Sei sulla pagina 1di 4

NORMAS JURÍDICAS

Norma - o que deve ser feito (não devemos matar).


=
Lei - forma de que reveste a norma (art. 121 do CP - matar alguém: pena...).

Há três espécies de NORMAS:


Normas Jurídicas – Que exercem sua pressão social a partir do Direito.
Cumprimos determinada norma porque há uma
penalidade aplicável.

Normas Costumeiras
Que exercem sua pressão social a partir do grupo
social. Dependendo do contexto a pena é a
reprovação ou não da sociedade.
Normas Morais

COSTUME = MORAL
Reflete apenas uma conduta: ir a Reflete uma conduta e uma
uma audiência usando terno e mudança interior – ir à igreja não
gravata. = porque é um costume da sua
família, mas porque realmente
você acha que é seu dever moral.

A existência da moral é a busca constante do BEM, da JUSTIÇA e da VERDADE; é a busca da


transformação do SER em DEVER-SER.

NORMA JURÍDICA – É um comando dirigido às ações dos indivíduos; é uma regra que serve para
regular as ações ou comportamentos de alguém em suas relações sociais.

A norma jurídica opera com três modais deônticos (modelo de moral – dever-ser): Modal de proibição;
modal de obrigatoriedade e modal de permissão.

João – é proibido estacionar e


parar seu carro aqui =
João – você deve agir Modal de proibição.
assim = NORMA
JURÍDICA
João – é obrigatório usar cinto de
segurança = Modal de
obrigatoriedade.

João – é permitido nadar =


Modal de permissão.
Modal de proibição e de obrigatoriedade = Gera comando.
Modal de permissão = Não gera comando.

Ex.:
Maria PODE se casar.
É OBRIGATÓRIO que Maria seja maior, ou se não, que tenha autorização.
É PROIBIDO Maria casar com seu irmão José.

SANÇÃO – A sanção faz parte da estrutura da Norma Jurídica, imputando outra ação (pena, punição)
àquele que descumpre o comando primário da norma jurídica.

- Modal da proibição.

Norma Jurídica = Não fumar


1a AÇÃO = comando primário = Não fumar
Kleber fuma
2a AÇÃO = Imposição de Multa = lei 3071/05 MS = Sanção

- Modal de obrigação.

Norma Jurídica = contrato de aluguel


1a AÇÃO = comando primário – pagar até dia 10
Maria, que era obrigada a pagar não paga.
2a AÇÃO = ação de despejo = lei do inquilinato = sanção.

* A sanção pode atingir a ação das pessoas (multa, prisão) ou atingir o ato jurídico praticado (anulação do
casamento, clausula contratual nula).

* Modal permissivo – a sanção recai sobre aquele que impedir a pessoa que quiser usufruir da permissão.

* O destinatário não precisa necessariamente cumprir a determinação da sanção, pode acatá-la e, por
exemplo, pagar a multa antes do despejo.

COERÇÃO – Não se confunde com a sanção. É o efeito psicológico da sanção e que tem função
preventiva.

COAÇÃO – Aplicação efetiva de uma sanção pelo poder competente segundo os processos legais contra
o violador da norma.

• O tipo de sanção depende da espécie de norma jurídica existente no ordenamento jurídico: Direito
Civil – nulidades, perda de direitos; Direito Penal – detenção, reclusão, multa; Direito
Administrativo – multa, perda de cargo, suspensão; Direito do Consumidor – multa, apreensão de
mercadoria, interdição de estabelecimento...

• As sanções podem ser aplicadas de forma isoladas ou concomitantemente.


Norma Jurídica Formulação Lógica
Ausência de Sanção

A norma jurídica em si é sempre prescritiva; a sua essência é sempre um “dever-ser”. Não importa que,
ao ser transposta para uma organização lógica, tal como escrita num código ou lei qualquer, a forma
apresentada como resultado final não mostre nitidamente esse “dever-ser”.

Art. 121 – CP – Matar alguém: Pena – reclusão, de 6 (seis) a 20 (vinte) anos.

Não matar = modal deôntico de


Apresentação da Não se confunde com proibição.
norma a essência da norma

Outros exemplos:

Art. 130 CP
Art. 138 CP
Art. 155 CP

A doutrina reconhece a existência de normas jurídicas sem sanção quando da fixação de critérios de
classificação, definições, princípios, objetivos, diretrizes... Isso porque a norma jurídica existe em um
complexo ordenamento jurídico que necessita ser estudado e interpretado como um todo.

Exemplos:

Art. 3o PNMA – conceitos.


Art. 2o PNMA – princípios.
Art. 2o Código Florestal – classificação de APP.
Art. 4o CDC – princípios
Art. 2o e 3o do CDC – conceitos.
Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
a) Em qual ramo do direito encaixamos o artigo de lei acima proposto?
b) Qual é a norma jurídica exposta?
c) Qual é o modal deôntico em que a norma se encaixa?
d) Qual é a sanção?
e) Como enxergamos a coação?
f) Quando ocorre a coação?

Art. 49 - O consumidor pode desistir do contrato, no prazo de 07 (sete) dias a contar de sua assinatura ou
do ato de recebimento do produto ou serviço, sempre que a contratação de fornecimento de produtos e
serviços ocorrer fora do estabelecimento comercial, especialmente por telefone ou a domicílio.
a) Em qual ramo do direito encaixamos o artigo de lei acima proposto?
b) Qual é a norma jurídica exposta?
c) Qual é o modal deôntico em que a norma se encaixa?
d) A quem cabe a sanção?

Art. 1.517. O homem e a mulher com dezesseis anos podem casar, exigindo-se autorização de ambos os
pais, ou de seus representantes legais, enquanto não atingida a maioridade civil.
Art. 1.550. É anulável o casamento:
II - do menor em idade núbil, quando não autorizado por seu representante legal;
a) Em qual ramo do direito encaixamos o artigo de lei acima proposto?
b) Qual é a norma jurídica exposta?
c) Qual é o modal deôntico em que a norma se encaixa?
d) Qual é a sanção?