Sei sulla pagina 1di 353

Biblia dita de Ferrara a modos como que vertida (traduzida e ritmada) por um só em lingua portuguesa a partir do texto em língua espanhola (ou ladino) traduzida palavra por palavra da verdade Hebrayca por muy excelentes letrados cujo nome se ignora

Prólogo à mui mgnífica Senhora Dona Gracia Naci

Não parecia razão (mui magnifica Senhora) que havendo-se de imprimir a Biblia em nossa lingua Espanhola (traduzida do Hebreu palavra por palavra, obra tão rara, e até os nossos tempos nunca vista) fosse parar a pessoas de cujo favor não se pudesse valer senão a alguem tão nobre e magnânime, e que a sua nobreza acrescente ornamento. É por causa disto que a quizemos dirigir a vossa mercê, como pessoa cujos méritos, entre todos os nossos, sempre teve o mais sublime lugar, quer por suas grandezas o merecerem, quer pelo facto da própria natureza e o amor da pátria nos colocarem esta obrigação tão devida. Aceite-a vossa mercê com a vontade com que lha oferecemos, e a favoreça e a defenda com o ânimo que sempre favoreceu o que toda a vossa vasta ajuda perpetrou. E porque vossa nobreza está naturalmente acostumada a estes oficios, estamos certos de que há algum receio devido à diversidade dos juízos que possamos ter, pedindo que vossa memória não se esqueça do nosso desejo que tão inclinado é a vosso serviço. E que guarde Nosso Senhor, por muitos largos anos, a vossa pessoa e prospere vosso magnífico estado.

Servidores de vossa mercê

Yom Tob Arias e Abraham Usque

Ao ilustríssimo e excelentíssimo Senhor o Senhor Dom Hercole da Este o segundo quarto Duque de Ferrara

Ainda que muitas vezes se tenha visto (sereníssimo príncipe) que toda a obra traduzida perde a gravidade e graça que no seu original tinha, e que o mesmo pode ser nesta nossa tradução, queremos porém tomar este trabalho, tão alheio a nossas forças, vendo que a Biblia se acha em todas as linguas, e que sómente falta na Espanhola, sendo tão copiosa e usada na maior parte da Europa e em algumas províncias fora dela. E ainda que a obra em si seja soberana e divina nem por isso carece deste receio, cuja causa foi sempre nosso motivo sacá-la à luz coberta do favor de Vossa Excelência, pois a si, como soberano Principe, é devido amparar e favorecer todos aqueles que devosso subsídio e favor tiveram necessidade. Verdade seja que a Biblia é em quantidade tamanha que ultrqapassa todas as obras que até hoje se viram, mas tão pequena em quantidade que se estivesse só mereceria nosso atrevimento grave repreensão. Mas como aos Principes magnânimos contudo se pode servir regulando os serviços por vontade de quem os faz, cremos que vossa excelência aceitará este pequeno serviço com benigno ânimo e olhará, não tanto a nossa lovável impressão, quanto a intenção e vontade que a seu serviço sempre fica oferecida e obrigada, debaixo de cujo sublime favor navegaremos seguros pelo tempestuoso mart que as detractoras linguas podem levantar, além de que ela se imprimiu por mandado e consentimento de Vossa excelência, sendo juntamente vista e examinada por vossos letrados e inquisidor tão compridamente que, no vindouro, por todas estas razões adquirirá mui lovável glória. Nosso senhor vossa ilustríssima pessoa guarde e conserve mui largos anos, e prospere e aumente vosso felicíssimo estado como deseja.

Criados de Vossa Excelência

Jerónimo Vargas e Duarte Pinel

Escreve Tullio (prudentíssimo leitor) em seus Ofícios, que nenhuma coisa tanta força tem para nos mover como a de lhe ver alguma maneira ou espécie de proveito, o qual tanto mais se deve estimar quanto menos é particular, porque o próprio útil o buscam todos, e o procurar o que é comum o fazem pouquíssimos.

É por isso que querendo comprazer em meu desejo que sempre foi amigo do

proveito universal (ainda que alguns digam que o é do meu, e de cujas más- linguas não pretendo defender-me, pois tenho posto que me não ofendem), fiz

traduzir a Biblia para o nosso Espanhol, uma vez que as outras nações não

podem neste benefício queixar-se dos seus naturais. Porque a Italia, a França,

a Flandres, a Alemanha e a Inglaterra não carecem dela, e mesmo na

Catalunha, na nossa Espanha, se traduziu e imprimiu na própria lingua Catalã. E como em todas as províncias da Europa, entre elas é a lingua Espanhola a mais copiosa e contundente, é de maior preço que assim se procurou que esta nossa Bíblia, por ser em lingua Castelhana, fosse o mais possível chegada à verdade Hebraica (como fonte e verdadeira origem daquilo que se lhe retira), fazendo-a seguir dentro de tudo o que é possível, a tradução de Pagnino e do seu Tesauro da lingua Santa, por ser tão conforme a letra de verbo a verbo e tão conforme à letra Hebraica e tão aceite e estimada na cúria romana, ainda que para este caso não tenham faltado todas as traduções antigas e modernas, assim como as versões Hebraicas mais antigas a que pudemos deitar mão. E também para isto procurei sempre mui sábios e letrados experimentados na mesma lingua, tanto hebraica quanto latina. E ainda que a alguns lhes pareça a linguagem bárbara e estranha e muito diferente do polido que em nossos tempos se

tem usado, não se pode fazer de outro modo, pois que querendo seguir verbo a verbo, e não declarar um vocabulo por dois (o que é mui dificultoso) nem antepondo, ou pondo um outro depois, foi forçoso seguir a linguagem que os antigos Hebreus Espanhois usaram, ainda que isso seja estranho, e considerando que se acharam as propriedades do vocábulo Hebraico. E aí se encontra a solenidade que a antiguidade soube ter. E ainda mais quanto ao dizer a

realidade da verdade, no como todas as linguas que têm seu estilo e frases. Não

se pode negar que a lingua Hebraica tenha a sua maneira que é a que aqui

nesta tradução se verá, a qual não se diz nas outras traduções. Não vá tirar

cada um à Biblia o que é seu. E não pense ninguém que a sua leitura

é como

a de outros livros que numa ou duas vezes se entendem. Porque, segundo dizem

os sábios, toda a lição se deve ler dez vezes antes que se diga o que se leu, e se leu, que diga ou não se entendeu. E ainda mais no caso da sagrada escritura onde tem aquele que fora sabio necessidade de desvelar-se nela para penetrar algo das mui altas sentenças e ocultos mistérios que em si se encerram, o que de mui poucos ou quase nenhum é o caso. Pois a sagrada escritura tem poucas palavras que dão muitas sentenças e mui doces e proveitosas doutrinas. E isso tanto conforme ao que diz o Senhor pela boca de Yehosuah, cap I: "não se tire livro da lei da tua boca e lerás nele de dia e noite para que olhes e vás como tudo o que nele está escrito, para que prospere a tua carreira, e então entenderás." Leia-a cada um para o efeito que quiser, pois as palavras do Senhor nunca lhe trarão mal. E no demais eu estou seguro (se com verdade o posso dizer) da confusão dos juízos diversos que possam surgir, pois a obra não pode ter defeito em si. E os da tradução não são tais que os discretos em nada os repreendam pois, como já disse, a frase é da mesma lingua, e os ladinos são dos mais antigos e sentenciosos entre os Hebreus, já convertidos como na natureza. De tal nasceu, da parte de alguns que se presumem polidos, um querer desenquerer e fazer voltar atrás este proveitoso trabalho, dizendo que soaria mal a orelhas de cortesão, quais subtis engenhos. Mas estimando seus pareceres como de pessoas

malévolas e detractoras a fiz sacar à luz submentendo sempre os erros e faltas

à correcção dos que mais sabem. E é de notar que nos lugares onde se vir esta

estrela * é sinal de que há dúvidas na declaração do vocábulo e uma vez ou outra diversos pareceres, os quais, ainda que se atirem a um certo fim sempre quiseram seguir o parecer do que melhor assentava à letra mais conforme era à nosssa lingua. Os quais espero que saiam junto com os Apócrifos que não são do Canone Hebraico, sentindo este meu trabalho ser agradável. E onde acharem estes meios circulos ( ) notarão que o que vai dentro deles está fora da letra Hebraica, mas em tal caso é trazido pelos sábios para declaração do sentido. E acharão também a um .A. com dois pontos, o qual é sinal do Santo nome do Senhor, o Tetragramaton.

Genesis, em Hebraico Beresit, Em Principio

em príncipio

criou Elohim aos céus e à terra

e

a terra era vã e vazia

 
 

e

havia escuridade

sobre as faces do abismo

e

o espirito de Elohim movia-se

sobre as faces das àguas

e

disse Elohim

 

seja luz

 

e

foi luz

e

viu Elohim a luz

 

que boa

 

e

apartou Elohim

entre a luz e entre a escuridade

e

chamou Elohim à luz dia

e

à escuridade chamou noite

e

foi tarde e foi manhã

 

dia um

e

disse Elohim

seja expandidura no meio das àguas

e seja apartante entre àguas e àguas

e fez Elohim a expandidura

e apartou entre as àguas que eram debaixo da expandidura

de entre as àguas que eram por cima da expandidura

e foi assim

e chamou o Elohim à expandidura céus

e foi tarde e foi manhã

e disse Elohim

dia segundo

apanhem-se as àguas que estão debaixo dos céus para lugar um

e foi assim

e

e

chamou o Elohim à seca

ao apanhamento das àguas

e disse Elohim

e

apareça a seca

terra chamou mares

e viu Elohim que bom

esverdeie a terra verdejante erva

e assemente semente

de àrvore de fruto fazendo fruto à sua maneira

e foi assim

e que se semente nela

sobre a terra

e sacou a terra esverdeante erva assementando semente à sua maneira e a àrvore fazia o fruto que se assementava nela à sua maneira e viu o Elohim que bom

e foi tarde e foi manhã

dia terceiro

e

disse Elohim

 

sejam luminárias na expandidura dos céus para apartar entre o dia e entre a noite

e

que sejam por sinais

e por prazos

e por dias

e anos

e

que sejam luminárias

na expandiduras dos céus para alumiar sobre a terra

 

e foi assim

e

fez Elohim duas luminárias grandes

a

luminária grande

para senhorear o dia

e

a luminária pequena

para senhorio da noite e às estrelas

 

e

viu-as Elohim

na expandidura dos céus para alumiar sobre a terra

e

para senhorear no dia e na noite

e

para apartar entre a luz

e

entre a escuridade

 

e viu o Elohim que bom

e

foi tarde e foi manhã

 

dia quarto

e

disse Elohim serpenteiem as àguas serpentes de alma viva e ave que voe sobre a terra sobre as faces

da expandidura dos céus

e

criou o Elohim as cobras

as grandes

e toda a alma viva

remexedora

que serpentiaram as àguas

em suas maneiras

e toda a ave de asa

em sua maneira

e

viu Elohim

 

que bom

 

e

bendisse-as Elohim dizendo frutificai e multiplicai e enchei as àguas nos mares e a ave se multiplique na terra e foi tarde e foi manhã

 

dia quinto

e

disse Elohim

 

saque a terra alma viva à sua maneira

 
 

e

os quatro patas

e

todo o removente

e

o bicho da terra

 

à sua maneira

 
 

e foi assim

e

o fez Elohim

 

o

bicho de terra

 

à sua maneira

 
 

e

os de quatro patas

 

à sua maneira

 
 

e

toda o remexedor de terra

 

à

sua maneira

e

viu Elohim

que bom

 

e disse Elohim

façamos homem em nossa figura

como nossa semelhança

e

senhoreie o pescado do mar

e

a ave dos céus

e

os de quatro patas

em toda a terra

e

todo o remexedor

que se remove sobre a terra

e

criou Elohim

o homem em sua figura

 
 

em figura de Elohim ele a criou macho e femea os criou

 

e

os abençoou Elohim

e

lhes disse Elohim

 

frutificai e multiplicai

e enchei a terra

e

subjugai-a e senhoreie

o

pescado do mar

e a ave dos céus

e

todo o animal

removente sobre a terra

e

disse Elohim

 

a

vós foi dada toda a erva

assementai sementes

sobre faces de toda a terra

e toda a arvore cujo fruto de àrvore assemente sementes

vos será para comer

e

todo o animal da terra

e

toda a ave dos céus

e todo o removente sobre a terra cuja alma seja viva

e toda a verdura de erva será para comer

e foi assim

e viu Elohim tudo o que fez

e foi tarde e foi manhã dia sexto

e é muito bom

II

e

acabaram-se os céus e a terra

 

e

todo o seu cortejo

 

e

acabou Elohim

 

no dia sétimo

a

obra que fez

 

e folgou no dia sete de toda a obra que fez

e

bendisse Elohim

 

ao dia sétimo

e

o santificou

que em si folgou de toda sua obra que criou Elohim

no fazer

estas são as gerações dos céus e da terra em seu ser criados em dia de Adonai fazer terra e céus

e toda a àrvore do campo

Adonai estava sobre a terra

antes que fosse a terra e toda a erva do campo antes que esverdessesse pois Adonai não fez chover

e

homem não havia

a lavrar a terra

e

e

o vapor subia da terra e regava

todas as faces da terra

criou Adonai deus ao homem pó da terra

e soprou no seu nariz

alento de vidas e ficou o homem com alma viva

e plantou Adonai deus horto em Heden

e Adonai fez da terra

esverdecer

toda a àrvore

no oriente e pôs o homem que criou

cobiçosa à vista e boa de comer

nome de um rio

e a àrvore das vidas

estava entre o horto

e a àrvore do saber bem e mal

e o rio saínte do Héden para regar ao horto

e daí se repartia

por quatro cabeças

Pison

o arrodeante

a

a

e

e

toda a terra de Havilah

que tem o ouro

há o bdélio a pedra Soham

e ouro dessa terra

bom

e

nome de rio

 

o

segundo

 

Guihon

o arrodeante

a toda a terra de Ethiopia

e

nome de rio

 

o

terceiro

 

Hidekel

o

andante

a

oriente da Assíria

e

o rio

 

o

quarto

 

o

Euphrates

e

tomou Adonai Elohim ao homem

e encomendou Adonai Elohim sobre o homem

e pô-lo na horta do Heden para lavrá-la

e para guardá-la

dizendo

de toda a àrvore do horto

e

e

de àrvore do saber bem e mal

se num dia a comeres

comer comerás

não comerás

do morrer morrerás

e

e

disse Adonai Elohim não é bom ao homem

o seu a sós

fare-lhe-hei ajuda como confronto com ele

criou Adonai Elohim da terra

todo o animal do campo e toda a ave dos céus

e trouxe o homem

para ver o que chamaria ele

e a tudo o que chamava ele

o homem

alma viva o seu nome

e

chamou o homem

nomes

a

toda o quatro patas

e

à ave dos céus

e

a todo animal do campo

mas o homem não achou ajuda

contra ele feita

Adonai Elohim adormidou sobre o homem

que se adormeceu

e

tomou uma de suas costelas

e

cerrou carne em seu lugar

e fraguou Adonai Elohim

a

costela que tomou do homem

 
 

como mulher

 
 

e trouxe-a ao homem

 

e

disse o homem vês esta

 
 

é

osso de meus ossos

e

carne de minha carne

 

e

ela será chamada mulher

 

pois de varão foi tomada

portanto deixará

 
 

o

varão seu pai e sua mãe

e

apegar-se-á com sua mulher

 

e

serão carne

 

uma

e

estavam ambos nus

o homem e sua mulher

e não se envergonhavam

III

e o cobra era arteiro

mais que todo o animal do campo que fez Adonai Elohim

e

disse à mulher sem demora

o

que lhe disse o deus não comais de toda àrvore do horto

e disse a mulher ao cobra

do fruto da àrvore do horto comeremos

e

do fruto da àrvore que é entre o horto disse Elohim

não comais dele e não toqueis nele

e

disse o cobra à mulher um não morrer morrereis

pois sabe Elohim que em dia de vosso comer dela

a

abrir serão vossos olhos

e

sereis como Elohim

sabentes do bem e do mal

por quanto morrereis

e viu a mulher

a

e

àrvore para comer

cobiçada a àrvore

que bom

e que desejo

ela para os olhos

para entender

e

tomou de seu fruto

 

e

comeu

e

a deu também a seu marido

 

e

comeu

e abriram-se os olhos de ambos eles

e souberam que

e coseram folha de figueira e fizeram para si cinturas

nus eles

e

ouviram a voz de Adonai Elohim andando no horto

 

ao ar do dia

e

escondeu-se o homem

e

sua mulher

diante de Adonai Elohim

 

entre a àrvore do horto

e

chamou Adonai Elohim ao homem

e disse-lhe

 

aonde tu?

e

disse

a

e

e

tua voz ouvi no horto

temi

escondi-me

que nu eu

e disse

quem te denunciou

que nu tu? se da àrvore que te encomendei para não comeres

e

dela comeste?

disse o homem a mulher que deste comigo ela me deu da àrvore

e comi

e

disse Adonai Elohim à mulher

e disse a mulher

e disse Adonai Elohim ao cobra que fizeste

isto

isto fizeste?

o cobra me seduziu

maldito tu mais que todos os quatro patas

e mais que todo o animal do campo

sobre teu peito andarás e pó comerás todos os dias da tua vida

e malquerença porei

e comi

entre ti e entre a mulher entre teu sémen e seu sémen ela te ferirá a cabeça

e tu lhe ferirás o calcanhar

à mulher disse

e ao homem disse

multiplicar multiplicarei tua dor e tua prenhez

com dor parirás filhos

e do teu marido

é o teu desejo

e ele senhoreará em ti

porque ouviste a voz de tua mulher e comeste da arvore

a qual te encomendei dizendo

não comas dela

maldita a terra por ti com dor a comerás

todos os dias das tuas vidas

e

espinho e cardo te brotará

e

comerás a erva do campo

com suor de teus narizes

comerás pão

até tu tornares à terra que dela foste tomado

que pó tu e a pó tornarás

e chamou o homem

ao nome de sua mulher

Hava

que ela foi mãe de todo o vivo

e fez Adonai Elohim ao homem e a sua mulher

tangas de couro

e fê-los vestir

e

disse Adonai Elohim vê o homem foi como um de nós com o saber bem e mal

 

e

agora estenderá sua mão talvez

e

tomará da àrvore das vidas

e

comerá e viverá para sempre

 

e enviou-o Adonai Elohim do horto do Heden para lavrar a terra que foi tomado dali

e

desterrou o homem

e fez morar no oriente no horto do Héden

os querubins com a chama da espada transtornando-se para guardar o caminho da àrvore das vidas

IV

e

o homem conheceu Hava

e

a seu irmão

ajuntou por parir

a Hevel

sua mulher

que se emprenhou e pariu

Caim

e disse adquiri varão com Adonai

e foi Hevel pastor de ovelhas e Caim foi lavrador de terra

e foi num fim de dias

e trouxe Caim

do fruto da terra presente a Adonai

e Hevel trouxe também

dos primogénitos de suas ovelhas

e das suas gorduras

e atentou Adonai a Hevel

e a seu presente

e a Cain a seu presente não atentou

e

irou-se Cain muito

e caíram suas faces

e

disse Adonai a Cain porque irasceste

 

e porque caíram tuas faces

decerto abonarás perdão

 

e

se não abonares

à

porta do pecado jazerás

e

é de ti o seu desejo

e

tu senhorá-lo-hás

e

disse Cain a Hevel

seu irmão

e foi no seu estar no campo

e

levantou-se Cain para Hevel

seu irmão

e matou-o

e

e

e

disse Adonai a Cain onde está Hevel

disse

disse

não sei

teu irmão?

guardião de meu irmão serei?

que fizeste

a voz de sangue de teu irmão exclama para mim desde a terra

e agora maldito tu

desde a terra que abriu a sua boca para tomar os sangues do teu irmão da tua mão

quando lavrares a terra não se juntará a dar sua força

a ti

removido e movido serás sobre a terra

e

disse Cain a Adonai maior meu delito

 

é

de perdoar

 

eh desterraste-me hoje de sobre as faces da terra

 

e

diante de ti serei encoberto

e

serei removido e movido na terra

e

ancontecerá que todo o que me achar

 

me matará

e

disse-lhe a ele Adonai

portanto por todo o que te mate

Cain

sete vezes serás vingado

e pôs Adonai a Cain sinal para não o ferir a ele

todo o que o ache a ele

e

saiu Cain de diante de Adonai

 

e

esteve em terra de Nod a Oriente do Heden

e

conheceu Cain a sua mulher

e

emprenhou-se

e

pariu a Hanoch

e

foi nascido a Hanoch

 

Nirad

e

Nirad engendrou Mehuyael

e Mehuyael engendrou Metusael Metusael engendrou Lemech

e

tomou-se Lemech de duas mulheres

o

nome de uma

Nadah

e o nome da segunda

Zilah

e pariu Nadah

Yaval

ele foi pai de todo o tangedor de viola e orgão

e Zilah também ela pariu

Tubalcain

forjando com toda a maestria

o cobre e o ferro

e a irmã de Tubalcain Nahamah

e disse Lemech a suas mulheres Nadah e Zilah ouvide minha voz

mulheres escutai meu dito que varão mate por minha ferida e menino por meu vergão e sete vezes será vingado Cain e Lemech setenta e sete

e conheceu Adam

mais sua mulher

e pariu filho e chamou seu nome

Seth

e a Seth também foi nascido filho

que me pôs Elohim sémen noutro lugar de Hevel pois o matou Cain

e chamou a seu nome

Enos

então foi começado a chamar em nome de Adonai

V

este o livro das gerações de Adam

em dia de criar Elohim homem em semelhança de Elohim o fez macho e fêmea os criou

e

os abençoou

e

chamou seu nome

no dia de ser criado

e viveu Adam

cento e trinta anos

e engendrou na sua semelhança como à sua figura

Adam

e

chamou a seu nome

 

Seth

e

foram dias de Adam

depois de engendrar-se Seth

 

oitocentos anos

foram todos os dias de Adam novecetos e trinta anos

e

e morreu

e viveu Seth

cento e cinco anos

e engendrou Enos

e viveu Seth

depois de engendrar-se Enos

oitocentos e sete anos

e engendrou filhos e filhas

e foram todos os dias de Seth novecentos e doze anos

e viveu Enos

noventa anos

e morreu

e engendrou Kenan

e viveu Enos

depois de engendrar-se Kenan oitocentos e quinze anos

e engendrou filhos e filhas

e foram todos os dias de Enos novecentos e cinco anos

e viveu Kenan

setenta anos

e morreu

e engendrou Mahalalel

e viveu Kenan

depois de engendrar-se Mahalalel oitocentos e quarenta anos

e engendrou filhos e filhas

e foram todos os dias de Kenan novecentos e dez anos

e viveu Mahalalel

setenta e cinco anos

e morreu

e engendrou Yered

e viveu Mahalalel

depois de engendrar-se Yared oitocentos e trinta anos

e

engendrou filhos e filhas

e

foram todos os dias de Mahalalel

oitocentos e noventa e cinco anos

e morreu

e viveu Yared

cento e setenta e dois anos

e engendrou Anoch

e viveu Yared

depois de engendrar-se Anoch

oitocentos anos

e

engendrou filhos e filhas

e

foram todos os dias de Yared

novecentos e setenta e dois anos

e viveu Anoch

setenta e cinco anos

e morreu

e engendrou Metuselah

e andou Anoch com Elohim

depois de engendrar-se Metuselah

trezentos anos

e

engendrou filhos e filhas

e

foram todos os dias de Anoch

trezentos e setenta e cinco anos

e

andou Anoch com Elohim

e

mais não voltou a Elohim

e viveu Metuselah

cento e oitenta e sete anos

e engendrou Lemech

e viveu Metuselah

depois de engendrar-se Lemech

setecentos e oitenta anos

e foram todos os dias de Metuselah novecentos e setenta e nove anos

e viveu Lemech

cento e oitenta e dois anos

e morreu

e

engendrou filho

e

chamou seu nome

Noah

para dizer

este nos reconfortará de nossos feitos

e do lazerio de nossas mãos

da terra que amaldiçoou Adonai

e viveu Lemech

depois de engendrar-se Noah

quinhentos e noventa e cinco anos

e

engendrou filhos e filhas

e

foram todos os dias de Lemech

setecentos e setenta e sete anos

e morreu

VI

e foi Noah

da idade de quinhentos anos

e engendrou Noah

Sem

Cham

e Yapheth

e foi quando começou o homem a multiplicar sobre faces da terra

e

filhas lhes foram nascidas

 

vieram filhos dos grandes às filhas de homem

e

 

que boas elas

 

e

tomaram para eles mulheres

entre tudo o que escolheram

e

disse Adonai

não julgará meu espirito

no homem para sempre porque também ele é carne

e serão seus dias

cento e vinte anos

e os gigantes foram na terra nesses dias

e

também depois

e

era assim que vinham

os filhos dos grandes

a

filhas de homem

e

eles pariraram

eles os valorosos para sempre varões de fama

e

viu Adonai

 

que grande malicia

 

a

do homem na terra

todo o apetite de pensamentos de seu coração deserto

e

 
 

é

mau todo o dia

e

arrependeu-se Adonai que fez o homem na terra

 

e

atristou-se no seu coração

e

disse Adonai

arrematarei ao homem que criei de sobre faces da terra desde o homem até aos quatro patas até aos remexentes até às aves dos céus que me arrependi que os fiz

e Noah encontrou graça nos olhos de Adonai

Parasa .2.

estas as gerações de Noah

Noah varão justo pleníssimo foi em suas gerações

com Elohim

andou Noah

e engendrou Noah três filhos

e foi danada a terra diante de Elohim

e foi cheia a terra

de violência

Sem

e

Cham

e

Yaphteh

e

viu o Elohim a terra

e eh

foi danada

que danou toda a criatura em seu curso sobre a terra

e

a

disse Elohim

Noah

fim de toda a criatura surgiu diante a mim

que se encheu a terra de violência diante deles

faz para ti arca de madeiros de cedro

moradas farás na arca

e colá-la-ás de dentro e de fora com betume

e é isto o que lhe farás trezentos covados

a lonjura da arca

cinquenta covados

sua largura

 

e

trinta covados

a

altura

janela farás à arca

 

e

com um covado

a acabarás de cima e porta da arca

a seu lado

e sobrados baixos segundos e terceiros

farás

porque eu,

eh eu vou trazendo o dilúvio àguas sobre a terra para danificar toda a criatura que há no folego das vidas debaixo dos céus tudo o que há em terra se espirará e firmarei de mim firmamento contigo

e

virás à arca tu

 

e

teus filhos

e

tua mulher

e

as mulheres de teus filhos

contigo

e

todo o vivo

de toda a criatura dois a dois trarás à arca

para vivificar contigo macho e fêmea serão

ave

 

de sua espécie

e

quatro patas

de sua espécie

e

todo o removente da terra de sua espécie

e tu

toma para ti todo o comer que será de comer

dois e dois virão a ti para vivificar

e fez Noah tudo como lhe encomendou Elohim e assim fez

VII

e disse Adonai a Noah

vem tu e toda a tua casa

à arca que te vi justo diante de mim nesta geração

de todos os quatro patas

o limpo tomarás para ti

 

sete sete

varão e sua mulher

dos quatro patas que não limpos

e

 

deles dois

varão e mulher

também da ave dos céus

 

sete sete

macho e fêmea

para vivificar sémen sobre faces de toda a terra

e mais sete dias

eu farei chover sobre a terra quarenta dias e quarenta noites

e arrematarei todo o estante que fiz de sobre faces da terra

e fez Noah

tudo como lhe encomendou Adonai

e Noah era de idade

de seiscentos anos

e

o dilúvio foi àguas sobre a terra

e

veio Noah

e

seus filhos

e

sua mulher

e

mulheres de seus filhos

com ele na arca diante das àguas do dilúvio

e

dos quatro patas o limpo

e

dos quatro patas o que não é limpo

e

da ave

e

de tudo o que remexe sobre a terra

 

dois a dois vieram a Noah

à

arca

macho e fêmea

como encomendou

o

deuses a Noah

e

foram sete os dias

e as àguas do dilúvio foram sobre a terra

em ano de seiscentos anos em vidas de Noah

no mês segundo aos dezassete dias do mês

e foi a chuva sobre a terra

neste dia romperam todas as fontes do abismo grande

e janelas dos céus foram abertas

quarenta dias

e quarenta noites

e

nesse mesmo dia veio Noah

e

Sem e Ham e Yepheth

filhos de Noah

e

e

a mulher de Noah

três mulheres de seus filhos com eles à arca

e

e

e

eles

todo o animal de sua espécie

todo o quatro patas de sua espécie

todo o remexedor remexente sobre a terra

e toda a ave de sua espécie todo o pássaro toda a asa

e os que vinham

macho e fêmea de toda a criatura

vieram como lhe encomendou Elohim

de sua espécie

e

fechou Adonai por ele

e

sobrelevaram-se as àguas

e

multiplicaram-se muito sobre a terra

e

andou a arca sobre faces das àguas

e

foram cobertos os montes

e as àguas sobrelevaram-se

muito muito

sobre a terra e foram cobertos todos os montes

que há debaixo dos céus

quinze cóvados acima

se multiplicaram as àguas

e

foram cobertos os montes

e

expirou toda a criatura

que se remove sobre a terra

e

a ave

e

os quatropatas

e

o animal

e

toda a serpente que serpenteia

e

todo o homem

e

todo o alento

de sopro de espirito das vidas

em seus narizes

em tudo o que é seco

dos altos

morreu

e se arrematou a tudo

sobre as faces da terra do homem

até o quatro patas até o remexente até as aves dos céus

e foram arrematados da terra

e

remanesceu decerto

Noah

e

e

o que foi com ele na arca

sobrelevaram-se as àguas sobre a terra

cento e cinquenta dias

VIII

e

lembrou-se o deuses de Noah

 
 

e

de todo o animal

de todo o quatro patas consigo na arca

e

e

fez passar Elohim

 

vento sobre a terra

e

aquietaram-se as àguas

e

cerraram-se fontes de abismo

 

e

janelas de céu

e

vedou-se a chuva dos céus

e tornaram as àguas

de sobre a terra

a

andar e a voltar

e

minguaram as àguas

ao fim de cento e cinquenta dias

e pousou a arca no mês décimo aos dezassete dias do mês sobre montes de Arafat

e as àguas foram

a andar e a minguar

até ao mês décimo

e foi ao cabo de quarenta dias

e abriu Noah a janela da arca que fez

e no décimo

a um do mês

apareceram-se cabeças dos montes

e enviou o corvo

e saíu a sair e a voltar

até secarem-se as àguas de sobre as faces da terra

e

enviou a pomba com ele

para ver se se aliviaram as àguas de sobre as faces da terra

e não achou a pomba repouso para a planta de seu pé

e voltou-se à arca

que eram as àguas sobre a face de toda a terra

e

estendeu sua mão

e

tomou-a

e

trouxe-a à arca

e

esperou mais outros sete dias

e juntou a enviar a pomba da arca

e veio-lhe a pomba a hora da tarde

e de folha de oliveira arrebatada em sua boca

e soube Noah que se aliviaram as àguas de sobre a terra

e

esperou mais outros sete dias

e

enviou a pomba

e não juntou

a voltar mais a ele

e foi em seiscentos e um anos em mês primeiro em um do mês

que se enxugaram as àguas de sobre a terra

e

tirou Noah a cobertura da arca

e

viu

e eh

se enrugaram as faces da terra

e no mês segundo

em vinte sete dias do mês

secou-se a terra e falou Elohim a Noah para dizer sai da arca tu e tua mulher e teus filhos e as mulheres de teus filhos contigo

todo o animal que está contigo toda a criatura

a

ave

o

quatro patas

e

tudo o remexedor que remexe sobre a terra saca contigo

e

saiu Noah

e

seus filhos

e

sua mulher

e

as mulheres de seus filhos

consigo

todo o animal todo o remexente e toda a ave

e tudo o que se move sobre a terra

e suas linhagens saíram da arca

e fabricou Noah ara a Adonai

e

tomou de todo o quatro patas limpo

e

de toda a ave limpa

e

alçou alçações na ara

e

cheirou Adonai o odor

o

recebível

e

disse Adonai em seu coração não ajuntarei a maldizer mais a terra pelo homem

que o apetite do coração do homem

é mau

de suas mocidades e não ajuntarei mais para ferir todo o vivo como fiz

porém em todos os dias da terra sementeiras e segas

e frio e calor

e

estio e inverno

e

dia e noite

não se irão

IX

e abençoou Elohim

a Noah e a seus filhos

e disse-lhes

frutificai e multiplicai

e

enchei a terra

e

vosso terror e vosso medo

será sobre todo o animal da terra

e sobre toda a ave dos céus

tudo o que se remove na terra

e todos os peixes do mar

a vossa mão são dados

toda a removida que é viva

a vós será para comer

decerto carne com sua alma seu sangue

não comereis

e decerto

vosso sangue

e vossas almas requererei

da mão de todo o animal

tal como verdura de erva

dei-vos tudo

requererei

da mão do homem

e da mão do varão

a seu irmão

requererei

a alma do homem

aos que vertem sangue do homem no homem

seu sangue será vertido

pois com a sua figura Elohim fez ao homem

e

vós

 

frutificai

multiplicai

e

serpenteai na terra

e

multiplicai nela

e

disse Elohim a Noah

e a seus filhos com ele deste modo

e eu eh eu\

firmo meu firmamento convosco

e

com vosso sémen depois de vós

e

com toda a alma que viva convosco

a

ave

o

quatro patas

e

todo o animal da terra

convosco

desde os saíntes da arca

a todo o animal da terra

e firmarei meu firmamento

convosco

e não será talhada nenhuma criatura pelas àguas do dilúvio

e não será mais dilúvio para danar a terra

e

disse Elohim

 

este o sinal do firmamento que eu dou entre mim e entre vós

 

e

entre toda a alma que viva convosco em gerações

sempre

 

de mim o arco dei à nuvem

 

e

estará por sinal de firmamento entre mim e entre a terra

e

será meu o anuviar nuvens

 

sobre a terra

 

e

apareça o arco na nuvem

e

lembrarei meu firmamento

 

que há entre mim e entre vós

e

entre toda a alma viva em toda a criatura

e não serão mais as àguas do dilúvio para danar toda a criatura

e

será o arco na nuvem

e vê-lo-hei

para lembrar a firmamento de sempre entre Elohim

e entre toda a alma viva em toda a criatura que é sobre a terra

e disse deuses a Noah

este o sinal do firmamento que firmei entre mim e entre toda a criatura que é sobre a terra

e foram os filhos de Noah os saíntes da arca

Sem e Ham e Yephet e Ham foi pai de Kenaam

e começou Noah

varão de terra

e viu Ham

pai de Kenaan

e

plantou vinha

e

bebeu vinho

e

emborrachou-se

e

descobriu-se

entre sua tenda

a descobertura de seu pai

e denunciou-a a seus irmãos na rua

três estes os filhos de Noah e destes se espargiu por toda a terra

e

tomaram Sem e Yephet

o

lençol

e

puseram-no sobre o ombro de ambos

e andaram para trás

e

cobriram a descobertura de seu pai e suas faces paras trás

e

a descobertura de seu pai não viram

e despertou Noah do seu vinho

e disse

maldito Kenaan servo de servos seja para seus irmãos

e disse

bendito Adonai Deus de Sem

e seja Kenaan

servo deles

ensanche o Deus a Yaphet

e

more em tendas de Sem

 

e

seja Kenaan

servo deles

e

viveu Noah

depois do dilúvio trezentos e cinquenta anos e foram todos os dias de Noah novecentos e cinquenta anos

e morreu

X

estas as gerações de filhos de Noah

Sem

Ham

e Yaphet

e foram-lhes nascidos filhos

depois do dilúvio

e

filhos de Yaphet

 

Gomer e Magog

e

Maday e Yavam

e

Thubal e Meseh e Tiras

e

filhos de Gomer

 

Askenaz e Riphat e Togarmah

e

filhos de Yavam

Elisah e Tarsis Kittim e Dodanim

de estes foram repartidas ilhas das gentes em suas terras

e filhos de Ham

Cus e Mifraim

e Put e Kenaam

a cada um

sua linguagem para suas linhagens em suas gentes

e

filhos de Cus

 

Sevah e Havilah

e

Sabtah

e

Rahmah

e

Sadtecha

e

filhos de Rahmah

e Cus

Senah e Dedan

engendrou Nimrod

este começou por ser valente na terra ele foi valente de caça diante de Adonai

e foi

principio de seu reino

dessa terra

Babel

e

Ereh

e

Acad

e

Calne

saíu Assur e fraguou Ninive

pelo que se diz como Nimrod

valente de caça diante de Adonai

em terra de Sinhar

e

Rechobot

a

cidade

e

Calah

e

Refen

entre Ninive e entre Calah

ela

 

a

cidade

a

grande

e

Mifraim engendrou Ludim

e

Hanamim e a Leahuim

e

Naphtuhim

e

Patrusim e Cassuhim

que saíram dali Felistim

 

e

Castorim

e

Kenaam engendrou Sidon

seu primeiro

 

e

Het

e

a Yebusi

e

a Hemori

e

a Guirgasi

e

a Hervi

e

a Harki

e

a Sini

e

a Arvadi

e

a Semari

e

a Hamathi

e

depois se espargiram linhagens dos Kenaani e foi o confim dos Kenaani

de Sidon

vinhedo a Gerar

até Hazza

vinhedo a Sedom

e Hamora e Hadma e Seboim até Lasah

estes os filhos de Ham

suas linhagens suas linguagens em suas terras em suas gentes

e

o

a Sem também lhe foi nascido

que é pai de todos os filhos de Heber

filhos de Sem

Helam e Assur

e

e

Arpacsad Lud e Aram

irmão de Yephet o grande

e filhos de Aram Hus e Hul

e Gheter e Mas

e

Arpacsad

engendrou Selah

e

Selah engendrou Heber

e

a Heber

foram nascidos

dois filhos

e

e

nome de seu irmão

Yoctan engendrou

nome de um

Peleg

Yoctan

Almodad e Salef

e foi sua estância de Mesaa

vindo de Sefara monte de Oriente

estes os filhos de Sem em suas linhagens em suas terras em seus gentios

quem em seus dias foi repartida a terra

e

Hasarmauet

e

Yarah

e

Hadoram e Azval

e

Dicla

e

a Hoval

e

a Havimael

e

a Seva

e

a Ofir

e

a Havila

e

a Yobab todos estes filhos de Yoctan

estas as linhagens de filhos de Noah

em seus nascimentos em suas gentes e de estes foram repartidas as gentes na terra

depois do dilúvio

XI

e

foi toda a terra

lábio um

e

foi em seu mover-se de Oriente

e

em terra de Sinhar

acharam uma veiga

e palavras

umas

e

estiveram ali

e

disseram

o

varão a seu companheiro

 

uau

 

adobemos adobes

e

ardamos por ardedura

e foi-lhes o adobe por pedra

 

e

a cal foi-lhes por lodo

e

disseram

 

uau fraguemos a nós cidade e torre sua cabeça nos céus

 

e faremos fama

quiçá nos espargiremos sobre faces de toda a terra

e desceu Adonai para vêr a cidade e a torre que fraguavam filhos de homem

e disse Adonai

há povo um

e lábio um

em todos eles

uau

desçamos

e revolvamos aí seus lábios que não escute o varão

e espargiu-os Adonai

de aí sobre faces de toda a terra

e vedou-se de fraguar a cidade

por isso chamou seu nome

Babel

e de aí os espargiu Adonai

sobre faces de toda a terra

estas as gerações de Sem

Sem

de idade de cem anos

e este é o seu começar por fazer

e agora não lhes será vedado tudo o que pensarem fazer

o lábio de seu companheiro

pois ali revolveu Adonai lábio de toda a terra

e engendrou Arpacsad dois anos

depois do dilúvio

e viveu Sem

quinhentos anos

 

e

engendrou filhos e filhas

e

Arpacsad

viveu trinta e cinco anos

 

e

engendrou Selah

e

viveu Arpacsad

depois de engendrar Selah

quatrocentos e três anos

e

engendrou filhos e filhas

e

Selah

viveu trinta anos

 

e

engendrou Heber

e

viveu Selah

depois de engendrar Heber

quatrocentos e três anos

e

engendrou filhos e filhas

e

viveu Heber trinta e quatro anos

 

e

engendrou Peleg

e

viveu Heber

depois de engendrar Peleg

quatrocentos e trinta nos

e

engendrou filhos e filhas

e

viveu Peleg

trinta anos

 

e

engendrou Rehu

e viveu Peleg

depois de engendrar Rehu duzentos e nove anos

 

e

engendrou filhos e filhas

e

viveu Rehu

trinta e dois anos

 

e

engendrou Serug

e

viveu Rehu

depois de engendrar Serug

duzentos e sete anos

e

engendrou filhos e filhas

e

viveu Serug

trinta anos

 

e

engendrou Nahor

e

viveu Serug

depois de engendrar Nahor duzentos anos

e

engendrou filhos e filhas

e

viveu Nahor vinte e nove anos

 

e

engendrou Terh

e

viveu Nahor

depois de engendrar Terah cento e dezanove anos

e

engendrou filhos e filhas

e

viveu Terah setenta anos

e engendrou Abram Nahor e Haran

e tomou Abram e Nahor para eles mulheres

nome de mulher de Abram

e

Haran gerou Loth

e

morreu Haran

sobre faces de Terah seu pai

em terra de seu nascimento em Ur dos Kaldeos

 

Saray

e

nome de mulher de Nahor

 

Milca

 

filha de Haran pai de Milca e pai de Ysca

e

foi Sara estéril

pois não lhe nasceu

 

e

tomou Terah

Abram seu filho

 

e

Loth filho de Haran

filho de seu filho

 

e

Sarai sua nora

mulher de Abram seu filho

 

e

saíram com eles

e foram dias de Terah

de Ur dos Kaldeos para andar a terra de Kenaan

e

vieram até Haran

e

estiveram ali

duzentos e cinco anos

e morreu Terah em Haran

XII

e disse Adonai a Abram