Sei sulla pagina 1di 13
Prof. Raimundo Nonato das Mercês Machado Unidade III – Amplificadores de Potência Amplificadores de Potência

Prof. Raimundo Nonato das Mercês Machado

Prof. Raimundo Nonato das Mercês Machado Unidade III – Amplificadores de Potência Amplificadores de Potência

Unidade III – Amplificadores de Potência

Amplificadores de Potência

Introdução Classes de funcionamento Classe A

Trabalha na região ativa.

A corrente circula durante os 360º do ciclo AC.

O ponto Q deve se situar em torno do centro da reta de carga.

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

centro da reta de carga. IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado Figura 1 2 Amplificadores de Potência Introdução

Figura 1

2

Amplificadores de Potência

Introdução Classes de funcionamento Classe B

A corrente circula durante 180º do ciclo AC.

O ponto Q se situa no corte

durante 180º do ciclo AC. O ponto Q se situa no corte Figura 2 IFPA-Prof. Raimundo

Figura 2

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

3

Amplificadores de Potência

Introdução Classes de funcionamento Classe C

A corrente circula menos que 180º do ciclo AC.

O ponto Q se situa no corte

A corrente circula menos que 180º do ciclo AC. O ponto Q se situa no corte

Figura 3

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

4

Amplificadores de Potência

Introdução Tipos de acoplamento Acoplamento capacitivo

Acopla corrente alternada

Acoplamento capacitivo Acopla corrente alternada Figura 4 Amplificadores de Potência Introdução Tipos de

Figura 4

Amplificadores de Potência

Introdução Tipos de acoplamento Acoplamento direto

Acopla corrente contínua e alternada

Acoplamento direto Acopla corrente contínua e alternada Figura 6 IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado 5

Figura 6

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

5

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

7

Amplificadores de Potência

Amplificadores de Potência

Introdução

Introdução

 

Tipos de acoplamento

 

Faixas de freqüência

 

Acoplamento por transformador

Amplificador de áudio

 

Acopla corrente alternada

20 Hz a 20 kHz

 
Figura 5

Figura 5

 

Amplificador de RF

 

Freqüências bem acima de 20 kHz

 

Rádio AM (Ondas Médias): 535 a 1605 kHz. Rádio FM: 88 a 108 MHz

 

Faixa estreita

Faixa larga

 

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

6

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

8

Amplificadores de Potência

Introdução Faixas de freqüência Amplificador de RF sintonizado

Faixas de freqüência Amplificador de RF sintonizado Figura 7 IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado Figura 8 9

Figura 7

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Figura 8

9

Amplificadores de Potência

Retas de carga DC e AC Reta de carga DC (Emissor Comum)

Retas de carga DC e AC Reta de carga DC (Emissor Comum) F i g u

Figura 9

AC Reta de carga DC (Emissor Comum) F i g u r a 9 Figura 10

Figura 10

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

10

Amplificadores de Potência

Retas de carga DC e AC Reta de carga AC (Emissor Comum)

Corte e saturação

e AC Reta de carga AC (Emissor Comum) Corte e saturação Figura 11 Figura 12 IFPA-Prof.

Figura 11

de carga AC (Emissor Comum) Corte e saturação Figura 11 Figura 12 IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Figura 12

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

11

Amplificadores de Potência

Retas de carga DC e AC Reta de carga AC (Emissor Comum)

Retas de carga DC e AC Reta de carga AC (Emissor Comum) Figura 13 Figura 14

Figura 13

Retas de carga DC e AC Reta de carga AC (Emissor Comum) Figura 13 Figura 14

Figura 14

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

12

Amplificadores de Potência

Amplificadores de Potência

Retas de carga DC e AC

Retas de carga DC e AC

Reta de carga AC (Emissor Comum)

Reta de carga AC (Coletor Comum)

Máximo valor pico a pico de saída (MPP).

Comum) Máximo valor pico a pico de saída (MPP). Figura 15 IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado Amplificadores

Figura 15

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Amplificadores de Potência

Retas de carga DC e AC

Machado Amplificadores de Potência Retas de carga DC e AC Figura 16 13 Reta de carga

Figura 16

13

Reta de carga AC (Emissor Comum) Exercício1

O

do

circuito da figura 17

tem

especificações

máximas: I C = 200 mA

V.

máximo

valor

que

saída.

das

e

o

seguintes

transistor

as

=

V CEO

40

Calcular

pico a

pico de

Mostrar

nenhuma

especificações

transistor é excedida

do

durante o ciclo AC.

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

do durante o ciclo AC. IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado Figura 17 14 Figura 18 IFPA-Prof. Raimundo

Figura 17

14

o ciclo AC. IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado Figura 17 14 Figura 18 IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Figura 18

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado 15 Amplificadores de Potência Retas de carga DC e AC Reta
IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado
15
Amplificadores de Potência
Retas de carga DC e AC
Reta de carga AC (Emissor Comum com realimentação)
Figura 19
IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado
16

Amplificadores de Potência

Retas de carga DC e AC Reta de carga AC

Ponto Q ótimo

Retas de carga DC e AC Reta de carga AC Ponto Q ótimo IFPA-Prof. Raimundo Nonato

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Figura 20

Amplificadores de Potência

17

Amplificadores de Potência

Amplificador Classe A Parâmetros

Ganho de tensão com carga

Ganho de corrente Ganho de potência

Potência na carga

Potência AC máxima na carga

potência Potência na carga Potência AC máxima na carga Figura 21 Dissipação de potência no transistor

Figura 21

Dissipação de potência no transistor Corrente de alimentação

Potência fornecida pela fonte DC

Rendimento do estágio

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

19

Amplificadores de Potência

Retas de carga DC e AC

Amplificador Classe A

Exercício 2

Exercício 4

Um amplificador com realimentação no emissor tem I CQ = 5 mA, V CEQ = 10 V, R C = 1k, R L = 3k e r E = 120. Calcular a corrente AC de saturação, a tensão AC de corte e o valor pico a pico de saída.

Exercício 3

Situar o ponto Q ótimo para o circuito da figura 17 para obter a máxima excursão pico a pico na saída.

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

18

O

do

circuito da figura 22

tem

Calcular

A i , A p ,

150.

transistor

β

igual A v ,

a

P Lmax , P Dmax , I F , P F e

η.

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

A v , a P Lmax , P Dmax , I F , P F e

Figura 22

20

Amplificadores de Potência

Amplificadores de Potência

Amplificador Classe B Circuito Push-Pull
Amplificador Classe B
Circuito Push-Pull

Amplificador Classe B Circuito Push-Pull Análise AC

Amplificador Classe B Circuito Push-Pull Análise AC Ganho de tensão Impedância de entrada Impedância

Ganho de tensão

Impedância de entrada

Impedância de saída

Ganho de corrente

Ganho de potência

Figura 26

Figura 23

Figura 24

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Amplificadores de Potência

21

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Amplificadores de Potência

23

Amplificador Classe B Circuito Push-Pull

Amplificador Classe B Circuito Push-Pull Funcionamento do circuito

Retas de carga

Máxima excursão pico a pico de saída

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

pico a pico de saída IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado Figura 25 22 Figura 27 Distorção de

Figura 25

22

Figura 27
Figura 27

Distorção de cruzamento

Distorção não-linear

Potência na

carga

Potência

máxima na

carga

Dissipação de

potência

transistor

Máxima potência dissipada no transistor

no

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

24

Amplificadores de Potência

Amplificadores de Potência

Amplificador Classe B Circuito Push-Pull Funcionamento do circuito

Amplificador Classe B Circuito Push-Pull Exercício 6

Figura 28
Figura 28

Corrente de alimentação

Potência

fornecida

pela fonte

Rendimento

Um amplificador push-pull classe B tem tensão de alimentação de 30 V, uma corrente de polarização de 1 mA e uma corrente quiescente de coletor de 1 mA. Se o amplificador tiver a reda de carga AC dada na figura 29, quais os valores da corrente de alimentação sem sinal, da corrente de alimentação com todo o sinal e do rendimento do estágio?

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

25

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

27

Amplificadores de Potência

Amplificadores de Potência

Amplificador Classe B Circuito Push-Pull Exercício 5

Na figura 29 é mostrada a reta de carga AC de um seguidor de emissor push- pull classe B. Se R L = 100, calcular a máxima excursão pico a pico de saída e a potência máxima na carga.

pico a pico de saída e a potência máxima na carga. Figura 29 Amplificador Classe B

Figura 29

Amplificador Classe B Polarização do amplificador classe B Polarização por divisor de tensão

A diminuição de V BE com a temperatura faz a corrente de coletor aumentar o que pode danificar o transistor.

V BE diminui 2mV para cada grau de aumento na

temperatura. Uma diminuição de 60 mV em V BE faz a corrente de coletor aumentar em 10 vezes.

Figura 30

faz a corrente de coletor aumentar em 10 vezes. Figura 30 IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado 26

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

26

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

28

Amplificadores de Potência

Amplificador Classe B

Polarização do amplificador classe B

Polarização por diodo (espelho de corrente)

D 1 e D 2 são chamados diodos compensadores e polarizam os diodos emissores de Q 1 e Q 2 . As curvas de V BE dos diodos e dos transistores devem ser idênticas.

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Figura 31

Amplificadores de Potência

Amplificador Classe B

Figura 31 Amplificadores de Potência Amplificador Classe B 29 Polarização do amplificador classe B Exercício 7

29

Polarização do amplificador classe B

Exercício 7

Qual a corrente de coletor para o circuito da figura 32?

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Figura 32

da figura 32? IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado Figura 32 30 Amplificadores de Potência Amplificador Classe B

30

Amplificadores de Potência

Amplificador Classe B

Acionador classe B

com

que

funciona como uma fonte de

os

diodos. A corrente de emissor de Q 1 é ajustada por R 2 .

Amplificador acoplamento

EC

direto

corrente

para

polarizar

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Amplificadores de Potência

Raimundo Nonato Machado Amplificadores de Potência Figura 33 31 Amplificador Classe B   Acionador

Figura 33

31

Amplificador Classe B

 

Acionador classe B

 

Equivalente DC

Equivalente AC

Acionador classe B   Equivalente DC Equivalente AC Figura 34 IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado Figura 35

Figura 34

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Acionador classe B   Equivalente DC Equivalente AC Figura 34 IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado Figura 35

Figura 35

32

Amplificadores de Potência

Amplificador Completo

Amplificadores de Potência Amplificador Completo IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado Figura 36 Amplificadores de Potência

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Figura 36

Amplificadores de Potência

33

Amplificador Completo

Exercício 8

Calcular a corrente quiescente através de Q3 e Q4. Se β = 120 qual o ganho de tensão com carga do estágio acionador no circuito da figura 36?

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

34

Amplificadores de Potência

Amplificador Classe B

Alimentação subdividida

Com as alimentações iguais e opostas cada transistor tem VCEQ = VCC, logo a tensão de saída é zero e a carga pode ser acoplada diretamente.

entre os diodos

Também

compensadores é zero podendo-se acoplar a entrada diretamente,

a

tensão

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Amplificadores de Potência

Figura 37
Figura 37

35

Amplificador Classe C

Funcionamento em classe C

Freqüência de ressonância

C Funcionamento em classe C Freqüência de ressonância Figura 39 IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado Figura 38

Figura 39

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

C Funcionamento em classe C Freqüência de ressonância Figura 39 IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado Figura 38

Figura 38

36

Amplificadores de Potência

Amplificadores de Potência

Amplificador Classe C Funcionamento em classe C Equivalente DC

Amplificador Classe C Funcionamento em classe C Equivalente AC

Classe C Funcionamento em classe C Equivalente AC Figura 40 IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado Amplificadores

Figura 40

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Amplificadores de Potência

Raimundo Nonato Machado Amplificadores de Potência Figura 38 37 Figura 42 IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Figura 38

37

Figura 42
Figura 42

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Amplificadores de Potência

Figura 38

39

Amplificador Classe C Funcionamento em classe C Retas de carga

Amplificador Classe C Funcionamento em classe C Largura de banda

Classe C Funcionamento em classe C Largura de banda Figura 41 IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado Figura

Figura 41

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

de banda Figura 41 IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado Figura 38 38 Figura 43 IFPA-Prof. Raimundo Nonato

Figura 38

38

Figura 43
Figura 43

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Figura 38

40

Amplificadores de Potência

Amplificadores de Potência

Amplificador Classe C Funcionamento em classe C Resistência AC do coletor

Amplificador Classe C Funcionamento em classe C Grampeamento DC

Classe C Funcionamento em classe C Grampeamento DC Fator de qualidade do indutor Resistência em série

Fator de qualidade do indutor Resistência em série do indutor

de qualidade do indutor Resistência em série do indutor Figura 44 IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado Figura

Figura 44

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Figura 38

41

Amplificadores de Potência

Figura 46 Corrente de coletor
Figura 46
Corrente de coletor

Figura 47

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Amplificadores de Potência

Figura 38

43

Amplificador Classe C Funcionamento em classe C Resistência AC do coletor

Amplificador Classe C Funcionamento em classe C Grampeamento DC

Fator de qualidade do indutor Resistência em paralelo do indutor Figura 45
Fator de qualidade do indutor
Resistência em paralelo do indutor
Figura 45

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Figura 38

42

Circuito AC do coletor Figura 48 Tensão no coletor
Circuito AC do coletor
Figura 48
Tensão no coletor
38 42 Circuito AC do coletor Figura 48 Tensão no coletor Figura 49 Figura 38 IFPA-Prof.

Figura 49

Figura 38

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

44

Amplificadores de Potência

Amplificador Classe C

Parâmetros

Ciclo de trabalho

Máxima excursão pico a pico de saída

Potência na carga

Potência máxima na carga

Dissipação de potência no transistor

Corrente da fonte

Potência da fonte

potência no transistor Corrente da fonte Potência da fonte Figura 50 Rendimento IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Figura 50

Rendimento

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Amplificadores de Potência

Amplificador Classe C

45

Exercício 9

de Potência Amplificador Classe C 45 Exercício 9 Explicar as formas de onda mostradas no circuito

Explicar as formas de onda mostradas no circuito da figura 50

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Figura 51

46

Amplificadores de Potência

Amplificador Classe C

Exercício 10

o circuito da figura 51 o Q da bobina é 50. Calcular a freqüência de ressonância, a corrente AC de saturação, a tensão AC de corte, a máxima excursão pico a pico de saída e a largura de banda.

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Amplificadores de Potência

Especificação de potência do transistor

47

Introdução

A temperatura

na

dissipação de potência do transistor.

Dependendo do tipo de transistor, uma temperatura da junção na faixa de 150º a 200ºC destruirá o transistor. O calor produzido na junção na junção passa através do invólucro do transistor e irradia para do ambiente que geralmente é por volta de 25 ºC, mais que pode aumentar dependendo do clima e a onde o transistor opera.

na

junção

do

coletor

impõe

um

limite

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

48

Amplificadores de Potência

Especificação de potência do transistor

Fator de redução (D)

A potência máxima que o transistor pode dissipar é especificada à temperatura ambiente (25 ºC). Caso o transistor opere em temperaturas mais elevadas, é necessário usar a curva ou o fator de redução de potência do transistor.

ΔP = DT( A 25º)C

ΔP - diminuição na especificação de potência. D - fator de redução. T A - Temperatura do ambiente.

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Amplificadores de Potência

Raimundo Nonato Machado Amplificadores de Potência Figura 52 49 Amplificadores de Potência Especificação de

Figura 52

49

Amplificadores de Potência

Especificação de potência do transistor

Dissipadores de calor

Fator de redução (D)

do transistor Dissipadores de calor Fator de redução (D) F i g u r a 5

Figura 53

ΔP DT

T

=

(

C

25

C

º)

C

=+ TP

A

D

(

θ

CS

+

θ

SA

)

ΔP - diminuição da especificação de potência D - fator de redução

T C

T A

P D - dissipação de potência no transistor θ CS - resistência térmica entre a carcaça e o dissipador θ SA - resistência térmica entre o dissipador e o ar ambiente

- temperatura da carcaça

- temperatura do ambiente

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

Amplificadores de Potência

51

Especificação de potência do transistor

Especificação de potência do transistor

Dissipadores de calor

Dissipadores de calor

a

especificação de potência de um transistor. O dissipador permite que o calor escape mais facilmente para o meio ambiente porque ele aumenta a área da superfície do invólucro do transistor. Ao fluir para fora do transistor, o calor passa através da carcaça do transistor e vai para o dissipador de calor, que então irradia o calor para o ar circundante. A temperatura da carcaça do transistor T C é mais alta que a temperatura do dissipador de calor T S , que é mais alta que a temperatura do ambiente T A .

Dissipadores

de

calor

são

utilizados

para

aumentar

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

50

Exercício 9

Um circuito deve operar a uma temperatura ambiente que varia na faixa de 0 a 70 ºC. Um dissipador com curva de redução dada na figura 35 tem as seguintes resistências térmicas: θCS = 0,5 ºC/W e θAS = 1,5 ºC/W. Se o transistor tem uma dissipação de potência máxima de 30 W, qual a temperatura máxima na carcaça do transistor? Usando a curva de redução dada na figura 53, determinar a especificação de potência na temperatura máxima da carcaça.

IFPA-Prof. Raimundo Nonato Machado

52