da visão do
paciente; Explicar o procedimento ao paciente. ANSOLÍTICOS
APÓS: Instruções do cuidado pós-operatório;Reafirmações de confiança;
Analgesia eficiente; Informar ao paciente que ele dever contatar o
profissional se advier qualquer problema.
PETERSON, ANO???c
 Hemorragia trans e pós-operatória: sem formação de trombo;  Crise hipertensiva;  Angina, Infarto,
 Hemorragia trans e pós-operatória:
sem formação de trombo;
 Crise hipertensiva;
 Angina, Infarto, AVC;
 Hipotensão Ortostática e Síncope.

03/06/2010

 Recomendar e verificar se o paciente esta seguindo as recomendações e tratamento médico ou
 Recomendar e verificar se o paciente esta
seguindo as recomendações e tratamento
médico ou encaminhar e solicitar o parecer
ao médico;
 Monitorar PA a cada sessão;
 Utilizar medicação pré anestésica
ansiolíticas;
 Utilizar anestésico com a menor
concentração de adrenalina.
 Respeitar a dose máxima recomendada – (Dose máxima recomendada: 02 tubetes (3,6 ml) ANDRADE,
 Respeitar a dose máxima recomendada –
(Dose máxima recomendada: 02 tubetes (3,6 ml)
ANDRADE, 2002
 Promover sessões curtas;
 Evitar causar dor no paciente, utilizando
anestésico tópico injeção lenta e técnica
correta;
 Utilizar sempre seringas que possibilitem a
aspiração pré-injeção.
• Anamnese • Exame Clínico Avaliação Diagnóstico Médica Cardiológica Tratamento realizado Planejamento
• Anamnese
• Exame Clínico
Avaliação
Diagnóstico
Médica
Cardiológica
Tratamento
realizado
Planejamento
com
sucesso!
• Exames
• Exame Físico
Complementares
 Quanto maior for o risco clínico de um paciente, mais importante se torna o
 Quanto maior for o risco clínico de um
paciente, mais importante se torna o
controle eficaz da ansiedade da dor, ou
seja, a anestesia local em pacientes
hipertensos deve ser eficiente o bastante
para proporcionar um efetivo controle da
dor durante e logo após o atendimento,
evitando desta forma a secreção aumentada
de catecolaminas endógenas (adrenalina) e
suas consequências.
TIPOS DE FÁRMACOS MELHOR ESCOLHA PARA HIPERTENSOS Analgésicos Dipirona e Paracetamol (Posologia Habitual) AINES
TIPOS DE FÁRMACOS
MELHOR ESCOLHA PARA
HIPERTENSOS
Analgésicos
Dipirona e Paracetamol (Posologia
Habitual)
AINES
Cloridrato de benzidamida
(posologia habitual)
Antiinflamatórios Esteróides
Dexametasona e Betametasona
(dose única)
Solução Anestésica (com Vaso)
Prilocaína com Felipressina
Hemostático
Etansilato
Benzodiazepínico
Oxido Nitroso/Oxigênio; Midazolan
Antibiótico
Penicilina, ampicilina,
cefalexinamonohidratada, estearato de
eritromicina
ANDRADE, 2002
Midazolan Antibiótico Penicilina, ampicilina, cefalexinamonohidratada, estearato de eritromicina ANDRADE, 2002 4