Sei sulla pagina 1di 12
Universidade Estácio de Sá Fenômenos de Transporte Cursos: Engenharia Ambiental Engenharia Biomédica Engenharia Civil Engenharia de

Universidade Estácio de Sá Fenômenos de Transporte

Cursos:

Engenharia Ambiental Engenharia Biomédica Engenharia Civil Engenharia de Alimentos Engenharia de Petróleo e Gás Engenharia de Produção Engenharia Elétrica

Parte II: Transferência de Calor

Prof. Sandro Baptista

Fenômenos de Transporte – Prof. Sandro Baptista

Transferência de Calor

2. Conceitos Fundamentais 2.1 Introdução a Transferência de Calor

A transferência de calor é o transito de energia provocado por uma diferença de temperatura. Toda vez que houver uma diferença de temperatura num meio, ou em vários meios, a transferência de calor ocorre obrigatoriamente. Existem diferentes tipos de processos de transferência de calor: condução, convecção e radiação.

Condução: quando existe um gradiente de temperatura num meio estacionário, que pode ser um fluido ou um sólido. O mecanismo físico da condução é representado pela difusão de energia provocada pelo movimento molecular aleatório.

A condução pode ser atribuída à atividade atômica e à atividade molecular: a energia de transferência das partículas mais energéticas para as de menor energia.

O gradiente de temperatura: a transferência de energia pela condução deve ocorrer na direção a diminuição da temperatura.

Parte II: Transferência de Calor

16

Fenômenos de Transporte – Prof. Sandro Baptista

A equação da taxa de transferência de calor na condução é

conhecida como Lei de Fourier:

Onde:

q

´

x

=

k

*

dT

dx

x : fluxo de transferência de calor na direção x por

unidade de área perpendicular à direção da transferência [W/m 2 ] k: condutividade térmica [W/m.K]

O fluxo de calor é a taxa de transferência de calor na

direção

x

por

unidade

de

área

perpendicular

à

direção da

transferência e é proporcional ao gradiente de temperatura, nesta direção.

Convecção: compreende dois mecanismos – transferência de energia provocada pelo movimento molecular aleatório (difusão) e transferência de movimento de massa do fluido (advecção) no interior da camada limite.

A transferência de calor por convecção é descrita pela Lei de Newton do Resfriamento:

q

= h

´´

*(

T

s

T •
T

)

Onde:

q´´: fluxo de calor convectivo [W/m 2 ]

Parte II: Transferência de Calor

17

Fenômenos de Transporte – Prof. Sandro Baptista

h: constante de proporcionalidade – coeficiente de transferência convectiva, condutância de película ou coeficiente de película [W/m 2 .K] T s : temperatura de superfície T : temperatura do fluido

No coeficiente de película incluem-se todos os parâmetros que influenciam a transferência convectiva de calor. Dependendo das condições na camada limite, que são influenciadas pela geometria da superfície, pela natureza do movimento do fluido e por um conjunto de propriedades termodinâmicas e de transporte do fluido.

A taxa de transferência partir da equação:

de calor convectiva

é obtida

a

q = A*q´´

A convecção pode ser classificada de acordo com a natureza do escoamento:

Convecção Forçada: o escoamento é provocado por meios externos, por exemplo, um ventilador. Convecção Livre (Natural): o escoamento é provocado pelas forças do empuxo que se originam das diferenças de densidade devidas às variações de temperatura no fluido.

Parte II: Transferência de Calor

18

Fenômenos de Transporte – Prof. Sandro Baptista

Na convecção forçada e natural, tipicamente, a energia que se transfere é a sensível ou térmica interna do fluido.

Ebulição e condensação são casos especiais cuja energia que se transfere é por troca de calor latente.

Radiação:

é

a

transferência

de

energia

por

ondas

eletromagnéticas ou por fótons, ocorrendo com maior

eficiência no vácuo. A radiação não necessita

de qualquer meio

para que

ocorra a transferência de calor. A equação do fluxo de

transferência de calor é descrita pela Lei de Stefan- Boltzmann para uma superfície cinzenta é:

Onde:

q

´´

=

*

*(

T

s

4

4

T

viz

)

q´´: fluxo de calor emitido [W/m 2 ]

: emissividade é uma propriedade radiativa da superfície (0 1), indica a eficiência da emissão da superfície, em comparação com um radiador ideal. : constante de Stefan-Boltzmann é 5,67x10 -8 W/m 2 .K 4 T s : temperatura absoluta da superfície [K] T viz : temperatura da vizinhança [K]

Radiador ideal ou corpo negro: fluxo máximo.

q´´= *T

4

Parte II: Transferência de Calor

19

Fenômenos de Transporte – Prof. Sandro Baptista

Superfície real é menor que o emitido por um radiador ideal e dado por

q

´´

´´

R

=

*

*

4

T

S

Onde q´´>q´´ R Outra equação de taxa de transferência de calor por radiação:

q = h

*

RAD

A

*(

T

S

T

VIZ

)

Onde:

h

RAD

=

*

*(

T S
T
S

+T

VIZ

)*(

2

T

S

2

+T

VIZ

)

, coeficiente de transferência

radiativa de calor.

2.2 Conservação da Energia em um Volume de Controle

O

princípio

da

conservação

da

energia

ou

da

Primeira Lei da Termodinâmica pode ser enunciado como:

A energia é indestrutível e a quantidade de energia total que entra em qualquer sistema deve ser exatamente igual a que sai do sistema mais qualquer acúmulo dentro do sistema.

O volume de controle é uma região do espaço limitada por uma superfície de controle através da qual podem passar energia e matéria.

Parte II: Transferência de Calor

20

Fenômenos de Transporte – Prof. Sandro Baptista

* * * * dE ac E + E E = E = af g ef
*
*
*
*
dE
ac
E
+
E
E
=
E
=
af
g
ef
ac
dt

Onde:

*

E

ac

: energia acumulada para qualquer instante de

tempo;

dE

ac : energia acumulada para um intervalo de tempo

dt

que se obtém pela integração;

*

E

af

e

*

E

ef

: fenômenos de superfície (proporcionais a

área)

*

E

g

: taxa de geração de energia térmica, conversão de

uma forma de energia (química, eletromagnética ou nuclear) em energia térmica. São fenômenos volumétricos.

As condições de conservação de energia se aplicam

para as condições de estado permanente e de estado transiente.

*

E

af

*

E

ef

= 0

Parte II: Transferência de Calor

21

Fenômenos de Transporte – Prof. Sandro Baptista

Então, não deve ocorrer acumulação de massa ou de energia no interior do volume de controle durante o período de tempo considerado.

2.3 Transferência de Calor por Condução 2.3.1 Introdução à Transferência de Calor por Condução

A lei de Fourier é uma lei fenomenológica, isto é, uma lei desenvolvida a partir de fenômenos observados e não deduzida a partir de princípios fundamentais. A equação da taxa de condução é uma grandeza vetorial representada pela equação:

q

´

x

=

k

*

T

=

k

*(

i

T

x

+ j

T

y

+ k

T

z

)

Considerando-se:

Sistema de coordenada unidimensional, direção x; Meio isotrópico: k=constante, independe da direção.

q

´

x

=

k

*

dT

dx

Parte II: Transferência de Calor

22

Fenômenos de Transporte – Prof. Sandro Baptista

Onde:

x : é normal a seção reta de área A, ou seja, a direção

do fluxo térmico será sempre normal à superfície de temperatura

constante (superfície isotérmica); (-): o sinal negativo

é necessário,

pois

o

calor se

transfere sempre na direção das temperaturas decrescentes; k: condutividade térmica que é uma propriedade do material [W/m.K] A lei de Fourier é uma expressão vetorial que indica ser o fluxo térmico normal a uma isotérmica e na direção das temperaturas decrescentes.

2.3.2 Propriedades Térmicas da Matéria

Condutividade

Térmica:

é

uma

propriedade

física

dos

materiais

que

é descrita

como

a habilidade dos mesmos

de

conduzir calor. É uma propriedade de transporte, proporciona uma indicação sobre a taxa de transferência de energia através do processo de difusão. Materiais diferentes transferem calor por condução com diferentes velocidades.

A condutividade térmica depende da estrutura física da matéria, atômica e molecular, que está relacionada ao estado da matéria.

k SÓLIDO > k LÍQUIDO > k GÁS

Essa diferença está associada ao espaçamento intermolecular nos estados.

Parte II: Transferência de Calor

23

Fenômenos de Transporte – Prof. Sandro Baptista

O espaçamento intermolecular é muito maior no estado fluido que no estado sólido e o movimento das moléculas é mais caótico, sendo assim o transporte de energia térmica menos efetivo.

A condutividade térmica é uma das principais variáveis envolvidas no projeto e otimização de revestimentos refratários, sendo necessária na determinação das taxas de aquecimento e resfriamento admissíveis e do perfil de temperaturas resultante durante a operação.

A difusivisidade térmica é a razão entre a condutividade térmica e a capacidade calorífica. Essa propriedade mede a relação entre a capacidade de o material conduzir energia térmica e a sua capacidade em acumular energia térmica.

 

k

 

=

 
 

*

c

p

Onde:

k: condutividade térmica;

: massa específica; c p : calor específico - a quantidade de calor que temos que fornecer ou retirar de um grama de sustância para que varie sua temperatura em um grau centígrado.

O produto *c p é a capacidade calorífica volumar que mede a capacidade de o material armazenar energia térmica.

Parte II: Transferência de Calor

24

Fenômenos de Transporte – Prof. Sandro Baptista

Os materiais com grande respondem rapidamente às variações do ambiente térmico, enquanto materiais com pequeno respondem mais lentamente, e levam mais tempo para atingir novas condições de equilíbrio.

Propriedades Termofísicas de Alguns Materiais

   

Propriedades a 300 K

 

Material

Massa Específica (kg/m 3 )

Condutividade Térmica - k (W/m.K)

Difusividade Térmica [ *10 6 ] (m 2 /s)

Calor Específico - c p (J/kg.K)

Alumínio

2.702

237

97,1

903

Chumbo

11.340

35,3

24,1

129

Cobre

8.933

401

117

385

Cromo

7.160

93,7

29,1

449

Ferro

7.870

80,2

23,1

447

Ouro

19.300

317

127

129

Zinco

 
  • 7.140 41,8

116

 

389

Tijolo

       

comum

  • 1.920 0,72

-

835

Fibra de

       

Vidro

16

0,043

-

835

Painel de

       

Gesso

800

0,17

-

-

(Fonte: INCROPERA, F. P.; DEWITT, D.P. Fundamentos de transferência de calor e de massa. Rio de Janeiro: LTC, 1992.)

Parte II: Transferência de Calor

25

Fenômenos de Transporte – Prof. Sandro Baptista

Parte II: Transferência de Calor

26