Sei sulla pagina 1di 1

Em texto de Ricardo Neves, consultor de empresas, escrito para a Revista poca: Edio 411-03/04/2006, intitulado O emprego j era!

, temos uma analise sobre a situao da criao de empregos e a falta dos mesmos que se tornam cada vez mais evidentes com o avano da tecnologia. Fato sempre discutido e alvo de promessas o assunto emprego est cada vez mais escasso enquanto a tecnologia cada vez mais favorecendo aos que dela desfrutam e roubando o espao dos que dela precisam para ter o po de cada dia. Encontramos no texto dados explcitos sobre a queda no numero de empregos em agencias bancrias, cerca de 50% de bancrios perderam seus empregos enquanto as agencias e os clientes so cada dia mais beneficiados. A produo em indstrias do setor secundrio aumenta cada dia mais, enquanto a mo de obra braal drasticamente reduzida e substituda por mquinas e softwares que desempenham o papel de inmeras pessoas e reduzem os gastos. O ponto que no se pode prometer a criao de novos empregos e a situao no pode ser revertida, o espao no mundo est cada vez mais limitado e seletivo quando nos relacionamos ao mercado de trabalho. Temos que nos acostumar com um novo conceito onde no h estabilidade, salrio fixo ou outros benefcios, hoje voc est aqui, amanh no est mais. O espao daqueles que tem esprito empreendedor, dos que ousam e acreditam no seu prprio potencial e no tem medo de correr riscos. Aqueles que rompem com uma cultura j estipulada e se adaptam as varincias criadas com a modernidade. Acredito que o foco do texto fato e devemos enxergar que a situao est se afunilando, no h mais demasiada necessidade de mos de obra especializada mais sim inteligncia em ao especializada, se que assim se pode definir aqueles que no tm medo de errar ou arriscar, se tornar apto e ser um diferencial. "O segredo da vida no fazer o que se gosta, mas sim gostar do que se faz. A adaptao tambm faz parte e s ganha seu espao aquele que de alguma forma batalha para t-lo, apenas os melhores soldados so capazes de ganhar uma guerra.