Sei sulla pagina 1di 131
PORTUGUÊS Prof. Valladares ANÁLISE SINTÁTICA A Gramática normalmente nos é apresentada em três divisões que

PORTUGUÊS

Prof. Valladares

ANÁLISE SINTÁTICA

A Gramática normalmente nos é apresentada em três divisões que são:

Fonologia;

Morfologia;

Sintaxe.

Para

Morfológica.

iniciarmos

nosso

estudo,

faz-se

necessário

que

diferenciemos

Análise

Sintática

de

Análise

Só existe Análise Sintática se uma palavra aparece ligada a outra. Ex: LIVRO

A Análise sintática da palavra "livro" não existe, pois ela não está ligada a nenhuma outra palavra.

A análise que poderíamos fazer desta palavra seria a Análise Morfológica, ou seja, classificá-la entre as dez classes de palavras (adjetivo, advérbio, verbo, preposição, substantivo, etc.).

Porém para a estrutura "livro-de-bolso‖, caberia, além da Análise Morfológica, também, a Análise Sintática.

Logo: "livro-de-bolso" - substantivo composto. "de-bolso" - Adjunto adnominal.

Percebe-se então que,enquanto a análise morfológica é uma análise isolada,a análise sintática é uma análise condicionada.

DIFERENÇA ENTRE FRASE ORAÇÃO PERÍODO

Frase - Unidade do discurso suficiente para estabelecer comunicação. Pode a frase ter ou não verbo. Ex:

Bom dia!

Oi!

Oração É a frase formada em torno de um verbo. Ex:

"Bate outra vez de esperanças o meu coração".

Período - É o enunciado constituído por duas ou mais orações. Ex:

O pai autorizou que o filho saísse.

Termos essenciais da oração Sujeito Predicado Termos integrantes da oração Complementos verbais Complemento nominal Agente da voz passiva

Termos acessórios da oração Adjunto adnominal, Adjunto adverbial, Aposto

SUJEITO

Ser ou objeto a respeito do qual, por meio de um verbo, fazemos uma afirmação ou uma negação.

Logo: para que exista sujeito, deve existir também um verbo, porém o fato de existir um verbo não implica existência de sujeito.

Ex: Os políticos comentaram o episódio. A afir mação que está sendo feita, por meio

Ex:

Os políticos comentaram o episódio. A afirmação que está sendo feita, por meio do verbo comentar, é a respeito de ―os políticos‖ (sujeito).

À tarde, choveu muito. Nesse exemplo, apesar da existência do verbo (logo existe uma afirmação) não existe sujeito, pois a afirmação é que choveu e não há ser ou objeto que possa funcionar como referência desta afirmação.

INFORMAÇÕES SOBRE O SUJEITO

É a única coisa que leva o verbo para o plural. Não existe sujeito preposicionado. Concluímos, a partir desta informação, que vocábulos preposicionados não podem exercer a função de sujeito.

CLASSIFICAÇÃO DO SUJEITO

Sujeito simples: apresenta apenas um núcleo. Ex. : O velho voltou à igreja. Sujeito simples: O velho.

Sujeito composto: apresenta dois ou mais núcleos. Ex. : O velho e o garoto voltaram à igreja. Sujeito composto: O velho e o garoto.

não

conseguimos detectar por quantos núcleos é formado o sujeito, ou seja, não é possível a contagem de núcleos.

Sujeito

indeterminado:

Ocorre

quando

existe

a

afirmação,

negação,

porém

Há ,em português, duas maneiras de indeterminar o sujeito.

1ª Usando-se a 3ª pessoa do plural sem antecedente. Ex:

Falaram de você. Nesta oração, o sujeito é indeterminado, pois, apesar de o verbo estar no plural, a referência desse verbo pode ser apenas um ser.

Para que possamos entender o 2º caso, é necessário que façamos a diferença entre SE (partícula apassivadora) e SE (índice de indeterminação do sujeito) , logo deveremos entender como se constrói a voz passiva.

Classificação das vozes verbais

Voz Ativa - ocorre quando o sujeito pratica a ação verbal. Voz Passiva -ocorre quando o sujeito sofre a ação verbal. Voz reflexiva- ocorre quando o sujeito pratica e sofre a ação verbal.

Logo, a classificação da voz verbal só pode ser feita depois da identificação do sujeito.De forma simplória, pode-se afirmar que quem tem voz é o sujeito.

No exemplo:

Choveu ontem, não há voz alguma, pois, para classificarmos a voz em ativa ou passiva, há necessidade da existência do sujeito.

Como formar, então, voz passiva? Precisamos de voz ativa;

Como na voz passiva o sujeito sofre a ação verbal, a ativa correspondente deve trazer consigo algo que

esteja sofrendo a ação

verbal não poderá vir acompanhado de preposição (OBJETO DIRETO). Isto se dá, pois ele se transformará em sujeito.

Ex:

Os políticos pressionaram o governo.

.É, também, importante lembrar que o ser ou objeto que está sofrendo a ação

verbal.

Sujeito ativo

OD

O Governo foi pressionado pelos políticos.

Sujeito passivo

AVP

Ex:

pressionado pelos políticos. Sujeito passivo AVP Ex: O ar campestre é saudável. Para esta oração não

O ar campestre é saudável. Para esta oração não temos voz passiva.Isso se dá, pois não temos nada sofrendo a ação verbal, até mesmo porque o verbo não é de ação.

Estrutura da voz Passiva

Ex:

Milhares de abelhas invadiram a cidade.

Temos, nesta oração, voz ativa, pois o sujeito está praticando a ação verbal. Percebemos que esta ativa pode ser transformada em passiva, isto, pois temos algo que sofre a ação verbal e não traz consigo preposição(OBJETO DIRETO), logo pode ser transformado em sujeito.

A cidade

Sujeito

foi invadida

particípio

por milhares de abelha agente da voz passiva

Essa estrutura não muda nunca, na passagem para a voz passiva analítica o objeto direto se

transforma em sujeito, e o sujeito se transforma em agente da voz passiva.

Obs 1: OBJETO DIRETO: pré-requisito para voz passiva. Obs 2: a principal mudança que ocorre na passagem da ativa para a passiva é a mudança de sujeito.

Classificação da voz Passiva Voz passiva analítica - Nesta voz passiva temos sempre uma locução verbal. Voz passiva sintética - Nesta voz passiva temos sempre uma partícula apassivadora(SE),

Divulgou-se o plano. (estrutura reversível)

Concordou-se com o plano(estrutura irreversível) IIS

PA

sujeito

Nota:

Para diferenciarmos SE (PA) de SE (IIS), basta observarmos a referência do verbo, se ela trouxer, preposição o SE é IIS (neste caso obrigatoriamente o verbo deverá ficar no singular).Caso a referência verbal não traga preposição, o SE é PA (neste caso se o SE for PA, irá funcionar como partícula apassivadora e teremos então voz passiva, ou seja ,sujeito sofrendo a ação verbal, e o verbo de tal oração deverá concordas com esse sujeito). Logo a passagem da ativa para a passiva está condicionada à analise da predicação verbal :

VerbosTransitivos Diretos(VTD‟s) e Verbos Transitivos Indiretos(VTDI‟s) geram voz passiva, já Verbos Intransitivos (VI‟s), Verbos de ligação (VL‟s) e Verbos Transitivos Indiretos (VTI‟s) não geram, pois como vimos anteriormente o pré-requisito para voz passiva é o objeto direto.

Resumo: Partícula apassivadora

a) estrutura reversível.

b) sujeito determinado.

c) verbo no singular ou plural(depende do sujeito).

Ex.: Analisou-se a proposta.

Reversão: A proposta foi analisada.

Índice de indeterminação do sujeito:

a) estrutura irreversível.

b) sujeito indeterminado.

c) verbo sempre na terceira pessoa do singular.

Ex.: Necessita-se de bons médicos. Sujeito inexistente ou Oração sem sujeito: ocorre quando apesar do verbo (há uma afirmação),

porém tal afirmação não faz referência a nenhum ser ou a nenhum objeto. Os verbos que não possuem sujeito são classificados como: VERBOS IMPESSOAIS

Os principais verbos impessoais são:

FAZER e ESTAR indicando tempo decorrido e clima, temperatura:

Faz alguns meses que estive no dentista. Ontem fez três anos que me formei. Apenas ontem, fez frio e calor nesta nossa cidade.

Nesse momento, faz trinta graus em nossa redação. Está quente demais; vai chover. HAVER no

Nesse momento, faz trinta graus em nossa redação. Está quente demais; vai chover.

HAVER no sentido de:

1. existir:

Havia muitos outros livros

na mala desaparecida. Adj. Adv. Lugar

OD Existiam muitos outros livros Sujeito

na mala desaparecida. Adj. Adv. Lugar

2. acontecer:

Houve outros fatos curiosos

OD Aconteceram outros fatos curiosos

Sujeito

durante a festa. Adj. Adv. Tempo durante a festa. Adj. Adv. Tempo

3. fazer (tempo)

Havia duas semanas que ele viajara.

Fazia duas semanas que ele viajara.

Observações:

1. Os verbos existir e acontecer são pessoais, isto é, têm sujeitos, e com estes

concordam; já o verbo fazer, indicando tempo decorrido, também é impessoal.

2. Muito empregado coloquialmente, é empregado na língua culta o verbo ter nas três

acepções acima.

na língua culta o verbo ter nas três acepções acima. Tem Há (Existe) gente que não

Tem Há (Existe) gente que não desconfia

acepções acima. Tem Há (Existe) gente que não desconfia Vai ter haver (ocorrer) confusão nesse jogo.

Vai ter haver (ocorrer) confusão nesse jogo.

não desconfia Vai ter haver (ocorrer) confusão nesse jogo. Já tem há (faz) muito tempo que

Já tem há (faz) muito tempo que essa buzina disparou.

CHOVER, TROVEJAR, VENTAR, etc. (fenômenos da natureza):

Ontem e hoje choveu muito na serra. Ventou pouco; vai chover. Amanheceu frio, hoje. (amanheceu = A manhã nasceu) Observações: Em sentido figurado, esses verbos terão sujeito:

EXERCÍCIOS

Se possível, faça a transformação para a voz passiva e classifique o verbo quanto à predicação:

1. "Garrafas dançam na prateleira".

2. ―Os anjos não compreendem os homens".

3. ―Gosto muito de você, leãozinho‘‘.

4. ―O amor dera-me esta coragem de leão‘‖.

5. ―Tenho falado a verdade.‖

EXERCÍCIOS

1. Está correta a concordância verbal na sentença:

a) As discussões que se travam sobre a questão do endividamento externo serão o tema central do encontro.

b) Durante o seminário, apresentou-se três propostas diferentes de revisão da lei salarial.

c) Incluiu-se no parecer do relator as alterações aceitas de comum acordo por todos os partidos.

d) É ingênuo pensar que as restrições ao projeto decorre apenas de idiossincrasias pessoais.

e) Falta dois dias para o evento.

2. Há erro de concordância verbal na sentença:   a) Devemos imaginar que possam haver

2.

Há erro de concordância verbal na sentença:

 

a)

Devemos imaginar que possam haver verdadeiros patriotas entre nós.

 

b)

Hão de existir sempre preconceitos contra os quais não se pode lutar.

c)

Haverão os mortos de retornar e retomar o que lhes pertencia de direito?

d)

Os acordos havidos entre as partes serão respeitados.

e)

Cuidemos para que não haja injustiças na distribuição dos cargos.

3.

Assinale o período que apresenta concordância verbal INCORRETA:

a)

Nesta segunda-feira, quando o interventor designado pela Receita Othon de Souza, diretor da Faculdade de Tecnologia iniciar seu trabalho, começará a aparecerem, no próprio Departamento de Ciências, as origens da crise.

b)

Cerca de mil aposentados e pensionistas, segundo o advogado Milton Peixoto, deverão ingressar na justiça, esta semana, para salvaguardar direitos adquiridos.

c)

A liquidação extrajudicial era uma das poucas medidas disponíveis aos ministros econômicos que solucionaria o rombo do grupo financeiro.

d)

Quando é necessário, não se reconhecem os erros.

 

e)

O fato, porém, é que pouco se necessita de pessoas que agem desta forma.

 

4.

Assinale a alternativa correta quando à concordância:

a)

Além das questões gerais de política, levanta-se, nesta edição de Dirigente Rural, outras de âmbito mais restrito, mas não menos expressivas, que ocupam a cena agrícola atual.

b)

Diante da hegemonia da soja no grupo das culturas produtoras de óleos, perguntam-se sobre as possibilidades de crescimento das demais espécies.

c)

Para discutir os diversos aspectos relativos à cultura do amendoim, realizou-se um seminário, em meados de setembro, no qual procurou-se evidenciar as vantagens da rotação de culturas.

d)

Tem havido algum consenso, no Brasil sobre a conveniência de se desenvolver linhagens comerciais de aves, mas quando a questão de quem e como fazê-lo as opiniões passam a divergir.

e)

Colhidos os frutos caídos, devem-se observar se os locais estão secos e bem ventilados.

 

5.

Assinale a alternativa que completa corretamente a lacunas:

8

horas quando se

os debates sobre cinema e literatura

a)

seria iniciou brasileira

b)

seria iniciaram- brasileira

c)

seria iniciou brasileira

d)

seriam iniciaram brasileira

e)

seriam iniciou brasileiro.

6.

Assinale a alternativa, cuja seqüência substitua, corretamente, o verbo existir pelo verbo haver:

I.

Existiam verdadeiros jardins,

verdadeiros jardins, outrora.

II.

Existiram manhãs negras em minha

manhãs negras em minha vida.

III.

Nisso tudo existe um grande perigo. Nisso tudo

um grande perigo.

IV.

Em todas as notícias existem sempre duas versões. Em todas as notícias

sempre duas

versões.

V.

Talvez existam provas de inocência do réu. Talvez

provas de inocência do réu.

a)

Havia houveram haja

b)

Haviam houveram hão hajam

c)

Haviam houve haja

d)

Havia houve haja

e)

Haviam houveram hajam

cuidadosamente os cálculos:

7.

ainda de novos empréstimos, pois cem mil

reais

para obra tão vasta.‖

a)

Fizeram-se / necessitavam-se / é pouco.

 

b)

Fizeram-se / necessitavam-se / são pouco.

c)

Fez-se / necessitavam-se / são pouco.

d)

Fez-se / necessitava-se / são pouco.

e)

Fizeram-se / necessitava-se / é pouco.

8.

Assinale a alternativa que complete adequadamente as lacunas:

Aprendi que

resolver problemas quando

qualidades de caráter e

inteligência.

a)

são impossíveis / faltam d) são impossíveis de / falta

b)

é impossível / faltam e) é impossíveis de / falta

 
9. Em ― providências necessárias ao saneamento do setor‖, a lacuna será corretamente preenchida pela

9.

Em ―

providências necessárias ao saneamento do setor‖, a lacuna será corretamente

preenchida pela expressão da alternativa.

a)

Haverá de ser tomado

b)

Haverão de ser tomadas

c)

Haverá de serem tomadas

d)

Haverão de serem tomadas

e)

Haverá de ser tomadas

10.

Não se fez corretamente a concordância verbal em:

a)

―Para onde iam aquelas flores?‖

b)

―Nasciam ervas em torno das sepulturas pobres‖.

c)

―Deitava-se de cara para o céu, olhando as nuvens que formava desenhos esquisitos.‖

d)

―Não existem mais dificuldades de rima nem de concordância.‖

e)

―Não deve haver mais dificuldades de rima nem de concordância.‖

11.

Em qual das orações abaixo o sujeito é inexistente?

a)

Tristonha, escondia o rosto com as mãos.

b)

Durante todo o dia, caminhamos sob um sol ardente.

c)

Precisa-se de operários nesta obra.

d)

Contaram-se coisas muito estranhas.

e)

Nesta Terra, faz muito frio.

12.

―Quando me procurar o desencanto, ou a morte, eu direi, sereno e confiante, que minha vida não foi de todo inútil." sujeito de procurar é:

a)

indeterminado.

b)

eu (oculto)

c)

desencanto

d)

me.

13.

Só num caso a oração é sem sujeito. Assinale-o:

a)

Faltavam três dias para o batismo.

b)

Houve por improcedente a reclamação do aluno.

c)

Havia tempo suficiente para as comemorações.

14.

Assinale a oração que não possui sujeito:

a)

A noite caiu repentinamente sobre a cidade.

b)

Neste mês,vai fazer um ano de sua partida.

c)

Só me resta uma esperança.

d)

O menino vai fazer um ano neste mês.

e)

O dia amanheceu bastante límpido.

f)

Choveram tomates sobre o orador.

TERMOS ASSOCIADOS AO VERBO

Antes de iniciarmos este estudo, é importante perceber que, em uma oração, qualquer palavra que ocorra na frase:

ou vem associada a um nome; ou vem associada a um verbo. Os pequenos animais da floresta não perceberam a presença do homem.

Sujeito

verbo

A partir deste esquema, podemos dizer que:

Se um termo vem associado a um verbo, pode ele desempenhar uma das quatro funções abaixo:

Objeto direto

Objeto indireto

Adjunto adverbial

Agente da voz passiva

Caso venha associado a um nome, pode ele desempenhar uma das quatro funções abaixo:

Adjunto adnominal

Complemento nominal

Predicativo

Aposto

Obs.: Para que possamos compreender a função dos nomes ligados a verbo, faz-se necessário a definição de transitividade e intransitividade verbal.

Verbo Transitivo: Para este tipo de verbo percebemos que a ação transita de um agente

Verbo Transitivo:

Para este tipo de verbo percebemos que a ação transita de um agente para um paciente ou destinatário. Ex:

A chuva

danificou

os automóveis.

Agente

ação

paciente

Logo, os verbos transitivos pressupõem dois pólos: agente de um lado - paciente ou destinatário do outro.

VERBO INTRANSITIVO

Com estes verbos, fica anulada a oposição entre agente e paciente.

Ex:

A manga despencou. Agente - ação intransitiva - não existe paciente ou destinatário.

DEFINIÇÕES:

Objeto Direto:

Vem sempre associado a um verbo transitivo. Sempre é alvo ou destinatário da ação verbal.

Ex: A prefeitura exigiu o pagamento das despesas.

V.T.D

O.D.

O Objeto Direto pode, excepcionalmente, ser preposicionado nas seguintes circunstâncias:

1. Para enfatizar o objeto, com verbos que exprimem sentimento (a preposição é facultativa):

Ele odeia a todos, só ama mesmo àquele filho doente.

2. Para evitar ambiguidade:

Àquele velho datilógrafo, o delegado não consegue enganar.

3. Representado por pronome oblíquo tônico ou pelo relativo quem (a preposição é obrigatória, exigida

pelo pronome):

Eis um indivíduo a quem eu sempre respeitei. Ele não ofenderia uma formiga, muito menos a ti.

4. Com a preposição “de”, para traduzir idéia partitiva:

Eu jamais beberia dessa mistura que ela lhe ofereceu.

OBJETO DIRETO PLEONÁSTICO:

É um pronome que reforça um termo anteriormente expresso:

É um pronome que reforça um termo anteriormente expresso: Obs.: Não, nunca! Aqueles tios , Mariana

Obs.:

Não, nunca! Aqueles tios, Mariana jamais os enganaria, ela não seria capaz. A nós, ele já não nos ama como antigamente. Em certas construções, ocorre o Objeto Direto Interno (já contido no sentido do verbo):

Havia vários anos que ele vivia uma vida muito tranqüila ali, não queria mudar. Então, feliz, ele sorriu aquele sorriso das pessoas vencedoras.

OBJETO INDIRETO:

O OBJETO INDIRETO é um termo de natureza substantiva (substantivo, pronome, numeral ou oração substantiva, correspondente ao recebedor ou destinatário da ação verbal. Difere do OD por vir obrigatoriamente preposicionado, com preposição exigida pelo verbo, chamado Verbo Transitivo Indireto (VTI). Não haverá preposição apenas se o OI for representado por pronome átono (me, nos, lhe

Hoje ele já não acredita em nada, duvida até da própria mãe.

Não lhe escreva, não envie a ela a prova de sua infidelidade.

Embora o sítio pertença aos três, ela sempre se esquece de que também deve cuidar

dele.

Também o Objeto Indireto pode ser pleonástico:

A nós, talvez ele não nos perdoe nunca.

Àquela filha, sim, o banqueiro sempre lhe dá as melhores jóias.

Ex:

Vem sempre associado a um verbo transitivo. Liga-se a verbo através de preposição. Indica o paciente ou destinatário da ação verbal. Os políticos discordaram do plano. Ação transitiva O.I (paciente da ação verbal)

OBJETO DIRETO X OBJETO INDIRETO Sabe-se que o pronome lhe(s) nunca funciona como Objeto Direto

OBJETO DIRETO X OBJETO INDIRETO Sabe-se que o pronome lhe(s) nunca funciona como Objeto Direto e que o pronome o (a) (s) nunca funciona como Objeto indireto. Os demais pronomes oblíquos os átonos e os tônicos podem exercer ambas as funções; sua classificação dependerá da regência do verbo a que se ligarem. Para distingui-los, pode-se usar o recurso de substituir o pronome por um termo substantivo masculino (meu irmão, por exemplo) e verificar se este precisa ser preposicionado: caso o verbo exija preposição, a expressão ― meu irmão‖ (e o pronome) será objeto indireto; caso contrario, objeto direto.

Me,

mim

Te,

ti

Se,

si,ele(a)

Nos,

nós

Vos,

vós

Se,

si,eles (as)

Nos, nós Vos, vós Se, si,eles (as) = meu irmão - OD = a meu irmão

= meu irmão - OD

= a meu irmão - OI

(Preposição obrigatória)

Ele poderia ver-nos, por isso fugimos.

Ele poderia ver meu irmão, por isso

(o verbo ver não exige preposição.)

Portanto, nós (assim como meu irmão) é, aí, Objeto direto.

Ele poderia escrever-nos, mas não quis.

Ele poderia escrever a meu irmão, mas

(Observe que a preposição a é obrigatória.)

Portanto, nesse caso, nos é Objetivo Indireto.

Agente da Voz Passiva:

Vem sempre associado a um verbo transitivo na voz passiva. Liga-se ao verbo através de preposição (por, per). Indica o elemento que executa a ação verbal.

Ex:

O réu foi considerado culpado pelo júri.

V.T.V.P

A.V.P.

Obs.: A diferença entre sujeito ativo e AVP é que, apesar de ambos executarem a ação verbal, o AVP sempre é preposicionado, já o sujeito nunca aparecerá preposicionado.

Adjunto adverbial é um termo determinante do verbo, mas pode também determinar um adjetivo ou um advérbio.

mas pode também determinar um adjetivo ou um advérbio. Adjunto adverbial verbo   Você sempre morou

Adjunto adverbial

Adjunto adverbial verbo   Você sempre morou aqui ? adjetivo   Meu pai anda muito cabisbaixo
Adjunto adverbial verbo   Você sempre morou aqui ? adjetivo   Meu pai anda muito cabisbaixo
Adjunto adverbial verbo   Você sempre morou aqui ? adjetivo   Meu pai anda muito cabisbaixo

verbo

 

Você sempre

morou

aqui ?

verbo   Você sempre morou aqui ? adjetivo   Meu pai anda muito cabisbaixo advérbio Vou

adjetivo

 

Meu pai anda muito cabisbaixo

Meu pai anda muito cabisbaixo

advérbio

Vou ficar mais longe, mas

Veja as classificações dos adjuntos adverbiais sublinhados no exemplo abaixo:

Ele, hoje, ainda fala muito bem da aviação, mas já não é tão entusiasmado como antes.

ainda:

muito:

bem:

da aviação:

já:

adj. adverbial de tempo do verbo fala

adj. adverbial de intensidade do advérbio bem

adj. adverbial de modo do verbo fala

adj. adverbial de assunto do verbo fala

adj. adverbial de tempo do verbo é (ou de todo o predicado)

 não:  tão:  como antes: adj. adverbial de negação do verbo é adj.

não:

tão:

como antes:

adj. adverbial de negação do verbo é

adj. adverbial de intensidade do adjetivo entusiasmado

adj. adverbial de comparação de entusiasmado (ou de todo o predicado)

1. O adjunto adverbial pode ser representado por:

b.1) advérbio:

Ele hoje ainda fala muito bem. b.2) locução ou expressão adverbial:

À noite, ele sairá de novo para a farra.

De repente, na parede da sala aparece a imagem do desaparecido.

b.3) oração adverbial:

Desde que teu cão não seja bravo demais, podes trazê-lo quando quiseres.

2. Tipos de adjuntos adverbiais:

O adjunto adverbial pode indicar intensidade do verbo, de um adjetivo ou de um advérbio, ou pode

indicar uma das circunstâncias abaixo (dentre outras), vinculadas ao verbo (ou ao predicado).

a.

De afirmação: Ele sairá sim, com certeza.

 

b.

De assunto: Ela sempre fala de seus namoros na adolescência.

 

c.

De causa: Devido à chuva, interromperemos os trabalhos.

 

d.

De companhia: Ele morava no Rio, com dois irmãos.

 

e.

De comparação: Ele canta certamente muito melhor do que o vocalista anterior.

 

f.

De concessão: Apesar do forte calor, os dois times estão correndo bastante.

g.

De condição: Sem dinheiro, será impossível montar essa feira.

 

h.

De conformidade: A montagem foi toda feita conforme o projeto.

i.

De consequência: Ela falava tanto e tão bem do primo que o namorado ficou com

ciúme.

j.

De dúvida:

Talvez precisemos regravar este capítulo.

 

k.

De finalidade:

Vamos

mudar-nos

para

um

hotel,

para

reformarmos

o

apartamento.

l. De instrumento:

m. De lugar:

n. De matéria:

coração.

o. De medida:

p. De meio:

q. De modo:

r. De negação:

s. De preço ou valor:

t. De proporção:

u. De tempo:

Não consegui abrir a garrafa com este saca-rolhas.

Vim do interior e moro em Belo Horizonte há quinze anos.

Construiu esse muro com muito cimento e bastante dor no

O tecido da cortina deve medir de oito a dez metros.

É impossível falar com você por esse telefone.

Sairei calmamente, para não espantar os pássaros.

O avião jamais chegaria ao destino.

A camisa custou trinta reais; a calça, mais caro.

Quanto mais você insistir, mais ele lhe negará o convite.

Ontem, logo que acordei, ele me deu essa má notícia.

3. Adjunto adverbial x Objeto indireto:

Como vimos, o ADJUNTO ADVERBIAL pode ser representado por locução adverbial, que é um

conjunto preposicionado, o que o faz parecido com o OBJETO INDIRETO.

Distingue-se um do outro pelo sentido:

O

OBJETO INDIRETO corresponde ao alvo (ao recebedor, destinatário) da ação verbal;

O

ADJUNTO ADVERBIAL indica uma circunstância da ação verbal.

Você não escreveria a lápis um ofício ao juiz! ―a lápis‖ é adj. adverbial de instrumento; ―ao juiz‖ é objeto indireto (alvo, destinatário)

TERMOS ASSOCIADO AO NOME

Adjunto Adnominal - Predicativo - Complemento Nominal - Aposto Desses termos, o único que nos traz alguma dificuldade é o adjunto adnominal.Isso se dá, pois, em determinada construção, ele se confunde com o predicativo , e;em outras, com o complemento nominal. Devido a isso vamos fazer esse estudo, primeiramente, estabelecendo diferenças entre adj.adnominal e predicativo e depois diferenças entre adj. Adnominal e complemento nominal. Não há necessidade de confrontarmos predicativo com complemento nominal, já que estes termos nunca se confundem.

Diferenças entre Adj. Adnominal e Predicativo:

Obs.: O único momento em que confundimos adj. Adnominal com o predicativo é no momento em que estamos diante de um adjetivo. Logo a análise sintática de um adjetivo só pode ser adj. Adnominal ou predicativo.

Adjunto adnominal. Qualidade fixa, ou seja, não depende do verbo. verbo. Predicativo Qualidade não fixa,

Adjunto adnominal. Qualidade fixa, ou seja, não depende do verbo. verbo.

Predicativo Qualidade não fixa, ou seja depende do

Obs.: O predicativo, como o próprio nome revela, nada mais é que um pedaço do predicado. Ex.

O professor nervoso chegou. (1) A .Adnominal

(qualidade fixa)

O professor chegou nervoso. (2) Predicativo

(qualidade não fixa)

Para sabermos se a qualidade é fixa ou não, basta trocarmos o tempo verbal , se a qualidade, por um momento, deixar de existir ela será não fixa (predicativo).

Na oração 1, se alterarmos o tempo verbal, por exemplo, para o futuro: O professor nervoso chegará. Percebemos que o adjetivo nervoso não deixa de existir, pois ele é uma qualidade fixa (Adj. Adnominal)

Na oração 2, se alterarmos o tempo verbal, por exemplo para o futuro : O professor chegará nervoso. Percebemos que o adjetivo nervoso deixa de existir, pois ele não é qualidade fixa, ou seja, depende do verbo para a sua existência. Logo concluímos que para se criar um adjunto adnominal basta que liguemos um adjetivo a nome qualquer, porém sem a mediação do verbo. Ex. Carro vermelho. Se quisermos transformar este adj. AdnominaI em um predicativo, basta que coloquemos um verbo entre o nome e o adjetivo.(verbo de ligação).

Ex. Carro foi vermelho. O carro continua vermelho. O Carro era vermelho. O carro é vermelho.

Diferenças entre Adjunto Adnominal e Complemento Nominal.

Adjuntos adnominais Somente se ligam a uma classe de palavras substantivo e possuem valor ativo

Exemplo:

Complementos nominais Se ligam a advérbios, adjetivos e substantivos abstratos. Possuem valor passivo

O telefone

É

Útil

a todos.

 

Predicativo

C.N

(adjetivo)

Paramos

Próximo

ao cinema.

Adj. Adverbial

C.N.

(advérbio)

Os turistas compraram uma linda

casa.

A. Adnominal

Subst. Concreto

Podemos, então, visualizar tais diferenças a partir do esquema:

Adj. Adnominal

Subst. Concreto
Subst. Concreto
Subst. Abstrato Adjetivo Advérbio
Subst. Abstrato
Adjetivo
Advérbio

Complemento Nominal

Adjunto Adnominal Complemento Nominal Ad. Adnominal e Complemento Nominal

- Substantivo Concreto - Adjetivo e Advérbio - Subst. Abstrato

Concreto - Adjetivo e Advérbio - Subst. Abstrato Percebemos, porém, que, se a dúvida for entre

Percebemos, porém, que, se a dúvida for entre Adjunto Adnominal e Complemento Nominal e estivermos diante de um nome ligado a um Substantivo Concreto, esse nome só poderá ser um Adj. Adnominal, já que o Complemento Nominal não se liga a Substantivo Concreto. Porém, se um nome aparece ligado a um adjetivo ou a um advérbio, esse nome só poderá ser um Complemento Nominal, já que o Adj. Adnominal não se liga a essas classes de palavras. A única dúvida seria no momento em que estivéssemos diante de palavra ligada a um Substantivo Abstrato. Isto ocorre porque tanto o Adj. Adnominal quanto o Complemento Nominal se ligam a Substantivos Abstratos. O recurso prático para dirimir tal dúvida é: o Adjunto Adnominal possui valor ativo, enquanto o Complemento Nominal possui valor passivo.

Ex:

Por Amor Subst. Abstrato

à vida,

parou de fumar.

C.N. (sofre a ação de ser amada)

O

canto

Subst. Abstrato

da juriti A. Adn. (pratica a ação)

é triste.

A explicação do professor A. Adnominal

aos alunos

C.N.

tinha fundamento.

EXERCÍCIOS

Nas questões que seguem, marque:

a)

Se o termo vier associado a um nome;

 

b)

Se o termo destacado vier associado a um verbo.

1.

" Eu preparo uma canção. "

 

2.

" A couve mineira tem gosto de bife inglês. "

3.

" Remédio do céu é sempre mais barato. "

 

4.

" Nossos encontros eram cada vez mais decepcionantes. "

5.

Observe a passagem que segue

"e

só de olhar para cima perdia o fôlego.

Em qual das opções o termo destacado tem a mesma função que a do termo acima?

a)

(

) Eu disse isso ao homem.

 

b)

(

)

eu

estava era imitando os outros.

 

c)

(

)

e

jogou para mim.

6.

Analise os termos destacados das frases que seguem de acordo com o código:

a)

objeto direto

b) objeto indireto

a)

―Marcela compreendeu a causa do meu silêncio.‖

b)

"Jorge e seu pai serviam bebida a todos.‖

 

c)

O marido infiel levou a mulher para casa."

d)

―As multinacionais acreditam no Brasil.‖

7.

Resolva as questões, de acordo com o seguinte código:

a)

Predicativo:

b) Adjunto Adnominal.

(

)O poeta ficou bêbado.

(

)O poeta bêbado caminhou pela praça.

 

(

)O poeta caminhou bêbedo pela praça.

(

)Os alunos desconfiados deixaram o colégio.

(

)Os alunos deixaram o colégio desconfiados.

8.

Responda de acordo com o seguinte código:

a)

adjunto adnominal;

b) complemento nominal.

(

) A marcha dos soldados impressionou bem ao público.

(

) A marcha sobre Berlim já tinha sido prevista pelos estrategistas.

(

) O ministro se mostrou avesso à idéia.

 
9. Explique a diferença de sentido entre as frases que seguem: As críticas ao técnico

9. Explique a diferença de sentido entre as frases que seguem:

As críticas ao técnico foram infundadas. As críticas do técnico foram infundadas.

10. Os termos destacados estão corretamente classificados, exceto em:

a) Ficaram encantados com sua gentileza. (objeto indireto)

b) Com as mãos no rosto, parecia petrificado. (predicativo do sujeito)

c) Procurava alivio para os seus sofrimentos. (complemento nominal)

d) A mim, pobre infeliz, todos abandonam. (aposto)

EXERCÍCIOS:

Escreva nos parênteses:

1. para objeto indireto (indica o alvo da ação) (preposição sem sentido e vinculada ao verbo)

2. para adjunto adverbial

3. Objeto Direto Preposicionado (preposição vazia de sentido e não exigida pelo verbo)

Obs.: para adjunto adverbial, na lacuna escreva a circunstância

(

)

Aquela menina só dança com o irmão.

 

(

)

Eu não briguei com você, acredite.

(

)

(

)

Vou viajar com minha família para o Sul.

(

)

(

)

Você parece ter-se esquecido da promessa de nunca enganar aos seus.

(

)

Curiosamente, eu nunca sonho com minha família.

(

)

(

)

Por este canal, ele canta para todo o Sul.

(

)

(

)

Não pense naqueles momentos desagradáveis. Mas nas festas.

(

)

(

)

Sem paciência, ele não convencerá a ninguém.

(

)

(

)

Em sonho, sim, me vejo naquelas praias, mas não vivo pensando nelas.

(

)

(

)

Você se refere ao Rio com tanta saudade!

(

)

(

)

(

)

Converse com meus pais sobre eu ir ao Rio com você.

(

)

(

)

(

)

A mim você ofenderá, se preferir beber da água e não do vinho.

 

EXERCÍCIOS

1.

Seguindo o modelo, ligue com setas os determinantes sublinhados a seus determinados:

 
 

A ANATEL trocou o velho e bom interurbano pela americanizada locução chamada de longa distância.

 
 
 

a)

O uso desnecessário, abusivo ou enganoso de palavra ou expressão estrangeira será considerado como lesivo ao patrimônio cultural brasileiro.

b)

Estamos assistindo a uma verdadeira descaracterização da língua portuguesa, tal a invasão indiscriminada e desnecessária de estrangeirismos.

c)

Muitas pessoas dizem de seus adversários: ―Eu lhes perdôo‖, enquanto, interiormente, experimentam um secreto prazer do mal que lhes acontece, dizendo para si mesmas que eles não têm senão o que merecem.

2.

Em todas as alternativas, o termo destacado é um determinante do verbo, EXCETO em:

 

a)

Na Rússia dos anos 50, uma mãe solteira conhece, num trem, um oficial do Exército soviético.

b)

Mairaux, autor de A Esperança, participou ativamente na luta contra o facismo na Espanha.

c)

A julgar pela bilheteria, a garotada aprovou, entusiasmada, essa mistura de inteligência e besteirol.

d)

Mesmo os pais mais ricos têm ouvido os médicos e evitado esses óculos em seus bebês.

e)

O Ministério da Saúde enviou o relatório final da pesquisa a todas as Secretarias Estaduais.

3.

objeto direto em todas as alternativas abaixo, EXCETO em:

a)

O povo brasileiro não tem a obrigação de conhecer palavras ou idiomas estrangeiros.

b)

A Polícia Civil do Rio de Janeiro não merece uma boa nota por sua atuação.

c)

Os cidadãos brasileiros sabem mais coisas sobre atores e atrizes da TV do que sobre seus políticos.

d)

Segundo ACM, a DUDAM constitui, hoje, o maior covil de ladrões.

e)

No Nordeste, vai faltar farinha e carne-seca.

4. Em todas as alternativas, o termo sublinhado é um objeto direto preposicionado, EXCETO em:

4.

Em todas as alternativas, o termo sublinhado é um objeto direto preposicionado, EXCETO em:

a)

Não há dúvida de que esse moleque odeia a seu irmão.

b)

A um bom marido ela e todas as mulheres deste país sonhe encontrar.

c)

Desculpe-nos, mas esse homem não representa nem a mim nem a ninguém de minha família.

d)

Você não deveria chamar seu filho de marginal.

e)

Expulsou, então, o pai ao filho mais novo, que nada fizera.

5.

Em todas as alternativas, o termo sublinhado funciona como objeto indireto, EXCETO em:

a)

Toda semana, eu respondo, pela Internet, a um questionário qualquer.

b)

Tome cuidado para não beber, por engano, da água deste pote.

c)

Ela jamais entregaria ao marido aquela carta de convocação para a guerra.

d)

É impressionante como esse cachorro obedece a todos da casa.

e)

Pegue o que quiser e pague a qualquer dos nossos funcionários.

6.

O pronome oblíquo está corretamente classificado em todas as alternativas, EXCETO em:

a)

A História nos ensina que uma das formas de dominação se dá pela imposição da língua. (OD)

b)

Quero falar-vos hoje, de um doce e fraternal sentimento: a indulgência. (OI)

c)

Não te pedi palavras nem gestos, pois sei o quanto te custaria isso. (OI)

d)

A coragem e a franqueza de Covas tem impressionado a todos nós, mesmo os adversários. (ODP)

e)

Outro personagem deste mundo que me encanta é esse sociólogo de vocês, o Betinho. (OD)

7.

Em todas as alternativas, o termo sublinhado é um adjunto adverbial, EXCETO em:

a)

Nós pedimos tanto, que nosso avô acabou falando na prisão tudo que o incomodava.

b)

Nunca tinha visto uma pessoa apegar-se tanto a uma causa quanto seu pai.

c)

O Estado o castigará pelo prejuízo causado à população.

d)

A parábola é uma espécie literária, mas não deve sair dos limites do verossímil.

e)

Penetrava no reino das palavras com a paz e a tranqüilidade das pessoas íntimas.

APOSTO

Chama-se de APOSTO ao termo de natureza substantiva que determina outro substantivo ou equivalente, que o precede. Esse substantivo determinado pode esta exercendo qualquer função sintática na oração. Eis os principais tipos de aposto:

a) Explicativo ( aparece entre virgula, parênteses ou travessões ou após dois-pontos):

Os Lusíadas , o maior obra lusitana do Renascimento, quase se perdeu num naufrágio.

b) Enumerado:

Três línguas ele precisa aprender: inglês, espanhol e

português.

c) Resumido ( tudo,nada,todos,ninguém, qualquer pessoa, etc.):

Ele se exibe numa rua, numa avenida, numa praça, em qualquer lugar.

d) Distribuidor (cada um ou cada qual):

Uso, no meu oficio, caneta, lápis e pincel, cada um, é claro, com uma finalidade.

e) Especificador ( nomeia, individualizando, um substantivo anterior, sem pausa):

Conheci o poeta Escobar na praça da Bandeira.

Obs.: 1. O aposto pode referir-se a uma oração inteira:

Ele jamais pedia perdão, o que revoltava o pai. ( o = isso = ele jamais pedir perdão)

2. O aposto pode ser representado por oração ( oração substantiva apositiva):

Só podes fazer uma coisa: ir lá agora e explicar tua atitude.

3. Não se confunda o aposto com o predicativo ( este pode ser deslocado):

Turíbio, nervoso, procurava esconder os papeis e os documentos. (adjetivo predicativo) Turíbio, homem nervoso, não era de levar desaforo para casa. (substantivo aposto):

4. Normalmente, aposto aparece após o seu fundamental, mas pode precedê-lo: Individuo de péssima índole

4. Normalmente, aposto aparece após o seu fundamental, mas pode precedê-lo:

Individuo de péssima índole, Zé do Morro não era boa companhia para ninguém.

EXERCÍCIOS

1.

Todas as expressões sublinhadas são determinantes de nome, EXCETO em:

a)

―A lei penal brasileira deve ser aplicada aos fatos puníveis praticados aqui.‖

b)

O uso da língua portuguesa é obrigatório nas relações jurídicas e nos meios de comunicação.

c)

Os meninos guerrilheiros da Tailândia entregaram suas armas e prometeram freqüentar a escola.

d)

O que os comerciantes vêem é um recorde de vendas que os deixa em situação confortável.

e)

Os soldados chegaram à Capital esgotados, com o moral baixíssimo e ameaçados de morte.

2.

As palavras e expressões sublinhadas abaixo funcionam como Adjunto Adnominal, EXCETO em:

a)

Essa é uma importante tarefa de profissionais de saúde especializados na área de atendimento.

b)

Na falta de uma palavra ou expressão em nossa língua, será aceito o termo estrangeiro aportuguesado.

c)

O descumprimento de qualquer disposição desta norma sujeita o infrator a sanção administrativa.

d)

O poder Executivo a regulamentará no prazo máximo de um ano, a contar da data de sua publicação.

e)

A criação de neologismos regionais será evitada, para se conservar a unidade lingüística do país.

3.

O termo sublinhado em cada alternativa abaixo só não funciona como Predicativo em:

a)

Ele considera importante qualquer questão que possa ajudar-nos na preparação.

b)

Os redatores de alguns jornais não contam com a ajuda preciosa de um bom revisor.

c)

Há, em nossa vida, bastantes coisas que consideramos inatingíveis, e por isso não as buscamos.

d)

O obstáculo maior que ele enfrenta é degradante.

e)

Esses jogadores, mesmo após tudo o que vocês noticiaram, continuam beberrões e desobedientes.

4.

Assinale a alternativa em que se sublinharam um Adjunto Adnominal e um Predicativo.

a)

Se estivesse vivo, professor, Santos Dumont teria feito cem anos em 1973.

b)

O sono, prenúncio da morte, tomara conta daquele pobre doente.

c)

Caso não se comprove nada contra o acusado, ele voltara a ser funcionário do Estado.

d)

Seu irmão mais velho era o agente do banco quando ocorreu o assalto?

e)

O complemento nominal é um termo que se assemelha muito ao adjunto adnominal.

5.

Em todas alternativas, o termo sublinhado funciona como Aposto, EXCETO em

a)

O ídolo nunca se preocupava com sua segurança, o que chateava a esposa.

b)

―A noz, o burro, o sino e o preguiçoso, sem pancadas, nenhum faz seu ofício.‖

c)

Apolo entregava diariamente a seu pai um quilo de carne, dois maços de cigarros e dez cruzeiros.

d)

Quem poderia imaginar que o coelho, animalzinho tão delicado, fosse capaz de tal estrago.

e)

Durante muito tempo, o planeta Marte foi o depositário de todas as nossas fantasias interplanetárias.

6.

Assinale a alternativa em que se classificaram incorretamente os termos sublinhados.

a)

O desmatamento dessa área só será permitido caso haja reposição de todas as arvores. (CN-CN)

b)

Nos dias atuais, a redação de cartas, quando há, dá-se quase unicamente via internet. (AA-CN)

c)

O indivíduo medíocre critica porque muitas coisas não estão ao alcance de sua mão. (AA-AA)

d)

A explicação do professor não convenceu os pais dos alunos.(AA-AA)

e)

A conservação dos dentes sempre bem limpos é essencial para a saúde geral do corpo. (AA-CN)

7.

― O sono é a infância da morte (1): um repouso transitório (2). Tem um túmulo, o leito (3);tem um verme : o pesadelo. Em compensação, como a morte, propicia um bálsamo (4): o esquecimento (5).‖ Os termos sublinhados acima estão corretamente classificados, EXCETO em:

a)

(1): predicativo

b)

(2): adjunto adnominal

c)

(3): predicativo

d)

(4): objeto direto

e)

(5): aposto

8.

A função sintática do termo em destaque está incorretamente indicada na alternativa.

a)

Todas essas festas e as roupas de que ele está falando são da época de D. Manuel. (CN)

b)

A explicação do problema coube ao pai de um colega meu (CN)

c)

O casamento faz dois tipos de mulheres: a que arruma a casa e a que se arruma. (Aposto)

d)

Os que acreditam na mão do destino a comandar suas vidas abrem mão de viver. (AA)

e)

Cresceu muito durante a década de oitenta a maior cidade do Vale, G. Valadares. (Aposto)

9. Em ― A sobrevivência de uma espécie depende, muitas vezes, da capacidade de comunicação

9.

Em ― A sobrevivência de uma espécie depende, muitas vezes, da capacidade de comunicação de seus membros‖, os termos destacados funcionam, respectivamente, como

a)

Compl. Nominal Adj. Adverbial Compl. Nominal

 

b)

Aposto-Compl.Nominal- Adj. Adnominal

c)

Adj.adnominal- Obj. Indireto- Comp.Nominal

d)

Adj.adnominal- Obj. Indireto- Adj. Adnominal

e)

Compl.Nominal- Adj.Adverbial- Compl.Nominal

10.

―O prédio da Escelsa fica mais próximo da Assembléia do que da Praça Costa Pereira.‖ Os termos sublinhados acima funcionam, respectivamente como

a)

Aposto Adj. Adverbial-Aposto

 

b)

Compl.Nominal- Adj.Adverbial Aposto

c)

Adj.Adnominal Compl.Nominal Aposto

d)

Adjunto Adnominal Compl. Nominal Adj.Adnominal

e)

Aposto Adjunto Adverbial Compl. Nominal

 

11.

Em todas as alternativas, o pronome destacado tem valor semântico semelhante, EXCETO em:

a)

O fazendeiro encontrou-me na estrada da fazenda e não me deixou mais.

b)

Ele nunca terá a coragem de me olhar na cara e me chamar de ladrão.

c)

O prefeito certamente cortar-lhe-ia ao meio o salário, se soubesse de suas intenções.

d)

Ele nunca poderá tirar-nos as terras ou o gado, pois temos recibo e registro de tudo.

e)

Que mais você quer de seus tios? Eles já lhe garantem o sustento, não é verdade?

12.

Assinale a opção em que o pronome átono apresenta o mesmo valor significativo que possui em:

― uma espécie de riso sardônico e feroz contraia-lhe as negras mandíbulas.‖

a)

Tudo nos era indiferente.

 

b)

Acontecer-te-á uma desgraça.

c)

A mãe apalpava-lhe o coração.

d)

Ao inimigo, não lhe rogo perdão.

e)

Ainda não te contei o susto por que passei.

13.

Em ― Ouvindo o rufar da catraca, as crianças saem das casas, apressadas, algumas meio desvestidas, ansiosas para entrarem no carro de ferro do circo‖, os termos destacados funcionam, respectivamente, como:

a)

Adjunto adnominal e adjunto adverbial de matéria

 

b)

Adjunto adverbial de modo e Complemento Nominal

c)

Predicativo e Adjunto Adverbial de Matéria

 

d)

Adjunto Adverbial de modo e Adjunto Adnominal

e)

Predicativo e Adjunto Adnominal

14.

Em ― Depois de dois dias de nada garimpar, Xande começou a pensar que garimpo não era mesmo tão fácil como diziam; aquilo era, sim, fácil de fazer um louco, isso era‖, o termo destacado funciona como:

a)

indireto

b)

complemento nominal

 

c)

objeto predicativo do sujeito

d)

objeto direto

e)

adjunto adverbial de modo

 

15.

Nas frases

― Meire me tinha respeito‖

e ―Ele respeitava-me as cãs‖, os pronomes funcionam

respectivamente, como:

a)

objeto direto e objeto indireto

b)

objeto indireto e objeto direto

c)

adjunto adnominal e objeto indireto

d)

complemento nominal e adjunto adnominal

e)

complemento nominal e objeto direto

VOCATIVO

O vocativo é a palavra ou expressão de chamamento, que não determina um elemento da oração. Relaciona-se ou refere-se ao ser com quem se fala, aquele a quem o emissor se dirige.

Jesuína, saia dessa chuva, minha filha! Seu filho não está atrasado para aula, Pedro? Ó formas vagas que torturam minha mente, quando terei paz?

A confusão entre o vocativo e o aposto deve-se, geralmente, ao fato de ambos costumarem

A confusão entre o vocativo e o aposto deve-se, geralmente, ao fato de ambos costumarem vir isolados por vírgula (s), o que, na verdade, não é exclusividade deles: outros termos ( o adjunto adverbial, o predicativo do sujeito, etc.) podem isolar-se por virgulas.

(Lembre-se de que o vocativo corresponde á pessoa com quem o locutor da frase fala.)

As crianças de hoje questionam os pais em quaisquer situações, fato impensável outrora. aposto

Qualquer ato do prisioneiro contra Diretoria, na sala ou no pátio, será punido. adj. adverbial

Seu filho, ninguém tem coragem de contestá-lo ou dele discordar.

OD

OD. Pleonástico

Aos índios desta aldeia, Senhor Presidente, só lhes resta um pouco de dignidade

OI

VOCATIVO

OI pleonástico

e a gripe.

A OAB, entidade máxima do advogado, jamais, Excelência, em todos esses anos, deixou de

aposto questionar um ato que ferisse a Constituição.

vocativo

adj. adverbial

Vossos pais, ridículas crianças, saberão o que estão falando sobre a família, Célula-mãe da sociedade.

Vocativo

aposto

EXERCÍCIOS

1.

Em todas as alternativas, o termo sublinhado exerce a função de sujeito, EXCETO em:

a)

Restara, provavelmente, alguma esperança na alma daquela mulher, mas ela não demonstrava.

b)

Muita discussão e briga houve, antes que se decidisse pela aceitação da proposta.

c)

Constavam, nas anotações do dono da venda, algumas coisinhas que ele não comprara, mas

d)

Já se vê no céu, lá longe, um ponto escuro, que, certamente, é nossa liberdade.

e)

Uma parte significativa dos contribuintes paga o imposto diretamente na fonte.

2.

Escreva nos parênteses o numero correspondente ao tipo de sujeito do verbo(s) destacado (s).

1. sujeito simples

2. sujeito composto

3. sujeito indeterminado

4. sujeito oracional

5. oração sem sujeito

a)

(

) a boca do brasileiro acaba destruída pela cárie e pelo preço do dentista.

b)

(

) (

) (

) Já faz muito tempo que acabou o inverno, mas o frio ainda está aí.

c)

(

) (

) É verdade que na reunião de pais do colégio só havia mães.

d)

(

) (

) Morre-se um pouco a cada dia neste mundo louco a que chamam capital.

e)

(

) (

) (

) Poucos teriam a coragem que João e Maria tiveram ao enfrentarem a bruxa.

f)

(

) (

) De madrugada , só se ouve um ronco, um raspar de garganta

O mundo parece morto.

g)

(

) (

) Falam muito em Cristo, mas só se vêem cifrões em seus olhos; não nos enganemos.

3.

Em todas as alternativas, há verbo impessoal, isto é , oração sem sujeito, EXCETO em:

a)

Confira lá, pois houve muitas confusões.

b)

Amanhã, vai fazer três meses que ela perdeu seu emprego.

c)

Não me importa se ele concordou ou deixou de concordar; vamos em frente.

d)

Se continuar ventando dessa maneira, nosso telhado não vai resistir Zeca.

e)

Mande seus soldados correrem; pode haver sérios atritos entre os grupos quando se encontrarem.

4.

É de ligação o verbo sublinhado na alternativa

a)

Meu tio tem um medo enorme de que ela venha a saber.

b)

Vocês não podem, infelizmente, permanecer nas proximidades do salão de sinuca.

c)

A única cárie ficava no último dente, o mais complicado de tratar.

d)

Ao que tudo indica, elas vão continuar solteiras, não é?

e)

Essas camisas não custaram barato, mas eu não me arrependo.

5. ― As poesias te fornecem exemplos, te ilustram, te emocionam , te inspiram ,

5.

― As poesias te fornecem exemplos, te ilustram, te emocionam, te inspiram, te curam.‖ A respeito dos verbos acima destacados, é CORRETO afirmar que, em suas orações,

a)

quatro deles tem a mesma classificação; o outro tem classificação diferente.

b)

dois deles tem uma mesma classificação; os outros três outros classificação.

c)

dois tem um classificação, dois outros tem uma segunda classificação, e o quinto, uma terceira.

d)

dois deles recebem a mesma classificação; cada um dos outros três tem uma classificação diferente.

e)

cada um deles tem uma classificação diferente.

6.

Existem jornais tão mal escritos e superficiais ,que nada me acrescentariam se os lesse diariamente.‖ As classificações dos verbos acima estão respectivamente corretas em

a)

Transitivo direto, transitivo indireto, transitivo direto e indireto.

b)

Intransitivo; transitivo indireto; transitivo direto.

c)

Transitivo direto; transitivo direto e indireto; transitivo direto e indireto.

d)

Intransitivo; transitivo direto e indireto; transitivo direto.

7.

― Você não descobrira jamais se estou mentido ou falando a verdade.‖ As classificações dos verbos abaixo estão respectivamente corretas na alternativa

a)

Transitivo direto; Intransitivo; transitivo direto.

b)

Transitivo; transitivo; transitivo direto.

c)

Transitivo direto e indireto; transitivo direto; transitivo direto.

d)

Transitivo; transitivo direto; transitivo direto.

e)

Transitivo direto; transitivo direto; transitivo direto.

8.

Todas as seguintes frases apresentam construções com posposição de sujeito, EXCETO

a)

Causava admiração a facilidade com que ele executava os repiques.

b)

Diz que lá existe um besouro dourado que o persegue.

c)

Narra também histórias de contatos com seres invisíveis.

d)

Soaram, naquele momento, as doze badaladas da meia-noite.

e)

Jamais faltaram em sua mesa as frutas próprias da época.

9.

Todas as locuções verbais abaixo são transitivas, EXCETO

a)

Ela jamais poderia herdar o que seus pais não possuíam, obviamente.

b)

Acabe de escrever logo essa carta, que eu já estou indo pra cidade.

c)

Você não vai querer receber do governo toda essa quantia, ou vai?

d)

Assim que eu começar a falar com ele, você pode me chamar e fingir que passa mal.

e)

Ele podia parecer um preguiçoso, mas estava sempre disposto a ajudar.

10.

Em todas as alternativas, o pronome destacado exerce a mesma função sintática, EXCETO em

a)

A leitura exercita a mente e nos torna mais criativos.

b)

Alguns dos livros que mais me agradaram também os mandaram para a Biblioteca Pública.

c)

Você não vai querer me enganar, logo a mim que posso ser seu pai.

d)

Ele além de tudo, ainda era grosseiro com a mãe, o que eu não admito.

e)

Pelo que sei, seu irmão sempre te ajudou, depois que perdeste o emprego.

11.

Falar correto significa falar o que espera a comunidade, e errar é fugir a essa norma. Os termos destacados estão corretamente classificados abaixo, EXCETO em

a)

falar correto sujeito

b)

o objeto direto

c)

a comunidade objeto direto

d)

errar sujeito

GABARITO:

1-B 2 A)1-1,B)5,C)4-5,D)3-3,E) 1-2-2 F) 1-1 G) 3-1 3-C 4-D 5-A 6-B 7-A 8-C 9-E 10-D 11-C

TIPOS DE PREDICADO

Predicado é o termo da oração através do qual se faz alguma atribuição ao sujeito. Predicado será verbal, quando a informação importante, contida neste, for um verbo. Ex.

Os jogadores caminham pelo gramado. Como a informação importante é um verbo este predicado é verbal. Predicado será nominal, quando a informação importante, contida no predicado,for um nome.

Ex.

Os jogadores estão cansados. Como a informação importante é um nome, o predicado é nominal. Obs.: Quando o predicado for nominal, encontraremos um predicativo.

Predicado será verbo-nominal , quando a informação importante, contida no predicado, for um verbo e

Predicado será verbo-nominal , quando a informação importante, contida no predicado, for um verbo e um nome.

Ex:

 

Os jogadores caminham cansados pelo gramado.

 

EXERCÍCIOS:

1.

Assinale a opção em que o predicado é verbal = (assinale a opção em que não haja predicativo):

a)

João morreu.

b)

A

mulata sambava alegre.

c)

O

dia parece bom para o passeio.

d)

João saiu alegre da festa.

e)

Consideraram o mestre ignorante.

2.

Assinale a opção em que o predicado é nominal = (assinale a opção em que haja predicativo):

a)

Elevei a minha voz no sossego da noite.

b)

E

até estava aborrecido.

c)

Todos os poetas cantam.

d)

Mas eu estava cantando no meu quarto fechado.

e)

Eu só sentia o cheiro dos remédios.

3.

Classifique os predicados destacados abaixo e, em seguida, marque a alternativa correta. I A família considerou infeliz e, até mesmo, injurioso o depoimento do Coronel.

II Penso que, assim eu posso desenvolver mais rapidamente meu senso crítico.

III A gramática normativa sempre foi, como o próprio nome indica, de natureza prescritiva.

a)

Verbal; verbal; verbo-nominal.

b)

Verbo-nominal; nominal; verbo-nominal.

c)

Nominal; verbo-nominal; verbal.

d)

Verbal; verbal; nominal.

e)

Verbo-nominal; verbal; nominal.

4.

Assinale a alternativa que apresenta um predicado verbo-nominal:

a)

Nos últimos tempos, ele já não tem tido disposição para nosso jogo dominical.

b)

Com aquela carinha de santa, ela acabava fazendo toda a família de boba.

c)

Seu pai já não parece ser aquele homem poderoso que nós acostumamos a admirar.

d)

Os signos das obras de arte permitem, na maioria das vezes, interpretações plurívocas.

e)

A

coerência e a unidade estão tão intimamente ligadas que, faltando uma, a outra fica comprometida

GABARITO:

1-A 2-B 3-E 4-B

A partir desta lição vamos analisar o PERÍODO COMPOSTO.

CLASSIFICAÇÃO DO PERÍODO Período simples: Aquele que consta de uma só oração. A oração que constitui o período simples classifica-se como oração absoluta. Ex. As regiões produtoras de café sofreram com as Geadas. Período simples /oração absoluta

Período Composto: Aquele que consta de duas ou mais orações. Ex:

Paulo chegou , acendeu a vela, e começou a procurar os sapatos. Oração1 Oração2 Oração3

No período composto podem ocorrer três tipos básicos de oração:

Principal;

subordinada;

coordenada.

TIPOS DE ORAÇÕES SUBORDINADAS:

Substantivas: aquelas que desempenham função sintática própria de substantivo. Adjetivas: aquelas que desempenham função sintática própria de adjetivo. Adverbiais: aquelas que desempenham função própria de advérbio.

Oração Subordinada Substantiva : para que possamos compreender tal assunto é necessário saber quais são

Oração Subordinada Substantiva: para que possamos compreender tal assunto é necessário saber quais são as funções que são próprias de substantivos. sujeito; objeto direto; objeto indireto; predicativo; complemento nominal; aposto.

Ex.

A prefeitura exigiu o pagamento das despesas

(a)

Objeto direto (substantivo)

A prefeitura exigiu que as despesas fossem pagas. (b) Oração 1 Oração 2

Na oração "a", quanto na oração "b" não há alteração semântica, sendo que a diferença de "a" para "b" é que em "a" o período é simples em "b" o período é composto, ou seja, temos uma diferença estrutural. Na oração "a" o núcleo do objeto direto é a palavra pagamento (substantivo). Quando passamos de "a" para "b", o que se está fazendo é permutando um substantivo por uma oração. Assim como esse substantivo (objeto direto) mantinha uma relação sintática com verbo, esta oração que o está substituindo também manterá essa relação. Logo:

A prefeitura exigiu que as pessoas fossem pagas.

Podemos classificar a oração acima grifada em:

Subordinada: pois está encaixada em outra, funcionando como um termo desta; Substantiva: pois está desempenhando uma função (objeto direto) própria do substantivo. Obs.: A oração subordinada substantiva acima está sendo iniciada por um "que", o fato desta oração ser uma substantiva nos garante que esse "que" é uma conjunção integrante. Como recurso prático, para sabermos se uma oração é subordinada substantiva basta que consigamos permutar tal oração pelo pronome isso ou pelo pronome disso. Ex.

A prefeitura exigiu que as despesas fossem pagas.

A prefeitura exigiu isso.

Como foi possível a permuta podemos definir a oração como subordinada substantiva e logo o "que" que a inicia é uma conjunção integrante. Se quisermos fazer a análise sintática da subordinada substantiva, basta que façamos a análise sintática do pronome ―isso‖,‖nisso‖ ou disso pelos qual a permutamos, a análise que couber para o pronome será a análise que caberá para a oração.

Exemplo:

A prefeitura exigiu isso.

A prefeitura exigiu que as despesas fossem pagas.

O.D.

O.S.S.O.S

A oração foi classificada como oração Subordinada Substantiva Objetiva direta ,pois mantêm o

mesmo valor sintático do objeto direto.

CLASSIFICAÇÃO DA ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA

Caso apareçam ligadas ao verbo da oração principal, podem funcionar como:

Sujeito

substantiva subjetiva

Objeto direto

substantiva direta

Objeto indireto

substantiva indireta.

1) Oração subordinada substantiva subjetiva. Ex: É evidente que ele não sabe:

Obs.: Quando a oração for substantiva subjetiva, o verbo da oração principal só poderá aparecer na terceira pessoa do singular .

2) Oração subordinada substantiva objetiva direta. Ex. Estamos sugerindo aos nossos fregueses que façam este pequeno sacrifício:

As orações subordinadas substantivas objetivas diretas, assim como o objeto direto, aparecem ligadas a um verbo e também indicam o alvo sobre o qual recai a ação verbal.

3) Oração subordinada substantiva objetiva indireta. Ex. Certamente não suspeita de que um desconhecido o vê. As orações subordinadas substantivas objetivas indiretas, assim como o objeto indireto, aparecem ligadas a um verbo e também indicam o alvo ou destinatário da ação verbal. Orações subordinadas substantivas ligadas ao nome da oração principal Se uma oração subordinada substantiva vem ligada a um nome da oração principal,pode funcionar

como:

Predicativo do sujeito substantiva predicativa Complemento nominal substantiva completiva nominal Aposto 1) Oração

Predicativo do sujeito substantiva predicativa

Complemento nominal

substantiva completiva nominal

Aposto

1) Oração subordinada substantiva predicativa. Ex.: A verdade é que ela não amava a nenhum deles. As orações subordinadas substantivas predicativas sempre se ligam ao sujeito da oração principal.

substantiva apositiva

2) Oração subordinada substantiva completiva nominal. Ex.: Tenho certeza de que é aqui o meu lugar. As orações subordinadas completivas nominais sempre se ligam a um nome da oração principal.

3) Oração subordinada substantiva apositiva. Ex.: Desejava realizar um grande sonho: que todos os homens vivessem pacificamente. As orações subordinadas substantivas apositivas sempre se ligam a um nome da oração principal, porém essa ligação e feita sem preposição e sem mediação de verbo de ligação.

EXERCÍCIOS

1. Passe para o período composto:

Detectamos facilmente a existência de um erro.

Era urgente a aprovação do diretor.

Algumas tribos temiam a chegada do inverno.

Insistiam na participação do aluno

2. Passe para o período simples:

Tínhamos interesse em que você colaborasse.

A

solução e que você desista.

O

vendedor dava uma garantia: que o produto valorizaria.

Estávamos certos de que você se recuperaria.

ORAÇÃO SUBORDINADA ADJETIVA. O tribunal desprezou as críticas que não tinham procedência. Como percebemos, esta oração não é subordinada substantiva, pois não é possível permutá-Ia pelos pronomes ―isso‖ ―nisso‖ ou ―disso‖, logo o "que" que a inicia não é uma conjunção integrante. Como recurso prático, sempre que não conseguirmos permutar a oração pelos pronomes ―isso‖, ―nisso‖ ou ―disso‖, deveremos então colocar no lugar deste "que " o nome que o antecede. Ex. As críticas não tinham procedência. A partir desta permuta, percebemos que o "que" está no lugar de um nome (críticas) , logo ele é um pronome relativo, e a oração é subordinada adjetiva.

Obs.: Também é de fácil percepção que, por se tratar de uma oração adjetiva, essa oração nada mais é do que uma qualidade do substantivo anteriormente citado, ou seja, essas não são quaisquer críticas, e sim aquelas que não tinham procedência Concluímos que a oração subordinada adjetiva sempre se liga a um nome da oração principal e vem introduzida por um pronome relativo.

EXERCÍCIOS: 1. Transforme os dois períodos em um só, usando pronome relativo: a) Você me

EXERCÍCIOS:

1. Transforme os dois períodos em um só, usando pronome relativo:

a) Você me aconselhou um livro. Este livro me agradou muito.

b) Eu visitei a casa. Nessa casa você morou.

c) Eu visitei a casa. Você comprou essa casa.

d) Eu visitei a casa. A essa casa você se referiu.

e) Essa é a marca. Você confia nela.

Classificação das orações subordinadas Adjetivas:

As orações subordinadas Adjetivas podem ser explicativas ou restritivas. Adjetivas restritivas: são aquelas que restringem e extensão do nome, isto é, particularizam um subconjunto dentro de um conjunto. Ex. O técnico prefere jogadores que obedecem a seus esquemas. Esses não são quaisquer jogadores, mas sim aqueles que obedecem aos esquemas do técnico. Adjetivas explicativas: não restringem a extensão do nome, isto é, não particularizam um subconjunto dentro de um conjunto. Ex. A terra, que é um planeta, está muito poluída. Obs. As orações subordinadas adjetivas explicativas vêm sempre isoladas por vírgulas.

EXERCÍCIOS:

1. Nas questões abaixo, transforme o adjunto adnominal em oração subordinada adjetiva:

Recusaram-se os casos carentes de comprovação.

Não se computaram os dados referentes ao mês de maio.

2. Transforme a segunda oração em subordinada adjetiva:

Recebi todos os livros. Eles foram indicados pela crítica.

Encontrei os amigos. Estava precisando deles.

ORAÇÃO SUBORDINADA ADVERBIAL É aquela que funciona como adjunto adverbial. Classificação das orações subordinadas adverbiais Assim como os adjuntos adverbiais, as orações subordinadas adverbiais classificam-se de acordo com as circunstâncias que exprimem. 1) Oração subordinada adverbial causal Ex: A sessão foi suspensa porque faltou energia elétrica. Principais conjunções casuais: porque, visto que, que, já que, como(no início do período) 2) Oração subordinada adverbial consecutiva Ex: Falaram tão mal do filme que ele nem entrou em cartaz. Principais conjunções consecutivas: que (normalmente precedido de tão, tal, tanto, tamanho

)

3) Oração subordinada adverbial condicional Ex. Deixe um recado se você não me encontrar em casa. Principais conjunções condicionais: se, caso, desde que, contanto que, sem que (relacionado a uma negação) Ex: Sem que estudes, não serás aprovado.

4) Oração subordinada adverbial concessiva Ex: Vencemos o inimigo embora ele fosse mais forte. Principais conjunções concessivas: embora, ainda que, se bem que, conquanto, mesmo que

5) Oração subordinada adverbial conformativa Ex: Tudo ocorreu como estava previsto. Principais conjunções

5) Oração subordinada adverbial conformativa Ex: Tudo ocorreu como estava previsto. Principais conjunções conformativas: conforme, como, segundo, consoante

6) Oração subordinada adverbial comparativa Ex. Recebeu a todos como um anfitrião. Principais conjunções comparativas: como, que, do que Obs: O verbo da subordinada adverbial comparativa freqüentemente fica subentendido.

7) Oração subordinada adverbial final Ex: Os índios tomaram das armas para Que não invadissem suas reservas. Principais conjunções finais: para que, a fim de que, que, porque.

8) Oração subordinada adverbial temporal Ex: Todos saíram quando ele chegou. Principais conjunções temporais: quando, enquanto, logo que, depois que, antes que

9) Oração subordinada adverbial proporcional Ex: Aumenta a tensão à medida que o navio se aproxima. Principais conjunções proporcionais: à medida que, à proporção que, quanto mais Obs: As subordinadas adverbiais possuem uma liberdade de colocação muito grande, podendo vir antes, no meio ou depois da oração principal. Ex: Embora seja possível. É pouco provável uma terceira guerra. É pouco provável, embora seja possível, uma terceira guerra. E pouco provável uma terceira guerra embora seja possível.

EXERCÍCIOS

1. Dentre as orações destacadas, indique qual desempenha a mesma função que a da frase matriz: "Não há

dúvida de que ele conseguiu um bom negócio‖.

a) Lá pelas onze horas voltou a garantir que não conhecia o tal do mascate.

b) Olhou em tomo, com receio de que alguém tivesse percebido a frase imprudente.

2. ―O vizinho Pires de Meio mandou saber se eu queria barganhar a pele de onça‖.

a)

―Havia desconfiança de que Aurélia tinha um tutor‖.

b)

―Nenhum dentista nega que a odontologia seja inacessível à maioria da população‖.

3.

Responda de acordo com os seguintes códigos:

a)

se a oração for subjetiva;

b)

se a oração for objetiva direta;

I) "É verdade que parte da imprensa aumentou muito o noticiário acerca da delinqüência‖.

II)

―Sabia eu que não tinha mais trança de moça no detrás daquelas paredes‖.

III)

―Pouco importa que nos avaliem pela casca‖.

IV)

"Já se disse que esta guerra de ser vista em duas perspectivas‖.

V)

"Estamos sugerindo aos nossos fregueses que façam este pequeno sacrifício".

4.

Classifique as orações abaixo com os seguintes códigos:

a)

oração subordinada substantiva predicativa.

b)

oração subordinada substantiva completiva nominal.

c)

oração subordinada substantiva apositiva.

d)

oração subordinada substantiva indireta.

I) "Desejava realizar um sonho: que todos os homens vivessem pacificamente‖.

II) "Karl Marx acreditava em que a barbárie era a ausência de socialismo‖.

III) "Ali pelo oitavo chope, chegamos à conclusão de que todos os problemas eram insolúveis‖.

IV)

―A verdade é que ela não amava nenhum deles‖.

V)

"Estava convencido de que todos os habitantes da cidade eram ruins‖.

5.

Classifique as orações:

a)

―Como anoitecesse, recolhi-me pouco depois e deitei-me‖.

b)

―Se soubessem que ele regressaria, ficariam felizes‖.

c)

―Procederam segundo ordenava a lei‖.

d)

"Nunca chegará ao fim, por mais depressa que ande‖.

e)

"Fiz -lhe sinal que se calasse‖.

6. Abraçou-me com tal ímpeto, que não pude evitá-lo.

Comece com: Não pude evitá-lo

que não pude evitá-lo. Comece com: Não pude evitá-lo a) Assim b) Quando c) à medida

a)

Assim

b)

Quando

c)

à medida que

d)

então

e)

porque

7.

Como não dispúnhamos de máquinas, fizemos as contas de cabeça.

Comece com: fizemos as contas

a)

ainda que

b)

logo

c)

à medida que

d)

embora

e)

visto que

8.

Sem que você me forneça as instruções precisas, nada poderei fazer.

Comece com: Nada poderei fazer

a)

a não ser que

b)

por mais que

c)

por conseguinte

d)

embora

e)

visto que

9.

Chovia, mas resolvi sair.

Comece com: Resolvi sair

a) então

b) já que

c) ainda que

d) portanto

e) por isso

10. Na estrutura; Criminoso que seja, não deve ser maltratado, observa-se a) concessão b) causa

10. Na estrutura; Criminoso que seja, não deve ser maltratado, observa-se

a) concessão

b) causa

c) condição

d) consequência

e) tempo

GABARITO:

1-B 2-B 3-A;B;A;A;B 4-C;D;B;A; 5-a)OSA causal;b)OSA Condicional; c)OSA Conformativa;OSA Concessiva;OSA Final 6-E 7-E 8-A 9-C 10-A

ORAÇÕES COORDENADAS CONCEITO - Chamam-se coordenadas duas orações que apresentam entre si uma relação lógico- semântica, mas nenhuma dependência sintática (uma não é termo da outra).

CLASSIFICAÇÕES - As orações coordenadas classificam-se como:

1º) quanto à presença da conjunção coordenativa a introduzi-la:

A) oração coordenada sindética se a conjunção coordenativa está clara, explícita:

Ou nos satisfazemos com sugestões, ou não nos caberá mais nada, pois ele é quem manda.

B) oração coordenada assindética se a conjunção está elíptica, oculta.

Ele conhecia cada quarto, podia reconhecer um ranger de porta, mas não se sentia em casa.

2º) quanto ao relacionamento significativo entre as orações:

(Embora a simples presença de uma conjunção não seja suficiente para definir a classificação de uma oração - que se define pela relação significativa entre as orações -, podemos listar as conjunções mais

típicas:)

CLASSIFICAÇÃO CONJUNÇÃO RELAÇÃO LÓGICO-SEMÂNTICA

1. ADITIVAS e; nem; não só

assentou-se e fez o pedido. simultaneidade: E chora, e ri, e canta

2. ADVERSATIVAS mas; porém; todavia; entretanto; contudo; no entanto. contraste: Ele é o pai, porém não

toma partido. compensação: Não comprou, mas deu gorjeta.

já. alternância: Ora se fecha, ora brinca com

3. ALTERNATIVAS ou; ora

todos

4. CONCLUSIVAS por conseguinte; assim; logo; portanto; pois, etc. conclusão: Ele nada estudou; logo,

deve perder. conseqüência: Já cheguei; deixe, pois, de choro

5. EXPLICATIVAS pois, que, porque, porquanto. justificativa: Não grite, que ele pára de chorar. explicação:

Mudei-me, pois ele precisava da casa.

mas também. adição: Ele dá aulas e vende imóveis. sucessividade: Entrou,

ora; quer

quer; seja

seja; já

exclusão: Estude ou veja televisão.

OBSERVAÇÕES:

1. Uma mesma conjunção pode admitir mais de uma classificação:

Vesti minha roupa mais cara, e minha namorada nem notou. (adversativa) Uma questão errada, e minha classificação ficou prejudicada. (conclusiva)

Você segura a escada e seu irmão troca a lâmpada. (aditiva) Aja com naturalidade, e ninguém notará. (explicativa)

2. A conjunção POIS explicativa sempre introduz sua oração; POIS conclusiva jamais introduz, mas se

pospõe a um dos termos de sua oração:

Faça uma boa redação, pois dela dependerá sua avaliação final. (oração explicativa) Preciso dessa roupa hoje; não posso, pois, mandá-la para a lavadeira. (oração conclusiva)

3. Dentre as conjunções adversativas, apenas MAS inicia obrigatoriamente sua oração; as demais porém,

todavia, etc. podem iniciá-la ou vir após um de seus termos, assim como ocorre, também, com as

conclusivas (portanto, por conseguinte,

):

O

menino está lá fora, mas o trânsito daqui está interrompido; não há perigo.

O

coronel Esteves estava na cidade, porém já não tinha a autoridade de outrora.

O

coronel Esteves estava na cidade; já não tinha, contudo, a autoridade de outrora.

Você tem bastante tempo para a prova; não vá, portanto, apressar-se demais.

ORAÇÕES REDUZIDAS As orações subordinadas reduzidas não se iniciam por conjunções subordinativas nem por pronome relativo e se apresentam numa das formas nominais do verbo: infinitivo, gerúndio ou particípio. Ex.:

1- O presidente prometeu acabar com a corrupção.(or.sub.subst.reduzida de infinitivo) O presidente prometeu que acabaria com a corrupção. (or. Subord.desenvolvida)

2- Querendo, tudo conseguirá. (or.sub.adv.cond.reduzida de gerúndio) Se quiser, tudo conseguirá. (or.

2- Querendo, tudo conseguirá. (or.sub.adv.cond.reduzida de gerúndio) Se quiser, tudo conseguirá. (or. Subord.desenvolvida) 3- Terminada a aula, viemos embora. (or.sub.adv.temp.reduzida de particípio) Quando a aula terminou, viemos embora. (or.subor.desenvolvida)

EXERCÍCIOS

1.

Em todas as alternativas, a oração sublinhada está corretamente classificada, EXCETO em

a)

Vinha-me a sensação de que não havia feito aquilo que esperavam. (subordinada)

b)

O presidente estava estranho, suava muito, atropelava as palavras. (coordenada assindética)

c)

Nunca pensei que fosse tão difícil parar de trabalhar. ( coordenada)

d)

O cachorro que me acompanhava sempre, meu grande amigo, tinha sido atropelado. (subordinada)

e)

Prescreveu-me um leve regime e mandou que eu caminhasse diariamente. ( coordenada sindética)

2.

A divisão do período e sua classificação (entre parênteses) só NÃO está correta em

a)

― O ortopedista/ que eu procurava/ era de absoluta confiança/ e me ajudou muito‖. (período composto por

coordenação e subordinação)

b) ― A vida para ele será sempre a eterna tortura/ entre o medo dos homens e a descrença em Deus‖.

(período composto por coordenação)

c) ―O ônibus parava a cada dois quilômetros/apanhava homens, mulheres, crianças e animais/ e ninguém

reclamava;/ eram todos muito felizes‖. (período composto por coordenação)

d) ― Agora eles sabem/ que a fome dá um direito/ que passa por cima de qualquer direito dos outros‖. (

período composto por subordinação)

e) ― A mestra de letras apresentou aquele sorriso de moça nova/ e juro/ que senti seu bafo de flor na sala

toda.‖ (período composto por subordinação)

3.

Todas as alternativas apresentam períodos compostos por coordenação, EXCETO

a)

O dinheiro tinha voado, embora não houvesse vento.

b)

Cheguei à mesa, bebi mais um trago de aguardente e tomei o caminho da rua.

c)

Certamente ninguém me proibiria de andar nos jardins, sentar-me, ver as mulheres.

d)

Desloquei as estacas pobres, puxei Merina para junto de mim, abracei-a, beijei-lhe a boca.

e)

A saia esticada exibia a coxa, mas a minha atenção se concentrava nos braços e nos dedos.

4.

Em todas as alternativas há períodos composto por coordenação e subordinação, EXCETO em

a)

Deitou-se , enfiou a cabeça no lençol, e, apesar de ser muito forte, de seus olhos amarelos começaram a

correr lágrimas de dor, de ânsia, de saudade dos seus.

b) Como poderia dormir um senhor de engenho que não tinha a coragem de arrancar um negro de sua

senzala das mãos de um ladrão de cavalos?

c) O senhor de engenho da Santa Fé saíra de um negro fugido e não tivera forças para nada.

d) Acendeu a lamparina sem saber como, veio-lhe uma vontade aguda de gritar, de gemer, de chorar alto.

e) O capitão, nas tardes de domingo, quando não tinha nada que fazer, deitava-se no marquesão da sala de

visitas e chamava o filho.

5. Assinale a alternativa em que a oração substantiva destacada está incorretamente classificada:

a) Só não consta em seu depoimento como ele conseguiu fugir. (Subjetiva)

b) O tempo não o convenceu de que as leis da natureza são inquestionáveis. (objetiva indireta)

c) Fingiu desinteresse, com medo de que a proprietária subisse o preço. (objetivo indireto)

d) Seria fácil para quem conhecia tão bem o prédio provocar um curto-circuito. (subjetiva)

e) Sempre tivera vontade de responder grosseiramente aquele professor. (completiva nominal)

QUESTÕES DE 06 A 08

Classifique as orações destacadas e, em seguida, escreva os parentes e a letra correspondente à ordem correta.

a)

D F F

b) A D E

c) C B A

d) B F C

e) D F E

A

coordenada sindética adversativa

D subordinada substantiva

B

- coordenada sindética conclusiva

E subordinada adjetiva

C

- coordenada sindética explicativa

F subordinada adverbial

6.

(

) I Deixa em paz meu coração, que ele é um pote até aqui de mágoa.

 

(

) II É pouca minha experiência com mulheres, por isso a omiti das memórias.

7. ( ) I – Eu não poderia supor que ela nunca teria visto um

7.

(

) I Eu não poderia supor que ela nunca teria visto um porco.

(

) II Ele não queria estudar nem trabalhar, de modo que precisou procurar outra casa.

(

) III Ela era tão competente ao piano o quanto fora sua mãe, vinte ano antes.