Sei sulla pagina 1di 6

Se você não conheceu os membros do Debate Harry Potter versus

Twilight, dê uma olhada nas qualificações deles aqui.


Agora, ao debate! Se você tem suas próprias opiniões (e que Twi-hard ou Potter
head que se preze não tem?), sinta-se à vontade para deixar um comentário no
fim da página. Entretanto, vamos nos lembrar que somos bruxas, bruxos,
vampiros e lobisomens civilizados, participando de frivolidades bem-educadas;
não deixe sua devoção à sua série se tornar um espírito agourento aos gritos.

Questão #1: Como o desenvolvimento dos personagens principais de


cada uma das séries pode ser comparado?

Vamos ver a resposta do Team Twilight para essa.

Srta. Laura Nelson: Eu acho que as variações na narração fazem uma


grande diferença aqui. A série Harry Potter é escrita principalmente na terceira
pessoa, enquanto a série Twilight é escrita na primeira (com uma mudança de
narrador em Breaking Dawn). Eu acho que isso faz com que os leitores
percebam os personagens principais de uma maneira muito diferente. Por
exemplo, Edward e o resto dos Cullen me foram apresentados pelo ponto de
vista da Bella, impregnado de reverência. Eu acho que isso tornou o
desenvolvimento de personagens tão complexos como vampiros muito mais
dramático. O leitor aprende sobre as complexidades e segredos da família
Cullen pelos olhos da Bella, em vez dos de um narrador, o que, na minha
opinião, é parte da razão por que tantas pessoas se apaixonaram pelos
vampiros. Basicamente, eu me senti imersa no mundo da Bella e de todos os
personagens nele inserido, enquanto lendo Harry Potter, eu me senti mais
informada sobre os personagens.
Twilight também estava cheio de personagens com histórias ricas e vastas, que
foram plenamente desenvolvidas no começo de Twilight.
Os Cullen viveram centenas de anos que os leitores são informados,
principalmente pelas explicações de Edward para Bella. A apresentação e
percepção de Charlie, Renee, Jéssica, Ângela, Mike, Eric e outros personagens
cruciais foi toda pelos olhos da Bella, por isso, eles foram percebidos sob uma
luz diferente do que os personagens principais em Harry Potter. Por exemplo,
foi dada uma visão pessoal da vida privada de Charlie e Renee, incluindo seus
hábitos diários e suas peculiaridades engraçadas. Nem sempre foi esse o caso
em Harry Potter. O uso da narrativa em terceira pessoa tornou o
desenvolvimento dos personagens principais extremamente detalhado e às
vezes cômico. Eu devo acrescentar também que acho que os personagens
incrivelmente ricos e realistas que fizeram a série Twilight é uma das principais
razões para os livros terem se tornado um fenômeno tão grande a ponto de
rivalizar Harry Potter. Os personagens pareciam pessoas verdadeiramente reais
para mim. Stephenie Meyer viu Edward e Bella como pessoas reais na cabeça
dela enquanto ela escrevia esses livros, e a verossimilhança deles está
presente em cada página.

Srta. Caroline Gates: Eu acho que desenvolvimento dos personagens é


similar no sentido que você os vê crescer. A única diferença real é o período de
tempo. Em Twilight, você vê a Bella crescer como pessoa, e Edward finalmente
encontrando o que ele quer na sua vida insanamente longa. Com os livros
Harry Potter, você vê Harry, Ron e Hermione passarem por tudo juntos. Você
literalmente os vê crescer de crianças estranhas e bobas a jovens adultos
ainda-bobos-mas-mais-maduros. Eu pessoalmente preferi ler sobre o
desenvolvimento da personalidade de Bella a ler sobre Harry Potter, porque
Harry está só lidando com um lorde bruxo mal vindo matá-lo. Com Bella, você
vê como ela realmente lida com a própria vida. Ela era muito interessante de
ver no início, quando sai de sua zona de conforto, lida com um namorado
vampiro, é caçada por James, passa por um rompimento, lida com o melhor
amigo lobisomem, volta com Edward, é caçada por Victoria, casa, tem uma
criança, e então lida com os Vulturi. Lembrando que os livros Twilight apenas
lidam com o período de dois anos. Isso é bastante coisa para uma garota
passar. Harry, ele teve mais alguns anos para lidar com as questões
envolvendo Voldemort, amigos e família. Às vezes chega a ficar entediante.
Srta. Taelor Ball: *Alerta de Spoiler para Breaking Dawn* Twilight é uma
história de amor onde uma garota mediana, comum, se apaixona por um cara
que ela não pode ter, mas eles acabam superando todas as dificuldades,
casando e tendo uma criança.

Harry Potter, por outro lado, é uma história sobre um monte de amigos
passando pela escola, e os problemas e possíveis experiências de quase-morte
que ser um bruxo traz.
Srta. Caroline Suh: Em termos de desenvolvimento de personagens na série
Twilight, eu vou facilitar para mim mesma e ficar com os dois protagonistas
principais, Bella e Edward, e só Harry na série Harry Potter. Em Twilight, nós
encontramos Bella pela primeira vez como uma adolescente que parece já ter
suas prioridades definidas, com opiniões formadas na vida, e sua própria
identidade que não combina com aqueles ao redor dela. O divórcio dos pais
dela fez com que ela amadurecesse mais rápido do que os outros da idade dela
e tornou-a uma figura materna para sua própria mãe.O desenvolvimento da
personalidade dela começa com a sua iniciação em um mundo sobrenatural,
quando ela conhece Edward. Seu mundo de realismo é sacudido quando ela
descobre o fato que vampiros e lobisomens existem. É nesse mundo fantástico
que ela aprende sobre se sacrificar de verdade pelo amor de sua vida e sua
escolha de trocar sua existência mortal por uma imortal. Com Edward, além de
ser um vampiro bem-educado e disciplinado, os leitores são constantemente
lembrados, ao longo da série, da sua beleza e charme perfeitos. Antes de
conhecer Bella, ele decidiu para si mesmo que, ainda que tenha sido
transformado em um vampiro, ele escolhe viver uma vida que exige auto-
controle e disciplina (com um tipo de alimentação diferente) em vez de viver
segundo o estilo de vida escolhido para ele. Entretanto, o desenvolvimento de
sua personalidade é trazido à tona pelos desafios que seu relacionamento com
Bella enfrenta. É através desses desafios que os defeitos humanos uma vez
adormecidos dentro de Edward são revividos (ex. ciúme de todos os rapazes
exigindo a atenção de Bella, especialmente Jacob; pensar irracionalmente,
super-reagir, etc.), o que só soma à sua imagem de homem perfeito. Para
Harry, esse desenvolvimento começa com uma idade mais nova de 10 anos, e
sua história é mais um conto de chegar-até-uma-idade. Todo o seu futuro é
decidido por um evento que aconteceu quando ele era só um bebê. Até mesmo
depois da sua primeira experiência de quase-morte em Hogwarts, ele ainda
escolhe viver sob a luz de ser o salvador da escola e de seus colegas – por
quê? Obviamente porque ele gosta da atenção. O que mais um menino que
passou uma década vivendo como algo mais inútil que uma vassoura, em um
armário debaixo de uma escada, poderia fazer com o seu tempo em uma
escola de magia? Os personagens da série Harry Potter dependem de eventos
dramáticos para desenvolverem suas personalidades, enquanto os
personagens de Twilight evoluem a partir do que eles aprendem uns com os
outros em seus relacionamentos.

Hmm...Não é surprendente que Team Twilight ache que a série


Twilight ofereça um melhor desenvolvimento dos personagens. O que
você diz, Team Potter?

Srta. Victoria Landaker: Na minha opinião, o desenvolvimento dos


personagens principais na série Harry Potter é bem mais complexo que o
desenvolvimento dos personagens principais da série Twilight. Na série Potter,
os leitores podem crescer em idade e experiência junto com Harry, Ron e
Hermione. Como leitores, nós lemos sobre a vida de Harry desde os onze até os
dezessete anos; o que significa que nós experimentamos cada batalha com
Lord Voldemort e momentos adolescentes estranhos com ele. Quem Harry é
em Relíquias da Morte é bem diferente do personagem que ele é em a Pedra
Filosofal, por causa dos desafios que ele tem que enfrentar durante toda a
série. Na série Twilight, os personagens são nos mostrados no primeiro livro, e
quase nada é deixado para ser desenvolvido nos próximos três livros. Em
Twilight, nós aprendemos que Bella é amorosa, altruísta, desastrada, tímida e
inteligente; traços que se tornam constantes, e até mesmo uma marca de seu
personagem nos livros subseqüentes. Bella nunca tem uma experiência que
aponta para o desenvolvimento de seu personagem porque ela está sempre no
mesmo tipo de situações “vida ou morte”. Os Cullen, como nós já sabemos, são
uma família de vampiros, logo, devemos presumir, imutáveis. Assim sendo, há
pouca coisa que nós podemos aprender sobre Edward e Bella depois do
primeiro livro.

Srta. Annalisa Freeman: Uma das coisas mais notáveis do talento de JKR é a
sua habilidade de escrever tantos personagens diferentes, todos com
personalidades variantes e distintas, por um tempo de vida em que alguém se
desenvolve e muda muito, mas ainda mantendo suas personalidades
consistentes. Esses personagens começaram como crianças inocentes
apavoradas com o teste que eles teriam que passar para entrar em uma das
casas e à medida que eles crescem, suas variações de humor, inseguranças e
todo o trio acaba batalhando corajosamente contra o mal, enfrentando
Gringotts, Bellatrix Lestrange, e até Lord Voldemort em pessoa. Ron começa
como o garoto inseguro com o nariz sujo e se torna mais engraçado à medida
que os livros progridem. O temperamento típico de um garoto de 14 anos
intensifica a insegurança quando ele briga com Harry por causa da fama deste,
mas no fim ele pula num lago para salvar seu melhor amigo, agora confortável
com sua posição como companheiro do famoso Menino Que Sobreviveu.
Hermione começa insegura em seu status de nascida-trouxa e esconde esse
nervosismo superando todo mundo na aula. À medida que ela aprende mais
sobre o mundo mágico, seu ativismo toma conta dela com o seu ridículo
projeto F.A.L.E, mostrando sua falta de conhecimento prático do mundo
mágico, mas em Relíquias da Morte, ela gentilmente guia Harry pela opção
dele de horcruxes e relíquias, ainda teimosa, mas não tão sabe-tudo. O próprio
Harry começa ignorante e maravilhado com esse mundo de bruxos, passa por
anos de infâmia e raiva, até que ele está pronto para comandar uma escola
dos mesmos bruxos que ele admirara e assumir o papel para qual foi marcado
quando ganhou a cicatriz em sua testa. Pelos livros, tem-se a noção real que
essas crianças estão crescendo e aprendendo e preparando-se para a batalha
épica que é o destino delas. Ninguém pensaria que o menino de 11 anos
estaria pronto para a briga, mas aos 17 anos, ele está. Porque nós leitores
crescemos com ele, estamos profundamente envolvidos no seu desfecho e
ficamos emocionados com o seu destino. Quando você caminha com Harry
para a Floresta Proibida, você não consegue evitar pensar em quão longe ele
foi. A principal razão de Relíquias da Morte ser tão difícil de fechar não é
porque nós lamentamos a tragédia, mas porque nós crescemos junto com
esses personagens e odiamos ver a história deles acabar.

Os personagens de Twilight, por outro lado, começam fortes e estagnam ou


decaem. No início de Twilight, eu estava contente que Bella fosse esperta,
independente, e considerasse os outros. A garota se mudou para uma cidade
que ela odiava para permitir a felicidade matrimonial da mãe dela, mostrando
uma maturidade bem além da idade dela. Aqui estava uma heroína com quem
eu podia me identificar. Mas então Bella conhece um rapaz e toda a sua razão
e poder se dissipam. Depois que ela começa a namorar Edward, ela pára de
tomar decisões por ela mesma e de ser a garota forte e única que chamou a
atenção dele. Nós acabamos com uma garota que usa Jacob, que ela sabe que
está apaixonado por ela, sem pensar nas conseqüências, chegando a beijá-lo
na frente de seu noivo, e finalmente se recusando a discutir uma gravidez
perigosa com o marido. Enquanto eu esperaria que uma garota que se casa
aos dezoito anos mostrasse muita imaturidade e até egoísmo, SM tinha
originalmente retratado essa garota como alguém que cresceu rápido para
tomar conta da mãe, e assim, Bella deveria ter agido com mais
responsabilidade. Em Breaking Dawn, SM parou de introduzir conflitos para
proteger o seu "felizes para sempre depois do casamento", roubando de Bella
um desenvolvimento maior de personalidade. As cenas em que Bella se torna
uma vampira poderiam ser umas das mais excitantes e intrigantes da série,
mas Bella parou de progredir quando se mudou para Forks, e
conseqüentemente, em suas experiências como um ser transformado, há falta
de descoberta e criatividade e se tornam quase entediantes.

Edward começa como um vampiro forte, sexy e misterioso, um pouco estranho


em seu segredo monstruoso, mas um quebra-cabeça que mal podemos
esperar para resolver. Eu entendo o charme de Edward. Ele é arredio e
desinteressado, mas depois de quase 100 anos, Bella chama sua atenção e seu
mundo desmorona para incluí-la. Depois de ler Twilight, eu quis conhecê-lo
melhor, mas no fim eu me perguntei o que aconteceu com o personagem que
eu amava. Quando aquele garoto aproxima-se de Jacob para pedir que ele seja
o pai dos filhos de Bella, eu não podia imaginar que esse era o mesmo
personagem confiante e decidido que nós conhecemos em Twilight. Eu entendo
que essa cena deveria demonstrar o quão arrasado Edward tinha se tornado,
mas o Edward de Twilight previa problemas e conseguia sempre vir com um
plano de ação. O Edward de Twilight era um pouco mandão e possessivo
demais, em relação à Bella. Ele chocou-se contra um carro para salvar Bella e
derrapou seu próprio carro para resgatá-la de predadores. O Edward de
Breaking Dawn era insosso. O Edward de Breaking Dawn tornou-se um capacho
para os desejos de Bella e chegou a ser quase inexistente na seqüência da
história. Eu não sinto que tenha aprendido alguma coisa nova ou interessante
sobre ele depois do primeiro livro, ou até mesmo que eu estivesse lendo o
mesmo personagem. Quando Breaking Dawn acabou, eu só queria o Edward de
Twilight de volta.

Srta. Molly Gerber: No centro da grandiosidade das duas séries está, eu


creio, o fato que os leitores conseguem se identificar com os personagens
delas. Não importa se você se sinta como alguém desastrado, um peixe fora
d'água, como Bella; uma CDF de aparência comum, como Hermione, ou um
deslocado que parece não estar à altura das expectativas da família, como
Neville; você pode achar alguém nos livros para se identificar com. Os
personagens de Twilight, entretanto, não parecem se desenvolverem muito.
Edward é perfeito no início, e é perfeito no fim. Bella é desastrada no início, e
no final ela é uma vampira. Jacob é um amigo normal e gentil para Bella no
início, e no fim ele é um lobisomem. Isso é desenvolvimento? Eu acho que você
poderia, de alguma maneira, considerar isso desenvolvimento. Não é, contudo,
nada perto do desenvolvimento dos personagens nos livros de Potter.

Afora o desenvolvimento chegando-até-uma-idade natural dos personagens


mais novos de Harry Potter, cada personagem é tão profundamente exposto.
Eu poderia ir de personagem em personagem, mais isso levaria muito tempo,
já que cada personagem tem uma história tão rica que poderia tomar páginas
só para documentar um. Toda a história é baseada nos personagens. Depende
muito de como eles agem e quais as escolhas que cada um fará. Sem o
desenvolvimento de suas personalidades, não haveria história.

Srta. Juliana Gomes: Essa é uma pergunta capciosa. Eu acho que os


personagens de ambos os livros são igualmente interessantes, mas
obviamente com personalidades diferentes. Em minha opinião, entretanto, o
desenvolvimento dos personagens na série Harry Potter é, de uma maneira,
mais divertido de observar. (ou ler. Você sabe o que eu quero dizer.).
Em Harry Potter, você consegue ver os personagens crescer, e não apenas
fisicamente, mas emocional e psicologicamente também. Você pode ver toda a
diferença que há entre o Harry de onze anos e o Harry de dezessete. Você vê e
sente tudo pelo que ele passou, especialmente com a relação Harry-Voldemort,
como isso afeta sua maneira de ser ou a maneira como ele age e sente, e
então como esse tipo de relação o tornou esse ser humano maduro e protetor.
Essas características de Harry podem também descrever Bella facilmente -
maturidade, altruísmo, super-proteção àqueles que eles amam, e eu acho que
essas peculiaridades só tendem a crescer durante os livros, em ambos os
personagens principais.

Seguimos para a Questão #2: Você acha que o enredo geral dos livros
pode ser comparado? Uma série é mais rica e complexa que a outra?